SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 42
Baixar para ler offline
Capítulo 1                                                3. Impostos:

  MINERAÇÃO E ERA POMBAL                                  Os impostos cobrados na mineração eram:


Incentivados pela decadência do açúcar, os bandeiran-     - Quinto: equivale a 20% da produção.
tes encontraram ouro no final do século XVII, em Minas    - Capitação: imposto pago por escravo (17 gramas de
Gerais. No século seguinte, também foi explorado em       ouro).
Goiás e Mato Grosso.                                      - Fintas: quantidade mínima anual de 100 arrobas
                                                          (cerca de 1500 kg).
A notícia rapidamente espalhou-se e atraiu milhares
de pessoas para Minas Gerais.                             Obs.: Derrama: era a cobrança forçada dos impostos
                                                          atrasados. Equivalia a quantidade necessária para
O choque entre paulistas e forasteiros resultou na        completar as fintas devidas.
Guerra dos Emboabas (1708-1709).O conflito levou à
separação de São Paulo e Minas Gerais.                              4. Exploração dos Diamantes:

   1. Administração da Região Mineradora:                 No caso dos diamantes, descoberto no Vale do Rio Je-
                                                          quitinhonha, a opressão colonial foi ainda maior. Na
Através do Regimento de 1702, o governo português         cidade de Diamantina (MG) não havia liberdade para
estabeleceu as regras básicas da mineração do Bra-        a circulação de diamantes.
sil Colonial. A mineração era rigidamente controlada
pela metrópole e a exploração seria livre, desde que os   Inicialmente, o governo português permitiu a ex-
mineradores obedecessem as autoridades da Coroa e         ploração dos diamantes, desde que pagassem os
pagassem os impostos.                                     impostos. Para dificultar o contrabando, entregou
                                                          o monopólio da extração a um indivíduo, chamado
Dois órgãos foram criados pelo governo para adminis-      de contratador.
trar e controlar os impostos em Minas Gerais:
                                                            5. A Dependência Econômica Portuguesa:
- Intendência das Minas (1702): encarregado de
distribuir as datas (lotes de jazidas mineradoras) e      O ouro brasileiro não ficou no Brasil ou em Por-
fiscalizar o pagamento de impostos. Todas as minas        tugal. Acabou indo para a Inglaterra devido à
pertenciam ao rei e o descobridor de uma jazida de-       dependência econômica portuguesa.
veria comunicar a Intendência, caso contrário seria       As origens da dependência encontram-se na crise
preso e julgado.                                          da economia açucareira que abalou a estrutura
                                                          econômica portuguesa. Diante da crise, Portu-
- Casas de Fundição (1720): destinado a transformar       gal foi obrigado a assinar o Tratado de Methuen
o ouro de pó em barras, extraindo o quinto (parte do      (1703).
governo).
                                                          Tratado de Methuen: também conhecido como
Obs.: A proibição da circulação do ouro em pó e sua       Tratado dos Panos e dos Vinhos, foi assinado
transformação em barras nas Casas de Fundição re-         entre Portugal e Inglaterra. Estipulava que Por-
sultou na revolta de Vila Rica ou de Felipe dos Santos    tugal teria vantagens alfandegárias na venda de
(1720).                                                   vinhos para a Inglaterra e esta teria vantagens
                                                          alfandegárias na venda de manufaturados para
               2. Extração do Ouro:                       a Portugal.


A mina, depois de descoberta, era dividida pela In-       Como conseqüências, Portugal tornou-se um país agrá-
tendência em lotes (datas): as duas primeiras datas       rio, desestimulando suas manufaturas e repassando o
eram escolhidas pelo descobridor da mina, a terceira      ouro brasileiro para cobrir o déficil (prejuízo) comercial
data era reservada para a Coroa e depois leiloada e as    em relação a Inglaterra.
demais datas eram distribuídas entre os interessados
que tivessem maior número de escravos.                              6. Decadência da Mineração:

Existiam dois tipos básicos de extração:                  A partir da segunda metade do século XVIII, a mine-
                                                          ração entrou em declínio.
- Faiscação (Faisqueira): pequena extração (no leito
dos rios e riachos) e o garimpeiro geralmente era um      Os principais motivos eram:
trabalhador livre que trabalhava isoladamente.            - esgotamento das jazidas.
                                                          - falta de recursos técnicos.
- Lavra (Jazidas): grande extração (minas), exigindo
                                                          - ignorância dos mineradores.
elevado capital e posse de escravos.

                                                                                                                 1
7. Sociedade Colonial Mineradora:                       No Brasil, procurando fortalecer o Estado português e
                                                               sua economia, tentando reduzir a dependência inglesa,
As principais características da sociedade mineradora foram:   Pombal tomou as seguintes medidas:
                                                               - Expulsou os jesuítas (1759), acabando
- Urbanização.                                                 com o monopólio religioso sobre a educação.
- Possibilidade de mobilidade social.                          - Extinguiu o sistema de Capitanias Hereditárias.
- Camadas Sociais:                                             - Aboliu a divisão, estabelecida em 1621, do
* Camada Dominante: mineradores e administradores              Brasil em 2 Estados (Maranhão e Brasil).
portugueses.                                                   - Transferiu o capital de Salvador (BA) para o Rio de
* Camada Média: funcionários públicos, padres, mili-           Janeiro (RJ).
tares, comerciantes, profissionais liberais, etc.              - Estimulou as manufaturas portuguesas.
* Camada Dominada: escravos.                                   - Na mineração: estabeleceu a derrama, criou a Inten-
                                                               dência dos Diamantes e proibiu a exportação de ouro.
                 8. Conseqüências:                             - Criou Companhias de Comércio para monopolizar a
                                                               atividade no Norte e Nordeste (Grão Pará e Maranhão,
- Crescimento Demográfico: resultante da vinda de              em 1755, e Pernambuco e Paraíba, em 1759).
portugueses e da migração das lavouras para a mi-
neração.                                                       Conseqüência: aumento da opressão colonial que
- Fome: resultante do alto custo de vida e problemas           provocou as revoltas separatistas.
de abastecimento.
- Deslocamento do eixo econômico: a mudança do
centro econômico do Nordeste para o Sudeste.
                                                                    EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
- Deslocamento do eixo político: a mudança da Capital
                                                               1. (CN) O que determinou a extinção do sistema de
de Salvador para o Rio de Janeiro.
                                                               Capitanias Hereditárias no Brasil foi:
- Aumento da opressão colonial acompanhado por
                                                               a) a instituição do Governo Geral.
revoltas coloniais.
                                                               b) o fim da União das Monarquias Ibéricas.
- Surgimento da classe média e maior mobilidade
                                                               c) a divisão do Governo Geral em “do norte” e do
social.
                                                               “sul”.
- Urbanização.
                                                               d) a ação do grande estadista português Marquês de
- Desenvolvimento de um mercado interno
                                                               Pombal.
- Envio do ouro brasileiro para a Inglaterra auxiliando
                                                               e) o total fracasso do mesmo logo após a sua implan-
no financiamento da Revolução Industrial.
                                                               tação.
- Desenvolvimento cultural: barroco.

                                                               2. (CN) A “derrama” consistia em:
            9. Renascimento Agrícola:
                                                               a) um imposto cobrado sobre a extração do ouro na
                                                               região das Minas Gerais.
Com a decadência da mineração, a agricultura voltou
                                                               b) um imposto cobrado sobre a produção diamantí-
a destacar-se na economia.
                                                               fera.
                                                               c) um imposto sobre o ouro, conhecido também como
Os principais produtos foram:
                                                               “quinto”.
                                                               d) uma cobrança das fintas atrasadas devidas pela
- Algodão: principalmente no Maranhão foi incenti-
                                                               capitania das Minas Gerais à Coroa.
vado pela Revolução Industrial Inglesa e problemas
                                                               e) uma taxação sobre produtos manufaturados e con-
na produção norte-americana envolvida em sua in-
                                                               sumidos em Minas Gerais.
dependência.
- Açúcar: produzido no Nordeste e Sudeste, foi incenti-
                                                               3. (CN) “Ingleses na Inglaterra mandavam fazendas
vada pela crise nas Antilhas onde colônias rebelaram-
                                                               inglesas por navios ingleses, aos ingleses de Portugal,
se na época da Revolução Francesa.
                                                               e da cá mandavam estes, nos mesmos navios, o vinho
- Tabaco: além de ser usado na troca por escravos, foi
                                                               que compravam e o ouro que recebiam”. (João Lúcio
incentivado pela difusão de hábito de fumar.
                                                               Azevedo)
         10. A Era Pombal (1750-1777):
                                                               Baseando-se na frase acima, a que tratado assinado
                                                               em Portugal e Inglaterra, no início do século XVIII, o
Acompanhando transformações na Europa, o rei D.
                                                               autor está se referindo?
José I e seu ministro, o marquês de Pombal, aderiram
ao Despotismo Esclarecido.
                                                               a) de Comércio e Navegação de 1810.
                                                               b) de Methuen.
Baseados no Iluminismo, os déspotas esclarecidos
                                                               c) de Badajós.
fizeram reformas modernizadoras para manter o ab-
                                                               d) de Fontainebleau.
solutismo.
                                                               e) de Ouros e Vinhos.

2
4. Todas as alternativas contêm afirmações corretas        6. O desenvolvimento da economia mineradora no
sobre a tributação de ouro nas Minas no período co-        século XVIII teve diferentes repercussões sobre a vida
lonial, EXCETO:                                            colonial, conforme se apresenta caracterizado numa
a) A Derrama era a cobrança dos impostos atrasados         das opções abaixo. Assinale-a.
quando não eram preenchidas as cotas anuais.               a) Incremento do comércio interno e das atividades
b) Apesar da ameaça de contrabando, havia uma faci-        voltadas para o abastecimento na região centro-sul
lidade de circular com ouro em pó nas Minas Gerais.        b) Movimento de interiorização conhecido como bandei-
c) Para reduzir o contrabando, o ouro passou a ser         rismo, responsável pelo fornecimento de mão-de-obra
quintado nas Casas da Fundição.                            indígena para as minas.
d) O quinto correspondia a uma porcentagem sobre a         c) Descentralização da administração colonial para
produção paga pelos mineradores.                           facilitar o controle da produção.
e) A capitação era um imposto cobrado por cada es-         d) Sufocamento dos movimentos de rebelião, graças à
cravo na mineração.                                        riqueza material gerada pelo ouro e pela prata.
                                                           e) Retorno em massa, para a metrópole, dos colonos
5. A organização da atividade produtiva e a dinâmica       enriquecidos pela nova atividade.
das relações sociais nas diferentes regiões da Colônia
corresponderam aos mecanismos definidores do antigo             EXERCÍCIOS PROPOSTOS
sistema colonial. Assinale o par de afirmativas corretas
em relação à região açucareira dos séculos XVI e XVII      7. Em meados do século XVIII, na região de Minas
e à região mineradora do século XVIII.                     Gerais, verificou-se a queda da produção aurífera e
                                                           conseqüentemente da arrecadação do quinto, que era
              REGIÃO                 REGIÃO                o imposto cobrado pelo governo português. Descon-
           AÇUCAREIRA              MINERADORA              tente, o mesmo passou aexigir da população da região
            (XVI - XVII)              (XVIII)              o imposto anual de 100 arrobas. Entre as medidas
        A organização social    A atividade minerado-      tomadas pelo não pagamento de tal imposto estava a
        era basicamente         ra nas datas convivia      Derrama que era a:
        rural e a única ati-    com a produção ex-         a) cobrança forçada, feita pelos soldados portugueses,
 a)
        vidade econômica        clusivamente manu-         que iam de casa em casa apreendendo os bens pessoais
        desenvolvida era a      fatureira nos centros      da população.
        agrícola.               urbanos.                   b) cobrança forçada, feita por milicianos brasileiros,
                                                           que iam de casa em casa apreendendo os bens pessoais
                                A atividade minerado-
        A totalidade da Mão-                               da população.
                                ra utilizou sobretudo o
        de-Obra utilizada no                               c) arrecadação arbitrária, feita a partir das Câmaras
                                trabalho livre de fais-
        interior da unidade                                Municipais, que serviam, naquele momento, de braço
 b)                             cadores e da enorme
        produtiva açucarei-
                                quantidade de homens       armado do governos português na Colônia.
        ra era constituída de
                                brancos proveniente        d) arrecadação forçada, feita pelos soldados portugue-
        escravos africanos.
                                da Metrópole.              ses sobre as Câmaras Municipais, por serem estas
                                A compra da alforria       redutos de latifundiários ricos.
        As relações sociais     pelos escravos pos-        e) cobrança forçada, feita por soldados brasileiros, que
        no interior do enge-    sibilitou a existência     iam de casa em casa desapropriando os devedores de
        nho eram extrema-       de relações sociais        seus imóveis.
        mente hierarquiza-      mais democráticas,
 c)
        das sob o domínio       quebrou a hierarquia       8. Em 1755, o ministro de Portugal, Sebastião José de
        do senhor, da men-      entre senhores e es-       Carvalho e Melo – o Marquês de Pombal – vai criar a
        talidade patriarcal e   cravos e significou
                                                           Companhia Geral do Comércio do Grão Pará e Mara-
        da escravidão           um duro golpe na
                                                           nhão. Quatro anos mais tarde, assistimos ao surgimen-
                                escravidão.
                                                           to da Companhia Geral do Comércio de Pernambuco
        O monopólio do co-      O grande contraban-        e Paraíba. Sobre a organização dessas companhias de
        mércio da produção      do e desvio do ouro        comércio podemos afirmar que:
        colonial, exercido      puseram fim definiti-
 d)
        pela Metrópole, foi     vamente, ao exclusi-       I – devem o seu fracasso, em fins do século XVIII,
        mantido rigida-         vo metropolitano na        ao decadente panorama econômico dentro do qual
        mente.                  região.
                                                           foram inseridas – a Região Nordeste -, minado pela
                                                           concorrência do açúcar antilhano e do algodão norte-
        A atividade expor-      A distribuição das da-     americano.
        tadora da grande        tas auríferas se fazia
                                                           II – são resultantes do oportunismo administrativo
        propriedade açuca-      por sorte e proporcio-
                                                           do Marquês de Pombal, que foi capaz de aproveitar o
 e)     reira desdobrava-se     nalmente ao número
        no setor agrícola e     de escravos possuídos      momento adequado para criar veículos destinados a
        de beneficiamento:      pelo pretendente.          viabilizar uma melhor exploração econômica do Nor-
        lavoura e engenho.                                 deste.

                                                                                                                3
III – estão alicerçadas no princípio de estímulo ao re-      11. (UFMG) As regiões mineradoras apresentaram, no
erguimento político da metrópole, por meio da maior          período colonial, características que a diferenciam de
e melhor exploração da colônia lusitana na América           outras regiões da colônia como:
– neste caso através de duas companhias de comércio          a) concentração de terras (datas) em mãos de poucos
sediadas no Brasil-Colônia.                                  comerciantes portuguesas.
a) somente a afirmativa I é verdadeira.                      b) regime fiscal flexível e pequena intervenção do Es-
b) somente a afirmativa II é verdadeira.                     tado nas atividades econômicas.
c) somente a afirmativa III é verdadeira.                    c) intensa vida social e áreas urbanas como centros
d) As afirmativas I e II são verdadeiras.                    das atividades econômicas.
e) As afirmativas I e III são verdadeiras.                   d) predominância de trabalhadores livres na explora-
                                                             ção do ouro.
9. Durante o período colonial, as obras de arquitetura       e) rígido controle da Coroa sobre os fluxos migratórios
que apresentaram maior relevância artística foram:           e limitação de acesso a essas regiões.
a) as Universidades e praças públicas, projetadas por
arquitetos de renome internacional e localizadas, do-        12. (Fuvest-SP) Podemos afirmar sobre o período da
minantemente, no sul do Brasil.                              mineração do Brasil que:
b) as Igrejas, como as de Olinda, Recife, Salvador, Ouro     a) Atraídos pelo ouro, vieram para o Brasil aventureiros
Preto, Rio de Janeiro e Bahia e as casas de fazenda e        de toda espécie, que inviabilizaram a mineração.
sobrados, na cidade.                                         b) A exploração das minas de ouro só trouxe benefícios
c) as casas dos Contratadores Reais, que importavam          para Portugal.
modelos arquitetônicos europeus e os monumentos              c) A mineração deu origem a uma classe média urbana
construídos em homenagem à Coroa Portuguesa.                 que teve papel decisivo na independência do Brasil.
d) os fortes de defesa da costa brasileira, para evitar      d) O ouro beneficiou apenas a Inglaterra, que financiou
a ação dos corsários e os mercados da zona portuária         sua exploração.
cujas construções sofreram a influência moura.               e) A mineração contribuiu para interligar as várias
e) os postos de venda de escravos, no Rio de Janeiro,        regiões do Brasil, e foi fator de diferenciação da so-
que acolhiam milhares de negros e necessitavam apa-          ciedade.
rentar luxo e riqueza para os compradores.
                                                             13. (EUCE) A corrida do ouro em Minas Gerais no
10. A colonização do território americano pelos portu-       final do século XVII trouxe uma riqueza muito grande
gueses, no decorrer da Idade Moderna, deu origem a           para a Coroa Portuguesa, mas também exigiu muitos
diversas regiões que, do ponto de vista da sua organi-       esforços no sentido de fiscalizar a produção e punir o
zação, diferenciavam-se entre si por uma combinação          contrabando. Assinale a expressão correta a respeito
particular entre o objetivo da atividade econômica, o        das medidas fiscais empreendidas por Portugal na
tipo de mão-de-obra utilizada e a composição étnica          área das minas:
da população.                                                a) Apesar dos protestos dos fidalgos encarregados da
Assinale a opção que associa de modo correto a região        arrecadação, a Coroa portuguesa evitava pressionar
às características apresentadas:                             os produtores através das derramas, limitando-se a
                   Objetivo da                               aumentar os impostos.
                                 Mão-de-obra   Composição
        Região      Atividade
                                  Utilizada      Étnica      b) Sem conseguir se impor aos proprietários das mi-
                   Econômica
                                                             nas, a administração colonial passou a permitir livre
                   Abasteci-     Predomínio    Predomínio    comercialização do ouro, arrecadando impostos nos
      Grande La-   mento do      de mão-       de negros
 a)                                                          portos e nas estradas.
        voura      mercado       de-obra       de origem
                   externo       escrava       africana      c) A administração colonial instalou as casas de fundi-
                   Produção      Predomínio
                                                             ção para regulamentar a produção do ouro e arrecadar
                                               Predomínio    mais impostos, obtendo total apoio dos proprietários
      Mineração    voltada       de traba-
                                               de popula-
 b)   de Ouro e    para o        lhadores                    das minas.
                                               ção amerín-
      Diamantes    mercado       assalaria-
                   externo       dos
                                               dia           d) Ao aumentar a carga fiscal e instalar as casas de
                                                             fundição, a Coroa logrou aumentar a arrecadação de
                   Abasteci-
                   mento do      Predomínio    Predomínio    impostos, mas provocou a revolta dos proprietários
 c)    Pastoril    mercado       de mão-de-    de negros     das minas.
                   da própria    obra servil   africanos
                   colônia
                                                             14. (CESGRANRIO) Como principais fatores que de-
                                             Maior con-      terminaram, em 1763, a transferência da seda da
      Vicentina    Subsistência Predomínio
                                             tingente de
 d)
    (ponto de dis- dos próprios de trabalha-
                                             brancos, de
                                                             administração colonial portuguesa de Salvador para
     persão “Ban- elementos a    dores assa-                 o Rio de Janeiro, podemos destacar:
                                             origem euro-
       deiras”)    ela dedicados lariados
                                             péia            a) o declínio açucareiro da Bahia e Pernambuco e a
                    Abasteci-                  Predomínio
                                                             ascensão das capitanias do centro-sul; São Paulo,
      Coleta das                 Predomínio                  Minas Gerais e o atual Rio Grande do Sul.
                    mento do                    de negros
 e)   “Drogas do                 de mão-de-
                    mercado                     de origem    b) a preocupação da Coroa portuguesa no sentido de
        Sertão”                  obra servil
                     externo                     africana
                                                             realizar uma ação controladora mais efetiva sobre as
4
regiões mineradoras do Brasil, e ao mesmo tempo,
enfrentar as crescentes ameaças espanholas no ex-
tremo-sul.
c) a política de centralização administrativa posta em
prática por Sebastião José de Carvalho e Melo (futuro
Marquês de Pombal), com o objetivo de eliminar as
tendências expansionistas do centro-sul.
d) a crise da economia colonial, notadamente nas re-
giões do centro-sul do Brasil, e a superação da divisão
do governo em duas “repartições”, com a instalação do
Vice-Rei no Rio de Janeiro.
e) o desenvolvimento da lavoura açucareira na região
de Campos dos Goitacazes e a necessidade de incre-
mentar o plantio do café no vale do Paraíba do Sul.

