SlideShare uma empresa Scribd logo
Inseticidas
Carbamatos e Piretróides
Agosto
2021
Nilo Rocha Oliveira Cabral
Agronomia - 9º Período – UFG
Equipe de Marketing – GETA
SUMÁRIO
 Sistema Nervoso dos Insetos;
 Carbamatos;
 Produtos Comerciais – Carbamatos;
 Impulso Nervoso – Sódio e Potássio;
 Piretróides;
 Produtos Comerciais – Piretróides;
 Referências.
Sistema Nervoso dos Insetos
 Maioria dos Inseticidas
atuam no sistema
nervoso;
 Célula nervosa: Neurônio;
 Têm por função
propagar o impulso
nervoso;
 É composto por um longo
filamento: Axônio.
Fonte:
Só
biologia.
Fonte: Pragas e Eventos.
Sistema Nervoso dos Insetos
 O contato entre
neurônios ocorre através
das sinapses;
 Sinapses: Têm por função
transmitir o impulso
nervoso de um neurônio
para outro;
 Nas sinapses, existem
alguns tipos de
neurotransmissores.
Fonte:
Brasil
Escola.
Acetilcolina
Sistema Nervoso dos Insetos
 Após a excitação da Acetilcolina
para a transmissão do impulso
nervoso, ela necessita retornar
para o neurônio para que este,
volte a ficar em repouso;
 O retorno é realizado pela
Acetilcolinesterase;
Fonte: Intertox.
Acetilcolina  Colina + Acetato.
Sistema Nervoso dos Insetos
Fonte:
Dr.
Ricardo
Soares
Matias.
Carbamatos
 São praguicidas orgânicos derivados do ácido carbâmico;
 Divididos em: Carbamatos Herbicidas, Carbamatos Fungicidas e
Carbamatos Inseticidas;
 Os Carbamatos Inseticidas são derivados do éster de ácido
carbâmico;
 Compostos instáveis.
Fonte: InfoEscola.
Carbamatos
 Modo de ação:
 Contato e Ingestão;
 Agem inibindo a Enzima
Acetilcolinesterase;
 Aumentam a taxa
respiratória dos insetos;
Fonte: Intertox.
Provando a morte dos
insetos por exaustão.
Carbamatos
Fonte
Youtube,
canal
Larry
Keeley.
Carbamatos – Produtos Comerciais
Fonte: Sementes Stocker.
 Lannate BR (DUPONT);
 Ingrediente Ativo: Metomil;
 Formulação: Concentrado Solúvel (SL);
 Aplicação: Aérea.
Carbamatos – Produtos Comerciais
Fonte: Bula Lannate ADAPAR.
Fonte: Bula Lannate ADAPAR.
Carbamatos – Produtos Comerciais
 Metomil 215 SL (NORTOX);
 Ingrediente Ativo: Metomil;
 Formulação: Concentrado Solúvel (SL);
 Aplicação: Aérea.
Fonte: Nortox.
Carbamatos – Produtos Comerciais
Fonte: Bula Metomil 215 SL NORTOX.
Fonte: Bula Metomil 215 SL NORTOX.
Carbamatos – Produtos Comerciais
 Methomex 215 SL (ADAMA);
 Ingrediente Ativo: Metomil;
 Formulação: Concentrado Solúvel (SL);
 Aplicação: Aérea.
Fonte: Adama.
Carbamatos – Produtos Comerciais
Fonte: Bula Methomex 215 SL ADAMA.
Fonte: Bula Methomex 215 SL ADAMA.
Dúvidas?
Impulso Nervoso - Sódio e Potássio
 A propagação do Impulso
nervoso ao longo do axônio
é dependente da entrada e
saída de Na e K da
membrana;
 Com a polarização e
despolarização ao longo da
membrana (Excitação)
ocorre a transmissão do
impulso nervoso.
Fonte: Proenem.
Piretróides
 Compostos extraídos das flores de
crisântemo;
 Possuem alta eficiência de
controle;
 doses de I.A;
 Produtos com toxicidade baixa;
 Utilizados como pesticidas
domésticos. Fonte: Só flor.
Piretróides
 Modo de Ação:
 Manutenção dos canais de Na abertos
deixando a célula sempre excitada;
 Sintomas nos Insetos:
 Transmissão de impulsos repetitivos e
descontrolados, promovendo uma
hiperexcitabilidade;
 Efeito “knockdown”;
Perda da postura locomotora,
paralisia e posterior morte.
Fonte: Baygon.
Piretróides
Fonte:
Youtube,
canal
Larry
Keeley.
Piretróides
Fonte:
Dr.
Ricardo
Soares
Matias.
Piretróides – Produtos Comerciais
 Karate Zeon 50 CS (SYNGENTA);
 Ingrediente Ativo: Lambda-cialotrina;
 Formulação: Suspensão de
Encapsulado (CS);
 Aplicação: Aérea.
Fonte: Agrowap.
Piretróides – Produtos Comerciais
Fonte: Bula Karate Zeon 50CS - ADAPAR.
Fonte: Bula Karate Zeon 50CS - ADAPAR.
Piretróides – Produtos Comerciais
 Engeo Pleno S (SYNGENTA);
 Conjungado Comercial;
 Ingrediente Ativo: Lambda-cialotrina e
Tiametoxam;
 Formulação: Suspensão de
Encapsulado (CS) e Suspensão
concentrada (SC);
 Aplicação: Aérea.
Fonte: HF Sementes.
Piretróides – Produtos Comerciais
Fonte: Bula Engeo Pleno S - ADAPAR.
Fonte: Bula Engeo Pleno S - ADAPAR.
Dúvidas?
REFERÊNCIAS
• Mais soja – Como funcionam os inseticidas carbamatos e organofosforados.
Disponível em: <https://maissoja.com.br/como-funcionam-os-inseticidas-
carbamatos-e-organofosforados/> Acesso: Agosto, 2021;
• Boas Práticas Agronômicas – Inseticidas - Alinhados no controle de Insetos-praga.
Disponível em: <https://boaspraticasagronomicas.com.br/artigos/inseticidas/>
Acesso em: Agosto, 2021;
• Matias R. S. COMO AGEM OS INSETICIDAS NOS INSETOS. Disponível em:
<http://www.ifcursos.com.br/sistema/admin/arquivos/17-38-11-
c0m0agem0sinseticidasn0sinset0s.pdf> Acesso em: Agosto, 2021.
• Fonseca A. CLASSIFICAÇÃO DOS ECTOPARASITAS. Disponível em:
<http://r1.ufrrj.br/adivaldofonseca/wp-content/uploads/2014/06/classificacao-dos-
ectoparasiticidas.pdf> Acesso em: Agosto, 2021.
Nilo Rocha Oliveira Cabral
Agronomia - 9º Período – UFG
Equipe de Marketing - GETA
geta.ufg@gmail.com
Obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Herbicidas
HerbicidasHerbicidas
Herbicidas
Geagra UFG
 
