SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
BIBLIOTECA NACIONAL www.bn.br
HISTÓRIA DA BIBLIOTECA NACIONAL A Biblioteca Nacional do Brasil, considerada pela UNESCO uma das dez maiores bibliotecas nacionais do mundo, é também a maior biblioteca da América Latina.  O núcleo original de seu poderoso acervo calculado hoje em cerca de nove milhões de itens.
O início da história da Biblioteca no Brasil está ligado a um dos mais decisivos momentos da história do país: a transferência da rainha D. Maria I, de D. João, Príncipe Regente, de toda a família real e da corte portuguesa para o Rio de Janeiro, quando da invasão de Portugal pelas forças de Napoleão Bonaparte, em 1808. O acervo trazido para o Brasil, de sessenta mil peças, entre livros, manuscritos, mapas, estampas, moedas e medalhas, foi inicialmente acomodado numa das salas do Hospital do Convento da Ordem Terceira do Carmo
A data de 29 de outubro de 1810 é considerada oficialmente como a da fundação da Biblioteca Nacional que, no entanto, só foi aberta ao público em 1814. Em 1821, D.João VI retornou para Portugal levando parte dos acervos, depois da independência em 1822, o Brasil, sob acordo regulado na Convenção Adicional ao Tratado de Paz e amizade com a ex-metrópole, comprou a Biblioteca Nacional. Antes disso, ela era considerada um bem pelo qual Portugal deveria ser indenizado.
FATOS HISTÓRICOS 1814: o Príncipe Regente abre a biblioteca ao público, e por isso ela perde seu caráter de particular . 1879: Ramiz Galvão (bibliotecário dirigente da BN desde 1870) realizou o primeiro concurso público para o cargo de bibliotecário, no qual se destacou o historiador Capistrano de Abreu.  1900: Manuel Cícero Peregrino da Silva ocupa o cargo de bibliotecário responsável pela Biblioteca. Nessa época, intelectuais reclamavam o local não possuir um espaço apropriado para leitura e pesquisa  1911:  Primeiro curso de Biblioteconomia do país, com forte influência da escola francesa, é criado para atender as necessidades da Biblioteca Nacional.
1946:diz o relatório do Diretor da Biblioteca Nacional  que  seria preciso  reencadernar 50% dos livros, restaurar 20% e lavar e recompor seguramente metade das obras raras. Podemos calcular o que dizer em 1971, se soubermos que até então nenhuma providência de alcance fora tomada contra o mofo, fungos, poeira, insetos, o calor e a umidade.” (MONTE-MÓR, 1972) 1970: UNESCO define as bibliotecas nacionais como “bibliotecas que,independentemente de seus títulos, são responsáveis pela aquisição e conservação deexemplares de todas as publicações significativas editadas no país e funcionam comobiblioteca depositária do conhecimento humano”  Desde aquela época, por determinação do governo, tudo o que é publicado no país precisa ser arquivado na biblioteca. Este fato, somado à incorporação de coleções particulares brasileiras, fez de seu acervo o maior e mais importante da América Latina.” [via Folha.com]
INFRAESTRUTURA Para garantir a manutenção de seu acervo, a FBN possui laboratórios de restauração e conservação de papel, estando apta a restaurar, dentro das mais modernas técnicas, qualquer peça do acervo que precisar desse serviço.  Possui também oficina de encadernação e centro de microfilmagem, fotografia e digitalização. Nessa área de conservação de acervo, a Biblioteca Nacional desenvolve dois planos:  O Plano Nacional de Microfilmagem de Periódicos Brasileiros, com uma rede de núcleos estaduais de microfilmagem com vistas à preservação de toda produção jornalística do país; Eo Plano Nacional de Restauração de Obras Raras, cujo objetivo é identificar e recuperar obras raras existentes, não só na Biblioteca Nacional, como em outras bibliotecas e acervos bibliográficos do país.
REFERÊNCIAS   Biblioteca Nacional http://www.bn.br/portal/?nu_pagina=11<Acessado em 23 abril de 2001> REBOUÇAS, Fernando. Podendo ser visto também em http://www.infoescola.com/historia-do-brasil/biblioteca-nacional/ <Acessado em 24 de abril de 2011> Conteúdo retirado do blog  http://blogs.cultura.gov.br/bibliotecaviva/2010/04/09/profissionais-de-bibliotecas-publicas-de-todo-o-pais-recebem-capacitacao/ <Acessado em 24 de abril de 2011> O nerd escritor http://www.onerdescritor.com.br/2010/10/biblioteca-nacional-que-completa-200-anos-sofre-com-excesso-de-livros/ <Acessado em 24 abril de 2011>

