Finanças Em Marketing Aula 05

9.733 visualizações

Publicada em

1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.733
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
24
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
122
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Finanças Em Marketing Aula 05

  1. 1. Administração Financeira <ul><li>Para a Administração Financeira, o objetivo econômico das empresas é a maximização de seu valor de mercado, pois dessa forma estará sendo aumentada a riqueza de seus proprietários (acionistas de sociedades por ações ou sócios de outros tipos de sociedades). </li></ul><ul><li>Os proprietários de empresas privadas esperam que seu investimento produza um retorno compatível com o risco assumido, por meio de geração de resultados econômicos e financeiros (lucro e caixa) adequados por longo prazo, ou melhor, indefinidamente, pois o investimento é feito em caráter permanente. </li></ul><ul><li>A geração de lucro e caixa é importante também para empresas públicas, pois, com o re-investimento de recursos, é ,possível executar a melhoria e a expansão dos serviços prestados à comunidade. </li></ul>
  2. 2. Administração Financeira <ul><li>A geração permanente de lucro e caixa contribui para que uma empresa moderna cumpra suas funções sociais por meio de geração e pagamento de impostos, treinamento e remuneração adequada dos empregados, investimentos em melhoria ambiental etc. </li></ul><ul><li>Do ponto de vista dos acionistas, uma empresa pode ser visualizada como um sistema que gera lucro e aumenta os recursos nela investidos. A empresa, representada por seus administradores (diretores e gerentes) e empregados em geral interage com os agentes econômicos do ambiente em que está inserida, gera os resultados econômicos e financeiros e remunera os acionistas pelo investimento realizado. </li></ul>
  3. 3. Administração Financeira EMPRESA Administradores + Empregados Financiadores Bancos Fornecedores Clientes Comunidade Governo Investidores $ $$$$$
  4. 4. Atividades empresariais <ul><li>As atividades de uma empresa podem ser agrupadas, de acordo com a natureza, em: operações, investimentos e financiamentos. </li></ul><ul><li>Atividades de Operações: </li></ul><ul><li>As atividades de operações (ou atividades operacionais) existem em função do negócio da empresa e são executadas com a finalidade de proporcionar um retorno adequado para os investimentos feitos pelos proprietários. </li></ul><ul><li>As atividades operacionais são refletidas em contas integrantes da Demonstração do Resultado, que geram o lucro (ou prejuízo) operacional. Exemplos: compras de matérias-primas, vendas, salários, aluguel etc. </li></ul>
  5. 5. Atividades empresariais <ul><li>Existem atividades operacionais que, de acordo com o regime de competência, não são contabilizadas em contas de resultado no momento da ocorrência. Por exemplo, as compras de matérias-primas são atividades operacionais contabilizadas inicialmente no Ativo Circulante. Após sofrer sucessivas transformações durante o processo industrial, as matérias-primas são vendidas e deduzidas das receitas como parte do custo realizado, juntamente com outros custos diretos e indiretos. </li></ul><ul><li>Basicamente, as atividades operacionais relacionam-se com a compra e venda de mercadorias, compra de matérias-primas e sua transformação, venda de produtos, prestação de serviços, armazenagem e distribuição. As atividades auxiliares que dão suporte ao negócio da empresa, tais como: planejamento estratégico, serviços jurídicos, publicidade e controles financeiros diversos são consideradas também atividades operacionais. </li></ul>
  6. 6. Atividades empresariais <ul><li>Atividades de Investimentos: </li></ul><ul><li>Nesse grupo, são classificadas as atividades executadas em conseqüência das decisões de aplicações de recursos em caráter temporário ou permanente, para dar suporte a atividades operacionais. </li></ul><ul><li>As atividades de investimentos correspondem às contas classificadas no balanço patrimonial, em investimentos temporários e em ativo permanente. Exemplos: compras de maquinaria, integralização de capital de empresas controladas, aplicações financeiras de curto e longo prazos etc. </li></ul><ul><li>Algumas empresas classificam os investimentos temporários (aplicações financeiras) no grupo de atividades de financiamentos dedutivamente, por entenderem que são atividades de natureza financeira. </li></ul>
  7. 7. Atividades empresariais <ul><li>Atividades de Financiamentos: </li></ul><ul><li>As atividades de financiamentos refletem os efeitos das decisões tomadas sobre a forma de financiamento das atividades de operações e de investimentos. </li></ul><ul><li>As atividades classificadas nesse grupo correspondem às contas classificáveis no passivo financeiro e no patrimônio líquido. Exemplos: captação de empréstimos bancários, emissão de debêntures, integralização de capital da empresa etc. </li></ul>
  8. 8. Demonstração de resultados por atividade
  9. 9. Introdução a Administração Financeira <ul><li>Quadro do slide anterior relaciona a demonstração de resultado com as atividades empresariais, dividindo-as, sob o aspecto gerencial, em operacionais e não operacionais. </li></ul><ul><li>Funções do administrador financeiro </li></ul><ul><li>A administração financeira de uma empresa é exercida por pessoas ou grupos de pessoas que podem ter diferentes denominações, como: vice-presidente de finanças, diretor financeiro, controller e gerente financeiro, ou seja, o executivo responsável pela administração financeira, aqui denominado administrador financeiro . </li></ul><ul><li>As atividades de operações existem em função do negócio da empresa e não é da competência do administrador financeiro determinar como elas devem ser conduzidas. Entretanto, com os seus conhecimentos técnicos, ele pode contribuir decisivamente quanto à melhor forma de conduzir as atividades operacionais. </li></ul>