15. Carta de sesmaria concedida em 9 de julho de 1747
ao padre Marcos de Carvalho:
“Comarca de Vila de São João Del Rei distante da es-
trada real da dita vila mais de quarenta léguas, que
ele suplicante tinha quarenta e tantos escravos de
serviços, com os quais andava minerando e pagava
os reais quintos e lhes eram necessários bastante ter-
ras para plantarem mantimentos para sustentar seus
escravos e criações assim de gados como das mais que
lhe eram precisas”.
Considere as seguintes afirmações:
I - O domínio português no Brasil se expressava, entre
outros, no monopólio de concessão de terras e na co-
brança de tributos que, no caso da extração mineral,
chegava a 20% - o quinto.
II - Assim como em Pernambuco ou na Bahia, regiões
de agricultura mercantil, a terra, nas regiões minei-
ras, era concedida com primazia aos proprietários de
escravos.
III - A agricultura na região das Minas no século XVIII,
diferentemente do que ocorria na grande lavoura lito-
rânea, destinava-se principalmente à subsistência ou
ao mercado interno daquela região.
IV - Na primeira metade do século XVIII, as ativida-
des agrícolas ganharam relevância na região mineira,
disputando as melhores terras com a atividade mine-
radora.

Assinale a alternativa que contém a(s) afirmativa(s)
correta(s):
a) somente I.
b) somente I e II.
c) somente III e IV.
d) somente I, II e III.
e) todas as afirmativas estão corretas.




                                                           5
Capítulo 2                            que, como descobridores das jazidas de ouro, se
                                                           sentiam com direitos maiores sobre elas, ainda mais
                                                           por que se encontravam em território da capitania
        REVOLTAS COLONIAIS                                 de São Vicente.
               1. Tipos de Revoltas:                       A chegada dos emboabas, como eram chamados os
                                                           forasteiros, despertou a revolta dos paulistas.
No Brasil Colonial ocorreram diversas revoltas que         As rivalidades e a violência foram crescendo cada vez
podem ser organizadas em 2 tipos básicos:                  mais e, em 1707 dois paulistas foram linchados
                                                           por emboabas. Os emboabas avançaram, passando
- Revoltas Nativistas                                      a controlar as áreas mineradoras, ficando os pau-
- Revoltas Separatistas                                    listas restritos a região do rio das Mortes, em 1708.
                                                           Manuel Nunes Viana, chefe emboaba, foi aclamado
              2. Revoltas Nativistas:                      governador das Minas Gerais.
                                                           Um dos fatos marcantes desta luta ficou conhecido
Foram revoltas ocorridas no século XVII e início           como “Capão da Traição”, quando muitos paulistas fo-
do século XVIII. Defendiam problemas locais e não          ram friamente assassinados, após terem se rendido.
pretendiam separar o Brasil de Portugal.                   A região foi pacificada através da retirada dos pau-
                                                           listas, que passaram a buscar novas jazidas em Goiás
As principais revoltas nativistas foram:                   e Mato Grosso. A Coroa portuguesa criou a Capitania
                                                           real de São Paulo e Minas e elevou Ribeirão do Carmo,
A) Revolta de Beckman (MA-1684):                           Sabará e Vila Rica à condição de Vila.
No século XVII a situação dos colonos do Estado do
Maranhão era bastante desfavorável, pois faltava-lhes      C) Guerra dos Mascates (PE-1710):
recursos para organizar a produção e para a aquisição      No século XVIII a rivalidade entre as cidades
de mão-de-obra escrava.       Por isso    resolveram       pernambucanas de Recife e Olinda tomavam
escravizar os índios, entrando em conflito com             dimensões cada vez maiores, expressando a
os jesuítas.                                               contradição entre os interesses do setor produtor
Em 1682 foi criada a Companhia de Comércio do              colonial (senhores de engenho), que controlava Olin-
Maranhão, que passou a ter o monopólio do comércio         da, e o setor mercantil-exportador (comerciantes
com a região, se comprometendo a abastecê-la de            portugueses), cujo centro era Recife.
mão-de-obra     escrava e de fornecer       produtos       Olinda era uma vila, com câmara municipal e pelou-
importados da Europa, além de comprar a produção           rinho, enquanto Recife não passava de uma “fregue-
local para vender no mercado europeu.                      sia”, dependente politicamente de Olinda. Entretanto,
Entretanto os acordos não foram cumpridos,                 a crise açucareira provocou o crescente endividamento
dificultando ainda mais a vida dos colonos                 dos senhores de engenho para com os comerciantes
maranhenses,      o que gerou       descontentamen-        de Recife, tornando-os cada vez mais dependentes
to, culminando numa revolta chefiada pelos irmãos          economicamente.
Manuel e Tomás Beckman.                                    Os comerciantes iam crescendo em prestígio e poder,
O movimento explodiu em 1684 e além de contestar o         pois, além de financiarem a produção açucarei-
monopólio e os abusos da Companhia, saquearam seus         ra, manipulavam os preços das mercadorias, pagando
armazéns, expulsaram os jesuítas e depuseram o             os menores preços possíveis pelo açúcar produzido.
governo local, organizando um governo provisório           A tensão entre as duas cidades crescia e acabou
composto pelos líderes da revolta.                         explodindo quando a Coroa Portuguesa atendeu a
Não receberam apoio das demais capitanias e foram          reivindicação dos mascates ( forma depreciativa com
duramente reprimidos pelas autoridades metropolita-        que eram chamados os comerciantes), elevando Recife
nas, sendo seus líderes presos.                            à condição de vila, em 1709. Os fazendeiros de Olinda
Muitos foram deportados e Manuel Beckman foi exe-          reagiram e invadiram Recife, destituindo seu
cutado.                                                    governador, destruindo o pelourinho e exigindo o
Esta foi a primeira revolta organizada da colônia          tabelamento do preço dos escravos , a quebra do
e, não tinha propósitos separatistas,            mas       monopólio comercial português, e a garantia de suas
apenas pretendia alterar a ação monopolista me-            terras, independente de suas dívidas.
tropolitana. Um de seus objetivos acabou sendo             Os conflitos armados entre as duas vilas se
alcançado, pois a Companhia de Comércio do Ma-             arrastaram até 1712, quando um novo governador
ranhão foi extinta.                                        nomeado por Portugal mandou prender os principais
                                                           envolvidos no conflito. A burguesia mercantil (mas-
B) Guerra dos Emboabas (MG-1709):                          cates) recebe o apoio da Metrópole, e Recife mantém
A descoberta de ouro em Minas Gerais provocou uma          sua autonomia.
verdadeira “corrida do ouro”, quando multidões de
aventureiros de todas partes da colônia e também da        D) Revolta de Vila Rica ou Filipe dos Santos (MG-1720):
metrópole se deslocaram para a região mineradora.          O controle metropolitano e a opressão fiscal sobre as
Isso provocou a insatisfação dos paulistas e vicentinos,   áreas mineradoras sempre foram bastante rígidos, com
6
o propósito de evitar o contrabando, garantindo assim        possibilidade de decretação da derrama, outros fatores
a produção que a Coroa precisava para equilibrar sua         se juntavam para criar o clima revolucionário, como o
balança comercial.                                           Alvará de D. Maria I proibindo as manufaturas no Bra-
Em 1720, Portugal decidiu apertar o cerco sobre os           sil, a difusão das idéias iluministas entre os intelectu-
mineradores, criando as Casas de Fundição, por onde          ais brasileiros e as notícias da independência dos EUA.
todo o ouro deveria passar para ser quinta-                  Os inconfidentes propunham a livre-produção, o livre-
do, transformado em barras e selado.                         comércio, o estímulo à produção agrícola, a criação de
Os protestos foram gerais, culminando numa revolta           manufaturas e de uma universidade em Vila Rica.
armada, sob a liderança de Felipe dos Santos. Os             Estavam divididos quanto à forma de governo que
revoltosos exigiam a extinção das Casas de Fundição          pleiteavam: República Federativa ou Monarquia
e o perdão para os participantes da rebelião.                Constitucional.
O Conde de Assumar, governador da Capitania, após            Um dos grandes limites do projeto inconfidente era a
pedir algum tempo para analisar a questão, re-               questão do escravismo colonial, não tocado, na medi-
cebeu reforços e ordenou uma violenta repressão              da em que muitos participantes do movimento eram
contra o movimento. Muitos foram degredados e                senhores de escravos.
Felipe dos Santos foi condenado a           morte no         A derrama foi o pretexto para o início da rebelião, que
“garrote” e esquartejado. Além do que foram mantidas         não chegou a acontecer, pois foi denunciada por um
as Casas de Fundição.                                        traidor, Joaquim Silvério dos Reis.
                                                             O governador das Minas Gerais, decretou a imediata
             3. Revoltas Separatistas:                       prisão dos líderes, tendo início os processos.
                                                             Após três anos de devassa, os participantes mais ricos e
Foram revoltas ocorridas no final do século XVIII e início   poderosos foram omitidos ou perdoados, através de um
do século XIX. Defendiam o fim do pacto colonial e a         processo fraudulento. Muitos foram exilados e apenas
libertação política do Brasil. Foram influenciadas pela      Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, foi conde-
crise do Antigo Sistema Colonial que vinha ocorrendo         nado a morte na forca e a posterior esquartejamento.
devido às influências das idéias iluministas, também         Tiradentes, o inconfidente mais pobre e menos letrado
presentes na Independência dos Estados Unidos e na           do movimento, foi considerado como líder do movi-
Revolução Francesa.                                          mento, servindo como “bode expiatório” e exemplo
                                                             para que outros não ousassem contestar o domínio
As causas gerais das Revoltas Separatistas foram:            metropolitano.
                                                             A Inconfidência Mineira foi na verdade um movimento
− aumento da exploração colonial metropolitana:              elitista, desvinculado das aspirações e participação po-
arrocho fiscal e monopólios (companhias privilegiadas        pulares, inspirado nos ideais burgueses do Iluminismo
de comércio) → opressão.                                     e na Independência dos Estados Unidos. Isso facilitou
− crise dos produtos de exportação: ouro e açúcar.           sua aniquilação por parte da repressão portuguesa.
− as transformações causadas pela mineração:
urbanização, classes médias urbanas, maior fluxo de          B) CONJURAÇÃO BAIANA OU DOS ALFAIATES (1798):
renda, estudar no exterior.                                  Ao contrário da Inconfidência Mineira, a Conjuração
− o Alvará de 1785: proibição de manufaturas e               Baiana teve caráter mais popular,          fortemente
metalurgia no Brasil (exceto tecidos de algodão              influenciada pelas idéias mais radicais da Revolução
grosseiro para as roupas dos escravos e para sacos)          Francesa e também pela revolução dos escravos no
                                                             Haiti, em 1791. Também chamada Conjuração dos
                                                             Alfaiates, seu projeto expressava não só a idéia de
As principais revoltas separatistas foram:                   separação de Portugal, mas também de luta pela
                                                             liberdade, pelo fim da escravidão, pela igualdade
A) A INCONFIDÊNCIA MINEIRA (1789):                           racial e por reformas econômicas e sociais.
A mais marcante revolta durante o Brasil colonial foi        A radicalização maior na Conjuração Baiana se ex-
a Inconfidência Mineira, por seu caráter contestador         plica pela própria situação vivida pela região, devido
ao próprio sistema colonial e por ter envolvido vários       à transferência do eixo econômico e político d o país
setores da população (intelectuais, padres, militares,       para o centro-sul, ficando o nordeste relegado ao
profissionais liberais, funcionários da administração,       segundo plano e à instabilidade econômica provocada
mineradores e comerciantes).                                 pelas oscilações do mercado externo.
A insatisfação na região das Minas decorria da opres-        Na Bahia, a insatisfação era geral. Havia altíssima
são administrativa e fiscal, determinando que o quinto       concentração de riquezas, um grande número de
deveria alcançar no mínimo 100 arrobas anuais de             desocupados nas cidades, onde havia falta de
ouro, o que equivalia a 1468 quilos.                         infra-estrutura e de higiene, além dos altos preços e
Com o declínio da mineração esta cota não era preen-         da falta de produtos importados da Europa.
chida. Isso levou o governo português a criar a der-         Desta conspiração participaram escravos, sapateiros,
rama, cobrança forçada do imposto atrasado, através          pedreiros, carpinas, bordadores, soldados e alfaiates.
do confisco de bens.                                         Indivíduos das camadas privilegiadas também tiveram
Ao mesmo tempo que a população se apavorava com a            papel importante, como é o caso dos membros da Loja
                                                                                                                   7
Maçônica Cavaleiros da Luz,             responsáveis            EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
pela propagação das idéias iluministas e da
Revolução Francesa.                                        1. (CN) Há duzentos anos, em 12 de agosto de 1798,
A circulação de panfletos convocando a população a         nas paredes das casa, igrejas e lugares públicos de uma
participar da revolta deu início à conjuração. A           cidade de nosso país, apareceram fixados panfletos
repressão foi imediata. Quarenta e nove pessoas fo-        manuscritos, conclamando a população à revolução.
ram presas, entre elas nove escravos e três mulheres.      Era, na verdade, um manifesto que falava em república,
Muitos foram condenados ao exílio e a açoites. Os          liberdade e igualdade entre todos os homens. Como se
alfaiates João de Deus e Manuel Faustino (de apenas        denomina esse manifesto?
dezessete anos), e os soldados Lucas Dantas, e Luiz        a) Inconfidência Mineira.
Gonzaga das Virgens foram condenados à morte. Os           b) Conjuração Baiana.
intelectuais e homens de projeção social, membros da       c) Insurreição Pernambucana.
Loja Maçônica Cavaleiros da Luz foram poupados.            d) Conjuração do Rio de Janeiro.
Tanto a Inconfidência Mineira como a Conjuração            e) Conjuração dos Suassuna.
Baiana foram derrotadas, mas a crise do sistema
colonial era irreversível.                                 2. (CN) Ao encabeçar uma revolta contra as autorida-
                                                           des portuguesas, Manuel Beckman (1684) tinha por
C) A REVOLUÇÃO PERNAMBUCANA DE 1817                        metas:
A situação da região era difícil.           A produção     a) substituir o governador que havia criado um imposto
algodoeira e açucareira estava em crise, ao mesmo          abusivo sobre os imóveis e impedir que os escravos
tempo em que a exploração monopolista dos                  africanos fossem vendidos na área portuária.
comerciantes portugueses continuava.                       b) fechar a Casa de Fundição e conseguir que o ouro
O momento era de grande recessão, com queda dos            circulasse livremente.
preços dos produtos exportados e encarecimento dos         c) expulsar os padres jesuítas e anular o monopólio
produtos importados,        por causa do monopólio.        da Companhia de Comércio.
Somando-se a isso, o governo aumentava cada vez            d) obter as mesmas vantagens comerciais desfrutadas
mais os impostos, buscando recursos para cobrir seus       pelos comerciantes de Olinda para os de Recife e que
empréstimos.                                               este povoado se transformasse em Vila.
A seca de 1816 complicou ainda mais a situação             e) instituir uma companhia de comércio que conse-
econômica da região, favorecendo a difusão das idéias      guisse escravos africanos de bom preço e a permissão
liberais e emancipacionistas através de várias             para efetuar transações proveitosas com a área espa-
sociedades secretas, nos quartéis e entre o clero.         nhola do Prata.
Da revolta participaram grandes proprietários rurais,
a massa de homens livres não-proprietários, militares      3. (CN) Filipe dos Santos Freire incitou o povo que ha-
e membros do clero.                                        bitava Vila Rica e arredores a revoltar-se, direcionando
O estopim foi a prisão dos principais suspeitos de         a sua atividade contra:
liderar o movimento. Rapidamente os revolucionários        a) os padres jesuítas, que não permitiam serem os
venceram as tropas oficiais e organizaram um governo       índios escravizados.
provisório, formado por representantes do comércio, do     b) o Governador das Minas, Conde de Assumar, que
clero, do exército da agricultura e da justiça. Enviaram   não consentia na ampliação das áreas de cultivo e
à todas as comarcas uma nova “Lei Orgânica”                pastoreio.
e conseguiram a adesão da Paraíba e do Rio Grande          c) a continuidade de o Brasil ser mantido como colônia,
do Norte.                                                  propondo a separação definitiva de Portugal.
No projeto da Revolução estariam garantidos a todos        d) os “emboabas”, que monopolizavam o comércio re-
a liberdade de consciência e imprensa, os impostos         gional, enriquecendo-se em detrimento dos verdadeiros
criados por D. João seriam abolidos, o novo governo        descobridores, os paulistas.
seria republicano e os estrangeiros que aderissem se-      e) o fiscalismo governamental, expresso pelas Casas
riam considerados “patriotas”.                             de Fundição, onde compulsoriamente se cobrava o
A escravidão ficava mantida, dentro da garantia de         “quinto” sobre o ouro.
propriedade.
Da Bahia e do Rio de Janeiro se organizou a repressão.     4. (CN) A Guerra dos Mascates, ocorrida entre Recife e
Após algumas batalhas, os revolucionários foram            Olinda, no ano de 1710 pode ser interpretada como:
vencidos. Os principais líderes foram fuzilados ou         a) um conflito que teve conseqüência favorável aos
enforcados.                                                mascates, visto que vários líderes olindenses foram pre-
O ideal de emancipação política ainda teria que            sos e Recife foi confirmada como vila independente.
esperar.                                                   b) um conflito que teve conseqüência favorável aos
Entre as medidas tomadas por D. João após sufocar o        olindenses, visto que vários líderes recifenses foram
movimento, estava a criação da capitania de Alagoas,       presos, embora Recife tenha sido confirmada como
separada de Pernambuco.                                    vila independente.
                                                           c) uma rebelião dos comerciantes de Recife, que, se m

8
apoio do rei de Portugal, buscaram, através das armas,       fisco, o esgotamento da pecuária e a crise da agricul-
a autonomia de Recife em relação à Olinda.                   tura de alimentos.
d) uma rebelião dos comerciantes de Olinda, que, sem
apoio do rei de Portugal, lutaram para impedir que           8. (CN) A respeito dos episódios que caracterizaram
Recife conseguisse a sua autonomia administrativa.           as rebeliões nativistas do Brasil Colônia, podemos
e) um conflito que teve como conseqüência a derrota          afirmar que:
dos comerciantes olindenses, gerando uma crise econô-        a) a revoltas dos Irmãos Beckman, no Maranhão – em
mica agravada com a falência da produção açucareira          1684 – foi apoiada pela massa dos colonos da capi-
na região.                                                   tania, revoltados com os péssimos serviços prestados
                                                             pela Companhia Geral de Comércio do Maranhão,
5. (CN) As afirmativas abaixo referem-se aos movimen-        mas foi combatida pelos jesuítas, que discordavam
tos nativistas ocorridos no Brasil colonial:                 da prática – comum entre os colonos – de escravizar
I - A Revolta de Beckman ocorreu no Maranhão em              os indígenas.
1684 e representou um movimento de protesto contra           b) episódio da Guerra dos Mascates ocorrido na 1ª
a Companhia de Comércio do Maranhão.                         metade do século XVIII demonstra a incapacidade da
II – A Guerra dos Emboabas, ocorreu em 1709, em              elite oligárquica de Olinda aceitar as conseqüências
Minas Gerais, devido aos constantes atritos entre            políticas e econômicas da decadência da lavoura ca-
paulistas e forasteiros.                                     navieira, entre as quais se insere a emancipação da
III – A Guerra dos Mascates ocorreu em 1710, envol-          vila de Recife, fundada durante a primeira invasão
vendo comerciantes e latifundiários em Salvador, na          holandesa ao Brasil e que muito progrediu por meio
Bahia.                                                       das atividades comerciais.
IV – A Revolta de Vila Rica ocorreu em Minas Gerais,         c) a Guerra dos Emboabas (1607-09) foi resultante dos
em 1720, e estava relacionada à elevação de impostos         conflitos ocorridos na região das Minas Gerais opon-
e à instalação de Casas de Fundição.                         do, de um lado, mineradores vindos da área de São
                                                             Paulo – os emboabas – e, do outro lado, mineradores
Estão corretas as afirmativas:                               de origem lusitana, que saíram de sua terra natal em
a) I e III                                                   busca de melhor sorte no Brasil.
b) I, III e IV.                                              d) um dos fatos mais marcantes da Guerra dos Embo-
c) I, II e III.                                              abas é o episódio do Capão da Traição, que resultou na
d) II e III.                                                 morte de mais de 300 paulistas durante disputa, contra
e) I, II e IV.                                               os portugueses, pela posse de terras nas Minas Gerais;
                                                             fato determinante para a intervenção da metrópole em
6. A Devassa sobre a Inconfidência Mineira revelou as        favor dos mineradores paulistas.
idéias políticas dos conspiradores. Entre elas, como         e) a Revolta de Felipe dos Santos (1720) constituiu-
idéias assentes, estava:                                     se em manifesto da sociedade mineradora contra a
a) a total abolição da escravatura;                          opressiva política tributária desenvolvida pela metró-
b) o incentivo à indústria de tecidos e à mineração          pole lusitana na região do Rio de Janeiro – concretizada
c) abertura dos portos.                                      na instituição das Casas de Fundição, nas quais era
d) criação de uma igreja brasileira.                         entregue a Portugal a quinta parte de todo o ouro em
e) eleição direta dos deputados.                             pó ou em barras, comercializado na Colônia.


