SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 84
Baixar para ler offline
Verônica
                                       ROMANCES

   CAPITULO UM                 O MORRO DOS VENTOS
                                         UIVANTES



VERÔNICA

Sempre me perguntei se o amor é realmente este
sentimento   avassalador   que   corrompe    almas    e
corações. Talvez seja capaz de acreditar nisso, mas não
quer dizer que acredite que possa acontecer comigo.

Não me considero uma pessoa anti-social, apesar de ter
mais amigos no Facebook do que em vida real. Meu
maior medo é não entender a verdadeira diferença
entre amor e paixão. Algumas pessoas costumam dizer
que se apaixonam facilmente, outras dizem acreditar
em amor a primeira vista; e apesar de não saber se
realmente é amor o que sinto, sei que estou apaixonada.




                                                      1
Verônica
                                      ROMANCES

Retirando o fato de que ele nunca me olhou, acredito
que um dia eu tenha alguma chance. Existem outros
fatores, não menos importante do que esse, que
impossibilitam que esse amor platônico se torne algo
recíproco.

Primeiro: O atraente professor de Matemática tem
namorada; segundo: Ele se chama Edgar, e de acordo
com minha melhor amiga Kátia:

__ Nenhum Edgar presta!

Talvez pareça estranho eu confiar tanto nas palavras
de alguém, mas acredite, Kátia é a voz da experiência
nesses assuntos. Ela já namorou no mínimo quatro
homens com esse nome e terminou com todos antes de
completarem um mês.

Além da Kátia, tenho outro amigo do qual ouço
conselhos sem hesitar. Apesar de não conhecê-lo



                                                   2
VerônicaROMANCES

pessoalmente – e não tê-lo no Facebook – já se faz um
ano que conversamos.

Seu nome? Bom, o verdadeiro nome eu não sei, mas o
conheço por Sr Destino. Não me perguntem por que ele
não revela seu nome, ele não me diz. Talvez seja algo
relacionado à religião ou ele tenha vergonha, o que
importa é que depois desse tempo todo, eu aprendi a
confiar nele mesmo sem foto, nome ou endereço.

Houve uma vez que o convenci a enviar uma fotografia
sua, e é claro, ele enviou uma foto falsa. Percebi no
momento que peguei a foto, ele a havia retirado de uma
revista e felizmente – ou infelizmente pra ele – eu
também tinha a revista. Depois disso eu não insisti mais
no assunto.

Apesar   de    saber   muito    bem    os   riscos   de
relacionamentos pela internet, abro uma exceção




                                                      3
VerônicaROMANCES

quando se trata do Sr Destino, e além do mais, ele diz
que pretende se apresentar a mim logo.

Levantei-me da cama rapidamente, depois de um fim
de semana animado – lendo um livro e dormindo mais
cedo – estava preparada para encarar mais uma
semana de trabalho.

Tomei um copo de leite e depois de me arrumar segui
para o apartamento de Kátia, que ficava dois andares
acima do meu. Provavelmente enfrentaria a ressaca de
Kátia já que ela havia chegado às duas horas da
madrugada de hoje.

__ Kátia! –chamei a porta pela quarta vez.

__ Entra. –ouvi um grunhido do lado de dentro.

__ Está tudo bem? –perguntei.

__ Sim, eu só preciso de um banho. __ Ou talvez dois...



                                                          4
Verônica
                                      ROMANCES

__ Precisa de ajuda?

__ Não, pode ir. __ Vou mais tarde.

__ Tudo bem. –disse saindo do apartamento de Kátia.




RICARDO

Nunca imaginei que o amor fosse algo tão complexo.
Meu antigo casamento havia sido tão conturbado que
talvez tenha me deixado receoso. Nestes quase dois
anos em que me mudei para o Rio de Janeiro aprendi
muito sobre esse sentimento, principalmente depois que
conhecia o verdadeiro amor da minha vida: Verônica
Vale.

Antigamente culparia minha timidez por não assumir
que sou o seu melhor amigo Sr Destino e que sou
perdidamente apaixonado por ela, mas recentemente



                                                      5
VerônicaROMANCES

descobri que talvez o problema não seja timidez e sim
esse laço com minha antiga vida de casado.

__ Bom dia Sr Ricardo. –Ivone, minha empregada, disse
quando entrei na cozinha para tomar o café da manhã.

__ Arrumou minha pasta Ivone?

__ Na verdade não, não sabia que iria trabalhar hoje.

__ Tudo bem, ultimamente tenho andando tão absorto
em pensamentos que me esqueci de te dizer.

__ Quer que eu tente ao menos colocar os papeis
dentro da pasta? –ela disse rindo.

__ Por favor. –disse acompanhando suas risadas.

Eu não sou uma pessoa desorganizada, mas às vezes
tenho que deixar algumas coisas de lados para resolver
questões da empresa em que trabalho, e a organização




                                                        6
VerônicaROMANCES

da minha pasta é a ultima coisa que me lembro de
fazer, ou pedir que façam por mim.

Trabalhar numa das maiores revistas da cidade é um
trabalho exaustivo, principalmente quando se é o editor
chefe.

Depois de dirigir por quase uma hora no tráfego do
centro da cidade, cheguei à revista BREATH e antes de
entrar recebi um telefonema de uma fotografa da
revista:

__ Estou subindo Jessica, o que quer?

__ A grife MODA DE VERÃO enviou o novo modelo
para a sessão de fotos.

__ Tudo bem, peça para ele esperar.

__Ok. –ela disse e desligou.




                                                     7
Verônica ROMANCES

EDGAR

Estou realizando um sonho. Agora que sou o mais novo
modelo da MODA DE VERÃO estou a um passo de deixar
meu emprego de professor e me tornar uma
celebridade; adorado por todas e invejado por todos.

O meu único problema no momento é minha namorada
– ou assim ela se considera – Viviane. Apesar de eu ter
uma grande atração por seu maravilhoso corpo, eu
nunca a amei e muito menos agora que ela esta tendo
crises consecutivas de ciúmes.

Estava sentado em uma poltrona bem confortável
conversando com uma das fotografas – que por sinal,
era bem atraente – que me acompanharia na sessão de
fotos.

__ Bom Dia. –um rapaz disse se aproximando.

__ Bom Dia. –disse e Jessica continuou.


                                                       8
Verônica
                                     ROMANCES

__ Ricardo esse é o modelo da MODA DE VERÃO.

__ Prazer Edgar. –disse rapidamente e apertei sua
mão.

__ Como vai Edgar? –ele me olhou como se estivesse
me reconhecendo de algum lugar.

__ Algum problema Ricardo? –Jessica perguntou.

__ Não, pode subir para o estúdio e começar as
fotografias.




VERÔNICA

Fiz uma rotineira viagem do centro da cidade – onde
moro – até a escola em que trabalho como
Orientadora Educacional ao lado de Kátia. Entrei em
minha sala e joguei minha bolsa em cima da mesa.
Minutos depois meu celular tocou.


                                                 9
Verônica
                                       ROMANCES

__ Não me diga que não vai vir? –disse ao atender ao
telefone percebendo que se tratava de Kátia.

__ Vou chegar um pouco atrasada...

__ Mas você já está atrasada.

__ Verônica... É uma questão de vida ou morte.

__ Rodrigo? – perguntei e ouvi um resmungo de Kátia e
deduzi que era um sim.

__ Tudo bem Kátia, mas reze para a Senhora Gisele não
vir em nossa sala.

__ Ah sem problema, esse projeto de diretora só
aparece na escola na reunião de pais. –ela disse e
despedindo-se desligou o telefone.




                                                  10
Verônica  ROMANCES

Aproveitei que não havia muito movimento na escola
e peguei o meu exemplar do livro O Morro Dos Ventos
Uivantes1 e continuei a ler.

Talvez tenha sido dessa história que retirei tantas
teorias sobre o amor. Heathcliff e Catherine se
tornaram       pessoas     tão    diferentes    depois   das
experiências da vida e continuaram se amando até
mesmo depois da morte desta. Seria possível que um
sentimento tão forte pudesse sair das páginas de livros
para a vida real?




KÁTIA

Minha vida amorosa é bem complexa. Eu me apaixono
facilmente e me desapaixono também. Talvez como


1
    Romance Inglês escrito pela autora Emily Brontë



                                                         11
VerônicaROMANCES

Verônica, eu no fundo queira encontrar o verdadeiro
amor, mas diferente dela, eu corro atrás desse amor.

Sei perfeitamente que isso pode parecer vulgaridade da
minha parte, mas a vida é feita de romances e eu
sinceramente não me importo com a opinião dos outros.

Estava indo me encontrar com Rodrigo, apesar de
estar atrasada para o trabalho, eu precisava ter uma
conversa com meu namorado, ou melhor, ex-
namorado.

__ Como vai Kátia? –Rodrigo perguntou me dando um
beijo no rosto.

__ O que quer? __ Já disse que não temos mais nada!

__ Eu não acredito em você!

__ Sinto muito por você. –disse fingindo estar
querendo ir embora.



                                                       12
Verônica
                                       ROMANCES

__ Eu te amo...

__ Foi pra isso que me chamou aqui?

__ Não, eu sei que nosso namoro está um pouco
abalado, mas acho que te devo explicações.

__ Não me diga que você me traiu? __ Eu arranco o
seu...

__ Não, não foi isso... __ Espera, não tem como eu te
trair se não estamos mais namorando!

__ Tudo bem diz logo o que quer, tenho que ir
trabalhar.

__ Eu vou sair do país...

__ Ótimo, vai pra qual planeta?

__ Estou falando sério, recebi uma proposta de
emprego no México.



                                                  13
Verônica
                                      ROMANCES

__ Tudo bem, leve um abraço meu a Ninel Conde2!

__ Você realmente não se importa?

__ Rodrigo, faça de sua vida o que você bem entender.
__ Beijos, me liga! __ Ou melhor, não me liga. –disse
deixando-o sozinho e seguindo para meu trabalho.




EDGAR

Acompanhei Jessica até o estúdio. Fiquei admirado
com tamanha beleza. O estúdio com certeza era do
maior que uma sala de estar grande.

__ Edgar? –Jessica me chamou. __ Tudo bem com você?

__ Sim. –disse.



2
    Cantora e atriz mexicana



                                                   14
VerônicaROMANCES

__ Você vai encontrar as roupas da sessão atrás
daquela porta. Fique a vontade enquanto organizo
minhas câmeras.

Segui para a porta e ao abrir me deparei com uma
pequena sala revestida de espelhos e cheia de cabides
e etiquetas. Percebi que algumas estavam escritas
MODA DE VERÃO, mas não sabia qual usar. Retirei
minha roupa e entrei em meio aos cabides para ver se
encontrava algo.

Minha procura foi em vão, passaram-se quase dez
minutos e eu decidi pedir ajuda. Saí da pequena sala,
somente trajando cueca, e chamei por Jessica que
ainda estava distraída com as câmeras fotográficas.

__ Sabe qual roupa devo vestir primeiro?

__ As do cabide verde escuro. –ela me respondeu me
olhando fixamente.



                                                      15
VerônicaROMANCES

Voltei para a sala de espelhos. Eu havia notado uma
pequena onda de nervosismo e excitação em Jessica
quando me viu. Percebi que não poderia perder
aquela oportunidade, afinal já se fazia três dias que eu
só transava com minha namorada. Decidi voltar para a
sala principal, levando dois modelos de sungas que
encontrei.

__ Qual você prefere?

__ Não sei, vista a vermelha.

__ Também gosto da vermelha...

__ O que está fazendo?

__ Você não me pediu que vestisse a vermelha?

__ Sim, quero dizer, não... __ Não na minha frente!

Deixei a sunga cair propositalmente e me aproximei
nu.


                                                      16
VerônicaROMANCES

__ Você não gostou?

__ Eu, eu... –não deixei que ela terminasse e a beijei.

__ Vamos começar? –disse vestindo a sunga.

Ficamos no estúdio por quase uma hora inteira e eu
ainda não havia fotografado com todas as roupas.
Depois de mais um tempo finalmente terminamos.

__ As fotos ficaram ótimas, agora sim terminamos. –
Jessica disse desligando a câmera.

__ Na realidade ainda não terminamos. – disse me
aproximando desta vez vestido.

__ Não entendi.

__ Eu ainda não te mostrei minha coleção de sungas. __
Não quer vê-las agora?




                                                          17
VerônicaROMANCES

Jessica me olhou por um tempo, sua expressão era
ilegível. Por um momento pensei que levaria um fora,
mas me enganei.

__ Quem sabe. –ela disse sorrindo.




RICARDO

Estava assinando alguns papéis de fornecedores em
minha sala quando meu celular tocou. Ao perceber de
quem se tratava tentei ignorar, mas ela não desistiu.

__ Estou trabalhando Clarice! –disse ao atender.

__ Você não pode falar cinco minutos com sua mulher?

__ Minha ex-mulher!

__ E faz diferença? __ Temos uma filha juntos.




                                                        18
Verônica ROMANCES

__ O que quer? __ Será que vou precisar te dizer
novamente que não te amo mais? __ Não é possível
que nesses cinco anos que estamos separados você
ainda não percebeu!

__ Eu ainda te amo Rick.

__ Clarice, se você me ligou pra isso eu vou desligar.

__ Espera! __ Não te liguei só pra isso.

__ Aconteceu alguma coisa com a Alessandra?

__ Não. __ Mas vamos para Toronto daqui alguns dias e
a Alessandra quer passar na sua casa na volta.

__ Tudo bem, e quando vocês voltam?

__ No fim do mês.




                                                         19
Verônica  ROMANCES

__ Ok, quando voltarem pro México coloque a
Alessandra num vôo aqui pro Rio de Janeiro e eu a
encontro no aeroporto.

__Então está bem.

__ Mais alguma coisa?

__ Estou esperando você desligar.

__ Tudo bem, tchau. –disse desligando.




KÁTIA

Cheguei ao trabalho e segui para minha sala sem ao
menos cumprimentar o porteiro. Ao me avistar
Verônica guardou o livro que estava lendo – não sei
por que ela gostava tanto de ler – e me cumprimentou.

__ Pode falar. –ela disse.



                                                  20
Verônica
                                       ROMANCES

Verônica me conhecia tão bem que já sabia quando
precisava desabafar.

__ Ele vai pro México.

__ E qual o problema?

__ Foi o mesmo que perguntei a ele. __ Mas e agora?

__ Por que se importa você quem terminou com ele.

Apesar    de    me   mostrar   uma   mulher   forte    e
independente, eu sempre preciso de uma âncora,
alguém em quem possa confiar, alguém mantenha viva
a chama ardente em meu coração. Na realidade, eu
tenho medo da solidão.

