A homeopatia e suas bases

2.479 visualizações

Publicada em

Uma ideia geral das bases da Homeopatia.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.479
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
100
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A homeopatia e suas bases

  1. 1. A Homeopatia Uma ideia geral de suas bases
  2. 2. HOMEOPATIA Hahnemann e a Homeopatia
  3. 3. A Homeopatia: Hahnemann Em 1755 nasceu Samuel Hahnemann em Meissen, Saxônia, na atual Alemanha. Ele sistematizou o que hoje chamamos de “Homeopatia”.
  4. 4. A Homeopatia: Hahnemann Christian Friedrich Samuel Hahnemann
  5. 5. E ele foi o criador ? Depende do que. A Homeopatia: Hahnemann
  6. 6. E ele foi o criador ? Depende do que. Da lei dos semelhantes ? Não. A similitude observada por ele foi um exercício de observação, apoiado por muita leitura. Aliás, um exercício de observação muitíssimo bem feito. A Homeopatia: Hahnemann
  7. 7. Lei dos semelhantes
  8. 8. E ele foi o criador ? Depende do que. Da Homeopatia ? Sim. Foi ele que operacionalizou, foi ele que desenvolveu o método e foi ele que estabeleceu as regras. A Homeopatia: Hahnemann
  9. 9. A Homeopatia Ele começou a experimentar diversas substâncias (preparadas de uma determinada maneira) nos familiares, em amigos, para ver o que provocaram em pessoas sãs. E tudo ia anotando.
  10. 10. A Homeopatia Percebeu que se diluísse as doses, os sintomas ficavam menos violentos e mais diferenciados. E eram diferentes de uma simples intoxicação.
  11. 11. A Homeopatia E, não se sabe exatamente de onde tirou a ideia (embora haja algumas hipóteses): começou a dinamizar as substâncias e percebeu (ou comprovou), que substâncias antes inertes despertavam sintomas nas pessoas que a experimentavam.
  12. 12. A Homeopatia E conforme suas anotações foram aumentando, observava que várias pessoas apresentavam sintomas semelhantes quando experimentavam a mesma substância.
  13. 13. A Homeopatia Epa! Coincidência ou um grande achado ?
  14. 14. A Homeopatia E viu que esta determinada substância curava pessoas que apresentavam estes grupo de sintomas em suas doenças. Não era mais coincidência. Ele tinha achado algo grande.
  15. 15. A Homeopatia E viu que esta determinada substância curava pessoas que apresentavam estes grupo de sintomas em suas doenças. Não era mais coincidência. Ele tinha achado algo grande. Isto era uma terapêutica.
  16. 16. HOMEOPATIA As bases da Homeopatia
  17. 17. A Homeopatia E quais são as suas bases?
  18. 18. A Homeopatia Bases Determinadas substâncias são classificadas como medicamentos, de acordo com a sua capacidade de provocar sintomas significativos em pessoas saudáveis. [uso da lei dos semelhantes em medicamentos]
  19. 19. A Homeopatia Bases O uso de pequenas doses. [não se queria matar por intoxicação nem o paciente e nem o experimentador]
  20. 20. A Homeopatia Bases [A dinamização] "sacudidas“ (com “batidas” na palma da mão ou outro “aparador” ou mesmo máquinas) para fazer serem ativas substâncias inativas e/ou para homogeneizar substâncias insolúveis em água/álcool e "melhorá-las".
  21. 21. A Homeopatia Bases [A dinamização]
  22. 22. A Homeopatia Bases Experimentar as substâncias“ candidatas a medicamento” em indivíduos saudáveis ( os experimentadores) seguindo regras pré-estabelecidas. [A Experimentação]
  23. 23. A Homeopatia Bases E experimentar uma substância de cada vez como um todo para não atrapalhar e nem confundir os resultados. (neste caso uma substância composta ou uma “fórmula” seriam também considerados ‘uma substância’) [A Experimentação]
  24. 24. A Homeopatia Bases ...e fazer anotações de todos os sintomas dos medicamentos experimentados, para que estes poderem ser usados quando fossem procurar sintomas relatados por doentes. [matérias médicas e repertórios]
  25. 25. HOMEOPATIA Como usa esta terapêutica
  26. 26. A Homeopatia E como se usa esta terapia nos doentes ?