     EXERCÍCIOS PROPOSTOS                                    9. (CN) Considere as afirmações a seguir – relacionadas
                                                             ao Brasil Colônia de fins do século XVIII – e assinale (V)
7. (CN) No ano de 1789, a cidade de Ouro Preto tornou-       para as afirmativas verdadeiras e (F) para as falsas:
se o palco de um importante movimento de libertação
colonial: a Inconfidência Mineira. Quais os principais       (    ) Entre as aspirações dos inconfidentes mineiros
fatores que originaram esse movimento?                       (1789) não se pode contar a pretensão de tornar o
a) exigência de libertação dos escravos, devido à exi-       Brasil independente de Portugal: o que todos os incon-
gência inglesa, e a pressão da elite letrada local visando   fidentes tramaram era, exclusivamente, tornar Minas
ter acesso às idéias humanistas européias.                   Gerais livre.
b) opressão colonial, as idéias francesas de libertação,     ( ) Os inconfidentes mineiros baseavam suas idéias
a ameaça constante da derrama e os abusos das au-            de libertação no exemplo fornecido pela Revolução
toridades locais.                                            Francesa, enquanto os conjurados da Bahia (1792)
c) construção das Casas de Fundição do ouro em pó,           se inspiravam prioritariamente nos acontecimentos
garantindo o pagamento dos tributos e a oposição local       que levaram à Independência dos EUA.
aos estrangeiros em busca de datas de terra.                 (    ) Uma das propostas dos inconfidentes de Minas
d) concorrência entre comerciantes locais e os grandes       Gerais era a liberdade dos escravos, o que representaria
proprietários de terras e escravos, e a influência da        estímulo para a produção assalariada e o desenvolvi-
Independência norte-americana.                               mento de manufaturas.
e) empobrecimento da elite local decorrente do alto          (    ) Um dos traços marcantes da Conjuração Baiana
                                                             foi o seu caráter assinaladamente popular, contando,
                                                                                                                    9
entre suas lideranças, soldados e alfaiates de origem     lares;
mestiça.                                                  e) tanto a Conjuração Baiana como a Inconfidência
(    ) A sociedade literária do Rio de Janeiro era uma    Mineira foram movimentos nativistas e, portanto,
reunião de intelectuais e literatos interessados em       idênticos sob todos os aspectos.
discutir os temas do iluminismo, mas sem qualquer
projeto revolucionário em curso.                          11. Entre as alternativas abaixo, assinale aquela que
( ) A severidade com que foram punidos os participan-     apresenta as características comuns aos denomina-
tes da Inconfidência Mineira e da Conjuração Baiana é,    dos movimentos precussores da Independência do
em boa parte, explicada pelo temos lusitano de perder     Brasil:
a única colônia que, em fins do século XVIII, tinha       a) o conteúdo de seus programas era baseado na
condições de dar sustentação ao, naquele momento,         ruptura dos laços coloniais e na abolição do trabalho
decadente reino de Portugal.                              escravo;
a) (V) (F) (F) (F) (F) (V)                                b) o caráter urbano e o amplo apoio popular às con-
b) (V) (F) (F) (V) (V) (V)                                jurações;
c) (F) (F) (F) (V) (V) (V)                                c) o caráter regional ou local dos movimentos e a in-
d) (V) (F) (F) (V) (F) (V)                                fluência sobre os mesmos das idéias liberais;
e) (F) (V) (F) (V) (F) (V)                                d) os movimentos expressavam tanto as transforma-
                                                          ções introduzidas no Brasil pela Corte Portuguesa
9. A conspiração que teve lugar nas MINAS GERAIS em       quanto as diferentes posições de seus participantes
final do século XVIII, e que culminou com a execução      em relação ao problema da escravidão;
de JOAQUIM JOSÉ DA SILVA XAVIER, pode ser vista           e) as influências da Revolução Francesa e a estreita
como mais um dos momentos de rebeldia colonial con-       vinculação com os acontecimentos que conduzem à
tra o monopólio metropolitano. Sobre a Inconfidência      emancipação de 1822.
Mineira, é correto afirmar ter sido:
a) um movimento de caráter revolucionário, visando à      12. Leia com atenção os textos a seguir:
abolição da escravatura na zona mineradora e à cons-
tituição de uma república igualitária.                    “... Duas coisas são necessárias: a revogação do mono-
b) um movimento inspirado na revolução Americana          pólio e a expulsão dos jesuítas, a fim de se recuperar a
de 1776 e no pensamento ilustrado da época, de cará-      mão livre no que diz respeito ao comércio e aos índios;
ter antimonopolista, e que pretendia estabelecer, em      depois haverá tempo de mandar ao Rei representantes
condições escravistas, o pleno controle da sociedade      eleitos e obter a sanção dele.”
mineira pelos proprietários.                              “... O fato de ser Alferes influiu para transformar-me
c) um movimento isolado, sem nenhuma vinculação           em conspirador, levado a tanto que fui pelas injustiças
com o estado de espírito existente na Europa e na         que sofri, preterido sempre nas promoções a que tinha
América naquela época. Por isso fracassou.                direito. Uni as minhas amarguras às do povo, que eram
d) uma reação contra a penetração de interesses eco-      maiores, e foi assim que a idéia de libertação tomou
nômicos britânicos na região mineradora e favorável       conta de mim.”
ao restabelecimento dos reais interesses lusitanos na     “...Animai-vos, povo bahiense, que está para chegar o
área, mas não contou com o apoio da Coroa portu-          tempo feliz da nossa liberdade! (...) Fazer uma guerra civil
guesa.                                                    entre nós, para que não se distinga a cor branca, parda e
e) em parte, fruto da ação de agentes americanos, que     preta, e sermos todos felizes, sem exceção de pessoa.”
pretendiam com isso influência sobre a região minera-     “...Pernambucanos: estejam tranqüilos, apareçam
dora das MINAS GERAIS; de outro lado expressam a          na capital, o povo está contente, já não há distinção
mobilização dos setores escravizados, parte essencial     entre brasileiros e europeus, todos se conhecem ir-
do movimento conspiratório.                               mãos, descendentes da mesma origem, habitantes do
                                                          mesmo país. (...) Um governo provisório iluminado,
10. Entre os movimentos revolucionários ocorridos no      escolhido entre todas as ordens do Estado, preside à
Brasil, no século XVIII, destacam-se a Inconfidência      vossa felicidade.”
Mineira e a Conjuração Baiana. Estabelecendo um           Eles estão relacionados a revoltas ocorridas antes da
paralelo entre ambos, podemos afirmar que:                nossa independência. São elas, pela ordem:
a) a Inconfidência Mineira foi articulada junto à elite   a) A Revolta de Beckman, em 1684; a Conspiração
econômica, enquanto a Conjuração Baiana teve cono-        Mineira, em 1789; a Revolta dos Alfaiates, em 1798; a
tações acentuadamente populares;                          Revolução Liberal, em 1817;
b) a Conjuração Baiana tinha cunho aristocrático e        b) A Aclamação de Amador Bueno, em 1642; a Guerra
a Inconfidência Mineira uma conotação nitidamente         dos Emboabas, em 1707; a Conjuração Baiana, em
popular;                                                  1798; a Confederação do Equador, em 1824;
c) tanto a Inconfidência Mineira como a Conjuração        c) A Guerra dos Emboabas, em 1707; a Conspiração
Baiana foram movimentos com características aris-         Mineira, em 1789; a Guerra dos Mascates, em 1710;
tocráticas;                                               a Revolta dos Alfaiates, em 1798;
d) tanto a Inconfidência Mineira como a Conjuração        d) A Revolta de Beckman, em 1684; a Sedição de Vila
Baiana foram movimentos com características popu-         Rica, em 1720; a Revolução Liberal, em 1817; a Revolta
10
dos Alfaiates, em 1798;                                    setores da sociedade colonial, de que a exploração exer-
e) A Aclamação de Amador Bueno, em 1642; a Guerra          cida pela Metrópole era contrária aos seus interesses e
dos Mascates, em 1710; a Revolta dos Negros Malês,         responsável pelo empobrecimento da Colônia.
em 1835; a Revolução Praieira, em 1848.                    c) denunciavam a total adesão dos colonos às pres-
                                                           sões da burguesia industrial britânica a favor da in-
13. (UGF) A Revolução Pernambucana de 1817, uma            dependência e da abolição do tráfico negreiro para se
das principais rebeliões contra o domínio colonial por-    construir, no Brasil, um mercado de consumo para os
tuguês, está ligada ao (à):                                manufaturados.
a) recrutamento militar promovido por D. João para         d) representavam uma forma de resistência dos colonos
as campanhas da Cisplatina e da Guiana.                    às tentativas de recolonização empreendidas, depois
b) aumento e à implantação da carga tributária.            da Revolução do Porto, pelas Cortes de Lisboa, libe-
c) introdução de reformas ilustradas e liberais pela       rais em Portugal, que queriam reaver o monopólio do
Coroa no governo da colônia.                               comércio com o Brasil.
d) reação dos senhores de engenho do nordeste contra       e) tinham cunho separatista e uma ideologia marcada-
a expansão do café do sudeste.                             mente nacionalista, visando à libertação da Colônia da
e) subordinação do governo da Capitania de Pernam-         Metrópole e à formação de um Império no Brasil através
buco às Cortes, e em Lisboa.                               da união das várias regiões até então desunidas.

14. (UNIMEP-SP) A chamada Inconfidência Mineira, no        17. (CESGRANRIO) No período colonial vária rebeliões
plano das idéias, era inspirada em grande parte:           e movimentos de libertação que questionaram a do-
a) nas reivindicações das camadas menos favorecidas        minação portuguesa sobre o Brasil. A respeito dessas
da colônia.                                                rebeliões, podemos afirmar que:
b) nos princípios socialistas de Saint-Simon;              1- Todos os movimentos de contestação visavam à
c) no pensamento liberal dos filósofos da ilustração       separação definitiva do Brasil de Portugal.
européia.                                                  2- Até a 1a. metade do século XVIII, os movimentos
d) nas idéias absolutistas propostas pelos déspotas        contestatórios exigiam mudanças, mas não o rompi-
esclarecidos.                                              mento do estatuto colonial.
e) nas fórmulas políticas apresentadas pelos comer-        3- Desde o final do século XVIII, os movimentos de
ciantes do Rio de Janeiro.                                 libertação sofreram a influência do iluminismo e de-
                                                           fendiam o fim do pacto colonial.
15. (UNEB) “Cada soldado é cidadão, sobretudo os           4- A luta pela abolição da escravatura era uma das pro-
homens pardos e pretos, que vivem escorraçados e           postas presentes em basicamente todas as rebeliões.
abandonados. Todos serão iguais, não haverá diferen-       5- Uma das razões de vários movimentos contestatórios
ça; só haverá liberdade, igualdade e fraternidade.”        era o abuso tributário da coroa portuguesa em relação
(Manifesto afixado nas paredes das igrejas de Salvador,    aos colonos.
no dia 12 de agosto de 1798.)                              Estão corretas as afirmativas:
O conteúdo do texto acima expressa, principalmente:        a) somente 1, 2 e 3
a) proposta e aspiração políticas idênticas àquelas que    b) somente 1, 3 e 5
motivaram a Inconfidência Mineira.                         c) somente 2, 3 e 4
b) ideal emancipacionista vinculado à ajuda material       d) somente 2, 3, 4 e 5
da França.                                                 e) somente 3, 4 e 5
c) movimento de caráter social, princípios iluministas e
a igualdade racial, pregados abertamente pelos líderes     18. (UFF-RJ) Dos intelectuais envolvidos no suposto
da Conjuração Baiana.                                      embrião de conspirações. Manuel Inácio da Silva Alva-
d) contestação sem alcance social e sem apelo popular.     renga foi, sem dúvida a figura exponencial.
e) ideal emancipacionista, relacionado a uma forma         (Santos, Afonso Carlos Marques dos - Rascunho da Na-
monárquica de governo                                      ção. Inconfidência no Rio de Janeiro - Ed. Carioca)
                                                           A afirmação se refere à chamada Inconfidência Carioca
16. (Cesgranrio-RJ) Durante as últimas décadas do          e, além desta, outros movimentos político-ideológtico
século XVIII, a colônia portuguesa na América foi palco    visavam liberar o Brasil (ou parte dele) da domina-
de movimentos como a Inconfidência Mineira (1789),         ção portuguesa. Dentre esses movimentos, podemos
a Conjuração do Rio de Janeiro (1794) e a Conjuração       citar:
Baiana (1798). A respeito desses movimentos, pode-se       a) a Conjuração Baiana, a Balaiada e a Sabinada;
afirmar que:                                               b) a Inconfidência Mineira, a Conjuração Baiana e a
a) demonstravam a intenção das classes proprietárias,      Confederação do Equador;
adeptas das idéias liberais, de seguirem o exemplo da      c) a Inconfidência Mineira, a Revolta Farroupilha e a
Revolução Americana (1776) e proclamarem a inde-           Revolta Praieira;
pendência construindo uma sociedade democrática em         d) a Inconfidência Mineira, a Conjuração Baiana e a
que todos os homens seriam livres e iguais.                Revolta Pernambucana;
b) expressavam a crise do Antigo Sistema Colonial atra-    e) a Conjuração Baiana, a Inconfidência Mineira e a
vés da tomada de consciência, por parte de diferentes      Cabanagem.
                                                                                                              11
Capítulo 3                              Diante da ameaça de invasão das tropas fran-
                                                              co-espanholas, a família real fugiu para o Brasil
                                                              (29/11/1807).
        O PROCESSO DE
     EMANCIPAÇÃO POLÍTICA                                      3. Principais Medidas de D. João no Brasil:
           DO BRASIL
                                                              A família real chegou ao Brasil no início de 1808, pas-
O processo de emancipação política, ou seja, o caminho        sando pela Bahia e decidindo-se estabelecer no Rio de
para a libertação política brasileira em relação a Portugal   Janeiro. A rainha D. Maria, chamada “a louca”, não
teve início com a vinda da família real para o Brasil.        estava em condições de governar, deixando D. João,
                                                              seu filho, como príncipe-regente.
               1. Causas da Vinda
          da Família Real para o Brasil:                      As principais medidas de D. João no Brasil foram:

Em novembro de 1807, a família real portuguesa deci-          - Abertura dos Portos às nações amigas.
diu fugir para o Brasil devido aos seguintes motivos:         - Tratados de 1810.
− a expansão napoleônica e o Bloqueio Continental.            - Elevação a Reino Unido.
− a dependência de Portugal em relação à Inglaterra.
                                                              A) Abertura dos Portos (1808):
A) Expansão Napoleônica e Bloqueio Continental:
                                                              Consistiu na abertura dos portos brasileiros às “nações
Napoleão Bonaparte era o governante francês que lutou         amigas”, ou seja, à Inglaterra.
contra as demais nações européias visando defender os
interesses burgueses da Revolução Francesa. O maior           Significou o rompimento do pacto colonial, o início da
inimigo francês era a Inglaterra que, tratando-se de          influência britânica no Brasil e um grande passo para
uma ilha, Napoleão não conseguiu invadir. Dessa for-          a independência política do Brasil.
ma, decidiu impor o Bloqueio Continental.
                                                              B) Os Tratados de 1810:
Bloqueio Continental: determinação napoleônica
exigindo que as nações européias ficassem proibidas           Assinados com a Inglaterra, foram dois tratados:
de comerciar com a Inglaterra e de permitir que navios
ingleses atracassem em seus portos.                           - Comércio e Navegação: a principal decisão foi em
                                                              relação as tarifas alfandegárias: Inglaterra (15%), Por-
Através do Bloqueio, Napoleão visava estrangular              tugal (16%) e demais países (24%). Outras medidas:
economicamente a Inglaterra e garantir o desenvolvi-          direito inglês a um porto neutro na Ilha de Santa Cata-
mento industrial francês com a garantia dos mercados          rina; garantia de liberdade religiosa aos ingleses; con-
europeus.                                                     cessão aos ingleses de elegerem seus próprios juízes.

B) A Dependência de Portugal em Relação à Inglaterra:         - Aliança e Amizade: D. João se comprometia a não
                                                              estabelecer a Santa Inquisição no Brasil e determinava
A situação portuguesa ficou complicada na medida              a gradual extinção do tráfico negreiro para o Brasil.
em que possuía uma forte dependência econômica em
relação à Inglaterra.                                         Representou a dependência econômica brasileira em
                                                              relação à Inglaterra.
Ao mesmo tempo, desobedecer às determinações de
Napoleão era muito arriscado, pois podia significar a         C) Elevação do Brasil a Reino Unido (1815):
invasão do país pelas tropas napoleônicas.
                                                              O Brasil foi elevado à categoria de Reino Unido a
   2. A Vinda da Família Real para o Brasil:                  Portugal e Algarves. O motivo foi direito de voto no
                                                              Congresso de Viena, legitimando a permanência do
Pressionada por Napoleão, Portugal fechou os portos           governo português no Brasil.
aos navios ingleses. Logo em seguida, assinou a Con-
venção Secreta com a Inglaterra que determinava o             Representou o reconhecimento oficial do fato de não
embarque da família real para o Brasil, sob a proteção        sermos mais colônia de Portugal.
da marinha inglesa, dando em troca a ocupação da
Ilha da Madeira e a abertura de um porto no Brasil                     4. Outras Medidas de D. João:
para os ingleses.
                                                              - Alvará de Liberdade Industrial (1808): revogava o
Percebendo a conspiração portuguesa, Napoleão assinou         alvará de 1785, de D. Maria I, que proibia o estabele-
o Tratado de Fontainebleau (out/1807) com a Espanha,          cimento de fábricas no Brasil.
determinando a invasão de Portugal e de suas colônias.        - Criação do Banco do Brasil.
12
- Criação de faculdades.                                      7. A Regência de D. Pedro (1821-1822):
- Fundação da Academia Real Militar.
- Criação da Biblioteca Real.                              D. Pedro assumiu a regência do Brasil, após a volta
- Criação da Imprensa Régia: 1º Jornal “A Gazeta do        da família real, sob fortes pressões recolonizadoras,
Rio de Janeiro” e a 1ª Revista “O Patriota”.               tentando também o seu retorno a Portugal.
- Criação do Teatro Real.
- Criação do Jardim Botânico.                              As principais medidas recolonizadoras foram:
- Vinda de Missão artística francesa, com destaque         − reunião, numa única entidade, dos exércitos portu-
para o pintor Debret.                                      gueses e brasileiros.
                                                           − nomeação, para cada província do Brasil, de um gover-
             5. Política Externa Joanina:                  nador das armas, que obedeceria diretamente às ordens
                                                           vindas de Portugal, ou seja, independente da autoridade
Na política externa, D. João obteve duas significativas    do príncipe regente.
vitórias:                                                  − extinção dos tribunais e repartições públicas criadas
                                                           por D. João, anulando a autoridade do poder concentrado
- Conquista da Guiana Francesa (1809-1817): foi            no Rio de Janeiro.
devolvida a França por determinação do Congresso           − envio de novas tropas para o Rio de Janeiro, Pernam-
de Viena.                                                  buco e Bahia.
- Conquista do Uruguai: antiga pretensão portu-            − criação de um imposto adicional nas alfândegas brasi-
guesa de limitar o extremo sul do Brasil com o rio da      leiras, com a clara intenção de recuperar o monopólio.
Prata. Foi conquistada em 1816 e anexada ao Brasil
em 1821 com o nome de Província Cisplatina.                No Brasil, D. Pedro contava com a resistência de seto-
                                                           res como os latifundiários, a maçonaria e a imprensa. A
           6. Revolução do Porto de 1820:                  idéia era realizar a emancipação definitiva sem conflitos
                                                           armados e sem a participação das camadas populares
Apesar da derrota napoleônica em 1815, D. João             com o objetivo de resguardar a propriedade.
preferiu permanecer no Brasil devido a destruição do
                                                           As principais decisões de D. Pedro foram:
Estado Português.

                                                           - O “Fico” (09/01/1822): D. Pedro decidiu permane-
Em 1820, ocorreu uma grande revolta conhecida como
                                                           cer no Brasil apesar das pressões recolonizadoras.
Revolução Liberal do Porto que visava restaurar a so-
                                                           Frase: “Como é para o bem de todos e felicidade geral
berania portuguesa, abalada pela invasão napoleônica
                                                           da nação, estou pronto. Diga ao povo que fico”
e o posterior domínio inglês.
                                                           - O “Cumpra-se” (4/5/1822): decreto determinando
                                                           que nenhuma lei promulgada pelas Cortes de Lisboa
Os principais motivos da Revolução do Porto foram:
                                                           seria obedecida sem o “cumpra-se” de D. Pedro.
                                                           - A “Independência” (14/9/1822): diante de novas
-   crise econômica.
                                                           ordens das Cortes Portuguesas, D. Pedro decidiu rom-
-   descontentamento popular
                                                           per definitivamente com Portugal.
-   fome e miséria.
-   presença inglesa em Portugal.                          Obs.: Ocorreram resistências portuguesas no Brasil nas
-   influência das idéias liberais.                        províncias da Bahia, do Maranhão, do Grão-Pará, do
-   prejuízos na relação com a colônia.                    Piauí e da Cisplatina.
-   concorrência com os produtos manufaturados ingleses.
-   perda do mercado brasileiro.                                8. Os Significados da Independência:

Liderada pela burguesia portuguesa, existiam duas          − não provocou mudanças profundas no nosso pro-
exigências principais:                                     cesso histórico.
                                                           − participação da aristocracia, da maçonaria e da im-
− a volta da família real                                  prensa: movimento elitista.
− recolonização do Brasil.                                 − o povo não participou do processo de articulação da
                                                           independência porque era marginalizado pela aristo-
Os revolucionários escreveram uma Constituição e           cracia que não admitia manifestações populares na
conseguiram que D. João a assinasse, representando         política brasileira.
o fim do Absolutismo português. Em março de 1821,          − manutenção da escravidão.
D. João anunciou seu retorno para Portugal e no-           − permanência da dependência econômica em relação
meou como Regente do Brasil seu filho D. Pedro.            à Inglaterra.
                                                           − manutenção do modelo de produção colonial: agrário,
Em abril de 1821 D. João e sua corte retornam para         monocultor, latifundiário, escravista e exportador.
Portugal.                                                  − supremacia da elite agrária.
                                                           − manutenção da unidade territorial.
                                                           − adoção do regime monárquico: Estado Brasileiro.