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
Geagra UFG
 
Tomate
TomateTomate
Organofosforados e Carbamatos
Organofosforados e CarbamatosOrganofosforados e Carbamatos
Organofosforados e Carbamatos
Geagra UFG
 
Ecologia de insetos
Ecologia de insetosEcologia de insetos
Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas
Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas
Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas
Geagra UFG
 
Mecanismos de ação de herbicidas
Mecanismos de ação de herbicidasMecanismos de ação de herbicidas
Mecanismos de ação de herbicidas
Geagra UFG
 
Fungicidas
FungicidasFungicidas
Fungicidas
Geagra UFG
 
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃOMANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
Geagra UFG
 
Biorreguladores vegetais
Biorreguladores vegetaisBiorreguladores vegetais
Biorreguladores vegetais
GETA - UFG
 
Fungicida no Milho
Fungicida no MilhoFungicida no Milho
Fungicida no Milho
AM Placas Ltda. Placas
 
Manejo de Pragas da Soja
Manejo de Pragas da SojaManejo de Pragas da Soja
Manejo de Pragas da Soja
Geagra UFG
 
Introdução ao Manejo de Herbicidas
Introdução ao Manejo de Herbicidas Introdução ao Manejo de Herbicidas
Introdução ao Manejo de Herbicidas
Geagra UFG
 