__ Tem razão.

__ Está sabendo da última? __ Edgar está fazendo uma
sessão de fotos da grife MODA DE VERÃO pra revista
BREATH.


                                                      21
VerônicaROMANCES

__ Mais uma vez você vem falar do Edgar!

__ E qual o problema?

__ O problema é que você tem que aceitar que o Edgar
não serve pra você. __ Você merece uma pessoa
melhor.

__ E onde está a “pessoa melhor”?

__ Se fizesse como eu, talvez já tivesse encontrado!

__ Fazer o quê? __ Sair me oferecendo... __ Me desculpe,
eu não quis dizer isso.

Eu realmente não me importo o que os outros pensam
de mim, mas minha melhor amiga não está incluída
nesse pacote.

__ Não sabia que você pensa assim de mim.

__ Eu não penso. __ Me desculpe, eu agi sem pensar.



                                                       22
VerônicaROMANCES

__ Tudo bem. –disse fingindo não me importar.

O dia seguiu e eu dirigi poucas palavras a Verônica, eu
não gostava de ficar brigada com ela, mas às vezes isso
era necessário.




VERÔNICA

Magoar minha amiga é uma das coisas que mais tenho
medo de fazer. Meus impulsos frenéticos são realmente
incontroláveis, e eu sinceramente não gosto disso.

Kátia ficou a tarde inteira sem falar comigo, mas eu
não me importei. Sabia que ela havia me perdoado e
só precisava de um tempo. Estava bem triste, decidi
pegar o metrô de volta pra casa. A única coisa que me
alegrava era saber que ao chegar a minha casa iria
finalmente poder conversar com o Sr Destino.




                                                     23
Verônica   ROMANCES

__ Boa tarde. –disse ao motorista e me dirigi para um
dos poucos bancos vazios.

Sentei-me no banco e percebi que uma senhora estava
em pé próxima a mim.

__ Senhora, pode se sentar aqui. –disse me levantando.

__ Não obrigada.

__ Por favor, não é justo que eu me sente quando uma
senhora está em pé.

__ Tudo bem.

A senhora se sentou e voltou a olhar pra mim.

__ Precisa de alguma coisa? –perguntei.

__ Como se chama?

__ Verônica. –disse timidamente.




                                                    24
Verônica   ROMANCES

__ Combina com você.

__ Obrigada. – respondi e perguntei seu nome, já que
estava sem assunto.

__ Elga. –ela respondeu sorrindo.

Os minutos se passaram enquanto conversávamos –
agora       por   interesse   e   não   por    educação    –
distraidamente sobre vários assuntos. Elga havia me
falado de sua filha já que eu havia tomado coragem de
perguntar o motivo de ela me olhar tanto.

__ Você se parece muito com ela.

__ E como ela se chama?

__ Alice.

Quando finalmente me despedi de Elga e desci do
metrô disparei-me para casa. Entrei em casa e fui




                                                          25
Verônica
                                       ROMANCES

direto para meu computador. Felizmente o Sr Destino
já estava me esperando.

__ Oi. –digitei.

__ Chegou mais cedo hoje? –ele perguntou.

__ Peguei o metrô, queria chegar rápido em casa.

__ Pra conversar comigo?

__ Convencido. –digitei sorrindo. __ Também.

__ E qual foi o outro motivo?

__ Tive uma discussão com minha amiga.

__ A Kátia?

__ Sim, eu disse algumas coisas pra ela e agora me
sinto mal.

__ Ela vai te perdoar.



                                                   26
VerônicaROMANCES

__ Eu sei, só não sei se eu vou me perdoar.

__ Claro que vai. Você sabe que não quis magoá-la.

__ Tem razão. __ Mas mudando de assunto, estou quase
terminando o livro.

__ O Morro dos ventos Uivantes?

__ Sim.

__ Uma vez sonhei com esse livro...

__ E quem você era?

__ Linton.

__ E imagino que também estava no sonho.

__ É claro, você nunca me perdoaria se não estivesse. –
ele digitou e terminou a frase com letras de risadas.

__ Tem razão. __ Até imagino quem eu era.



                                                        27
Verônica
                                     ROMANCES

__ Quem?

__ Isabel?




RICARDO

O jovem Linton casado com a bela Catherine que era
perdidamente apaixonada por um amigo de infância,
enquanto o rapaz realizava todos os seus caprichos
apenas para demonstrar seu amor.

Deveria eu mentir para Verônica? Responder que sim,
no meu sonho ela era simplesmente a minha irmã –
irmã do Linton – Isabel? Ou eu deveria confessar que
ela sempre foi minha Catherine?

__ Sim, você era ela. –digitei.

Conversei com Verônica por quase duas horas e
depois quando ela finalmente teve que sair – os


                                                 28
VerônicaROMANCES

humanos tem necessidades básicas, como por
exemplo, tomar banho – eu decidi reler o capitulo do
meu sonho. Quem me dera naquele momento ser o
Heathcliff, amado por Catherine ou simplesmente
adorado por Isabel, não importa qual das duas,
somente importava que pra mim fosse Verônica.




EDGAR

Cheguei a meu apartamento acompanhado de Jessica,
felizmente Viviane havia ido pra uma festa na casa de
uma amiga, ela havia me ligado antes para pedir
permissão, e não sei como não percebeu que se eu não
fosse fazer algo errado nunca a deixaria ir sozinha a
uma festa.

__ Seu apartamento é lindo!




                                                  29
Verônica
                                        ROMANCES

__ Você ainda não viu a melhor parte, meu quarto. –
disse a carregando e levando-a até meu quarto. __
Toma alguma coisa? __ Um vinho?

__ Sim. –ela disse sorrindo e eu fui até a cozinha buscar
o vinho e duas taças.

Quando voltei encontrei Jessica deitada em minha
cama apenas com roupas íntimas. Coloquei o vinho e
as taças no criado mudo e me deitei junto dela,
retirando minha roupa e a beijando.

Eu a acariciava e a beijava ferozmente. Jessica parecia
bem experiente, ela me abraçava e sussurrava coisas
excitantes no meu ouvido.

__ Por que você não me mostra se o que vi mais cedo
realmente funciona bem? –ela de repente se tornou
uma mulher tomada de prazer.

__ Você é quem manda. –disse.


                                                      30
Verônica
                                       ROMANCES

Iniciamos uma noite selvagem de prazer. Jessica
gritava palavras explicitas e me deixava cada vez mais
excitado.

De repente Jessica teve uma idéia maluca, mas eu
estava em puro êxtase e não neguei.

__ Que tal uma sessão de fotos particulares? –ela disse
retirando sua câmera fotográfica da bolsa.

Acordei no dia seguinte e Jessica já não estava mais
comigo. Encontrei apenas um bilhete.

“ADOREI A SESSÃO DE FOTOS, NÃO SE ESQUEÇA DE
PASSAR NA BREATH AMANHÔ




                                             Continua...




                                                     31
Verônica
                                      ROMANCES



CAPITULO DOIS        FLOR DE LOTUS



VERÔNICA

Cheguei ao trabalho. Esperava ansiosa que Kátia
voltasse a falar comigo. Como sempre ela ainda não
havia chegado e eu não havia passado em seu
apartamento antes de sair. Peguei uns papéis e fui até
a sala dos professores. Na verdade, os papéis eram
apenas uma desculpa para poder falar com Edgar.

__ Bom dia. –Kátia me disse quando eu estava saindo
da sala.

__ Oi. –disse timidamente.

__ Não se preocupe, eu não estou mais chateada.




                                                   32
VerônicaROMANCES

__ Me desculpe...

__ Tudo bem, eu sei que você não quis me magoar. __
Aonde vai?

__ Levar esses papéis para Ed... Para os professores.

__ Tudo bem, vou arrumar algumas coisas na sala.

Segui para a sala dos professores e distribui os
formulários, no fim do ano haveria uma viagem
escolar e alguns professores tinham que se habilitar
para acompanhar os alunos. Edgar não estava na sala,
então subi para o segundo andar na esperança de
encontrá-lo em algum corredor.




EDGAR

Estava no corredor esperando à hora de entrar na sala
de aula, conversando com algumas alunas. De repente


                                                        33
Verônica
                                        ROMANCES

uma funcionária da escola cujo nome não recordava se
aproximou.

__ Bom dia Edgar. –ela disse quase gaguejando.

__ Bom dia... –tentei lembrar seu nome, mas não foi
possível.

__ Eu vim trazer esses formulários...

__ OK.

Ela continuou parada me olhando.

__ Mais alguma coisa?

__ Bom, eu sei que você anda meio ocupado, mas
queria saber se você e... Eu...

__ Tudo bem. –disse olhando para uma aluna do último
ano que passou fazendo sinal para que eu ligasse pra
ela mais tarde.



                                                 34
VerônicaROMANCES

__ Pode ser hoje? Depois do trabalho? –ela perguntou
sorrindo.

__ Sim? –respondi sem saber realmente do que ela
estava falando.

__ Tudo bem. –ela disse e depois saiu.

Provavelmente ela queria que eu entregasse os
formulários preenchidos ainda hoje. Coloquei-os na
pasta e entrei para a sala de aula.




VERÔNICA

Eu me sentia a mulher mais realizada do mundo!
Como era possível, Verônica Vale e Edgar juntos num
encontro? Segui para minha sala tentando de todas as
formas esconder a animação de Kátia. Eu havia




                                                 35
VerônicaROMANCES

brigado com ela por causa de Edgar e não queria
repetir a dose.

__ Está tudo bem?

__ Por que não estaria? __ Tenho a melhor amiga do
mundo!

__ Eu já te perdoei, não precisa puxar saco. –ela disse.

__ Não estou puxando saco! –disse a abraçando e me
jogando no divã vermelho que compunha nossa
humilde sala.




VIVIANE

Eu assumo: sou possessiva. Mas quem não é? Eu quero
que tudo o que é meu seja somente meu e não me sinto
mal por isso; principalmente quando se trata de amor.




                                                       36
Verônica
                                         ROMANCES

Eu fiz coisas imagináveis para conseguir ficar com
Edgar e eu não vou deixar que um sonho inútil de ser
notado atrapalhe nossa relação.

__ Ed?

__ Oi querida. –ele disse.

__ O que está fazendo?

__ Acabei de sair da sala de aula. __ Por quê?

__ Por nada, eu vi uma matéria na TV sobre a nova
grife da MODA DE VERÃO e lembrei-me de você. __
Como foram às fotos?

__ Excelentes, você tinha que ter visto. __ Em breve seu
namorado vai ser uma celebridade!

__ É isso que me preocupa. __ Eu não quero que você
viva rodeado de outras mulheres.




                                                     37
Verônica
                                       ROMANCES

__ Você sabe que eu só tenho olhos pra você!

__ E também sei que você tem um grave problema no
pescoço quando uma mulher passa por você!

__ Não vamos brigar agora, vamos?

__ Não. –disse. __ Como dormiu a noite passada? __ Eu
não queria ter de deixar sozinho.

__ Não se preocupe querida, eu dormi com os anjos. –
ele disse.

__ Tudo bem, e quando vamos nos ver?

__ Por que você não passa aqui na escola mais tarde? __
Eu vou dar aula até o último horário e depois não vai
ter ninguém na escola.

__ Tudo bem. –disse e despedindo ele desligou.




                                                    38
VerônicaROMANCES

Joguei meu celular contra a parede quando me
lembrei da sessão de fotos. Alguns minutos depois o
telefone tocou. Fui até a sala atender.

__ Alo?

__ Como vai Viviane?

__ Quem fala?

__ Não reconhece minha voz?

__ Lúcio? –perguntei assustada.

__ Sim, parece um pouco surpresa?

__ Na verdade sim. __O que quer?

__ Só liguei para te cumprimentar. __ Como está seu
namoradinho? __ Soube que ele esta ficando famoso.

__ Infelizmente. –disse com raiva.




                                                     39
VerônicaROMANCES

__ Não deveria estar feliz?

__ Talvez, mas agora corro o risco de perdê-lo.

__ Não se preocupe querida; posso assegurar-lhe que
não.

__ O que quer dizer?

__ Entenda como quiser, você sabe que posso fazer
com que ele fique com você até quando quiser... __ Ou
fazer com que ele termine com você neste exato
momento.

__ O que você quer? __ Não quero me meter em
encrencas outra vez.

__ Quero que pense bem, não quer perder seu
namorado, quer?

__ Tudo bem, vou pensar.




                                                  40
VerônicaROMANCES

__ Um mês é o suficiente?

__ Sim.

__ Então, até breve. –ele disse e desligou.

__ Maldito! –disse batendo o telefone no gancho.




ALGUMAS HORAS MAIS TARDE




EDGAR

Segui para o portão fingindo estar saindo junto aos
outros funcionários. Depois que todos haviam ido,
esperei por Viviane e quando ela chegou tornei a
entrar na escola. Como sempre o porteiro estava
dormindo e não percebeu nada.




                                                   41
Verônica
                                     ROMANCES

__ Tem certeza que não tem mais ninguém nessa
escola?

__ Se considerarmos o porteiro como gente, somos
apenas nós três.

__ Pra onde vamos?

__ Que tal a sala dos professores?

__ Tudo bem.

Viviane e eu seguimos para a sala e começamos a nos
beijar. Eu a acariciava e retirava nossas roupas
enquanto ela me abraçava ferozmente. Começamos ali
mesmo nossa relação amorosa e ainda no ato
seguimos para um dos banheiros.

Passamos vários minutos de intensivo prazer e no
auge da excitação fomos interrompidos por uma visita
inesperada.



                                                 42
VerônicaROMANCES

__ O que está acontecendo? – Verônica perguntou.

__ O que essa mulher faz aqui Ed, você disse que não
tinha ninguém!

__ Eu não sei. __ O que faz aqui? –perguntei.

__ Edgar! – Viviane gritou quando me levantei nu na
frente de Verônica.

__ Eu não queria interromper. –ela disse chorando
imóvel na nossa frente.

__   Seu   idiota!    –Viviane   disse   e      vestindo-se
rapidamente saiu em direção à porta.

__ Espera! –disse correndo atrás dela.

Verônica ficou no banheiro imóvel até o momento em
que saí da escola.




                                                        43
Verônica
                                        ROMANCES

VERÔNICA

E mais uma vez a Lua se torna minha companheira. Nas
diversas vezes que chorei, nenhuma por decepção tão
grande, a lua me acompanhou.

Aquela havia sido a cena mais deplorável que havia
presenciado em toda minha vida. Eu sinceramente não
culpava ninguém além de mim mesma. Como eu pude
acreditar uma só vez que era a pessoa certa para
Edgar? Qualquer mulher teria muito mais a oferecer do
que eu.

