SlideShare uma empresa Scribd logo

Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha

O documento apresenta uma sequência didática para trabalhar a leitura e oralidade com alunos do 5o ano do ensino fundamental utilizando o conto "A Princesa e a Ervilha". A sequência inclui atividades introdutórias, de levantamento de hipóteses sobre o conto, leitura compartilhada em partes e atividades de interpretação oral e escrita.

1 de 10
Baixar para ler offline
SEQUÊNCIA DIDÁTICA
A PRINCESA E A ERVILHA
AGOSTO 2012
APRESENTAÇÃO
A proposta a seguir trata-se de uma sequência de atividades elaboradas para
trabalhar com as crianças que estão no 5º ano do Ensino Fundamental.
Neste trabalho, priorizamos o Eixo “Leitura” porque nele estão as capacidades que
os alunos precisam consolidar para avançar no processo de leitura e escrita.
Vale ressaltar, desta forma, a necessidade e a importância do trabalho com a
diversidade textual na escola, pois, ela permite aos alunos a aquisição de um conhecimento
amplo dos textos que circulam na sociedade, de seu funcionamento nas práticas sociais.
Assim, com certeza, as crianças terão facilidade de compreendê-los e produzi-los quando
precisarem.
Lembramos que este material é apenas uma sugestão que visa auxiliar no trabalho do
professor. Ele não é engessado e não tem fim em si mesmo, portanto, está passível de
mudanças e sugestões de melhoria. Contamos com a criatividade do professor para aplicá-
lo e enriquecê-lo.
A Princesa e a Ervilha
Era uma vez um príncipe que queria se casar com uma princesa, mas uma princesa de
verdade, de sangue real meeeeesmo. Viajou pelo mundo inteiro, à procura da princesa dos
seus sonhos, mas todas as que encontrava tinham algum defeito. Não é que faltassem
princesas, não: havia de sobra, mas a dificuldade era saber se realmente eram de sangue
real. E o príncipe retornou ao seu castelo, muito triste e desiludido, pois queria muito
casar com uma princesa de verdade.
Uma noite desabou uma tempestade medonha. Chovia desabaladamente, com
trovoadas, raios, relâmpagos. Um espetáculo tremendo! De repente bateram à porta do
castelo, e o rei em pessoa foi atender, pois os criados estavam ocupados enxugando as
salas cujas janelas foram abertas pela tempestade.
Era uma moça, que dizia ser uma princesa. Mas estava encharcada de tal maneira, os
cabelos escorrendo, as roupas grudadas ao corpo, os sapatos quase desmanchando... que
era difícil acreditar que fosse realmente uma princesa real.
A moça tanto afirmou que era uma princesa que a rainha pensou numa forma de
provar se o que ela dizia era verdade. Ordenou que sua criada de confiança empilhasse
vinte colchões no quarto de hóspedes e colocou sob eles uma ervilha. Aquela seria a cama
da “princesa”.
A moça estranhou a altura da cama, mas conseguiu, com a ajuda de uma escada, se
deitar.
No dia seguinte, a rainha perguntou como ela havia dormido.
— Oh! Não consegui dormir — respondeu a moça, — havia algo duro na minha cama, e
me deixou até manchas roxas no corpo!
O rei, a rainha e o príncipe se olharam com surpresa. A moça era realmente uma
princesa! Só mesmo uma princesa verdadeira teria pele tão sensível para sentir um grão
de ervilha sob vinte colchões!!!
O príncipe casou com a princesa, feliz da vida, e a ervilha foi enviada para um museu,
e ainda deve estar por lá...
Acredite se quiser, mas esta história realmente aconteceu!
Adaptado do conto de Hans Christian Andersen
Sequência Didática
Eixo: Leitura
Capacidades
- Desenvolver atitudes e disposições favoráveis à leitura
- Identificar diferentes gêneros textuais, considerando sua função social, seu circuito
comunicativo e suas características linguístico-discursivas.
- Antecipar conteúdos de textos a serem lidos a partir do suporte, do gênero, da
contextualização, das características gráficas e de conhecimentos prévios sobre o tema.
- Levantar e confirmar hipóteses relativas ao conteúdo de passagens diversas do texto
que está sendo lido.
- Compreender globalmente os textos lidos, identificando o tema central, sendo capaz de
localizar informações explícitas e de inferir informações implícitas, inter-relacionando
essas informações no processo de compreensão.
- Inferir, pelo contexto o sentido das palavras ou expressões.
- Reconhecer a presença de diferentes enunciadores (narrador, personagens,
participantes de diálogo, enfim quem assume a voz), nos textos lidos, identificando as
marcas gráficas e linguísticas que sinalizam suas vozes (aspas, dois pontos, travessão,
emprego do verbo na 1ª pessoa, emprego do pronome você nos textos publicitários,
discurso direto e indireto, etc.).
- Identificar os elementos que constroem a narrativa (lugar, tempo, o fato propriamente
dito, com quem os fatos ocorrem, sob que ponto de vista a história ou o fato é narrado),
como também reconhecer o que deu origem à história ou ao fato narrado, isto é, o conflito
gerador do enredo.
- Reconhecer os elementos que compõem a cadeia de referentes de um texto,
compreendendo o processo de introdução e de retomada de informações possibilitado pelo
emprego de pronomes, como os pessoais, os demonstrativos, os possessivos, relativos, e
pelo emprego de sinônimos ou expressões do mesmo campo semântico.
- Perceber a pontuação como um dos elementos orientadores na produção de sentido.
Eixo: Desenvolvimento da oralidade
Capacidades
• Participar das interações cotidianas em sala de aula:
-escutando com atenção e compreensão;
-respondendo às questões propostas pelo professor
-expondo opiniões nos debates com os colegas e com o professor
Desenvolvimento
I - Atividades de introduzir: Apresentar
a capa do livro
Adaptação é quando o
texto de um autor é
reescrito por outra
pessoa. A linguagem
utilizada é atualizada ou
simplificada.
Título
Interpretação oral do Conto:
Antecipação
• O nome desse conto é?
• Alguém já conhece esse conto?
• Pela ilustração podemos imaginar como será este conto?
• Vocês conhecem uma princesa?
• O que será que ela está fazendo?
• Onde ela está?
• Podemos fazer uma leitura, observando as imagens ilustradas na capa do livro. O que
você imagina que será contado nesse livro?
Professor,
Para trabalhar as capacidades de “ler com compreensão e desenvolver a oralidade",
exercitando a escrita e a fala, sugerimos o uso da metodologia “Pausa Protocolada” que vai
lhe permitir interromper a leitura e fazer questionamento aos alunos, instigando-os a
levantar hipóteses sobre o conteúdo do texto antes de lê-lo integralmente ou ouvir a
leitura feita pelo colega ou por você. A metodologia “Pausa Protocolada” requer de você:
• Estudo profundo do texto;
• Dividir o texto em partes;
• Elaborar questões, para cada parte, que provoquem o levantamento de hipóteses;
• Prever uma estratégia de monitoramento da oralidade (fala e escrita);
Ex: uso de um bastão ou outro objeto que vai equilibrar o momento de fala e escrita.
Fale para as crianças que a história “A Princesa e a Ervilha” será apresentada por
partes e que, vamos imaginar o que vai acontecer em cada uma delas.
• Provoque o “levantamento de Hipóteses”.
1- Em sua imaginação, quais são os personagens que vão aparecer na primeira parte da
história?
2- Como você pensa que a história vai começar?
3- Onde, em qual espaço ou lugar, a história vai começar?
4- Como você imagina a personagem “Princesa”?
5- O que você imagina que uma princesa poderá fazer com uma ervilha?
Editora é a empresa que
cuida da impressão,
transforma o texto
escrito em livro e o põe
ao alcance do público
leitor.
Ilustrador é quem fez os
desenhos.
• Escutem a leitura da primeira parte:
Fazer leitura enfática adequando a voz às personagens do texto e ao narrador.
A Princesa e a Ervilha
ERA UMA VEZ UM PRÍNCIPE QUE QUERIA SE CASAR COM UMA PRINCESA,
MAS UMA PRINCESA DE VERDADE, DE SANGUE REAL MEEEEESMO. VIAJOU PELO
MUNDO INTEIRO, À PROCURA DA PRINCESA DOS SEUS SONHOS, MAS TODAS AS
QUE ENCONTRAVA TINHAM ALGUM DEFEITO. NÃO É QUE FALTASSEM
PRINCESAS, NÃO: HAVIA DE SOBRA, MAS A DIFICULDADE ERA SABER SE
REALMENTE ERAM DE SANGUE REAL. E O PRÍNCIPE RETORNOU AO SEU CASTELO,
MUITO TRISTE E DESILUDIDO, POIS QUERIA MUITO CASAR COM UMA PRINCESA
DE VERDADE.
Após a leitura, dizer:
• Vamos conferir as previsões levantadas e confirmar de acordo com a primeira
parte da história, as hipóteses verdadeiras.
• Professor, retome as previsões feitas pelos alunos, para confirmar ou descartar as
hipóteses levantadas.
• SEGUNDA PARTE:
• Levantamento de hipóteses.
1 - O que vocês pensam que vai acontecer, na 2º parte da história, depois da volta
do príncipe sem ter encontrado aquilo que desejava?
2 – Em qual espaço, você imagina que vai desenvolver a segunda parte da história?
3 – Quais as personagens aparecerão na segunda parte da história?
4 – Haverá vilã, heroína, herói na segunda parte da história? Quem você imagina ser
cada um deles?
• Escutem a 2ª parte da história.
UMA NOITE DESABOU UMA TEMPESTADE MEDONHA. CHOVIA
DESABALADAMENTE, COM TROVOADAS, RAIOS, RELÂMPAGOS. UM ESPETÁCULO
TREMENDO! DE REPENTE BATERAM À PORTA DO CASTELO, E O REI EM PESSOA
Nesse parágrafo, o autor descreve como era intenso o desejo de encontrar a princesa: o
príncipe viajou pelo mundo inteiro para encontrá-la, mas como sua busca é inútil volta para
casa. Ainda para que tenhamos ideia da força de sua vontade, o autor diz que o príncipe ficou
muito triste e desiludido por não ter encontrado aquilo que desejava.