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentacao museu museologia
Apresentacao museu museologiaApresentacao museu museologia
Apresentacao museu museologiacarinacrislai
 
Apresentacao museu museologia
Apresentacao museu museologiaApresentacao museu museologia
Apresentacao museu museologiacarinacrislai
 
Universidade Sénior Contemporânea - PATRIMÓNIO CULTURAL E PAISAGÍSTICO PORTU...
Universidade Sénior Contemporânea - PATRIMÓNIO CULTURAL E  PAISAGÍSTICO PORTU...Universidade Sénior Contemporânea - PATRIMÓNIO CULTURAL E  PAISAGÍSTICO PORTU...
Universidade Sénior Contemporânea - PATRIMÓNIO CULTURAL E PAISAGÍSTICO PORTU...Universidade Sénior Contemporânea do Porto
 
Workshop I – A importância dos Museus como Lugares de Aprendizagem
Workshop I – A importância dos Museus como Lugares de AprendizagemWorkshop I – A importância dos Museus como Lugares de Aprendizagem
Workshop I – A importância dos Museus como Lugares de AprendizagemCIDAADS
 
Facetas para a disseminação de Folhetos de Cordel: acesso aberto, a experiênc...
Facetas para a disseminação de Folhetos de Cordel: acesso aberto, a experiênc...Facetas para a disseminação de Folhetos de Cordel: acesso aberto, a experiênc...
Facetas para a disseminação de Folhetos de Cordel: acesso aberto, a experiênc...Projeto RCAAP
 
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Sinagoga do Porto - Artur ...
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Sinagoga do Porto - Artur ...HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Sinagoga do Porto - Artur ...
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Sinagoga do Porto - Artur ...Artur Filipe dos Santos
 
Catálogo exposição ex líbris - um mundo a descobrir
Catálogo exposição ex líbris - um mundo a descobrirCatálogo exposição ex líbris - um mundo a descobrir
Catálogo exposição ex líbris - um mundo a descobrirPedro Abreu Peixoto
 
A evolução da biblioteca ao longo do tempo
A evolução da biblioteca ao longo do tempoA evolução da biblioteca ao longo do tempo
A evolução da biblioteca ao longo do tempoDário Ribeiro
 
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL: o bibliotecário inserido no contexto muse...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL:  o bibliotecário inserido no contexto muse...ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL:  o bibliotecário inserido no contexto muse...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL: o bibliotecário inserido no contexto muse...Juliana Gulka
 
Conceito, evolução e aspectos das bibliotecas
Conceito, evolução e aspectos das bibliotecasConceito, evolução e aspectos das bibliotecas
Conceito, evolução e aspectos das bibliotecasEsteban Arenillas
 
Curiosidades da biblioteconomia
Curiosidades da biblioteconomiaCuriosidades da biblioteconomia
Curiosidades da biblioteconomiaSheila Silveira
 
História das Bibliotecas
História das BibliotecasHistória das Bibliotecas
História das BibliotecasCarlos Pinheiro
 
Apresentação museu municipal de coruchee
Apresentação  museu municipal de corucheeApresentação  museu municipal de coruchee
Apresentação museu municipal de corucheeTânia Prates
 
museu-de-historia-natural-de-sintra
museu-de-historia-natural-de-sintramuseu-de-historia-natural-de-sintra
museu-de-historia-natural-de-sintrasilvartes
 

Mais procurados (19)

Apresentacao museu museologia
Apresentacao museu museologiaApresentacao museu museologia
Apresentacao museu museologia
 
Obras Raras
Obras RarasObras Raras
Obras Raras
 
Bibliofilia
BibliofiliaBibliofilia
Bibliofilia
 
Apresentacao museu museologia
Apresentacao museu museologiaApresentacao museu museologia
Apresentacao museu museologia
 
Universidade Sénior Contemporânea - PATRIMÓNIO CULTURAL E PAISAGÍSTICO PORTU...
Universidade Sénior Contemporânea - PATRIMÓNIO CULTURAL E  PAISAGÍSTICO PORTU...Universidade Sénior Contemporânea - PATRIMÓNIO CULTURAL E  PAISAGÍSTICO PORTU...
Universidade Sénior Contemporânea - PATRIMÓNIO CULTURAL E PAISAGÍSTICO PORTU...
 