  27. 27. A Homeopatia E como se usa esta terapia nos doentes ? Escuta-se tudo o que o paciente diz, suas queixas, observa-se seu temperamento, seu modo de ser e viver quando está saudável e quando doente, sua patologia. Anota-se, escolhe-se os sintomas mais significativos, os que chamam mais a atenção para a individualidade do doente.
  28. 28. A Homeopatia E como se usa esta terapia nos doentes ? Daí se escolhe o medicamento que mais se encaixe no quadro, medicando-o, e faz-se outras orientações que forem necessárias. E no caso de Hahnemann, os pacientes melhoravam.
  29. 29. A Homeopatia E algumas coisas lhe chamaram atenção, uma já do tempo que ele tinha iniciado as experimentações : Quando experimentava as substâncias em pessoas, apareciam sintomas aparentemente sem utilidade em seu total, como por exemplo: - dor latejante, as 4 horas da tarde, no joelho esquerdo.
  30. 30. A Homeopatia Está bem, foi anotado. E qual não foi a grata surpresa quando este tipo de relato de sintomas também foram observados em relatos de doentes!
  31. 31. A Homeopatia Então quer dizer que estas sensações, estes "sentires" aparentemente malucos e que tradicionalmente são só para escutar (e não serem mais lembrados) servem também para medicar ? E não é que serviam? !
  32. 32. A Homeopatia E que interessante, individualizavam o ser! Pois enquanto um poderia ter dor latejante as 4 horas da tarde, no joelho esquerdo, outro poderia ter dor queimante no joelho esquerdo quando levantasse pela manhã.
  33. 33. A Homeopatia E um poderia ter a indicação de um medicamento; e o outro, a indicação de um outro, mesmo com os dois tendo dor no joelho esquerdo !
  34. 34. A Homeopatia Então os modos que as queixas são feitas, as características destas queixas, o MODALIZAR, individualizam o ser tratado ? Sim.
  35. 35. A Homeopatia E usando-se substâncias diluídas e dinamizadas para a experimentação, apareciam cada vez mais sintomas individualizantes, diferentes dos sintomas do tipo “intoxicação”. E que diferenciavam mais um medicamento de outro medicamento. E estes sintomas também apareciam em relatos de pacientes.
  36. 36. A Homeopatia Alguns sintomas que os experimentadores relatavam, quando estavam experimentando uma substância, apareciam com mais freqüência, eram relatados por vários experimentadores. Isto foi formando o que se chama o "núcleo" do medicamento, o que o caracteriza mais, inclusive com sintomas mentais, sonhos, sensações, etc.
  37. 37. A Homeopatia E uma insatisfação : Hahnemann colhia com cuidado o relato de seus pacientes, elegia com cuidado o medicamento, os medicava e eles ficavam bons. Que ótimo ! Diriam todos.
  38. 38. A Homeopatia E uma insatisfação : Hahnemann colhia com cuidado o relato de seus pacientes, elegia com cuidado o medicamento, os medicava e eles ficavam bons. Que ótimo ! Diriam todos. Mais ou menos, começou a pensar Hahnemann. Porque eles, depois de um certo tempo, adoeciam novamente, mesmo que fossem com doenças que nada tinham a ver com a doença que ele havia cuidado. Mas porque eles adoeciam novamente?
  39. 39. A Homeopatia Mas porque eles adoeciam novamente?
  40. 40. A Homeopatia Deu um "nó em seu raciocínio", pois, se ele curou seu paciente, por que ele voltou a adoecer ? Será que seria seu tipo de vida ? Algo nele fazia-o adoecer ?
  41. 41. A Homeopatia E ele começou a prestar atenção na vida toda de seus pacientes e a achar que eles já estavam doentes muito antes de se acharem doentes e irem até ele… e começou a cuidar deles desta maneira, e vê-los de um outro modo.
  42. 42. A Homeopatia E ele começou a prestar atenção na vida toda de seus pacientes e a achar que eles já estavam doentes muito antes de se acharem doentes e irem até ele… e começou a cuidar deles desta maneira, e vê-los de um outro modo. Mas isso é outra história, para ser contada em um outro momento.
  43. 43. HOMEOPATIA Os medicamentos e a matéria médica
  44. 44. A Homeopatia Diversas substâncias foram experimentadas separadamente em indivíduos sãos e, nestes indivíduos, estas substâncias ocasionaram sintomas que não apresentavam normalmente em sua vida .