Recomendados

Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos Mary Alvarenga
 
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...Mary Alvarenga
 
Prova de PORTUGUÊS
Prova de PORTUGUÊSProva de PORTUGUÊS
Prova de PORTUGUÊSKatia Lopes
 
Conto de suspense e atividade.
Conto  de suspense e  atividade.Conto  de suspense e  atividade.
Conto de suspense e atividade.Mary Alvarenga
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação
Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação
Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação Lorena Lopes
 
Sequência Didática - Bruxa,bruxa venha a minha festa
Sequência Didática - Bruxa,bruxa venha a minha festaSequência Didática - Bruxa,bruxa venha a minha festa
Sequência Didática - Bruxa,bruxa venha a minha festaSuzy Santana
 
Fábula em verso: O Corvo e a Raposa
Fábula em verso: O Corvo e a RaposaFábula em verso: O Corvo e a Raposa
Fábula em verso: O Corvo e a RaposaA. Simoes
 
Caderno de simulados de preparação para o PROALFA
Caderno de simulados de preparação para o PROALFACaderno de simulados de preparação para o PROALFA
Caderno de simulados de preparação para o PROALFAElisangela Terra
 
21 de setembro – Dia da Árvore.
 21 de setembro – Dia da Árvore. 21 de setembro – Dia da Árvore.
21 de setembro – Dia da Árvore.Mary Alvarenga
 
Frases para ordenar menino maluquinho
Frases para ordenar menino maluquinhoFrases para ordenar menino maluquinho
Frases para ordenar menino maluquinhoCláudia Borges
 
Era Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da música
Era Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da músicaEra Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da música
Era Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da músicaMary Alvarenga
 
Sequencia didatica o caderno
Sequencia didatica o cadernoSequencia didatica o caderno
Sequencia didatica o cadernoRegina Couto
 
Apostila para trabalhar textos variados
Apostila para trabalhar  textos variadosApostila para trabalhar  textos variados
Apostila para trabalhar textos variadosIsa ...
 
Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio Mary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

Produção textual
Produção textualProdução textual
Produção textual
 
Avaliações 1º Ano
Avaliações 1º AnoAvaliações 1º Ano
Avaliações 1º Ano
 
Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação
Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação
Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação
 
Atividades Avaliativas para 1º ano
Atividades Avaliativas para 1º anoAtividades Avaliativas para 1º ano
Atividades Avaliativas para 1º ano
 
Produção textual
Produção textualProdução textual
Produção textual
 
Sequência Didática ÁGUA
Sequência Didática   ÁGUASequência Didática   ÁGUA
Sequência Didática ÁGUA
 
Sequência Didática - Bruxa,bruxa venha a minha festa
Sequência Didática - Bruxa,bruxa venha a minha festaSequência Didática - Bruxa,bruxa venha a minha festa
Sequência Didática - Bruxa,bruxa venha a minha festa
 
Fábula em verso: O Corvo e a Raposa
Fábula em verso: O Corvo e a RaposaFábula em verso: O Corvo e a Raposa
Fábula em verso: O Corvo e a Raposa
 
Ensino religioso 3 ano
Ensino religioso 3 anoEnsino religioso 3 ano
Ensino religioso 3 ano
 
Caderno de simulados de preparação para o PROALFA
Caderno de simulados de preparação para o PROALFACaderno de simulados de preparação para o PROALFA
Caderno de simulados de preparação para o PROALFA
 
21 de setembro – Dia da Árvore.
 21 de setembro – Dia da Árvore. 21 de setembro – Dia da Árvore.
21 de setembro – Dia da Árvore.
 
AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO - 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1- 1º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO - 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1- 1º BIMESTREAVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO - 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1- 1º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO - 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1- 1º BIMESTRE
 
Frases para ordenar menino maluquinho
Frases para ordenar menino maluquinhoFrases para ordenar menino maluquinho
Frases para ordenar menino maluquinho
 
Era Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da música
Era Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da músicaEra Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da música
Era Uma Vez de Sandy & Júnior e Toquinho - Análise e entendimento da música
 
Prova do 2 ano
Prova do 2 anoProva do 2 ano
Prova do 2 ano
 
Sequencia didatica o caderno
Sequencia didatica o cadernoSequencia didatica o caderno
Sequencia didatica o caderno
 
Apostila para trabalhar textos variados
Apostila para trabalhar  textos variadosApostila para trabalhar  textos variados
Apostila para trabalhar textos variados
 
Avaliação descritiva42
Avaliação descritiva42Avaliação descritiva42
Avaliação descritiva42
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1.
AVALIAÇÃO DE  LÍNGUA PORTUGUESA - 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1.AVALIAÇÃO DE  LÍNGUA PORTUGUESA - 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1.
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1.
 
Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio Gênero textual - anúncio
Gênero textual - anúncio
 

Destaque

A princesa e a ervilha
A princesa e a ervilhaA princesa e a ervilha
A princesa e a ervilhaAny Tabuada
 
Lp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilhaLp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilhaCentral Didática
 
A princesa e a ervilha teatro
A princesa e a ervilha teatroA princesa e a ervilha teatro
A princesa e a ervilha teatroConstantino Alves
 
A Princesa E A Ervilha
A Princesa E A ErvilhaA Princesa E A Ervilha
A Princesa E A Ervilhavera1979
 
2ª Sequência Didática - Gênero textual - Música Popular
2ª Sequência Didática - Gênero textual - Música Popular2ª Sequência Didática - Gênero textual - Música Popular
2ª Sequência Didática - Gênero textual - Música PopularEleúzia Lins Silva
 
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de comprasEleúzia Lins Silva
 
Seqdidaticas ef alfa
Seqdidaticas ef alfaSeqdidaticas ef alfa
Seqdidaticas ef alfaJuliane Silva
 
Grelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilha
Grelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilhaGrelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilha
Grelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilhaLuísa Marques
 
Explorando o texto a princesa e a ervilha
 Explorando o texto a princesa e a ervilha Explorando o texto a princesa e a ervilha
Explorando o texto a princesa e a ervilhapipatcleopoldina
 
O preconceito nos contos de fadas
O preconceito nos contos de fadasO preconceito nos contos de fadas
O preconceito nos contos de fadasClarice-Borges
 
História da princesa Violeta
História da princesa VioletaHistória da princesa Violeta
História da princesa Violetajinfcorredoura
 
Literatura oral e tradicional
Literatura oral e tradicionalLiteratura oral e tradicional
Literatura oral e tradicionalCélia Gonçalves
 
Literatura negra infanto juvenil
Literatura negra infanto juvenilLiteratura negra infanto juvenil
Literatura negra infanto juvenilJuciara Brito
 
7 pretinha de neve e os sete gigantes
7  pretinha de neve e os sete gigantes7  pretinha de neve e os sete gigantes
7 pretinha de neve e os sete gigantestlfleite
 
Atividades de alfabetização com adivinhas-TM
Atividades  de  alfabetização  com adivinhas-TMAtividades  de  alfabetização  com adivinhas-TM
Atividades de alfabetização com adivinhas-TMGraça Sousa
 
Matemática_caderno de atividades pedagógicas 1º ano
Matemática_caderno de atividades pedagógicas  1º anoMatemática_caderno de atividades pedagógicas  1º ano
Matemática_caderno de atividades pedagógicas 1º anoIsa ...
 