Naquela noite me senti totalmente de acordo com os
quatro elementos – fogo, ar, terra, água – quando se
sentiram mal com a interferência do humano em sua
reunião de reencontro. E pior do que isso: Neste caso
era eu o humano. E diferente deles, eu não poderia criar
algo tão bonito que me servisse de lição. A flor de Lótus
para mim, nada mais seria do que um coração partido,


                                                      44
VerônicaROMANCES

representando a amargura de ser uma frágil humana
lutando contra os seus sentimentos primitivos.

Segui para casa tentando não pensar em nada no
caminho. Adormeci rapidamente e quando acordei
precisei mentir pra mim mesma para conseguir a
coragem suficiente para encarar minha amiga Kátia e
o meu trabalho ao lado de Edgar.




NO OUTRO DIA




KÁTIA

__ O que aconteceu? – perguntei quando Verônica
entrou na sala.

__ Não aconteceu nada. –ela mentiu.




                                                 45
Verônica
                                         ROMANCES

__ Não minta, eu te conheço tanto quanto você me
conhece! __ Sei que você não está bem.

__ Ontem eu flagrei Edgar com outra.

__ Aonde? __ Com quem?

__ Aqui na escola com a namorada dele ontem à noite.

__ Então ele não estava com outra, e porque você
estava na escola ontem à noite?

__ Havia marcado um encontro com ele!

__ Canalha! –gritei. __ Vou agora mesmo acertar as
contas com esse...

__ Você não vai a nenhum lugar! –Verônica disse me
segurando.

__ Não vou deixar que ele brinque com você! __ Você
não merece isso!



                                                  46
Verônica   ROMANCES

__ Não foi culpa dele! __ Eu é que me iludi outra vez.

Eu realmente não estava disposta a brigar novamente
com Verônica, apesar de saber que ela era mais do que
Edgar merecia, era ele quem ela queria e eu não podia
fazer nada se não apoiá-la.




RICARDO

__ Bom dia Sr Ricardo, você recebeu uma ligação mais
cedo.

__ Clarice? –perguntei desanimado.

__ Na realidade não, foi de uma escola...

__ Eu não acredito! __ Te adoro Ivone! –disse
abraçando-a e a carregando.

__ Mas...



                                                         47
VerônicaROMANCES

__ Não tem problema, diz logo o que eles queriam!

__ Pediram que retornasse a ligação.

__ Vou ligar agora mesmo. –disse correndo para o
telefone.

Ansiava por isso há quase dois meses... Além de ser
editor da BREATH, sou formado em Letras, apesar de
nunca ter dado aulas. Essa talvez fosse a minha maior
oportunidade de declarar-me a Verônica e eu com
certeza não iria perdê-la. Tudo na vida tem propósitos e
depois de muito refletir decidi me tornar professor e
não vi opção melhor do que enviar meu currículo para
a escola onde Verônica trabalha.

Alguém pode me perguntar por que abandonaria meu
alto cargo numa grande empresa para me tornar
professor. E apesar de eu não ter intenção de
abandonar meu antigo emprego, só teria uma resposta:



                                                     48
Verônica ROMANCES

“Como posso eu viver sem minha vida. Como posso viver
sem minha alma?!” 3

E neste caso minha vida e alma se resumiam em apenas
uma pessoa, e eu estava indo ao seu encontro...

Depois de telefonar para a escola e confirmar minha
admissão voltei à cozinha e abracei Ivone novamente.
Estava explodindo felicidade!




KÁTIA

Como uma boa mulher, a melhor solução que
encontrei para a depressão de Verônica foi convencê-
la a irmos juntas fazer compras e ao salão de beleza.
Depois de algumas sessões de extrema relutância ela
terminou por aceitar. Como ainda estava cedo,

3
    Famoso trecho do livro O Morro dos ventos uivantes.



                                                          49
Verônica
                                          ROMANCES

decidimos ir a um restaurante almoçar antes de
seguirmos para o nosso programa.

Passamos por no mínimo três restaurantes e todos
estavam   cheios,   no   fim      decidimos   comer    no
restaurante   japonês    da    esquina.   Entramos     no
restaurante e nos sentamos próximo a porta, devido a
também lotação. Depois de um tempo Verônica
percebeu algo e ficou inquieta.

__ O que foi Verônica?

__ Olha quem está ali! –ela disse quase em cochicho.

Virei-me discretamente e percebi que se tratava de
Rodrigo almoçando com uma mulher.

__ Pilantra! Não se faz uma semana que terminamos e
ele já está com outra? Ele me paga.

__ O que vai fazer? –Verônica perguntou assustada.



                                                       50
VerônicaROMANCES

__ Só um minuto querida. –disse me levantando e
concertando meu vestido que agora deixava minhas
pernas à mostra e segui em direção a um garçom.

__ Esta bandeja é para aquele casal?- perguntei e ele
confirmou.

__ Pode deixar que eu mesma leve, sou uma velha
amiga deles. –disse e depois me arrependi de ter
usado o termo “velha”.

__ Claro. – ele disse.

Na bandeja havia uma comida estranha e uma tigela
com algo parecido com um molho esverdeado. Percebi
que Verônica instintivamente abaixou a cabeça
quando percebeu o que eu iria fazer.

Segui para a mesa de Rodrigo com o cardápio
tampando o rosto.




                                                  51
Verônica
                                      ROMANCES

__ Com licença, vocês pediram este prato? – a mulher
confirmou com a cabeça.

__ Então, aqui está ele! – disse derramando o molho na
cabeça da mulher e jogando a bandeja em Rodrigo.

__ O que é isso? __ Kátia? –ele disse percebendo quem
eu era.

__ Isso é o pagamento por dizer a alguns dias que me
amava e hoje já estar com outra!

__ Você não deveria ter feito isso! – a mulher se
levantou e pegou uma bandeja de um garçom que
estava próximo e jogou em mim.

__ Sua... Sua... – disse retirando pedaços de algo que
parecia macarrão de minha cabeça.

__ Sua o quê? Quem você pensa que é pra jogar comida
em mim?



                                                   52
Verônica
                                      ROMANCES

__ Sou a ex-namorado deste covarde que está
encolhido na cadeira!

__ E o que eu tenho a ver com isso? – a mulher
perguntou.

__ Você não é a nova namorada dele? – perguntei sem
graça.

__ Claro que não, eu sou casada. Viemos em um almoço
de negócios.

- ela disse nervosa.

__ Me desculpe... – disse retirando um resto de comida
da cabeça da mulher.

__ Você vai pagar por isso; e você Rodrigo, não quero
te ver na minha frente nunca mais. – ela disse saindo
do restaurante.

__ Está satisfeita Kátia?


                                                   53
Verônica
                                        ROMANCES

__ Sim, não me arrependo do que fiz! –menti.

__ Você mesma disse que não temos mais nada e fica
me seguindo por toda parte!

__ Te seguindo? Seu idiota! – disse jogando a bandeja
caída na mesa sobre ele e saí do restaurante.

Não   percebi    no    momento,   mas   Verônica   me
acompanhava.

__ O que foi aquilo?

__ Eu não sabia que eram apenas negócios... –disse
agora me mostrando arrependida.

__ Sinceramente, foi a coisa mais engraçada que eu já
vi em toda minha vida! – ela disse dando gargalhadas.

__ Você viu a cabeça dela cheia de molho? – disse rindo
juntamente com ela.




                                                    54
VerônicaROMANCES

__ Sim, mas isso não retira o fato de que você está toda
suja de macarrão.

__ Você tem razão. __ Nossa ida ao salão vai ter que
ficar pra outro dia.

__ Tudo bem. –ela concordou.

__ Mas amanhã você não escapa! –disse.

__ A não ser que você encontre Rodrigo com outra. –
ela disse e voltou a rir.




RICARDO

Acordei animado. Também não fosse pra menos,
começaria naquele dia a trabalhar junto à mulher que
amo.




                                                     55
Verônica
                                          ROMANCES

Segui para escola, minha respiração se tornava cada
vez mais fraca. E então eu a vi.

Nem toda beleza do mundo pode ser comparada a
beleza da pessoa amada. Encontrei a parte de mim que
faltava, a pessoa certa pra minha vida.

__ Bom dia, pode-me dizer onde é a secretaria da
escola? –me dirigi a ela.

__ Claro. Quem é você? –ela perguntou curiosa.

__ Me chamo Ricardo, sou o novo professor de
português.

__ Prazer Ricardo, eu sou a Verônica. __ Eu te
acompanho até a secretaria...

__ Obrigado.




                                                 56
Verônica
                                       ROMANCES

Verônica me levou até a secretaria e depois decidiu
ser minha guia. Ela me mostrou a escola e no percurso
conversamos sobre nós mesmos.

__ Você trabalha na BREATH? –ela perguntou
surpresa.

__ Sim, foi lá que conheci seu amigo Edgar. –disse
tentando disfarçar a minha decepção.

Verônica havia falado o nome de Edgar pelo menos
dez vezes durante nossa conversa e eu acabei por
descobrir porque ele me foi tão familiar na BREATH.

__ E porque você decidiu dar aulas?

__ Me faço a mesma pergunta. __ Acho que é um
hobbie...

__ Desculpe a sinceridade, mas você é louco.




                                                  57
VerônicaROMANCES

__ Sem problemas, penso o mesmo de mim. – disse e
rimos juntos.




VERÔNICA

Conversava com o simpático novo professor quando
percebi que minha amiga Kátia se aproximava.
Despedi-me de Ricardo e segui ao encontro de Kátia.

__ Quem era o bonitão? – ela perguntou antes mesmo
de me cumprimentar.

__ Bom dia pra você também. __ Ele é o novo professor
de português.

__ MEU DEUS... Você tem que me apresentar. __ Você
não está...

__ Claro que não Kátia; sabe que meu coração já tem
dono.


                                                  58
VerônicaROMANCES

__ E o meu acaba de achar o dele. – ela disse sorrindo.
__ Sabe se ele é casado?

__ Não sei. –disse puxando-a pra nossa sala.

Durante o dia inteiro não houve outro assunto se não
o novo professor. Kátia havia ficado fascinada, e eu
estava começando a sentir pena do rapaz. Eu ainda
estava muito triste, o meu encontro mal sucedido com
Edgar havia deixado um buraco em meu coração.

__ Você não se esqueceu de nossa ida ao shopping
mais tarde, esqueceu? – Kátia perguntou.

__ Não, mas você não esta pensando em me fazer
comprar roupas parecidas...

__ Sim, você vai comprar roupas modernas e que
realcem sua beleza. –ela confirmou o meu medo.




                                                    59
Verônica
                                     ROMANCES

__ Mas minha opinião também vai contar. –disse quase
implorando.

__ Tudo bem. __ Por enquanto.




                                         Continua...




                                                 60
Verônica
                                       ROMANCES

CAPITULO TRÊS         JOGO DE SEDUÇÃO



EDGAR

Estava em casa, na maravilhosa utopia do “não fazer
nada” quando a campainha tocou, tirando de mim o
descanso.

__ Viviane?

__ Porque a surpresa querido?

__ Nada, só não pensei que viesse me ver hoje.

__ Posso entrar?

__ Claro, só vou me vestir...

__ Não precisa; adoro te encontrar assim quando
chego.




                                                 61
VerônicaROMANCES

Viviane se colocou para dentro em um salto aos meus
braços.

__ O que vai fazer hoje? – ela perguntou.

__ À tarde vou até a BREATH.

__ O que você vai fazer lá? __ Ainda não terminou a
sessão de fotos?

__ Já terminei, é por isso que vou lá. __ A revista deve
sair nessa semana e tenho que rever as fotos antes da
publicação.

__ Tudo bem, eu vou ao salão com a Judite e com a
Silvana.

__ Ok.

__ Nos vemos amanhã? –ela perguntou e respondi
balançando a cabeça.




                                                     62
Verônica
                                      ROMANCES

VERÔNICA

A tarde passou rapidamente. Porque o tempo estava
sempre contra mim?

__ Vamos Verônica?

__ Claro, vamos lá! – me levantei do divã atuando uma
animação.

__ Porque será que sempre somos as últimas a sair
dessa escola? –Kátia perguntou enquanto saíamos.

__ Não sei; mas na verdade o porteiro sempre é o
último. – a corrigi.

Seguimos para o salão preferido de Kátia. Ela me
sugeriu cortar o cabelo, e depois de uma infeliz
derrota em argumentos, me convenci a cortá-lo.

Fazia quase uma hora que estávamos no salão. Eu
ainda de touca e Kátia lendo uma revista de moda.


                                                    63
VerônicaROMANCES

VIVIANE

Cheguei ao salão com minhas amigas. Havíamos
enfrentado um engarrafamento horrível, o que tinha
me deixado nervosíssima.

Cumprimentei as atendentes e fui me sentar ao lado
de uma mulher que lia uma revista. Depois de um
tempo percebi de quem se tratava. Era a insuportável
da Kátia, a coordenadora da escola do Edgar.

Apesar de ela nunca ter me feito nada, eu não gostava
dela. Ela nunca mostrou nenhum interesse no Edgar e
isso me preocupava. Imaginava que talvez ela fingisse
não gostar dele. Ela por sua vez também não
simpatizava      muito   comigo,      talvez   por    mera
reciprocidade.

Ao   olhar    ao   redor,   percebi     que    ela   estava
acompanhada. A mulherzinha que havia me visto com



                                                        64
Verônica ROMANCES

o Edgar algumas noites atrás. Decidi caçoar dela, me
lembrando de seu estado quando nos flagrou.

__ O que está baranga4 faz aqui?

__ Está se referindo a mim? – Kátia se levantou e
perguntou.

__ Apesar de também ser uma, não me refiro a você, e
sim a sua amiga com cara de tucano.

__ Minha amiga se chama Verônica, e cara de tucano
tem a senhora sua mãe! – Kátia respondeu.

Enfureci-me com a má resposta e percebi que
Verônica tentava puxar Kátia para perto dela.

__ Está tentando fugir covarde?



4
 Termo muito utilizado para se referir a uma mulher
deselegante e mal arrumada.



                                                      65
Verônica
                                       ROMANCES

VERÔNICA

Larguei o braço de Kátia e pulei por cima de Viviane.
Uma das poucas ofensas que me enfureciam de verdade
era chamar-me de covarde.

Nós rolávamos no chão enquanto as pessoas dentro
do salão faziam uma roda para observar a cena
deplorável.

Kátia fez tentativas em vão de nos separar, mas logo
desistiu ao perceber que Viviane começava a ceder.

__ Nunca me chame de covarde, sua galinha!

__ Isso não vai ficar assim! – Viviane disse como todos
que perdem uma boa briga.

As duas amigas de Viviane se juntaram a ela na saída
do salão.




                                                     66
Verônica
                                        ROMANCES

Estava toda suja, e minha touca já não existia. Decidi ir
pra casa me lavar antes de i ao shopping com a Kátia.




KÁTIA

Seguimos juntas, Verônica e eu, rindo da situação para
o apartamento dela. Decidi esperar por ela ali mesmo
na sala e depois de alguns minutos sozinha peguei seu
computador.