Workshop I – A importância dos Museus como Lugares de Aprendizagem
Workshop I – A importância dos Museus como Lugares de AprendizagemWorkshop I – A importância dos Museus como Lugares de Aprendizagem
Workshop I – A importância dos Museus como Lugares de Aprendizagem
 
Museu
MuseuMuseu
Museu
 
Facetas para a disseminação de Folhetos de Cordel: acesso aberto, a experiênc...
Facetas para a disseminação de Folhetos de Cordel: acesso aberto, a experiênc...Facetas para a disseminação de Folhetos de Cordel: acesso aberto, a experiênc...
Facetas para a disseminação de Folhetos de Cordel: acesso aberto, a experiênc...
 
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Sinagoga do Porto - Artur ...
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Sinagoga do Porto - Artur ...HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Sinagoga do Porto - Artur ...
HISTÓRIA DA CIDADE E DOS MONUMENTOS PORTUENSES - A Sinagoga do Porto - Artur ...
 
Catálogo exposição ex líbris - um mundo a descobrir
Catálogo exposição ex líbris - um mundo a descobrirCatálogo exposição ex líbris - um mundo a descobrir
Catálogo exposição ex líbris - um mundo a descobrir
 
A evolução da biblioteca ao longo do tempo
A evolução da biblioteca ao longo do tempoA evolução da biblioteca ao longo do tempo
A evolução da biblioteca ao longo do tempo
 
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL: o bibliotecário inserido no contexto muse...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL:  o bibliotecário inserido no contexto muse...ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL:  o bibliotecário inserido no contexto muse...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL: o bibliotecário inserido no contexto muse...
 
Conceito, evolução e aspectos das bibliotecas
Conceito, evolução e aspectos das bibliotecasConceito, evolução e aspectos das bibliotecas
Conceito, evolução e aspectos das bibliotecas
 
Apresenta..[1]
Apresenta..[1]Apresenta..[1]
Apresenta..[1]
 
Roteiro museu
Roteiro   museuRoteiro   museu
Roteiro museu
 
Curiosidades da biblioteconomia
Curiosidades da biblioteconomiaCuriosidades da biblioteconomia
Curiosidades da biblioteconomia
 
História das Bibliotecas
História das BibliotecasHistória das Bibliotecas
História das Bibliotecas
 
Apresentação museu municipal de coruchee
Apresentação  museu municipal de corucheeApresentação  museu municipal de coruchee
Apresentação museu municipal de coruchee
 
museu-de-historia-natural-de-sintra
museu-de-historia-natural-de-sintramuseu-de-historia-natural-de-sintra
museu-de-historia-natural-de-sintra
 

Destaque

Biblioteca especializada desenv. de colecoes
Biblioteca especializada   desenv. de colecoesBiblioteca especializada   desenv. de colecoes
Biblioteca especializada desenv. de colecoesBiblio 2010
 
Censo Nacional das Bibliotecas Públicas Municipais
Censo Nacional das Bibliotecas Públicas MunicipaisCenso Nacional das Bibliotecas Públicas Municipais
Censo Nacional das Bibliotecas Públicas Municipaislucasmcunha
 
Aula 3 biblioteca publica
Aula 3 biblioteca publicaAula 3 biblioteca publica
Aula 3 biblioteca publicaBiblio 2010
 
Manual de procedimentos
Manual de procedimentosManual de procedimentos
Manual de procedimentosescolaviva2014
 
Visita à biblioteca municipal
Visita à biblioteca municipalVisita à biblioteca municipal
Visita à biblioteca municipalebmarinheiros
 
Bliotecas digitais e literacia da informacao
Bliotecas digitais e literacia da informacaoBliotecas digitais e literacia da informacao
Bliotecas digitais e literacia da informacaoEmilia Pacheco
 