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIROMORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
Geagra UFG
 
Sistema glandular
Sistema glandularSistema glandular
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
Geagra UFG
 
Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...
Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...
Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...
GETA - UFG
 
Plantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controlePlantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controle
Geagra UFG
 
Regulação hormonal do algodoeiro
Regulação hormonal do algodoeiro Regulação hormonal do algodoeiro
Regulação hormonal do algodoeiro
Geagra UFG
 
MIP NO ALGODÃO
MIP NO ALGODÃOMIP NO ALGODÃO
MIP NO ALGODÃO
Geagra UFG
 

Mais procurados (20)

Herbicidas
HerbicidasHerbicidas
Herbicidas
 
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
 
Tomate
TomateTomate
Tomate
 
Organofosforados e Carbamatos
Organofosforados e CarbamatosOrganofosforados e Carbamatos
Organofosforados e Carbamatos
 
Ecologia de insetos
Ecologia de insetosEcologia de insetos
Ecologia de insetos
 
Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas
Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas
Caracterização de Produtos Químicos - Fungicidas
 
Mecanismos de ação de herbicidas
Mecanismos de ação de herbicidasMecanismos de ação de herbicidas
Mecanismos de ação de herbicidas
 
Fungicidas
FungicidasFungicidas
Fungicidas
 
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃOMANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
 
Biorreguladores vegetais
Biorreguladores vegetaisBiorreguladores vegetais
Biorreguladores vegetais
 
Fungicida no Milho
Fungicida no MilhoFungicida no Milho
Fungicida no Milho
 
Manejo de Pragas da Soja
Manejo de Pragas da SojaManejo de Pragas da Soja
Manejo de Pragas da Soja
 
Introdução ao Manejo de Herbicidas
Introdução ao Manejo de Herbicidas Introdução ao Manejo de Herbicidas
Introdução ao Manejo de Herbicidas
 
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIROMORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
 
Sistema glandular
Sistema glandularSistema glandular
Sistema glandular
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
 
Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...
Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...
Apresentação Inseticidas - Inibidores da Respiração Celular e Neonicotinóides...
 
Plantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controlePlantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controle
 
Regulação hormonal do algodoeiro
Regulação hormonal do algodoeiro Regulação hormonal do algodoeiro
Regulação hormonal do algodoeiro
 
MIP NO ALGODÃO
MIP NO ALGODÃOMIP NO ALGODÃO
MIP NO ALGODÃO
 

Semelhante a Inseticidas - Carbamatos e Piretróides

Introdução Neuroanatomia
Introdução NeuroanatomiaIntrodução Neuroanatomia
Introdução Neuroanatomia
Olavo Valente
 
MAPAS Fisiologia HELENA BEATRIZ SOBRAL.pdf
MAPAS Fisiologia HELENA BEATRIZ SOBRAL.pdfMAPAS Fisiologia HELENA BEATRIZ SOBRAL.pdf
MAPAS Fisiologia HELENA BEATRIZ SOBRAL.pdf
hbeatrizsobral
 
995 aula de endocrinologia da reprodução
995 aula de endocrinologia da reprodução995 aula de endocrinologia da reprodução
995 aula de endocrinologia da reprodução
Boitatá Dacarapreta
 
Tecido nervoso aula 2
Tecido nervoso   aula 2Tecido nervoso   aula 2
Tecido nervoso aula 2
Janderson Physios
 
Regulação nervosa e hormonal nos animais
Regulação nervosa e hormonal nos animaisRegulação nervosa e hormonal nos animais
Regulação nervosa e hormonal nos animais
helenasvdias
 
Sistema nervoso e endócrino aprof.
Sistema nervoso e endócrino aprof.Sistema nervoso e endócrino aprof.
Sistema nervoso e endócrino aprof.
letyap
 
Farmacologia snc
Farmacologia sncFarmacologia snc
Farmacologia snc
Tiago Sampaio
 
Sistema endocrino
Sistema endocrinoSistema endocrino
Sistema endocrino
Marcos Anicio
 
