O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Jb news informativo nr. 2036

48 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Arte e fotografia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jb news informativo nr. 2036

  1. 1. 1 JB NEWSRede Catarinense de Comunicação da Maçonaria Universal www.radiosintonia33 – jbnews@floripa.com.br Informativo Nr. 1.154 Filiado à ABIM sob nr. 007/JV Loja Templários da Nova Era nr. 91 Quintas-feiras às 20h00 - Templo: Obreiros da Paz - Canasvieiras Editoria: IrJeronimo Borges – JP-2307-MT/SC Florianópolis (SC) - quarta-feira, 30 de outubro de 2013 Índice: Bloco 1 - Almanaque Bloco 2 - Opinião: Miguel Srougi: Depredando a saúde da nação Bloco 3 - IrPaulo Roberto - Maçons Célebres - Frédéric Auguste Bartholdi Bloco 4 - IrAquilino R. Leal - A Pregação (II) Bloco 5 - Ir Oséias do Rosário - Instrumentos de trabalho do Aprendiz Bloco 6 - Destaques JB Pesquisas e artigos desta edição: Arquivo próprio - Internet - Colaboradores – Blogs - http:pt.wikipedia.org - Imagens: próprias e www.google.com.br Os artigos constantes desta edição não refletem necessariamente a opinião deste informativo, sendo plena a responsabilidade de seus autores. Hoje, 30 de outubro de 2013, 303º dia do calendário gregoriano. Faltam 623 para acabar o ano. Dia da Prevenção contra o câncer de mama (Portugal): Dia do Balconista; do Comerciário; do Ginecologista; do Fisiculturista Se não deseja receber mais este informativo ou alterou o seu endereço eletrônico, por favor, comunique-nos
  2. 2. 2  701 - É eleito o Papa João VI.  942 - É eleito o Papa Marino II  1340 - Atribuída ao processo de Reconquista cristã, os reis de Castela e Portugal uniram-se na Batalha do Salado contra os mouros  1431 - É assinado em Medina del Campo o tratado de paz entre Castela e Portugal que pôe fim ao conflito iniciado em 1383.  1470 - Henrique VI de Inglaterra é reinvestido como rei, após a vitória do seu general Ricardo Neville, Conde de Warwick sobre Eduardo IV de Inglaterra.  1500 - D. Manuel I casa-se com Maria de Aragão  1537 - Prazo para todos os moradores de Genebra se pronunciarem quanto à sua religião (veja João Calvino)  1889 - Casamento de Alberto I, Príncipe do Mónaco, com a norte-americana Marie Alice Heine  1905 - O tzar Nicolau II lança o Manifesto de Outubro prometendo uma constituição representativa.  1925 - Primeira exibição de imagens em movimento na televisão  1938 - Uma adaptação para o rádio do romance de ficção-científica A Guerra dos Mundos, de H.G. Wells, dirigida por Orson Welles, é transmitida em Nova York, causando pânico na população, que achou que a Terra estava realmente sendo invadida por extraterrestres.  1945 - Índia é admitida como Estado-Membro da ONU  1961 - na Russia é detonada a maior bomba nuclear da histoa da terra(57 megatons) a tsar bomba  1967 - Bondes elétricos são extintos no bairro de Campo Grande  1969 - Anos de Chumbo: general Médici assume a Presidência da República.  1973 - Criada a SEMA (Secretaria do Meio Ambiente) no Brasil. Órgão que mais tarde formará o IBAMA  1978 - Mórmons: Dedicado o Templo de São Paulo, no Brasil, primeiro no país  1988 - Ayrton Senna vence em Suzuka, no Japão, o seu primeiro campeonato mundial de Fórmula 1.  1995 - França faz lançamento bem sucedido do foguete Ariane 5  1995 - Separatistas perdem no plesbicito pedindo a indepência de Quebeque do Canadá  1997 - Bill Berry deixa a banda REM.  2001 - Michael Jackson lança o álbum de estúdio Invincible, que bate recorde na semana de lançamento.  2003 - O CPOR de São Paulo é homenageado pelo Conselho da Ordem do Ministério Público Militar, que concedeu a Ordem do Mérito Público Militar.  2007 - A FIFA escolhe o Brasil como país-sede da Copa do Mundo de 2014, encerrando o rodízio de continentes adotado pela entidade. 1 - almanaque Eventos Históricos Aprofunde seu conhecimento clicando nas palavras sublinhadas.
  3. 3. 3 Portugal  Dia Nacional de Prevenção do Câncer de Mama Brasil  Dia da Decoração  Dia do Balconista  Dia do Comerciário  Dia do Fisiculturista  Dia do Ginecologista  Dia da Emancipação Política de Arapiraca - AL Mitológicos Mitologia celta: Dia de Morrigan, patrona das sacerdotisas e das bruxas (Fontes: “O Livro dos Dias” 17ª edição e arquivo pessoal) 1667 Nasce o irmão Jonathan Swift, escritor inglês, autor de “As Viagens de Gulliver”. 1735 Decreto do Magistrado de Amsterdam proíbe a Maçonaria, passando a ser perseguidas as Lojas na Holanda e na Frísia Ocidental, embora nada fosse encontrado que pudesse desabonar nem a Ordem nem os Maçons. 1736 Fundação da Grande Loja da Escócia 1740 Fundação da GL Provincial de Hamburgo, Alemanha, sob a GL da Inglaterra. 1756 Recebe a Carta Constitutiva a Loja Saint Andrew‟s cujos membros iriam ter grande projeção na independência americana. 1769 Quatro Maçons são feitos Mestres Instalados ou “passados pela Cadeira”, alusão ao Grau de Past Master, em Bolton, Inglaterra. 1899 Falecimento do Ir.´. Hermann Blumenau, na cidade de Braunschwieg, Alemanha. Doutor em Filosofia, pela Academia Real Ludovico, em 23.03.1846. Ela fundou a colônia que leva seu nome. Quanto à sua vida maçônica, entretanto, perdura ainda bastante discussão: Segundo Kurt PROBER o Dr. Blumenau foi iniciado em 1845, na Loja "Carl Zur Gekroenten Saeule”, de Brunsviga (sic), na Alemanha. em Heiden, na Suíça. Criador da Cruz Vermelha Internacional e Prêmio Nobel da Paz em 1901. Ele nasceu em 08.05.1828, em Genebra, na Suíça. A Cruz Vermelha é uma organização que ajuda pessoas doentes no mundo inteiro. Ele também criou a Convenção de Genebra.(maçom)1910 – Falecimento do suíço Jean Henri Dunant 1937 Iniciação, na Johnson City Lodge, do Ir.'. Lyndon B. Johnson, futuro presidente americano, Texas, mas ficou adormecido. 1983 Fundação da Loja Maçônica Segredo De Fraternidade no. 167 – Oriente de Belo Horizonte MG. Obediência: G L M M G – Reunião: Sexta-Feira – Rito: REAA. 1993 Fundação da Loja Maçônica Cavaleiros Da Paz nr. 87 – Oriente de Coromandel MG. Obediência: G L M M G – Reunião: Segunda-Feira – Rito: REAA feriados e eventos cíclicos fatos maçônicos do dia
