SlideShare uma empresa Scribd logo
8ª ano- Resposta da atividade unid 1 Temas 3 e 4 (pag. 26 e 27)
(Pag 26 Q 1) Em meados do século XVII, o açúcar produzido nas Antilhas pelos holandeses,
atingiu duramente a economia portuguesa. O monopólio comercial imposto pelo Governo
Português não estava resolvendo a crise econômica. Para tentar solucionar o problema, o
Governo Português criou vários órgãos, como. Conselho Ultramarino, Companhia Geral de
Comércio do Brasil e a Companhia de Comércio do Estado do Maranhão. Esse aumento do
controle de Portugal em relação ao Brasil gerou várias revoltas, como: Revolta de Beckman e a
Guerra dos Mascates.
P 26 Q 2a) Revolta de Beckman 1684-1685, Maranhão. Guerra dos Mascates 1710-1711,
Pernambuco.
Q 2b) Revolta de Beckman: proprietários de terras do Maranhão de um lado, governo português
e jesuítas de outro. Guerra dos Mascates: proprietários de terras de Olinda, de um lado, e
comerciantes de Recife, de outro.
P 26 Q 2c) Revolta de Beckman: proprietários de terras queriam afastar a influência dos jesuítas
na região, enquanto que o Governo português visava manter a ordem. Guerra dos Mascates: os
comerciantes de Recife exigiam participação no governo local e autonomia em relação a Olinda,
enquanto que os proprietários de Olinda queriam manter o mesmo domínio político sobre Recife.
P 26 Q 2d) Não, nenhum dos movimentos queriam a separação de Portugal, queriam que seus
interesses locais fossem preservados.
P 26 3a) A gravura mostra dois escravos trabalhando na produção de açúcar.
3b) Sim, num engenho de cana. Não, a cena pode ter acontecido em qualquer região da América
que produzia açúcar.
P 26 Q 3c) A foto foi tirada no centro histórico na cidade de Colônia (Uruguai). É sim, por que a
maior riqueza cultural de um povo é sua história, e os edifícios históricos representam uma parte
dessa história.
3d) Crise da economia portuguesa foi causada principalmente pela concorrência do açúcar
produzido nas Antilhas, e uma das medidas tomadas por Portugal para sair dela foi a criação da
Colônia de Sacramento.
P 26 Q 4a) Na segunda metade do século XVII, as finanças de Portugal encontrava-se em
profundo desequilíbrio e uma grave crise atingia a metrópole.
4b) importados: cereais, tecidos, e produtos manufaturados; exportados: açúcar e tabaco, vindos
colônia americana, e sal, vinhos e frutas do próprio território.
P 26 Q 5a) É relatado uma perseguição por parte dos bandeirantes paulistas aos indígenas de
uma missão.
5b) A gravura mostra a expulsão do padre Vieira do Maranhão, uma vez que ele era contrário à
escravização dos índios.
5c) A falta de mão de obra que levou a Revolta de Beckman.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Economia
EconomiaEconomia
Economia
Maria Gomes
 
Rebelioes coloniais
Rebelioes coloniaisRebelioes coloniais
Rebelioes coloniais
Aparecido Alcântara
 
Revoltas nativistas no brasil colonial
Revoltas nativistas no brasil colonialRevoltas nativistas no brasil colonial
Revoltas nativistas no brasil colonial
Nivaldo Francisco Neves
 
Revoltas coloniais
Revoltas coloniaisRevoltas coloniais
Revoltas coloniais
Rayan Gomes
 
Trabalho ..
Trabalho ..Trabalho ..
Trabalho ..
ronualdo
 
Revoltas coloniais e independência do brasil
Revoltas coloniais e independência do brasilRevoltas coloniais e independência do brasil
Revoltas coloniais e independência do brasil
Fatima Freitas
 
Restauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas NativistasRestauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas Nativistas
Lú Carvalho
 
Revoltas e Conspirações Coloniais
Revoltas e Conspirações ColoniaisRevoltas e Conspirações Coloniais
Revoltas e Conspirações Coloniais
Prof Vaguito Sobrenome
 
