SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Disciplina: Entomologia
Acadêmicos: Giovanne Aguiar; Naykon Carvalho
“Hetero” = diferente;
“ptera” = asas
• São pragas agrícolas. Percevejo
formigão, Neomegalotomus parvus e o Barriga-Verde,
Dichelops melacanthus;
Em 2014, o ataque de percevejos causou prejuízo de até 20%
na segunda safra de milho, em Londrina, (PR).
• Podisus spp. é predador de lagarta; (Controle
biológico)
• E possui uma espécie altamente nociva ao homem;
Barbeiro, Triatoma infestans. Causador da Doença de
Chagas.
• 8: olho
composto;
• 9: antena;
• 10: Clípeo;
• 11: lábio;
• 12: búcula;
• 13: antenífero;
• 14: garganta;
• 15: rostro
(labium);
• 5 : trocânter;
• 6 : coxa;
• 7 : mesosterno;
• 15 : rostro (labium);
• 16 :propleurão;
• 17 :mesopleurão;
• 18 : eferente da
glândula perfumada;
• 19 : área
evaporativa;
• 20 : metapleurão;
• 1 : garras;
• 2 : tarso;
• 3 : tíbia;
• 4 : fêmur;
• 21 : urosternite;
• 22 :espiraisabdom
inais;
• 23 : laterotergite;
• 24 : gonapófise.
23 : laterotergites;
25 : pronotum;
26 : scutellum;
27 : clavus;
28 : corium;
29 : embolium;
30 : membrana.
• Os Hemipteros, em geral, reproduzem-se por anfigonia e são
ovíparos.
Há, entretanto, espécies vivíparas (Polyctenidae).
• Os ovos podem diferir no aspecto e no tipo de estrutura do
chorion.
• Ora são postos separadamente, ora colados, um ao lado
do outro.
• As espécies fitófagas fazem as posturas sobre as
folhas
• Os Hemipteros são
paurometabólicos;
• Passam por cinco ecdises,
até o inseto atingir a fase
adulta;
• após a quinta ou última
muda, quando o inseto fica
adulto, que os tarsos, até
então de dois artículos,
passam a ter três;
• Também é nessa ocasião
que desaparecem as
glândulas odoríferas
abdominais, sendo
substituidas pela glândula
metatoráxica.
 O percevejo-de-cama é um hematófago, ou seja, se alimenta
de sangue de humanos e outros animais;
Cimex lectularius
 Embora não transmitam doenças, eles são conhecidos por
causar efeitos como, erupções cutâneas, efeitos psicológicos
e sintomas alérgicos;
 Reconhecidos desde a Grécia antiga há 400 a. C.;
 A fêmea põe até 500 ovos na vida adulta e seu ciclo de vida é
de 40 dias se bem alimentado;
Família: Cimicidae
 produzem um líquido
com aquele odor fétido
de hidrocarbonetos.
 Para a maioria dos
predadores, o gosto é
tão ruim quanto o cheiro
 Maria-fedida: rica em vitamina
B, este inseto é devorado por
mexicanos e sul-africanos, que
mergulham a maria-fedida em
água quente para remover seu
aroma ruim antes de comer.
São apreciados como recheios
de tacos no México e
consumidos cozidos e
desidratados na África, como
petiscos. O sabor é uma
mistura de canela e iodo
 Apesar do nome vulgar, não
são baratas, no sentido estrito,
mas na verdade grandes
"barbeiros"
 Se alimentam de caramujos,
lesmas, girinos, salamantras,
pequenos peixes e outros
insetos, sugando seus líquidos
orgânicos.
 Belostomatidae é uma família de hemípteros que
inclui as espécies de insetos aquáticos.
 Em milho, a espécie Geocoris
punctipes é muito comum na espiga,
predando ovos e lagartas
de Helicoverpa zea.
PercevejoOrius
 No Brasil, são conhecidas acima de 65 espécies transmissoras
da doença de Chagas.
Triatoma infestans
 São encontrados principalmente nas casas de pau-a-pique
 Os barbeiros são hematófagos
 Este inseto recebe esse nome, porque tem hábito
noturno e, quando sai a procura de sangue, o local de
mais fácil acesso é o rosto da pessoa.
 Cerca de 20 dias após a primeira e a última cópula, a
fêmea libera, aproximadamente, 200 ovos.
Entomologia Agrícola - Heteroptera

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bancos de germoplasma
Bancos de germoplasma Bancos de germoplasma
Bancos de germoplasma
Diogo Provete
 
Ordem dos insetos
Ordem dos insetosOrdem dos insetos
Ordem dos insetos
Miragaia
 

Mais procurados (20)

Entomologia
EntomologiaEntomologia
Entomologia
 
Aula 10 plantas c3 c4 cam pdf
Aula 10 plantas c3 c4 cam pdfAula 10 plantas c3 c4 cam pdf
Aula 10 plantas c3 c4 cam pdf
 
