SlideShare uma empresa Scribd logo

A princesa e a ervilha teatro

Adaptação para teatro do conto de Hans C. Adersen, por Constantino Mendes Alves

1 de 8
Baixar para ler offline
1
A princesa e a ervilha
Adaptação para teatro da obra de Hans C. Andersen por Constantino M. Alves
2
Narrador – Imaginem um reino distante, numa era longínqua, onde os
Homens são
Governados por monarcas.
Weil, é o nome hipotético desse reino, inventado pelo autor desta
história.
No palácio real, rei e rainha estão discutem um assunto que os têm
deixado preocupados há já algum tempo…
Rei de Weil – Está na altura do nosso filho encontrar uma princesa para se
casar!
Rainha de Weil – Sim, mas não pode ser uma princesa qualquer….
Rei de Weil – Como?
Rainha de Weil – Uma rainha de verdade, autêntica.
Rei de Weil – Vou mandar preparar uma festa de arromba, e convidar
todas as princesas de Weil…
Rainha de Weil – Duvido que se encontre princesa digna desse nome. Mas
está bem façamos os convites para esse grande evento.
Toca o sino
Entram os reis e o príncipe, depois os convidados.
Príncipe de Weil – Estão cá muitas donzelas, tudo o que esperam é casar
comigo. Mas casarei apenas com uma autêntica princesa.
Toca uma valsa.
3
Príncipe de Weil – Por favor, dá-me o prazer de uma dança?
Princesa 1 – Claro! Que lindos olhos tem o meu príncipe, e como dança! É
o príncipe mais dotado que eu conheço…
Príncipe de Weil (pensando em voz alta em aparte) – Esta é muito
descarada, não pode ser uma princesa autêntica.
Declina a dança.
Príncipe de Weil – Por favor, dá-me o prazer de uma dança?
Princesa 2 – Claro, meu belo príncipe. Que belo palácio é este, não é?
Adoro palácios, se possível com grandes jardins, onde podemos passear e
fazer o que nos apetecer ao ar livre, uma vez eu….
Príncipe de Weil –(pensando em voz alta em aparte) Esta é uma tagarela,
não é uma autêntica princesa.
Declina a dança.
Príncipe de Weil – Por favor, dá-me o prazer de uma dança?
Princesa 3 – Ai quer dançar (ri)? Ai que bom dançar consigo (ri). E como a
valsa balança (ri) Está ser muito divertido (ri).
Príncipe de Weil – (pensando em voz alta em aparte) Esta ri demasiado,
não conseguia estar uma hora sequer com ela.
Declina a dança.
Príncipe de Weil – Por favor, dá-me o prazer de uma dança?
Princesa 4 – Ah queres dançar comigo, isso é que vai ser bonito.
Dançamos a quê? Uma valsa, ah pois, é a que está a tocar. Mas como se
dança? (pisa o pé do príncipe)
4
Príncipe de Weil - (pensando em voz alta em aparte) Ai, que esta doida,
dá cabo de mim.
Declina a dança.
Conselho do rei e rainha
Conselheiro 1 - …De facto a situação é demasiado séria.
Conselheiro 2 - …Se não conseguirmos um casamento para o príncipe
herdeiro, a situação política fica muito difícil…
Conselheiro 3 – O casamento do príncipe é urgente!
Rei de Weil - Pois, alguma coisa tem de ser feita, e já!
Rainha de Weil – Calma, o meu filho não casa com qualquer uma, só casa
com uma autêntica princesa.
Conselheiro 4 – Bem, mas no reino nenhuma foi aprovada pelo príncipe.
Rainha de Weil – Ainda bem, o meu filho tem de ser exigente, afinal, ele
um dia vai ser rei.
Conselheiro 5 – A única forma é procurar uma princesa fora do reino.
Conselheiro 6 – E como o príncipe é tão exigente, terá de ser ele a fazer
essa viagem.
Fazem a viagem.
Pajem – Estamos a chegar ao castelo de Oster, aqui vive uma linda
princesa casadoira.
Príncipe de Weil – Veremos, se é assim tão princesa.
5
Rei Oster – Bem vindo príncipe de Weil, conheceis Ester a minha linda
filha?
Príncipe de Weil – Que prazer! (beija a mão de Ester)
Ester – É uma grande honra conhecer-vos.
Príncipe de Weil – (aparte) “Tem um horrível mau hálito.” Desculpai-me
mas tenho de retirar-me…
Rainha de Oster – Mas ainda agora chegaste…
Pajem – O meu senhor tem afazeres inadiáveis, outro dia ele vos visitará.
Pajem – Estamos a chegar ao castelo da rainha de Roll, aqui vive uma linda
princesa casadoira.
Príncipe de Weil – Veremos, se é assim tão princesa.
Rainha de Roll - Bem vindo príncipe de Weil, conheceis Eva a minha linda
filha?
Príncipe de Weil – Que prazer! (beija a mão de Eva)
Princesa Eva – Vinde! Estava mesmo à espera de si, vamos tomar chá para
comemorar a tua chegada e…o começo do nosso noivado, estou mesmo
caidinha por ti.
Príncipe de Weil – (aparte) “Uma presumida, convencida”. Desculpai-me
mas tenho de retirar-me…
Rainha de Roll – Mas ainda agora chegaste…
Pajem – O meu senhor tem afazeres inadiáveis, outro dia ele vos visitará.
Pajem – Estamos a chegar ao castelo de Jamir, aqui vive uma linda
princesa casadoira.
Príncipe de Weil – Veremos, se é assim tão princesa.
Rei de Jamir - Bem vindo príncipe de Weil, conheceis Aira a minha linda
filha?
6
Príncipe de Weil – Que prazer! (beija a mão de Aira)
Princesa Aira – Vem daí, estava a lanchar, dois lanches, para ser mais
exata. O que queres? Seis hambúrgueres com duplo queijo?
Príncipe de Weil – (aparte) “Uma comilona, era o que me faltava!”.
Desculpai-me mas tenho de retirar-me…
Rei de Jamir – Mas ainda agora chegaste…
Pajem – O meu senhor tem afazeres inadiáveis, outro dia ele vos visitará.
Regressam a Weil.
Narrador – Desolado, o príncipe regressa ao seu palácio.
Príncipe de Weil – Meus pais, estou desolado e estafado, não consigo
encontrar uma autêntica princesa.
Rainha de Weil – Deixa lá, meu filho, continuaremos a tentar…
Rei de Weil – E havemos de encontrar uma, pelo menos.
(terrível tempestade)
(batem à porta do castelo)
Aia – Senhores, uma linda donzela, que diz ser princesa, pede para ser
recebida. Está molhada até aos ossos.
Rainha de Weil – Uma princesa…veremos. Deixa-a entrar.
Princesa Diamene – Obrigado meus senhores, por me terem recebido. Fui
apanhada de surpresa pelo temporal.
Rei de Weil – Dizes que és princesa…
Princesa Diamene – Sim do reino de Uhr, ouvi dizer que tínheis um filho
casadoiro…
Príncipe de Weil – Sim, como sois linda…

