Primeiros infortúnios

503 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
503
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
61
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Primeiros infortúnios

  1. 1. PrimeirosinfortúniosMemórias de um sargento de milíciasManuel Antonio de AlmeidaSituação de Aprendizagem – 9º anoProfessores: Cleber, Margarete e Rosimeire.
  2. 2. Metodologia• Sondagem sobre a obra e autor;• Contextualizar a obra e o autor em seu período de produção;• Apresentar o texto aos alunos;• Apresentar o livro e a versão em quadrinhos, instigando-osa ler a obra completa;• Realizar inferências sobre o que será lido a partir do título;• Ler coletivamente e em voz alta o texto;
  3. 3. • Construir um vocabulário acerca das palavrasdesconhecidas pelos alunos;• Discutir sobre os recursos semânticos deexpressão presentes em textos literários, comopor exemplo figuras de linguagem.• Discutir com os alunos sobre as paixões infantise como elas se manifestam nesse período.
  4. 4. Desenvolvimento da habilidade• Inferir informação pressuposta ou subentendidaem texto literário com base na sua compreensãoglobal.
  5. 5. 1) Ironia é a figura de linguagem que consiste em dizer (expressar)algo oposto ao que se pretende dizer. A partir deste conceito épossível identificar esse recurso de linguagem no seguintefragmento retirado do texto:a) “Passemos por alto sobre os anos que decorreram desde onascimento e batizado do nosso memorando, e vamos encontrá-lojá na idade de 7 anos.”b) “Era além de traquinas guloso”.c) “Tinha uma paixão decidida pelo chapéu armado de Leonardo;se este o deixava por esquecimento em algum lugar de seualcance, tomava-o imediatamente, espanava com ele todos osmóveis, punha-lhe dentro tudo que encontrava, esfregava-o emuma parede, e acaba por varrer com ele a casa;”d) “E tinha razão, porque digamos depressa e sem mais cerimônia”
  6. 6. Desenvolvimento da habilidade• Justificar o efeito de humor ou ironia produzidoum texto literário, pelo uso intencional depalavras ou expressões.
  7. 7. 2) Ao utilizar a figura de linguagem ironia apresentadana questão anterior, o autor pretende:a) Conceituar o “tipo” de paixão para que o leitorsubentenda o caráter do personagem.b) Definir ou conceituar o “tipo de paixão”, sem darpistas sobre o caráter do personagem.c) Definir o que é caráter.d) O caráter não depende do tipo de paixão.
  8. 8. Desenvolvimento da habilidade• Estabelecer relações entre segmentos de umtexto, identificando o antecedente de umpronome oblíquo.
  9. 9. 3) Leia o fragmento abaixo:“se este o deixava por esquecimento em algum lugar de seualcance, tomava-o imediatamente, espanava com ele todosos móveis, punha-lhe dentro tudo que encontrava”Retomando o segundo parágrafo, pode-se afirmar que ospronomes destacados: este e o referem-se respectivamentea:a) Maria e Leonardo.b) Leonardo e o chapéu.c) Chapéu e Maria.d) Chapéu e paixão.
  10. 10. Utilização de recurso tecnológico –aprofundamento da situação de aprendizagem• Apresentar aos alunos a seguinte música: Memóriasde Um Sargento de Milícias de Martinho da Vila.• Mostrar que a música sintetiza a obra, apresenta ospersonagens, bem como suas característicaspsicológicas, situa a obra no tempo e no espaço,utilizando-se da narração.• Disponível em: http://letras.mus.br/martinho-da-vila/287404/.
  11. 11. • Era o tempo do reiQuando aqui, chegouUm modesto casal feliz pelo recenteamorLeonardo, tornando-se meirinhoDeu a Maria Hortaliça um novo larUm pouco de conforto e de carinhoDessa união, nasceuUm lindo varãoQue recebeu o mesmo nome do seupaiPersonagem central da história que• contamos neste carnavalMas um dia MariaFez a Leonardo uma ingratidãoMostrando que não era uma boacompanheiraProvocou a separaçãoFoi assim que o padrinho passouA ser do menino tutorA quem lhe deu toda dedicaçãoSofrendo uma grande desilusãoOutra figura importante em sua vidaFoi a comadre parteira popularDiziam que benziam de quebrantoA beata mais famosa do lugar
  12. 12. • Havia nesse tempo aqui no RioTipos que devemos mencionarChico Juca, era mestre emvalentiaE por todos se fazia, respeitarO reverendo amante da ciganaPreso pelo VidigalO justiceiroHomem de grande autoridadeQue à frente dos seus granadeirosEra temido pelo povo da cidadeLuisinha primeiro amorQue Leonardo conheceuE que Dona Maria,• a outro como esposa concedeuSomente foi felizQuando José ManuelMorreu• Nosso heróiNovamente se apaixonouQuando com sua violaA mulata Vidinha, esta singelamodinha cantou:Se os meus suspiros pudessemAos seus ouvidos chegarVerias que uma paixãoTem o poder de assassinar
  13. 13. Fechamento da situação de aprendizageme avaliaçãoCRIAÇÃO DE UM FACEBOOK LITERÁRIOObjetivos:• Promover o diálogo entre tecnologia e a obra literária;• postar o maior número de informações acerca da obra literária;• interação entre os personagens, sem perder de vista as relaçõesestabelecidas entre os personagens da história;• Promover o conhecimento das outras obras publicadas peloautor;
  14. 14. Facebook Memórias de um sargento de milícias - Leonardo Página inicia Perfil ContaNo que você está pensando?Editar perfilNasceu noProfissãoAmigosSugerir a amigosExcluir amigosCompartilhar perfilPadreLuisinhaVidinhaMajorO romance de Manuel Antônio deAlmeida, escrito no período doromantismo, retrata a vida do Rio deJaneiro no início do século XIX edesenvolve pela primeira vez naliteratura nacional a figura domalandro.CURTIR COMPARTILHAR

×