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o RatinhoSequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o RatinhoShirley Lauria
 

Destaque (20)

A princesa e a ervilha
A princesa e a ervilhaA princesa e a ervilha
A princesa e a ervilha
 
Lp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilhaLp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilha
 
A princesa e a ervilha teatro
A princesa e a ervilha teatroA princesa e a ervilha teatro
A princesa e a ervilha teatro
 
A Princesa E A Ervilha
A Princesa E A ErvilhaA Princesa E A Ervilha
A Princesa E A Ervilha
 
2ª Sequência Didática - Gênero textual - Música Popular
2ª Sequência Didática - Gênero textual - Música Popular2ª Sequência Didática - Gênero textual - Música Popular
2ª Sequência Didática - Gênero textual - Música Popular
 
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
 
Rabo do gato
Rabo do gatoRabo do gato
Rabo do gato
 
Seqdidaticas ef alfa
Seqdidaticas ef alfaSeqdidaticas ef alfa
Seqdidaticas ef alfa
 
Grelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilha
Grelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilhaGrelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilha
Grelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilha
 
Explorando o texto a princesa e a ervilha
 Explorando o texto a princesa e a ervilha Explorando o texto a princesa e a ervilha
Explorando o texto a princesa e a ervilha
 
Slide da sequencia
Slide da sequenciaSlide da sequencia
Slide da sequencia
 
O preconceito nos contos de fadas
O preconceito nos contos de fadasO preconceito nos contos de fadas
O preconceito nos contos de fadas
 
História da princesa Violeta
História da princesa VioletaHistória da princesa Violeta
História da princesa Violeta
 
Literatura oral e tradicional
Literatura oral e tradicionalLiteratura oral e tradicional
Literatura oral e tradicional
 
Princesas africanas livros
Princesas africanas   livrosPrincesas africanas   livros
Princesas africanas livros
 
Literatura negra infanto juvenil
Literatura negra infanto juvenilLiteratura negra infanto juvenil
Literatura negra infanto juvenil
 
7 pretinha de neve e os sete gigantes
7  pretinha de neve e os sete gigantes7  pretinha de neve e os sete gigantes
7 pretinha de neve e os sete gigantes
 
Atividades de alfabetização com adivinhas-TM
Atividades  de  alfabetização  com adivinhas-TMAtividades  de  alfabetização  com adivinhas-TM
Atividades de alfabetização com adivinhas-TM
 
Matemática_caderno de atividades pedagógicas 1º ano
Matemática_caderno de atividades pedagógicas  1º anoMatemática_caderno de atividades pedagógicas  1º ano
Matemática_caderno de atividades pedagógicas 1º ano
 
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o RatinhoSequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
 

Semelhante a Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha

A princesa e a ervilha descritores
A princesa e a ervilha descritoresA princesa e a ervilha descritores
A princesa e a ervilha descritorespipatcleopoldina
 
Ficha a princesa e a ervilha pdf
Ficha a princesa e a ervilha pdfFicha a princesa e a ervilha pdf
Ficha a princesa e a ervilha pdflasalete marques
 
1.conto, características
1.conto, características1.conto, características
1.conto, característicasHelena Coutinho
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdf
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdfCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdf
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdfANAPAULADEPAIVAMAITA
 
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitosContos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitosVânia Salvo Orso
 
Anexo planejamento - Merces
Anexo planejamento - MercesAnexo planejamento - Merces
Anexo planejamento - MercesMariadasMerces
 
Aula De Literatura Infantil
Aula De Literatura InfantilAula De Literatura Infantil
Aula De Literatura Infantilroessencia
 
Narracao
NarracaoNarracao
NarracaoDior FG
 
Livro port
Livro portLivro port
Livro portJ M
 
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.Albert
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.AlbertTrabalho de didática - Fábulas by Doug.Albert
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.AlbertDoug Petrova
 
Prova portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdau
Prova portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdauProva portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdau
Prova portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdauanaluciaTJ
 
tipos de textos
tipos de textostipos de textos
tipos de textosAna Soares
 
ENTENDENDO A ORGANIZAÇÃO TEXTUAL DO GÊNERO CONTO- aula 2.pdf
ENTENDENDO A ORGANIZAÇÃO TEXTUAL DO GÊNERO CONTO- aula 2.pdfENTENDENDO A ORGANIZAÇÃO TEXTUAL DO GÊNERO CONTO- aula 2.pdf
ENTENDENDO A ORGANIZAÇÃO TEXTUAL DO GÊNERO CONTO- aula 2.pdfThamyresizdio
 

Semelhante a Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha (20)

A princesa e a ervilha descritores
A princesa e a ervilha descritoresA princesa e a ervilha descritores
A princesa e a ervilha descritores
 
Conto
ContoConto
Conto
 
Ficha a princesa e a ervilha pdf
Ficha a princesa e a ervilha pdfFicha a princesa e a ervilha pdf
Ficha a princesa e a ervilha pdf
 
1.conto, características
1.conto, características1.conto, características
1.conto, características
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdf
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdfCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdf
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdf
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdf
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdfCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdf
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdf
 
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitosContos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
 
1 trimestral 6 ano
1 trimestral  6 ano1 trimestral  6 ano
1 trimestral 6 ano
 
Anexo planejamento - Merces
Anexo planejamento - MercesAnexo planejamento - Merces
Anexo planejamento - Merces
 
Resumo sobre conto e lenda ...
Resumo sobre conto e lenda ...Resumo sobre conto e lenda ...
Resumo sobre conto e lenda ...
 