                                                                                                               13
EXERCICIOS DE FIXAÇÃO                                   e) alianças com a Inglaterra e acordos para iniciar a
                                                             industrialização.
1. (CN) A abertura dos portos brasileiros às nações
amigas, em 1808, encerrou:                                   6. (UFMG) Todas as alternativas apresentam afir-
a) a dependência portuguesa da Inglaterra.                   mações corretas sobre a independência do Brasil,
b) o interesse português sobre o Brasil dos países           EXCETO:
europeus.                                                    a) A crença no liberalismo de D.Pedro I e a expectativa
c) a dependência do Brasil dos países europeus.              positiva quanto a uma constituição brasileira estavam
d) o monopólio luso sobre o Brasil.                          presentes em 1822.
e) o poder da Inglaterra sobre os produtos brasilei-         b) A declaração de independência estava diretamente
ros.                                                         relacionada às determinações das Cortes de Lisboa
                                                             enviadas a D. Pedro.
2. (CN) O Príncipe Regente D. João elevou o Brasil a         c) A ideologia monárquica enraizada fez com que o povo
Reino Unido porque:                                          e os políticos apoiassem o príncipe.
a) acreditava ser esta a solução para vencer o movi-         d) A idéia do federalismo era mais importante para os
mento rebelde de Pernambuco liderado por Domingos            radicais do que a defesa da República.
Teotônio Jorge Pessoa.                                       e) A participação popular determinou os rumos da
b) esperava obter vantagens para sua política interna-       constituição do novo Estado Nacional.
cional junto às nações cujos representantes reuniam-
se em Viena.                                                      EXERCICIOS PROPOSTOS
c) desejava projetar o Brasil, local que gostava e elegera
para residir.                                                7. (CN) A presença da Corte portuguesa no Brasil al-
d) recebera este conselho do Visconde de Cairu, para         terou os rumos de nossa história colonial, na medida
que melhor houvesse o desenvolvimento econômico              em que:
da antiga Colônia.                                           I – O Rio de Janeiro transformou-se na sede do Estado
e) atenderia às exigências das Cortes Gerais Extraor-        Português.
dinárias da Nação Portuguesa.                                II – Ocorre a ruptura do pacto colonial: abertura dos
                                                             portos e alvará às indústrias (1808).
3. (CN) Identificamos como um dos atos da política           III – Houveram progressos materiais e culturais, ex-
externa do Príncipe Regente D. João:                         cetuando na imprensa.
a) a solução da Questão Christie.                            IV – Consolida o domínio inglês no Brasil: tratados de
b) a invasão da Guiana Francesa.                             1810 – comércio e navegação, aliança e amizade.
c) a celebração com a Espanha do Tratado de Madri.           V – O país expande seu território comprando a Guiana
d) a aquisição do Território do Acre pertencente à           Francesa e anexando o Uruguai.
Bolívia.
e) o rompimento com o Vaticano e a conseqüente               Assinale a alternativa correta:
expulsão dos jesuítas do território brasileiro.              a) As afirmativas I, II e IV são verdadeiras.
                                                             b) As afirmativas II, III e V são verdadeiras.
4. A transferência da Corte Portuguesa para o Brasil         c) As afirmativas I, II, III e IV são verdadeiras.
decorreu da pressão da Inglaterra, interessada em            d) As afirmativas I, II, III e V são verdadeiras.
impedir:                                                     e) Todas as afirmativas são verdadeiras.
a) o controle marítimo do Atlântico sul por Napoleão.
b) o aprisionamento dos navios portugueses por Na-           8. (CN) A estadia de D. João VI no Brasil está asso-
poleão.                                                      ciada a duas ações militares distintas. A primeira, a
c) a ruína da dinastia de Bragança.                          ocupação da Guiana Francesa, em 1809; a segunda,
d) a saída de vinho português para a França.                 a conquista do Uruguai e sua transformação em Pro-
e) a aliança entre a Espanha e a França.                     víncia Cisplatina (1816-21). Sobre esses fatos podemos
                                                             afirmar que:
5. Por volta de 1820 , a burguesia portuguesa inicia         a) a investida contra a colônia francesa foi um ato
uma revolução liberal. controlando o poder, propõe-          revanchista contra o imperador da França, Napoleão
se a recuperar a economia do Reino e exige medidas           Bonaparte que, um ano antes, havia decretado o Blo-
imediatas como:                                              queio Marítimo contra o reino de Portugal.
a) desligar-se da dependência inglesa e participar da        b) ambas as empreitadas tinham como objetivo espe-
Revolução Industrial;                                        cífico adquirir para Portugal regiões economicamente
b) o regresso de D.João VI a Metrópole e recolonização       estratégicas, caso tanto do Uruguai – com excelente
do Brasil.                                                   porto localizado junto à foz do Rio da Prata – quanto da
c) coroar D.Pedro Imperador de Portugal e adotar uma         Guiana Francesa – cujo porto de Caiena configurava-se
constituição liberal;                                        como fornecedor de acesso fácil à próspera economia
d) a aplicação de leis protecionistas para a ampliação       norte-americana de inícios do século XIX.
do mercado interno português;                                c) tiveram como conseqüência comum o endivida-

14
mento de Portugal que, para bancar financeiramente           d) a presença de D. Pedro era extremamente impor-
essas campanhas – assim como a repressão interna à           tante para os latifundiários, que buscavam executar
Revolução Pernambucana de 1817 – teve de contrair            uma Independência que inviabilizasse a participação
empréstimos junto ao governo da Inglaterra e aumentar        popular, evitasse a fragmentação territorial e mantives-
os impostos cobrados à população colonial.                   se a estrutura sócio-econômica desenvolvida durante
d) a ocupação do Uruguai foi uma revanche contra a           o período colonial.
monarquia espanhola que – no momento da invasão              e) para a elite latifundiária, D. Pedro era de extrema im-
lusitana à Cisplatina – era aliada do império napo-          portância no processo de Independência devido à sua
leônico, responsável pela expulsão de D. João VI do          projeção política na Inglaterra e nos países vizinhos da
reino português.                                             América do Sul, facilitando com isso o reconhecimento
e) elas levaram à ampliação do território brasileiro         do movimento, como ocorreu em 1824.
que – após o processo de independência de Portugal
– manteve essas duas conquistas, somente tendo sido          11. A chegada da Corte Portuguesa ao Brasil em
perdidas durante a fase do 1º Reinado.                       1808 representou uma mudança significativa no que
                                                             se refere a integração do Brasil no mercado mundial
9. (CN) O “Clube da Resistência”, que se formou no Rio       porque:
de Janeiro e tinha a sua sede na casa de José Joaquim        a) a diplomacia joanina insultou rebeliões na província
da Rocha, desejava obter:                                    Cisplatina, favorecendo, assim, a exportação de couro
a) o fechamento da Assembléia Nacional Constituinte,         sulino para a Europa;
convocada pelo imperador D. Pedro I antes que ela            b) foi extinto o tráfico de escravos negros para o Brasil
promulgasse uma Constituição.                                em troca dos comerciantes lusos abastecerem, com
b) a permanência do Príncipe Pedro I no Brasil, envol-       exclusividade, algumas das colônias como a Guiana;
vendo-o no movimento para a Independência.                   c) foram assinados os tratados de Aliança e Amizade
c) a unificação das múltiplas lojas maçônicas para que       e de Comércio e Navegação com a Inglaterra, por meio
pudessem provocar a abdicação de Pedro I.                    dos quais se garantia a preponderância inglesa no
d) recursos financeiros e apoio político, para o impe-       comércio com o Brasil;
rador Pedro I resistir às tropas portuguesas contrárias      d) D.Rodrigo de Sousa Coutinho, Ministro de D. João,
ao ato de Independência.                                     traçou e pôs em execução um projeto de cultivo e
e) a maioridade antecipada de D. Pedro II para dar fim       exportação de algodão, com vistas a substituir a ex-
o período regencial.                                         portação norte-americana, prejudicada pela guerra da
                                                             independência;
10. (CN) “Depois da volta de D. João para Portugal,          e) promoveu-se uma legislação visando a contenção
as Cortes portuguesas começaram a preparar a reco-           das importações de supérfluos que, naquela época,
lonização do Brasil.                                         começavam a abarrotar o porto do Rio de Janeiro.
As tentativas recolonizadoras provocaram a organiza-
ção, no Brasil, de um movimento de Independência,            12. O início do século XIX assinalou uma significativa
onde se destacou a maçonaria e a imprensa e que              mudança nas relações mantidas entre a sociedade co-
contou com a simpatia da Inglaterra.                         lonial brasileira e as principais Nações da Europa Oci-
Para a elite latifundiária e para alguns comerciantes        dental em virtude da expansão do capitalismo no velho
era preciso o apoio de D. Pedro, para que a Indepen-         continente. Expressa a natureza dessa mudança;
dência fosse feita em nome da classe dominante, sem          a) a quebra do monopólio comercial garantido a me-
luta e sem prejuízos econômicos para ela.”                   trópole portuguesa através da “Abertura dos Portos às
(SILVA, Francisco de Assis. História do Brasil 1 Colô-       Nações Amigas”, em 1808;
nia. Ed. Moderna)                                            b) a exportação maciça de manufaturados ingleses e
Assinale a alternativa que está diretamente relacionada      norte-americanos para os grandes centros urbanos
à idéia transmitida pelo texto acima:                        brasileiros, incapazes de produzir os mesmos produ-
a) com D. Pedro a frente do poder, Portugal minimizaria      tos a preços competitivos;
as tentativas de acabar com a Independência devido           c) a perda do prestígio político e militar da coroa
aos laços dinásticos envolvidos, ou seja, pelo fato de D.    Portuguesa, com a transmigração da família imperial
Pedro pertencer a casa de Bragança e de ser o próximo        para o Brasil;
rei de Portugal, após a morte de D. João VI.                 d) a eliminação progressiva do trabalho escravo nas
b) a elite latifundiária do Brasil viu em D. Pedro a opor-   grandes fazendas de cafés, barateando o preço daquele
tunidade de executar um movimento de Independência           produto nos mercados europeus;
com ampla participação popular, visto que, como sím-         e) o estreitamento dos laços culturais com a Europa
bolo da centralização política, D. Pedro despertaria nas     capitalista, de que é exemplo à vinda da Missão Fran-
massas o ideal comum que faltava ao movimento.               cesa de 1816 a Corte do Rio de Janeiro.
c) para os latifundiários, a presença de D. Pedro era
fundamental no processo de Independência porque,             13. “ O mercado ficou inteiramente abarrotado tão
como membro da família real portuguesa, conseguiria          grande era o fluxo de manufaturas inglesas no Rio,
manter os acordos econômicos existentes entre produ-         logo em seguida a chegada do príncipe regente, que
tores brasileiros e comerciantes portugueses.                os aluguéis das casas para armazená-las elevaram-se
                                                                                                                  15
vertiginosamente.” (JONN MAWE).                             d) Apenas II e III.
Com base no texto, assinale a opção que melhor carac-       e) I, II e III.
terize a evolução da economia brasileira com a vinda
da família real:                                            17. (UERJ) Que tardamos? A época é esta: Portugal
a) a atuação de uma burguesia lusa dinâmica inves-          nos insulta; a América nos convida; a Europa nos
tindo no setor industrial;                                  contempla; o príncipe nos defende. Cidadãos! soltai
b) a abertura dos portos e os tratados de comércio          o grito festivo... Viva o Imperador Constitucional do
subsequentes impulsionaram o desenvolvimento eco-           Brasil, o Senhor D. Pedro I.
nômico:                                                     (Proclamação. Correio Extraordinário do Rio de Janei-
c) D. João adotou uma política visando especificamente      ro. 21 de setembro de 1822.)
o desenvolvimento industrial;                               Esse texto mostra o rompimento total e definitivo com
d) o comércio colonial estava vinculado a América           a antiga metrópole como necessário para a constru-
Espanhola;                                                  ção do Império Brasileiro. Nele também está implícito
e) D. João adotou uma política liberal e protecionista      um dos fatores que contribuíram para o processo de
visando proteger o comercio colonial dos franceses.         construção da independência do Brasil.
                                                            Esse fator foi:
14. (UFMG) A transferência da Corte Portuguesa para         a) a ajuda das potências européias em função de seus
o Brasil implicou mudanças significativas no estatuto       interesses econômicos.
colonial.                                                   b) a intransigência das Cortes de Lisboa na aceitação
Todas as afirmativas apresentam medidas tomadas             das liberdades brasileiras.
por D. João VI em seu governo, exceto:                      c) o ideal republicano em consonância com o das an-
a) a abertura dos portos, concedendo liberdade de           tigas colônias espanholas.
comércio.                                                   d) o movimento separatista das províncias do norte em
b) a assinatura de tratados comerciais com a Ingla-         processo de união com Portugal.
terra.
c) a criação da Imprensa Régia e das Faculdades de          18. “No dia 7 de setembro de 1822 nascia uma nova
Medicina e Belas-Artes.                                     Nação. Um Príncipe português separava o Brasil de
d) a elevação do Brasil a Reino Unido de Portugal e         sua antiga Metrópole. Para setores da classe domi-
Algarves.                                                   nante, como os fazendeiros do Sudeste, uma vitória.
e) a proibição da atividade industrial no Brasil.           A população de São Paulo e do Rio de Janeiro ficou
                                                            empolgada. Comemorações e fitinhas verde-amarelas
15. (UNIRIO) Assinale a opção cujo conteúdo está            dominavam o ambiente.” (F. Alencar, Lucia Carpi e
ligado à concretização da emancipação política do           M. Venício Ribeiro, História da Sociedade Brasileira).
Brasil, em 1822:                                            Se for verdade que a Independência representou uma
a) reforço da política de monopólios adorava pelo go-       vitória para alguns setores da classe dominante, não
verno de D. João no Brasil.                                 se pode dizer o mesmo com relação à grande maioria
b) apoio do rei aos setores liberais da colônia, como no    da população. Isto porque:
caso da Revolução Pernambucana.                             a) boa parte do povo não aceitou o rompimento com
c) política recolonizadora do Brasil adotada pelas cortes   as Cortes Portuguesas, chegando a lutar de armas na
portuguesas.                                                mão contra a separação;
d) desdobramento da Revolução Liberal do Porto na           b) os trabalhadores escravos, principal mão-de-obra
colônia.                                                    da nova Nação, não tiveram nenhum benefício com a
e) reação das elites coloniais à permanência do príncipe    Independência, pois ao nível econômico nada mudou
herdeiro de Portugal na colônia.                            em profundidade;
                                                            c) a precariedade dos meios de comunicação na épo-
16. (UFRS) Considere as seguintes afirmações sobre o        ca, impediu que muitos participassem da conquista e,
processo de emancipação política do Brasil:                 conseqüentemente, se beneficiassem;
I. A separação de Portugal acarretou profundas mo-          d) apesar do declínio da escravidão, os salários pagos
dificações na estrutura econômica brasileira, agora         aos trabalhadores eram muito baixos;
livre da exploração colonial e dos entraves ao livre        e) a transformação dos latifúndios agroexportadores
comércio.                                                   em minifúndios voltados para o consumo interno, de-
II. A Maçonaria revelou-se uma força política atuante,      terminada pela Assembléia Constituinte de 1823, não
defendendo idéias liberais.                                 teve resultados econômicos animadores.
III. A camada senhorial, entre outros segmentos so-
ciais, saiu vitoriosa na luta contra as Cortes e os ra-     19. “Incapaz de se defender contra o invasor e na imi-
dicais, defendendo a solução monárquica, que evitaria       nência de vir a perder a soberania, o Regente D. João
a fragmentação do país.                                     acaba por aceitar a sugestão insistente de seus conse-
Quais estão corretas?                                       lheiros, entre eles o Conde de Linhares, elo de ligação
a) Apenas I                                                 com Lord Stratford, plenipotenciário inglês em Lisboa
b) Apenas II.                                               e principal patrocinador da idéia de transferência da
c) Apenas I e I.                                            Família Real para o Brasil.” O autor se refere à vinda
16
da Corte Portuguesa, que, na realidade, beneficiou
principalmente:
a) a Portugal, pois o controle direto do governo da Colô-
nia possibilitou uma política econômica que favoreceu
as finanças portuguesas;
b) à Inglaterra que passou a ter, no mercado da Colô-
nia, privilégios alfandegários especiais, fato que colocou
o Brasil na sua total dependência econômica;
c) ao Brasil porque, após o profícuo período da admi-
nistração de D. João e sua volta a Portugal, a economia
brasileira estava firmemente estabilizada;
d) a todas as nações, pois o decreto de abertura dos
portos possibilitou a colocação de seus produtos no
mercado brasileiro a taxas mínimas;
e) a todas as nações européias que, beneficiando-se
da abertura de novos mercados na América, puderam
reorganizar-se para destruir o exército de Napoleão.

20. “(...) Outro efeito da forma pela qual se operou a
emancipação do Brasil é o caráter de ‘arranjo político’,
se assim nos podemos exprimir, de que se re-
vestiam os meses que medeiam da partida de
Dom João à proclamação da Independência, pe-
ríodo final em que os acontecimentos se precipi-
tam, decorrem num ambiente de manobras de
bastidores, em que a luta se desenrola exclusivamente
em torno do príncipe regente, num trabalho intenso de
o afastar da influência das Cortes portuguesas e tra-
zê-lo para o seio dos autonomistas. Resulta daí que a
Independência se fez por uma simples transferência
pacífica de poderes da metrópole para o governo brasi-
leiro. (...) Fez-se a Independência praticamente à revelia
do povo; e se isto lhe poupa sacrifícios, também afastou
por completo sua participação na nova ordem política.
A Independência brasileira é fruto mais de uma classe
que da nação tomada em conjunto.”
       (Caio Prado Jr., Evolução política do Brasil e outros estudos. P. 49-50.)

A análise do texto acima permite concluir que o caráter
da Independência brasileira se evidencia:
a) pela ausência da participação popular e pelo ‘arranjo
político’.
b) pela semelhança com os movimentos de indepen-
dência da América Espanhola.
c) pela influência da filosofia iluminista.
d) pela participação do militar, porta-voz médio bra-
sileiro.
e) pela pressão inglesa junto ao príncipe regente.




                                                                                   17
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2
Historia cn2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02marlete andrade
 
G2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouroG2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouroRafael Vasco
 
Mineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaMineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaJerry Guimarães
 
G2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouroG2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouroRafael Vasco
 
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015Rafael Noronha
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIILú Carvalho
 
Apostila complementar módulo 1. ação 1 vs. história do Brasil
Apostila complementar módulo 1. ação 1 vs. história do BrasilApostila complementar módulo 1. ação 1 vs. história do Brasil
Apostila complementar módulo 1. ação 1 vs. história do BrasilMarco Vinícius Moreira Lamarão'
 
Brasil colonia ou América Portuguesa
Brasil colonia ou América PortuguesaBrasil colonia ou América Portuguesa
Brasil colonia ou América PortuguesaPérysson Nogueira
 
A era do ouro
A era do ouroA era do ouro
A era do ouroNBrunoFS
 

Mais procurados (19)

Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
 
G2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouroG2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouro
 
Mineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaMineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil Colônia
 
G2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouroG2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouro
 
Ouro em minas gerais
Ouro em minas geraisOuro em minas gerais
Ouro em minas gerais
 
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
 
Revoltas do brasil colonial
Revoltas do brasil colonialRevoltas do brasil colonial
Revoltas do brasil colonial
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIII
 
Apostila complementar módulo 1. ação 1 vs. história do Brasil
Apostila complementar módulo 1. ação 1 vs. história do BrasilApostila complementar módulo 1. ação 1 vs. história do Brasil
Apostila complementar módulo 1. ação 1 vs. história do Brasil
 
Brasil mineração séc. XVIII
Brasil mineração séc. XVIIIBrasil mineração séc. XVIII
Brasil mineração séc. XVIII
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
Brasil colonia ou América Portuguesa
Brasil colonia ou América PortuguesaBrasil colonia ou América Portuguesa
Brasil colonia ou América Portuguesa
 
A exploração do ouro
A exploração do ouroA exploração do ouro
A exploração do ouro
 
Mineração
MineraçãoMineração
Mineração
 
A era do ouro
A era do ouroA era do ouro
A era do ouro
 
História do Brasil
História do BrasilHistória do Brasil
História do Brasil
 
A época do ouro no brasil
A época do ouro no brasilA época do ouro no brasil
A época do ouro no brasil
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 

Destaque (8)

Evaluatie potentiële dijkmonitoringstechnieken: sterktemetingen, geofysische ...
Evaluatie potentiële dijkmonitoringstechnieken: sterktemetingen, geofysische ...Evaluatie potentiële dijkmonitoringstechnieken: sterktemetingen, geofysische ...
Evaluatie potentiële dijkmonitoringstechnieken: sterktemetingen, geofysische ...
 