  4. 4. 4 Miguel Srougi: Depredando a saúde da nação Como cidadão, fiquei deslumbrado com o clamor que varre a nação. Como médico, e ligado à saúde, mergulhei em esperanças. Contudo, com a mesma velocidade que esse sentimento aflorou, fui tomado por uma angústia incontida ao observar as manifestações oficiais. Anunciou-se solenemente que seriam importados milhares de médicos estrangeiros e injetados R$ 7 bilhões em hospitais e unidades de saúde. Também se propôs a troca de R$ 4,8 bilhões de dívidas dos hospitais filantrópicos por atendimento médico e foi anunciada a criação de 11.400 vagas de graduação em escolas médicas. Perplexo, gostaria de dizer que essas propostas são tão surrealistas que não podem ter sido idealizadas por autoridades sérias, mas sim por marqueteiros afeitos à empulhação. Piores do que os depredadores soltos pelas ruas, já que destroem vidas humanas. A medicina exercida condignamente pressupõe equipes qualificadas, não apenas com médicos, mas também com enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais. Exige instalações minimamente equipadas, para permitir diagnósticos e tratamentos mais simples. Necessita do apoio de farmácias, capazes de prover sem ônus para os necessitados, as medicações essenciais. Requer processos de higiene, assepsia e certo conforto, para dar segurança e respeitar a dignidade humana dos pacientes. O que farão os médicos estrangeiros nas áreas remotas do Brasil apenas com termômetros e estetoscópios nas mãos? Irão receitar analgésicos, antidiarreicos e remédios para tosse, o que poderia ser mais bem executado por qualquer prático de farmácia, também afeito às doenças regionais. Médicos que nos casos mais delicados nem atestado de óbito poderão assinar, pois não conseguirão identificar a causa da infelicidade. Pior ainda, como esses médicos conseguirão atuar limitados pela dificuldade de comunicação, desqualificados para tratar doenças já erradicadas em países sérios, frustrados por viverem em regiões destituídas de condições mais dignas de existência para eles próprios, suas mulheres e seus filhos? Certamente tratarão de migrar para centros mais prósperos, abandonando aqueles que nunca conseguirão expressar a desilusão. Não custa lembrar que muitos países desenvolvidos aceitam médicos estrangeiros, contudo nenhum deles atua sem ser aprovado em exames extremamente rigorosos, que atestam a elevada competência profissional. 2 - OPINIão - "Srougi: Depredando a saúde da nação" Miguel Srougi
  5. 5. 5 Igualmente falaciosa é a proposta de incrementar os recursos para a saúde. Num país como o Brasil, que gasta apenas 8,7% do seu Orçamento em saúde --muito menos que a Argentina (20,4%) e Colômbia (18,2%)-- somente mal-intencionados poderão acreditar que um aporte de recursos de 0,7% corrigirá a indecência nacional. Também enganadora é a ideia de se recorrer às instituições filantrópicas. Em situação falimentar, deixam de pagar tributos porque não recebem do governo federal os valores justos pelo trabalho. Pelo mesmo motivo, serão incapazes de aumentar o já precário atendimento. Quanto à criação de novas vagas para alunos de medicina, nada mais irrealista. Para acomodar os números apresentados, o governo teria que criar entre 120 e 150 escolas médicas. Com que recursos? Com que professores? Com que hospitais? Presidente, termino pedindo desculpas pela minha insolência. Você, que é digna e tem história, não pode tergiversar perante o clamor de tantos filhos da nação. Faça ouvidos moucos ao embuste e combata de forma sincera os malfeitos. Assuma, de forma sincera e não dissimulada, a determinação política de priorizar os recursos para as áreas sociais. Para não ser tomada por angústia infinita ao cruzar com a multidão, entoando com indignação o canto de Chico Buarque: "Você que inventou a tristeza/ Ora, tenha a fineza/ De desinventar/ Você vai pagar e é em dobro/ Cada lágrima rolada/ Nesse meu penar". MIGUEL SROUGI, 66, pós-graduado em urologia pela Universidade de Harvard, é professor titular de urologia da Faculdade de Medicina da USP e presidente do conselho do Instituto Criança é Vida
  6. 6. 6 ] Este Bloco é produzido às quartas-feiras pelo Ir. Paulo Roberto VMda ARLS Rei David nr. 58 (GLSC) Florianópolis - Paulo Roberto Contato: prp.ephraim58@terra.com.br Paulo Roberto Frédéric Auguste Bartholdi Artista, escultor, pintor e arquiteto francês. *Colmar (França), 2 de agosto de 1834. †Paris (França), 4 de outubro de 1904. Frédéric Auguste Bartholdi, também conhecido por seu sobrenome Amilcar Hasenfratz, foi um escultor alsaciano, conhecido especialmente por ser o autor da célebre Estátua da Liberdade, um presente da França aos Estados Unidos da América do Norte, que está situada na entrada do porto de Nova Iorque, assim como o monumental León de Belfort, esculpido em um alcantilado para celebrar a heroica resistência da cidade no cerco que sofreu entre 1870 e 1871, durante a Guerra Franco-Prussiana. Nascido em Colmar em 2 de agosto de 1834, filho de Jean Charles Bartholdi (1791-1836), conselheiro da prefeitura, e de Augusta Charlotte, nascida Beysser (1801-1891), filha de um alcaide de Ribeauvillé. Dos seus quatro filhos, só sobreviveram o mais velho, Jean-Charles (advogado e editor) e o menor, Auguste. 3 - Maçons Célebres - " Ir Paulo Roberto "
  7. 7. 7 Após a morte prematura de seu pai, sua mãe, com uma posição privilegiada, decide ir viver em Paris, conservando a casa da família na Rue des Marchands nº 30, que aloja desde 1922 o Museu Bartholdi (depois de haver chegado a cidade em 1907). Depois de desenvolver seus estudos no Liceu Louis-le-Grand em Paris, Auguste Bartholdi obteve seu bacharelado em 1852. Continuando, estudou arquitetura na Escola Nacional Superior de Belas Artes, assim como, pintura através da direcão de Ary Scheffer em sua oficina da rua Chaptal. Depois de uma grande e memorável viagem ao Egito, começou sua atividade de arquiteto em Colmar, com seu primeiro monumento, dedicado ao general Rapp, no ano de 1856. Durante a Guerra Franco-Prussiana de 1870, foi comandante de esquadrão das guardas nacionais e atuou como ajudante do general Giuseppe Garibaldi, unindo o governo deste, onde foi particularmente encarregado de ocupar-se das necessidades do exército dos Vosgos. Em 1871, a petição de Eduardo Laboulaye (para o qual Bartholdi confeccionou um busto em 1866) e da união franco-americana, fez com que efetuasse a sua primeira viagem aos Estados Unidos da América do Norte, para pessolmente selecionar o local onde seria colocada a célebre Estátua da Liberdade. O projeto era muito parecido com um outro, que consistía também, em uma estátua que estaria na entrada do Canal de Suez, uma vez que Ismail Pachá, rei do Egito e do Sudão, houvera concordado com o referido projeto no ano de 1869. Ismail Pachá, rei do Egito e do Sudão. Como criador da Estátua da Liberdade, sua carreira profissional passou a tomar uma nova dimensão internacional, que o fez converter, em um dos escultores mais célebres do século XIX em todo o continente europeu, assim como, na América do Norte. Devido a seus méritos, foi nomeado comandante da Legião de Honra da França no ano de 1882. Após, uma vida dedicada ao mundo das artes; infelizmente, veio a falecer de tuberculose em 4 de outubro de 1904, em Paris, onde seus restos mortais foram colocados no cemitério de Montparnasse.