Aula De Literatura Infantil
Aula De Literatura InfantilAula De Literatura Infantil
Aula De Literatura Infantil
 
Foco narrativo.pptx
Foco narrativo.pptxFoco narrativo.pptx
Foco narrativo.pptx
 
Narracao
NarracaoNarracao
Narracao
 
Língua portuguesa
Língua  portuguesaLíngua  portuguesa
Língua portuguesa
 
Livro port
Livro portLivro port
Livro port
 
Apostila
Apostila Apostila
Apostila
 
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.Albert
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.AlbertTrabalho de didática - Fábulas by Doug.Albert
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.Albert
 
Prova portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdau
Prova portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdauProva portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdau
Prova portugues bimestre 1 prof ana lucia turma 6 e e f hugo gerdau
 
tipos de textos
tipos de textostipos de textos
tipos de textos
 
ENTENDENDO A ORGANIZAÇÃO TEXTUAL DO GÊNERO CONTO- aula 2.pdf
ENTENDENDO A ORGANIZAÇÃO TEXTUAL DO GÊNERO CONTO- aula 2.pdfENTENDENDO A ORGANIZAÇÃO TEXTUAL DO GÊNERO CONTO- aula 2.pdf
ENTENDENDO A ORGANIZAÇÃO TEXTUAL DO GÊNERO CONTO- aula 2.pdf
 

Mais de Roseli Aparecida Tavares

Apostila 3 ano 100 questýýes de compreensýýo
Apostila 3 ano   100 questýýes de compreensýýoApostila 3 ano   100 questýýes de compreensýýo
Apostila 3 ano 100 questýýes de compreensýýoRoseli Aparecida Tavares
 
Ortografia e aglutinação a cigarra e a formiga
Ortografia e aglutinação a cigarra e a formigaOrtografia e aglutinação a cigarra e a formiga
Ortografia e aglutinação a cigarra e a formigaRoseli Aparecida Tavares
 
Sondagem diagnóstica Operações e problemas
Sondagem diagnóstica Operações  e problemasSondagem diagnóstica Operações  e problemas
Sondagem diagnóstica Operações e problemasRoseli Aparecida Tavares
 
As grandes navegações marítimas séculos xv e xvi
As grandes navegações marítimas séculos xv e xviAs grandes navegações marítimas séculos xv e xvi
As grandes navegações marítimas séculos xv e xviRoseli Aparecida Tavares
 
Simulado Saresp com descritores e gabarito
Simulado Saresp com descritores e gabaritoSimulado Saresp com descritores e gabarito
Simulado Saresp com descritores e gabaritoRoseli Aparecida Tavares
 

Mais de Roseli Aparecida Tavares (20)

Apostila 3 ano 100 questýýes de compreensýýo
Apostila 3 ano   100 questýýes de compreensýýoApostila 3 ano   100 questýýes de compreensýýo
Apostila 3 ano 100 questýýes de compreensýýo
 
Ortografia e aglutinação a cigarra e a formiga
Ortografia e aglutinação a cigarra e a formigaOrtografia e aglutinação a cigarra e a formiga
Ortografia e aglutinação a cigarra e a formiga
 
Operações _ SONDAGEM DIAGNÓSTICA
Operações _ SONDAGEM DIAGNÓSTICAOperações _ SONDAGEM DIAGNÓSTICA
Operações _ SONDAGEM DIAGNÓSTICA
 
Sondagem diagnóstica Operações e problemas
Sondagem diagnóstica Operações  e problemasSondagem diagnóstica Operações  e problemas
Sondagem diagnóstica Operações e problemas
 
Molde quadro-para-scrapbook
Molde quadro-para-scrapbookMolde quadro-para-scrapbook
Molde quadro-para-scrapbook
 
Riscos de pinturas
Riscos de pinturasRiscos de pinturas
Riscos de pinturas
 
Moldes de navios
Moldes de naviosMoldes de navios
Moldes de navios
 
Podia ser pior
Podia ser piorPodia ser pior
Podia ser pior
 
As grandes navegações marítimas séculos xv e xvi
As grandes navegações marítimas séculos xv e xviAs grandes navegações marítimas séculos xv e xvi
As grandes navegações marítimas séculos xv e xvi
 
Lembrancinha para os pais
Lembrancinha para os paisLembrancinha para os pais
Lembrancinha para os pais
 
Capa de avaliações
Capa de avaliaçõesCapa de avaliações
Capa de avaliações
 
Capa de avaliações
Capa de avaliaçõesCapa de avaliações
Capa de avaliações
 
Saresp e Prova Brasil
Saresp e Prova BrasilSaresp e Prova Brasil
Saresp e Prova Brasil
 
Cartaz de números
Cartaz de númerosCartaz de números
Cartaz de números
 
O vestido azul
O vestido azulO vestido azul
O vestido azul
 
78070553 avaliacao-de-ciencias
78070553 avaliacao-de-ciencias78070553 avaliacao-de-ciencias
78070553 avaliacao-de-ciencias
 
Simulado Saresp com descritores e gabarito
Simulado Saresp com descritores e gabaritoSimulado Saresp com descritores e gabarito
Simulado Saresp com descritores e gabarito
 
Tirinhas - Interpretação de HQ
Tirinhas - Interpretação de HQTirinhas - Interpretação de HQ
Tirinhas - Interpretação de HQ
 
Lição de casa / operações
Lição de casa / operaçõesLição de casa / operações
Lição de casa / operações
 