Uma janela estava aberta, percebi que havia alguém
online disposto a conversar, um homem cujo nome era
SR DESTINO.

__ Olá Sr Destino!?

__ Olá VR. –ele me respondeu e decidi me passar por
Verônica, ou melhor, VR.

__ Tudo bem com você? –perguntei.


                                                      67
Verônica
                                     ROMANCES

__ Melhor agora. –ele digitou.

Esse Sr Destino me parecia educado e com certeza
devia ser muito bonito.

__ O que acha se eu dissesse a você que resolvi me
apresentar?

__ O que está fazendo Kátia? – Verônica gritou do
banheiro.

__ Estou no seu computador. –respondi.

__ Já estou quase pronta.

__ Tudo bem. –disse e voltei à atenção para o Sr
Destino.

__ Ótimo, quando?

__ Que tal amanhã, ás oito?

__ Perfeito. –digitei apressada.


                                               68
Verônica
                                    ROMANCES

__ Então estarei na estação vestindo uma camisa
verde.

__ Tudo bem, agora tenho que ir. –disse me
despedindo.

Minutos se passaram e seguimos para o shopping.




NO OUTRO DIA




EDGAR

Apesar da folga no trabalho, percebi ao acordar que
não teria um dia livre.

__ Bom dia querido.

__ Porque todas as vezes que abro minha porta te
encontro?


                                                  69
Verônica
                                        ROMANCES

__ Deve ser porque você não consegue viver sem mim.

__ Ou talvez porque você seja muito chata! – pensei. __
Entre amor.

__ Como é seu dia de folga decidi vir ficar com você.

__ Como adivinha meus desejos? –perguntei mentindo
ter gostado da surpresa.

__ Primeiro vamos tomar um maravilhoso café da
manhã, que eu vou preparar, depois vamos assistir um
filme e almoçaremos em um restaurante. __Aliás,
quando saí a suas fotos na revista? -ela não parava de
falar um minuto.

__Esses dias. -disse vestindo uma camisa.

__Ótimo, quero ser a primeira a ver.




                                                        70
VerônicaROMANCES

Passamos a manhã assistindo um filme chato e no
meio do dia fomos almoçar em um restaurante no
centro da cidade.

__Esse restaurante não é ótimo, eu sempre venho aqui
quando não quero preparar um almoço. -Viviane disse
sorrindo.

__Sim querida é ótimo. -disse. __Mas... -parei por um
segundo; uma catástrofe estava prestes a acontecer,
Jessica entrava no restaurante naquele momento
acenando pra mim e vindo em minha direção.

__Olá querido! Ela disse me dando um beijo, não havia
percebido que eu estava acompanhado.

__O quê? __Quem é essa mulher Edgar? -Viviane
perguntou levantando-se da mesa.

__É uma amiga querida...




                                                  71
Verônica
                                      ROMANCES

__Como, uma amiga? -Jessica se exaltou. __Seu canalha
e todas as noites que passamos juntos foram somente
de amizade.

__O que você está dizendo sua oxigenada? -Viviane se
aproximou de Jessica.

__Cale-se sua cadela, eu estou conversando com o meu
homem.

__Cadela? __Seu homem? __Eu vou te mostrar quem é
seu homem.

Viviane partiu para cima de Jessica que caiu no chão.
Seu vestido era tão curto que ela quase ficou nua no
restaurante.

__Sua cadela! -Jessica gritava.

__Cala boca sua piranha. -Viviane respondeu dando
socos na cara dela.



                                                  72
VerônicaROMANCES

Tentei separá-las por um momento, mas Viviane me
deu um empurrão e eu caí em cima da mesa
derrubando as taças que estavam em cima. Alguns
segundos depois dois seguranças vieram separá-las.

__Nunca mais olhe na minha cara Edgar! -Jessica
gritou enquanto saía do restaurante e entrava num
taxi.

Percebi quando Viviane se aproximou de mim e me
deu um tapa na cara.

__Seu canalha! -ela gritou e saiu do restaurante.

__Tudo bem, está tudo terminado! -gritei quando ela
tornou a me olhar.

Viviane parecia não se importar, mas eu sabia que
logo ela estaria batendo em minha porta novamente.




                                                     73
Verônica
                                        ROMANCES

KÁTIA

O dia se estendia monotonamente. Verônica não havia
ido trabalhar. Faltavam alguns minutos para terminar
as aulas quando Ricardo bateu na porta da minha sala.

__Entre! –disse; ele abriu a porta.

__Verônica, está?

__Não, mas a Kátia, não serve? –perguntei.

Me levantei e aproximei-me dele. Ele não havia
entendido minha insinuação então fechei a porta sem
que ele percebesse.

__Você poderia entregar esses papéis a ela? -ele me
perguntou educadamente.

__Claro, posso fazer tudo o que você quiser.




                                                   74
VerônicaROMANCES

Segurei em sua cintura empurrando-lhe até o divã
vermelho.

__Não estou entendendo. -Ricardo se arriscou a falar.

__Entender não será necessário, basta deixar-me lhe
mostrar.

Eu usava um vestido sustentado por alças. Então me
posicionei em sua frente e desamarrei meu vestindo.
Ele caiu sobre meus pés como uma chuva repentina,
deixando-me seminua. Ricardo estava paralisado.

De repente, como em um surto de adrenalina, ele se
levantou e despreocupado saiu normalmente da sala,
como se eu não existisse ali. Com um sorriso
malicioso, me vesti esperançosa.




                                                    75
Verônica
                                      ROMANCES

RICARDO

Havia acabado de confirmar que Kátia era maluca.
Verônica havia me falado sobre suas extravagâncias,
mas não levei tão a sério.

Felizmente tinha coisas mais importantes pra me
preocupar naquele momento. Como por exemplo,
encontrar com Verônica na estação. Provavelmente
ela não havia ido trabalhar, pois estava se preparando
para me conhecer, ou melhor, conhecer o Sr Destino.

Saí da escola e passei rapidamente pela BREATH. As
fotos da MODA DE VERÃO já estavam quase prontas.
Ao chegar a minha casa, tomei um banho e me vesti
para o esperado encontro.

Eu me sentia o homem mais sortudo do mundo. De
todas as vezes que me imaginei nessa situação,
nenhuma foi uma emoção tão insana como essa.



                                                   76
Verônica
                                       ROMANCES

Um tempo depois segui para a estação. Eram quase
oito da noite. Estava usando uma jaqueta preta por
cima da combinada camisa verde.

Não conseguia me conter. Olhava para todas as
mulheres buscando por ela. Os ponteiros do relógio
não paravam; na realidade, pareciam correr mais
rápido do que nunca.

E então horas se passaram, e ela não veio ao encontro.
A minha emoção estava se transformando em
desilusão e eu começava a me sentir mal.

Porque não me declarei antes? Quando descobri que a
amava. Sentia raiva de mim mesmo. E agora estava
parado como um idiota, sozinho.

Decidi entrar em um pequeno bar próximo a estação.
Depois de quase duas garrafas de Vodka, percebi que
comecei a perder o juízo das coisas.



                                                   77
Verônica
                                     ROMANCES



KÁTIA

Já havia me cansado de esperar pelo Sr Destino.
Haviam se passado horas e eu não tinha o encontrado.

Por diversas vezes me confundi, parando pessoas de
camisa verde na rua. Apenas um rapaz me respondeu
que procurava por alguém, e antes que pudesse me
animar, ele revelou-me procurar por seu irmão.

Já derrotada pelo desanimo, decide beber um pouco.
Segui para um bar e ao chegar lá me deparei com
Ricardo.

__ O que faz aqui Ricardo?

__ Olá Kátia. –ele disse e eu percebi que ele estava
completamente bêbado.

__ Você está bem?


                                                  78
Verônica
                                          ROMANCES

__ Muito bem. –ele disse entre soluços.

__ Está sozinho?

__ Acho que sim. –ele disse tentando se levantar e
caindo de volta ao banco.

__ Acho melhor levá-lo pra casa.

__ Sabe dirigir?

__ Com certeza, melhor que você neste momento.

Entramos em seu carro e eu assumi o volante.

__ Porque bebeu tanto?

__ Estou decepcionado...

__ Não quer me contar?

__ Uma garota. – ele disse encostando a cabeça no meu
colo.



                                                  79
Verônica
                                     ROMANCES

Descontrolei-me e quase retirei o carro da estrada.
Ricardo passava a mal inocentemente na minha perna.
Apesar da situação, eu não poderia perder aquela
oportunidade.

__ Eu nunca faria isso com você.

__ Eu não acredito.

__ Quer uma prova?

__ Seria bom.

Neste momento levantei sua cabeça do meu colo e o
beijei.

Eu estava encantada por Ricardo. Mesmo bêbado, ele
ainda era educado e encantador. Entramos em sua
casa e seguimos para seu quarto.

Foi uma noite maravilhosa. Ricardo era o homem da
minha vida. Ele me acariciava com suas mãos firmes,


                                                80
VerônicaROMANCES

porém suaves. Entregava-me ferozmente, mas ele era
delicado, sua mão deslizava em mim sintonizada com
as minhas mãos que o acariciava. Tornamos aquela
noite triste, uma noite de excitação e prazer.

Acordei no outro dia ás seis da manhã e percebi que
não tinha sido um sonho, estava deitada ao lado de
Ricardo. O beijava quando ele acordou.

__O que está fazendo aqui? -ele me perguntou.

__Não se lembra, passamos a noite juntos.

__Como isso pode ter acontecido? -ele perguntou
indignado.

__Só aconteceu! -eu disse abraçando-o.

__Solte-me, eu não queria fazer isso. - Ricardo disse,
me empurrando.

__ O que foi?


                                                   81
Verônica ROMANCES

__Saia da minha casa! -Ricardo gritou.

Eu peguei meu vestido caído ao chão e me vesti.

__ Aprece-se!

__ Pode se acalmar! __ Preciso encontrar meu celular.

Peguei meu celular e me aproximei de Ricardo. Ela
parecia em choque, mas não me importei.

__ Não vai me dar um beijo?

__ O quê? –ele perguntou.

Roubei um beijo dele e saí sorrindo.




                                                    82
Verônica
                                        ROMANCES

RICARDO

Aquilo não poderia ter acontecido, agora nunca mais
teria chance com Verônica depois que ela soube-se do
acontecido. Eu me sentia o pior homem do mundo.

__Como poderia me deixar levar por minha desilusão? -
eu perguntava a mim mesmo. -E pior, Kátia estava
apaixonada por mim. -pensava em como ela não se
irritou, quando gritei com ela.

__Está tudo bem Sr Ricardo? -Ivone apareceu com
rolinhos na cabeça.

__Sim Ivone, ainda é cedo pode ir deitar.




                                            Continua...




                                                    83
Verônica
  ROMANCES




        84

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (18)

Dempeo ii quinta parte
Dempeo ii   quinta parteDempeo ii   quinta parte
Dempeo ii quinta parte
 
Diários Carrie Capítulo 1
Diários Carrie Capítulo 1Diários Carrie Capítulo 1
Diários Carrie Capítulo 1
 
Dempeo ii sétima parte
Dempeo ii   sétima parteDempeo ii   sétima parte
Dempeo ii sétima parte
 
A tal noite
A tal noiteA tal noite
A tal noite
 
A decisão de Amanda
A decisão de Amanda A decisão de Amanda
A decisão de Amanda
 
Dempeo 1
Dempeo 1Dempeo 1
Dempeo 1
 
Filhos da Escuridão: Obscuro
Filhos da Escuridão: ObscuroFilhos da Escuridão: Obscuro
Filhos da Escuridão: Obscuro
 
quarta parte
quarta partequarta parte
quarta parte
 
Dempeo
Dempeo Dempeo
Dempeo
 
Dempeo
Dempeo Dempeo
Dempeo
 
A corrente-da-vida-walcyr-carrasco-1pdf (1)
A corrente-da-vida-walcyr-carrasco-1pdf (1)A corrente-da-vida-walcyr-carrasco-1pdf (1)
A corrente-da-vida-walcyr-carrasco-1pdf (1)
 
Amores complicados lilian reis
Amores complicados   lilian reisAmores complicados   lilian reis
Amores complicados lilian reis
 
A decisão de Amanda - Por Beatriz Rodrigues
A decisão de Amanda - Por Beatriz RodriguesA decisão de Amanda - Por Beatriz Rodrigues
A decisão de Amanda - Por Beatriz Rodrigues
 
Dempeo ii sexta parte
Dempeo ii   sexta parteDempeo ii   sexta parte
Dempeo ii sexta parte
 
Dempeo ii segunda parte +1
Dempeo ii   segunda parte +1Dempeo ii   segunda parte +1
Dempeo ii segunda parte +1
 
Isadora e outros amores
Isadora e outros amoresIsadora e outros amores
Isadora e outros amores
 
kinght
 kinght  kinght
kinght
 
Oitava
OitavaOitava
Oitava
 

Semelhante a Amor e paixão em uma escola no Rio de Janeiro

Vida por detrás dos conflitos
Vida por detrás dos conflitosVida por detrás dos conflitos
Vida por detrás dos conflitosMARCELINO SANTOS
 
Vida por detrás dos conflitos
Vida por detrás dos conflitosVida por detrás dos conflitos
Vida por detrás dos conflitosMARCELINO SANTOS
 
Selvagem Moto Clube (Mulheres no Poder - Livro 1) (Degustação)
Selvagem Moto Clube (Mulheres no Poder - Livro 1) (Degustação)Selvagem Moto Clube (Mulheres no Poder - Livro 1) (Degustação)
Selvagem Moto Clube (Mulheres no Poder - Livro 1) (Degustação)Mari Sales
 
A magia dos contos de fadas na minha vida v.1
A magia dos contos de fadas na minha vida   v.1A magia dos contos de fadas na minha vida   v.1
A magia dos contos de fadas na minha vida v.1Gabriela Pagliuca
 
I. projeto 15
I. projeto 15I. projeto 15
I. projeto 15barbbessa
 
Apresentação de point para Kelvyn - Emily
Apresentação de point para Kelvyn - EmilyApresentação de point para Kelvyn - Emily
Apresentação de point para Kelvyn - EmilyEmily Nascimentoo
 
O Namorado da Minha Melhor Amiga - Livro completo
O Namorado da Minha Melhor Amiga -   Livro completoO Namorado da Minha Melhor Amiga -   Livro completo
O Namorado da Minha Melhor Amiga - Livro completoMayara Kelly
 
O homem dos meus livros evy maciel
O homem dos meus livros   evy macielO homem dos meus livros   evy maciel
O homem dos meus livros evy macielAline Batista
 
Um sonho em uma vida 1ª parte
Um sonho em uma vida 1ª parteUm sonho em uma vida 1ª parte
Um sonho em uma vida 1ª parteDaniel Maciel
 