  10. 10. Introdução a Administração Financeira <ul><li>Todas as atividades empresariais envolvem recursos e, portanto, devem ser conduzidas para a obtenção do lucro. As funções típicas do administrador financeiro são: </li></ul><ul><li>A. análise, planejamento e controle financeiro; </li></ul><ul><li>B. tomadas de decisões de investimentos; e </li></ul><ul><li>C. tomadas de decisões de financiamentos. </li></ul><ul><li>Análise, planejamento e controle financeiro consiste em coordenar, monitorar e avaliar todas as atividades da empresa, por meio de relatórios, bem como participar ativamente das decisões estratégicas, para alavancar as operações. </li></ul>
  11. 11. Introdução a Administração Financeira <ul><li>As decisões de investimentos dizem respeito à destinação dos recursos financeiros para aplicação em ativos correntes (circulantes) e não correntes (realizáveis a longo prazo e ativos permanentes), considerando-se a relação adequada de risco e de retorno dos capitais investidos. </li></ul><ul><li>As decisões de financiamentos são tomadas para captação de recursos financeiros para o financiamento dos ativos correntes e não correntes, considerando-se a combinação adequada dos financiamentos a curto e a longo prazos e a estrutura de capital. </li></ul><ul><li>O administrador financeiro recebe o apoio técnico de profissionais especializados em Tesouraria e Controladoria. Os executivos responsáveis por essas duas áreas recebem o título de tesoureiro (ou gerente financeiro) e controller . </li></ul>
  12. 12. Organograma da área financeira Finanças Tesouraria Controladoria Administração de caixa Créditos e contas a receber Contas a pagar Câmbio Planejamento Financeiro Contabilidade Financeira Contabilidade de custos Orçamentos Administração de tributos Sistemas de informação
  13. 13. Ciclos <ul><li>Ciclos operacional, econômico e financeiro </li></ul><ul><li>O ciclo operacional de urna empresa (modelo industrial) inicia-se com a compra de matéria-prima e encerra-se com o recebimento da venda. Durante esse período, ocorrem vários outros eventos que caracterizam o ciclo econômico e o ciclo financeiro. </li></ul><ul><li>O ciclo operacional é a sorna do prazo de rotação dos estoques e prazo de recebimento da venda. </li></ul><ul><li>O ciclo econômico inicia-se com a compra de matéria-prima e encerra-se com a venda do produto fabricado. Caso ocorram desembolsos ou gastos antes da compra da matéria-prima, é nesse momento que se inicia o ciclo econômico. Da mesma forma, caso a empresa incorra em custos e despesas relacionados com as operações após o recebimento da venda, o ciclo econômico se encerra após a ocorrência desses eventos. </li></ul>
  14. 14. Ciclos <ul><li>O ciclo financeiro tem início com o primeiro desembolso e termina, geralmente, com o recebimento da venda. Caso haja pagamento de custos ou despesas após o recebimento da venda, é nesse momento que se encerra o ciclo financeiro. </li></ul><ul><li>Se ocorrem gastos ou pagamentos de outros custos e despesas (ou adiantamento para compras) antes da compra de matéria-prima, é num desses momentos que se inicia o ciclo operacional. </li></ul><ul><li>Existem casos em que a empresa adianta numerário para compras de estoques. É o caso de empresas do ramo agropecuário ou de agroindústria que, normalmente, adiantam recursos para os produtores rurais ou fazem compra antecipada de safras agrícolas. Nesse caso, o ciclo operacional inicia-se juntamente com o ciclo financeiro. </li></ul>
  15. 15. Ciclos
  16. 16. Ciclos <ul><li>O exemplo do slide anterior representa o ciclo operacional de uma indústria, mas existem empresas de outros ramos que apresentam ciclos operacionais bastante diferentes. Resumindo os eventos: </li></ul><ul><li>PRE = PF + PEPA; </li></ul><ul><li>CE = PRE; </li></ul><ul><li>CO = PRE + PRV; </li></ul><ul><li>CO = do início do CE até o final do CF </li></ul><ul><li>CF = do primeiro desembolso até o final do PRV. </li></ul><ul><li>Por exemplo, uma empresa agrícola que produz maçãs inicia seu ciclo operacional no terceiro trimestre do ano 1, colhe a safra no segundo trimestre do ano 2, deixa estocado parte do produto in natura até o primeiro trimestre do ano 3, e acaba de receber pelas vendas no segundo trimestre desse mesmo ano. Nesse ritmo, o ciclo operacional é de aproximadamente dois anos. </li></ul>
  17. 17. Regime de competência e regime de caixa <ul><li>A rentabilidade é a medida do resultado econômico (lucro ou prejuízo) gerado por capital investido. </li></ul><ul><li>A Contabilidade adota o regime de competência para apurar o resultado econômico e medir a rentabilidade das operações. Basicamente, por esse regime, as receitas são reconhecidas no momento da venda, e as despesas, quando incorridas. O regime de competência coincide com o ciclo econômico. </li></ul><ul><li>A liquidez é a capacidade de pagar compromissos financeiros no curto prazo. Em sentido amplo, a liquidez é relacionada com as disponibilidades mais os direitos e bens realizáveis no curto prazo. Em sentido restrito, a liquidez é relacionada somente com as disponibilidades de recursos. </li></ul>
  18. 18. Regime de competência e regime de caixa <ul><li>A Administração Financeira adota o regime de caixa para planejar e controlar as necessidades e sobras de caixa e apurar o resultado financeiro (superávit ou déficit de caixa). Basicamente, pelo regime de caixa, as receitas são reconhecidas no momento do efetivo recebimento, e as despesas, no momento do efetivo pagamento. </li></ul><ul><li>O controller moderno tem consciência da importância do regime de caixa e, por sua vez, o tesoureiro moderno compreende a importância do regime de competência , pois esses dois conceitos não são conflitantes. Na realidade, eles são interdependentes e complementam-se. </li></ul>

×