Seleccionar um Tema para Apresentação
Seleccionar um Tema para ApresentaçãoSeleccionar um Tema para Apresentação
Seleccionar um Tema para Apresentação
 
Projeto de implementação de endomarketing na empresa intima
Projeto de implementação de endomarketing na empresa intimaProjeto de implementação de endomarketing na empresa intima
Projeto de implementação de endomarketing na empresa intima
 
PocketWhale ASO Tips PocketGamer Connects London 2016
PocketWhale ASO Tips PocketGamer Connects London 2016PocketWhale ASO Tips PocketGamer Connects London 2016
PocketWhale ASO Tips PocketGamer Connects London 2016
 
Procedimientos Civiles Especiales
Procedimientos Civiles EspecialesProcedimientos Civiles Especiales
Procedimientos Civiles Especiales
 
Maiê Lab School | Case de Design - Website | Agência Look'n Feel
Maiê Lab School | Case de Design - Website | Agência Look'n FeelMaiê Lab School | Case de Design - Website | Agência Look'n Feel
Maiê Lab School | Case de Design - Website | Agência Look'n Feel
 
Agile with slack
Agile with slackAgile with slack
Agile with slack
 
Actitud positiva
Actitud positivaActitud positiva
Actitud positiva
 

Semelhante a Historia cn2

22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...Franciele Marques
 
ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfDenisBrito16
 
Mineração - 2º ano
Mineração - 2º anoMineração - 2º ano
Mineração - 2º ano7 de Setembro
 
Mineração - 2º ano
Mineração - 2º anoMineração - 2º ano
Mineração - 2º ano7 de Setembro
 
Mineração e Crise do Sistema Colonial
Mineração e Crise do Sistema ColonialMineração e Crise do Sistema Colonial
Mineração e Crise do Sistema ColonialJoão Medeiros
 
Trilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptx
Trilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptxTrilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptx
Trilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptxFabioGuimaraes10
 
Expansão territorial do brasil, mineração e era pombalina
Expansão territorial do brasil, mineração e era pombalinaExpansão territorial do brasil, mineração e era pombalina
Expansão territorial do brasil, mineração e era pombalinaDanii Lopes
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialhistoriando
 
Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)
Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)
Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)isameucci
 
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptxProfessor de História
 
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckmanAspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckmanEliphas Rodrigues
 
Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010
Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010
Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010Keila Caetano
 

Semelhante a Historia cn2 (20)

22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
 
Brasil Colonial XVI - XVII
Brasil Colonial   XVI - XVIIBrasil Colonial   XVI - XVII
Brasil Colonial XVI - XVII
 
ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdf
 
Mineração - 2º ano
Mineração - 2º anoMineração - 2º ano
Mineração - 2º ano
 
Mineração - 2º ano
Mineração - 2º anoMineração - 2º ano
Mineração - 2º ano
 
3ão - Fim da Colonização
3ão - Fim da Colonização 3ão - Fim da Colonização
3ão - Fim da Colonização
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
 
Aula 6
Aula 6Aula 6
Aula 6
 
Mineração e Crise do Sistema Colonial
Mineração e Crise do Sistema ColonialMineração e Crise do Sistema Colonial
Mineração e Crise do Sistema Colonial
 
Trilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptx
Trilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptxTrilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptx
Trilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptx
 
Expansão territorial do brasil, mineração e era pombalina
Expansão territorial do brasil, mineração e era pombalinaExpansão territorial do brasil, mineração e era pombalina
Expansão territorial do brasil, mineração e era pombalina
 
Mineração 8º ano
Mineração 8º anoMineração 8º ano
Mineração 8º ano
 
Aula Mineraçao.pdf
Aula Mineraçao.pdfAula Mineraçao.pdf
Aula Mineraçao.pdf
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
 
Historia do brasil
Historia do brasilHistoria do brasil
Historia do brasil
 
Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)
Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)
Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)
 
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
 
BRASIL COLÔNIA - PARTE I
BRASIL COLÔNIA - PARTE IBRASIL COLÔNIA - PARTE I
BRASIL COLÔNIA - PARTE I
 
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckmanAspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
 
Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010
Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010
Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010
 

Mais de cavip

Sf2n3 2010
Sf2n3 2010Sf2n3 2010
Sf2n3 2010cavip
 
Sf2n2 2010
Sf2n2 2010Sf2n2 2010
Sf2n2 2010cavip
 
Sf2n1 2010
Sf2n1 2010Sf2n1 2010
Sf2n1 2010cavip
 
Pf2n3 2010
Pf2n3 2010Pf2n3 2010
Pf2n3 2010cavip
 
Pf2n2 2010
Pf2n2 2010Pf2n2 2010
Pf2n2 2010cavip
 
Pf2n1 2010
Pf2n1 2010Pf2n1 2010
Pf2n1 2010cavip
 
Sf2n3 2011
Sf2n3 2011Sf2n3 2011
Sf2n3 2011cavip
 
Sf2n2 2011
Sf2n2 2011Sf2n2 2011
Sf2n2 2011cavip
 
Sf2n1 2011
Sf2n1 2011Sf2n1 2011
Sf2n1 2011cavip
 
Pf2n3 2011
Pf2n3 2011Pf2n3 2011
Pf2n3 2011cavip
 
Pf2n2 2011
Pf2n2 2011Pf2n2 2011
Pf2n2 2011cavip
 
Pf2n1 2011
Pf2n1 2011Pf2n1 2011
Pf2n1 2011cavip
 
Pf2n3 2012
Pf2n3 2012Pf2n3 2012
Pf2n3 2012cavip
 
Pf2n2 2012
Pf2n2 2012Pf2n2 2012
Pf2n2 2012cavip
 
Pf2n1 2012
Pf2n1 2012Pf2n1 2012
Pf2n1 2012cavip
 
Pf1n3 2012
Pf1n3 2012Pf1n3 2012
Pf1n3 2012cavip
 
Pf1n2 2012
Pf1n2 2012Pf1n2 2012
Pf1n2 2012cavip
 
Pf1n1 2012
Pf1n1 2012Pf1n1 2012
Pf1n1 2012cavip
 
Lpp3 910
Lpp3 910Lpp3 910
Lpp3 910cavip
 
Lpp3 801 pec
Lpp3   801 pecLpp3   801 pec
Lpp3 801 peccavip
 

Mais de cavip (20)