Um sonho em uma vida 1ª parte
Um sonho em uma vida 1ª parteUm sonho em uma vida 1ª parte
Um sonho em uma vida 1ª parteDaniel Maciel
 
Primeiro capítulo "Outra Vez"
Primeiro capítulo "Outra Vez" Primeiro capítulo "Outra Vez"
Primeiro capítulo "Outra Vez" Carolina Gama
 
Just Listen - Sarah Dessen
Just Listen - Sarah DessenJust Listen - Sarah Dessen
Just Listen - Sarah DessenLuana Faé
 
Sarah dessen-just-listen
Sarah dessen-just-listenSarah dessen-just-listen
Sarah dessen-just-listenLudmila Moreira
 

Semelhante a Amor e paixão em uma escola no Rio de Janeiro (20)

Catariny
CatarinyCatariny
Catariny
 
Vida por detrás dos conflitos
Vida por detrás dos conflitosVida por detrás dos conflitos
Vida por detrás dos conflitos
 
Vida por detrás dos conflitos
Vida por detrás dos conflitosVida por detrás dos conflitos
Vida por detrás dos conflitos
 
A Luz e a Escuridão
A Luz e a Escuridão A Luz e a Escuridão
A Luz e a Escuridão
 
Selvagem Moto Clube (Mulheres no Poder - Livro 1) (Degustação)
Selvagem Moto Clube (Mulheres no Poder - Livro 1) (Degustação)Selvagem Moto Clube (Mulheres no Poder - Livro 1) (Degustação)
Selvagem Moto Clube (Mulheres no Poder - Livro 1) (Degustação)
 
A magia dos contos de fadas na minha vida v.1
A magia dos contos de fadas na minha vida   v.1A magia dos contos de fadas na minha vida   v.1
A magia dos contos de fadas na minha vida v.1
 
I. projeto 15
I. projeto 15I. projeto 15
I. projeto 15
 
Apresentação de point para Kelvyn - Emily
Apresentação de point para Kelvyn - EmilyApresentação de point para Kelvyn - Emily
Apresentação de point para Kelvyn - Emily
 
O Namorado da Minha Melhor Amiga - Livro completo
O Namorado da Minha Melhor Amiga -   Livro completoO Namorado da Minha Melhor Amiga -   Livro completo
O Namorado da Minha Melhor Amiga - Livro completo
 
Emoções
EmoçõesEmoções
Emoções
 
O homem dos meus livros evy maciel
O homem dos meus livros   evy macielO homem dos meus livros   evy maciel
O homem dos meus livros evy maciel
 
Um sonho em uma vida 1ª parte
Um sonho em uma vida 1ª parteUm sonho em uma vida 1ª parte
Um sonho em uma vida 1ª parte
 
Um sonho em uma vida 1ª parte
Um sonho em uma vida 1ª parteUm sonho em uma vida 1ª parte
Um sonho em uma vida 1ª parte
 
-------- 2° capítulo
 -------- 2° capítulo -------- 2° capítulo
-------- 2° capítulo
 
Primeiro capítulo "Outra Vez"
Primeiro capítulo "Outra Vez" Primeiro capítulo "Outra Vez"
Primeiro capítulo "Outra Vez"
 
Sempre garotas
Sempre garotasSempre garotas
Sempre garotas
 
Sa meu primeiro beijo
Sa   meu primeiro beijoSa   meu primeiro beijo
Sa meu primeiro beijo
 
Just Listen - Sarah Dessen
Just Listen - Sarah DessenJust Listen - Sarah Dessen
Just Listen - Sarah Dessen
 
Sarah dessen-just-listen
Sarah dessen-just-listenSarah dessen-just-listen
Sarah dessen-just-listen
 
miuda online
miuda online miuda online
miuda online
 

Mais de Jean Souza

2 o caso da mona lisa loira
2  o caso da mona lisa loira2  o caso da mona lisa loira
2 o caso da mona lisa loiraJean Souza
 
O caso da Mona Lisa Loira
O caso da Mona Lisa LoiraO caso da Mona Lisa Loira
O caso da Mona Lisa LoiraJean Souza
 
A última rosa - nova edição com parte 02
A última rosa - nova edição com parte 02A última rosa - nova edição com parte 02
A última rosa - nova edição com parte 02Jean Souza
 
1 o caso do voo 302
1  o caso do voo 3021  o caso do voo 302
1 o caso do voo 302Jean Souza
 
Cordel de salvação
Cordel de salvação  Cordel de salvação
Cordel de salvação Jean Souza
 
A ÚLTIMA ROSA
A ÚLTIMA ROSAA ÚLTIMA ROSA
A ÚLTIMA ROSAJean Souza
 
CAPÍTULO UM - O MORRO DOS VENTOS UIVANTES
CAPÍTULO UM - O MORRO DOS VENTOS UIVANTESCAPÍTULO UM - O MORRO DOS VENTOS UIVANTES
CAPÍTULO UM - O MORRO DOS VENTOS UIVANTESJean Souza
 
Verônica romances
Verônica romancesVerônica romances
Verônica romancesJean Souza
 
A última rosa
A última rosaA última rosa
A última rosaJean Souza
 
1 o caso do voo 302
1  o caso do voo 3021  o caso do voo 302
1 o caso do voo 302Jean Souza
 
O caso do voo 302
O caso do voo 302O caso do voo 302
O caso do voo 302Jean Souza
 
A última rosa
A última rosaA última rosa
A última rosaJean Souza
 

Mais de Jean Souza (15)

CAPÍTULO UM
CAPÍTULO UMCAPÍTULO UM
CAPÍTULO UM
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
2 o caso da mona lisa loira
2  o caso da mona lisa loira2  o caso da mona lisa loira
2 o caso da mona lisa loira
 
O caso da Mona Lisa Loira
O caso da Mona Lisa LoiraO caso da Mona Lisa Loira
O caso da Mona Lisa Loira
 
A última rosa - nova edição com parte 02
A última rosa - nova edição com parte 02A última rosa - nova edição com parte 02
A última rosa - nova edição com parte 02
 
1 o caso do voo 302
1  o caso do voo 3021  o caso do voo 302
1 o caso do voo 302
 
Cordel de salvação
Cordel de salvação  Cordel de salvação
Cordel de salvação
 
A ÚLTIMA ROSA
A ÚLTIMA ROSAA ÚLTIMA ROSA
A ÚLTIMA ROSA
 
CAPÍTULO UM - O MORRO DOS VENTOS UIVANTES
CAPÍTULO UM - O MORRO DOS VENTOS UIVANTESCAPÍTULO UM - O MORRO DOS VENTOS UIVANTES
CAPÍTULO UM - O MORRO DOS VENTOS UIVANTES
 
Verônica romances
Verônica romancesVerônica romances
Verônica romances
 
A última rosa
A última rosaA última rosa
A última rosa
 
Por do sol
Por do solPor do sol
Por do sol
 
1 o caso do voo 302
1  o caso do voo 3021  o caso do voo 302
1 o caso do voo 302
 
O caso do voo 302
O caso do voo 302O caso do voo 302
O caso do voo 302
 
A última rosa
A última rosaA última rosa
A última rosa
 

Último

19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoSilvaDias3
 

Último (20)