Morfologia e Fisiologia dos Príons
Morfologia e Fisiologia dos PríonsMorfologia e Fisiologia dos Príons
Morfologia e Fisiologia dos Príons
João Marcos Galúcio
 
CóPia De NeurôNio 5
CóPia De NeurôNio  5CóPia De NeurôNio  5
CóPia De NeurôNio 5
Antonio Luis Sanfim
 
Quest fisiologia
Quest fisiologiaQuest fisiologia
Quest fisiologia
Giseli Karine Monteiro
 
Quest fisiologia
Quest fisiologiaQuest fisiologia
Quest fisiologia
Giseli Karine Monteiro
 

Semelhante a Inseticidas - Carbamatos e Piretróides (12)

Introdução Neuroanatomia
Introdução NeuroanatomiaIntrodução Neuroanatomia
Introdução Neuroanatomia
 
MAPAS Fisiologia HELENA BEATRIZ SOBRAL.pdf
MAPAS Fisiologia HELENA BEATRIZ SOBRAL.pdfMAPAS Fisiologia HELENA BEATRIZ SOBRAL.pdf
MAPAS Fisiologia HELENA BEATRIZ SOBRAL.pdf
 
995 aula de endocrinologia da reprodução
995 aula de endocrinologia da reprodução995 aula de endocrinologia da reprodução
995 aula de endocrinologia da reprodução
 
Tecido nervoso aula 2
Tecido nervoso   aula 2Tecido nervoso   aula 2
Tecido nervoso aula 2
 
Regulação nervosa e hormonal nos animais
Regulação nervosa e hormonal nos animaisRegulação nervosa e hormonal nos animais
Regulação nervosa e hormonal nos animais
 
Sistema nervoso e endócrino aprof.
Sistema nervoso e endócrino aprof.Sistema nervoso e endócrino aprof.
Sistema nervoso e endócrino aprof.
 
Farmacologia snc
Farmacologia sncFarmacologia snc
Farmacologia snc
 
Sistema endocrino
Sistema endocrinoSistema endocrino
Sistema endocrino
 
Morfologia e Fisiologia dos Príons
Morfologia e Fisiologia dos PríonsMorfologia e Fisiologia dos Príons
Morfologia e Fisiologia dos Príons
 
CóPia De NeurôNio 5
CóPia De NeurôNio  5CóPia De NeurôNio  5
CóPia De NeurôNio 5
 
Quest fisiologia
Quest fisiologiaQuest fisiologia
Quest fisiologia
 
Quest fisiologia
Quest fisiologiaQuest fisiologia
Quest fisiologia
 

Mais de GETA - UFG

Subdosagem de herbicidas na soja
Subdosagem de herbicidas na sojaSubdosagem de herbicidas na soja
Subdosagem de herbicidas na soja
GETA - UFG
 
Sistema ILPF
Sistema ILPFSistema ILPF
Sistema ILPF
GETA - UFG
 
Mecanização na horticulltura
Mecanização na horticullturaMecanização na horticulltura
Mecanização na horticulltura
GETA - UFG
 
Manejo do Solo.pptx
Manejo do Solo.pptxManejo do Solo.pptx
Manejo do Solo.pptx
GETA - UFG
 
Apresentação - GETA.pptx
Apresentação - GETA.pptxApresentação - GETA.pptx
Apresentação - GETA.pptx
GETA - UFG
 
Crise dos fertilizantes - apresentação GETA.pptx
Crise dos fertilizantes - apresentação GETA.pptxCrise dos fertilizantes - apresentação GETA.pptx
Crise dos fertilizantes - apresentação GETA.pptx
GETA - UFG
 
Tecnologia de aplicação
Tecnologia de aplicaçãoTecnologia de aplicação
Tecnologia de aplicação
GETA - UFG
 
Sistemas de irrigação
Sistemas de irrigaçãoSistemas de irrigação
Sistemas de irrigação
GETA - UFG
 
Manejo de pastagem 1
Manejo de pastagem 1Manejo de pastagem 1
Manejo de pastagem 1
GETA - UFG
 
manejo das principais doenças do tomate industrial
manejo das principais doenças do tomate industrialmanejo das principais doenças do tomate industrial
manejo das principais doenças do tomate industrial
GETA - UFG
 