Sf2n3 2010
Sf2n3 2010Sf2n3 2010
Sf2n3 2010
 
Sf2n2 2010
Sf2n2 2010Sf2n2 2010
Sf2n2 2010
 
Sf2n1 2010
Sf2n1 2010Sf2n1 2010
Sf2n1 2010
 
Pf2n3 2010
Pf2n3 2010Pf2n3 2010
Pf2n3 2010
 
Pf2n2 2010
Pf2n2 2010Pf2n2 2010
Pf2n2 2010
 
Pf2n1 2010
Pf2n1 2010Pf2n1 2010
Pf2n1 2010
 
Sf2n3 2011
Sf2n3 2011Sf2n3 2011
Sf2n3 2011
 
Sf2n2 2011
Sf2n2 2011Sf2n2 2011
Sf2n2 2011
 
Sf2n1 2011
Sf2n1 2011Sf2n1 2011
Sf2n1 2011
 
Pf2n3 2011
Pf2n3 2011Pf2n3 2011
Pf2n3 2011
 
Pf2n2 2011
Pf2n2 2011Pf2n2 2011
Pf2n2 2011
 
Pf2n1 2011
Pf2n1 2011Pf2n1 2011
Pf2n1 2011
 
Pf2n3 2012
Pf2n3 2012Pf2n3 2012
Pf2n3 2012
 
Pf2n2 2012
Pf2n2 2012Pf2n2 2012
Pf2n2 2012
 
Pf2n1 2012
Pf2n1 2012Pf2n1 2012
Pf2n1 2012
 
Pf1n3 2012
Pf1n3 2012Pf1n3 2012
Pf1n3 2012
 
Pf1n2 2012
Pf1n2 2012Pf1n2 2012
Pf1n2 2012
 
Pf1n1 2012
Pf1n1 2012Pf1n1 2012
Pf1n1 2012
 
Lpp3 910
Lpp3 910Lpp3 910
Lpp3 910
 
Lpp3 801 pec
Lpp3   801 pecLpp3   801 pec
Lpp3 801 pec
 

Historia cn2

  • 1. Capítulo 1 3. Impostos: MINERAÇÃO E ERA POMBAL Os impostos cobrados na mineração eram: Incentivados pela decadência do açúcar, os bandeiran- - Quinto: equivale a 20% da produção. tes encontraram ouro no final do século XVII, em Minas - Capitação: imposto pago por escravo (17 gramas de Gerais. No século seguinte, também foi explorado em ouro). Goiás e Mato Grosso. - Fintas: quantidade mínima anual de 100 arrobas (cerca de 1500 kg). A notícia rapidamente espalhou-se e atraiu milhares de pessoas para Minas Gerais. Obs.: Derrama: era a cobrança forçada dos impostos atrasados. Equivalia a quantidade necessária para O choque entre paulistas e forasteiros resultou na completar as fintas devidas. Guerra dos Emboabas (1708-1709).O conflito levou à separação de São Paulo e Minas Gerais. 4. Exploração dos Diamantes: 1. Administração da Região Mineradora: No caso dos diamantes, descoberto no Vale do Rio Je- quitinhonha, a opressão colonial foi ainda maior. Na Através do Regimento de 1702, o governo português cidade de Diamantina (MG) não havia liberdade para estabeleceu as regras básicas da mineração do Bra- a circulação de diamantes. sil Colonial. A mineração era rigidamente controlada pela metrópole e a exploração seria livre, desde que os Inicialmente, o governo português permitiu a ex- mineradores obedecessem as autoridades da Coroa e ploração dos diamantes, desde que pagassem os pagassem os impostos. impostos. Para dificultar o contrabando, entregou o monopólio da extração a um indivíduo, chamado Dois órgãos foram criados pelo governo para adminis- de contratador. trar e controlar os impostos em Minas Gerais: 5. A Dependência Econômica Portuguesa: - Intendência das Minas (1702): encarregado de distribuir as datas (lotes de jazidas mineradoras) e O ouro brasileiro não ficou no Brasil ou em Por- fiscalizar o pagamento de impostos. Todas as minas tugal. Acabou indo para a Inglaterra devido à pertenciam ao rei e o descobridor de uma jazida de- dependência econômica portuguesa. veria comunicar a Intendência, caso contrário seria As origens da dependência encontram-se na crise preso e julgado. da economia açucareira que abalou a estrutura econômica portuguesa. Diante da crise, Portu- - Casas de Fundição (1720): destinado a transformar gal foi obrigado a assinar o Tratado de Methuen o ouro de pó em barras, extraindo o quinto (parte do (1703). governo). Tratado de Methuen: também conhecido como Obs.: A proibição da circulação do ouro em pó e sua Tratado dos Panos e dos Vinhos, foi assinado transformação em barras nas Casas de Fundição re- entre Portugal e Inglaterra. Estipulava que Por- sultou na revolta de Vila Rica ou de Felipe dos Santos tugal teria vantagens alfandegárias na venda de (1720). vinhos para a Inglaterra e esta teria vantagens alfandegárias na venda de manufaturados para 2. Extração do Ouro: a Portugal. A mina, depois de descoberta, era dividida pela In- Como conseqüências, Portugal tornou-se um país agrá- tendência em lotes (datas): as duas primeiras datas rio, desestimulando suas manufaturas e repassando o eram escolhidas pelo descobridor da mina, a terceira ouro brasileiro para cobrir o déficil (prejuízo) comercial data era reservada para a Coroa e depois leiloada e as em relação a Inglaterra. demais datas eram distribuídas entre os interessados que tivessem maior número de escravos. 6. Decadência da Mineração: Existiam dois tipos básicos de extração: A partir da segunda metade do século XVIII, a mine- ração entrou em declínio. - Faiscação (Faisqueira): pequena extração (no leito dos rios e riachos) e o garimpeiro geralmente era um Os principais motivos eram: trabalhador livre que trabalhava isoladamente. - esgotamento das jazidas. - falta de recursos técnicos. - Lavra (Jazidas): grande extração (minas), exigindo - ignorância dos mineradores. elevado capital e posse de escravos. 1
  • 2. 7. Sociedade Colonial Mineradora: No Brasil, procurando fortalecer o Estado português e sua economia, tentando reduzir a dependência inglesa, As principais características da sociedade mineradora foram: Pombal tomou as seguintes medidas: - Expulsou os jesuítas (1759), acabando - Urbanização. com o monopólio religioso sobre a educação. - Possibilidade de mobilidade social. - Extinguiu o sistema de Capitanias Hereditárias. - Camadas Sociais: - Aboliu a divisão, estabelecida em 1621, do * Camada Dominante: mineradores e administradores Brasil em 2 Estados (Maranhão e Brasil). portugueses. - Transferiu o capital de Salvador (BA) para o Rio de * Camada Média: funcionários públicos, padres, mili- Janeiro (RJ). tares, comerciantes, profissionais liberais, etc. - Estimulou as manufaturas portuguesas. * Camada Dominada: escravos. - Na mineração: estabeleceu a derrama, criou a Inten- dência dos Diamantes e proibiu a exportação de ouro. 8. Conseqüências: - Criou Companhias de Comércio para monopolizar a atividade no Norte e Nordeste (Grão Pará e Maranhão, - Crescimento Demográfico: resultante da vinda de em 1755, e Pernambuco e Paraíba, em 1759). portugueses e da migração das lavouras para a mi- neração. Conseqüência: aumento da opressão colonial que - Fome: resultante do alto custo de vida e problemas provocou as revoltas separatistas. de abastecimento. - Deslocamento do eixo econômico: a mudança do centro econômico do Nordeste para o Sudeste. EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO - Deslocamento do eixo político: a mudança da Capital 1. (CN) O que determinou a extinção do sistema de de Salvador para o Rio de Janeiro. Capitanias Hereditárias no Brasil foi: - Aumento da opressão colonial acompanhado por a) a instituição do Governo Geral. revoltas coloniais. b) o fim da União das Monarquias Ibéricas. - Surgimento da classe média e maior mobilidade c) a divisão do Governo Geral em “do norte” e do social. “sul”. - Urbanização. d) a ação do grande estadista português Marquês de - Desenvolvimento de um mercado interno Pombal. - Envio do ouro brasileiro para a Inglaterra auxiliando e) o total fracasso do mesmo logo após a sua implan- no financiamento da Revolução Industrial. tação. - Desenvolvimento cultural: barroco. 2. (CN) A “derrama” consistia em: 9. Renascimento Agrícola: a) um imposto cobrado sobre a extração do ouro na região das Minas Gerais. Com a decadência da mineração, a agricultura voltou b) um imposto cobrado sobre a produção diamantí- a destacar-se na economia. fera. c) um imposto sobre o ouro, conhecido também como Os principais produtos foram: “quinto”. d) uma cobrança das fintas atrasadas devidas pela - Algodão: principalmente no Maranhão foi incenti- capitania das Minas Gerais à Coroa. vado pela Revolução Industrial Inglesa e problemas e) uma taxação sobre produtos manufaturados e con- na produção norte-americana envolvida em sua in- sumidos em Minas Gerais. dependência. - Açúcar: produzido no Nordeste e Sudeste, foi incenti- 3. (CN) “Ingleses na Inglaterra mandavam fazendas vada pela crise nas Antilhas onde colônias rebelaram- inglesas por navios ingleses, aos ingleses de Portugal, se na época da Revolução Francesa. e da cá mandavam estes, nos mesmos navios, o vinho - Tabaco: além de ser usado na troca por escravos, foi que compravam e o ouro que recebiam”. (João Lúcio incentivado pela difusão de hábito de fumar. Azevedo) 10. A Era Pombal (1750-1777): Baseando-se na frase acima, a que tratado assinado em Portugal e Inglaterra, no início do século XVIII, o Acompanhando transformações na Europa, o rei D. autor está se referindo? José I e seu ministro, o marquês de Pombal, aderiram ao Despotismo Esclarecido. a) de Comércio e Navegação de 1810. b) de Methuen. Baseados no Iluminismo, os déspotas esclarecidos c) de Badajós. fizeram reformas modernizadoras para manter o ab- d) de Fontainebleau. solutismo. e) de Ouros e Vinhos. 2
  • 3. 4. Todas as alternativas contêm afirmações corretas 6. O desenvolvimento da economia mineradora no sobre a tributação de ouro nas Minas no período co- século XVIII teve diferentes repercussões sobre a vida lonial, EXCETO: colonial, conforme se apresenta caracterizado numa a) A Derrama era a cobrança dos impostos atrasados das opções abaixo. Assinale-a. quando não eram preenchidas as cotas anuais. a) Incremento do comércio interno e das atividades b) Apesar da ameaça de contrabando, havia uma faci- voltadas para o abastecimento na região centro-sul lidade de circular com ouro em pó nas Minas Gerais. b) Movimento de interiorização conhecido como bandei- c) Para reduzir o contrabando, o ouro passou a ser rismo, responsável pelo fornecimento de mão-de-obra quintado nas Casas da Fundição. indígena para as minas. d) O quinto correspondia a uma porcentagem sobre a c) Descentralização da administração colonial para produção paga pelos mineradores. facilitar o controle da produção. e) A capitação era um imposto cobrado por cada es- d) Sufocamento dos movimentos de rebelião, graças à cravo na mineração. riqueza material gerada pelo ouro e pela prata. e) Retorno em massa, para a metrópole, dos colonos 5. A organização da atividade produtiva e a dinâmica enriquecidos pela nova atividade. das relações sociais nas diferentes regiões da Colônia corresponderam aos mecanismos definidores do antigo EXERCÍCIOS PROPOSTOS sistema colonial. Assinale o par de afirmativas corretas em relação à região açucareira dos séculos XVI e XVII 7. Em meados do século XVIII, na região de Minas e à região mineradora do século XVIII. Gerais, verificou-se a queda da produção aurífera e conseqüentemente da arrecadação do quinto, que era REGIÃO REGIÃO o imposto cobrado pelo governo português. Descon- AÇUCAREIRA MINERADORA tente, o mesmo passou aexigir da população da região (XVI - XVII) (XVIII) o imposto anual de 100 arrobas. Entre as medidas A organização social A atividade minerado- tomadas pelo não pagamento de tal imposto estava a era basicamente ra nas datas convivia Derrama que era a: rural e a única ati- com a produção ex- a) cobrança forçada, feita pelos soldados portugueses, a) vidade econômica clusivamente manu- que iam de casa em casa apreendendo os bens pessoais desenvolvida era a fatureira nos centros da população. agrícola. urbanos. b) cobrança forçada, feita por milicianos brasileiros, que iam de casa em casa apreendendo os bens pessoais A atividade minerado- A totalidade da Mão- da população. ra utilizou sobretudo o de-Obra utilizada no c) arrecadação arbitrária, feita a partir das Câmaras trabalho livre de fais- interior da unidade Municipais, que serviam, naquele momento, de braço b) cadores e da enorme produtiva açucarei- quantidade de homens armado do governos português na Colônia. ra era constituída de brancos proveniente d) arrecadação forçada, feita pelos soldados portugue- escravos africanos. da Metrópole. ses sobre as Câmaras Municipais, por serem estas A compra da alforria redutos de latifundiários ricos. As relações sociais pelos escravos pos- e) cobrança forçada, feita por soldados brasileiros, que no interior do enge- sibilitou a existência iam de casa em casa desapropriando os devedores de nho eram extrema- de relações sociais seus imóveis. mente hierarquiza- mais democráticas, c) das sob o domínio quebrou a hierarquia 8. Em 1755, o ministro de Portugal, Sebastião José de do senhor, da men- entre senhores e es- Carvalho e Melo – o Marquês de Pombal – vai criar a talidade patriarcal e cravos e significou Companhia Geral do Comércio do Grão Pará e Mara- da escravidão um duro golpe na nhão. Quatro anos mais tarde, assistimos ao surgimen- escravidão. to da Companhia Geral do Comércio de Pernambuco O monopólio do co- O grande contraban- e Paraíba. Sobre a organização dessas companhias de mércio da produção do e desvio do ouro comércio podemos afirmar que: colonial, exercido puseram fim definiti- d) pela Metrópole, foi vamente, ao exclusi- I – devem o seu fracasso, em fins do século XVIII, mantido rigida- vo metropolitano na ao decadente panorama econômico dentro do qual mente. região. foram inseridas – a Região Nordeste -, minado pela concorrência do açúcar antilhano e do algodão norte- A atividade expor- A distribuição das da- americano. tadora da grande tas auríferas se fazia II – são resultantes do oportunismo administrativo propriedade açuca- por sorte e proporcio- do Marquês de Pombal, que foi capaz de aproveitar o e) reira desdobrava-se nalmente ao número no setor agrícola e de escravos possuídos momento adequado para criar veículos destinados a de beneficiamento: pelo pretendente. viabilizar uma melhor exploração econômica do Nor- lavoura e engenho. deste. 3
  • 4. III – estão alicerçadas no princípio de estímulo ao re- 11. (UFMG) As regiões mineradoras apresentaram, no erguimento político da metrópole, por meio da maior período colonial, características que a diferenciam de e melhor exploração da colônia lusitana na América outras regiões da colônia como: – neste caso através de duas companhias de comércio a) concentração de terras (datas) em mãos de poucos sediadas no Brasil-Colônia. comerciantes portuguesas. a) somente a afirmativa I é verdadeira. b) regime fiscal flexível e pequena intervenção do Es- b) somente a afirmativa II é verdadeira. tado nas atividades econômicas. c) somente a afirmativa III é verdadeira. c) intensa vida social e áreas urbanas como centros d) As afirmativas I e II são verdadeiras. das atividades econômicas. e) As afirmativas I e III são verdadeiras. d) predominância de trabalhadores livres na explora- ção do ouro. 9. Durante o período colonial, as obras de arquitetura e) rígido controle da Coroa sobre os fluxos migratórios que apresentaram maior relevância artística foram: e limitação de acesso a essas regiões. a) as Universidades e praças públicas, projetadas por arquitetos de renome internacional e localizadas, do- 12. (Fuvest-SP) Podemos afirmar sobre o período da minantemente, no sul do Brasil. mineração do Brasil que: b) as Igrejas, como as de Olinda, Recife, Salvador, Ouro a) Atraídos pelo ouro, vieram para o Brasil aventureiros Preto, Rio de Janeiro e Bahia e as casas de fazenda e de toda espécie, que inviabilizaram a mineração. sobrados, na cidade. b) A exploração das minas de ouro só trouxe benefícios c) as casas dos Contratadores Reais, que importavam para Portugal. modelos arquitetônicos europeus e os monumentos c) A mineração deu origem a uma classe média urbana construídos em homenagem à Coroa Portuguesa. que teve papel decisivo na independência do Brasil. d) os fortes de defesa da costa brasileira, para evitar d) O ouro beneficiou apenas a Inglaterra, que financiou a ação dos corsários e os mercados da zona portuária sua exploração. cujas construções sofreram a influência moura. e) A mineração contribuiu para interligar as várias e) os postos de venda de escravos, no Rio de Janeiro, regiões do Brasil, e foi fator de diferenciação da so- que acolhiam milhares de negros e necessitavam apa- ciedade. rentar luxo e riqueza para os compradores. 13. (EUCE) A corrida do ouro em Minas Gerais no 10. A colonização do território americano pelos portu- final do século XVII trouxe uma riqueza muito grande gueses, no decorrer da Idade Moderna, deu origem a para a Coroa Portuguesa, mas também exigiu muitos diversas regiões que, do ponto de vista da sua organi- esforços no sentido de fiscalizar a produção e punir o zação, diferenciavam-se entre si por uma combinação contrabando. Assinale a expressão correta a respeito particular entre o objetivo da atividade econômica, o das medidas fiscais empreendidas por Portugal na tipo de mão-de-obra utilizada e a composição étnica área das minas: da população. a) Apesar dos protestos dos fidalgos encarregados da Assinale a opção que associa de modo correto a região arrecadação, a Coroa portuguesa evitava pressionar às características apresentadas: os produtores através das derramas, limitando-se a Objetivo da aumentar os impostos. Mão-de-obra Composição Região Atividade Utilizada Étnica b) Sem conseguir se impor aos proprietários das mi- Econômica nas, a administração colonial passou a permitir livre Abasteci- Predomínio Predomínio comercialização do ouro, arrecadando impostos nos Grande La- mento do de mão- de negros a) portos e nas estradas. voura mercado de-obra de origem externo escrava africana c) A administração colonial instalou as casas de fundi- Produção Predomínio ção para regulamentar a produção do ouro e arrecadar Predomínio mais impostos, obtendo total apoio dos proprietários Mineração voltada de traba- de popula- b) de Ouro e para o lhadores das minas. ção amerín- Diamantes mercado assalaria- externo dos dia d) Ao aumentar a carga fiscal e instalar as casas de fundição, a Coroa logrou aumentar a arrecadação de Abasteci- mento do Predomínio Predomínio impostos, mas provocou a revolta dos proprietários c) Pastoril mercado de mão-de- de negros das minas. da própria obra servil africanos colônia 14. (CESGRANRIO) Como principais fatores que de- Maior con- terminaram, em 1763, a transferência da seda da Vicentina Subsistência Predomínio tingente de d) (ponto de dis- dos próprios de trabalha- brancos, de administração colonial portuguesa de Salvador para persão “Ban- elementos a dores assa- o Rio de Janeiro, podemos destacar: origem euro- deiras”) ela dedicados lariados péia a) o declínio açucareiro da Bahia e Pernambuco e a Abasteci- Predomínio ascensão das capitanias do centro-sul; São Paulo, Coleta das Predomínio Minas Gerais e o atual Rio Grande do Sul. mento do de negros e) “Drogas do de mão-de- mercado de origem b) a preocupação da Coroa portuguesa no sentido de Sertão” obra servil externo africana realizar uma ação controladora mais efetiva sobre as 4
  • 5. regiões mineradoras do Brasil, e ao mesmo tempo, enfrentar as crescentes ameaças espanholas no ex- tremo-sul. c) a política de centralização administrativa posta em prática por Sebastião José de Carvalho e Melo (futuro Marquês de Pombal), com o objetivo de eliminar as tendências expansionistas do centro-sul. d) a crise da economia colonial, notadamente nas re- giões do centro-sul do Brasil, e a superação da divisão do governo em duas “repartições”, com a instalação do Vice-Rei no Rio de Janeiro. e) o desenvolvimento da lavoura açucareira na região de Campos dos Goitacazes e a necessidade de incre- mentar o plantio do café no vale do Paraíba do Sul. 15. Carta de sesmaria concedida em 9 de julho de 1747 ao padre Marcos de Carvalho: “Comarca de Vila de São João Del Rei distante da es- trada real da dita vila mais de quarenta léguas, que ele suplicante tinha quarenta e tantos escravos de serviços, com os quais andava minerando e pagava os reais quintos e lhes eram necessários bastante ter- ras para plantarem mantimentos para sustentar seus escravos e criações assim de gados como das mais que lhe eram precisas”. Considere as seguintes afirmações: I - O domínio português no Brasil se expressava, entre outros, no monopólio de concessão de terras e na co- brança de tributos que, no caso da extração mineral, chegava a 20% - o quinto. II - Assim como em Pernambuco ou na Bahia, regiões de agricultura mercantil, a terra, nas regiões minei- ras, era concedida com primazia aos proprietários de escravos. III - A agricultura na região das Minas no século XVIII, diferentemente do que ocorria na grande lavoura lito- rânea, destinava-se principalmente à subsistência ou ao mercado interno daquela região. IV - Na primeira metade do século XVIII, as ativida- des agrícolas ganharam relevância na região mineira, disputando as melhores terras com a atividade mine- radora. Assinale a alternativa que contém a(s) afirmativa(s) correta(s): a) somente I. b) somente I e II. c) somente III e IV. d) somente I, II e III. e) todas as afirmativas estão corretas. 5
  • 6. Capítulo 2 que, como descobridores das jazidas de ouro, se sentiam com direitos maiores sobre elas, ainda mais por que se encontravam em território da capitania REVOLTAS COLONIAIS de São Vicente. 1. Tipos de Revoltas: A chegada dos emboabas, como eram chamados os forasteiros, despertou a revolta dos paulistas. No Brasil Colonial ocorreram diversas revoltas que As rivalidades e a violência foram crescendo cada vez podem ser organizadas em 2 tipos básicos: mais e, em 1707 dois paulistas foram linchados por emboabas. Os emboabas avançaram, passando - Revoltas Nativistas a controlar as áreas mineradoras, ficando os pau- - Revoltas Separatistas listas restritos a região do rio das Mortes, em 1708. Manuel Nunes Viana, chefe emboaba, foi aclamado 2. Revoltas Nativistas: governador das Minas Gerais. Um dos fatos marcantes desta luta ficou conhecido Foram revoltas ocorridas no século XVII e início como “Capão da Traição”, quando muitos paulistas fo- do século XVIII. Defendiam problemas locais e não ram friamente assassinados, após terem se rendido. pretendiam separar o Brasil de Portugal. A região foi pacificada através da retirada dos pau- listas, que passaram a buscar novas jazidas em Goiás As principais revoltas nativistas foram: e Mato Grosso. A Coroa portuguesa criou a Capitania real de São Paulo e Minas e elevou Ribeirão do Carmo, A) Revolta de Beckman (MA-1684): Sabará e Vila Rica à condição de Vila. No século XVII a situação dos colonos do Estado do Maranhão era bastante desfavorável, pois faltava-lhes C) Guerra dos Mascates (PE-1710): recursos para organizar a produção e para a aquisição No século XVIII a rivalidade entre as cidades de mão-de-obra escrava. Por isso resolveram pernambucanas de Recife e Olinda tomavam escravizar os índios, entrando em conflito com dimensões cada vez maiores, expressando a os jesuítas. contradição entre os interesses do setor produtor Em 1682 foi criada a Companhia de Comércio do colonial (senhores de engenho), que controlava Olin- Maranhão, que passou a ter o monopólio do comércio da, e o setor mercantil-exportador (comerciantes com a região, se comprometendo a abastecê-la de portugueses), cujo centro era Recife. mão-de-obra escrava e de fornecer produtos Olinda era uma vila, com câmara municipal e pelou- importados da Europa, além de comprar a produção rinho, enquanto Recife não passava de uma “fregue- local para vender no mercado europeu. sia”, dependente politicamente de Olinda. Entretanto, Entretanto os acordos não foram cumpridos, a crise açucareira provocou o crescente endividamento dificultando ainda mais a vida dos colonos dos senhores de engenho para com os comerciantes maranhenses, o que gerou descontentamen- de Recife, tornando-os cada vez mais dependentes to, culminando numa revolta chefiada pelos irmãos economicamente. Manuel e Tomás Beckman. Os comerciantes iam crescendo em prestígio e poder, O movimento explodiu em 1684 e além de contestar o pois, além de financiarem a produção açucarei- monopólio e os abusos da Companhia, saquearam seus ra, manipulavam os preços das mercadorias, pagando armazéns, expulsaram os jesuítas e depuseram o os menores preços possíveis pelo açúcar produzido. governo local, organizando um governo provisório A tensão entre as duas cidades crescia e acabou composto pelos líderes da revolta. explodindo quando a Coroa Portuguesa atendeu a Não receberam apoio das demais capitanias e foram reivindicação dos mascates ( forma depreciativa com duramente reprimidos pelas autoridades metropolita- que eram chamados os comerciantes), elevando Recife nas, sendo seus líderes presos. à condição de vila, em 1709. Os fazendeiros de Olinda Muitos foram deportados e Manuel Beckman foi exe- reagiram e invadiram Recife, destituindo seu cutado. governador, destruindo o pelourinho e exigindo o Esta foi a primeira revolta organizada da colônia tabelamento do preço dos escravos , a quebra do e, não tinha propósitos separatistas, mas monopólio comercial português, e a garantia de suas apenas pretendia alterar a ação monopolista me- terras, independente de suas dívidas. tropolitana. Um de seus objetivos acabou sendo Os conflitos armados entre as duas vilas se alcançado, pois a Companhia de Comércio do Ma- arrastaram até 1712, quando um novo governador ranhão foi extinta. nomeado por Portugal mandou prender os principais envolvidos no conflito. A burguesia mercantil (mas- B) Guerra dos Emboabas (MG-1709): cates) recebe o apoio da Metrópole, e Recife mantém A descoberta de ouro em Minas Gerais provocou uma sua autonomia. verdadeira “corrida do ouro”, quando multidões de aventureiros de todas partes da colônia e também da D) Revolta de Vila Rica ou Filipe dos Santos (MG-1720): metrópole se deslocaram para a região mineradora. O controle metropolitano e a opressão fiscal sobre as Isso provocou a insatisfação dos paulistas e vicentinos, áreas mineradoras sempre foram bastante rígidos, com 6