Texto lacunado
Texto lacunadoTexto lacunado
Texto lacunado
 

Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha

  • 1. SEQUÊNCIA DIDÁTICA A PRINCESA E A ERVILHA AGOSTO 2012 APRESENTAÇÃO A proposta a seguir trata-se de uma sequência de atividades elaboradas para trabalhar com as crianças que estão no 5º ano do Ensino Fundamental. Neste trabalho, priorizamos o Eixo “Leitura” porque nele estão as capacidades que os alunos precisam consolidar para avançar no processo de leitura e escrita. Vale ressaltar, desta forma, a necessidade e a importância do trabalho com a diversidade textual na escola, pois, ela permite aos alunos a aquisição de um conhecimento amplo dos textos que circulam na sociedade, de seu funcionamento nas práticas sociais.
  • 2. Assim, com certeza, as crianças terão facilidade de compreendê-los e produzi-los quando precisarem. Lembramos que este material é apenas uma sugestão que visa auxiliar no trabalho do professor. Ele não é engessado e não tem fim em si mesmo, portanto, está passível de mudanças e sugestões de melhoria. Contamos com a criatividade do professor para aplicá- lo e enriquecê-lo. A Princesa e a Ervilha Era uma vez um príncipe que queria se casar com uma princesa, mas uma princesa de verdade, de sangue real meeeeesmo. Viajou pelo mundo inteiro, à procura da princesa dos seus sonhos, mas todas as que encontrava tinham algum defeito. Não é que faltassem princesas, não: havia de sobra, mas a dificuldade era saber se realmente eram de sangue real. E o príncipe retornou ao seu castelo, muito triste e desiludido, pois queria muito casar com uma princesa de verdade. Uma noite desabou uma tempestade medonha. Chovia desabaladamente, com trovoadas, raios, relâmpagos. Um espetáculo tremendo! De repente bateram à porta do
  • 3. castelo, e o rei em pessoa foi atender, pois os criados estavam ocupados enxugando as salas cujas janelas foram abertas pela tempestade. Era uma moça, que dizia ser uma princesa. Mas estava encharcada de tal maneira, os cabelos escorrendo, as roupas grudadas ao corpo, os sapatos quase desmanchando... que era difícil acreditar que fosse realmente uma princesa real. A moça tanto afirmou que era uma princesa que a rainha pensou numa forma de provar se o que ela dizia era verdade. Ordenou que sua criada de confiança empilhasse vinte colchões no quarto de hóspedes e colocou sob eles uma ervilha. Aquela seria a cama da “princesa”. A moça estranhou a altura da cama, mas conseguiu, com a ajuda de uma escada, se deitar. No dia seguinte, a rainha perguntou como ela havia dormido. — Oh! Não consegui dormir — respondeu a moça, — havia algo duro na minha cama, e me deixou até manchas roxas no corpo! O rei, a rainha e o príncipe se olharam com surpresa. A moça era realmente uma princesa! Só mesmo uma princesa verdadeira teria pele tão sensível para sentir um grão de ervilha sob vinte colchões!!! O príncipe casou com a princesa, feliz da vida, e a ervilha foi enviada para um museu, e ainda deve estar por lá... Acredite se quiser, mas esta história realmente aconteceu! Adaptado do conto de Hans Christian Andersen Sequência Didática Eixo: Leitura Capacidades - Desenvolver atitudes e disposições favoráveis à leitura - Identificar diferentes gêneros textuais, considerando sua função social, seu circuito comunicativo e suas características linguístico-discursivas.
  • 4. - Antecipar conteúdos de textos a serem lidos a partir do suporte, do gênero, da contextualização, das características gráficas e de conhecimentos prévios sobre o tema. - Levantar e confirmar hipóteses relativas ao conteúdo de passagens diversas do texto que está sendo lido. - Compreender globalmente os textos lidos, identificando o tema central, sendo capaz de localizar informações explícitas e de inferir informações implícitas, inter-relacionando essas informações no processo de compreensão. - Inferir, pelo contexto o sentido das palavras ou expressões. - Reconhecer a presença de diferentes enunciadores (narrador, personagens, participantes de diálogo, enfim quem assume a voz), nos textos lidos, identificando as marcas gráficas e linguísticas que sinalizam suas vozes (aspas, dois pontos, travessão, emprego do verbo na 1ª pessoa, emprego do pronome você nos textos publicitários, discurso direto e indireto, etc.). - Identificar os elementos que constroem a narrativa (lugar, tempo, o fato propriamente dito, com quem os fatos ocorrem, sob que ponto de vista a história ou o fato é narrado), como também reconhecer o que deu origem à história ou ao fato narrado, isto é, o conflito gerador do enredo. - Reconhecer os elementos que compõem a cadeia de referentes de um texto, compreendendo o processo de introdução e de retomada de informações possibilitado pelo emprego de pronomes, como os pessoais, os demonstrativos, os possessivos, relativos, e pelo emprego de sinônimos ou expressões do mesmo campo semântico. - Perceber a pontuação como um dos elementos orientadores na produção de sentido. Eixo: Desenvolvimento da oralidade Capacidades • Participar das interações cotidianas em sala de aula: -escutando com atenção e compreensão; -respondendo às questões propostas pelo professor -expondo opiniões nos debates com os colegas e com o professor Desenvolvimento I - Atividades de introduzir: Apresentar a capa do livro Adaptação é quando o texto de um autor é reescrito por outra pessoa. A linguagem utilizada é atualizada ou simplificada. Título