Ses6apresentaavaliaçãO Be
Ses6apresentaavaliaçãO BeSes6apresentaavaliaçãO Be
Ses6apresentaavaliaçãO BeNatalia Pina
 
Biblioteca todos (portug)
Biblioteca todos (portug)Biblioteca todos (portug)
Biblioteca todos (portug)cmaarc
 
Oficina de bases de dados da área de Humanidades
Oficina de bases de dados da área de HumanidadesOficina de bases de dados da área de Humanidades
Oficina de bases de dados da área de HumanidadesBibliotecaFCLAR
 
Curso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de Informacao
Curso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de InformacaoCurso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de Informacao
Curso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de Informacaoguest930bd8
 
Pesquisa no catálogo digital
Pesquisa no catálogo digitalPesquisa no catálogo digital
Pesquisa no catálogo digitalSusana Branco
 
O aprendiz de investigador - Respeitar os direitos de autor. Referências bibl...
O aprendiz de investigador - Respeitar os direitos de autor. Referências bibl...O aprendiz de investigador - Respeitar os direitos de autor. Referências bibl...
O aprendiz de investigador - Respeitar os direitos de autor. Referências bibl...ProjetoLiteracias
 
A3 slide-auxiliar de biblioteca
A3  slide-auxiliar de bibliotecaA3  slide-auxiliar de biblioteca
A3 slide-auxiliar de bibliotecaLucianoLLC
 
BE Sabugo - Unidos pela Leitura 15-16
BE Sabugo - Unidos pela Leitura 15-16BE Sabugo - Unidos pela Leitura 15-16
BE Sabugo - Unidos pela Leitura 15-16Luisa Dinis
 
Biblioteca digital
Biblioteca digitalBiblioteca digital
Biblioteca digitalBiblio 2010
 

Destaque (20)

Biblioteca especializada desenv. de colecoes
Biblioteca especializada   desenv. de colecoesBiblioteca especializada   desenv. de colecoes
Biblioteca especializada desenv. de colecoes
 
Censo Nacional das Bibliotecas Públicas Municipais
Censo Nacional das Bibliotecas Públicas MunicipaisCenso Nacional das Bibliotecas Públicas Municipais
Censo Nacional das Bibliotecas Públicas Municipais
 
Biblioteca Nacional
Biblioteca NacionalBiblioteca Nacional
Biblioteca Nacional
 
Aula 3 biblioteca publica
Aula 3 biblioteca publicaAula 3 biblioteca publica
Aula 3 biblioteca publica
 
Manual de procedimentos
Manual de procedimentosManual de procedimentos
Manual de procedimentos
 
Visita à biblioteca municipal
Visita à biblioteca municipalVisita à biblioteca municipal
Visita à biblioteca municipal
 
Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09
Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09
Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09
 
Bliotecas digitais e literacia da informacao
Bliotecas digitais e literacia da informacaoBliotecas digitais e literacia da informacao
Bliotecas digitais e literacia da informacao
 
Ses6apresentaavaliaçãO Be
Ses6apresentaavaliaçãO BeSes6apresentaavaliaçãO Be
Ses6apresentaavaliaçãO Be
 
Biblioteca 1a
Biblioteca 1aBiblioteca 1a
Biblioteca 1a
 
Biblioteca todos (portug)
Biblioteca todos (portug)Biblioteca todos (portug)
Biblioteca todos (portug)
 
Oficina de bases de dados da área de Humanidades
Oficina de bases de dados da área de HumanidadesOficina de bases de dados da área de Humanidades
Oficina de bases de dados da área de Humanidades
 
Recursos de Informação na Biblioteca da EEFE/USP
Recursos de Informação na Biblioteca da EEFE/USPRecursos de Informação na Biblioteca da EEFE/USP
Recursos de Informação na Biblioteca da EEFE/USP
 
Biblioteca de los angeles
Biblioteca de los angelesBiblioteca de los angeles
Biblioteca de los angeles
 
Curso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de Informacao
Curso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de InformacaoCurso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de Informacao
Curso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de Informacao
 
Pesquisa no catálogo digital
Pesquisa no catálogo digitalPesquisa no catálogo digital
Pesquisa no catálogo digital
 
O aprendiz de investigador - Respeitar os direitos de autor. Referências bibl...
O aprendiz de investigador - Respeitar os direitos de autor. Referências bibl...O aprendiz de investigador - Respeitar os direitos de autor. Referências bibl...
O aprendiz de investigador - Respeitar os direitos de autor. Referências bibl...
 
