O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Detalhamento de bdi

404 visualizações

Publicada em

Detalhamento de BDI/LDI

Publicada em: Engenharia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Detalhamento de bdi

  1. 1. JONAFES/2012JONAFES/2012 DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI PROFESSOR: Engº Jorge Brasil Montes Claros/MG Outubro/2012
  2. 2. DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI I - OBJETIVOI - OBJETIVO Apresentar aos participantes noções de orçamentação eApresentar aos participantes noções de orçamentação e critérios para composição de BDI/LDI para elaboração decritérios para composição de BDI/LDI para elaboração de orçamento de obrasorçamento de obras II - DEFINIÇÕESII - DEFINIÇÕES BDI/LDIBDI/LDI BDI/LDI: Bonificação/Lucro e Despesas Indiretas - podeBDI/LDI: Bonificação/Lucro e Despesas Indiretas - pode ser considerado como o somatório de todos os custosser considerado como o somatório de todos os custos indiretos, taxas, impostos e lucro que irão compor com oindiretos, taxas, impostos e lucro que irão compor com o Custo Direto o Preço de VendaCusto Direto o Preço de Venda
  3. 3. II - DEFINIÇÕESII - DEFINIÇÕES CUSTO DIRETOCUSTO DIRETO Custo Direto é aquele que remunera tão somente o serviçoCusto Direto é aquele que remunera tão somente o serviço executado, sem considerar impostos taxas, custosexecutado, sem considerar impostos taxas, custos administrativos e lucroadministrativos e lucro PREÇO DE VENDAPREÇO DE VENDA PREÇO DE VENDA = CUSTO DIRETO + BDI/LDIPREÇO DE VENDA = CUSTO DIRETO + BDI/LDI DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  4. 4. III - O QUE É DETALHADO NORMALMENTE NO BDIIII - O QUE É DETALHADO NORMALMENTE NO BDI IIIa - Administração CentralIIIa - Administração Central IIIb - Impostos e TaxasIIIb - Impostos e Taxas IIIc - Despesas FinanceirasIIIc - Despesas Financeiras IIId – Seguro, Riscos e GarantiasIIId – Seguro, Riscos e Garantias IIIe - LucroIIIe - Lucro IIIf – Outros custos não incluídos no custo diretoIIIf – Outros custos não incluídos no custo direto DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  5. 5. IIIa - ADMINISTRAÇÃO CENTRALIIIa - ADMINISTRAÇÃO CENTRAL Este valor é definido pela empresa segundo critérios de suaEste valor é definido pela empresa segundo critérios de sua direção (%)direção (%) Adm Central = D.Mensal A. C. x Fat. Mensal Obra x Prazo MesesAdm Central = D.Mensal A. C. x Fat. Mensal Obra x Prazo Meses Fat. Total da Empresa x C. DiretoFat. Total da Empresa x C. Direto Variando geralmente de 4 a 8%Variando geralmente de 4 a 8% IIIb – IMPOSTOS E TAXASIIIb – IMPOSTOS E TAXAS ISSISS PISPIS CofinsCofins DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  6. 6. IIIb – IMPOSTOS E TAXASIIIb – IMPOSTOS E TAXAS ISSISS Para o cálculo de ISS, conforme previsto no Parágrafo 2ºPara o cálculo de ISS, conforme previsto no Parágrafo 2º do art. 9º do Decreto-Lei nº 406 de 31 de dezembrodo art. 9º do Decreto-Lei nº 406 de 31 de dezembro de 1968, "na execução de obras hidráulicas ou dede 1968, "na execução de obras hidráulicas ou de construção civil, o imposto será calculado sobre oconstrução civil, o imposto será calculado sobre o preço deduzido das parcelas correspondentes:preço deduzido das parcelas correspondentes: a)a) ao valor dos materiais adquiridos de terceiros,ao valor dos materiais adquiridos de terceiros, quando fornecidos pelo prestador de serviços;quando fornecidos pelo prestador de serviços; b)b) ao valor das subempreiteiras já tributadas peloao valor das subempreiteiras já tributadas pelo imposto."imposto." DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  7. 7. IIIb – IMPOSTOS E TAXASIIIb – IMPOSTOS E TAXAS ISSISS O entendimento do TCU:O entendimento do TCU: O cálculo do ISS é feito apenas sobre serviçosO cálculo do ISS é feito apenas sobre serviços prestados, considerando-se a mão de obra eprestados, considerando-se a mão de obra e descontando-se os materiais aplicados (custo diretodescontando-se os materiais aplicados (custo direto dos materiais). Como o ISS é um imposto sobre odos materiais). Como o ISS é um imposto sobre o preço do serviço (deduzindo-se as parcelaspreço do serviço (deduzindo-se as parcelas anteriormente mencionadas), está relacionado com oanteriormente mencionadas), está relacionado com o faturamento da empresa, e sua alíquota varia defaturamento da empresa, e sua alíquota varia de município para município.município para município. Para o cálculo do ISS a ser pago onde a obra seráPara o cálculo do ISS a ser pago onde a obra será executada, deverá ser consultada a lei municipalexecutada, deverá ser consultada a lei municipal.. DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  8. 