  • 5. Interpretação oral do Conto: Antecipação • O nome desse conto é? • Alguém já conhece esse conto? • Pela ilustração podemos imaginar como será este conto? • Vocês conhecem uma princesa? • O que será que ela está fazendo? • Onde ela está? • Podemos fazer uma leitura, observando as imagens ilustradas na capa do livro. O que você imagina que será contado nesse livro? Professor, Para trabalhar as capacidades de “ler com compreensão e desenvolver a oralidade", exercitando a escrita e a fala, sugerimos o uso da metodologia “Pausa Protocolada” que vai lhe permitir interromper a leitura e fazer questionamento aos alunos, instigando-os a levantar hipóteses sobre o conteúdo do texto antes de lê-lo integralmente ou ouvir a leitura feita pelo colega ou por você. A metodologia “Pausa Protocolada” requer de você: • Estudo profundo do texto; • Dividir o texto em partes; • Elaborar questões, para cada parte, que provoquem o levantamento de hipóteses; • Prever uma estratégia de monitoramento da oralidade (fala e escrita); Ex: uso de um bastão ou outro objeto que vai equilibrar o momento de fala e escrita. Fale para as crianças que a história “A Princesa e a Ervilha” será apresentada por partes e que, vamos imaginar o que vai acontecer em cada uma delas. • Provoque o “levantamento de Hipóteses”. 1- Em sua imaginação, quais são os personagens que vão aparecer na primeira parte da história? 2- Como você pensa que a história vai começar? 3- Onde, em qual espaço ou lugar, a história vai começar? 4- Como você imagina a personagem “Princesa”? 5- O que você imagina que uma princesa poderá fazer com uma ervilha? Editora é a empresa que cuida da impressão, transforma o texto escrito em livro e o põe ao alcance do público leitor. Ilustrador é quem fez os desenhos.
  • 6. • Escutem a leitura da primeira parte: Fazer leitura enfática adequando a voz às personagens do texto e ao narrador. A Princesa e a Ervilha ERA UMA VEZ UM PRÍNCIPE QUE QUERIA SE CASAR COM UMA PRINCESA, MAS UMA PRINCESA DE VERDADE, DE SANGUE REAL MEEEEESMO. VIAJOU PELO MUNDO INTEIRO, À PROCURA DA PRINCESA DOS SEUS SONHOS, MAS TODAS AS QUE ENCONTRAVA TINHAM ALGUM DEFEITO. NÃO É QUE FALTASSEM PRINCESAS, NÃO: HAVIA DE SOBRA, MAS A DIFICULDADE ERA SABER SE REALMENTE ERAM DE SANGUE REAL. E O PRÍNCIPE RETORNOU AO SEU CASTELO, MUITO TRISTE E DESILUDIDO, POIS QUERIA MUITO CASAR COM UMA PRINCESA DE VERDADE. Após a leitura, dizer: • Vamos conferir as previsões levantadas e confirmar de acordo com a primeira parte da história, as hipóteses verdadeiras. • Professor, retome as previsões feitas pelos alunos, para confirmar ou descartar as hipóteses levantadas. • SEGUNDA PARTE: • Levantamento de hipóteses. 1 - O que vocês pensam que vai acontecer, na 2º parte da história, depois da volta do príncipe sem ter encontrado aquilo que desejava? 2 – Em qual espaço, você imagina que vai desenvolver a segunda parte da história? 3 – Quais as personagens aparecerão na segunda parte da história? 4 – Haverá vilã, heroína, herói na segunda parte da história? Quem você imagina ser cada um deles? • Escutem a 2ª parte da história. UMA NOITE DESABOU UMA TEMPESTADE MEDONHA. CHOVIA DESABALADAMENTE, COM TROVOADAS, RAIOS, RELÂMPAGOS. UM ESPETÁCULO TREMENDO! DE REPENTE BATERAM À PORTA DO CASTELO, E O REI EM PESSOA Nesse parágrafo, o autor descreve como era intenso o desejo de encontrar a princesa: o príncipe viajou pelo mundo inteiro para encontrá-la, mas como sua busca é inútil volta para casa. Ainda para que tenhamos ideia da força de sua vontade, o autor diz que o príncipe ficou muito triste e desiludido por não ter encontrado aquilo que desejava.
  • 7. FOI ATENDER, POIS OS CRIADOS ESTAVAM OCUPADOS ENXUGANDO AS SALAS CUJAS JANELAS FORAM ABERTAS PELA TEMPESTADE. ERA UMA MOÇA, QUE DIZIA SER UMA PRINCESA. MAS ESTAVA ENCHARCADA DE TAL MANEIRA, OS CABELOS ESCORRENDO, AS ROUPAS GRUDADAS AO CORPO, OS SAPATOS QUASE DESMANCHANDO... QUE ERA DIFÍCIL ACREDITAR QUE FOSSE REALMENTE UMA PRINCESA REAL. A MOÇA TANTO AFIRMOU QUE ERA UMA PRINCESA QUE A RAINHA PENSOU NUMA FORMA DE PROVAR SE O QUE ELA DIZIA ERA VERDADE. ORDENOU QUE SUA CRIADA DE CONFIANÇA EMPILHASSE VINTE COLCHÕES NO QUARTO DE HÓSPEDES E COLOCOU SOB ELES UMA ERVILHA. AQUELA SERIA A CAMA DA “PRINCESA”. • Confirmação das hipóteses mediante as informações ouvidas na segunda parte da história. • TERCEIRA PARTE: • Levantamento de hipóteses: 1 – Na sua imaginação, de que forma a rainha conseguirá provar se o que a moça dizia era verdade? 2 – Por que ela colocou uma ervilha debaixo de vinte colchões na cama da princesa? 3 – Na sua imaginação, como a princesa conseguiu subir numa cama com vinte colchões? • Escutem a terceira parte da história: A MOÇA ESTRANHOU A ALTURA DA CAMA, MAS CONSEGUIU, COM A AJUDA DE UMA ESCADA, SE DEITAR. NO DIA SEGUINTE, A RAINHA PERGUNTOU COMO ELA HAVIA DORMIDO. — OH! NÃO CONSEGUI DORMIR — RESPONDEU A MOÇA, — HAVIA ALGO DURO NA MINHA CAMA, E ME DEIXOU ATÉ MANCHAS ROXAS NO CORPO! Nesse trecho, o autor faz uma descrição dramática da tempestade. Ele poderia simplesmente escrever: “Uma noite houve uma forte tempestade!”. Em vez disso, sua descrição da forte tempestade inclui CHOVIA DESABALADAMENTE, COM TROVOADAS, RAIOS, RELÂMPAGOS. Ele busca expressar a intensidade da tempestade. O escritor faz isso para dar mais dramaticidade ao texto. Repare nas palavras que o autor utilizou para não repetir excessivamente “A princesa”: Em vez de dizer “ A princesa tanto afirmou...” o autor escreve: A MOÇA TANTO AFIRMOU QUE ERA UMA PRINCESA...” Em vez de dizer “...pensou numa forma de provar se o que a princesa dizia era verdade.” o autor escreve “...PENSOU NUMA FORMA DE PROVAR SE O QUE ELA DIZIA ERA VERDADE.” MOÇA e ELA são palavras utilizadas pelo autor para não repetir a palavra PRINCESA.
