Fisiologia questões de fisiologia renal

22.262 visualizações

Publicada em

Publicada em: Ciências
0 comentários
37 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
22.262
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
779
Comentários
0
Gostaram
37
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fisiologia questões de fisiologia renal

  1. 1. FISIOLOGIA DO SISTEMA RENAL Prof. João Victor Leal Salgado, MHS Disciplina de Fisiologia Geral Departamento de Ciências Fisiológicas Centro de Prevenção de Doenças Renais (HUPD) Universidade Federal do Maranhão jvlsalgado@yahoo.com.br EXERCÍCIOS
  2. 2. Questão 01 •Cite pelo menos 5 funções importantes que os rins desempenham no organismo?
  3. 3. Resposta 01 1. Manutenção do volume extracelular 2. Regulação do equilíbrio hidro-eletrolítico (osmolalidade dos líquidos corporais). 3. Regulação da pressão arterial 4. Regulação do equilíbrio ácido-básico 5. Excreção de produtos indesejáveis do metabolismo e de substâncias químicas estranhas. 6. Regulação do metabolismo de cálcio e fóforo 7. Secreção, metabolismo e excreção de hormônios 8. Gliconeogênese 9. Conservação dos nutrientes
  4. 4. Questão 02 Cite dois hormônios importantes produzidos nos rins e suas respectivas funções no organismo.
  5. 5. Resposta 02 • A renina é sintetizada, armazenada e liberada nas células justaglomerulares dos rins. • A renina participa da regulação da pressão arterial, por meio da ativação do sistema Renina Angiotensina Aldosterona • A eritropoetina é secretada essencialmente pelo córtex renal (aprox. 90% da produção). • A produção de eritropoetina é estimulada pela baixa de oxigênio nas artérias renais.
  6. 6. Questão 03 •Qual a unidade funcional do rim? E quais são seus elementos?
  7. 7. Resposta 03 a) Nefron b) Glomérulo • Túbulos: • Túbulo proximal • Segmentos descendentes e ascendentes delgados da alça de Henle. • Segmento espesso da alça de Henle • Túbulo distal • Túbulo coletor corticol • Túbulo coletor medular • Ducto coletor
  8. 8. Questão 04 •Como os néfrons podem ser classificados e quais as suas características fisiológicas?
  9. 9. Resposta 04 • Néfrons corticais: Aprox. 80% Alças de Henle curtas (pouca presença na medula). Capilares peritubulares Fluxo Sanguíneo elevado Região de maior filtração • Néfrons justamedulares: Aprox. 20% a 30%. Alças de Henle longas (presença na medula) Capilares peritubulares especializados => Vasa Recta Fluxo Sanguíneo diminuído => Concentração urinária Região de menor filtração
  10. 10. Questão 05 •Quais os processos principais para a formação da urina e como a excreção urinária pode ser matematicamente expressa?
  11. 11. Resposta 05 1. Filtração glomerular 2. Reabsorção tubular 3. Secreção tubular Intensidade de Excreção urinária = intensidade Filtração – intensidade de Reabsorção + Taxa de Secreção.
  12. 12. Questão 06 •Levando em consideração substâncias hipotéticas, quais seriam as diferentes possibilidades de depuração renal para estas substâncias? Cite exemplos para cada situação.
  13. 13. Resposta 06 • Substância A: Apenas filtração (creatinina) • Substância B: Filtração e reabsorção parcial (eletrólitos corporais) • Substância C: Filtração e reabsorção completa (glicose e aminoácidos) • Substância D: Filtração e secreção (ácidos, bases, fármacos e toxinas, pesticidas)
  14. 14. Questão 07 •Quais seriam as principais vantagens fisiológicas do ser humano ter uma alta filtração Glomerular?
  15. 15. Resposta 07 • O plasma é filtrado e processado 60x por dia. • Remoção efetiva de produtos indesejáveis do corpo. • Controle rápido e preciso do volume e da composição dos líquidos corporais.
  16. 16. Questão 08 • O fluxo sanguíneo pelos rins executa diversas funções importantes. Assinale a opção incorreta. a) Modifica a intensidade da reabsorção de solutos e de água pelo túbulo proximal. b) Participa da concentração e diluição da urina e do transporte de substratos que serão excretados na urina. c) Fornece O2, nutrientes e hormônios às células do néfron e devolve à circulação geral, CO2, líquidos e solutos reabsorvidos. d) O fluxo sanguíneo nos rins determina indiretamente a intensidade de filtração glomerular. e) Todas estão incorretas.
  17. 17. Questão 09 •Defina as camadas da membrana do capilar glomerular e suas propriedades de filtrabilidade às substâncias plasmáticas. Dê exemplo de substâncias com alta e baixa filtrabilidade.
  18. 18. Resposta 09 • Endotélio Capilar: Possui milhares de pequenos orifícios chamados fenestrações e as células endoteliais são dotadas de carga negativa. • Membrana basal: É uma trama de colágeno e fibrilas proteoglicanas associadas à fortes cargas elétricas negativas. • Podócitos: Possui fendas de filtração carregadas negativamente. • Conferem barreira à filtração de proteínas plasmáticas de acordo com o tamanho e carga elétrica das mesmas. • Água e Sódio (↑ filtrabilidade); albumina (↓ filtrabilidade)