8. IIIb – IMPOSTOS E TAXASIIIb – IMPOSTOS E TAXAS ISSISS - Na maioria dos municípios a alíquota é de 5%, como- Na maioria dos municípios a alíquota é de 5%, como não incide sobre materiais, equipamentos e sub-não incide sobre materiais, equipamentos e sub- empreitadas, corresponde aproximadamente 3%empreitadas, corresponde aproximadamente 3% sobre o valor total da fatura;sobre o valor total da fatura; - Alguns municípios simplificam tal tributo cobrando- Alguns municípios simplificam tal tributo cobrando de 2 a 3% do valor total quando se trata de obra civil;de 2 a 3% do valor total quando se trata de obra civil; - Como o ISS não pode ser classificado como gasto- Como o ISS não pode ser classificado como gasto incorrido no processo de obtenção dos serviços/bensincorrido no processo de obtenção dos serviços/bens que estão sendo executados, é uma despesa indireta,que estão sendo executados, é uma despesa indireta, devendo ser computado na taxa de BDI/LDI.devendo ser computado na taxa de BDI/LDI. DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  9. 9. IIIb – IMPOSTOS E TAXASIIIb – IMPOSTOS E TAXAS PISPIS - Programa de Integração Social (PIS): instituído pelaPrograma de Integração Social (PIS): instituído pela Lei Complementar nº 7 de 07/09/1970;Lei Complementar nº 7 de 07/09/1970; Taxa de contribuição:Taxa de contribuição: - Empresas tributadas pelo lucro presumido: 0,65%- Empresas tributadas pelo lucro presumido: 0,65% sobre a receita operacional bruta;sobre a receita operacional bruta; - Empresas tributadas pelo lucro real tem as alíquotas,- Empresas tributadas pelo lucro real tem as alíquotas, com a incidência não-cumulativa, ou seja, tomarácom a incidência não-cumulativa, ou seja, tomará créditos de suas compras e parte de suas despesas. -créditos de suas compras e parte de suas despesas. - alíquota aplicada sobre sua receita: 1,65%.alíquota aplicada sobre sua receita: 1,65%. DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  10. 10. IIIb – IMPOSTOS E TAXASIIIb – IMPOSTOS E TAXAS COFINSCOFINS - Contribuição Social para Financiamento da Seguridade- Contribuição Social para Financiamento da Seguridade Social (COFINS): instituído pela Lei ComplementarSocial (COFINS): instituído pela Lei Complementar nº 70 de 30/12/1991 – Finalidade de financiar asnº 70 de 30/12/1991 – Finalidade de financiar as despesas das áreas de Saúde, Previdência edespesas das áreas de Saúde, Previdência e Assistência SocialAssistência Social Taxa de contribuição:Taxa de contribuição: - Empresas tributadas pelo lucro presumido: 3% sobre a- Empresas tributadas pelo lucro presumido: 3% sobre a receita operacional bruta;receita operacional bruta; - Empresas tributadas pelo lucro real - alíquota aplicada- Empresas tributadas pelo lucro real - alíquota aplicada sobre sua receita: 7,6%sobre sua receita: 7,6% DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  11. 11. TABELA DE IMPOSTOS E TAXASTABELA DE IMPOSTOS E TAXAS DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  12. 12. IIIc – DESPESAS FINANCEIRAS (INSTITUTO DEIIIc – DESPESAS FINANCEIRAS (INSTITUTO DE ENGENHARIA)ENGENHARIA) Corresponde à perda monetária decorrente da defasagemCorresponde à perda monetária decorrente da defasagem entre a data do efetivo desembolso e a data da receitaentre a data do efetivo desembolso e a data da receita correspondente.correspondente. f = taxa de custo financeiro;f = taxa de custo financeiro; i = taxa de inflação média do mês ou a média da inflaçãoi = taxa de inflação média do mês ou a média da inflação mensal dos últimos meses;mensal dos últimos meses; j = juro mensal de financiamento do capital de giroj = juro mensal de financiamento do capital de giro cobrado pelas instituições financeiras;cobrado pelas instituições financeiras; n = número de dias decorridos.n = número de dias decorridos. ( ) ( ) 111 3030 −    ++= nn jif DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  13. 