Café do plantio a colheita
Café do plantio a colheitaCafé do plantio a colheita
Café do plantio a colheita
GETA - UFG
 
CONTROLE BIOLÓGICO
CONTROLE BIOLÓGICOCONTROLE BIOLÓGICO
CONTROLE BIOLÓGICO
GETA - UFG
 
Inseticidas: reguladores de crescimento e organofosforado
Inseticidas: reguladores de crescimento e organofosforadoInseticidas: reguladores de crescimento e organofosforado
Inseticidas: reguladores de crescimento e organofosforado
GETA - UFG
 
Politica externa brasileira_do_agronegocio
Politica externa brasileira_do_agronegocioPolitica externa brasileira_do_agronegocio
Politica externa brasileira_do_agronegocio
GETA - UFG
 
Fungicidas Sistêmicos
Fungicidas SistêmicosFungicidas Sistêmicos
Fungicidas Sistêmicos
GETA - UFG
 
Rotação de Culturas
Rotação de CulturasRotação de Culturas
Rotação de Culturas
GETA - UFG
 
Dinamica do calcio_magnesio_e_enxofre_-_apresentacao_geta
Dinamica do calcio_magnesio_e_enxofre_-_apresentacao_getaDinamica do calcio_magnesio_e_enxofre_-_apresentacao_geta
Dinamica do calcio_magnesio_e_enxofre_-_apresentacao_geta
GETA - UFG
 
Deficiencia Nutricional ou Doença
Deficiencia Nutricional ou DoençaDeficiencia Nutricional ou Doença
Deficiencia Nutricional ou Doença
GETA - UFG
 
Dinâmica do nitrogênio no solo e na planta
Dinâmica do nitrogênio no solo e na plantaDinâmica do nitrogênio no solo e na planta
Dinâmica do nitrogênio no solo e na planta
GETA - UFG
 
Herbicidas inibidores da_als_protox_e_auxina
Herbicidas inibidores da_als_protox_e_auxinaHerbicidas inibidores da_als_protox_e_auxina
Herbicidas inibidores da_als_protox_e_auxina
GETA - UFG
 

Mais de GETA - UFG (20)

Subdosagem de herbicidas na soja
Subdosagem de herbicidas na sojaSubdosagem de herbicidas na soja
Subdosagem de herbicidas na soja
 
Sistema ILPF
Sistema ILPFSistema ILPF
Sistema ILPF
 
Mecanização na horticulltura
Mecanização na horticullturaMecanização na horticulltura
Mecanização na horticulltura
 
Manejo do Solo.pptx
Manejo do Solo.pptxManejo do Solo.pptx
Manejo do Solo.pptx
 
Apresentação - GETA.pptx
Apresentação - GETA.pptxApresentação - GETA.pptx
Apresentação - GETA.pptx
 
Crise dos fertilizantes - apresentação GETA.pptx
Crise dos fertilizantes - apresentação GETA.pptxCrise dos fertilizantes - apresentação GETA.pptx
Crise dos fertilizantes - apresentação GETA.pptx
 
Tecnologia de aplicação
Tecnologia de aplicaçãoTecnologia de aplicação
Tecnologia de aplicação
 
Sistemas de irrigação
Sistemas de irrigaçãoSistemas de irrigação
Sistemas de irrigação
 
Manejo de pastagem 1
Manejo de pastagem 1Manejo de pastagem 1
Manejo de pastagem 1
 
manejo das principais doenças do tomate industrial
manejo das principais doenças do tomate industrialmanejo das principais doenças do tomate industrial
manejo das principais doenças do tomate industrial
 
Café do plantio a colheita
Café do plantio a colheitaCafé do plantio a colheita
Café do plantio a colheita
 
CONTROLE BIOLÓGICO
CONTROLE BIOLÓGICOCONTROLE BIOLÓGICO
CONTROLE BIOLÓGICO
 
Inseticidas: reguladores de crescimento e organofosforado
Inseticidas: reguladores de crescimento e organofosforadoInseticidas: reguladores de crescimento e organofosforado
Inseticidas: reguladores de crescimento e organofosforado
 