19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
 

Amor e paixão em uma escola no Rio de Janeiro

  • 1. Verônica ROMANCES CAPITULO UM O MORRO DOS VENTOS UIVANTES VERÔNICA Sempre me perguntei se o amor é realmente este sentimento avassalador que corrompe almas e corações. Talvez seja capaz de acreditar nisso, mas não quer dizer que acredite que possa acontecer comigo. Não me considero uma pessoa anti-social, apesar de ter mais amigos no Facebook do que em vida real. Meu maior medo é não entender a verdadeira diferença entre amor e paixão. Algumas pessoas costumam dizer que se apaixonam facilmente, outras dizem acreditar em amor a primeira vista; e apesar de não saber se realmente é amor o que sinto, sei que estou apaixonada. 1
  • 2. Verônica ROMANCES Retirando o fato de que ele nunca me olhou, acredito que um dia eu tenha alguma chance. Existem outros fatores, não menos importante do que esse, que impossibilitam que esse amor platônico se torne algo recíproco. Primeiro: O atraente professor de Matemática tem namorada; segundo: Ele se chama Edgar, e de acordo com minha melhor amiga Kátia: __ Nenhum Edgar presta! Talvez pareça estranho eu confiar tanto nas palavras de alguém, mas acredite, Kátia é a voz da experiência nesses assuntos. Ela já namorou no mínimo quatro homens com esse nome e terminou com todos antes de completarem um mês. Além da Kátia, tenho outro amigo do qual ouço conselhos sem hesitar. Apesar de não conhecê-lo 2
  • 3. VerônicaROMANCES pessoalmente – e não tê-lo no Facebook – já se faz um ano que conversamos. Seu nome? Bom, o verdadeiro nome eu não sei, mas o conheço por Sr Destino. Não me perguntem por que ele não revela seu nome, ele não me diz. Talvez seja algo relacionado à religião ou ele tenha vergonha, o que importa é que depois desse tempo todo, eu aprendi a confiar nele mesmo sem foto, nome ou endereço. Houve uma vez que o convenci a enviar uma fotografia sua, e é claro, ele enviou uma foto falsa. Percebi no momento que peguei a foto, ele a havia retirado de uma revista e felizmente – ou infelizmente pra ele – eu também tinha a revista. Depois disso eu não insisti mais no assunto. Apesar de saber muito bem os riscos de relacionamentos pela internet, abro uma exceção 3
  • 4. VerônicaROMANCES quando se trata do Sr Destino, e além do mais, ele diz que pretende se apresentar a mim logo. Levantei-me da cama rapidamente, depois de um fim de semana animado – lendo um livro e dormindo mais cedo – estava preparada para encarar mais uma semana de trabalho. Tomei um copo de leite e depois de me arrumar segui para o apartamento de Kátia, que ficava dois andares acima do meu. Provavelmente enfrentaria a ressaca de Kátia já que ela havia chegado às duas horas da madrugada de hoje. __ Kátia! –chamei a porta pela quarta vez. __ Entra. –ouvi um grunhido do lado de dentro. __ Está tudo bem? –perguntei. __ Sim, eu só preciso de um banho. __ Ou talvez dois... 4
  • 5. Verônica ROMANCES __ Precisa de ajuda? __ Não, pode ir. __ Vou mais tarde. __ Tudo bem. –disse saindo do apartamento de Kátia. RICARDO Nunca imaginei que o amor fosse algo tão complexo. Meu antigo casamento havia sido tão conturbado que talvez tenha me deixado receoso. Nestes quase dois anos em que me mudei para o Rio de Janeiro aprendi muito sobre esse sentimento, principalmente depois que conhecia o verdadeiro amor da minha vida: Verônica Vale. Antigamente culparia minha timidez por não assumir que sou o seu melhor amigo Sr Destino e que sou perdidamente apaixonado por ela, mas recentemente 5
  • 6. VerônicaROMANCES descobri que talvez o problema não seja timidez e sim esse laço com minha antiga vida de casado. __ Bom dia Sr Ricardo. –Ivone, minha empregada, disse quando entrei na cozinha para tomar o café da manhã. __ Arrumou minha pasta Ivone? __ Na verdade não, não sabia que iria trabalhar hoje. __ Tudo bem, ultimamente tenho andando tão absorto em pensamentos que me esqueci de te dizer. __ Quer que eu tente ao menos colocar os papeis dentro da pasta? –ela disse rindo. __ Por favor. –disse acompanhando suas risadas. Eu não sou uma pessoa desorganizada, mas às vezes tenho que deixar algumas coisas de lados para resolver questões da empresa em que trabalho, e a organização 6
  • 7. VerônicaROMANCES da minha pasta é a ultima coisa que me lembro de fazer, ou pedir que façam por mim. Trabalhar numa das maiores revistas da cidade é um trabalho exaustivo, principalmente quando se é o editor chefe. Depois de dirigir por quase uma hora no tráfego do centro da cidade, cheguei à revista BREATH e antes de entrar recebi um telefonema de uma fotografa da revista: __ Estou subindo Jessica, o que quer? __ A grife MODA DE VERÃO enviou o novo modelo para a sessão de fotos. __ Tudo bem, peça para ele esperar. __Ok. –ela disse e desligou. 7
  • 8. Verônica ROMANCES EDGAR Estou realizando um sonho. Agora que sou o mais novo modelo da MODA DE VERÃO estou a um passo de deixar meu emprego de professor e me tornar uma celebridade; adorado por todas e invejado por todos. O meu único problema no momento é minha namorada – ou assim ela se considera – Viviane. Apesar de eu ter uma grande atração por seu maravilhoso corpo, eu nunca a amei e muito menos agora que ela esta tendo crises consecutivas de ciúmes. Estava sentado em uma poltrona bem confortável conversando com uma das fotografas – que por sinal, era bem atraente – que me acompanharia na sessão de fotos. __ Bom Dia. –um rapaz disse se aproximando. __ Bom Dia. –disse e Jessica continuou. 8
  • 9. Verônica ROMANCES __ Ricardo esse é o modelo da MODA DE VERÃO. __ Prazer Edgar. –disse rapidamente e apertei sua mão. __ Como vai Edgar? –ele me olhou como se estivesse me reconhecendo de algum lugar. __ Algum problema Ricardo? –Jessica perguntou. __ Não, pode subir para o estúdio e começar as fotografias. VERÔNICA Fiz uma rotineira viagem do centro da cidade – onde moro – até a escola em que trabalho como Orientadora Educacional ao lado de Kátia. Entrei em minha sala e joguei minha bolsa em cima da mesa. Minutos depois meu celular tocou. 9
  • 10. Verônica ROMANCES __ Não me diga que não vai vir? –disse ao atender ao telefone percebendo que se tratava de Kátia. __ Vou chegar um pouco atrasada... __ Mas você já está atrasada. __ Verônica... É uma questão de vida ou morte. __ Rodrigo? – perguntei e ouvi um resmungo de Kátia e deduzi que era um sim. __ Tudo bem Kátia, mas reze para a Senhora Gisele não vir em nossa sala. __ Ah sem problema, esse projeto de diretora só aparece na escola na reunião de pais. –ela disse e despedindo-se desligou o telefone. 10
  • 11. Verônica ROMANCES Aproveitei que não havia muito movimento na escola e peguei o meu exemplar do livro O Morro Dos Ventos Uivantes1 e continuei a ler. Talvez tenha sido dessa história que retirei tantas teorias sobre o amor. Heathcliff e Catherine se tornaram pessoas tão diferentes depois das experiências da vida e continuaram se amando até mesmo depois da morte desta. Seria possível que um sentimento tão forte pudesse sair das páginas de livros para a vida real? KÁTIA Minha vida amorosa é bem complexa. Eu me apaixono facilmente e me desapaixono também. Talvez como 1 Romance Inglês escrito pela autora Emily Brontë 11
  • 12. VerônicaROMANCES Verônica, eu no fundo queira encontrar o verdadeiro amor, mas diferente dela, eu corro atrás desse amor. Sei perfeitamente que isso pode parecer vulgaridade da minha parte, mas a vida é feita de romances e eu sinceramente não me importo com a opinião dos outros. Estava indo me encontrar com Rodrigo, apesar de estar atrasada para o trabalho, eu precisava ter uma conversa com meu namorado, ou melhor, ex- namorado. __ Como vai Kátia? –Rodrigo perguntou me dando um beijo no rosto. __ O que quer? __ Já disse que não temos mais nada! __ Eu não acredito em você! __ Sinto muito por você. –disse fingindo estar querendo ir embora. 12
  • 13. Verônica ROMANCES __ Eu te amo... __ Foi pra isso que me chamou aqui? __ Não, eu sei que nosso namoro está um pouco abalado, mas acho que te devo explicações. __ Não me diga que você me traiu? __ Eu arranco o seu... __ Não, não foi isso... __ Espera, não tem como eu te trair se não estamos mais namorando! __ Tudo bem diz logo o que quer, tenho que ir trabalhar. __ Eu vou sair do país... __ Ótimo, vai pra qual planeta? __ Estou falando sério, recebi uma proposta de emprego no México. 13
  • 14. Verônica ROMANCES __ Tudo bem, leve um abraço meu a Ninel Conde2! __ Você realmente não se importa? __ Rodrigo, faça de sua vida o que você bem entender. __ Beijos, me liga! __ Ou melhor, não me liga. –disse deixando-o sozinho e seguindo para meu trabalho. EDGAR Acompanhei Jessica até o estúdio. Fiquei admirado com tamanha beleza. O estúdio com certeza era do maior que uma sala de estar grande. __ Edgar? –Jessica me chamou. __ Tudo bem com você? __ Sim. –disse. 2 Cantora e atriz mexicana 14
  • 15. VerônicaROMANCES __ Você vai encontrar as roupas da sessão atrás daquela porta. Fique a vontade enquanto organizo minhas câmeras. Segui para a porta e ao abrir me deparei com uma pequena sala revestida de espelhos e cheia de cabides e etiquetas. Percebi que algumas estavam escritas MODA DE VERÃO, mas não sabia qual usar. Retirei minha roupa e entrei em meio aos cabides para ver se encontrava algo. Minha procura foi em vão, passaram-se quase dez minutos e eu decidi pedir ajuda. Saí da pequena sala, somente trajando cueca, e chamei por Jessica que ainda estava distraída com as câmeras fotográficas. __ Sabe qual roupa devo vestir primeiro? __ As do cabide verde escuro. –ela me respondeu me olhando fixamente. 15
  • 16. VerônicaROMANCES Voltei para a sala de espelhos. Eu havia notado uma pequena onda de nervosismo e excitação em Jessica quando me viu. Percebi que não poderia perder aquela oportunidade, afinal já se fazia três dias que eu só transava com minha namorada. Decidi voltar para a sala principal, levando dois modelos de sungas que encontrei. __ Qual você prefere? __ Não sei, vista a vermelha. __ Também gosto da vermelha... __ O que está fazendo? __ Você não me pediu que vestisse a vermelha? __ Sim, quero dizer, não... __ Não na minha frente! Deixei a sunga cair propositalmente e me aproximei nu. 16
  • 17. VerônicaROMANCES __ Você não gostou? __ Eu, eu... –não deixei que ela terminasse e a beijei. __ Vamos começar? –disse vestindo a sunga. Ficamos no estúdio por quase uma hora inteira e eu ainda não havia fotografado com todas as roupas. Depois de mais um tempo finalmente terminamos. __ As fotos ficaram ótimas, agora sim terminamos. – Jessica disse desligando a câmera. __ Na realidade ainda não terminamos. – disse me aproximando desta vez vestido. __ Não entendi. __ Eu ainda não te mostrei minha coleção de sungas. __ Não quer vê-las agora? 17
  • 18. VerônicaROMANCES Jessica me olhou por um tempo, sua expressão era ilegível. Por um momento pensei que levaria um fora, mas me enganei. __ Quem sabe. –ela disse sorrindo. RICARDO Estava assinando alguns papéis de fornecedores em minha sala quando meu celular tocou. Ao perceber de quem se tratava tentei ignorar, mas ela não desistiu. __ Estou trabalhando Clarice! –disse ao atender. __ Você não pode falar cinco minutos com sua mulher? __ Minha ex-mulher! __ E faz diferença? __ Temos uma filha juntos. 18
  • 19. Verônica ROMANCES __ O que quer? __ Será que vou precisar te dizer novamente que não te amo mais? __ Não é possível que nesses cinco anos que estamos separados você ainda não percebeu! __ Eu ainda te amo Rick. __ Clarice, se você me ligou pra isso eu vou desligar. __ Espera! __ Não te liguei só pra isso. __ Aconteceu alguma coisa com a Alessandra? __ Não. __ Mas vamos para Toronto daqui alguns dias e a Alessandra quer passar na sua casa na volta. __ Tudo bem, e quando vocês voltam? __ No fim do mês. 19
  • 20. Verônica ROMANCES __ Ok, quando voltarem pro México coloque a Alessandra num vôo aqui pro Rio de Janeiro e eu a encontro no aeroporto. __Então está bem. __ Mais alguma coisa? __ Estou esperando você desligar. __ Tudo bem, tchau. –disse desligando. KÁTIA Cheguei ao trabalho e segui para minha sala sem ao menos cumprimentar o porteiro. Ao me avistar Verônica guardou o livro que estava lendo – não sei por que ela gostava tanto de ler – e me cumprimentou. __ Pode falar. –ela disse. 20
  • 21. Verônica ROMANCES Verônica me conhecia tão bem que já sabia quando precisava desabafar. __ Ele vai pro México. __ E qual o problema? __ Foi o mesmo que perguntei a ele. __ Mas e agora? __ Por que se importa você quem terminou com ele. Apesar de me mostrar uma mulher forte e independente, eu sempre preciso de uma âncora, alguém em quem possa confiar, alguém mantenha viva a chama ardente em meu coração. Na realidade, eu tenho medo da solidão. __ Tem razão. __ Está sabendo da última? __ Edgar está fazendo uma sessão de fotos da grife MODA DE VERÃO pra revista BREATH. 21
  • 22. VerônicaROMANCES __ Mais uma vez você vem falar do Edgar! __ E qual o problema? __ O problema é que você tem que aceitar que o Edgar não serve pra você. __ Você merece uma pessoa melhor. __ E onde está a “pessoa melhor”? __ Se fizesse como eu, talvez já tivesse encontrado! __ Fazer o quê? __ Sair me oferecendo... __ Me desculpe, eu não quis dizer isso. Eu realmente não me importo o que os outros pensam de mim, mas minha melhor amiga não está incluída nesse pacote. __ Não sabia que você pensa assim de mim. __ Eu não penso. __ Me desculpe, eu agi sem pensar. 22
  • 23. VerônicaROMANCES __ Tudo bem. –disse fingindo não me importar. O dia seguiu e eu dirigi poucas palavras a Verônica, eu não gostava de ficar brigada com ela, mas às vezes isso era necessário. VERÔNICA Magoar minha amiga é uma das coisas que mais tenho medo de fazer. Meus impulsos frenéticos são realmente incontroláveis, e eu sinceramente não gosto disso. Kátia ficou a tarde inteira sem falar comigo, mas eu não me importei. Sabia que ela havia me perdoado e só precisava de um tempo. Estava bem triste, decidi pegar o metrô de volta pra casa. A única coisa que me alegrava era saber que ao chegar a minha casa iria finalmente poder conversar com o Sr Destino. 23
  • 24. Verônica ROMANCES __ Boa tarde. –disse ao motorista e me dirigi para um dos poucos bancos vazios. Sentei-me no banco e percebi que uma senhora estava em pé próxima a mim. __ Senhora, pode se sentar aqui. –disse me levantando. __ Não obrigada. __ Por favor, não é justo que eu me sente quando uma senhora está em pé. __ Tudo bem. A senhora se sentou e voltou a olhar pra mim. __ Precisa de alguma coisa? –perguntei. __ Como se chama? __ Verônica. –disse timidamente. 24
  • 25. Verônica ROMANCES __ Combina com você. __ Obrigada. – respondi e perguntei seu nome, já que estava sem assunto. __ Elga. –ela respondeu sorrindo. Os minutos se passaram enquanto conversávamos – agora por interesse e não por educação – distraidamente sobre vários assuntos. Elga havia me falado de sua filha já que eu havia tomado coragem de perguntar o motivo de ela me olhar tanto. __ Você se parece muito com ela. __ E como ela se chama? __ Alice. Quando finalmente me despedi de Elga e desci do metrô disparei-me para casa. Entrei em casa e fui 25
  • 26. Verônica ROMANCES direto para meu computador. Felizmente o Sr Destino já estava me esperando. __ Oi. –digitei. __ Chegou mais cedo hoje? –ele perguntou. __ Peguei o metrô, queria chegar rápido em casa. __ Pra conversar comigo? __ Convencido. –digitei sorrindo. __ Também. __ E qual foi o outro motivo? __ Tive uma discussão com minha amiga. __ A Kátia? __ Sim, eu disse algumas coisas pra ela e agora me sinto mal. __ Ela vai te perdoar. 26