13. IIIc – DESPESAS FINANCEIRAS (TCU – AcórdãoIIIc – DESPESAS FINANCEIRAS (TCU – Acórdão 325/2007 - Plenário)325/2007 - Plenário) Adotar a taxa de juros referencial para o mercadoAdotar a taxa de juros referencial para o mercado financeiro, taxa SELIC, taxa oficial definida pelofinanceiro, taxa SELIC, taxa oficial definida pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central.Comitê de Política Monetária do Banco Central. J = taxa de custo financeiro;J = taxa de custo financeiro; i = taxa mensal Selic;i = taxa mensal Selic; n = dias entre a execução do serviço e efetivo pagamento.n = dias entre a execução do serviço e efetivo pagamento. DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  14. 14. IIId – SEGURO, RISCOS e GARANTIAS (Incertezas eIIId – SEGURO, RISCOS e GARANTIAS (Incertezas e Contingências)Contingências) - A taxa se aplica para cobrir eventuais incertezas- A taxa se aplica para cobrir eventuais incertezas decorrentes de omissão de serviços, quantitativosdecorrentes de omissão de serviços, quantitativos insuficientes, falhas de projeto e especificaçõesinsuficientes, falhas de projeto e especificações deficientes;deficientes; - É adotado de 1 a 5%.- É adotado de 1 a 5%. IIIe – LUCROIIIe – LUCRO - É a remuneração líquida da empresa pelos serviços- É a remuneração líquida da empresa pelos serviços prestados;prestados; - Percentual que incide sobre o preço de venda- Percentual que incide sobre o preço de venda (faturamento);(faturamento); - Os valores atualmente praticados no mercado- Os valores atualmente praticados no mercado encontram-se na faixa de 8 a 10%.encontram-se na faixa de 8 a 10%. DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  15. 15. IV – CÁLCULO DO BDIIV – CÁLCULO DO BDI Custo direto = DCusto direto = D Preço de venda = VPreço de venda = V Bonificação/Lucro e Despesas Indiretas = BDI/LDIBonificação/Lucro e Despesas Indiretas = BDI/LDI Impostos = i % de VImpostos = i % de V Lucro = l % de VLucro = l % de V Administração = a % de DAdministração = a % de D Custo financeiro = f % de DCusto financeiro = f % de D Risco = r % de DRisco = r % de D DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  16. 16. DETALHAMENTO DO PREÇO DE VENDADETALHAMENTO DO PREÇO DE VENDA V = D + (a + f + r) D + i V + l VV = D + (a + f + r) D + i V + l V (Definição)(Definição) V = D [ 1 + (a + f + r) ] + V (i + l)V = D [ 1 + (a + f + r) ] + V (i + l) V – V (i + lV – V (i + l)) = D [ 1 + (a + f + r) ]= D [ 1 + (a + f + r) ] V [1 – (i + lV [1 – (i + l)])] = D [ 1 + (a + f + r) ]= D [ 1 + (a + f + r) ] )(i1 r)f(a1 DV l+− +++ = IV – CÁLCULO DO BDIIV – CÁLCULO DO BDI DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  17. 17. Mas,Mas, BDI = PREÇO DE VENDA – CUSTO DIRETOBDI = PREÇO DE VENDA – CUSTO DIRETO BDI = V – DBDI = V – D BDI = D { [ 1 + (a + f + r) ] / [1 – (i + lBDI = D { [ 1 + (a + f + r) ] / [1 – (i + l)] })] } – D– D Portanto,Portanto,       − +− +++ = 1 l)(i1 r)f(a1 DBDI IV – CÁLCULO DO BDIIV – CÁLCULO DO BDI DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  18. 18.       − +− +++ = 1 l)(i1 r)(1f)(1a)(1 DBDI Se considerarmos a reincidência das parcelas a, f e r,Se considerarmos a reincidência das parcelas a, f e r, chegamos à fórmula com o numerador multiplicando:chegamos à fórmula com o numerador multiplicando: - Isto significa que o BDI será maior que o calculado pela- Isto significa que o BDI será maior que o calculado pela fórmula anterior (variação pequena);fórmula anterior (variação pequena); - No numerador estão as taxas de despesas indiretas que são- No numerador estão as taxas de despesas indiretas que são função dos custos diretos;função dos custos diretos; - No denominador estão as taxas dos Tributos, taxa de- No denominador estão as taxas dos Tributos, taxa de despesas de comercialização e a taxa de lucro, que são funçãodespesas de comercialização e a taxa de lucro, que são função do preço de venda.do preço de venda. IV – CÁLCULO DO BDIIV – CÁLCULO DO BDI DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  19. 