A3 slide-auxiliar de biblioteca
A3  slide-auxiliar de bibliotecaA3  slide-auxiliar de biblioteca
A3 slide-auxiliar de biblioteca
 
BE Sabugo - Unidos pela Leitura 15-16
BE Sabugo - Unidos pela Leitura 15-16BE Sabugo - Unidos pela Leitura 15-16
BE Sabugo - Unidos pela Leitura 15-16
 
Biblioteca digital
Biblioteca digitalBiblioteca digital
Biblioteca digital
 

Semelhante a Maior biblioteca da América Latina

Sociedade e Cultura no Brasil imperial
Sociedade e Cultura no Brasil imperialSociedade e Cultura no Brasil imperial
Sociedade e Cultura no Brasil imperialAngelo Otto
 
Biblioteca do congresso americano (1)
Biblioteca do congresso americano (1)Biblioteca do congresso americano (1)
Biblioteca do congresso americano (1)pedrosomc
 
Bibliotecas Do Mundo
Bibliotecas Do MundoBibliotecas Do Mundo
Bibliotecas Do Mundofontexeriabib
 
“Os museus do Brasil e perspectivas de adaptação ao mundo contemporâneo”
“Os museus do Brasil e perspectivas de adaptação ao mundo contemporâneo”“Os museus do Brasil e perspectivas de adaptação ao mundo contemporâneo”
“Os museus do Brasil e perspectivas de adaptação ao mundo contemporâneo”Ane Caroline*
 
Biblioteca Digital Brasiliana Guita e José Mindlin (março de 2013)
Biblioteca Digital Brasiliana Guita e José Mindlin (março de 2013)Biblioteca Digital Brasiliana Guita e José Mindlin (março de 2013)
Biblioteca Digital Brasiliana Guita e José Mindlin (março de 2013)Carolina Cândido
 
Bibliotecas escolares em Portugal: uma perspetiva histórica
Bibliotecas escolares em Portugal: uma perspetiva históricaBibliotecas escolares em Portugal: uma perspetiva histórica
Bibliotecas escolares em Portugal: uma perspetiva históricaAntónio Pires
 
Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura e sociedadeElayne Silva
 
História da Livraria Lello e as 20 mais bonitas bibliotecas do Mundo
História da Livraria Lello e as 20 mais bonitas bibliotecas do MundoHistória da Livraria Lello e as 20 mais bonitas bibliotecas do Mundo
História da Livraria Lello e as 20 mais bonitas bibliotecas do MundoArtur Filipe dos Santos
 
I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01
I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01
I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01Sidnea Marinho
 
Retrospectiva Histórica Do Brasil Colônia
Retrospectiva Histórica Do Brasil ColôniaRetrospectiva Histórica Do Brasil Colônia
Retrospectiva Histórica Do Brasil ColôniaFabio Santos
 
Dia Internacional das Bibliotecas Escolares
Dia Internacional das Bibliotecas EscolaresDia Internacional das Bibliotecas Escolares
Dia Internacional das Bibliotecas EscolaresEmília Fernandes
 
Museus, monumentos e construções históricas do rio
Museus, monumentos e construções históricas do rioMuseus, monumentos e construções históricas do rio
Museus, monumentos e construções históricas do rioEd de Souza
 
Apostila -gestao_de_bens_culturais
Apostila  -gestao_de_bens_culturaisApostila  -gestao_de_bens_culturais
Apostila -gestao_de_bens_culturaisPaula Pauleira
 
Arquivos – bibliotecas e museus
Arquivos – bibliotecas e museusArquivos – bibliotecas e museus
Arquivos – bibliotecas e museusSonia Montaño
 
Casa-Museu Guerra Junqueiro - Artur Filipe dos Santos
Casa-Museu Guerra Junqueiro - Artur Filipe dos SantosCasa-Museu Guerra Junqueiro - Artur Filipe dos Santos
Casa-Museu Guerra Junqueiro - Artur Filipe dos SantosArtur Filipe dos Santos
 