Recomendados

A princesa e a ervilha
A princesa e a ervilhaA princesa e a ervilha
A princesa e a ervilhaAny Tabuada
 
A lenda de arlequim
A lenda de arlequimA lenda de arlequim
A lenda de arlequimcasmaria
 
Leitura e interpretação tres reis magos
Leitura e interpretação   tres reis magosLeitura e interpretação   tres reis magos
Leitura e interpretação tres reis magosAna Sofia Cardoso
 
A Nossa História com a Letra B
A Nossa História com a Letra BA Nossa História com a Letra B
A Nossa História com a Letra BBetina Astride
 
A bela e a Fera
A bela e a FeraA bela e a Fera
A bela e a FeraTedd Mac
 
História infantil- A Amizade
História infantil- A AmizadeHistória infantil- A Amizade
História infantil- A Amizadefprc
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Branca de fome e os sete anões
Branca de fome e os sete anõesBranca de fome e os sete anões
Branca de fome e os sete anõesMarcia Oliveira
 
A Bruxa Mimi
A Bruxa MimiA Bruxa Mimi
A Bruxa MimiJATG
 
Deu a louca nos contos de fada
Deu a louca nos contos de fadaDeu a louca nos contos de fada
Deu a louca nos contos de fadajosivaldopassos
 
A Bela E O Monstro
A Bela E O MonstroA Bela E O Monstro
A Bela E O Monstrocigm1
 
Cartaz fabrica de histórias
Cartaz fabrica de históriasCartaz fabrica de histórias
Cartaz fabrica de históriasSandra Costa
 