  8. 8. 8 A Estátua da Liberdade, a obra mais famosa de Bartholdi. Pode-se dizer, sem vías de dúvidas, que Bartholdi tornou-se conhecido e famoso por causa da Estátua da Liberdade, contudo sua obra completa, inclui uma grande variedade de monumentos de arte, situados na França, Estados Unidos da América do Norte e em outros lugares do mundo. Efetuou sua última viagem aos Estados Unidos da América do Norte - Nova Iorque, em 28 de outubro de 1886, pela inauguração do monumento artístico de sua autoria. Algumas de suas obras mais notáveis são:  “Os Quatro Anjos Trompetistas” na Igreja Unitariana Batista de Boston (1874).  “A Estátua de Lafayette” em Union Square Park, Nova Iorque (1876).  A “Fonte do Capitólio” no parque Bartholdi em Washington (1878).  O “Leão de Belfort” em Belfort - França (1880) - existindo uma réplica em tamanho menor na praça Denfert-Rochereau em Paris.  A “Estátua de Diderot”, erigida na praça Diderot de Langrés (1884).  A “Estátua da Liberdade” em Nova Iorque (1886). Duas cópias menores, da mesma, se encontram em Paris, uma na ponte de Grenelle, inaugurada em 1885 e, uma outra, no Jardim de Luxemburgo.  A “Fonte Bartholdi”, na praça de Terreaux, em Lyon -França (1892).  A “Estátua da Lliberdade” na praça do Regozijo, em Potosí - Bolívia (1890).  “Monumento à Suiça Socorrendo Estrasburgo” em Basileia - Suiça (1895).  A “Estátua Equestre de Vercingétorix”, em Clermont-Ferrand - França (1903). Também foi autor de numerosos monumentos e estátuas em Colmar, no Alto Reno - França, sua cidade natal:  “Monumento do General Rapp” (1856). A estátua foi presenteada como um marco da Exposição Universal de 1855 nos Campos Elísios antes de ser colocada em uma praça da referida cidade alsaciana.  “Monumento de Martin Schongauer” no museu de Unterlinden (1863).  “Monumento do Almirante Bruat” no Campo de Marte (1864), destruido pela ocupacão nazista em setembro de 1940, a estátua do militar em questão, foi devolvida à referida praça em 1958.  “Gênio Fúnebre” esculpido em bronze e, datado de 1866, situado na escadaria do liceu Bartholdi em Colmar.  ”Pequeno Vinicultor Alsaciano” museu Bartholdi, Colmar (1869).
  9. 9. 9  “Monumento Funerário dos Guardas Nacionais Mortos em 1870”, cemitério de Ladhof (1872).  “Fonte Roesselmann” (1888).  “Monumento a Gustave Hirn” (1890).  “Monumento-Fonte ao barão Lazare de Schwendi” na praça de Ancienne Douane (1898).  “Os Grandes Sustentáculos do Mundo”, erigido em bronze no ano de 1902, no museu Bartholdi, apresentado no Salão de Paris em 1902.  ”Toneleiro Alsaciano”, adorno da Casa das Cabeças (1902).  Quatro Estátuas Alegóricas: “O Ouriveres”, “O Estudo”, “O Gravador” e “A Pintura” - museu Bartholdi. Outros monumentos se encontram igualmente na França, e em outros países do mundo:  Monumento ao General Arrighi de Casanova (1867).  Monumento de Vauban em Avallon (1873).  Monumento de Champollion em Paris (1878).  Monumento de Gribeauval em Paris (1879).  Monumento de Rouget de Lisle em Lons-le-Saunier (1882).  Monumento de Gambetta em Sèvres (1890).  Monumento de Cristóvão Colombo, na Exposição Universal de Chicago (1893).  Monumento de Lafayette e Washington em Paris (1895). Maçonaria Frédéric Auguste Bartholdi foi Iniciado na Loja “Alsace-Loraine”, pertencente ao Grande Oriente da França, no ano de 1875. A partir desta data, começou a construção da Estátua da Liberdade em seus ateliers parisienses, situados na rua Vavin. Em 8 de setembro de 1884, mostra a famosa Estátua da Liberdade à seus Irmãos de Instituição, antes que esta fosse enviada para Nova Iorque. Convém, registrar, que o pedestal aonde está colocada a referida obra de arte, foi construido pela Grande Loja de Nova Iorque.
