EducaçãO à DistâNcia

9.380 visualizações

Publicada em

slide sobre EAD.

Publicada em: Turismo
2 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.380
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
165
Comentários
2
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

EducaçãO à DistâNcia

  1. 1. EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA Grupo: Bruno Aluno: Bruno Vargas Dalla Rosa Disciplina: Tecnologia da Informação Turma: 125
  2. 2. Conceitos Básicos: <ul><li>Educação a distância é o processo de ensino- </li></ul><ul><li>aprendizagem onde professores e estudantes </li></ul><ul><li>estão separados espacial e/ou </li></ul><ul><li>temporalmente. </li></ul><ul><li>Modalidade de ensino/aprendizagem onde professores e estudantes não estão normalmente juntos, fisicamente, mas podem estar conectados, interligados por tecnologias, principalmente as telemáticas , como a Internet, mas também podem ser utilizados o correio , o rádio , a televisão , o vídeo , o CD-ROM , o telefone , o fax , o celular , o Ipod , o notebook , entre outras tecnologias semelhantes </li></ul>
  3. 3. Histórico da EAD: <ul><li>Muitos autores, a exemplo de João Roberto Moreira Alves (1998), datam o surgimento da EAD no mundo no século XV, quando Johannes Guttenberg inventou a imprensa na Alemanha, utilizando caracteres móveis para a composição de palavras. Até aquele momento, a produção de livros era realizada manualmente e era extremamente onerosa, dificultando o acesso ao universo do conhecimento. Em épocas mais recentes, temos citações de uma tentativa de estabelecer um curso por correspondência na Inglaterra, com direito a diploma, em 1880 (Niskier, 1999). Tal idéia foi rejeitada pelas autoridades locais e os autores da proposta foram para os Estados Unidos, encontrando espaço na Universidade de Chicago. Em 1882, surgiu o primeiro curso universitário de EAD naquela instituição, com material enviado pelo correio. Depois, em 1906, a Calvert School , em Baltimore, EUA, tornou-se a primeira escola primária a oferecer cursos por correspondência. </li></ul><ul><li>Segundo Alves (1998), a difusão da EAD no mundo se deve principalmente à França, Espanha e Inglaterra, pois os centros educacionais destes países contribuíram bastante para que outros pudessem adotar os modelos desenvolvidos. </li></ul>
  4. 4. EAD no mundo: <ul><li>Suécia </li></ul><ul><li>Registrou sua primeira experiência em 1833, com um curso de Contabilidade. </li></ul><ul><li>Inglaterra </li></ul><ul><li>Iniciou em 1840, e, em 1843, foi criada a Phonografic Corresponding Society. A Open University, fundada em 1962, mantém um sistema de consultoria, auxiliando outras nações a “fazer” uma educação a distância de qualidade. </li></ul><ul><li>Alemanha </li></ul><ul><li>Em 1856, fundou o primeiro instituto de ensino de línguas por correspondência. </li></ul><ul><li>Estados Unidos da América </li></ul><ul><li>Iniciou em 1874, com a Illinois Weeleyan University. </li></ul><ul><li>Paquistão </li></ul><ul><li>Em 1974, a Universidade Aberta Allma Iqbal iniciou a formação de docentes via EaD. </li></ul><ul><li>Sri Lanka </li></ul><ul><li>A partir de 1980, a Universidade Aberta de Sri Lanka passou a atender setores importantes para o desenvolvimento do país: profissões tecnológicas e formação docente. </li></ul><ul><li>Tailândia </li></ul><ul><li>A Universidade Aberta Sukhothiai Thommathirat tem cerca de 400.000 estudantes em diferentes setores e modalidades. </li></ul><ul><li>continua... </li></ul>
  5. 5. EAD no mundo (continuação) <ul><li>Indonésia </li></ul><ul><li>Criada em 1984, a Universidade de Terbuka surgiu para atender forte demanda de estudos superiores, e prevê chegar a cinco milhões de estudantes. </li></ul><ul><li>Índia </li></ul><ul><li>Criada em 1985, a Universidade Nacional Aberta Indira Gandhi tem objetivo de atender a demanda de ensino superior. </li></ul><ul><li>Austrália </li></ul><ul><li>É um dos países que mais investe em EaD, mas não tem nenhuma universidade especializada nesta modalidade. Nas universidades de Queensland, New England, Macquary, Murdoch e Deakin, a proporção de estudantes a distância é maior ou igual à de estudantes presenciais. </li></ul><ul><li>México </li></ul><ul><li>Programa Universidade Aberta, inserido na Universidade Autônoma do México, em 1972. </li></ul><ul><li>Costa Rica </li></ul><ul><li>Universidade Estatal a Distância da Costa Rica, criada em 1977. </li></ul><ul><li>Venezuela </li></ul><ul><li>Universidade Nacional Aberta da Venezuela, criada em 1977. </li></ul><ul><li>Colômbia </li></ul><ul><li>Universidade Estatal Aberta e a Distância da Colômbia, criada em 1983 </li></ul>
  6. 6. EAD no Brasil: <ul><li>A história da educação a distância no Brasil teve início em 1904, com o ensino por correspondência. Na época, instituições privadas passaram a ofertar cursos técnicos sem exigir escolarização anterior. Este modelo foi consagrado com a criação da Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, concebida por um grupo liderado por Henrique Morize e Roquete Pinto (1923), e também com o surgimento do Instituto Monitor (1939), do Instituto Universal Brasileiro (1941) e de outras organizações similares. Entre 1970 e 1980, instituições privadas e organizações não governamentais (ONGs) começaram a oferecer cursos supletivos a distância, com aulas via satélite complementadas por kits de materiais impressos. A universidade virtual, compreendida como ensino superior a distância com uso de Tecnologias de Comunicação e Informação (TIC), surgiu no Brasil na segunda metade da década de 1990. </li></ul><ul><li>continua.... </li></ul>