Revoltas na Colônia
Revoltas na ColôniaRevoltas na Colônia
Revoltas na Colônia
Marcos Mamute
 
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistasMódulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Breno Girotto
 
Mineração e Crise do Sistema Colonial
Mineração e Crise do Sistema ColonialMineração e Crise do Sistema Colonial
Mineração e Crise do Sistema Colonial
João Medeiros
 
A revolta de beckman(1685)
A revolta de beckman(1685)A revolta de beckman(1685)
A revolta de beckman(1685)
Educação
 
Revolta dos Beckman – 1684 – maranhão/Estude para o Enem!
Revolta dos Beckman – 1684 – maranhão/Estude para o Enem!Revolta dos Beckman – 1684 – maranhão/Estude para o Enem!
Revolta dos Beckman – 1684 – maranhão/Estude para o Enem!
Joemille Leal
 
Guerras nativistas
Guerras nativistasGuerras nativistas
Guerras nativistas
Mirelli Santos
 
Revoltas no brasil colonial
Revoltas no brasil colonialRevoltas no brasil colonial
Revoltas no brasil colonial
seixasmarianas
 
União ibérica
União ibéricaUnião ibérica
União ibérica
cruchinho
 
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e EmancipacionistasRevoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
Valéria Shoujofan
 
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistasBrasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
Portal do Vestibulando
 
Guerra dos emboabas – 1708 – 1709 – minas gerais/Estude para o Enem!
Guerra dos emboabas – 1708 – 1709 – minas gerais/Estude para o Enem!Guerra dos emboabas – 1708 – 1709 – minas gerais/Estude para o Enem!
Guerra dos emboabas – 1708 – 1709 – minas gerais/Estude para o Enem!
Joemille Leal
 
23 história rafael - independência do brasil
23 história   rafael  - independência do brasil23 história   rafael  - independência do brasil
23 história rafael - independência do brasil
Rafael Noronha
 

Mais procurados (20)

Economia
EconomiaEconomia
Economia
 
Rebelioes coloniais
Rebelioes coloniaisRebelioes coloniais
Rebelioes coloniais
 
Revoltas nativistas no brasil colonial
Revoltas nativistas no brasil colonialRevoltas nativistas no brasil colonial
Revoltas nativistas no brasil colonial
 
Revoltas coloniais
Revoltas coloniaisRevoltas coloniais
Revoltas coloniais
 
Trabalho ..
Trabalho ..Trabalho ..
Trabalho ..
 
Revoltas coloniais e independência do brasil
Revoltas coloniais e independência do brasilRevoltas coloniais e independência do brasil
Revoltas coloniais e independência do brasil
 
Restauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas NativistasRestauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas Nativistas
 
Revoltas e Conspirações Coloniais
Revoltas e Conspirações ColoniaisRevoltas e Conspirações Coloniais
Revoltas e Conspirações Coloniais
 
Revoltas na Colônia
Revoltas na ColôniaRevoltas na Colônia
Revoltas na Colônia
 
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistasMódulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
 
Mineração e Crise do Sistema Colonial
Mineração e Crise do Sistema ColonialMineração e Crise do Sistema Colonial
Mineração e Crise do Sistema Colonial
 
A revolta de beckman(1685)
A revolta de beckman(1685)A revolta de beckman(1685)
A revolta de beckman(1685)
 
Revolta dos Beckman – 1684 – maranhão/Estude para o Enem!
Revolta dos Beckman – 1684 – maranhão/Estude para o Enem!Revolta dos Beckman – 1684 – maranhão/Estude para o Enem!
Revolta dos Beckman – 1684 – maranhão/Estude para o Enem!
 
Guerras nativistas
Guerras nativistasGuerras nativistas
Guerras nativistas
 
Revoltas no brasil colonial
Revoltas no brasil colonialRevoltas no brasil colonial
Revoltas no brasil colonial
 
União ibérica
União ibéricaUnião ibérica
União ibérica
 
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e EmancipacionistasRevoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
 
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistasBrasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
 
Guerra dos emboabas – 1708 – 1709 – minas gerais/Estude para o Enem!
Guerra dos emboabas – 1708 – 1709 – minas gerais/Estude para o Enem!Guerra dos emboabas – 1708 – 1709 – minas gerais/Estude para o Enem!
Guerra dos emboabas – 1708 – 1709 – minas gerais/Estude para o Enem!
 