  10. 10. 10 O Ir Aquilino R. Leal * escreve neste espaço às quarta-feiras e domingos A PREGAÇÃO (II) Material originalmente publicado na edição189 de 25/04/2009, do semanário eletrônicoFOLHA MAÇÔNICA – originalligeiramente modificado para atendereste número do diárioJB NEWS. Aquilino R. Leal Fato: Um belo e ensolarado sábado da esplendorosa primavera de 2008... Batem à nossa porta. Latidos de cachorros retiram-nos da paz. Entre as duas acácias da entrada também duas pessoas... A pergunta: “Gostaria de conhecer a verdade?”. Que verdade? Não existem verdades absolutas a não ser esta! Respondemos e nos retiramos não sem antes receber um panfleto no qual seis perguntas se faziam presentes, das quais a primeira,Será que Deus realmente se importa conosco?,já foi tema de uma publicação no JB NEWS[1] . A segunda: 4 - Aquilino r. leal - " Números „Misteriosos‟: Pi, Phi e a Série de Fibonacci "
  11. 11. 11 Conclusão: Desde a criação a guerra continua a tirar vidas e trazer sofrimentos... Alguém até pode argumentar que a guerra é um dos meios da natureza para atingir o equilíbrio do mundo no que diz respeito à „praga humana‟. Todo ser vivente já passou por algum tipo de sofrimento, isso é verdade... Mas o que tem sido feito? Apenas rezar (orar), pelo visto, não tem resolvido! Aquela de „ora que melhora‟ parece estar mais para „ora que piora‟! Paz no futuro? Mas que futuro longínquo! Há 20 séculos se fazem tais declarações (leia-se promessas), no entanto... Nada mudou! E porque haveria de mudar agora? Hoje? Neste momento? Ou mesmo no futuro? Deus acabará com todo o tipo de injustiça e sofrimento? Acabar com a morte? Com as lágrimas? Com a dor? Para acabar algo o algo tem ser criado, e se foi criado o foi por Ele... Para que? Porque? Mera questão de vaidade? Ou seria uma pitada de sadismo? Talvez ELE esteja um pouco atrasado em suas ações corretivas visando corrigir eventuais „falhas de projeto‟ que desde o início (bíblico) ficaram bem patentes! Basta ler Gênesis. É justamente a dor, o sofrimento, a injustiça, o pranto, a angústia entre outros sem fim de males que fazem com as pessoas espiritualmente mais decadentes e menos esclarecidas tomem a palavra como tábua de salvação e passem, descabidamente, a render homenagens e gratidões a quem certamente não é digno delas! Tende piedade! Poupem-nos desse apanhado de palermices! NOTA: [1] Número 1.109 de 28 de agosto de 2013. “Mentes são como paraquedas, só funcionam quando abertas”. (Thomas Dewar) Material assinado pelo Ir Aquilino R. Leal, engenheiro eletricista, professor universitário, iniciado em 03 de setembro de 1976 no Templo Tiradentes (São Cristóvão – Rio de Janeiro - Brasil), elevado em 28 de abril de 1978 e exaltado em 23 de março de 1979 ocupando o veneralato em 05 de julho de 1988. É fundador de duas Lojas Maçônicas, entre elas a Loja Stanislas de Guaita 165 – Rio de Janeiro, ambas trabalhando no REAA. Desde 2008 é colaborador permanente dosemanário FOLHA MAÇÔNICA (folhamaconica@gmail.com), atualmente com a responsabilidade de três colunas semanais: A POLÊMICA NA FOLHA, EUREKA (TUREKA E NÓSREKA) e ENQUETE INÚTIL. Gerencia o ‘Ponto Cultural do Folha Maçônica’ (http://sdrv.ms/QobWqH) onde estão postados mais de 15 mil títulos (agosto/2013) sobre a Ordem e afins para livremente baixar. Também colaborador permanente, desde março de 2013, com duas colunas mensais, do mensário espanhol RETALES DE MASONERIA.
  12. 12. 12 INSTRUMENTOS DE TRABALHO DO APRENDIZ Ir.˙. Oséias do Rosario 27.09.2013 –: R.˙.E.˙.A.˙.A.˙. A.˙.R.˙.L.˙.S.˙. Prof.˙. Mâncio Da Costa Nº 1977 Florianópolis - GOB/SC Florianópolis, 27 de Setembro de 2013 Penso que seja razoável iniciar o presente trabalho, definindo algumas verdades, que são fundamentais para compreensão do presente trabalho o que torna necessário o esclarecimento de alguns termos entre eles: O que é Maçonaria? O que é Filosófica e Simbólica? O que Significa Aprendiz? E por fim o que significa os instrumentos de trabalho do Aprendiz e para que servem? Acredito que a partir do levantamento dessas questões é que se pode de fato, evoluir nos estudos, uma vez que o tema proposto a mim no dia da Iniciação foi: “Instrumentos de Trabalho do aprendiz”. Feito isto, uma vez que se clareiem as duvidas, as demais coisas podem ser de fácil entendimento, e essas duvidas são fundamentais para compreensão da maioria dos aprendizes (neófitos) que se iniciam nos augustos mistérios, em diversas oficinas por todo este país. 1 – O que é Maçonaria? No entendimento da maioria da população, os que vivem no mundo profano ou até mesmo dos profanos que são iniciados, a Maçonaria é uma sociedade secreta cheia de simbolismo, e que se reúnem em templos e que a sua maioria são homens. Esse entendimento essa visão que os profanos têm, na verdade não deixa de ter um pouco de verdade nisso, mas é necessário procurar uma visão que nos norteie, e para que assim se tenha uma visão do que realmente significa maçonaria. Conforme Valdir Gomes: 5 - INSTRUMENTOS DE TRABALHO DO APRENDIZ IrOséias do Rosário
  13. 13. 13 “A Maçonaria é conhecida como uma instituição universal, reservada, parcialmente secreta, de princípios iniciáticos-filosóficos, baseada na crença de um Ser Supremo, denominado Grande Arquiteto do Universo, e no amor à humanidade, minifestada pelos seus iniciados, através da prática constante da fraternidade, e que usa, como símbolos os instrumentos do pedreiro e do arquiteto: esquadro, compasso, régua, alavanca, nível, prumo e trolha (colher de pedreiro). Os maçons se agremiam e exercem suas atividades em lojas e Triângulos, os quais têm sedes (templos) na maioria das cidades.” Mas observa-se que na Constituição da Grande Loja Maçônica do Rio Grande Sul, se obtém um significado paralelo, mas que, todavia sua essência traduz aquilo que poderíamos chamar de significado universal da Maçonaria, aquilo que esta constituída na raiz do entendimento que precisamos ter. “Instituição, sobretudo filosófica, consagra a liberdade de consciência como