  • 7. o propósito de evitar o contrabando, garantindo assim possibilidade de decretação da derrama, outros fatores a produção que a Coroa precisava para equilibrar sua se juntavam para criar o clima revolucionário, como o balança comercial. Alvará de D. Maria I proibindo as manufaturas no Bra- Em 1720, Portugal decidiu apertar o cerco sobre os sil, a difusão das idéias iluministas entre os intelectu- mineradores, criando as Casas de Fundição, por onde ais brasileiros e as notícias da independência dos EUA. todo o ouro deveria passar para ser quinta- Os inconfidentes propunham a livre-produção, o livre- do, transformado em barras e selado. comércio, o estímulo à produção agrícola, a criação de Os protestos foram gerais, culminando numa revolta manufaturas e de uma universidade em Vila Rica. armada, sob a liderança de Felipe dos Santos. Os Estavam divididos quanto à forma de governo que revoltosos exigiam a extinção das Casas de Fundição pleiteavam: República Federativa ou Monarquia e o perdão para os participantes da rebelião. Constitucional. O Conde de Assumar, governador da Capitania, após Um dos grandes limites do projeto inconfidente era a pedir algum tempo para analisar a questão, re- questão do escravismo colonial, não tocado, na medi- cebeu reforços e ordenou uma violenta repressão da em que muitos participantes do movimento eram contra o movimento. Muitos foram degredados e senhores de escravos. Felipe dos Santos foi condenado a morte no A derrama foi o pretexto para o início da rebelião, que “garrote” e esquartejado. Além do que foram mantidas não chegou a acontecer, pois foi denunciada por um as Casas de Fundição. traidor, Joaquim Silvério dos Reis. O governador das Minas Gerais, decretou a imediata 3. Revoltas Separatistas: prisão dos líderes, tendo início os processos. Após três anos de devassa, os participantes mais ricos e Foram revoltas ocorridas no final do século XVIII e início poderosos foram omitidos ou perdoados, através de um do século XIX. Defendiam o fim do pacto colonial e a processo fraudulento. Muitos foram exilados e apenas libertação política do Brasil. Foram influenciadas pela Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, foi conde- crise do Antigo Sistema Colonial que vinha ocorrendo nado a morte na forca e a posterior esquartejamento. devido às influências das idéias iluministas, também Tiradentes, o inconfidente mais pobre e menos letrado presentes na Independência dos Estados Unidos e na do movimento, foi considerado como líder do movi- Revolução Francesa. mento, servindo como “bode expiatório” e exemplo para que outros não ousassem contestar o domínio As causas gerais das Revoltas Separatistas foram: metropolitano. A Inconfidência Mineira foi na verdade um movimento − aumento da exploração colonial metropolitana: elitista, desvinculado das aspirações e participação po- arrocho fiscal e monopólios (companhias privilegiadas pulares, inspirado nos ideais burgueses do Iluminismo de comércio) → opressão. e na Independência dos Estados Unidos. Isso facilitou − crise dos produtos de exportação: ouro e açúcar. sua aniquilação por parte da repressão portuguesa. − as transformações causadas pela mineração: urbanização, classes médias urbanas, maior fluxo de B) CONJURAÇÃO BAIANA OU DOS ALFAIATES (1798): renda, estudar no exterior. Ao contrário da Inconfidência Mineira, a Conjuração − o Alvará de 1785: proibição de manufaturas e Baiana teve caráter mais popular, fortemente metalurgia no Brasil (exceto tecidos de algodão influenciada pelas idéias mais radicais da Revolução grosseiro para as roupas dos escravos e para sacos) Francesa e também pela revolução dos escravos no Haiti, em 1791. Também chamada Conjuração dos Alfaiates, seu projeto expressava não só a idéia de As principais revoltas separatistas foram: separação de Portugal, mas também de luta pela liberdade, pelo fim da escravidão, pela igualdade A) A INCONFIDÊNCIA MINEIRA (1789): racial e por reformas econômicas e sociais. A mais marcante revolta durante o Brasil colonial foi A radicalização maior na Conjuração Baiana se ex- a Inconfidência Mineira, por seu caráter contestador plica pela própria situação vivida pela região, devido ao próprio sistema colonial e por ter envolvido vários à transferência do eixo econômico e político d o país setores da população (intelectuais, padres, militares, para o centro-sul, ficando o nordeste relegado ao profissionais liberais, funcionários da administração, segundo plano e à instabilidade econômica provocada mineradores e comerciantes). pelas oscilações do mercado externo. A insatisfação na região das Minas decorria da opres- Na Bahia, a insatisfação era geral. Havia altíssima são administrativa e fiscal, determinando que o quinto concentração de riquezas, um grande número de deveria alcançar no mínimo 100 arrobas anuais de desocupados nas cidades, onde havia falta de ouro, o que equivalia a 1468 quilos. infra-estrutura e de higiene, além dos altos preços e Com o declínio da mineração esta cota não era preen- da falta de produtos importados da Europa. chida. Isso levou o governo português a criar a der- Desta conspiração participaram escravos, sapateiros, rama, cobrança forçada do imposto atrasado, através pedreiros, carpinas, bordadores, soldados e alfaiates. do confisco de bens. Indivíduos das camadas privilegiadas também tiveram Ao mesmo tempo que a população se apavorava com a papel importante, como é o caso dos membros da Loja 7
  • 8. Maçônica Cavaleiros da Luz, responsáveis EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO pela propagação das idéias iluministas e da Revolução Francesa. 1. (CN) Há duzentos anos, em 12 de agosto de 1798, A circulação de panfletos convocando a população a nas paredes das casa, igrejas e lugares públicos de uma participar da revolta deu início à conjuração. A cidade de nosso país, apareceram fixados panfletos repressão foi imediata. Quarenta e nove pessoas fo- manuscritos, conclamando a população à revolução. ram presas, entre elas nove escravos e três mulheres. Era, na verdade, um manifesto que falava em república, Muitos foram condenados ao exílio e a açoites. Os liberdade e igualdade entre todos os homens. Como se alfaiates João de Deus e Manuel Faustino (de apenas denomina esse manifesto? dezessete anos), e os soldados Lucas Dantas, e Luiz a) Inconfidência Mineira. Gonzaga das Virgens foram condenados à morte. Os b) Conjuração Baiana. intelectuais e homens de projeção social, membros da c) Insurreição Pernambucana. Loja Maçônica Cavaleiros da Luz foram poupados. d) Conjuração do Rio de Janeiro. Tanto a Inconfidência Mineira como a Conjuração e) Conjuração dos Suassuna. Baiana foram derrotadas, mas a crise do sistema colonial era irreversível. 2. (CN) Ao encabeçar uma revolta contra as autorida- des portuguesas, Manuel Beckman (1684) tinha por C) A REVOLUÇÃO PERNAMBUCANA DE 1817 metas: A situação da região era difícil. A produção a) substituir o governador que havia criado um imposto algodoeira e açucareira estava em crise, ao mesmo abusivo sobre os imóveis e impedir que os escravos tempo em que a exploração monopolista dos africanos fossem vendidos na área portuária. comerciantes portugueses continuava. b) fechar a Casa de Fundição e conseguir que o ouro O momento era de grande recessão, com queda dos circulasse livremente. preços dos produtos exportados e encarecimento dos c) expulsar os padres jesuítas e anular o monopólio produtos importados, por causa do monopólio. da Companhia de Comércio. Somando-se a isso, o governo aumentava cada vez d) obter as mesmas vantagens comerciais desfrutadas mais os impostos, buscando recursos para cobrir seus pelos comerciantes de Olinda para os de Recife e que empréstimos. este povoado se transformasse em Vila. A seca de 1816 complicou ainda mais a situação e) instituir uma companhia de comércio que conse- econômica da região, favorecendo a difusão das idéias guisse escravos africanos de bom preço e a permissão liberais e emancipacionistas através de várias para efetuar transações proveitosas com a área espa- sociedades secretas, nos quartéis e entre o clero. nhola do Prata. Da revolta participaram grandes proprietários rurais, a massa de homens livres não-proprietários, militares 3. (CN) Filipe dos Santos Freire incitou o povo que ha- e membros do clero. bitava Vila Rica e arredores a revoltar-se, direcionando O estopim foi a prisão dos principais suspeitos de a sua atividade contra: liderar o movimento. Rapidamente os revolucionários a) os padres jesuítas, que não permitiam serem os venceram as tropas oficiais e organizaram um governo índios escravizados. provisório, formado por representantes do comércio, do b) o Governador das Minas, Conde de Assumar, que clero, do exército da agricultura e da justiça. Enviaram não consentia na ampliação das áreas de cultivo e à todas as comarcas uma nova “Lei Orgânica” pastoreio. e conseguiram a adesão da Paraíba e do Rio Grande c) a continuidade de o Brasil ser mantido como colônia, do Norte. propondo a separação definitiva de Portugal. No projeto da Revolução estariam garantidos a todos d) os “emboabas”, que monopolizavam o comércio re- a liberdade de consciência e imprensa, os impostos gional, enriquecendo-se em detrimento dos verdadeiros criados por D. João seriam abolidos, o novo governo descobridores, os paulistas. seria republicano e os estrangeiros que aderissem se- e) o fiscalismo governamental, expresso pelas Casas riam considerados “patriotas”. de Fundição, onde compulsoriamente se cobrava o A escravidão ficava mantida, dentro da garantia de “quinto” sobre o ouro. propriedade. Da Bahia e do Rio de Janeiro se organizou a repressão. 4. (CN) A Guerra dos Mascates, ocorrida entre Recife e Após algumas batalhas, os revolucionários foram Olinda, no ano de 1710 pode ser interpretada como: vencidos. Os principais líderes foram fuzilados ou a) um conflito que teve conseqüência favorável aos enforcados. mascates, visto que vários líderes olindenses foram pre- O ideal de emancipação política ainda teria que sos e Recife foi confirmada como vila independente. esperar. b) um conflito que teve conseqüência favorável aos Entre as medidas tomadas por D. João após sufocar o olindenses, visto que vários líderes recifenses foram movimento, estava a criação da capitania de Alagoas, presos, embora Recife tenha sido confirmada como separada de Pernambuco. vila independente. c) uma rebelião dos comerciantes de Recife, que, se m 8
  • 9. apoio do rei de Portugal, buscaram, através das armas, fisco, o esgotamento da pecuária e a crise da agricul- a autonomia de Recife em relação à Olinda. tura de alimentos. d) uma rebelião dos comerciantes de Olinda, que, sem apoio do rei de Portugal, lutaram para impedir que 8. (CN) A respeito dos episódios que caracterizaram Recife conseguisse a sua autonomia administrativa. as rebeliões nativistas do Brasil Colônia, podemos e) um conflito que teve como conseqüência a derrota afirmar que: dos comerciantes olindenses, gerando uma crise econô- a) a revoltas dos Irmãos Beckman, no Maranhão – em mica agravada com a falência da produção açucareira 1684 – foi apoiada pela massa dos colonos da capi- na região. tania, revoltados com os péssimos serviços prestados pela Companhia Geral de Comércio do Maranhão, 5. (CN) As afirmativas abaixo referem-se aos movimen- mas foi combatida pelos jesuítas, que discordavam tos nativistas ocorridos no Brasil colonial: da prática – comum entre os colonos – de escravizar I - A Revolta de Beckman ocorreu no Maranhão em os indígenas. 1684 e representou um movimento de protesto contra b) episódio da Guerra dos Mascates ocorrido na 1ª a Companhia de Comércio do Maranhão. metade do século XVIII demonstra a incapacidade da II – A Guerra dos Emboabas, ocorreu em 1709, em elite oligárquica de Olinda aceitar as conseqüências Minas Gerais, devido aos constantes atritos entre políticas e econômicas da decadência da lavoura ca- paulistas e forasteiros. navieira, entre as quais se insere a emancipação da III – A Guerra dos Mascates ocorreu em 1710, envol- vila de Recife, fundada durante a primeira invasão vendo comerciantes e latifundiários em Salvador, na holandesa ao Brasil e que muito progrediu por meio Bahia. das atividades comerciais. IV – A Revolta de Vila Rica ocorreu em Minas Gerais, c) a Guerra dos Emboabas (1607-09) foi resultante dos em 1720, e estava relacionada à elevação de impostos conflitos ocorridos na região das Minas Gerais opon- e à instalação de Casas de Fundição. do, de um lado, mineradores vindos da área de São Paulo – os emboabas – e, do outro lado, mineradores Estão corretas as afirmativas: de origem lusitana, que saíram de sua terra natal em a) I e III busca de melhor sorte no Brasil. b) I, III e IV. d) um dos fatos mais marcantes da Guerra dos Embo- c) I, II e III. abas é o episódio do Capão da Traição, que resultou na d) II e III. morte de mais de 300 paulistas durante disputa, contra e) I, II e IV. os portugueses, pela posse de terras nas Minas Gerais; fato determinante para a intervenção da metrópole em 6. A Devassa sobre a Inconfidência Mineira revelou as favor dos mineradores paulistas. idéias políticas dos conspiradores. Entre elas, como e) a Revolta de Felipe dos Santos (1720) constituiu- idéias assentes, estava: se em manifesto da sociedade mineradora contra a a) a total abolição da escravatura; opressiva política tributária desenvolvida pela metró- b) o incentivo à indústria de tecidos e à mineração pole lusitana na região do Rio de Janeiro – concretizada c) abertura dos portos. na instituição das Casas de Fundição, nas quais era d) criação de uma igreja brasileira. entregue a Portugal a quinta parte de todo o ouro em e) eleição direta dos deputados. pó ou em barras, comercializado na Colônia. EXERCÍCIOS PROPOSTOS 9. (CN) Considere as afirmações a seguir – relacionadas ao Brasil Colônia de fins do século XVIII – e assinale (V) 7. (CN) No ano de 1789, a cidade de Ouro Preto tornou- para as afirmativas verdadeiras e (F) para as falsas: se o palco de um importante movimento de libertação colonial: a Inconfidência Mineira. Quais os principais ( ) Entre as aspirações dos inconfidentes mineiros fatores que originaram esse movimento? (1789) não se pode contar a pretensão de tornar o a) exigência de libertação dos escravos, devido à exi- Brasil independente de Portugal: o que todos os incon- gência inglesa, e a pressão da elite letrada local visando fidentes tramaram era, exclusivamente, tornar Minas ter acesso às idéias humanistas européias. Gerais livre. b) opressão colonial, as idéias francesas de libertação, ( ) Os inconfidentes mineiros baseavam suas idéias a ameaça constante da derrama e os abusos das au- de libertação no exemplo fornecido pela Revolução toridades locais. Francesa, enquanto os conjurados da Bahia (1792) c) construção das Casas de Fundição do ouro em pó, se inspiravam prioritariamente nos acontecimentos garantindo o pagamento dos tributos e a oposição local que levaram à Independência dos EUA. aos estrangeiros em busca de datas de terra. ( ) Uma das propostas dos inconfidentes de Minas d) concorrência entre comerciantes locais e os grandes Gerais era a liberdade dos escravos, o que representaria proprietários de terras e escravos, e a influência da estímulo para a produção assalariada e o desenvolvi- Independência norte-americana. mento de manufaturas. e) empobrecimento da elite local decorrente do alto ( ) Um dos traços marcantes da Conjuração Baiana foi o seu caráter assinaladamente popular, contando, 9
  • 10. entre suas lideranças, soldados e alfaiates de origem lares; mestiça. e) tanto a Conjuração Baiana como a Inconfidência ( ) A sociedade literária do Rio de Janeiro era uma Mineira foram movimentos nativistas e, portanto, reunião de intelectuais e literatos interessados em idênticos sob todos os aspectos. discutir os temas do iluminismo, mas sem qualquer projeto revolucionário em curso. 11. Entre as alternativas abaixo, assinale aquela que ( ) A severidade com que foram punidos os participan- apresenta as características comuns aos denomina- tes da Inconfidência Mineira e da Conjuração Baiana é, dos movimentos precussores da Independência do em boa parte, explicada pelo temos lusitano de perder Brasil: a única colônia que, em fins do século XVIII, tinha a) o conteúdo de seus programas era baseado na condições de dar sustentação ao, naquele momento, ruptura dos laços coloniais e na abolição do trabalho decadente reino de Portugal. escravo; a) (V) (F) (F) (F) (F) (V) b) o caráter urbano e o amplo apoio popular às con- b) (V) (F) (F) (V) (V) (V) jurações; c) (F) (F) (F) (V) (V) (V) c) o caráter regional ou local dos movimentos e a in- d) (V) (F) (F) (V) (F) (V) fluência sobre os mesmos das idéias liberais; e) (F) (V) (F) (V) (F) (V) d) os movimentos expressavam tanto as transforma- ções introduzidas no Brasil pela Corte Portuguesa 9. A conspiração que teve lugar nas MINAS GERAIS em quanto as diferentes posições de seus participantes final do século XVIII, e que culminou com a execução em relação ao problema da escravidão; de JOAQUIM JOSÉ DA SILVA XAVIER, pode ser vista e) as influências da Revolução Francesa e a estreita como mais um dos momentos de rebeldia colonial con- vinculação com os acontecimentos que conduzem à tra o monopólio metropolitano. Sobre a Inconfidência emancipação de 1822. Mineira, é correto afirmar ter sido: a) um movimento de caráter revolucionário, visando à 12. Leia com atenção os textos a seguir: abolição da escravatura na zona mineradora e à cons- tituição de uma república igualitária. “... Duas coisas são necessárias: a revogação do mono- b) um movimento inspirado na revolução Americana pólio e a expulsão dos jesuítas, a fim de se recuperar a de 1776 e no pensamento ilustrado da época, de cará- mão livre no que diz respeito ao comércio e aos índios; ter antimonopolista, e que pretendia estabelecer, em depois haverá tempo de mandar ao Rei representantes condições escravistas, o pleno controle da sociedade eleitos e obter a sanção dele.” mineira pelos proprietários. “... O fato de ser Alferes influiu para transformar-me c) um movimento isolado, sem nenhuma vinculação em conspirador, levado a tanto que fui pelas injustiças com o estado de espírito existente na Europa e na que sofri, preterido sempre nas promoções a que tinha América naquela época. Por isso fracassou. direito. Uni as minhas amarguras às do povo, que eram d) uma reação contra a penetração de interesses eco- maiores, e foi assim que a idéia de libertação tomou nômicos britânicos na região mineradora e favorável conta de mim.” ao restabelecimento dos reais interesses lusitanos na “...Animai-vos, povo bahiense, que está para chegar o área, mas não contou com o apoio da Coroa portu- tempo feliz da nossa liberdade! (...) Fazer uma guerra civil guesa. entre nós, para que não se distinga a cor branca, parda e e) em parte, fruto da ação de agentes americanos, que preta, e sermos todos felizes, sem exceção de pessoa.” pretendiam com isso influência sobre a região minera- “...Pernambucanos: estejam tranqüilos, apareçam dora das MINAS GERAIS; de outro lado expressam a na capital, o povo está contente, já não há distinção mobilização dos setores escravizados, parte essencial entre brasileiros e europeus, todos se conhecem ir- do movimento conspiratório. mãos, descendentes da mesma origem, habitantes do mesmo país. (...) Um governo provisório iluminado, 10. Entre os movimentos revolucionários ocorridos no escolhido entre todas as ordens do Estado, preside à Brasil, no século XVIII, destacam-se a Inconfidência vossa felicidade.” Mineira e a Conjuração Baiana. Estabelecendo um Eles estão relacionados a revoltas ocorridas antes da paralelo entre ambos, podemos afirmar que: nossa independência. São elas, pela ordem: a) a Inconfidência Mineira foi articulada junto à elite a) A Revolta de Beckman, em 1684; a Conspiração econômica, enquanto a Conjuração Baiana teve cono- Mineira, em 1789; a Revolta dos Alfaiates, em 1798; a tações acentuadamente populares; Revolução Liberal, em 1817; b) a Conjuração Baiana tinha cunho aristocrático e b) A Aclamação de Amador Bueno, em 1642; a Guerra a Inconfidência Mineira uma conotação nitidamente dos Emboabas, em 1707; a Conjuração Baiana, em popular; 1798; a Confederação do Equador, em 1824; c) tanto a Inconfidência Mineira como a Conjuração c) A Guerra dos Emboabas, em 1707; a Conspiração Baiana foram movimentos com características aris- Mineira, em 1789; a Guerra dos Mascates, em 1710; tocráticas; a Revolta dos Alfaiates, em 1798; d) tanto a Inconfidência Mineira como a Conjuração d) A Revolta de Beckman, em 1684; a Sedição de Vila Baiana foram movimentos com características popu- Rica, em 1720; a Revolução Liberal, em 1817; a Revolta 10
  • 11. dos Alfaiates, em 1798; setores da sociedade colonial, de que a exploração exer- e) A Aclamação de Amador Bueno, em 1642; a Guerra cida pela Metrópole era contrária aos seus interesses e dos Mascates, em 1710; a Revolta dos Negros Malês, responsável pelo empobrecimento da Colônia. em 1835; a Revolução Praieira, em 1848. c) denunciavam a total adesão dos colonos às pres- sões da burguesia industrial britânica a favor da in- 13. (UGF) A Revolução Pernambucana de 1817, uma dependência e da abolição do tráfico negreiro para se das principais rebeliões contra o domínio colonial por- construir, no Brasil, um mercado de consumo para os tuguês, está ligada ao (à): manufaturados. a) recrutamento militar promovido por D. João para d) representavam uma forma de resistência dos colonos as campanhas da Cisplatina e da Guiana. às tentativas de recolonização empreendidas, depois b) aumento e à implantação da carga tributária. da Revolução do Porto, pelas Cortes de Lisboa, libe- c) introdução de reformas ilustradas e liberais pela rais em Portugal, que queriam reaver o monopólio do Coroa no governo da colônia. comércio com o Brasil. d) reação dos senhores de engenho do nordeste contra e) tinham cunho separatista e uma ideologia marcada- a expansão do café do sudeste. mente nacionalista, visando à libertação da Colônia da e) subordinação do governo da Capitania de Pernam- Metrópole e à formação de um Império no Brasil através buco às Cortes, e em Lisboa. da união das várias regiões até então desunidas. 14. (UNIMEP-SP) A chamada Inconfidência Mineira, no 17. (CESGRANRIO) No período colonial vária rebeliões plano das idéias, era inspirada em grande parte: e movimentos de libertação que questionaram a do- a) nas reivindicações das camadas menos favorecidas minação portuguesa sobre o Brasil. A respeito dessas da colônia. rebeliões, podemos afirmar que: b) nos princípios socialistas de Saint-Simon; 1- Todos os movimentos de contestação visavam à c) no pensamento liberal dos filósofos da ilustração separação definitiva do Brasil de Portugal. européia. 2- Até a 1a. metade do século XVIII, os movimentos d) nas idéias absolutistas propostas pelos déspotas contestatórios exigiam mudanças, mas não o rompi- esclarecidos. mento do estatuto colonial. e) nas fórmulas políticas apresentadas pelos comer- 3- Desde o final do século XVIII, os movimentos de ciantes do Rio de Janeiro. libertação sofreram a influência do iluminismo e de- fendiam o fim do pacto colonial. 15. (UNEB) “Cada soldado é cidadão, sobretudo os 4- A luta pela abolição da escravatura era uma das pro- homens pardos e pretos, que vivem escorraçados e postas presentes em basicamente todas as rebeliões. abandonados. Todos serão iguais, não haverá diferen- 5- Uma das razões de vários movimentos contestatórios ça; só haverá liberdade, igualdade e fraternidade.” era o abuso tributário da coroa portuguesa em relação (Manifesto afixado nas paredes das igrejas de Salvador, aos colonos. no dia 12 de agosto de 1798.) Estão corretas as afirmativas: O conteúdo do texto acima expressa, principalmente: a) somente 1, 2 e 3 a) proposta e aspiração políticas idênticas àquelas que b) somente 1, 3 e 5 motivaram a Inconfidência Mineira. c) somente 2, 3 e 4 b) ideal emancipacionista vinculado à ajuda material d) somente 2, 3, 4 e 5 da França. e) somente 3, 4 e 5 c) movimento de caráter social, princípios iluministas e a igualdade racial, pregados abertamente pelos líderes 18. (UFF-RJ) Dos intelectuais envolvidos no suposto da Conjuração Baiana. embrião de conspirações. Manuel Inácio da Silva Alva- d) contestação sem alcance social e sem apelo popular. renga foi, sem dúvida a figura exponencial. e) ideal emancipacionista, relacionado a uma forma (Santos, Afonso Carlos Marques dos - Rascunho da Na- monárquica de governo ção. Inconfidência no Rio de Janeiro - Ed. Carioca) A afirmação se refere à chamada Inconfidência Carioca 16. (Cesgranrio-RJ) Durante as últimas décadas do e, além desta, outros movimentos político-ideológtico século XVIII, a colônia portuguesa na América foi palco visavam liberar o Brasil (ou parte dele) da domina- de movimentos como a Inconfidência Mineira (1789), ção portuguesa. Dentre esses movimentos, podemos a Conjuração do Rio de Janeiro (1794) e a Conjuração citar: Baiana (1798). A respeito desses movimentos, pode-se a) a Conjuração Baiana, a Balaiada e a Sabinada; afirmar que: b) a Inconfidência Mineira, a Conjuração Baiana e a a) demonstravam a intenção das classes proprietárias, Confederação do Equador; adeptas das idéias liberais, de seguirem o exemplo da c) a Inconfidência Mineira, a Revolta Farroupilha e a Revolução Americana (1776) e proclamarem a inde- Revolta Praieira; pendência construindo uma sociedade democrática em d) a Inconfidência Mineira, a Conjuração Baiana e a que todos os homens seriam livres e iguais. Revolta Pernambucana; b) expressavam a crise do Antigo Sistema Colonial atra- e) a Conjuração Baiana, a Inconfidência Mineira e a vés da tomada de consciência, por parte de diferentes Cabanagem. 11