  • 27. VerônicaROMANCES __ Eu sei, só não sei se eu vou me perdoar. __ Claro que vai. Você sabe que não quis magoá-la. __ Tem razão. __ Mas mudando de assunto, estou quase terminando o livro. __ O Morro dos ventos Uivantes? __ Sim. __ Uma vez sonhei com esse livro... __ E quem você era? __ Linton. __ E imagino que também estava no sonho. __ É claro, você nunca me perdoaria se não estivesse. – ele digitou e terminou a frase com letras de risadas. __ Tem razão. __ Até imagino quem eu era. 27
  • 28. Verônica ROMANCES __ Quem? __ Isabel? RICARDO O jovem Linton casado com a bela Catherine que era perdidamente apaixonada por um amigo de infância, enquanto o rapaz realizava todos os seus caprichos apenas para demonstrar seu amor. Deveria eu mentir para Verônica? Responder que sim, no meu sonho ela era simplesmente a minha irmã – irmã do Linton – Isabel? Ou eu deveria confessar que ela sempre foi minha Catherine? __ Sim, você era ela. –digitei. Conversei com Verônica por quase duas horas e depois quando ela finalmente teve que sair – os 28
  • 29. VerônicaROMANCES humanos tem necessidades básicas, como por exemplo, tomar banho – eu decidi reler o capitulo do meu sonho. Quem me dera naquele momento ser o Heathcliff, amado por Catherine ou simplesmente adorado por Isabel, não importa qual das duas, somente importava que pra mim fosse Verônica. EDGAR Cheguei a meu apartamento acompanhado de Jessica, felizmente Viviane havia ido pra uma festa na casa de uma amiga, ela havia me ligado antes para pedir permissão, e não sei como não percebeu que se eu não fosse fazer algo errado nunca a deixaria ir sozinha a uma festa. __ Seu apartamento é lindo! 29
  • 30. Verônica ROMANCES __ Você ainda não viu a melhor parte, meu quarto. – disse a carregando e levando-a até meu quarto. __ Toma alguma coisa? __ Um vinho? __ Sim. –ela disse sorrindo e eu fui até a cozinha buscar o vinho e duas taças. Quando voltei encontrei Jessica deitada em minha cama apenas com roupas íntimas. Coloquei o vinho e as taças no criado mudo e me deitei junto dela, retirando minha roupa e a beijando. Eu a acariciava e a beijava ferozmente. Jessica parecia bem experiente, ela me abraçava e sussurrava coisas excitantes no meu ouvido. __ Por que você não me mostra se o que vi mais cedo realmente funciona bem? –ela de repente se tornou uma mulher tomada de prazer. __ Você é quem manda. –disse. 30
  • 31. Verônica ROMANCES Iniciamos uma noite selvagem de prazer. Jessica gritava palavras explicitas e me deixava cada vez mais excitado. De repente Jessica teve uma idéia maluca, mas eu estava em puro êxtase e não neguei. __ Que tal uma sessão de fotos particulares? –ela disse retirando sua câmera fotográfica da bolsa. Acordei no dia seguinte e Jessica já não estava mais comigo. Encontrei apenas um bilhete. “ADOREI A SESSÃO DE FOTOS, NÃO SE ESQUEÇA DE PASSAR NA BREATH AMANHÔ Continua... 31
  • 32. Verônica ROMANCES CAPITULO DOIS FLOR DE LOTUS VERÔNICA Cheguei ao trabalho. Esperava ansiosa que Kátia voltasse a falar comigo. Como sempre ela ainda não havia chegado e eu não havia passado em seu apartamento antes de sair. Peguei uns papéis e fui até a sala dos professores. Na verdade, os papéis eram apenas uma desculpa para poder falar com Edgar. __ Bom dia. –Kátia me disse quando eu estava saindo da sala. __ Oi. –disse timidamente. __ Não se preocupe, eu não estou mais chateada. 32
  • 33. VerônicaROMANCES __ Me desculpe... __ Tudo bem, eu sei que você não quis me magoar. __ Aonde vai? __ Levar esses papéis para Ed... Para os professores. __ Tudo bem, vou arrumar algumas coisas na sala. Segui para a sala dos professores e distribui os formulários, no fim do ano haveria uma viagem escolar e alguns professores tinham que se habilitar para acompanhar os alunos. Edgar não estava na sala, então subi para o segundo andar na esperança de encontrá-lo em algum corredor. EDGAR Estava no corredor esperando à hora de entrar na sala de aula, conversando com algumas alunas. De repente 33
  • 34. Verônica ROMANCES uma funcionária da escola cujo nome não recordava se aproximou. __ Bom dia Edgar. –ela disse quase gaguejando. __ Bom dia... –tentei lembrar seu nome, mas não foi possível. __ Eu vim trazer esses formulários... __ OK. Ela continuou parada me olhando. __ Mais alguma coisa? __ Bom, eu sei que você anda meio ocupado, mas queria saber se você e... Eu... __ Tudo bem. –disse olhando para uma aluna do último ano que passou fazendo sinal para que eu ligasse pra ela mais tarde. 34
  • 35. VerônicaROMANCES __ Pode ser hoje? Depois do trabalho? –ela perguntou sorrindo. __ Sim? –respondi sem saber realmente do que ela estava falando. __ Tudo bem. –ela disse e depois saiu. Provavelmente ela queria que eu entregasse os formulários preenchidos ainda hoje. Coloquei-os na pasta e entrei para a sala de aula. VERÔNICA Eu me sentia a mulher mais realizada do mundo! Como era possível, Verônica Vale e Edgar juntos num encontro? Segui para minha sala tentando de todas as formas esconder a animação de Kátia. Eu havia 35
  • 36. VerônicaROMANCES brigado com ela por causa de Edgar e não queria repetir a dose. __ Está tudo bem? __ Por que não estaria? __ Tenho a melhor amiga do mundo! __ Eu já te perdoei, não precisa puxar saco. –ela disse. __ Não estou puxando saco! –disse a abraçando e me jogando no divã vermelho que compunha nossa humilde sala. VIVIANE Eu assumo: sou possessiva. Mas quem não é? Eu quero que tudo o que é meu seja somente meu e não me sinto mal por isso; principalmente quando se trata de amor. 36
  • 37. Verônica ROMANCES Eu fiz coisas imagináveis para conseguir ficar com Edgar e eu não vou deixar que um sonho inútil de ser notado atrapalhe nossa relação. __ Ed? __ Oi querida. –ele disse. __ O que está fazendo? __ Acabei de sair da sala de aula. __ Por quê? __ Por nada, eu vi uma matéria na TV sobre a nova grife da MODA DE VERÃO e lembrei-me de você. __ Como foram às fotos? __ Excelentes, você tinha que ter visto. __ Em breve seu namorado vai ser uma celebridade! __ É isso que me preocupa. __ Eu não quero que você viva rodeado de outras mulheres. 37
  • 38. Verônica ROMANCES __ Você sabe que eu só tenho olhos pra você! __ E também sei que você tem um grave problema no pescoço quando uma mulher passa por você! __ Não vamos brigar agora, vamos? __ Não. –disse. __ Como dormiu a noite passada? __ Eu não queria ter de deixar sozinho. __ Não se preocupe querida, eu dormi com os anjos. – ele disse. __ Tudo bem, e quando vamos nos ver? __ Por que você não passa aqui na escola mais tarde? __ Eu vou dar aula até o último horário e depois não vai ter ninguém na escola. __ Tudo bem. –disse e despedindo ele desligou. 38
  • 39. VerônicaROMANCES Joguei meu celular contra a parede quando me lembrei da sessão de fotos. Alguns minutos depois o telefone tocou. Fui até a sala atender. __ Alo? __ Como vai Viviane? __ Quem fala? __ Não reconhece minha voz? __ Lúcio? –perguntei assustada. __ Sim, parece um pouco surpresa? __ Na verdade sim. __O que quer? __ Só liguei para te cumprimentar. __ Como está seu namoradinho? __ Soube que ele esta ficando famoso. __ Infelizmente. –disse com raiva. 39
  • 40. VerônicaROMANCES __ Não deveria estar feliz? __ Talvez, mas agora corro o risco de perdê-lo. __ Não se preocupe querida; posso assegurar-lhe que não. __ O que quer dizer? __ Entenda como quiser, você sabe que posso fazer com que ele fique com você até quando quiser... __ Ou fazer com que ele termine com você neste exato momento. __ O que você quer? __ Não quero me meter em encrencas outra vez. __ Quero que pense bem, não quer perder seu namorado, quer? __ Tudo bem, vou pensar. 40
  • 41. VerônicaROMANCES __ Um mês é o suficiente? __ Sim. __ Então, até breve. –ele disse e desligou. __ Maldito! –disse batendo o telefone no gancho. ALGUMAS HORAS MAIS TARDE EDGAR Segui para o portão fingindo estar saindo junto aos outros funcionários. Depois que todos haviam ido, esperei por Viviane e quando ela chegou tornei a entrar na escola. Como sempre o porteiro estava dormindo e não percebeu nada. 41
  • 42. Verônica ROMANCES __ Tem certeza que não tem mais ninguém nessa escola? __ Se considerarmos o porteiro como gente, somos apenas nós três. __ Pra onde vamos? __ Que tal a sala dos professores? __ Tudo bem. Viviane e eu seguimos para a sala e começamos a nos beijar. Eu a acariciava e retirava nossas roupas enquanto ela me abraçava ferozmente. Começamos ali mesmo nossa relação amorosa e ainda no ato seguimos para um dos banheiros. Passamos vários minutos de intensivo prazer e no auge da excitação fomos interrompidos por uma visita inesperada. 42
  • 43. VerônicaROMANCES __ O que está acontecendo? – Verônica perguntou. __ O que essa mulher faz aqui Ed, você disse que não tinha ninguém! __ Eu não sei. __ O que faz aqui? –perguntei. __ Edgar! – Viviane gritou quando me levantei nu na frente de Verônica. __ Eu não queria interromper. –ela disse chorando imóvel na nossa frente. __ Seu idiota! –Viviane disse e vestindo-se rapidamente saiu em direção à porta. __ Espera! –disse correndo atrás dela. Verônica ficou no banheiro imóvel até o momento em que saí da escola. 43
  • 44. Verônica ROMANCES VERÔNICA E mais uma vez a Lua se torna minha companheira. Nas diversas vezes que chorei, nenhuma por decepção tão grande, a lua me acompanhou. Aquela havia sido a cena mais deplorável que havia presenciado em toda minha vida. Eu sinceramente não culpava ninguém além de mim mesma. Como eu pude acreditar uma só vez que era a pessoa certa para Edgar? Qualquer mulher teria muito mais a oferecer do que eu. Naquela noite me senti totalmente de acordo com os quatro elementos – fogo, ar, terra, água – quando se sentiram mal com a interferência do humano em sua reunião de reencontro. E pior do que isso: Neste caso era eu o humano. E diferente deles, eu não poderia criar algo tão bonito que me servisse de lição. A flor de Lótus para mim, nada mais seria do que um coração partido, 44
  • 45. VerônicaROMANCES representando a amargura de ser uma frágil humana lutando contra os seus sentimentos primitivos. Segui para casa tentando não pensar em nada no caminho. Adormeci rapidamente e quando acordei precisei mentir pra mim mesma para conseguir a coragem suficiente para encarar minha amiga Kátia e o meu trabalho ao lado de Edgar. NO OUTRO DIA KÁTIA __ O que aconteceu? – perguntei quando Verônica entrou na sala. __ Não aconteceu nada. –ela mentiu. 45
  • 46. Verônica ROMANCES __ Não minta, eu te conheço tanto quanto você me conhece! __ Sei que você não está bem. __ Ontem eu flagrei Edgar com outra. __ Aonde? __ Com quem? __ Aqui na escola com a namorada dele ontem à noite. __ Então ele não estava com outra, e porque você estava na escola ontem à noite? __ Havia marcado um encontro com ele! __ Canalha! –gritei. __ Vou agora mesmo acertar as contas com esse... __ Você não vai a nenhum lugar! –Verônica disse me segurando. __ Não vou deixar que ele brinque com você! __ Você não merece isso! 46
  • 47. Verônica ROMANCES __ Não foi culpa dele! __ Eu é que me iludi outra vez. Eu realmente não estava disposta a brigar novamente com Verônica, apesar de saber que ela era mais do que Edgar merecia, era ele quem ela queria e eu não podia fazer nada se não apoiá-la. RICARDO __ Bom dia Sr Ricardo, você recebeu uma ligação mais cedo. __ Clarice? –perguntei desanimado. __ Na realidade não, foi de uma escola... __ Eu não acredito! __ Te adoro Ivone! –disse abraçando-a e a carregando. __ Mas... 47
  • 48. VerônicaROMANCES __ Não tem problema, diz logo o que eles queriam! __ Pediram que retornasse a ligação. __ Vou ligar agora mesmo. –disse correndo para o telefone. Ansiava por isso há quase dois meses... Além de ser editor da BREATH, sou formado em Letras, apesar de nunca ter dado aulas. Essa talvez fosse a minha maior oportunidade de declarar-me a Verônica e eu com certeza não iria perdê-la. Tudo na vida tem propósitos e depois de muito refletir decidi me tornar professor e não vi opção melhor do que enviar meu currículo para a escola onde Verônica trabalha. Alguém pode me perguntar por que abandonaria meu alto cargo numa grande empresa para me tornar professor. E apesar de eu não ter intenção de abandonar meu antigo emprego, só teria uma resposta: 48
  • 49. Verônica ROMANCES “Como posso eu viver sem minha vida. Como posso viver sem minha alma?!” 3 E neste caso minha vida e alma se resumiam em apenas uma pessoa, e eu estava indo ao seu encontro... Depois de telefonar para a escola e confirmar minha admissão voltei à cozinha e abracei Ivone novamente. Estava explodindo felicidade! KÁTIA Como uma boa mulher, a melhor solução que encontrei para a depressão de Verônica foi convencê- la a irmos juntas fazer compras e ao salão de beleza. Depois de algumas sessões de extrema relutância ela terminou por aceitar. Como ainda estava cedo, 3 Famoso trecho do livro O Morro dos ventos uivantes. 49
  • 50. Verônica ROMANCES decidimos ir a um restaurante almoçar antes de seguirmos para o nosso programa. Passamos por no mínimo três restaurantes e todos estavam cheios, no fim decidimos comer no restaurante japonês da esquina. Entramos no restaurante e nos sentamos próximo a porta, devido a também lotação. Depois de um tempo Verônica percebeu algo e ficou inquieta. __ O que foi Verônica? __ Olha quem está ali! –ela disse quase em cochicho. Virei-me discretamente e percebi que se tratava de Rodrigo almoçando com uma mulher. __ Pilantra! Não se faz uma semana que terminamos e ele já está com outra? Ele me paga. __ O que vai fazer? –Verônica perguntou assustada. 50
  • 51. VerônicaROMANCES __ Só um minuto querida. –disse me levantando e concertando meu vestido que agora deixava minhas pernas à mostra e segui em direção a um garçom. __ Esta bandeja é para aquele casal?- perguntei e ele confirmou. __ Pode deixar que eu mesma leve, sou uma velha amiga deles. –disse e depois me arrependi de ter usado o termo “velha”. __ Claro. – ele disse. Na bandeja havia uma comida estranha e uma tigela com algo parecido com um molho esverdeado. Percebi que Verônica instintivamente abaixou a cabeça quando percebeu o que eu iria fazer. Segui para a mesa de Rodrigo com o cardápio tampando o rosto. 51
  • 52. Verônica ROMANCES __ Com licença, vocês pediram este prato? – a mulher confirmou com a cabeça. __ Então, aqui está ele! – disse derramando o molho na cabeça da mulher e jogando a bandeja em Rodrigo. __ O que é isso? __ Kátia? –ele disse percebendo quem eu era. __ Isso é o pagamento por dizer a alguns dias que me amava e hoje já estar com outra! __ Você não deveria ter feito isso! – a mulher se levantou e pegou uma bandeja de um garçom que estava próximo e jogou em mim. __ Sua... Sua... – disse retirando pedaços de algo que parecia macarrão de minha cabeça. __ Sua o quê? Quem você pensa que é pra jogar comida em mim? 52
  • 53. Verônica ROMANCES __ Sou a ex-namorado deste covarde que está encolhido na cadeira! __ E o que eu tenho a ver com isso? – a mulher perguntou. __ Você não é a nova namorada dele? – perguntei sem graça. __ Claro que não, eu sou casada. Viemos em um almoço de negócios. - ela disse nervosa. __ Me desculpe... – disse retirando um resto de comida da cabeça da mulher. __ Você vai pagar por isso; e você Rodrigo, não quero te ver na minha frente nunca mais. – ela disse saindo do restaurante. __ Está satisfeita Kátia? 53
  • 54. Verônica ROMANCES __ Sim, não me arrependo do que fiz! –menti. __ Você mesma disse que não temos mais nada e fica me seguindo por toda parte! __ Te seguindo? Seu idiota! – disse jogando a bandeja caída na mesa sobre ele e saí do restaurante. Não percebi no momento, mas Verônica me acompanhava. __ O que foi aquilo? __ Eu não sabia que eram apenas negócios... –disse agora me mostrando arrependida. __ Sinceramente, foi a coisa mais engraçada que eu já vi em toda minha vida! – ela disse dando gargalhadas. __ Você viu a cabeça dela cheia de molho? – disse rindo juntamente com ela. 54