Guião - Teatro - A Bela Adormecida
Guião - Teatro - A Bela AdormecidaGuião - Teatro - A Bela Adormecida
Guião - Teatro - A Bela AdormecidaFrancisco Carvalho
 
Era uma vez... Não foi bem assim!
Era uma vez... Não foi bem assim!Era uma vez... Não foi bem assim!
Era uma vez... Não foi bem assim!LRede
 
O senhor do seu nariz
O senhor do seu narizO senhor do seu nariz
O senhor do seu nariz12_A
 
A casinha de chocolate
A casinha de chocolateA casinha de chocolate
A casinha de chocolate1molhodeles
 
NinguéM Dá Prendas Ao Pai Natal
NinguéM Dá Prendas Ao Pai NatalNinguéM Dá Prendas Ao Pai Natal
NinguéM Dá Prendas Ao Pai Nataldaliatrigo
 
Vamos contar um segredo
Vamos contar um segredoVamos contar um segredo
Vamos contar um segredoPaula Carvalho
 
A história da família pontuação
A história da família pontuaçãoA história da família pontuação
A história da família pontuaçãoines lopes
 
Lp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilhaLp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilhaCentral Didática
 
Não abras este livro
Não abras este livroNão abras este livro
Não abras este livroTatianaCarmo4
 
O beijo da palavrinha mia couto
O beijo da palavrinha mia couto O beijo da palavrinha mia couto
O beijo da palavrinha mia couto Sousa Martins
 
Coração de Mãe
Coração de MãeCoração de Mãe
Coração de MãePedro Moura
 

Mais procurados (20)

Branca de fome e os sete anões
Branca de fome e os sete anõesBranca de fome e os sete anões
Branca de fome e os sete anões
 
A Bruxa Mimi
A Bruxa MimiA Bruxa Mimi
A Bruxa Mimi
 
bichos-bicharocos
bichos-bicharocosbichos-bicharocos
bichos-bicharocos
 
Deu a louca nos contos de fada
Deu a louca nos contos de fadaDeu a louca nos contos de fada
Deu a louca nos contos de fada
 
A Bela E O Monstro
A Bela E O MonstroA Bela E O Monstro
A Bela E O Monstro
 
Cartaz fabrica de histórias
Cartaz fabrica de históriasCartaz fabrica de histórias
Cartaz fabrica de histórias
 
Guião - Teatro - A Bela Adormecida
Guião - Teatro - A Bela AdormecidaGuião - Teatro - A Bela Adormecida
Guião - Teatro - A Bela Adormecida
 
Era uma vez... Não foi bem assim!
Era uma vez... Não foi bem assim!Era uma vez... Não foi bem assim!
Era uma vez... Não foi bem assim!
 
O senhor do seu nariz
O senhor do seu narizO senhor do seu nariz
O senhor do seu nariz
 
A casinha de chocolate
A casinha de chocolateA casinha de chocolate
A casinha de chocolate
 
NinguéM Dá Prendas Ao Pai Natal
NinguéM Dá Prendas Ao Pai NatalNinguéM Dá Prendas Ao Pai Natal
NinguéM Dá Prendas Ao Pai Natal
 
Vamos contar um segredo
Vamos contar um segredoVamos contar um segredo
Vamos contar um segredo
 
Manual 28 palavras
Manual 28 palavrasManual 28 palavras
Manual 28 palavras
 
A história da família pontuação
A história da família pontuaçãoA história da família pontuação
A história da família pontuação
 
Lp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilhaLp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilha
 
"O Príncipe Nabo"
"O Príncipe Nabo""O Príncipe Nabo"
"O Príncipe Nabo"
 
Poemas de Natal
Poemas de NatalPoemas de Natal
Poemas de Natal
 
Não abras este livro
Não abras este livroNão abras este livro
Não abras este livro
 
O beijo da palavrinha mia couto
O beijo da palavrinha mia couto O beijo da palavrinha mia couto
O beijo da palavrinha mia couto
 
Coração de Mãe
Coração de MãeCoração de Mãe
Coração de Mãe
 

Semelhante a A princesa e a ervilha teatro

Semelhante a A princesa e a ervilha teatro (20)

A princesa e a ervilha
A princesa e a ervilhaA princesa e a ervilha
A princesa e a ervilha
 
Adapt.Principe Nabo....doc
Adapt.Principe Nabo....docAdapt.Principe Nabo....doc
Adapt.Principe Nabo....doc
 