23 história rafael - independência do brasil
23 história   rafael  - independência do brasil23 história   rafael  - independência do brasil
23 história rafael - independência do brasil
 

Semelhante a 8ª Ano Und 01 Resp p26 e_27

2 Prova Semestral - 2.6 gabarito
2 Prova Semestral - 2.6 gabarito2 Prova Semestral - 2.6 gabarito
2 Prova Semestral - 2.6 gabarito
KellyCarvalho2011
 
REVOLTA DE VILA RICA
REVOLTA DE VILA RICAREVOLTA DE VILA RICA
REVOLTA DE VILA RICA
IracemaAparecidaMend
 
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckmanAspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Eliphas Rodrigues
 
3ão - Fim da Colonização
3ão - Fim da Colonização 3ão - Fim da Colonização
3ão - Fim da Colonização
Daniel Alves Bronstrup
 
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
Professor de História
 
As primeiras rebeliões da colônia
As primeiras rebeliões da colôniaAs primeiras rebeliões da colônia
As primeiras rebeliões da colônia
Marcela Marangon Ribeiro
 
cap20e21.ppt
cap20e21.pptcap20e21.ppt
cap20e21.ppt
ssuserf9569a
 
Historia cn2
Historia cn2Historia cn2
Historia cn2
2marrow
 
Historia cn2
Historia cn2Historia cn2
Historia cn2
cavip
 
Roteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdf
Roteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdfRoteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdf
Roteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdf
CristianeOliveiraCru
 
Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010
Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010
Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010
Keila Caetano
 
trabalhonalavouracanavieira.ppt
trabalhonalavouracanavieira.ppttrabalhonalavouracanavieira.ppt
trabalhonalavouracanavieira.ppt
Cleodon Cardoso da Silva
 
Unidade 6 8ºano
Unidade 6 8ºanoUnidade 6 8ºano
Unidade 6 8ºano
Ana Cristiane Dias
 
df-historia-rafael-5e971b6769f34.pptx
df-historia-rafael-5e971b6769f34.pptxdf-historia-rafael-5e971b6769f34.pptx
df-historia-rafael-5e971b6769f34.pptx
JoseGenivaldoMartire1
 
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez OliveiraCiclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
Ernandez Oliveira
 
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
Rafael Noronha
 
Live Intensivo SSA 17/04
Live  Intensivo SSA 17/04Live  Intensivo SSA 17/04
Live Intensivo SSA 17/04
CarlosNazar1
 
Brasil - Revoltas Coloniais
Brasil - Revoltas ColoniaisBrasil - Revoltas Coloniais
Brasil - Revoltas Coloniais
carlosbidu
 
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
eebcjn
 
Império Português nos séculos XVI a XVIII
Império Português nos séculos XVI a XVIIIImpério Português nos séculos XVI a XVIII
Império Português nos séculos XVI a XVIII
Cátia Botelho
 

Semelhante a 8ª Ano Und 01 Resp p26 e_27 (20)

2 Prova Semestral - 2.6 gabarito
2 Prova Semestral - 2.6 gabarito2 Prova Semestral - 2.6 gabarito
2 Prova Semestral - 2.6 gabarito
 
REVOLTA DE VILA RICA
REVOLTA DE VILA RICAREVOLTA DE VILA RICA
REVOLTA DE VILA RICA
 
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckmanAspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
 
3ão - Fim da Colonização
3ão - Fim da Colonização 3ão - Fim da Colonização
3ão - Fim da Colonização
 