19. Não existe uma única fórmula de cálculo de BDI. ANão existe uma única fórmula de cálculo de BDI. A Bibliografia apresenta diversas metodologias. Ex:Bibliografia apresenta diversas metodologias. Ex: - Instituto de Engenharia:- Instituto de Engenharia: i = taxa de Administração Central;i = taxa de Administração Central; r = taxa de risco do empreendimento;r = taxa de risco do empreendimento; f = taxa de custo financeiro do capital de giro;f = taxa de custo financeiro do capital de giro; t = taxa de tributos federais;t = taxa de tributos federais; s = taxa de tributo municipal – ISS;s = taxa de tributo municipal – ISS; c = taxa de despesas de comercialização;c = taxa de despesas de comercialização; l = lucro ou remuneração líquida da empresa.l = lucro ou remuneração líquida da empresa. IV – CÁLCULO DO BDIIV – CÁLCULO DO BDI DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  20. 20. -Sistema de Custos Rodoviários – Sicro-2 – DNIT:Sistema de Custos Rodoviários – Sicro-2 – DNIT: AC = taxa de Administração Central;AC = taxa de Administração Central; AL = taxa de Administração Local;AL = taxa de Administração Local; DF = taxa representativa das despesas financeiras;DF = taxa representativa das despesas financeiras; R = taxa de riscos e imprevistos;R = taxa de riscos e imprevistos; I = taxa representativa dos impostos (PIS, COFINS e ISS);I = taxa representativa dos impostos (PIS, COFINS e ISS); L = lucro bruto da empresa.L = lucro bruto da empresa. OBS: O TCU considera incorreto a inclusão da AdministraçãoOBS: O TCU considera incorreto a inclusão da Administração local e a Mobilização no BDI.local e a Mobilização no BDI. IV – CÁLCULO DO BDIIV – CÁLCULO DO BDI DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  21. 21. -TCU – Acórdão 325/2007 - Plenário:TCU – Acórdão 325/2007 - Plenário: AC = taxa de Administração Central;AC = taxa de Administração Central; DF = taxa representativa das despesas financeiras;DF = taxa representativa das despesas financeiras; R = taxa de riscos e imprevistos;R = taxa de riscos e imprevistos; I = taxa representativa dos impostos (PIS, COFINS e ISS);I = taxa representativa dos impostos (PIS, COFINS e ISS); L = lucro bruto da empresa.L = lucro bruto da empresa. OBS: O TCU considera incorreto a inclusão da AdministraçãoOBS: O TCU considera incorreto a inclusão da Administração local e a Mobilização no BDI.local e a Mobilização no BDI. IV – CÁLCULO DO BDIIV – CÁLCULO DO BDI DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  22. 22. -TCU – Acórdão 2.369/2011 – Plenário (atualmente adotadoTCU – Acórdão 2.369/2011 – Plenário (atualmente adotado pelas empresas públicas):pelas empresas públicas): AC = taxa de Administração Central;AC = taxa de Administração Central; S = taxa representativa de Seguros;S = taxa representativa de Seguros; R = taxa de riscos e imprevistos;R = taxa de riscos e imprevistos; G = taxa referente ao ônus das garantias exigidas em Edital;G = taxa referente ao ônus das garantias exigidas em Edital; DF = taxa representativa das despesas financeiras;DF = taxa representativa das despesas financeiras; I = taxa representativa dos impostos (PIS, COFINS e ISS);I = taxa representativa dos impostos (PIS, COFINS e ISS); L = lucro bruto da empresa.L = lucro bruto da empresa. IV – CÁLCULO DO BDIIV – CÁLCULO DO BDI DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  23. 23. A obtenção do BDI paradigma pode se dar mediante aA obtenção do BDI paradigma pode se dar mediante a utilização das faixas referenciais constante do Acórdãoutilização das faixas referenciais constante do Acórdão 2.369/2011 – Plenário, reproduzidas nas tabelas a seguir:2.369/2011 – Plenário, reproduzidas nas tabelas a seguir: V – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCUV – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCU DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  24. 24. V – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCUV – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCU DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  25. 25. V – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCUV – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCU DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  26. 26. V – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCUV – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCU DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  27. 27. V – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCUV – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCU DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  28. 28. V – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCUV – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCU DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  29. 29. DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI V – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCUV – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCU
  30. 30. DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI V – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCUV – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCU
  31. 31. DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI V – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCUV – OBTENÇÃO DE UM BDI PARADIGMA - TCU
  32. 32. VI.ADMINISTRAÇÃO LOCALVI.ADMINISTRAÇÃO LOCAL OS PRINCIPAIS COMPONENTES DA ADMINISTRAÇÃOOS PRINCIPAIS COMPONENTES DA ADMINISTRAÇÃO LOCAL SÃO:LOCAL SÃO: VIa1 - VeículosVIa1 - Veículos VIa2 - Transporte de PessoalVIa2 - Transporte de Pessoal VIa3 - AlimentaçãoVIa3 - Alimentação VIa4 - Mão de Obra IndiretaVIa4 - Mão de Obra Indireta VIa5 - Segurança e Medicina do TrabalhoVIa5 - Segurança e Medicina do Trabalho VIa6 - Material de EscritórioVIa6 - Material de Escritório VIa7 - OutrosVIa7 - Outros DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  33. 33. VIa1 - VEÍCULOS: Carros leves / Pick-ups /VIa1 - VEÍCULOS: Carros leves / Pick-ups / Caminhões carroceria / Caminhões Munck / CarretasCaminhões carroceria / Caminhões Munck / Carretas VIa2 - TRANSPORTE DE PESSOALVIa2 - TRANSPORTE DE PESSOAL Ônibus - Microônibus , etc ... Para transporte deÔnibus - Microônibus , etc ... Para transporte de pessoal administrativopessoal administrativo VIa3 - ALIMENTAÇÃOVIa3 - ALIMENTAÇÃO Deverá ser levantado o quantitativo com base emDeverá ser levantado o quantitativo com base em médias de refeições. O percentual gira em torno demédias de refeições. O percentual gira em torno de 3%3%  O QUE É RELACIONADO NORMALMENTE EMO QUE É RELACIONADO NORMALMENTE EM CADA UM DOS ITENSCADA UM DOS ITENS DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  34. 34. VIa4 - MÃO DE OBRA INDIRETAVIa4 - MÃO DE OBRA INDIRETA Engenheiro Gerente da ObraEngenheiro Gerente da Obra Engenheiros de ProduçãoEngenheiros de Produção Engenheiro de PlanejamentoEngenheiro de Planejamento Mestre de ObraMestre de Obra Equipe de TopografiaEquipe de Topografia Técnico Administrativo FinanceiroTécnico Administrativo Financeiro Auxiliar de EscritórioAuxiliar de Escritório Técnicos de medição / Apontadores / AlmoxarifeTécnicos de medição / Apontadores / Almoxarife Auxiliar de Almoxarife / VigiaAuxiliar de Almoxarife / Vigia  O QUE É RELACIONADO NORMALMENTE EMO QUE É RELACIONADO NORMALMENTE EM CADA UM DOS ITENSCADA UM DOS ITENS DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  35. 35. VIa5 - SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHOVIa5 - SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Médico Clínico GeralMédico Clínico Geral Auxiliar de enfermagemAuxiliar de enfermagem Técnico de SegurançaTécnico de Segurança Engenheiro de SegurançaEngenheiro de Segurança AmbulânciaAmbulância EPI / CIPAEPI / CIPA VIa7 – OUTROSVIa7 – OUTROS Materiais diversosMateriais diversos Controle tecnológico / Comunicação / EnergiaControle tecnológico / Comunicação / Energia  O QUE É RELACIONADO NORMALMENTE EMO QUE É RELACIONADO NORMALMENTE EM CADA UM DOS ITENSCADA UM DOS ITENS DETALHAMENTO DE BDI/LDIDETALHAMENTO DE BDI/LDI
  36. 36. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASREFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, NBR 12721/2006 – Critérios para avaliação de custos de construção para incorporação imobiliária e outras disposições para condomínios edilícios – Procedimento. ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, NBR 12722/1992 – Discriminação de serviços para construção de edifícios. BAETA, André Pachioni. Orçamento e controle de preços de obras públicas. 1ª ed. São Paulo: Editora PINI, 2012. MATTOS, Aldo Dórea. Como preparar orçamento de obras. São Paulo: Editora PINI,2006. Caixa Econômica Federal – Sinapi/SIPCI, 2012. TCPO 2003: Tabelas de composições de preços para orçamentos. 12ª ed. São Paulo: Editora PINI, 2003. LEÃO, Nildo Silva. Custos e orçamentos na prestação de serviços. São Paulo: Nobel, 2004.

×