A bela adormecida
A bela adormecidaA bela adormecida
A bela adormecida
 
Personagens d'o príncipe nabo
Personagens d'o príncipe naboPersonagens d'o príncipe nabo
Personagens d'o príncipe nabo
 
Adormecida
AdormecidaAdormecida
Adormecida
 
O rouxinol
O rouxinolO rouxinol
O rouxinol
 
Branca+de+neve+e+os+sete+anões
Branca+de+neve+e+os+sete+anõesBranca+de+neve+e+os+sete+anões
Branca+de+neve+e+os+sete+anões
 
Prin Serp
Prin SerpPrin Serp
Prin Serp
 
O príncipe nabo
O príncipe naboO príncipe nabo
O príncipe nabo
 
Cinderela
CinderelaCinderela
Cinderela
 
A lenda de arlequim 1º e 2º ano
A lenda de arlequim 1º e 2º anoA lenda de arlequim 1º e 2º ano
A lenda de arlequim 1º e 2º ano
 
Adivinhas, lengalengas...
Adivinhas, lengalengas...Adivinhas, lengalengas...
Adivinhas, lengalengas...
 
Brochura de Atividades Educativas
Brochura de Atividades EducativasBrochura de Atividades Educativas
Brochura de Atividades Educativas
 
Historias etc
Historias etcHistorias etc
Historias etc
 
A Princesa E A Ervilha
A Princesa E A ErvilhaA Princesa E A Ervilha
A Princesa E A Ervilha
 
Historias etc
Historias etcHistorias etc
Historias etc
 
Historias etc[1]
Historias etc[1]Historias etc[1]
Historias etc[1]
 
Histórias, Poesias...
Histórias, Poesias...Histórias, Poesias...
Histórias, Poesias...
 
Lengalenga
LengalengaLengalenga
Lengalenga
 
Peça teatral: A Cinderela
Peça teatral: A CinderelaPeça teatral: A Cinderela
Peça teatral: A Cinderela
 

Mais de Constantino Alves

Mais de Constantino Alves (20)

Contos
ContosContos
Contos
 
A casa da Mosca Fosca
A casa da Mosca FoscaA casa da Mosca Fosca
A casa da Mosca Fosca
 
Sombras chinesas
Sombras chinesasSombras chinesas
Sombras chinesas
 
O gato e o escuro atividades
O gato e o escuro atividadesO gato e o escuro atividades
O gato e o escuro atividades
 
História da Carochinha
História da CarochinhaHistória da Carochinha
História da Carochinha
 
O gato e o escuro
O gato e o escuroO gato e o escuro
O gato e o escuro
 
A menina que detestava livros
A menina que detestava livrosA menina que detestava livros
A menina que detestava livros
 
A Princesa que bocejava Actividades
A Princesa que  bocejava ActividadesA Princesa que  bocejava Actividades
A Princesa que bocejava Actividades
 
A noite dos animais inventados
A noite dos animais inventadosA noite dos animais inventados
A noite dos animais inventados
 
Uma aventura
Uma aventuraUma aventura
Uma aventura
 
O mercador de coisa nenhuma teatro
O mercador de coisa nenhuma teatroO mercador de coisa nenhuma teatro
O mercador de coisa nenhuma teatro
 
O senhor do seu nariz (adaptação teatral)
O senhor do seu nariz (adaptação teatral)O senhor do seu nariz (adaptação teatral)
O senhor do seu nariz (adaptação teatral)
 
Os monstros
Os monstrosOs monstros
Os monstros
 
As estórias cá dentro da cabeça
As estórias cá dentro da cabeçaAs estórias cá dentro da cabeça
As estórias cá dentro da cabeça
 
O pato patareco do daniel adalberto
O pato patareco do daniel adalbertoO pato patareco do daniel adalberto
O pato patareco do daniel adalberto
 
A conquista de ceuta 1415
A conquista de ceuta 1415A conquista de ceuta 1415
A conquista de ceuta 1415
 
Imagens da vida quotidiana na Idade Medieval
Imagens da vida quotidiana na Idade MedievalImagens da vida quotidiana na Idade Medieval
Imagens da vida quotidiana na Idade Medieval
 
As aventuras de pinóquio teste
As aventuras de pinóquio testeAs aventuras de pinóquio teste
As aventuras de pinóquio teste
 