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
 
As primeiras rebeliões da colônia
As primeiras rebeliões da colôniaAs primeiras rebeliões da colônia
As primeiras rebeliões da colônia
 
cap20e21.ppt
cap20e21.pptcap20e21.ppt
cap20e21.ppt
 
Historia cn2
Historia cn2Historia cn2
Historia cn2
 
Historia cn2
Historia cn2Historia cn2
Historia cn2
 
Roteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdf
Roteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdfRoteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdf
Roteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdf
 
Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010
Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010
Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010
 
trabalhonalavouracanavieira.ppt
trabalhonalavouracanavieira.ppttrabalhonalavouracanavieira.ppt
trabalhonalavouracanavieira.ppt
 
Unidade 6 8ºano
Unidade 6 8ºanoUnidade 6 8ºano
Unidade 6 8ºano
 
df-historia-rafael-5e971b6769f34.pptx
df-historia-rafael-5e971b6769f34.pptxdf-historia-rafael-5e971b6769f34.pptx
df-historia-rafael-5e971b6769f34.pptx
 
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez OliveiraCiclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
 
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
 
Live Intensivo SSA 17/04
Live  Intensivo SSA 17/04Live  Intensivo SSA 17/04
Live Intensivo SSA 17/04
 
Brasil - Revoltas Coloniais
Brasil - Revoltas ColoniaisBrasil - Revoltas Coloniais
Brasil - Revoltas Coloniais
 
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
 
Império Português nos séculos XVI a XVIII
Império Português nos séculos XVI a XVIIIImpério Português nos séculos XVI a XVIII
Império Português nos séculos XVI a XVIII
 

Mais de SEMEC

7ª Ano Und 4 Resp p116 e 117
7ª Ano Und 4 Resp p116 e 1177ª Ano Und 4 Resp p116 e 117
7ª Ano Und 4 Resp p116 e 117
SEMEC
 
unidade 2 Respostas p.66 e 67
unidade 2 Respostas  p.66 e 67unidade 2 Respostas  p.66 e 67
unidade 2 Respostas p.66 e 67
SEMEC
 
Resposta Und 2 p58 59
Resposta Und 2 p58 59Resposta Und 2 p58 59
Resposta Und 2 p58 59
SEMEC
 
9ª AnoUnd 01 Resp p34
9ª AnoUnd 01 Resp p349ª AnoUnd 01 Resp p34
9ª AnoUnd 01 Resp p34
SEMEC
 
7ª ano Und 01 resp p 20 e 21
7ª ano Und 01 resp p 20 e 217ª ano Und 01 resp p 20 e 21
7ª ano Und 01 resp p 20 e 21
SEMEC
 
9ª ano Und 01 Resp p22 e p270
9ª ano Und 01 Resp p22 e p2709ª ano Und 01 Resp p22 e p270
9ª ano Und 01 Resp p22 e p270
SEMEC
 
8ª Ano Und 1 Resp p15 p20 p259
8ª Ano Und 1 Resp p15 p20 p2598ª Ano Und 1 Resp p15 p20 p259
8ª Ano Und 1 Resp p15 p20 p259
SEMEC
 
8ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6 resp
8ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6 resp8ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6 resp
8ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6 resp
SEMEC
 
9ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6 resp-
9ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6  resp-9ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6  resp-
9ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6 resp-
SEMEC
 
8ª Ano Unidade 4 Resp p248
8ª Ano Unidade 4 Resp p2488ª Ano Unidade 4 Resp p248
8ª Ano Unidade 4 Resp p248
SEMEC
 
9ª Ano Unidade 4 Resp p279
9ª Ano Unidade 4 Resp p2799ª Ano Unidade 4 Resp p279
9ª Ano Unidade 4 Resp p279
SEMEC
 
9ª Ano Unidade 4 Resp p276: Guerra
9ª Ano Unidade 4 Resp p276: Guerra9ª Ano Unidade 4 Resp p276: Guerra
9ª Ano Unidade 4 Resp p276: Guerra
SEMEC
 
Unidade 4 Resp p272
Unidade 4 Resp p272Unidade 4 Resp p272
Unidade 4 Resp p272
SEMEC
 
9ª Ano unidade 4 Resp p 118
9ª Ano unidade 4 Resp p 1189ª Ano unidade 4 Resp p 118
9ª Ano unidade 4 Resp p 118
SEMEC
 