Semelhante a Maior biblioteca da América Latina (20)

Sociedade e Cultura no Brasil imperial
Sociedade e Cultura no Brasil imperialSociedade e Cultura no Brasil imperial
Sociedade e Cultura no Brasil imperial
 
Biblioteca do congresso americano (1)
Biblioteca do congresso americano (1)Biblioteca do congresso americano (1)
Biblioteca do congresso americano (1)
 
Bibliotecas do mundo
Bibliotecas do mundoBibliotecas do mundo
Bibliotecas do mundo
 
Bibliotecas Do Mundo
Bibliotecas Do MundoBibliotecas Do Mundo
Bibliotecas Do Mundo
 
Bibliotecas 2010-11
Bibliotecas   2010-11Bibliotecas   2010-11
Bibliotecas 2010-11
 
“Os museus do Brasil e perspectivas de adaptação ao mundo contemporâneo”
“Os museus do Brasil e perspectivas de adaptação ao mundo contemporâneo”“Os museus do Brasil e perspectivas de adaptação ao mundo contemporâneo”
“Os museus do Brasil e perspectivas de adaptação ao mundo contemporâneo”
 
Biblioteca Digital Brasiliana Guita e José Mindlin (março de 2013)
Biblioteca Digital Brasiliana Guita e José Mindlin (março de 2013)Biblioteca Digital Brasiliana Guita e José Mindlin (março de 2013)
Biblioteca Digital Brasiliana Guita e José Mindlin (março de 2013)
 
Bibliotecas escolares em Portugal: uma perspetiva histórica
Bibliotecas escolares em Portugal: uma perspetiva históricaBibliotecas escolares em Portugal: uma perspetiva histórica
Bibliotecas escolares em Portugal: uma perspetiva histórica
 
Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura e sociedade
 
História da Livraria Lello e as 20 mais bonitas bibliotecas do Mundo
História da Livraria Lello e as 20 mais bonitas bibliotecas do MundoHistória da Livraria Lello e as 20 mais bonitas bibliotecas do Mundo
História da Livraria Lello e as 20 mais bonitas bibliotecas do Mundo
 
Brasil colonial
Brasil colonialBrasil colonial
Brasil colonial
 
I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01
I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01
I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01
 
Retrospectiva Histórica Do Brasil Colônia
Retrospectiva Histórica Do Brasil ColôniaRetrospectiva Histórica Do Brasil Colônia
Retrospectiva Histórica Do Brasil Colônia
 
Dia Internacional das Bibliotecas Escolares
Dia Internacional das Bibliotecas EscolaresDia Internacional das Bibliotecas Escolares
Dia Internacional das Bibliotecas Escolares
 
Museus, monumentos e construções históricas do rio
Museus, monumentos e construções históricas do rioMuseus, monumentos e construções históricas do rio
Museus, monumentos e construções históricas do rio
 
Apostila -gestao_de_bens_culturais
Apostila  -gestao_de_bens_culturaisApostila  -gestao_de_bens_culturais
Apostila -gestao_de_bens_culturais
 
Memoria De Africa, 2009
Memoria De Africa, 2009Memoria De Africa, 2009
Memoria De Africa, 2009
 
Arquivos – bibliotecas e museus
Arquivos – bibliotecas e museusArquivos – bibliotecas e museus
Arquivos – bibliotecas e museus
 
Casa-Museu Guerra Junqueiro - Artur Filipe dos Santos
Casa-Museu Guerra Junqueiro - Artur Filipe dos SantosCasa-Museu Guerra Junqueiro - Artur Filipe dos Santos
Casa-Museu Guerra Junqueiro - Artur Filipe dos Santos
 
Inf historia 6
Inf historia 6Inf historia 6
Inf historia 6
 

Último

Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e Américawilson778875
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 

Último (20)

Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e América
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 