sacratíssimo direito do homem, embora respeitando as ideias políticas e religiosas de seus membros, proíbe que se faça, em seu interior, toda e qualquer discussão sobre matéria sectário-religiosa e político-partidária. Adota e recomenda o culto à Pátria e o respeito absoluto à família”. Podemos ainda dizer, que a Maçonaria é uma sociedade devidamente organizada, e que pratica a tríade, Liberdade, Igualdade e Fraternidade, cabe acrescentar que a Maçonaria é Filosófica e essencialmente simbólica, uma associação secreta na qual são adotados diversos símbolos derivados da arte da alvenaria, como o esquadro, o nível, o compasso entre outros. Finalizando a definição de Maçonaria podemos citar o pensamento do historiador Alemão Joseph Gabriel Findel que considera a Maçonaria “uma associação que reúne numa mesma família todos os homens de boa vontade, sob a bandeira da igualdade e da amizade fraterna, e que lhes propõe como finalidade e exercício da influência moral sobre o resto do mundo”. 2 – O que é Filosófica? Em primeiro lugar temos que definir o que é filosofia, e depois entendermos onde ela esta inserida no processo filosófico que a maçonaria apregoa. Segundo: Russell Norman Champlin: “A palavra filosofia deriva-se de duas palavras gregas, philein, que significa “amar”, e Sophia, que significa “sabedoria”. Ao que sabemos, o primeiro homem a usar esta palavra foi Pitágoras, em cerca de 600 A.C. Ele referiu-se as pessoas chamadas sábias (no grego sófoi), pessoas que são buscadoras da sabedoria (...) Sócrates empregava a ideia de: (amigos da sabedoria). Platão concebia a filosofia como aquela atividade que leva ao descobrimento da realidade, ou verdade absoluta, obtida através da dialética. Aristóteles acreditava que a filosofia começa com um senso de admiração e respeito, diante da vastidão e grandiosidade das coisas. (...) a totalidade do conhecimento humano, bem como os modos de se chegar a esse conhecimento, é que constituem a filosofia”. Acredita-se que a Filosofia, é então a busca da sabedoria, da verdade, do amor e respeito pelo saber. Filosofia é o processo de transformação e cognição necessário para todos os homens, a busca pelo conhecimento dever ser o primeiro ensejo, que todo o humano deveria ter, pois somente assim acredita-se alcançar uma sociedade, uma comunidade e porque não dizer um mundo melhor. Versando sobre este pensamento de Russell Norman Champlin, e contextualizando com a realidade maçônica podemos concluir que a maçonaria busca a verdade, o conhecimento como excelência. A filosofia maçônica mostra ao homem o incalculável valor da arte de pensar bem e do domínio humano, pelo saber, sobre a natureza e a sociedade. E, assim sendo, o objetivo da maçonaria filosófica nada mais é que: fazer com seus seguidores
  14. 14. 14 leia-se irmãos, busquem a sua própria evolução, que simbolicamente, significa construir um templo dentro de si mesmo. 3 – O que é Simbólica? A palavra simbólica tem sua origem na palavra símbolo, que firmemente é adotada dentro da maçonaria, podemos dizer até que simbologia esta intrinsecamente ligada à maçonaria, principalmente na sua ritualística, e assim sendo devemos entender o significado da palavra simbólica. Conforme o Dicionário Aurélio: “s.f. Conjunto dos símbolos próprios de uma religião, de um povo etc.: a simbólica egípcia. / Ciência que explica os símbolos. / Método de interpretação dos mitos politeístas, considerados como símbolo de fenômenos naturais e fatos históricos ou culturais. O dicionário nos transmite aquele significado que poderíamos chamar de um significado panorâmico, de modo que se buscarmos contextualizar com a nossa vivencia dentro da oficina e até mesmo nas literaturas que temos acesso, veríamos o surgimento de outra palavra que é: simbolismo, porque esse termo ou palavra parece mais habitual a nossa realidade. De modo que para esmiuçarmos essa palavra transcrevo o pensamento de Jean-Pierre Bayard, em sua obra: “A Franco-Maçonaria”, em que ele define simbolismo: "O simbolismo é a linguagem da ascese. Para além do tempo e do espaço, liga a dimensão individual quotidiana, psicológica à escala cósmica, supra-individual. Pode variar na sua expressão, nas suas representações exteriores, mas os seus fundamentos permanecem imutáveis os símbolos não são simples imagens passivas, transformadores de energia psíquica, modificam a natureza secreta do homem. O símbolo não é um conceito sábio, em entidade abstrata, mas sim uma lei profunda, que exerce o seu poder sobre a natureza interior do ser humano. O símbolo permite a transmissão da mensagem, veicula o elemento central da ideia, para além das diferenças de cultura e de civilização. Ele é intemporal”. Desta forma, estamos cientes das peculiaridades e interligações que possuem as palavras, sendo assim, cabe ainda acrescentar que o simbolismo na verdade ele existe para nos ensinar algo objetivamente, e torná-lo latente em nosso pensamento, o simbolismo nos ensina uma lição, e que o seu significado e a proposição e realização deste ensino fica na dependência de nós em cumprirmos ou não. 4 – Aprendiz Outro dia pude ouvir de um irmão aqui de nossa oficina, na comemoração de 20 anos de maçonaria, que: “A Maçonaria ela só pode se realizar e acontecer se tiver a presença dos aprendizes”, desta forma pude entender rapidamente, que, o aprendiz é responsável ou deve ser; pelo amadurecimento dele próprio e conseqüentemente de uma oficina, pois, o aprendiz além de desbastar a pedra bruta, ele contribui também, para o advento da sabedoria e da virtude. Deste modo cabe, portanto, desvendar quem é esse personagem, quem é o Aprendiz? Segundo a definição de um autor desconhecido: O aprendiz é a pedra bruta, que foi escolhida na pedreira para ser desbastada, e se tornar uma pedra de forma cúbica. A pedra bruta representa a natureza humana no estado primitivo, ainda bruta, rude, rústica, não trabalhada, imperfeitas e cheias de arestas. É a imagem do homem sem introdução, com defeitos, vícios e paixões.