  • 55. VerônicaROMANCES __ Sim, mas isso não retira o fato de que você está toda suja de macarrão. __ Você tem razão. __ Nossa ida ao salão vai ter que ficar pra outro dia. __ Tudo bem. –ela concordou. __ Mas amanhã você não escapa! –disse. __ A não ser que você encontre Rodrigo com outra. – ela disse e voltou a rir. RICARDO Acordei animado. Também não fosse pra menos, começaria naquele dia a trabalhar junto à mulher que amo. 55
  • 56. Verônica ROMANCES Segui para escola, minha respiração se tornava cada vez mais fraca. E então eu a vi. Nem toda beleza do mundo pode ser comparada a beleza da pessoa amada. Encontrei a parte de mim que faltava, a pessoa certa pra minha vida. __ Bom dia, pode-me dizer onde é a secretaria da escola? –me dirigi a ela. __ Claro. Quem é você? –ela perguntou curiosa. __ Me chamo Ricardo, sou o novo professor de português. __ Prazer Ricardo, eu sou a Verônica. __ Eu te acompanho até a secretaria... __ Obrigado. 56
  • 57. Verônica ROMANCES Verônica me levou até a secretaria e depois decidiu ser minha guia. Ela me mostrou a escola e no percurso conversamos sobre nós mesmos. __ Você trabalha na BREATH? –ela perguntou surpresa. __ Sim, foi lá que conheci seu amigo Edgar. –disse tentando disfarçar a minha decepção. Verônica havia falado o nome de Edgar pelo menos dez vezes durante nossa conversa e eu acabei por descobrir porque ele me foi tão familiar na BREATH. __ E porque você decidiu dar aulas? __ Me faço a mesma pergunta. __ Acho que é um hobbie... __ Desculpe a sinceridade, mas você é louco. 57
  • 58. VerônicaROMANCES __ Sem problemas, penso o mesmo de mim. – disse e rimos juntos. VERÔNICA Conversava com o simpático novo professor quando percebi que minha amiga Kátia se aproximava. Despedi-me de Ricardo e segui ao encontro de Kátia. __ Quem era o bonitão? – ela perguntou antes mesmo de me cumprimentar. __ Bom dia pra você também. __ Ele é o novo professor de português. __ MEU DEUS... Você tem que me apresentar. __ Você não está... __ Claro que não Kátia; sabe que meu coração já tem dono. 58
  • 59. VerônicaROMANCES __ E o meu acaba de achar o dele. – ela disse sorrindo. __ Sabe se ele é casado? __ Não sei. –disse puxando-a pra nossa sala. Durante o dia inteiro não houve outro assunto se não o novo professor. Kátia havia ficado fascinada, e eu estava começando a sentir pena do rapaz. Eu ainda estava muito triste, o meu encontro mal sucedido com Edgar havia deixado um buraco em meu coração. __ Você não se esqueceu de nossa ida ao shopping mais tarde, esqueceu? – Kátia perguntou. __ Não, mas você não esta pensando em me fazer comprar roupas parecidas... __ Sim, você vai comprar roupas modernas e que realcem sua beleza. –ela confirmou o meu medo. 59
  • 60. Verônica ROMANCES __ Mas minha opinião também vai contar. –disse quase implorando. __ Tudo bem. __ Por enquanto. Continua... 60
  • 61. Verônica ROMANCES CAPITULO TRÊS JOGO DE SEDUÇÃO EDGAR Estava em casa, na maravilhosa utopia do “não fazer nada” quando a campainha tocou, tirando de mim o descanso. __ Viviane? __ Porque a surpresa querido? __ Nada, só não pensei que viesse me ver hoje. __ Posso entrar? __ Claro, só vou me vestir... __ Não precisa; adoro te encontrar assim quando chego. 61
  • 62. VerônicaROMANCES Viviane se colocou para dentro em um salto aos meus braços. __ O que vai fazer hoje? – ela perguntou. __ À tarde vou até a BREATH. __ O que você vai fazer lá? __ Ainda não terminou a sessão de fotos? __ Já terminei, é por isso que vou lá. __ A revista deve sair nessa semana e tenho que rever as fotos antes da publicação. __ Tudo bem, eu vou ao salão com a Judite e com a Silvana. __ Ok. __ Nos vemos amanhã? –ela perguntou e respondi balançando a cabeça. 62
  • 63. Verônica ROMANCES VERÔNICA A tarde passou rapidamente. Porque o tempo estava sempre contra mim? __ Vamos Verônica? __ Claro, vamos lá! – me levantei do divã atuando uma animação. __ Porque será que sempre somos as últimas a sair dessa escola? –Kátia perguntou enquanto saíamos. __ Não sei; mas na verdade o porteiro sempre é o último. – a corrigi. Seguimos para o salão preferido de Kátia. Ela me sugeriu cortar o cabelo, e depois de uma infeliz derrota em argumentos, me convenci a cortá-lo. Fazia quase uma hora que estávamos no salão. Eu ainda de touca e Kátia lendo uma revista de moda. 63
  • 64. VerônicaROMANCES VIVIANE Cheguei ao salão com minhas amigas. Havíamos enfrentado um engarrafamento horrível, o que tinha me deixado nervosíssima. Cumprimentei as atendentes e fui me sentar ao lado de uma mulher que lia uma revista. Depois de um tempo percebi de quem se tratava. Era a insuportável da Kátia, a coordenadora da escola do Edgar. Apesar de ela nunca ter me feito nada, eu não gostava dela. Ela nunca mostrou nenhum interesse no Edgar e isso me preocupava. Imaginava que talvez ela fingisse não gostar dele. Ela por sua vez também não simpatizava muito comigo, talvez por mera reciprocidade. Ao olhar ao redor, percebi que ela estava acompanhada. A mulherzinha que havia me visto com 64
  • 65. Verônica ROMANCES o Edgar algumas noites atrás. Decidi caçoar dela, me lembrando de seu estado quando nos flagrou. __ O que está baranga4 faz aqui? __ Está se referindo a mim? – Kátia se levantou e perguntou. __ Apesar de também ser uma, não me refiro a você, e sim a sua amiga com cara de tucano. __ Minha amiga se chama Verônica, e cara de tucano tem a senhora sua mãe! – Kátia respondeu. Enfureci-me com a má resposta e percebi que Verônica tentava puxar Kátia para perto dela. __ Está tentando fugir covarde? 4 Termo muito utilizado para se referir a uma mulher deselegante e mal arrumada. 65
  • 66. Verônica ROMANCES VERÔNICA Larguei o braço de Kátia e pulei por cima de Viviane. Uma das poucas ofensas que me enfureciam de verdade era chamar-me de covarde. Nós rolávamos no chão enquanto as pessoas dentro do salão faziam uma roda para observar a cena deplorável. Kátia fez tentativas em vão de nos separar, mas logo desistiu ao perceber que Viviane começava a ceder. __ Nunca me chame de covarde, sua galinha! __ Isso não vai ficar assim! – Viviane disse como todos que perdem uma boa briga. As duas amigas de Viviane se juntaram a ela na saída do salão. 66
  • 67. Verônica ROMANCES Estava toda suja, e minha touca já não existia. Decidi ir pra casa me lavar antes de i ao shopping com a Kátia. KÁTIA Seguimos juntas, Verônica e eu, rindo da situação para o apartamento dela. Decidi esperar por ela ali mesmo na sala e depois de alguns minutos sozinha peguei seu computador. Uma janela estava aberta, percebi que havia alguém online disposto a conversar, um homem cujo nome era SR DESTINO. __ Olá Sr Destino!? __ Olá VR. –ele me respondeu e decidi me passar por Verônica, ou melhor, VR. __ Tudo bem com você? –perguntei. 67
  • 68. Verônica ROMANCES __ Melhor agora. –ele digitou. Esse Sr Destino me parecia educado e com certeza devia ser muito bonito. __ O que acha se eu dissesse a você que resolvi me apresentar? __ O que está fazendo Kátia? – Verônica gritou do banheiro. __ Estou no seu computador. –respondi. __ Já estou quase pronta. __ Tudo bem. –disse e voltei à atenção para o Sr Destino. __ Ótimo, quando? __ Que tal amanhã, ás oito? __ Perfeito. –digitei apressada. 68
  • 69. Verônica ROMANCES __ Então estarei na estação vestindo uma camisa verde. __ Tudo bem, agora tenho que ir. –disse me despedindo. Minutos se passaram e seguimos para o shopping. NO OUTRO DIA EDGAR Apesar da folga no trabalho, percebi ao acordar que não teria um dia livre. __ Bom dia querido. __ Porque todas as vezes que abro minha porta te encontro? 69
  • 70. Verônica ROMANCES __ Deve ser porque você não consegue viver sem mim. __ Ou talvez porque você seja muito chata! – pensei. __ Entre amor. __ Como é seu dia de folga decidi vir ficar com você. __ Como adivinha meus desejos? –perguntei mentindo ter gostado da surpresa. __ Primeiro vamos tomar um maravilhoso café da manhã, que eu vou preparar, depois vamos assistir um filme e almoçaremos em um restaurante. __Aliás, quando saí a suas fotos na revista? -ela não parava de falar um minuto. __Esses dias. -disse vestindo uma camisa. __Ótimo, quero ser a primeira a ver. 70
  • 71. VerônicaROMANCES Passamos a manhã assistindo um filme chato e no meio do dia fomos almoçar em um restaurante no centro da cidade. __Esse restaurante não é ótimo, eu sempre venho aqui quando não quero preparar um almoço. -Viviane disse sorrindo. __Sim querida é ótimo. -disse. __Mas... -parei por um segundo; uma catástrofe estava prestes a acontecer, Jessica entrava no restaurante naquele momento acenando pra mim e vindo em minha direção. __Olá querido! Ela disse me dando um beijo, não havia percebido que eu estava acompanhado. __O quê? __Quem é essa mulher Edgar? -Viviane perguntou levantando-se da mesa. __É uma amiga querida... 71
  • 72. Verônica ROMANCES __Como, uma amiga? -Jessica se exaltou. __Seu canalha e todas as noites que passamos juntos foram somente de amizade. __O que você está dizendo sua oxigenada? -Viviane se aproximou de Jessica. __Cale-se sua cadela, eu estou conversando com o meu homem. __Cadela? __Seu homem? __Eu vou te mostrar quem é seu homem. Viviane partiu para cima de Jessica que caiu no chão. Seu vestido era tão curto que ela quase ficou nua no restaurante. __Sua cadela! -Jessica gritava. __Cala boca sua piranha. -Viviane respondeu dando socos na cara dela. 72
  • 73. VerônicaROMANCES Tentei separá-las por um momento, mas Viviane me deu um empurrão e eu caí em cima da mesa derrubando as taças que estavam em cima. Alguns segundos depois dois seguranças vieram separá-las. __Nunca mais olhe na minha cara Edgar! -Jessica gritou enquanto saía do restaurante e entrava num taxi. Percebi quando Viviane se aproximou de mim e me deu um tapa na cara. __Seu canalha! -ela gritou e saiu do restaurante. __Tudo bem, está tudo terminado! -gritei quando ela tornou a me olhar. Viviane parecia não se importar, mas eu sabia que logo ela estaria batendo em minha porta novamente. 73
  • 74. Verônica ROMANCES KÁTIA O dia se estendia monotonamente. Verônica não havia ido trabalhar. Faltavam alguns minutos para terminar as aulas quando Ricardo bateu na porta da minha sala. __Entre! –disse; ele abriu a porta. __Verônica, está? __Não, mas a Kátia, não serve? –perguntei. Me levantei e aproximei-me dele. Ele não havia entendido minha insinuação então fechei a porta sem que ele percebesse. __Você poderia entregar esses papéis a ela? -ele me perguntou educadamente. __Claro, posso fazer tudo o que você quiser. 74
  • 75. VerônicaROMANCES Segurei em sua cintura empurrando-lhe até o divã vermelho. __Não estou entendendo. -Ricardo se arriscou a falar. __Entender não será necessário, basta deixar-me lhe mostrar. Eu usava um vestido sustentado por alças. Então me posicionei em sua frente e desamarrei meu vestindo. Ele caiu sobre meus pés como uma chuva repentina, deixando-me seminua. Ricardo estava paralisado. De repente, como em um surto de adrenalina, ele se levantou e despreocupado saiu normalmente da sala, como se eu não existisse ali. Com um sorriso malicioso, me vesti esperançosa. 75
  • 76. Verônica ROMANCES RICARDO Havia acabado de confirmar que Kátia era maluca. Verônica havia me falado sobre suas extravagâncias, mas não levei tão a sério. Felizmente tinha coisas mais importantes pra me preocupar naquele momento. Como por exemplo, encontrar com Verônica na estação. Provavelmente ela não havia ido trabalhar, pois estava se preparando para me conhecer, ou melhor, conhecer o Sr Destino. Saí da escola e passei rapidamente pela BREATH. As fotos da MODA DE VERÃO já estavam quase prontas. Ao chegar a minha casa, tomei um banho e me vesti para o esperado encontro. Eu me sentia o homem mais sortudo do mundo. De todas as vezes que me imaginei nessa situação, nenhuma foi uma emoção tão insana como essa. 76
  • 77. Verônica ROMANCES Um tempo depois segui para a estação. Eram quase oito da noite. Estava usando uma jaqueta preta por cima da combinada camisa verde. Não conseguia me conter. Olhava para todas as mulheres buscando por ela. Os ponteiros do relógio não paravam; na realidade, pareciam correr mais rápido do que nunca. E então horas se passaram, e ela não veio ao encontro. A minha emoção estava se transformando em desilusão e eu começava a me sentir mal. Porque não me declarei antes? Quando descobri que a amava. Sentia raiva de mim mesmo. E agora estava parado como um idiota, sozinho. Decidi entrar em um pequeno bar próximo a estação. Depois de quase duas garrafas de Vodka, percebi que comecei a perder o juízo das coisas. 77
  • 78. Verônica ROMANCES KÁTIA Já havia me cansado de esperar pelo Sr Destino. Haviam se passado horas e eu não tinha o encontrado. Por diversas vezes me confundi, parando pessoas de camisa verde na rua. Apenas um rapaz me respondeu que procurava por alguém, e antes que pudesse me animar, ele revelou-me procurar por seu irmão. Já derrotada pelo desanimo, decide beber um pouco. Segui para um bar e ao chegar lá me deparei com Ricardo. __ O que faz aqui Ricardo? __ Olá Kátia. –ele disse e eu percebi que ele estava completamente bêbado. __ Você está bem? 78
  • 79. Verônica ROMANCES __ Muito bem. –ele disse entre soluços. __ Está sozinho? __ Acho que sim. –ele disse tentando se levantar e caindo de volta ao banco. __ Acho melhor levá-lo pra casa. __ Sabe dirigir? __ Com certeza, melhor que você neste momento. Entramos em seu carro e eu assumi o volante. __ Porque bebeu tanto? __ Estou decepcionado... __ Não quer me contar? __ Uma garota. – ele disse encostando a cabeça no meu colo. 79
  • 80. Verônica ROMANCES Descontrolei-me e quase retirei o carro da estrada. Ricardo passava a mal inocentemente na minha perna. Apesar da situação, eu não poderia perder aquela oportunidade. __ Eu nunca faria isso com você. __ Eu não acredito. __ Quer uma prova? __ Seria bom. Neste momento levantei sua cabeça do meu colo e o beijei. Eu estava encantada por Ricardo. Mesmo bêbado, ele ainda era educado e encantador. Entramos em sua casa e seguimos para seu quarto. Foi uma noite maravilhosa. Ricardo era o homem da minha vida. Ele me acariciava com suas mãos firmes, 80
  • 81. VerônicaROMANCES porém suaves. Entregava-me ferozmente, mas ele era delicado, sua mão deslizava em mim sintonizada com as minhas mãos que o acariciava. Tornamos aquela noite triste, uma noite de excitação e prazer. Acordei no outro dia ás seis da manhã e percebi que não tinha sido um sonho, estava deitada ao lado de Ricardo. O beijava quando ele acordou. __O que está fazendo aqui? -ele me perguntou. __Não se lembra, passamos a noite juntos. __Como isso pode ter acontecido? -ele perguntou indignado. __Só aconteceu! -eu disse abraçando-o. __Solte-me, eu não queria fazer isso. - Ricardo disse, me empurrando. __ O que foi? 81
  • 82. Verônica ROMANCES __Saia da minha casa! -Ricardo gritou. Eu peguei meu vestido caído ao chão e me vesti. __ Aprece-se! __ Pode se acalmar! __ Preciso encontrar meu celular. Peguei meu celular e me aproximei de Ricardo. Ela parecia em choque, mas não me importei. __ Não vai me dar um beijo? __ O quê? –ele perguntou. Roubei um beijo dele e saí sorrindo. 82
  • 83. Verônica ROMANCES RICARDO Aquilo não poderia ter acontecido, agora nunca mais teria chance com Verônica depois que ela soube-se do acontecido. Eu me sentia o pior homem do mundo. __Como poderia me deixar levar por minha desilusão? - eu perguntava a mim mesmo. -E pior, Kátia estava apaixonada por mim. -pensava em como ela não se irritou, quando gritei com ela. __Está tudo bem Sr Ricardo? -Ivone apareceu com rolinhos na cabeça. __Sim Ivone, ainda é cedo pode ir deitar. Continua... 83