  • 12. Capítulo 3 Diante da ameaça de invasão das tropas fran- co-espanholas, a família real fugiu para o Brasil (29/11/1807). O PROCESSO DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA 3. Principais Medidas de D. João no Brasil: DO BRASIL A família real chegou ao Brasil no início de 1808, pas- O processo de emancipação política, ou seja, o caminho sando pela Bahia e decidindo-se estabelecer no Rio de para a libertação política brasileira em relação a Portugal Janeiro. A rainha D. Maria, chamada “a louca”, não teve início com a vinda da família real para o Brasil. estava em condições de governar, deixando D. João, seu filho, como príncipe-regente. 1. Causas da Vinda da Família Real para o Brasil: As principais medidas de D. João no Brasil foram: Em novembro de 1807, a família real portuguesa deci- - Abertura dos Portos às nações amigas. diu fugir para o Brasil devido aos seguintes motivos: - Tratados de 1810. − a expansão napoleônica e o Bloqueio Continental. - Elevação a Reino Unido. − a dependência de Portugal em relação à Inglaterra. A) Abertura dos Portos (1808): A) Expansão Napoleônica e Bloqueio Continental: Consistiu na abertura dos portos brasileiros às “nações Napoleão Bonaparte era o governante francês que lutou amigas”, ou seja, à Inglaterra. contra as demais nações européias visando defender os interesses burgueses da Revolução Francesa. O maior Significou o rompimento do pacto colonial, o início da inimigo francês era a Inglaterra que, tratando-se de influência britânica no Brasil e um grande passo para uma ilha, Napoleão não conseguiu invadir. Dessa for- a independência política do Brasil. ma, decidiu impor o Bloqueio Continental. B) Os Tratados de 1810: Bloqueio Continental: determinação napoleônica exigindo que as nações européias ficassem proibidas Assinados com a Inglaterra, foram dois tratados: de comerciar com a Inglaterra e de permitir que navios ingleses atracassem em seus portos. - Comércio e Navegação: a principal decisão foi em relação as tarifas alfandegárias: Inglaterra (15%), Por- Através do Bloqueio, Napoleão visava estrangular tugal (16%) e demais países (24%). Outras medidas: economicamente a Inglaterra e garantir o desenvolvi- direito inglês a um porto neutro na Ilha de Santa Cata- mento industrial francês com a garantia dos mercados rina; garantia de liberdade religiosa aos ingleses; con- europeus. cessão aos ingleses de elegerem seus próprios juízes. B) A Dependência de Portugal em Relação à Inglaterra: - Aliança e Amizade: D. João se comprometia a não estabelecer a Santa Inquisição no Brasil e determinava A situação portuguesa ficou complicada na medida a gradual extinção do tráfico negreiro para o Brasil. em que possuía uma forte dependência econômica em relação à Inglaterra. Representou a dependência econômica brasileira em relação à Inglaterra. Ao mesmo tempo, desobedecer às determinações de Napoleão era muito arriscado, pois podia significar a C) Elevação do Brasil a Reino Unido (1815): invasão do país pelas tropas napoleônicas. O Brasil foi elevado à categoria de Reino Unido a 2. A Vinda da Família Real para o Brasil: Portugal e Algarves. O motivo foi direito de voto no Congresso de Viena, legitimando a permanência do Pressionada por Napoleão, Portugal fechou os portos governo português no Brasil. aos navios ingleses. Logo em seguida, assinou a Con- venção Secreta com a Inglaterra que determinava o Representou o reconhecimento oficial do fato de não embarque da família real para o Brasil, sob a proteção sermos mais colônia de Portugal. da marinha inglesa, dando em troca a ocupação da Ilha da Madeira e a abertura de um porto no Brasil 4. Outras Medidas de D. João: para os ingleses. - Alvará de Liberdade Industrial (1808): revogava o Percebendo a conspiração portuguesa, Napoleão assinou alvará de 1785, de D. Maria I, que proibia o estabele- o Tratado de Fontainebleau (out/1807) com a Espanha, cimento de fábricas no Brasil. determinando a invasão de Portugal e de suas colônias. - Criação do Banco do Brasil. 12
  • 13. - Criação de faculdades. 7. A Regência de D. Pedro (1821-1822): - Fundação da Academia Real Militar. - Criação da Biblioteca Real. D. Pedro assumiu a regência do Brasil, após a volta - Criação da Imprensa Régia: 1º Jornal “A Gazeta do da família real, sob fortes pressões recolonizadoras, Rio de Janeiro” e a 1ª Revista “O Patriota”. tentando também o seu retorno a Portugal. - Criação do Teatro Real. - Criação do Jardim Botânico. As principais medidas recolonizadoras foram: - Vinda de Missão artística francesa, com destaque − reunião, numa única entidade, dos exércitos portu- para o pintor Debret. gueses e brasileiros. − nomeação, para cada província do Brasil, de um gover- 5. Política Externa Joanina: nador das armas, que obedeceria diretamente às ordens vindas de Portugal, ou seja, independente da autoridade Na política externa, D. João obteve duas significativas do príncipe regente. vitórias: − extinção dos tribunais e repartições públicas criadas por D. João, anulando a autoridade do poder concentrado - Conquista da Guiana Francesa (1809-1817): foi no Rio de Janeiro. devolvida a França por determinação do Congresso − envio de novas tropas para o Rio de Janeiro, Pernam- de Viena. buco e Bahia. - Conquista do Uruguai: antiga pretensão portu- − criação de um imposto adicional nas alfândegas brasi- guesa de limitar o extremo sul do Brasil com o rio da leiras, com a clara intenção de recuperar o monopólio. Prata. Foi conquistada em 1816 e anexada ao Brasil em 1821 com o nome de Província Cisplatina. No Brasil, D. Pedro contava com a resistência de seto- res como os latifundiários, a maçonaria e a imprensa. A 6. Revolução do Porto de 1820: idéia era realizar a emancipação definitiva sem conflitos armados e sem a participação das camadas populares Apesar da derrota napoleônica em 1815, D. João com o objetivo de resguardar a propriedade. preferiu permanecer no Brasil devido a destruição do As principais decisões de D. Pedro foram: Estado Português. - O “Fico” (09/01/1822): D. Pedro decidiu permane- Em 1820, ocorreu uma grande revolta conhecida como cer no Brasil apesar das pressões recolonizadoras. Revolução Liberal do Porto que visava restaurar a so- Frase: “Como é para o bem de todos e felicidade geral berania portuguesa, abalada pela invasão napoleônica da nação, estou pronto. Diga ao povo que fico” e o posterior domínio inglês. - O “Cumpra-se” (4/5/1822): decreto determinando que nenhuma lei promulgada pelas Cortes de Lisboa Os principais motivos da Revolução do Porto foram: seria obedecida sem o “cumpra-se” de D. Pedro. - A “Independência” (14/9/1822): diante de novas - crise econômica. ordens das Cortes Portuguesas, D. Pedro decidiu rom- - descontentamento popular per definitivamente com Portugal. - fome e miséria. - presença inglesa em Portugal. Obs.: Ocorreram resistências portuguesas no Brasil nas - influência das idéias liberais. províncias da Bahia, do Maranhão, do Grão-Pará, do - prejuízos na relação com a colônia. Piauí e da Cisplatina. - concorrência com os produtos manufaturados ingleses. - perda do mercado brasileiro. 8. Os Significados da Independência: Liderada pela burguesia portuguesa, existiam duas − não provocou mudanças profundas no nosso pro- exigências principais: cesso histórico. − participação da aristocracia, da maçonaria e da im- − a volta da família real prensa: movimento elitista. − recolonização do Brasil. − o povo não participou do processo de articulação da independência porque era marginalizado pela aristo- Os revolucionários escreveram uma Constituição e cracia que não admitia manifestações populares na conseguiram que D. João a assinasse, representando política brasileira. o fim do Absolutismo português. Em março de 1821, − manutenção da escravidão. D. João anunciou seu retorno para Portugal e no- − permanência da dependência econômica em relação meou como Regente do Brasil seu filho D. Pedro. à Inglaterra. − manutenção do modelo de produção colonial: agrário, Em abril de 1821 D. João e sua corte retornam para monocultor, latifundiário, escravista e exportador. Portugal. − supremacia da elite agrária. − manutenção da unidade territorial. − adoção do regime monárquico: Estado Brasileiro. 13
  • 14. EXERCICIOS DE FIXAÇÃO e) alianças com a Inglaterra e acordos para iniciar a industrialização. 1. (CN) A abertura dos portos brasileiros às nações amigas, em 1808, encerrou: 6. (UFMG) Todas as alternativas apresentam afir- a) a dependência portuguesa da Inglaterra. mações corretas sobre a independência do Brasil, b) o interesse português sobre o Brasil dos países EXCETO: europeus. a) A crença no liberalismo de D.Pedro I e a expectativa c) a dependência do Brasil dos países europeus. positiva quanto a uma constituição brasileira estavam d) o monopólio luso sobre o Brasil. presentes em 1822. e) o poder da Inglaterra sobre os produtos brasilei- b) A declaração de independência estava diretamente ros. relacionada às determinações das Cortes de Lisboa enviadas a D. Pedro. 2. (CN) O Príncipe Regente D. João elevou o Brasil a c) A ideologia monárquica enraizada fez com que o povo Reino Unido porque: e os políticos apoiassem o príncipe. a) acreditava ser esta a solução para vencer o movi- d) A idéia do federalismo era mais importante para os mento rebelde de Pernambuco liderado por Domingos radicais do que a defesa da República. Teotônio Jorge Pessoa. e) A participação popular determinou os rumos da b) esperava obter vantagens para sua política interna- constituição do novo Estado Nacional. cional junto às nações cujos representantes reuniam- se em Viena. EXERCICIOS PROPOSTOS c) desejava projetar o Brasil, local que gostava e elegera para residir. 7. (CN) A presença da Corte portuguesa no Brasil al- d) recebera este conselho do Visconde de Cairu, para terou os rumos de nossa história colonial, na medida que melhor houvesse o desenvolvimento econômico em que: da antiga Colônia. I – O Rio de Janeiro transformou-se na sede do Estado e) atenderia às exigências das Cortes Gerais Extraor- Português. dinárias da Nação Portuguesa. II – Ocorre a ruptura do pacto colonial: abertura dos portos e alvará às indústrias (1808). 3. (CN) Identificamos como um dos atos da política III – Houveram progressos materiais e culturais, ex- externa do Príncipe Regente D. João: cetuando na imprensa. a) a solução da Questão Christie. IV – Consolida o domínio inglês no Brasil: tratados de b) a invasão da Guiana Francesa. 1810 – comércio e navegação, aliança e amizade. c) a celebração com a Espanha do Tratado de Madri. V – O país expande seu território comprando a Guiana d) a aquisição do Território do Acre pertencente à Francesa e anexando o Uruguai. Bolívia. e) o rompimento com o Vaticano e a conseqüente Assinale a alternativa correta: expulsão dos jesuítas do território brasileiro. a) As afirmativas I, II e IV são verdadeiras. b) As afirmativas II, III e V são verdadeiras. 4. A transferência da Corte Portuguesa para o Brasil c) As afirmativas I, II, III e IV são verdadeiras. decorreu da pressão da Inglaterra, interessada em d) As afirmativas I, II, III e V são verdadeiras. impedir: e) Todas as afirmativas são verdadeiras. a) o controle marítimo do Atlântico sul por Napoleão. b) o aprisionamento dos navios portugueses por Na- 8. (CN) A estadia de D. João VI no Brasil está asso- poleão. ciada a duas ações militares distintas. A primeira, a c) a ruína da dinastia de Bragança. ocupação da Guiana Francesa, em 1809; a segunda, d) a saída de vinho português para a França. a conquista do Uruguai e sua transformação em Pro- e) a aliança entre a Espanha e a França. víncia Cisplatina (1816-21). Sobre esses fatos podemos afirmar que: 5. Por volta de 1820 , a burguesia portuguesa inicia a) a investida contra a colônia francesa foi um ato uma revolução liberal. controlando o poder, propõe- revanchista contra o imperador da França, Napoleão se a recuperar a economia do Reino e exige medidas Bonaparte que, um ano antes, havia decretado o Blo- imediatas como: queio Marítimo contra o reino de Portugal. a) desligar-se da dependência inglesa e participar da b) ambas as empreitadas tinham como objetivo espe- Revolução Industrial; cífico adquirir para Portugal regiões economicamente b) o regresso de D.João VI a Metrópole e recolonização estratégicas, caso tanto do Uruguai – com excelente do Brasil. porto localizado junto à foz do Rio da Prata – quanto da c) coroar D.Pedro Imperador de Portugal e adotar uma Guiana Francesa – cujo porto de Caiena configurava-se constituição liberal; como fornecedor de acesso fácil à próspera economia d) a aplicação de leis protecionistas para a ampliação norte-americana de inícios do século XIX. do mercado interno português; c) tiveram como conseqüência comum o endivida- 14
  • 15. mento de Portugal que, para bancar financeiramente d) a presença de D. Pedro era extremamente impor- essas campanhas – assim como a repressão interna à tante para os latifundiários, que buscavam executar Revolução Pernambucana de 1817 – teve de contrair uma Independência que inviabilizasse a participação empréstimos junto ao governo da Inglaterra e aumentar popular, evitasse a fragmentação territorial e mantives- os impostos cobrados à população colonial. se a estrutura sócio-econômica desenvolvida durante d) a ocupação do Uruguai foi uma revanche contra a o período colonial. monarquia espanhola que – no momento da invasão e) para a elite latifundiária, D. Pedro era de extrema im- lusitana à Cisplatina – era aliada do império napo- portância no processo de Independência devido à sua leônico, responsável pela expulsão de D. João VI do projeção política na Inglaterra e nos países vizinhos da reino português. América do Sul, facilitando com isso o reconhecimento e) elas levaram à ampliação do território brasileiro do movimento, como ocorreu em 1824. que – após o processo de independência de Portugal – manteve essas duas conquistas, somente tendo sido 11. A chegada da Corte Portuguesa ao Brasil em perdidas durante a fase do 1º Reinado. 1808 representou uma mudança significativa no que se refere a integração do Brasil no mercado mundial 9. (CN) O “Clube da Resistência”, que se formou no Rio porque: de Janeiro e tinha a sua sede na casa de José Joaquim a) a diplomacia joanina insultou rebeliões na província da Rocha, desejava obter: Cisplatina, favorecendo, assim, a exportação de couro a) o fechamento da Assembléia Nacional Constituinte, sulino para a Europa; convocada pelo imperador D. Pedro I antes que ela b) foi extinto o tráfico de escravos negros para o Brasil promulgasse uma Constituição. em troca dos comerciantes lusos abastecerem, com b) a permanência do Príncipe Pedro I no Brasil, envol- exclusividade, algumas das colônias como a Guiana; vendo-o no movimento para a Independência. c) foram assinados os tratados de Aliança e Amizade c) a unificação das múltiplas lojas maçônicas para que e de Comércio e Navegação com a Inglaterra, por meio pudessem provocar a abdicação de Pedro I. dos quais se garantia a preponderância inglesa no d) recursos financeiros e apoio político, para o impe- comércio com o Brasil; rador Pedro I resistir às tropas portuguesas contrárias d) D.Rodrigo de Sousa Coutinho, Ministro de D. João, ao ato de Independência. traçou e pôs em execução um projeto de cultivo e e) a maioridade antecipada de D. Pedro II para dar fim exportação de algodão, com vistas a substituir a ex- o período regencial. portação norte-americana, prejudicada pela guerra da independência; 10. (CN) “Depois da volta de D. João para Portugal, e) promoveu-se uma legislação visando a contenção as Cortes portuguesas começaram a preparar a reco- das importações de supérfluos que, naquela época, lonização do Brasil. começavam a abarrotar o porto do Rio de Janeiro. As tentativas recolonizadoras provocaram a organiza- ção, no Brasil, de um movimento de Independência, 12. O início do século XIX assinalou uma significativa onde se destacou a maçonaria e a imprensa e que mudança nas relações mantidas entre a sociedade co- contou com a simpatia da Inglaterra. lonial brasileira e as principais Nações da Europa Oci- Para a elite latifundiária e para alguns comerciantes dental em virtude da expansão do capitalismo no velho era preciso o apoio de D. Pedro, para que a Indepen- continente. Expressa a natureza dessa mudança; dência fosse feita em nome da classe dominante, sem a) a quebra do monopólio comercial garantido a me- luta e sem prejuízos econômicos para ela.” trópole portuguesa através da “Abertura dos Portos às (SILVA, Francisco de Assis. História do Brasil 1 Colô- Nações Amigas”, em 1808; nia. Ed. Moderna) b) a exportação maciça de manufaturados ingleses e Assinale a alternativa que está diretamente relacionada norte-americanos para os grandes centros urbanos à idéia transmitida pelo texto acima: brasileiros, incapazes de produzir os mesmos produ- a) com D. Pedro a frente do poder, Portugal minimizaria tos a preços competitivos; as tentativas de acabar com a Independência devido c) a perda do prestígio político e militar da coroa aos laços dinásticos envolvidos, ou seja, pelo fato de D. Portuguesa, com a transmigração da família imperial Pedro pertencer a casa de Bragança e de ser o próximo para o Brasil; rei de Portugal, após a morte de D. João VI. d) a eliminação progressiva do trabalho escravo nas b) a elite latifundiária do Brasil viu em D. Pedro a opor- grandes fazendas de cafés, barateando o preço daquele tunidade de executar um movimento de Independência produto nos mercados europeus; com ampla participação popular, visto que, como sím- e) o estreitamento dos laços culturais com a Europa bolo da centralização política, D. Pedro despertaria nas capitalista, de que é exemplo à vinda da Missão Fran- massas o ideal comum que faltava ao movimento. cesa de 1816 a Corte do Rio de Janeiro. c) para os latifundiários, a presença de D. Pedro era fundamental no processo de Independência porque, 13. “ O mercado ficou inteiramente abarrotado tão como membro da família real portuguesa, conseguiria grande era o fluxo de manufaturas inglesas no Rio, manter os acordos econômicos existentes entre produ- logo em seguida a chegada do príncipe regente, que tores brasileiros e comerciantes portugueses. os aluguéis das casas para armazená-las elevaram-se 15
  • 16. vertiginosamente.” (JONN MAWE). d) Apenas II e III. Com base no texto, assinale a opção que melhor carac- e) I, II e III. terize a evolução da economia brasileira com a vinda da família real: 17. (UERJ) Que tardamos? A época é esta: Portugal a) a atuação de uma burguesia lusa dinâmica inves- nos insulta; a América nos convida; a Europa nos tindo no setor industrial; contempla; o príncipe nos defende. Cidadãos! soltai b) a abertura dos portos e os tratados de comércio o grito festivo... Viva o Imperador Constitucional do subsequentes impulsionaram o desenvolvimento eco- Brasil, o Senhor D. Pedro I. nômico: (Proclamação. Correio Extraordinário do Rio de Janei- c) D. João adotou uma política visando especificamente ro. 21 de setembro de 1822.) o desenvolvimento industrial; Esse texto mostra o rompimento total e definitivo com d) o comércio colonial estava vinculado a América a antiga metrópole como necessário para a constru- Espanhola; ção do Império Brasileiro. Nele também está implícito e) D. João adotou uma política liberal e protecionista um dos fatores que contribuíram para o processo de visando proteger o comercio colonial dos franceses. construção da independência do Brasil. Esse fator foi: 14. (UFMG) A transferência da Corte Portuguesa para a) a ajuda das potências européias em função de seus o Brasil implicou mudanças significativas no estatuto interesses econômicos. colonial. b) a intransigência das Cortes de Lisboa na aceitação Todas as afirmativas apresentam medidas tomadas das liberdades brasileiras. por D. João VI em seu governo, exceto: c) o ideal republicano em consonância com o das an- a) a abertura dos portos, concedendo liberdade de tigas colônias espanholas. comércio. d) o movimento separatista das províncias do norte em b) a assinatura de tratados comerciais com a Ingla- processo de união com Portugal. terra. c) a criação da Imprensa Régia e das Faculdades de 18. “No dia 7 de setembro de 1822 nascia uma nova Medicina e Belas-Artes. Nação. Um Príncipe português separava o Brasil de d) a elevação do Brasil a Reino Unido de Portugal e sua antiga Metrópole. Para setores da classe domi- Algarves. nante, como os fazendeiros do Sudeste, uma vitória. e) a proibição da atividade industrial no Brasil. A população de São Paulo e do Rio de Janeiro ficou empolgada. Comemorações e fitinhas verde-amarelas 15. (UNIRIO) Assinale a opção cujo conteúdo está dominavam o ambiente.” (F. Alencar, Lucia Carpi e ligado à concretização da emancipação política do M. Venício Ribeiro, História da Sociedade Brasileira). Brasil, em 1822: Se for verdade que a Independência representou uma a) reforço da política de monopólios adorava pelo go- vitória para alguns setores da classe dominante, não verno de D. João no Brasil. se pode dizer o mesmo com relação à grande maioria b) apoio do rei aos setores liberais da colônia, como no da população. Isto porque: caso da Revolução Pernambucana. a) boa parte do povo não aceitou o rompimento com c) política recolonizadora do Brasil adotada pelas cortes as Cortes Portuguesas, chegando a lutar de armas na portuguesas. mão contra a separação; d) desdobramento da Revolução Liberal do Porto na b) os trabalhadores escravos, principal mão-de-obra colônia. da nova Nação, não tiveram nenhum benefício com a e) reação das elites coloniais à permanência do príncipe Independência, pois ao nível econômico nada mudou herdeiro de Portugal na colônia. em profundidade; c) a precariedade dos meios de comunicação na épo- 16. (UFRS) Considere as seguintes afirmações sobre o ca, impediu que muitos participassem da conquista e, processo de emancipação política do Brasil: conseqüentemente, se beneficiassem; I. A separação de Portugal acarretou profundas mo- d) apesar do declínio da escravidão, os salários pagos dificações na estrutura econômica brasileira, agora aos trabalhadores eram muito baixos; livre da exploração colonial e dos entraves ao livre e) a transformação dos latifúndios agroexportadores comércio. em minifúndios voltados para o consumo interno, de- II. A Maçonaria revelou-se uma força política atuante, terminada pela Assembléia Constituinte de 1823, não defendendo idéias liberais. teve resultados econômicos animadores. III. A camada senhorial, entre outros segmentos so- ciais, saiu vitoriosa na luta contra as Cortes e os ra- 19. “Incapaz de se defender contra o invasor e na imi- dicais, defendendo a solução monárquica, que evitaria nência de vir a perder a soberania, o Regente D. João a fragmentação do país. acaba por aceitar a sugestão insistente de seus conse- Quais estão corretas? lheiros, entre eles o Conde de Linhares, elo de ligação a) Apenas I com Lord Stratford, plenipotenciário inglês em Lisboa b) Apenas II. e principal patrocinador da idéia de transferência da c) Apenas I e I. Família Real para o Brasil.” O autor se refere à vinda 16
  • 17. da Corte Portuguesa, que, na realidade, beneficiou principalmente: a) a Portugal, pois o controle direto do governo da Colô- nia possibilitou uma política econômica que favoreceu as finanças portuguesas; b) à Inglaterra que passou a ter, no mercado da Colô- nia, privilégios alfandegários especiais, fato que colocou o Brasil na sua total dependência econômica; c) ao Brasil porque, após o profícuo período da admi- nistração de D. João e sua volta a Portugal, a economia brasileira estava firmemente estabilizada; d) a todas as nações, pois o decreto de abertura dos portos possibilitou a colocação de seus produtos no mercado brasileiro a taxas mínimas; e) a todas as nações européias que, beneficiando-se da abertura de novos mercados na América, puderam reorganizar-se para destruir o exército de Napoleão. 20. “(...) Outro efeito da forma pela qual se operou a emancipação do Brasil é o caráter de ‘arranjo político’, se assim nos podemos exprimir, de que se re- vestiam os meses que medeiam da partida de Dom João à proclamação da Independência, pe- ríodo final em que os acontecimentos se precipi- tam, decorrem num ambiente de manobras de bastidores, em que a luta se desenrola exclusivamente em torno do príncipe regente, num trabalho intenso de o afastar da influência das Cortes portuguesas e tra- zê-lo para o seio dos autonomistas. Resulta daí que a Independência se fez por uma simples transferência pacífica de poderes da metrópole para o governo brasi- leiro. (...) Fez-se a Independência praticamente à revelia do povo; e se isto lhe poupa sacrifícios, também afastou por completo sua participação na nova ordem política. A Independência brasileira é fruto mais de uma classe que da nação tomada em conjunto.” (Caio Prado Jr., Evolução política do Brasil e outros estudos. P. 49-50.) A análise do texto acima permite concluir que o caráter da Independência brasileira se evidencia: a) pela ausência da participação popular e pelo ‘arranjo político’. b) pela semelhança com os movimentos de indepen- dência da América Espanhola. c) pela influência da filosofia iluminista. d) pela participação do militar, porta-voz médio bra- sileiro. e) pela pressão inglesa junto ao príncipe regente. 17