Folhas 2012 aula
Folhas 2012 aulaFolhas 2012 aula
Folhas 2012 aula
 
DIFERENÇAS FISIOLÓGICAS
DIFERENÇAS FISIOLÓGICASDIFERENÇAS FISIOLÓGICAS
DIFERENÇAS FISIOLÓGICAS
 
Apostila MIP (Manejo Integrado de Pragas)
Apostila MIP (Manejo Integrado de Pragas)Apostila MIP (Manejo Integrado de Pragas)
Apostila MIP (Manejo Integrado de Pragas)
 
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do MilhoCultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
 
Sistema sensorial
Sistema sensorialSistema sensorial
Sistema sensorial
 
Bancos de germoplasma
Bancos de germoplasma Bancos de germoplasma
Bancos de germoplasma
 
Morfologia das Abelhas e Sistemas
Morfologia das Abelhas e SistemasMorfologia das Abelhas e Sistemas
Morfologia das Abelhas e Sistemas
 
Banana Doenças
Banana DoençasBanana Doenças
Banana Doenças
 
Reguladores de crescimento, desfolhantes e maturadores
Reguladores de crescimento, desfolhantes e maturadoresReguladores de crescimento, desfolhantes e maturadores
Reguladores de crescimento, desfolhantes e maturadores
 
Classe insecta
Classe insectaClasse insecta
Classe insecta
 
Formação de fruto e semente
Formação de fruto e sementeFormação de fruto e semente
Formação de fruto e semente
 
Biologia das Abelhas
Biologia das Abelhas Biologia das Abelhas
Biologia das Abelhas
 
Morfologia externa tórax e abdome
Morfologia externa   tórax e abdomeMorfologia externa   tórax e abdome
Morfologia externa tórax e abdome
 
Anatomia da apis mellifera
Anatomia da apis melliferaAnatomia da apis mellifera
Anatomia da apis mellifera
 
Cana de-açucar
Cana de-açucarCana de-açucar
Cana de-açucar
 
Ordem dos insetos
Ordem dos insetosOrdem dos insetos
Ordem dos insetos
 
Morfologia externa cabeça e apêndices cefálicos
Morfologia externa   cabeça e apêndices cefálicosMorfologia externa   cabeça e apêndices cefálicos
Morfologia externa cabeça e apêndices cefálicos
 
Morfologia floral
Morfologia floralMorfologia floral
Morfologia floral
 

Semelhante a Entomologia Agrícola - Heteroptera

Aula 1 reino protista
Aula 1  reino protistaAula 1  reino protista
Aula 1 reino protista
Neila
 

Semelhante a Entomologia Agrícola - Heteroptera (20)

Artrópodes.pdf
Artrópodes.pdfArtrópodes.pdf
Artrópodes.pdf
 
Reino animal
Reino animalReino animal
Reino animal
 
Caramujo africano
Caramujo africanoCaramujo africano
Caramujo africano
 
artro_1not2010.ppt
artro_1not2010.pptartro_1not2010.ppt
artro_1not2010.ppt
 
Seminário bivalves
Seminário bivalvesSeminário bivalves
Seminário bivalves
 
Copepodas
CopepodasCopepodas
Copepodas
 
Muscomorphas
MuscomorphasMuscomorphas
Muscomorphas
 
Filo platyhelminthes e Nematoda
Filo platyhelminthes e NematodaFilo platyhelminthes e Nematoda
Filo platyhelminthes e Nematoda
 
Filo mollusca
Filo molluscaFilo mollusca
Filo mollusca
 
Reino protoctista
Reino protoctistaReino protoctista
Reino protoctista
 
Colchonilhas e Pragas derivadas.pdf
Colchonilhas e Pragas derivadas.pdfColchonilhas e Pragas derivadas.pdf
Colchonilhas e Pragas derivadas.pdf
 
RESUMO ANFIBIOS E REPTEIS.pptx
RESUMO ANFIBIOS E REPTEIS.pptxRESUMO ANFIBIOS E REPTEIS.pptx
RESUMO ANFIBIOS E REPTEIS.pptx
 
Morcegos 2º D
Morcegos 2º DMorcegos 2º D
Morcegos 2º D
 
Família Formicidae
Família FormicidaeFamília Formicidae
Família Formicidae
 
Aula 02 principios_basicos_de_sanidade_de_peixes
Aula 02 principios_basicos_de_sanidade_de_peixesAula 02 principios_basicos_de_sanidade_de_peixes
Aula 02 principios_basicos_de_sanidade_de_peixes
 
Guia de Bolso Animais Peçonhentos Digital.pdf
Guia de Bolso Animais Peçonhentos Digital.pdfGuia de Bolso Animais Peçonhentos Digital.pdf
Guia de Bolso Animais Peçonhentos Digital.pdf
 
Seminário MGME Ciências - APIAI (2)
Seminário MGME Ciências - APIAI (2)Seminário MGME Ciências - APIAI (2)
Seminário MGME Ciências - APIAI (2)
 
Aula 1 reino protista
Aula 1  reino protistaAula 1  reino protista
Aula 1 reino protista
 
Controle de pombos urbanos
Controle de pombos urbanosControle de pombos urbanos
Controle de pombos urbanos
 
Protozoários.
Protozoários.Protozoários.
Protozoários.
 