Politica externa brasileira_do_agronegocio
Politica externa brasileira_do_agronegocioPolitica externa brasileira_do_agronegocio
Politica externa brasileira_do_agronegocio
 
Fungicidas Sistêmicos
Fungicidas SistêmicosFungicidas Sistêmicos
Fungicidas Sistêmicos
 
Rotação de Culturas
Rotação de CulturasRotação de Culturas
Rotação de Culturas
 
Dinamica do calcio_magnesio_e_enxofre_-_apresentacao_geta
Dinamica do calcio_magnesio_e_enxofre_-_apresentacao_getaDinamica do calcio_magnesio_e_enxofre_-_apresentacao_geta
Dinamica do calcio_magnesio_e_enxofre_-_apresentacao_geta
 
Deficiencia Nutricional ou Doença
Deficiencia Nutricional ou DoençaDeficiencia Nutricional ou Doença
Deficiencia Nutricional ou Doença
 
Dinâmica do nitrogênio no solo e na planta
Dinâmica do nitrogênio no solo e na plantaDinâmica do nitrogênio no solo e na planta
Dinâmica do nitrogênio no solo e na planta
 
Herbicidas inibidores da_als_protox_e_auxina
Herbicidas inibidores da_als_protox_e_auxinaHerbicidas inibidores da_als_protox_e_auxina
Herbicidas inibidores da_als_protox_e_auxina
 

Último

anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
FERNANDACAROLINEPONT
 
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
cleidianevieira7
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
FlorAzaleia1
 
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
FlorAzaleia1
 
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MnicaPereira739219
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
jenneferbarbosa21
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
jenneferbarbosa21
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
jenneferbarbosa21
 

Último (8)

anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
 
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
 
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
 
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
 

Inseticidas - Carbamatos e Piretróides

  • 1. Inseticidas Carbamatos e Piretróides Agosto 2021 Nilo Rocha Oliveira Cabral Agronomia - 9º Período – UFG Equipe de Marketing – GETA
  • 2. SUMÁRIO  Sistema Nervoso dos Insetos;  Carbamatos;  Produtos Comerciais – Carbamatos;  Impulso Nervoso – Sódio e Potássio;  Piretróides;  Produtos Comerciais – Piretróides;  Referências.
  • 3. Sistema Nervoso dos Insetos  Maioria dos Inseticidas atuam no sistema nervoso;  Célula nervosa: Neurônio;  Têm por função propagar o impulso nervoso;  É composto por um longo filamento: Axônio. Fonte: Só biologia. Fonte: Pragas e Eventos.
  • 4. Sistema Nervoso dos Insetos  O contato entre neurônios ocorre através das sinapses;  Sinapses: Têm por função transmitir o impulso nervoso de um neurônio para outro;  Nas sinapses, existem alguns tipos de neurotransmissores. Fonte: Brasil Escola. Acetilcolina
  • 5. Sistema Nervoso dos Insetos  Após a excitação da Acetilcolina para a transmissão do impulso nervoso, ela necessita retornar para o neurônio para que este, volte a ficar em repouso;  O retorno é realizado pela Acetilcolinesterase; Fonte: Intertox. Acetilcolina  Colina + Acetato.
  • 6. Sistema Nervoso dos Insetos Fonte: Dr. Ricardo Soares Matias.
  • 7. Carbamatos  São praguicidas orgânicos derivados do ácido carbâmico;  Divididos em: Carbamatos Herbicidas, Carbamatos Fungicidas e Carbamatos Inseticidas;  Os Carbamatos Inseticidas são derivados do éster de ácido carbâmico;  Compostos instáveis. Fonte: InfoEscola.
  • 8. Carbamatos  Modo de ação:  Contato e Ingestão;  Agem inibindo a Enzima Acetilcolinesterase;  Aumentam a taxa respiratória dos insetos; Fonte: Intertox. Provando a morte dos insetos por exaustão.
  • 10. Carbamatos – Produtos Comerciais Fonte: Sementes Stocker.  Lannate BR (DUPONT);  Ingrediente Ativo: Metomil;  Formulação: Concentrado Solúvel (SL);  Aplicação: Aérea.
  • 11. Carbamatos – Produtos Comerciais Fonte: Bula Lannate ADAPAR. Fonte: Bula Lannate ADAPAR.
  • 12. Carbamatos – Produtos Comerciais  Metomil 215 SL (NORTOX);  Ingrediente Ativo: Metomil;  Formulação: Concentrado Solúvel (SL);  Aplicação: Aérea. Fonte: Nortox.
  • 13. Carbamatos – Produtos Comerciais Fonte: Bula Metomil 215 SL NORTOX. Fonte: Bula Metomil 215 SL NORTOX.
  • 14. Carbamatos – Produtos Comerciais  Methomex 215 SL (ADAMA);  Ingrediente Ativo: Metomil;  Formulação: Concentrado Solúvel (SL);  Aplicação: Aérea. Fonte: Adama.
  • 15. Carbamatos – Produtos Comerciais Fonte: Bula Methomex 215 SL ADAMA. Fonte: Bula Methomex 215 SL ADAMA.
  • 17. Impulso Nervoso - Sódio e Potássio  A propagação do Impulso nervoso ao longo do axônio é dependente da entrada e saída de Na e K da membrana;  Com a polarização e despolarização ao longo da membrana (Excitação) ocorre a transmissão do impulso nervoso. Fonte: Proenem.
  • 18. Piretróides  Compostos extraídos das flores de crisântemo;  Possuem alta eficiência de controle;  doses de I.A;  Produtos com toxicidade baixa;  Utilizados como pesticidas domésticos. Fonte: Só flor.
  • 19. Piretróides  Modo de Ação:  Manutenção dos canais de Na abertos deixando a célula sempre excitada;  Sintomas nos Insetos:  Transmissão de impulsos repetitivos e descontrolados, promovendo uma hiperexcitabilidade;  Efeito “knockdown”; Perda da postura locomotora, paralisia e posterior morte. Fonte: Baygon.
  • 22. Piretróides – Produtos Comerciais  Karate Zeon 50 CS (SYNGENTA);  Ingrediente Ativo: Lambda-cialotrina;  Formulação: Suspensão de Encapsulado (CS);  Aplicação: Aérea. Fonte: Agrowap.
  • 23. Piretróides – Produtos Comerciais Fonte: Bula Karate Zeon 50CS - ADAPAR. Fonte: Bula Karate Zeon 50CS - ADAPAR.
  • 24. Piretróides – Produtos Comerciais  Engeo Pleno S (SYNGENTA);  Conjungado Comercial;  Ingrediente Ativo: Lambda-cialotrina e Tiametoxam;  Formulação: Suspensão de Encapsulado (CS) e Suspensão concentrada (SC);  Aplicação: Aérea. Fonte: HF Sementes.
  • 25. Piretróides – Produtos Comerciais Fonte: Bula Engeo Pleno S - ADAPAR. Fonte: Bula Engeo Pleno S - ADAPAR.
  • 27. REFERÊNCIAS • Mais soja – Como funcionam os inseticidas carbamatos e organofosforados. Disponível em: <https://maissoja.com.br/como-funcionam-os-inseticidas- carbamatos-e-organofosforados/> Acesso: Agosto, 2021; • Boas Práticas Agronômicas – Inseticidas - Alinhados no controle de Insetos-praga. Disponível em: <https://boaspraticasagronomicas.com.br/artigos/inseticidas/> Acesso em: Agosto, 2021; • Matias R. S. COMO AGEM OS INSETICIDAS NOS INSETOS. Disponível em: <http://www.ifcursos.com.br/sistema/admin/arquivos/17-38-11- c0m0agem0sinseticidasn0sinset0s.pdf> Acesso em: Agosto, 2021. • Fonseca A. CLASSIFICAÇÃO DOS ECTOPARASITAS. Disponível em: <http://r1.ufrrj.br/adivaldofonseca/wp-content/uploads/2014/06/classificacao-dos- ectoparasiticidas.pdf> Acesso em: Agosto, 2021.
  • 28. Nilo Rocha Oliveira Cabral Agronomia - 9º Período – UFG Equipe de Marketing - GETA geta.ufg@gmail.com Obrigado!