Maior biblioteca da América Latina

  • 2. HISTÓRIA DA BIBLIOTECA NACIONAL A Biblioteca Nacional do Brasil, considerada pela UNESCO uma das dez maiores bibliotecas nacionais do mundo, é também a maior biblioteca da América Latina.  O núcleo original de seu poderoso acervo calculado hoje em cerca de nove milhões de itens.
  • 3. O início da história da Biblioteca no Brasil está ligado a um dos mais decisivos momentos da história do país: a transferência da rainha D. Maria I, de D. João, Príncipe Regente, de toda a família real e da corte portuguesa para o Rio de Janeiro, quando da invasão de Portugal pelas forças de Napoleão Bonaparte, em 1808. O acervo trazido para o Brasil, de sessenta mil peças, entre livros, manuscritos, mapas, estampas, moedas e medalhas, foi inicialmente acomodado numa das salas do Hospital do Convento da Ordem Terceira do Carmo
  • 4. A data de 29 de outubro de 1810 é considerada oficialmente como a da fundação da Biblioteca Nacional que, no entanto, só foi aberta ao público em 1814. Em 1821, D.João VI retornou para Portugal levando parte dos acervos, depois da independência em 1822, o Brasil, sob acordo regulado na Convenção Adicional ao Tratado de Paz e amizade com a ex-metrópole, comprou a Biblioteca Nacional. Antes disso, ela era considerada um bem pelo qual Portugal deveria ser indenizado.
  • 5. FATOS HISTÓRICOS 1814: o Príncipe Regente abre a biblioteca ao público, e por isso ela perde seu caráter de particular . 1879: Ramiz Galvão (bibliotecário dirigente da BN desde 1870) realizou o primeiro concurso público para o cargo de bibliotecário, no qual se destacou o historiador Capistrano de Abreu. 1900: Manuel Cícero Peregrino da Silva ocupa o cargo de bibliotecário responsável pela Biblioteca. Nessa época, intelectuais reclamavam o local não possuir um espaço apropriado para leitura e pesquisa 1911: Primeiro curso de Biblioteconomia do país, com forte influência da escola francesa, é criado para atender as necessidades da Biblioteca Nacional.
  • 6. 1946:diz o relatório do Diretor da Biblioteca Nacional que seria preciso reencadernar 50% dos livros, restaurar 20% e lavar e recompor seguramente metade das obras raras. Podemos calcular o que dizer em 1971, se soubermos que até então nenhuma providência de alcance fora tomada contra o mofo, fungos, poeira, insetos, o calor e a umidade.” (MONTE-MÓR, 1972) 1970: UNESCO define as bibliotecas nacionais como “bibliotecas que,independentemente de seus títulos, são responsáveis pela aquisição e conservação deexemplares de todas as publicações significativas editadas no país e funcionam comobiblioteca depositária do conhecimento humano” Desde aquela época, por determinação do governo, tudo o que é publicado no país precisa ser arquivado na biblioteca. Este fato, somado à incorporação de coleções particulares brasileiras, fez de seu acervo o maior e mais importante da América Latina.” [via Folha.com]
  • 7. INFRAESTRUTURA Para garantir a manutenção de seu acervo, a FBN possui laboratórios de restauração e conservação de papel, estando apta a restaurar, dentro das mais modernas técnicas, qualquer peça do acervo que precisar desse serviço. Possui também oficina de encadernação e centro de microfilmagem, fotografia e digitalização. Nessa área de conservação de acervo, a Biblioteca Nacional desenvolve dois planos: O Plano Nacional de Microfilmagem de Periódicos Brasileiros, com uma rede de núcleos estaduais de microfilmagem com vistas à preservação de toda produção jornalística do país; Eo Plano Nacional de Restauração de Obras Raras, cujo objetivo é identificar e recuperar obras raras existentes, não só na Biblioteca Nacional, como em outras bibliotecas e acervos bibliográficos do país.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. REFERÊNCIAS   Biblioteca Nacional http://www.bn.br/portal/?nu_pagina=11<Acessado em 23 abril de 2001> REBOUÇAS, Fernando. Podendo ser visto também em http://www.infoescola.com/historia-do-brasil/biblioteca-nacional/ <Acessado em 24 de abril de 2011> Conteúdo retirado do blog http://blogs.cultura.gov.br/bibliotecaviva/2010/04/09/profissionais-de-bibliotecas-publicas-de-todo-o-pais-recebem-capacitacao/ <Acessado em 24 de abril de 2011> O nerd escritor http://www.onerdescritor.com.br/2010/10/biblioteca-nacional-que-completa-200-anos-sofre-com-excesso-de-livros/ <Acessado em 24 abril de 2011>