  19. 19. Questão 10 • Em ensaio experimental com animais de laboratório, uma doença renal foi induzida de modo que as cargas negativas na membrana basal do capilar glomerular foram perdidas. Após este evento, foram administrados polissacarídeos (dextrana) produzidos com diferentes cargas e raios moleculares: carga neutra (Å=42), positiva (Å=42) ou negativa (Å=34). A filtrabilidade destas substâncias nos capilares glomerulares foi observada e foi possível constatar que:
  20. 20. I. As moléculas de dextrana com carga positiva tiveram filtrabilidade maior do que as moléculas de dextrana com carga neutra. II. As moléculas de dextrana com carga negativa tiveram filtrabilidade maior do que as moléculas de dextrana com carga positiva e neutra. III. As filtrabilidades das moléculas de dextrana com carga positiva e neutra foram maiores do que a filtrabilidade das moléculas de dextrana com carga negativa. IV. As moléculas de dextrana com carga negativa apresentaram filtrabilidade menor do que as moléculas de dextrana com carga neutra e filtrabilidade equivalente às moléculas de carga positiva. V. As filtrabilidades das moléculas de dextrana com carga positiva e neutra foram equivalentes.
  21. 21. Resposta 10 • Diante das sentenças acima, assinale a opção correta: a) I, III b) III, V c) II, V d) IV e) I, II
  22. 22. Questão 11 • Quais os fatores determinantes do ritmo de ultrafiltração glomerular, e como podem ser calculadas a pressão efetiva de filtração nos capilares glomerulares e a ultrafiltração glomerular?
  23. 23. Resposta 11 a) Coeficiente de Filtração Capilar (Kf) e Pressão Efetiva de Filtração b) Pressão Efetiva de Filtração = (PG – PB – πG + πB) c) FG = Kf x Pressão Efetiva de Filtração
  24. 24. Questão 12 • Descreva a variação do ritmo de filtração Glomerular (RFG) em função da: a) Pressão hidrostática nos capilares glomerulares b) Pressão Coloidosmótica nos capilares glomerulares c) Pressão hidrostática na cápsula de Bowman
  25. 25. Respostas 12 A) Quanto maior a pressão hidrostática glomerular maior será o ritmo de filtração glomerular. B) A pressão oncótico dificulta a filtração e diminui o RFG. C) A Pressão hidrostática na cápsula de Bowman aumenta a pressão tubular e dificulta a RFG
  26. 26. Questão 13 A pressão hidrostática glomerular pode ser determinada por quais variáveis fisiológicas?
  27. 27. Resposta 13 a) Pressão arterial b) Resistência da arteríola aferente c) Resistência da arteríola eferente
  28. 28. Questão 14 •O que ocorre com o RFG caso ocorra uma vasoconstricção na arteríola aferente? Também diga o que ocorre caso a vasoconstricção seja na arteríola eferente.
  29. 29. Resposta 14 • Com a vasoconstrição da arteríola aferente, menos sangue chegará ao glomérulo e, consequentemente, menos plasma poderá ser filtrado. Dessa forma, o ritmo de filtração glomerular é menor. Já a vasoconstrição na arteríola eferente promove retenção do sangue/plasma sanguíneo no glomérulo, aumentando a pressão hidrostática nos capilares glomerulares, permitindo que seja melhor filtrado. Assim, o ritmo de filtração glomerular é maior.
  30. 30. Questão 15 •O que ocorreria com o RFG caso ocorresse uma vasodilatação na arteríola aferente? Também diga o que ocorreria caso a vasodilatação fosse na arteríola eferente.
  31. 31. Resposta 15 • Com a vasodilatação da arteríola aferente, mais sangue chegará ao glomérulo e, consequentemente, mais plasma poderá ser filtrado. Dessa forma, o ritmo de filtração glomerular é maior. Já a vasodilatação na arteríola eferente promove evasão do sangue/plasma sanguíneo do glomérulo, diminuindo a pressão hidrostática nos capilares glomerulares, impedindo que seja melhor filtrado. Assim, o ritmo de filtração glomerular é menor.
  32. 32. Questão 16 •De que forma pode ser realizado o controle fisiológico da pressão hidrostática glomerular e da pressão coloidosmótica do capilar glomerular, e desta forma também o controle da filtração glomerular?
  33. 33. Resposta 16 1. SN Simpático 2. Hormônios 3. Autacóides (substância vasoativas) 4. Feedback intrínseco dos rins.
  34. 34. Questão 17 • Sobre os hormônio e substâncias autacóides que influenciam a taxa de filtração glomerular (FG), responda: (1) Efeito vasoconstritor com redução da FG (2) Efeito vasodilatador com elevação da FG a) Óxido Nítrico derivado do endotélio ( ) b) Endotelina ( ) c) Epinefrina e Norepinefrina ( ) d) Prostaglandinas ( )
  35. 35. Questão 18 •Defina sucintamente o Balanço glomerulotubular.
  36. 36. Resposta 18 • É definido como a capacidade dos túbulos renais de aumentarem, por mecanismos adaptativos, o processo de reabsorção de água e cloreto de sódio nos túbulos proximais renais em resposta a um aumento na filtração glomerular.
  37. 37. Questão 19 •Explique o mecanismo de feedback túbulo glomerular.
  38. 38. Resposta 19
  39. 39. Questão 20 •Explique o mecanismo miogênico de autorregulação renal?
  40. 40. Resposta 20 • Durante a elevação da pressão arterial, existe uma resistência ao estiramento e uma contração do músculo liso vascular no intuito de proteger os capilares glomerulares de uma lesão induzida pela hipertensão arterial. • Mecanismo: Após o estiramento do vaso devido à alta pressão, há um influxo de Ca2+ do LEC para as células, ocasionando contração e aumentando a resistência vascular.

×