Modelo De Auto AvaliaçãO

1.628 visualizações

Publicada em

Sessão 3 - Workshop (2º ficheiro)

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.628
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
23
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modelo De Auto AvaliaçãO

  1. 1. Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares
  2. 2. Pertinência da existência de um Modelo de Avaliação para as Bibliotecas Escolares. Agrupamento de Escolas de Cascais
  3. 3. Conceito de Avaliação Agrupamento de Escolas de Cascais “ a systematic measurement of the extent to which a system has achieved its objectives in a certain period of time.” Mackenzie (1990)
  4. 4. O que pretende este Modelo? Agrupamento de Escolas de Cascais O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares pretende “facultar um instrumento pedagógico e de melhoria contínua que permita aos órgãos de gestão directivos e aos coordenadores avaliar o trabalho da Biblioteca Escolar e o impacto desse trabalho no funcionamento global da escola e nas aprendizagens dos alunos e identificar as áreas de sucesso e aquelas que, por apresentarem resultados menores, requerem maior investimento , determinando, nalguns casos, uma inflexão das práticas.”
  5. 5. Pertinência de um Modelo de Auto-Avaliação Agrupamento de Escolas de Cascais Necessidade de dotar as Bibliotecas Escolares de um instrumento: - que permita um processo de melhoria contínua do seu desempenho; - que permita avaliar o impacto da BE no funcionamento global da escola e no processo ensino/ aprendizagem dos alunos; - que permita a reflexão, estabelecer prioridades e origine mudanças concretas na prática.
  6. 6. O Modelo enquanto instrumento pedagógico e de melhoria de melhoria. Conceitos implicados. Agrupamento de Escolas de Cascais
  7. 7. Agrupamento de Escolas de Cascais Este Modelo pretende “ a integração institucional e programática, de acordo com os objectivos educacionais e programáticos da escola ” e, desta forma, pretende-se avaliar o contributo da BE e aferir a eficácia dos seus serviços para a escola e para os alunos.
  8. 8. Conceitos implicados Agrupamento de Escolas de Cascais - Novos contextos e conceitos de aprendizagem; - Novas estratégias de abordagem à realidade e ao conhecimento; - Modificação global das estruturas sociais (introdução das TIC, novos ambientes de disponibilização da informação); - Necessidade de gerir a mudança (impacto das BE na escola).
  9. 9. Organização estrutural e funcional. Agrupamento de Escolas de Cascais
  10. 10. Etapas a desenvolver: Agrupamento de Escolas de Cascais - Identificação de um problema; - Recolha de evidências (plano de actividades da BE, materiais produzidos pela BE, grelhas de observação, questionários, actas, relatórios, documentos estatísticos, etc.) ; - Avaliação e interpretação dos dados recolhidos; - Realização de mudanças necessárias e implementação de futuras acções.
  11. 11. Domínios Agrupamento de Escolas de Cascais Este Modelo encontra-se dividido em quatro domínios : A – Apoio ao Desenvolvimento Curricular; B – Leitura e Literacias; C – Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade; D – Gestão da Biblioteca Escolar.
  12. 12. Subdomínios Agrupamento de Escolas de Cascais Domínio A Apoio ao Desenvolvimento Curricular Desenvolvimento da literacia da informação. Articulação curricular da BE com as estruturas pedagógicas e os docentes.
  13. 13. Subdomínios Agrupamento de Escolas de Cascais Domínio B Leitura e Literacias Promoção da leitura.
  14. 14. Subdomínios Agrupamento de Escolas de Cascais Domínio C Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à Comunidade Projectos e parcerias. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular.
  15. 15. Subdomínios Agrupamento de Escolas de Cascais Domínio D Gestão da Biblioteca Escolar Gestão da Colecção/ da informação. Articulação da BE com a Escola/ Agrupamento. Acesso a serviços prestados pela BE. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços.
  16. 16. Metodologia a aplicar Agrupamento de Escolas de Cascais 1 - É necessário identificar o perfil da BE. 2 - É necessário seleccionar o domínio a avaliar. 3 - É necessário recolher evidências tendo em conta o domínio escolhido. 4 - É necessário identificar o perfil de desempenho da BE (escala de 4 níveis). 5 - É necessário registar a auto-avaliação no relatório final.
  17. 17. Integração/ aplicação à realidade da escola/ biblioteca escolar. Oportunidades e constrangimentos. Agrupamento de Escolas de Cascais
  18. 18. Integração/aplicação Agrupamento de Escolas de Cascais Impacto da BE na Escola e no sucesso educativo dos alunos. Missão da BE no contexto da Escola. O Modelo de auto-avaliação encontra-se ligado ao processo de planeamento da BE.
  19. 19. Integração/aplicação devem: Agrupamento de Escolas de Cascais . basear-se nas evidências e informações recolhidas, tendo em conta o ambiente interno e externo da escola; . ter em conta as oportunidades e as ameaças; . ter em conta a adequação aos objectivos; . ter em conta estratégias de ensino/ aprendizagem.
  20. 20. Oportunidades Agrupamento de Escolas de Cascais - Colocação de Professores Bibliotecários a tempo inteiro. - Desenvolver as actividades a realizar na BE tendo em conta o currículo dos alunos. - Articular as actividades da BE com os docentes da escola. - Melhorar a eficácia dos serviços da BE. - Tornar a BE num Centro de Aprendizagem e de Construção de Conhecimento.
  21. 21. Constrangimentos Agrupamento de Escolas de Cascais - Equipa reduzida e sem formação. - O papel da BE pouco reconhecido por muitos docentes. - Desconhecimento, por parte de alguns docentes, da articulação da BE ao currículo. - Exaustiva recolha de evidências.
  22. 22. Gestão participada das mudanças que a sua aplicação impõe. Níveis de participação da escola. Agrupamento de Escolas de Cascais
  23. 23. Mudanças/ níveis de participação Agrupamento de Escolas de Cascais - Articulação entre a BE com o órgão de gestão, coordenadores de departamento e docentes. - Cooperação entre os membros da Equipa. - Estabelecimento de parcerias. - Os alunos deverão passar a ser “ independent learners ” de forma a que possam apreciar a literatura e outras formas de informação criativa. - A BE terá de ser vista como um espaço construtor de conhecimento.
  24. 24. Agrupamento de Escolas de Cascais - Disponibilização de dados do processo de Auto-Avaliação da BE. - Ligação à avaliação interna e externa da escola. - Comunicação dos resultados obtidos e solicitação de contributos. - Este processo terá um valor estratégico para a escola. - Necessidade de sensibilizar a Comunidade Educativa para o processo de Auto-Avaliação. Mudanças/ níveis de participação
  25. 25. Agrupamento de Escolas de Cascais “ … a avaliação tem um papel determinante, permitindo-nos validar o que fazemos, como fazemos, onde estamos e até onde queremos ir, mas sobretudo o papel e intervenção, as mais-valias que acrescentamos.”

×