  45. 45. A Homeopatia Estes sintomas que estas substâncias (seguindo um protocolo de experimentação) despertaram nestes indivíduos foram anotados (de cada substância em separado) e colocados a disposição dos clínicos em livros chamados 'matérias médicas'. “Os sintomas de cada substância” = medicamento
  46. 46. A Homeopatia A um doente que apresente sintomas (e uma dinâmica destes sintomas) que seja semelhante à de um medicamento, este medicamento lhe é dado para curar a sua doença.
  47. 47. A Homeopatia Como fazer uma matéria médica homeopática: Experimenta-se uma substância ( substância 1) em um indivíduo são. E ocorre o seguinte:
  48. 48. Substância 1 O indivíduo 1 apresenta o Sintoma 1, o Sintoma 2 e o Sintoma 3. O indivíduo 2 apresenta o Sintoma 3, o Sintoma 4 e o Sintoma 2. O indivíduo 3 apresenta o Sintoma 1, o Sintoma 5 e o Sintoma 3. O indivíduo 4 apresenta o Sintoma 2 e o Sintoma 5.
  49. 49. Substância 1 O indivíduo 1 apresenta o Sintoma 1, o Sintoma 2 e o Sintoma 3. O indivíduo 2 apresenta o Sintoma 3, o Sintoma 4 e o Sintoma 2. O indivíduo 3 apresenta o Sintoma 1, o Sintoma 5 e o Sintoma 3. O indivíduo 4 apresenta o Sintoma 2 e o Sintoma 5. Com esse material ( os sintomas obtidos) se faz a Matéria Médica Homeopática , que é um livro de relato das características e sintomas que as substâncias despertam nos experimentadores, listados por substâncias (essa é a Matéria Médica Pura): Substância 1 : relatos dos sintomas 1, 2,3,4,5, e idealmente com descrição dos experimentadores e seus relatos de como sentiram os sintomas ( MM pura). Substância 2; 3, …etc.
  50. 50. HOMEOPATIA A consulta
  51. 51. A Homeopatia Como é feita a Consulta : 1) existe um doente com sintomas 1;3;4 2) a MM homeopática é consultada 3) é achado como diagnóstico medicamentoso a substância 1 4) o paciente é medicado 5) ocorre a cura ou então procura-se outro medicamento mais adequado Este é o básico.
  52. 52. A Homeopatia Partindo disso: existem homeopatas que preferem medicar por sintomas mentais, por sintomas de temperamento, sintomas de constituição física característica, E outros ...
  53. 53. A Homeopatia ... mas a Homeopatia tradicional, de seu fundador, Samuel Hahnemann, e de seus seguidores clássicos, é aquela em que é feita uma consulta em que são coletados dados relevantes de toda sua vida, feito um minucioso exame físico, diagnósticos são feitos, inclusive da doença, e ...
  54. 54. A Homeopatia ... e os dados relevantes para o clinico são usados para se chegar a um medicamento; e maus hábitos de vida são corrigidos para que fatores que possam estar ajudando na manutenção da doença não atrapalhem o tratamento, ou pelo menos se tenha consciência que eles estão e vão atrapalhar.
  55. 55. HOMEOPATIA Medicamentos homeopáticos e suas apresentações
  56. 56. A Homeopatia O medicamento homeopático
  57. 57. HOMEOPATIA Tipos de sintomas
  58. 58. A Homeopatia Alguns tipos de sintomas: Vamos colocar a seguir vários tipos de sintomas que um ser apresenta. Todos eles podem ser aproveitados na Homeopatia, dependendo da linha homeopática que o clínico siga. Pode-se inclusive intervir medicamentosamente em diversos níveis, tanto diretamente quanto indiretamente.
  59. 59. A Homeopatia Alguns tipos de sintomas: • Sintomas constitucionais, de sua constituição física, • Sintomas mentais, sintomas esses que expressem temperamento e/ou estados de espírito e/ou suas paixões e/ou várias coisas. • Sintomas físicos, gerais e particulares. • Sintomas fisiopatológicos, sejam macroscópicos, ou bioquímicos ou celulares, etc. • Sintomas biopatográficos, sintomas que mudaram a vida do ser, adoecendo-o inclusive. Algo que em determinada fase de sua vida o muda. Esse tipo de sintoma leva em conta toda a vida do ser.