Jogo do Coelhinho Branco
Jogo do Coelhinho BrancoJogo do Coelhinho Branco
Jogo do Coelhinho Branco
 
regras do jogo "O Coelhinho Branco"
regras do jogo "O Coelhinho Branco"regras do jogo "O Coelhinho Branco"
regras do jogo "O Coelhinho Branco"
 

Último

Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoPaula Meyer Piagentini
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docxGABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 

A princesa e a ervilha teatro

  • 1. 1 A princesa e a ervilha Adaptação para teatro da obra de Hans C. Andersen por Constantino M. Alves
  • 2. 2 Narrador – Imaginem um reino distante, numa era longínqua, onde os Homens são Governados por monarcas. Weil, é o nome hipotético desse reino, inventado pelo autor desta história. No palácio real, rei e rainha estão discutem um assunto que os têm deixado preocupados há já algum tempo… Rei de Weil – Está na altura do nosso filho encontrar uma princesa para se casar! Rainha de Weil – Sim, mas não pode ser uma princesa qualquer…. Rei de Weil – Como? Rainha de Weil – Uma rainha de verdade, autêntica. Rei de Weil – Vou mandar preparar uma festa de arromba, e convidar todas as princesas de Weil… Rainha de Weil – Duvido que se encontre princesa digna desse nome. Mas está bem façamos os convites para esse grande evento. Toca o sino Entram os reis e o príncipe, depois os convidados. Príncipe de Weil – Estão cá muitas donzelas, tudo o que esperam é casar comigo. Mas casarei apenas com uma autêntica princesa. Toca uma valsa.
  • 3. 3 Príncipe de Weil – Por favor, dá-me o prazer de uma dança? Princesa 1 – Claro! Que lindos olhos tem o meu príncipe, e como dança! É o príncipe mais dotado que eu conheço… Príncipe de Weil (pensando em voz alta em aparte) – Esta é muito descarada, não pode ser uma princesa autêntica. Declina a dança. Príncipe de Weil – Por favor, dá-me o prazer de uma dança? Princesa 2 – Claro, meu belo príncipe. Que belo palácio é este, não é? Adoro palácios, se possível com grandes jardins, onde podemos passear e fazer o que nos apetecer ao ar livre, uma vez eu…. Príncipe de Weil –(pensando em voz alta em aparte) Esta é uma tagarela, não é uma autêntica princesa. Declina a dança. Príncipe de Weil – Por favor, dá-me o prazer de uma dança? Princesa 3 – Ai quer dançar (ri)? Ai que bom dançar consigo (ri). E como a valsa balança (ri) Está ser muito divertido (ri). Príncipe de Weil – (pensando em voz alta em aparte) Esta ri demasiado, não conseguia estar uma hora sequer com ela. Declina a dança. Príncipe de Weil – Por favor, dá-me o prazer de uma dança? Princesa 4 – Ah queres dançar comigo, isso é que vai ser bonito. Dançamos a quê? Uma valsa, ah pois, é a que está a tocar. Mas como se dança? (pisa o pé do príncipe)
  • 4. 4 Príncipe de Weil - (pensando em voz alta em aparte) Ai, que esta doida, dá cabo de mim. Declina a dança. Conselho do rei e rainha Conselheiro 1 - …De facto a situação é demasiado séria. Conselheiro 2 - …Se não conseguirmos um casamento para o príncipe herdeiro, a situação política fica muito difícil… Conselheiro 3 – O casamento do príncipe é urgente! Rei de Weil - Pois, alguma coisa tem de ser feita, e já! Rainha de Weil – Calma, o meu filho não casa com qualquer uma, só casa com uma autêntica princesa. Conselheiro 4 – Bem, mas no reino nenhuma foi aprovada pelo príncipe. Rainha de Weil – Ainda bem, o meu filho tem de ser exigente, afinal, ele um dia vai ser rei. Conselheiro 5 – A única forma é procurar uma princesa fora do reino. Conselheiro 6 – E como o príncipe é tão exigente, terá de ser ele a fazer essa viagem. Fazem a viagem. Pajem – Estamos a chegar ao castelo de Oster, aqui vive uma linda princesa casadoira. Príncipe de Weil – Veremos, se é assim tão princesa.