Último

ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 

Último (20)

APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 

Entomologia Agrícola - Heteroptera

  • 2. “Hetero” = diferente; “ptera” = asas • São pragas agrícolas. Percevejo formigão, Neomegalotomus parvus e o Barriga-Verde, Dichelops melacanthus; Em 2014, o ataque de percevejos causou prejuízo de até 20% na segunda safra de milho, em Londrina, (PR). • Podisus spp. é predador de lagarta; (Controle biológico) • E possui uma espécie altamente nociva ao homem; Barbeiro, Triatoma infestans. Causador da Doença de Chagas.
  • 3.
  • 4. • 8: olho composto; • 9: antena; • 10: Clípeo; • 11: lábio; • 12: búcula; • 13: antenífero; • 14: garganta; • 15: rostro (labium);
  • 5. • 5 : trocânter; • 6 : coxa; • 7 : mesosterno; • 15 : rostro (labium); • 16 :propleurão; • 17 :mesopleurão; • 18 : eferente da glândula perfumada; • 19 : área evaporativa; • 20 : metapleurão;
  • 6. • 1 : garras; • 2 : tarso; • 3 : tíbia; • 4 : fêmur; • 21 : urosternite; • 22 :espiraisabdom inais; • 23 : laterotergite; • 24 : gonapófise.
  • 7. 23 : laterotergites; 25 : pronotum; 26 : scutellum; 27 : clavus; 28 : corium; 29 : embolium; 30 : membrana.
  • 8. • Os Hemipteros, em geral, reproduzem-se por anfigonia e são ovíparos. Há, entretanto, espécies vivíparas (Polyctenidae). • Os ovos podem diferir no aspecto e no tipo de estrutura do chorion. • Ora são postos separadamente, ora colados, um ao lado do outro. • As espécies fitófagas fazem as posturas sobre as folhas
  • 9. • Os Hemipteros são paurometabólicos; • Passam por cinco ecdises, até o inseto atingir a fase adulta; • após a quinta ou última muda, quando o inseto fica adulto, que os tarsos, até então de dois artículos, passam a ter três; • Também é nessa ocasião que desaparecem as glândulas odoríferas abdominais, sendo substituidas pela glândula metatoráxica.
  • 10.  O percevejo-de-cama é um hematófago, ou seja, se alimenta de sangue de humanos e outros animais; Cimex lectularius  Embora não transmitam doenças, eles são conhecidos por causar efeitos como, erupções cutâneas, efeitos psicológicos e sintomas alérgicos;  Reconhecidos desde a Grécia antiga há 400 a. C.;  A fêmea põe até 500 ovos na vida adulta e seu ciclo de vida é de 40 dias se bem alimentado; Família: Cimicidae
  • 11.  produzem um líquido com aquele odor fétido de hidrocarbonetos.  Para a maioria dos predadores, o gosto é tão ruim quanto o cheiro  Maria-fedida: rica em vitamina B, este inseto é devorado por mexicanos e sul-africanos, que mergulham a maria-fedida em água quente para remover seu aroma ruim antes de comer. São apreciados como recheios de tacos no México e consumidos cozidos e desidratados na África, como petiscos. O sabor é uma mistura de canela e iodo
  • 12.  Apesar do nome vulgar, não são baratas, no sentido estrito, mas na verdade grandes "barbeiros"  Se alimentam de caramujos, lesmas, girinos, salamantras, pequenos peixes e outros insetos, sugando seus líquidos orgânicos.  Belostomatidae é uma família de hemípteros que inclui as espécies de insetos aquáticos.
  • 13.  Em milho, a espécie Geocoris punctipes é muito comum na espiga, predando ovos e lagartas de Helicoverpa zea. PercevejoOrius
  • 14.  No Brasil, são conhecidas acima de 65 espécies transmissoras da doença de Chagas. Triatoma infestans  São encontrados principalmente nas casas de pau-a-pique  Os barbeiros são hematófagos  Este inseto recebe esse nome, porque tem hábito noturno e, quando sai a procura de sangue, o local de mais fácil acesso é o rosto da pessoa.  Cerca de 20 dias após a primeira e a última cópula, a fêmea libera, aproximadamente, 200 ovos.