  15. 15. 15 Neste caso o aprendiz é comparado à pedra bruta antes de instruídos nos augustos mistérios, e para deixar os vícios e defeitos deve estudar o simbolismo do seu grau e ou do rito a qual foi iniciado. Deverá trabalhar constantemente para buscar sempre o autoconhecimento, aparando assim as arestas e tornar-se uma pedra cúbica. Podemos ver adiante uma definição mais convencional ao nosso cotidiano, em que o autor: BENIMELLI, J.A, em seu livro “Maçonaria e Igreja católica”, em que de forma bem simples introduz uma definição ao aprendiz: O neófito que se prepara para fazer parte da família maçônica, é como a pedra bruta: tem o dever de aperfeiçoar-se, desbastar-se, até se transformar em pedra cúbica. Um versículo tirado da Iª Carta de Pedro apóstolo pode servir de programa ao iniciado: “Também vós, como pedra viva, construí-vos de maneira a formar uma casa espiritual, um sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios agradáveis a Deus”. A vida do aprendiz, e por consequência a do maçom, deve ser entendida como ascensão contínua e trabalhosa rumo ao cume da perfeição e, à promoção aos vários graus como conquista espiritual. A transformação do homem advém mediante um processo dinâmico que se desenvolve na profundidade do eu para tornar-se claro e evidente; a verdade que jaz escondido no fundo de cada homem. Assim podemos concluir que realização do homem novo, é simbolizada pelo desbastamento da pedra bruta para torná-la polida. Isso acontece quando o Aprendiz ou o Neófito perde toda a limitação egocêntrica e passa a considerar a humanidade como parte de si mesmo. Este é, portanto, o processo a qual deve o neófito passar, para então se tornar o humano perfeito e de bons costumes, livre de qualquer vicio ou mal, que possa afetá-lo. 5 – Instrumentos do Aprendiz Os instrumentos de trabalho do Aprendiz, que também são conhecidos como: ferramentas são três: A régua de 24 polegadas, o Maço e o Cinzel. Esses são considerados instrumentos essenciais para realizar o desbastamento da pedra bruta, que significa simbolicamente o próprio aprendiz na condição em que se encontra no mundo profano, com seus defeitos, e tratemos defeitos como (arestas), e sobre a qual deverá então lapida lá, para torná-la pedra polida ou cúbica, passemos deste modo a descrever o significado de cada instrumento. 5.1 – Régua de 24 Polegadas A régua de 24 polegadas consiste no mais fundamental e transcendental de todos os instrumentos de trabalho do Aprendiz. No trabalho desenvolvido pelo Aprendiz, a régua de 24 polegadas, serve para medir e traçar sobre a „pedra bruta‟ o corte a ser efetuado. Em outras palavras, sem a aplicação adequada da régua de 24 polegadas e de suas propriedades, de nada servirá os outros instrumentos de trabalho do Aprendiz – o Malho (símbolo da vontade, determinação e força executiva) e o Cinzel (símbolo da razão e do discernimento). A aplicação prática da Régua de 24 polegadas significa preparar com precisão, planejar de forma clara e definida todo trabalho a ser executado pelo Maçom, significa a retidão com que deve ser norteada a nossa conduta, é ela que rege os caminhos a serem seguidos para alcançar a coerência, a clareza, a harmonia, a perfeição e a justiça. Sua divisão em vinte e quatro polegadas é entendida, metaforicamente como a divisão do ciclo solar, que é a manifestação mais imediata da atividade celeste. Filosoficamente, o maçom deve pautar sua vida dentro de uma determinada medida, sabendo distribuir e realizar seus afazeres durante as 24 horas do dia. Essa associação das 24 polegadas da régua, com as 24 horas do dia, permite planejar adequadamente não só o trabalho, mas também calcular o tempo e o esforço que será desprendido na realização deste trabalho. Toda sociedade, e não diferente a nossa, para haver harmonia e vivencia organizada, há, portanto a necessidade de regras seja formal ou informal. Por exemplo, a moral (do latim mores = modos de comportamentos, costumes). A moral segundo Dimitri Dimoulis no seu livro: Manual de Introdução ao Estudo do Direito define-se como o conjunto de convicções de uma pessoa, de um grupo ou da sociedade inteira sobre o bem e o mal. Outro exemplo de regra de uma sociedade é a Ética, que deriva da palavra grega Ethos, que significa (caráter, modo de viver de uma pessoa). A ética quanto a Moral, servem para que haja um equilíbrio, e bom funcionamento social, possibilitando que ninguém saia prejudicado.
  16. 16. 16 Sendo assim, a utilização da régua de 24 polegadas, como instrumento de trabalho, auxilia o aprendiz a planejar suas atividades, estabelecer metas e realizá-las em ordem de prioridade, dada a dinâmica da vida cotidiana, onde é preciso reconhecer e aceitar nossos limites e aprender a priorizar e eliminar atividades que desperdiçam um dos recursos mais valiosos que o ser humano possui, e que não pode ser recuperado, o tempo. Por fim, a régua é o instrumento que simbolicamente nos guiará pelos caminhos da retidão, das virtudes e da solidariedade, e que deve assim pautar toda nossa vida. 5.2 – O Maço O Maço assim como o Cinzel, são imprescindíveis para transformar a Pedra Bruta em Pedra Cúbica. O Maço é o símbolo da vontade de trabalhar. O Maço representa a força de vontade necessária para dominar as paixões e submeter à vontade de Deus. O maço bem como o Cinzel, trabalham sempre juntos. O Maço tem sua origem primitiva “braço e punho” do ser humano e expressa um dos primeiros atos de inteligência e por esse motivo é que se diz que o maço simboliza a inteligência. Na Maçonaria, o Maço destina-se exclusivamente, ao desbastamento ou esquadrejamento da Pedra Bruta. O Maço bate sobre o Cinzel sem provocar faíscas e calor, mas apenas o seu som característico abafado. A batida faz com que o Cinzel por sua vez, fira a pedra produzindo energia propagadora. Isto nos faz pensar que a força, isto é energia de ação, deve ser utilizada sempre com muita inteligência. A potência correta de força está intimamente ligada ao tipo de trabalho que se faz. Utilizar uma força maior que a necessária, em vez de lapidar uma pedra pode destruí-la em pedaços numa só pancada. A força deve ser utilizada com inteligência, e na intensidade correta, precisa e programada. É necessário pensar também que: a força extrema desmedida tem outro revés, outra leitura, a de que quando feita uma força excessiva, isso representa a um fanatismo um facciosismo, um esquecimento de nosso alvo, que é, o de tornar a pedra bruta em cúbica. Fica claro, portanto, que trabalhar a pedra bruta, é aprender cada lição como ela é de fato, aprender que não existe respostas prontas, aprender que cada homem livre e de bons costumes é livre pra pensar, e que deve procurar as suas próprias respostas desde que isso não afronte ou prejudique a liberdade de outras pessoas, aprender que desbastar a pedra bruta é uma constante tarefa, que esta sempre ligada a nossa vida social, de modo que sempre estamos em constante busca do conhecimento e por ele estamos submetidos a paixão legitima que é o justo e o certo. 5.3 – O Cinzel. O Cinzel possui o poder de cortar, dar forma, abrir caminho através da matéria. Para isso, necessita ter um fio cortante e resistente, de maneira a receber e transmitir a força que lhe for aplicada pelo Maço, e de acordo com a obra que com ele o Aprendiz será capaz de realizar (GOMG, 2004). O Cinzel significa a capacidade de enxergar aquilo que é preciso mudar, deve ser a autocrítica do Maçom que, apoiada pela força de vontade, fará com que consiga o desbaste necessário de sua „pedra bruta‟ (DANIEL, 2008). Para tanto, o Aprendiz-Maçom deve possuir qualidades morais, sentimentos bons e generosos (linha da virtude), uma mente bem dotada e educada (linha da direção) e uma natureza espiritual pura e profunda (linha do discernimento), os quais serão utilizados em suas obras. Além disso, deve dirigir e concentrar a energia a um ponto definido, a obra final, para que a força não se disperse e o resultado seja alcançado, sem nunca se desviar do caminho traçado (PESSANHA, 2008) Sendo assim, o cinzel é o símbolo do trabalho inteligente, é um instrumento utilizado para trabalhos que exijam apuro e precisão, simbolizando o discernimento, a inteligência que dirige a força da vontade, isto é o maçom deve ter sentimentos generosos, mente sã, fé profunda, austeridade e capacidade de sofrimento, desta forma, simbolicamente o cinzel modela o espírito e a alma. 6 – Conclusão.