  60. 60. HOMEOPATIA ‘tipos’ de homeopatia
  61. 61. A Homeopatia "Tipos de Homeopatia" Estas duas visões contemplam as duas principais linhas de Homeopatia, que caricaturalmente são resumidas como :
  62. 62. A Homeopatia Um unicista é "aquele clinico que pede que você conte tudo que aconteceu e acontece na sua vida - 'até a cor das meias que uso' - , não faz exame físico, diz que exames complementares são desnecessários sempre, que não é preciso fazer diagnóstico nosológico (da doença), receita um medicamento, e acha sempre que você ter uma ferida de 10 centímetros de diâmetro e arder em febre por 10 dias é um ótimo sinal de agravação. E ainda diz que por isso deve ser deixado como está".
  63. 63. A Homeopatia E que pluralista à francesa é "aquele que olha para você, conversa quinze minutos e lhe dá como receita um calhamaço de receitas com 30 medicamentos para tomar a cada 10 minutos" .
  64. 64. A Homeopatia "Tipos de Homeopatia" Essas definições poderiam ser usadas somente como esquetes de programa humorístico. São o exagero dos exageros e embora possam existir clínicos assim, não é o que se deseja formar nos cursos ou se ter como seu médico homeopata.
  65. 65. A Homeopatia "Tipos de Homeopatia" Os unicistas são aqueles que preferencialmente usam um só medicamento por vez para tratar de seu paciente, aliados ou não à outras estratégias terapêuticas.
  66. 66. A Homeopatia "Tipos de Homeopatia" Os hahnemannianos são aqueles que seguem a linha teórica construída por Hahnemann, assim como vários outros homeopatas seguem a linha de consulta de outros homeopatas clássicos.
  67. 67. A Homeopatia "Tipos de Homeopatia" E alguém que siga a Homeopatia tradicional francesa, conhecidos por pluralistas, trabalha mais com constituição e fisiopatologia do indivíduo, de uma espécie ou de uma população.
  68. 68. A Homeopatia "Tipos de Homeopatia" Mas seja qual linha eles sigam, o que sempre se busca é a excelência em sua atuação. E isto deve valer para qualquer profissão que se exerça.
  69. 69. A Homeopatia Notem que se colocam pré-requisitos para se caracterizar a Homeopatia: terapêutica bem fundamentada, não supressiva, análise do todo. E isto se aplica à toda clínica homeopática, por que senão seria uma bagunça completa.
  70. 70. A Homeopatia Notem que foram colocados pré-requisitos para se caracterizar a Homeopatia (seja ela na clínica veterinária ou não) : terapêutica bem fundamentada, não supressiva, análise do todo. E isto se aplica à toda clínica homeopática, por que senão seria uma bagunça completa. O que se pressupõe com isso é que ela seja bem fundamentada e que tenha teorias desenvolvidas em cima de experiências bem feitas.
  71. 71. A Homeopatia Notem que foram colocados pré-requisitos para se caracterizar a Homeopatia (seja ela na clínica veterinária ou não) : terapêutica bem fundamentada, não supressiva, análise do todo. E isto se aplica à toda clínica homeopática, por que senão seria uma bagunça completa. O que se pressupõe com isso é que ela seja bem fundamentada e que tenha teorias desenvolvidas em cima de experiências bem feitas. E isso vale para qualquer clínica, de qualquer terapêutica, que seja realizada em qualquer ser vivo.
  72. 72. A Homeopatia Teorias bem fundamentadas e bem feitas (no sentido de forma) e sua clínica dispensam 'gostares'. Ou são bem feitas ou não. Não cabe 'gostar' ou 'não gostar'.
  73. 73. A Homeopatia Teorias bem fundamentadas e bem feitas (no sentido de forma) e sua clínica dispensam 'gostares'. Ou são bem feitas ou não. Não cabe 'gostar' ou 'não gostar'. O que se pode ( e deve) exigir é a boa formação de seus clínicos.
  74. 74. A Homeopatia Para saber mais, consultem: ‘Regras e precauções contra acidentes em Homeopatia, válido para aplicadores e usuários’. http://portaldehomeopatia.com.br/precaucoes-contra- acidentes.htm HOMEOPATIA Uma visão para veterinários e outros profissionais http://portaldehomeopatia.com.br/oqueehhomeopatia.htm Glossário de Homeopatia http://portaldehomeopatia.com.br/homeglos.htm

×