Biblioteca Escolar

11.162 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.162
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9.872
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Biblioteca Escolar

  1. 1. MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR<br />Um instrumento de melhoria<br />Dezembro 2009<br />
  2. 2. A BIBLIOTECA ESCOLAR HOJE<br />
  3. 3. A BIBLIOTECA ESCOLAR HOJE<br />A BE passa, neste contexto, a ter um papel :<br />Informacional<br />Transformativo<br />Formativo<br />(Bogel, 2006)<br />
  4. 4. A BIBLIOTECA HOJE<br />“A ligação entre a BE, a escola e o sucesso educativo é hoje um facto assumido por Organizações e Associações Internacionais que a definem como núcleo de trabalho e aprendizagem ao serviço da escola.” <br />KatherineMansfield<br />Fachada da Escola EB 2,3 de S. João da Madeira<br />“…um contributo essencial para o sucesso educativo, sendo um recurso fundamental para o ensino e para a aprendizagem.”<br />MAABE, 2009<br />Alunos da Escola EB2,3 no Dia Internacional das BE’s<br />
  5. 5. Papel do professor bibliotecário<br />a) Assegurar o serviço de biblioteca para todos os elementos da comunidade escolar;<br />b) Promover a articulação das actividades da biblioteca com os objectivos do projecto educativo e dos projectos curriculares de turma;<br />c) Assegurar a gestão dos recursos humanos afectos à biblioteca;<br />d) Garantir a organização do espaço e assegurar a gestão funcional e pedagógica dos recursos materiais afectos à biblioteca;<br />e) Definir e operacionalizar uma política de gestão dos recursos de informação, promovendo a sua integração nas práticas de professores e alunos;<br />
  6. 6. f) Apoiar as actividades curriculares e favorecer o desenvolvimento de hábitos e competências de leitura, da literacia da informação e das competências digitais, trabalhando colaborativamente com todas as estruturas da escola;<br />g) Apoiar actividades livres, extracurriculares e de enriquecimento curricular incluídas no Plano de Actividades ou no Projecto Educativo da escola;<br />h) Estabelecer redes de trabalho cooperativo, desenvolvendo projectos de parceria com entidades locais;<br />i) Implementar processos de avaliação dos serviços e elaborar um relatório anual de auto-avaliação a remeter ao Gabinete Coordenador da Rede de Bibliotecas Escolares (GRBE);<br />j) Representar a biblioteca escolar no Conselho Pedagógico, nos termos do regulamento interno.<br />
  7. 7. BE E AUTO-AVALIAÇÃO<br />
  8. 8. BE E AUTO-AVALIAÇÃO<br />
  9. 9. BE E AUTO-AVALIAÇÃO<br />A auto-avaliação, baseada num determinado modelo, é um princípio de boa gestão e um instrumento indispensável num plano de desenvolvimento. <br />PERMITE:<br />
  10. 10. ANÁLISE SWOT<br />Pontos fortes<br />Oportuni-dades<br />Acções de melhoria<br />Pontos fracos<br />Ameaças<br />
  11. 11. MAABE- MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BE<br />
  12. 12. MAABE- MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BE<br />
  13. 13. O que avaliamos ?Domínios e subdomínios do MAABE<br />Domínio a avaliar este ano pela escola<br />
  14. 14. Instrumentos para recolha de evidências<br />QA2 Questionário aos alunos<br />QD2 Questionário aos docentes<br />QEE1 Questionário aos pais e encarregados de educação<br />GO3 Grelha de observação – Participação em actividades de leitura<br />GO4Grelha de observação – Motivação para a leitura<br />
  15. 15. Em que nos baseamos?<br />“Action<br />and evidence-based, learning- entered practice”<br />(RossTodd)<br />
  16. 16. Recolha de evidências <br />Amostras <br />mínimas <br />para<br />aplicação<br /> de questionários<br />20% professores<br />10% alunos<br />
  17. 17. Níveis de desempenho<br />A BE é muito forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de grande qualidade e com um impacto bastante positivo.<br />4<br />3<br />A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio mas ainda é possível melhorar alguns aspectos.<br />2<br />A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio, sendo necessário melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo. <br />1<br />A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é bastante reduzido, sendo necessário intervir com urgência.<br />
  18. 18. Intervenientes no processo<br />
  19. 19. Etapas de aplicação do MAABE<br />
  20. 20. Etapas (prazos sugeridos)<br />
  21. 21. Auto-avaliação BE - ESCOLA<br /><ul><li> A avaliação da BE deve estabelecer ligações com a avaliação da escola.
  22. 22. Do relatório de avaliação da BE deve transitar uma síntese que venha a integrar o relatório da escola.
  23. 23. A avaliação externa da escola pela Inspecção Geral de Educação poderá, assim, avaliar o impacto da BE na escola, mencionando-a no relatório final de avaliação da escola.</li></ul>Texto da sessão 4 da formação RBE em MAABE<br />
  24. 24. CONCLUSÃO<br />É necessária a colaboração de todos! <br />Para que a BE se afirme realmente como “…um contributo essencial para o sucesso educativo, sendo um recurso fundamental para o ensino e para a aprendizagem.”<br />MAABE, 2009<br />
  25. 25. Bibliografia<br /><ul><li>Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares (2009) – modelo de auto-avaliação da biblioteca escolar;
  26. 26. Scott, Elspeth (2002) –“ How good is Your Scolllibrary resource centre? An introdution to perfomance measurement”. 68th IFLA Council and General Conference August;
  27. 27. Textos 3ª sessão formação “ Práticas e modelos de AA das BE”;
  28. 28. Todd, Ross(2001) –“ Transitions for prefered futures of school ibraries: Knowledge space not information space-connetions, not colletions-ations, not positions-Evidence not advocacy. The2001 IASL Conference;
  29. 29. McNicolª, Sarah(2004) –Incorporation Library Provisionin School Self Evaluation, in Education Review, 56, November 2004, págs 287-296.</li>

×