  7. 7. EAD no Brasil (continuação): <ul><li>As universidades brasileiras passaram a se dedicar à pesquisa e à oferta de cursos superiores a distância e ao uso de novas tecnologias nesse processo a partir de 1994, com a expansão da Internet nas Universidades de Ensino Superior (IES) e com a publicação da Lei de Diretrizes e Bases para a Educação Nacional (LDB), em dezembro de 1996, que oficializou a EAD como modalidade válida e equivalente para todos os níveis de ensino. Em 1997, universidades e centros de pesquisa passaram a gerar ambientes virtuais de aprendizagem, iniciando a oferta de cursos de pós-graduação latu sensu via internet, demarcando, assim, entre 1996 e 1997, o nascimento da universidade virtual no Brasil. </li></ul><ul><li>Entre 1999 e 2001 universidades virtuais formaram redes de cooperação acadêmica, tecnológica ou comercial entre instituições brasileiras, e entre estas e organizações internacionais. Neste período, passaram a ser organizados consórcios por afinidade regional, consórcios temáticos e redes de instituições públicas, privadas e confessionais. Este trabalho pretende discutir a eficácia  e a  importância da educação a distância no Brasil e se a EAD utiliza a tecnologia como um catalisador responsável pela mudança no paradigma educacional. Dentro desse paradigma, a promoção da aprendizagem é prioritária, visando o processo de construção do conhecimento, habilidades e informações pelo próprio aluno.  </li></ul>
  8. 8. Números da EAD no Brasil e no mundo:    <ul><li>A oferta de cursos superiores de EAD (Educação a Distância) cresceu 571% entre 2003 e 2006 -- o número passou de 52 para 349. A participação destes alunos no universo dos estudantes passou a ser de 4,4% em 2006, sendo que, um ano antes, essa participação representava 2,6%. </li></ul><ul><li>Estes são   os resultados do Censo da Educação Superior de 2006, divulgados nesta quarta-feira (19) pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais). Participaram da pesquisa 2.270 instituições -- 248 públicas e 2.022 privadas. </li></ul><ul><li>As demais modalidades de cursos também tiveram aumento, menor nas graduações (8,3% em número de cursos e 5% em número de matrículas). Os tecnológicos tiveram aumento de 34,3% nas matrículas. </li></ul><ul><li>Os dados demonstram também um crescimento geral no número de alunos matriculados em cursos de educação superior: de 4,99 milhões para 5,31 milhões, incluindo cursos presenciais, a distância, seqüenciais e tecnológicos. </li></ul><ul><li>Outra novidade foi a evolução, em 2006, da taxa de escolarização líquida - corresponde ao número de alunos matriculados em cursos de educação superior sem distorção de idade. Ou seja, jovens de 18 a 24 anos que estão na faculdade. Em 2005, o número de jovens em instituições de ensino superior correspondia a 10,9% do total de jovens brasileiros; em 2006, a 12,1%. </li></ul>
  9. 9. Como é o aluno em EAD: <ul><li>Nem todos têm o perfil próprio para educação a distância. Existem testes que podem ser aplicados para avaliar se o aluno irá se adequar ou não. Aqueles que são mais passivos, que esperam receber tudo mastigadinho, dificilmente se adaptarão ao ensino a distância. Para ser um aluno a distância, ele terá que buscar informação, estudar, formalizar dúvidas, ir atrás das soluções. Não é mais aquele aluno que fica quieto na carteira, ou dormindo em sala de aula. O aluno na EAD deve ser um buscador, ele tem que ter uma postura ativa. A EAD é mediada por um modelo pedagógico, assim o professor também terá que ter a sua postura modificada. Ele passa a ser um mediador do processo de aprendizado e não um transmissor daquilo que o aluno apreender. </li></ul>
  10. 10. Características do bom aluno em EAD: <ul><li>Domínio em informática pois é imprescindível que o aluno seja usuário de ferramentas de informação e comunicação, tais como: chats, emails, fóruns, etc. </li></ul><ul><li>Ser disciplinado para estudar sozinho. Planejar a rotina para participar das discussões com os demais alunos. </li></ul>
  11. 11. Papel do professor em EAD: <ul><li>Além do exigido de qualquer docente, quer presencial quer a distância, e dependendo dos meios adotados e usados no curso, este professor deve ser capaz de se comunicar bem através dos meios selecionados, funcionando mais como um facilitador da aprendizagem, orientador acadêmico e dinamizador da interação coletiva (no caso de cursos que se utilizem de meios que permitam tal interação). </li></ul>
  12. 12. EAD versus Presencial ou EAD e Presencial? <ul><li>  Uma das principais diferenças é a separação física entre estudantes e professores e pelo uso de tecnologias da informação, comunicação e multimídia. Além disso, a EAD possui metodologias didático-pedagógicas diferentes das utilizadas nos cursos presenciais, envolvendo uma equipe multidisciplinar própria e material didático específico. </li></ul>
  13. 13. e-Learning: <ul><li>O termo e-Learning é fruto de uma combinação ocorrida entre o ensino com auxílio da tecnologia e a educação a distância. Ambas modalidades convergiram para a educação online e para o treinamento baseado em Web, que ao final resultou no e-Learning </li></ul>
  14. 14. LINKS: <ul><li>UCPEL: </li></ul><ul><li>http://www.ucpel.tche.br </li></ul>

×