8ª Ano Unidade 4 Resp p 112
8ª Ano Unidade 4 Resp p 1128ª Ano Unidade 4 Resp p 112
8ª Ano Unidade 4 Resp p 112
SEMEC
 
8ª Ano Unidade 4 Resp p100
8ª Ano Unidade 4 Resp p1008ª Ano Unidade 4 Resp p100
8ª Ano Unidade 4 Resp p100
SEMEC
 
8ª ano revisão unidade 4 tema 1 resp
8ª ano revisão unidade 4 tema 1 resp8ª ano revisão unidade 4 tema 1 resp
8ª ano revisão unidade 4 tema 1 resp
SEMEC
 
Resp p76_7ª_ano
Resp p76_7ª_anoResp p76_7ª_ano
Resp p76_7ª_ano
SEMEC
 
8ª ano revisão unidade 3 temas 3, 4 e 5 resp
8ª ano revisão unidade 3 temas 3, 4 e 5 resp8ª ano revisão unidade 3 temas 3, 4 e 5 resp
8ª ano revisão unidade 3 temas 3, 4 e 5 resp
SEMEC
 
Resp p82_8ª_Ano
Resp p82_8ª_AnoResp p82_8ª_Ano
Resp p82_8ª_Ano
SEMEC
 

Mais de SEMEC (20)

7ª Ano Und 4 Resp p116 e 117
7ª Ano Und 4 Resp p116 e 1177ª Ano Und 4 Resp p116 e 117
7ª Ano Und 4 Resp p116 e 117
 
unidade 2 Respostas p.66 e 67
unidade 2 Respostas  p.66 e 67unidade 2 Respostas  p.66 e 67
unidade 2 Respostas p.66 e 67
 
Resposta Und 2 p58 59
Resposta Und 2 p58 59Resposta Und 2 p58 59
Resposta Und 2 p58 59
 
9ª AnoUnd 01 Resp p34
9ª AnoUnd 01 Resp p349ª AnoUnd 01 Resp p34
9ª AnoUnd 01 Resp p34
 
7ª ano Und 01 resp p 20 e 21
7ª ano Und 01 resp p 20 e 217ª ano Und 01 resp p 20 e 21
7ª ano Und 01 resp p 20 e 21
 
9ª ano Und 01 Resp p22 e p270
9ª ano Und 01 Resp p22 e p2709ª ano Und 01 Resp p22 e p270
9ª ano Und 01 Resp p22 e p270
 
8ª Ano Und 1 Resp p15 p20 p259
8ª Ano Und 1 Resp p15 p20 p2598ª Ano Und 1 Resp p15 p20 p259
8ª Ano Und 1 Resp p15 p20 p259
 
8ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6 resp
8ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6 resp8ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6 resp
8ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6 resp
 
9ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6 resp-
9ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6  resp-9ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6  resp-
9ª ano revisão unidade 4 temas 4, 5 e 6 resp-
 
8ª Ano Unidade 4 Resp p248
8ª Ano Unidade 4 Resp p2488ª Ano Unidade 4 Resp p248
8ª Ano Unidade 4 Resp p248
 
9ª Ano Unidade 4 Resp p279
9ª Ano Unidade 4 Resp p2799ª Ano Unidade 4 Resp p279
9ª Ano Unidade 4 Resp p279
 
9ª Ano Unidade 4 Resp p276: Guerra
9ª Ano Unidade 4 Resp p276: Guerra9ª Ano Unidade 4 Resp p276: Guerra
9ª Ano Unidade 4 Resp p276: Guerra
 
Unidade 4 Resp p272
Unidade 4 Resp p272Unidade 4 Resp p272
Unidade 4 Resp p272
 
9ª Ano unidade 4 Resp p 118
9ª Ano unidade 4 Resp p 1189ª Ano unidade 4 Resp p 118
9ª Ano unidade 4 Resp p 118
 
8ª Ano Unidade 4 Resp p 112
8ª Ano Unidade 4 Resp p 1128ª Ano Unidade 4 Resp p 112
8ª Ano Unidade 4 Resp p 112
 