  • 8. O REI, A RAINHA E O PRÍNCIPE SE OLHARAM COM SURPRESA. A MOÇA ERA REALMENTE UMA PRINCESA! SÓ MESMO UMA PRINCESA VERDADEIRA TERIA PELE TÃO SENSÍVEL PARA SENTIR UM GRÃO DE ERVILHA SOB VINTE COLCHÕES!!! • QUARTA PARTE: • Levantamento de hipóteses: – Na sua opinião, como terminará a história? O PRÍNCIPE CASOU COM A PRINCESA, FELIZ DA VIDA, E A ERVILHA FOI ENVIADA PARA UM MUSEU, E AINDA DEVE ESTAR POR LÁ... ACREDITE SE QUISER, MAS ESTA HISTÓRIA REALMENTE ACONTECEU! Adaptado do conto de Hans Christian Andersen - Entregar o texto xerografado para cada aluno. Fazer leitura do texto com os alunos de diversas maneiras: coletiva, partilhada, em grupos, individual. II - Atividades de trabalho sistemático: Explorando o texto Fazer interpretação oral com os alunos deixando que os mesmos construam as respostas e validem as respostas uns dos outros. As perguntas podem ser passadas em uma caixinha para que um aluno faça e os outros tentem responder. 1. Que personagens aparecem no conto “A princesa e a ervilha”? 2. Quais são os personagens que ajudam o príncipe a encontrar uma verdadeira princesa? 3. Que personagem teve a ideia de colocar uma ervilha embaixo de vários colchões? 4. Qual o conflito gerador da história? 5. Qual é o desfecho da história? 6. De acordo com o texto, que mulher poderia ser considerada uma verdadeira princesa? -Dividir a turma em 5 grupos. -Cada grupo deverá localizar, no texto, as informações solicitadas abaixo. -Os grupos deverão apresentar suas respostas para a turma, que deverá validar ou não as respostas de cada grupo. 1. Durante a noite, a moça sentiu um incômodo, pois havia uma ervilha embaixo do colchão, por isso ela teve uma noite bem ruim. Escreva um pequeno texto, narrando os pensamentos que você imagina que ela teve durante toda a noite. 2. Os contos de fadas trazem uma mistura de realidade com fantasia. Localize, no conto “A princesa e a ervilha”, esse momento mágico, de fantasia.
  • 9. 3. Leia o trecho: “A moça tanto afirmou que era uma princesa que a rainha pensou numa forma de provar se o que ela dizia era verdade.” - A palavra em negrito é substituída, no trecho seguinte, por outra de igual sentido. Que palavra foi usada para substituí-la? Por que foi necessário fazer a substituição da palavra moça? 4. Qual é o clímax (momento de maior tensão) da história? 5. “uma noite desabou uma tempestade medonha.” Retire o verbo da frase acima e diga se ele expressa algo que já aconteceu (passado) ou que ainda vai acontecer (futuro). Apresentar o texto fatiado em parágrafos dentro de envelopes e a seguir solicitar que os alunos recontem a história na sequência do conto, de acordo com os parágrafos recebidos. Apontar no texto os pontos de exclamação e as reticências. Discutir com a turma a função de cada um. Identificar semelhanças e/ou diferenças entre a função de cada uma. Apontar no texto a palavra meeeeesmo e discutir com a turma porque o autor escreveu a palavra assim. III - Atividades de consolidação Em folha xerocada ou mimeografada, atividades com ordens diretas, podem ser individuais ou em grupos e o professor poderá interferir se necessário. A professora selecionará previamente palavras que estão no conto e que os alunos apresentaram dificuldades, de acordo com diagnóstico realizado na turma. Ex.: NH – LH – CH - QU – SS – RR – GU – X, etc. A professora pedirá que os alunos falem palavras que tenham o mesmo som, que comecem ou terminem como essas palavras e escreverá no quadro, formando assim um grupo ortográfico com essa dificuldade selecionada. (uma dificuldade de cada vez) Tendo essas palavras como ponto de partida, a professora poderá criar atividades que inicialmente deverão ser orais e depois escritas: • Composição e decomposição silábica • Bingo de palavras – Cada aluno recebe uma folha em branco e faz uma dobradura, de forma que a folha fique marcada como uma cartela de bingo com 16 quadrinhos. Cada aluno escolhe do grupo ortográfico, criado por eles 16 palavras e preenche a cartela. A professora poderá iniciar o ditado e o vencedor do bingo será de acordo com o combinado previamente. • Produção de frases (oral - coletiva e escrita - individual) • Formação de outras palavras partindo desta dificuldade • Ditados: de palavras – concretos - auto ditado • Cruzadinhas – silabox
  • 10. • Atividades de completar palavras • Caça palavras Eixo: Produção escrita Capacidade - Produzir textos escritos de gêneros diversos Reescrita Produção coletiva de um texto, criando novos elementos que dê novo sentido ao texto. O desfecho do texto “A princesa e a ervilha” permite que sua imaginação dê sequência à história. Escreva um pequeno texto, narrando o que pode ter acontecido depois do casamento deles. ________________________________________________________ ________________________________________________________ ________________________________________________________ ________________________________________________________ ________________________________________________________ ________________________________________________________ ________________________________________________________ ________________________________________________________