  • 5. 5 Rei Oster – Bem vindo príncipe de Weil, conheceis Ester a minha linda filha? Príncipe de Weil – Que prazer! (beija a mão de Ester) Ester – É uma grande honra conhecer-vos. Príncipe de Weil – (aparte) “Tem um horrível mau hálito.” Desculpai-me mas tenho de retirar-me… Rainha de Oster – Mas ainda agora chegaste… Pajem – O meu senhor tem afazeres inadiáveis, outro dia ele vos visitará. Pajem – Estamos a chegar ao castelo da rainha de Roll, aqui vive uma linda princesa casadoira. Príncipe de Weil – Veremos, se é assim tão princesa. Rainha de Roll - Bem vindo príncipe de Weil, conheceis Eva a minha linda filha? Príncipe de Weil – Que prazer! (beija a mão de Eva) Princesa Eva – Vinde! Estava mesmo à espera de si, vamos tomar chá para comemorar a tua chegada e…o começo do nosso noivado, estou mesmo caidinha por ti. Príncipe de Weil – (aparte) “Uma presumida, convencida”. Desculpai-me mas tenho de retirar-me… Rainha de Roll – Mas ainda agora chegaste… Pajem – O meu senhor tem afazeres inadiáveis, outro dia ele vos visitará. Pajem – Estamos a chegar ao castelo de Jamir, aqui vive uma linda princesa casadoira. Príncipe de Weil – Veremos, se é assim tão princesa. Rei de Jamir - Bem vindo príncipe de Weil, conheceis Aira a minha linda filha?
  • 6. 6 Príncipe de Weil – Que prazer! (beija a mão de Aira) Princesa Aira – Vem daí, estava a lanchar, dois lanches, para ser mais exata. O que queres? Seis hambúrgueres com duplo queijo? Príncipe de Weil – (aparte) “Uma comilona, era o que me faltava!”. Desculpai-me mas tenho de retirar-me… Rei de Jamir – Mas ainda agora chegaste… Pajem – O meu senhor tem afazeres inadiáveis, outro dia ele vos visitará. Regressam a Weil. Narrador – Desolado, o príncipe regressa ao seu palácio. Príncipe de Weil – Meus pais, estou desolado e estafado, não consigo encontrar uma autêntica princesa. Rainha de Weil – Deixa lá, meu filho, continuaremos a tentar… Rei de Weil – E havemos de encontrar uma, pelo menos. (terrível tempestade) (batem à porta do castelo) Aia – Senhores, uma linda donzela, que diz ser princesa, pede para ser recebida. Está molhada até aos ossos. Rainha de Weil – Uma princesa…veremos. Deixa-a entrar. Princesa Diamene – Obrigado meus senhores, por me terem recebido. Fui apanhada de surpresa pelo temporal. Rei de Weil – Dizes que és princesa… Princesa Diamene – Sim do reino de Uhr, ouvi dizer que tínheis um filho casadoiro… Príncipe de Weil – Sim, como sois linda…
  • 7. 7 Rainha de Weil – Será uma autêntica princesa? (aparte). Pois sim, vou preparar o vosso quarto onde podereis descansar. Rainha de Weil - Camareira! Põe vinte colchões e vinte edredões nessa cama. Camareira – Sim, minha rainha. Rainha de Weil - Por baixo dos colchões põe-lhe esta ervilha. Camareira – Sim. (aparte) Que será que a minha senhora está a tramar? Narrador - No outro dia, ao raiar da manhã… Rainha de Weil – Princesa Diamene, diz-me como dormiste? Princesa Diamene – Oh! Terrivelmente mal! Quase não preguei olho toda a noite! Sabe Deus o que tinha a cama! Estive deitada sobre qualquer coisa dura que me encheu o corpo todo de nódoas negras! Foi uma noite horrível! Rei, rainha, príncipe – É uma autêntica princesa! Narrador- Vocês se calhar não sabem, mas histórias gostam de acabar em bem. E o nosso autor fez-lhes a vontade. O Príncipe e a Princesa ficaram pelo beicinho um do outro e dias depois toda a gente importante do reino se reuniu para o casamento real.
  • 8. 8 Toca a marcha nupcial. Padre – Príncipe de Weil, quereis casar com a princesa Diamene? Príncipe de Weil – Sim! Claro. Padre – Princesa Diamene, quereis casar com o príncipe de Weil? Princesa Diamene – Sim, pois claro. Padre - Podem dar um bacalhau! Adaptação dramática a partir do conto “A princesa e a ervilha de Hans C. Andersen FIM