  17. 17. 17 Apesar de suas diferenças intrínsecas, os três instrumentos de trabalho do Aprendiz devem ser utilizados de forma conjunta e integrada. Enquanto a Régua de 24 polegadas caracteriza-se como um instrumento estático, rígido, inflexível e fixo, o Maço e o Cinzel se mostram como instrumentos dinâmicos, móveis, flexíveis e adaptáveis ao trabalho desenvolvido pelo Maçom. Ou seja, a Régua de 24 polegadas serve para medir e planejar com sabedoria a obra a ser realizada, o Maço para aplicar a força e energia na ação efetiva, e o Cinzel para executar o trabalho com qualidade, foco e discernimento, além de servir para polir os vícios, vaidades e paixões, e representar a beleza da obra (MOREIRA, 2008). O conhecimento está ligado à Régua de 24 polegadas, pois permite ao Aprendiz medir suas emoções, paixões e vaidades, dominando-as para que possa evoluir enquanto Maçom. A ação está ligada à aplicação da força pelo Maço sobre o Cinzel, onde deve ser observado o controle emocional do Irmão Aprendiz na aplicação dos golpes para que não haja um acidente ou imperfeições na confecção da obra a ser construída. O Cinzel representa a qualidade de sentir, pois é o instrumento com que o Aprendiz entre em contato com a matéria do mundo externo. Portanto, conhecemos com a Régua de 24 polegadas, sentimos com o Cinzel e agimos com o Maço. Por fim, as ferramentas do aprendiz formam o sagrado triângulo em que a loja assenta os seus fundamentos: sabedoria que orienta, força que impele, e beleza que executa. Sendo desta forma, a sabedoria representada pela régua de 24 polegadas, força pelo maço e beleza pelo cinzel, trabalharemos a pedra bruta até que ela fique polida, ou seja, cúbica. BIBLIOGRAFIA CAMINO, Rizzardo da. Simbolismo do Primeiro grau aprendiz. São Paulo: Ed. Madras, 2009. CASTELLANI, José. Liturgia e Ritualística do Grau de Aprendiz Maçom. São Paulo: Ed. Gazeta Maçonica, 1985. BENIMELI, José Antonio Ferrer. CAPRILE, Giovanni. ALBERTON, Valério. Maçonaria e Igreja Católica. São Paulo: Ed. Paulus, 2010. HORREL, J. Scott. Maçonaria e Fé Cristã. São Paulo: Ed. Mundo Cristão, 1996. GOMES, Valdir. Igreja Católica & Maçonaria. Porto Alegre: Ed. Literalis, 2004. NETO, Elias Mansur. O que você Precisa saber sobre a Maçonaria. São Paulo: Ed. Universo dos Livros, 2005. GOMG, Grande Oriente de Minas Gerais. Ritual e instruções de Aprendiz-Maçom do Rito Escocês Antigo e Aceito. Belo Horizonte: Ed. Grande Oriente de Minas Gerais, 2004. DANIEL, Jorge Otavio. Desbastando a Pedra Bruta. Disponível em <http://www.maconaria.net>. Acesso em 27/09/2013. PESSANHA, Harry. 2º trabalho: Instrução do Primeiro Grau. Disponível em <http://www.ictys.kit.net/Maat/haprediz1.htm>. Acesso em 27/09/2013. DIMOULIS, Dimitri. Manual de introdução ao Estudo do Direito. São Paulo: Ed. Revista dos Tribunais, 2013. CHAMPLIN, Russell Norman. Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia. S http://www.maconaria.net/portal/ http://www.guiamacom.com.br/
  18. 18. 18 Lojas Aniversariantes da GLSC Data Nome Oriente 05/11 União do Vale, nr. 69 Blumenau 10/11 Arte Real Santamarense, nr. 83 Santo Amaro da Imperatriz 14/11 Obreiros da Liberdade, nr. 17 Xaxim 14/11 29 de Setembro nr.38 São Miguel do Oeste 17/11 14 de Julho nr. 3 Florianópolis 17/11 Rei David nr. 58 Florianópolis 17/11 Templários da Arte Real nr. 44 Blumenau 18/11 Ottokar Dörffel nr. 59 Joinville 19/11 Ordem e Progresso nr. 65 Joaçaba 19/11 Manoel Gomnes nr. 24 Florianópolis 19/11 Fraternidade Lourenciana nr. 86 São Lourenço do Oeste Lojas Aniversariantes do GOSC Data Nome Oriente 30/10/2002 Frank Shermann Land nr. 100 Florianópolis 02/11/1991 Seixas Neto nr. 45 Florianópolis 03/11/1971 Acácia dos Campos nr. 17 Campos Novos 03/11/2010 Colunas da Sabedoria nr. 130 Joinville 07/11/2001 Zodiacal nr. 89 Zodiacal 11/11/2005 Harmonia e Perseverança Itajaí 15/11/1979 Ciência e Trabalho Tubarão 22/11/1997 Templários da Liberdade Pinhalzinho 25/11/1977 Fraternidade Catarinense Florianópolis 6 - destaques jb Resenha Geral
  19. 19. 19 Lojas Aniversariantes do GOB/SC Data Nome Oriente 03.11.99 Delta do Norte - 3273 Florianópolis 04.11.81 Palmeira da Paz - 2121 Blumenau 12.11.99 União E Justiça - 3274 Chapecó 15.11.01 Verdes Mares - 3426 Camboriú 15.11.96 Verde Vale - 3838 Blumenau 19.11.80 União Brasileira - 2085 Florianópolis 19.11.04 Verdade e Justiça - 3646 Florianópolis 21.11.69 Jerônimo Coelho - 1820 Florianópolis 22.11.95 Luz da Verdade - 2933 Lages 24.11.92 Nereu de O. Ramos - 2744 Florianópolis 25.11.04 Luz e Frat Rionegrinhense -3643 Rio Negrinho 25.l1.06 Obreiros da Terra Firme - 3827 Florianópolis 29.11.11 Ciência e Misticismo - 4177 São José LOJAS SIMBÓLICAS - SANTA CATARINA CALENDÁRIO DE ordens do dia - EVENTOS - CONVITES Data Hora Loja Endereço Evento - Ordem do Dia 28.10.13 20h00 Luiz Balster, 6 - GOSC Caçador Sessão Magna de Elevação dos IIr Adilson Cesar Ramos e Manuel Ricardo Jungles 30-10-13 20:00 Ciência e Misticismo 4.177- GOB/SC R. Gabriel Marciano 01 - Jardim dos Lordes - CEP 88.103-216 - São José/SC ELEVAÇÃO: Juliano Menezes, Ivânio G. Cevey, Fábio A. de Brito, Roberto R. Menezes Jr. 30.10.13 20h00 Loja Monteiro Lobato, 132 - GOSC Itajaí - SC Sessão Magna de Exaltação no Rito York Americano. 