8ª Ano Unidade 4 Resp p100
8ª Ano Unidade 4 Resp p1008ª Ano Unidade 4 Resp p100
8ª Ano Unidade 4 Resp p100
 
8ª ano revisão unidade 4 tema 1 resp
8ª ano revisão unidade 4 tema 1 resp8ª ano revisão unidade 4 tema 1 resp
8ª ano revisão unidade 4 tema 1 resp
 
Resp p76_7ª_ano
Resp p76_7ª_anoResp p76_7ª_ano
Resp p76_7ª_ano
 
8ª ano revisão unidade 3 temas 3, 4 e 5 resp
8ª ano revisão unidade 3 temas 3, 4 e 5 resp8ª ano revisão unidade 3 temas 3, 4 e 5 resp
8ª ano revisão unidade 3 temas 3, 4 e 5 resp
 
Resp p82_8ª_Ano
Resp p82_8ª_AnoResp p82_8ª_Ano
Resp p82_8ª_Ano
 

Último

EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
CamilaSouza544051
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 

Último (20)

EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 

8ª Ano Und 01 Resp p26 e_27

  • 1. 8ª ano- Resposta da atividade unid 1 Temas 3 e 4 (pag. 26 e 27) (Pag 26 Q 1) Em meados do século XVII, o açúcar produzido nas Antilhas pelos holandeses, atingiu duramente a economia portuguesa. O monopólio comercial imposto pelo Governo Português não estava resolvendo a crise econômica. Para tentar solucionar o problema, o Governo Português criou vários órgãos, como. Conselho Ultramarino, Companhia Geral de Comércio do Brasil e a Companhia de Comércio do Estado do Maranhão. Esse aumento do controle de Portugal em relação ao Brasil gerou várias revoltas, como: Revolta de Beckman e a Guerra dos Mascates. P 26 Q 2a) Revolta de Beckman 1684-1685, Maranhão. Guerra dos Mascates 1710-1711, Pernambuco. Q 2b) Revolta de Beckman: proprietários de terras do Maranhão de um lado, governo português e jesuítas de outro. Guerra dos Mascates: proprietários de terras de Olinda, de um lado, e comerciantes de Recife, de outro. P 26 Q 2c) Revolta de Beckman: proprietários de terras queriam afastar a influência dos jesuítas na região, enquanto que o Governo português visava manter a ordem. Guerra dos Mascates: os comerciantes de Recife exigiam participação no governo local e autonomia em relação a Olinda, enquanto que os proprietários de Olinda queriam manter o mesmo domínio político sobre Recife. P 26 Q 2d) Não, nenhum dos movimentos queriam a separação de Portugal, queriam que seus interesses locais fossem preservados. P 26 3a) A gravura mostra dois escravos trabalhando na produção de açúcar. 3b) Sim, num engenho de cana. Não, a cena pode ter acontecido em qualquer região da América que produzia açúcar. P 26 Q 3c) A foto foi tirada no centro histórico na cidade de Colônia (Uruguai). É sim, por que a maior riqueza cultural de um povo é sua história, e os edifícios históricos representam uma parte dessa história. 3d) Crise da economia portuguesa foi causada principalmente pela concorrência do açúcar produzido nas Antilhas, e uma das medidas tomadas por Portugal para sair dela foi a criação da Colônia de Sacramento. P 26 Q 4a) Na segunda metade do século XVII, as finanças de Portugal encontrava-se em profundo desequilíbrio e uma grave crise atingia a metrópole. 4b) importados: cereais, tecidos, e produtos manufaturados; exportados: açúcar e tabaco, vindos colônia americana, e sal, vinhos e frutas do próprio território. P 26 Q 5a) É relatado uma perseguição por parte dos bandeirantes paulistas aos indígenas de uma missão. 5b) A gravura mostra a expulsão do padre Vieira do Maranhão, uma vez que ele era contrário à escravização dos índios. 5c) A falta de mão de obra que levou a Revolta de Beckman.