30.10.13 20h00 Loja Tordesilhas (Templo em Laguna) Laguna Palestra - Ir Salomão Ribas Júnior . Tema: Ética 30.10.13 19h00 Academia Catarinense Maçônica de Letras - Edifício APLUB - 12o. andar - Salão de Festas Reunião administrativa da Diretoria 31.10.13 20h00 Ademar Nunes Pires, 51 - GOSC Templo SC-401 - Florianópolis Sessão Pública - Palestra Ciência e Espiritualidade com Arthur Aguiar 02.11.13 14h30 Novo Horizonte, 4185 - Rito Escocês Retificado ivens.cbcs@gmail.com Camboriú - Estrada Geral do Cerro, 1.500. Recepção - Grau 2 - (primeira Elevação da Loja) 04.11.13 Regeneração Lagunense e Acácia de Imbituba GOB/SC Templo de Laguna Exaltação Ademar C. Vieira Jr; Douglas F. Vidal; Jesiel T. Raulino; Lucas Cadorin; Paulo C.S.Pelentir; Sidney R. Guedes 09-11-13 16:00 Herbert Jurk 2818 GOB-SC Templo da ABEPLA – Associação Benef. INICIAÇÃO: Handrei Fellippe Stollmeier; Marcelo Link
  20. 20. 20 PARAÍSO DOS LAGOS Rua Brasília 333, Centro, Rio dos Cedros / SC Roncolatto; Marcelo Muritiba Dias Ruas 11.11.13 20:00 Harmonia e Fidelidade 4129 - GOB/SC Itapema-SC (ao lado Matriz Sto. Antônio) Sagração Do Templo ACADEMIA CATARINENSE MAÇÔNICA DE LETRAS Fundada em 21 de abril de 1989 Rua dos Ilhéus, 38 – Edifício APLUB – 1º andar Caixa Postal 30 – Fone: (48) 3952-3300 CEP 88010-320 – Florianópolis – Santa Catarina www.acml.org.br A Academia Catarinense Maçônica de Letras, está convocando os Ilustres Acadêmicos Membros da Administração da “ACML” para a reunião administrativa a realizar-se logo mais às dezenove horas, tendo como local o Salão de Festas do Edifício APLUB, 12º, em Florianópolis com a seguinte ORDEM DO DIA: 1. Informação da Secretaria de correspondências recebidas e expedidas bem como atos, portarias, atos de comissões, etc. 2. Balancete da situação financeira e planilha dos pagamentos dos Acadêmicos pelo tesoureiro. 3. Decisão a respeito dos Acadêmicos ausentes nas convocações e inadimplentes da contribuição financeira. 4. Parecer da Comissão de Pareceres (ato n° 002/2013 do Presidente da ACML) sobre inscrição de candidatos a cadeiras vagas. 5. Elaborar calendário para programação da ACML exercício 2014, incluindo a posse de novos Acadêmicos. 6. Palestra do Presidente da ACML, Acadêmico Ademar Valsechi (cad. n° 4). 7. Outros assuntos de interesse da “ACML” e da Ordem. O edital vem assinado pelo presidente, Acadêmico Ademar Valsechi
  21. 21. 21 Fotos XIV Encontro Estadual da Família Maçônica/GOB/SC – Brusque – 26/10/2013 – Parte Noturna Publicado em 28 de outubro de 2013 por admin Na Sociedade Desportiva Santos Dumont, o encontro teve seu encerramento com um jantar dançante, apresentação de atrações típicas germânicas, competições de serra tronco e choop em metro. Clique aqui para ver as imagens Publicado em Encontros, Eventos realizados|Deixar um comentário Fotos XIV Encontro Estadual da Família Maçônica/SC – Brusque – 26/10/2013 – Parte Diurna Publicado em 28 de outubro de 2013 por admin Ocorrido no dia 26/07/2013 o XIV encontro da Familia Maçonica Catarinense do GOBSC, na cidade de Brusque teve sua parte diurna no Mineral Água Park, o ponto alto do evento foi a confraternização entre irmãos de todo estado, suas famílias e convidados. O técnico de atletas paraolímpicos Steven Dubner fez uma palestra sem precedentes aos presentes, arrancando muitos sorrisos e lágrimas. Um almoço servido no local contou com pratos típicos da culinária alemã, sorteios e competições como dominó e canastra entre os participantes. Clique aqui para ver as imagens
  22. 22. 22 1 - Nova entrevista do professor Clovis de Barros Filho - http://tvg.globo.com/programas/programa-do-jo/O- Programa/noticia/2013/09/clovis-de-barros-filho-comenta-o-lancamento-de-seu- novo-livro.html 2 - Música do nosso Ir.'. Luiz Gonzaga http://www.youtube.com/watch?v=wLdjOx4pnvw 3 - Isn't she lovely - Jacob Collier https://www.youtube.com/watch?v=cttFanV0o7c 4 - Mário Sergio Cortella - Provocações Filosóficas http://www.youtube.com/watch?v=Q8ku4b1gsro 5 - Espetacular apresentação: The Tango Of Passion
  23. 23. 23 Seguem algumas linhas sobre a “ crise de autoridade” que vergonhosamente vivemos e até vamos nos acostumando ! Um grande abraço ao irmão Adilson CRISE ... Triste, perde a identidade Parte duma população ! Qual outrora, com lealdade, Compunha ordeira Nação ! Apregoam com maldade Fazer parte da evolução ! Creio que deslealdade E uma ignóbil afirmação ! Temos leis em quantidade, Duma antiga Constituição Que por permissividade Não se vê aplicação ! Sofre assim a sociedade Com iníqua associação Que com laivos da insanidade Visa locupletação ! Infausta liberalidade E o povo ordeiro...em aflição ! Falsa conotação de bondade Em prol de manipulação ! fechando a cortina
  24. 24. 24 Campeia desde a cidade, Ao mais longínquo rincão, A violência, a atrocidade Que nos levam à prostração ! A família, a propriedade, Em franca degradação ! Na saúde, na escolaridade, Falta amor, fé, devoção...! Não sou dono da verdade E nem tenho procuração De quem também tem saudade Da honra e da razão ! Ordem pública, é promiscuidade ! O autoritarismo é o vilão Nessa “CRISE de AUTORIDADE” A qual ninguém põe a mão !!! Adilson Zotovici ARLS Chequer Nassif- 169

×