SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
OS “TUDO” DE PAULO DEOS “TUDO” DE PAULO DE
TARSOTARSO
 A contribuição de outros personagens desta históriaA contribuição de outros personagens desta história
real, vem confirmar a necessidade e a universalidadereal, vem confirmar a necessidade e a universalidade
da lei de cooperação.da lei de cooperação.
 E, para verificar a amplitude desse conceito,E, para verificar a amplitude desse conceito,
recordemos que Jesus, cuja misericórdia e poderrecordemos que Jesus, cuja misericórdia e poder
abrangiam tudo, procurou a companhia de dozeabrangiam tudo, procurou a companhia de doze
auxiliares a fim de empreender a renovação doauxiliares a fim de empreender a renovação do
mundo.mundo.
 Aliás, sem, cooperação, não poderia existir amor; e oAliás, sem, cooperação, não poderia existir amor; e o
amor é a força de Deus, que equilibra o Universo.amor é a força de Deus, que equilibra o Universo.
Oferecendo pois, este humilde trabalho aos nossosOferecendo pois, este humilde trabalho aos nossos
irmãos da Terra, formulamos votos para que oirmãos da Terra, formulamos votos para que o
exemplo do Grande Convertido, se faça mais claro emexemplo do Grande Convertido, se faça mais claro em
nossos corações, afim de que cada discípulo, possanossos corações, afim de que cada discípulo, possa
entender quanto lhe compete trabalhar e sofrer, porentender quanto lhe compete trabalhar e sofrer, por
amor a Jesus Cristo.amor a Jesus Cristo. EMMANUEL 8-7- 1941EMMANUEL 8-7- 1941
                     Saulo adquiriu todo o estilo do perfeitoSaulo adquiriu todo o estilo do perfeito
fariseu apegado a lei e a tradição. Rígido efariseu apegado a lei e a tradição. Rígido e
cheio de zelo.cheio de zelo.
                     Tomado de feroz ódio contra Jesus eTomado de feroz ódio contra Jesus e
seus seguidores, pois considerava-osseus seguidores, pois considerava-os
blasfemadores.blasfemadores.
                     Em sua fisionomia cheia de virilidade eEm sua fisionomia cheia de virilidade e
máscula beleza, os traços israelitas, fixavam-máscula beleza, os traços israelitas, fixavam-
se particularmente nos olhos profundosse particularmente nos olhos profundos
próprios dos temperamentos apaixonados epróprios dos temperamentos apaixonados e
indomáveis, ricos de agudeza e resolução.indomáveis, ricos de agudeza e resolução.
 Saulo consolando Abigail dizia-lhe:Saulo consolando Abigail dizia-lhe:
 Dar-te-ei meu coração dedicado e sincero. Abigail,Dar-te-ei meu coração dedicado e sincero. Abigail,
meu espírito estava possuído somente do amor àmeu espírito estava possuído somente do amor à
Lei e a meus Pais. Minha mocidade tem sidoLei e a meus Pais. Minha mocidade tem sido
inquieta, mas pura.inquieta, mas pura.
                     Não te oferecerei um coração sem perfume.Não te oferecerei um coração sem perfume.
Desde os primeiros dias de minha juventude,Desde os primeiros dias de minha juventude,
conheci companheiros que me convidaram a lhesconheci companheiros que me convidaram a lhes
seguir os passos incertos na embriaguez dosseguir os passos incertos na embriaguez dos
sentidos, precursora da morte de nossassentidos, precursora da morte de nossas
preocupações mais nobres neste mundo. Nuncapreocupações mais nobres neste mundo. Nunca
traí o ideal Divino que me vibra na alma.traí o ideal Divino que me vibra na alma.
     _Saulo!... Saulo!.... porque me_Saulo!... Saulo!.... porque me
persegues?persegues?
                     _Quem sois vós Senhor?_Quem sois vós Senhor?
                     _Eu sou Jesus!... Não_Eu sou Jesus!... Não
recalcitres contra os aguilhões.recalcitres contra os aguilhões.
                     Saulo compreendeu eSaulo compreendeu e
chorou.chorou.
                     Sim, ele era a ovelhaSim, ele era a ovelha
perdida, Jesus era o Pastorperdida, Jesus era o Pastor
amigo que carinhosamenteamigo que carinhosamente
procurava salvá-lo.procurava salvá-lo.
                     _Senhor!... Que quereis_Senhor!... Que quereis
que eu faça?que eu faça?
         A conselho de Ananias,A conselho de Ananias,
procurou o deserto paraprocurou o deserto para
meditar, porquemeditar, porque tudo o que étudo o que é
de Deus, reclama grande pazde Deus, reclama grande paz
e profunda compreensão.e profunda compreensão.
 Além do mais há ainda aAlém do mais há ainda a
necessidade do sofrimento.necessidade do sofrimento.
Só a dor, nos ensina aSó a dor, nos ensina a
sermos humanos.sermos humanos.
 É preciso morrer para oÉ preciso morrer para o
mundo, para que o Cristo vivamundo, para que o Cristo viva
em nós.....em nós.....
   Todo esforço na tarefaTodo esforço na tarefa
Cristã não poderá serCristã não poderá ser
esquecido. Mas a iluminaçãoesquecido. Mas a iluminação
do Espírito, deve estar emdo Espírito, deve estar em
primeiro lugar.primeiro lugar.
 Porque se o homem trouxerPorque se o homem trouxer
o Cristo no coração, o quadroo Cristo no coração, o quadro
das necessidades, serádas necessidades, será
modificado.modificado.
 Então restringir o EvangelhoEntão restringir o Evangelho
a Jerusalém, é condená-lo àa Jerusalém, é condená-lo à
extinção.extinção.
 Conhecendo que o Discípulo terá deConhecendo que o Discípulo terá de
experimentar as sensações da "Portaexperimentar as sensações da "Porta
Estreita" nunca se deixou empolgarEstreita" nunca se deixou empolgar
pelo desânimo.pelo desânimo.
 Paulo escreveu então aos Corintios.Paulo escreveu então aos Corintios.
“ Somos todos do Cristo e o Cristo é“ Somos todos do Cristo e o Cristo é
de Deus. Por isso, permaneceis todosde Deus. Por isso, permaneceis todos
unidos na CARIDADE.”unidos na CARIDADE.”
TUDO POSSO NAQUELE QUETUDO POSSO NAQUELE QUE
ME FORTALECEME FORTALECE
 PAULO SABIA QUE SEM O CRISTO NÃOPAULO SABIA QUE SEM O CRISTO NÃO
PODIA FAZER NADA;PODIA FAZER NADA;
 ELE TE FORTALECE PARA VOCÊELE TE FORTALECE PARA VOCÊ
CARREGAR AS PROVAS E FAZER OCARREGAR AS PROVAS E FAZER O
CERTO;CERTO;
 E VOCÊ FAZER O CERTO É DEIXARE VOCÊ FAZER O CERTO É DEIXAR
MANIFESTAR O POTENCIAL DIVINO QUEMANIFESTAR O POTENCIAL DIVINO QUE
Efésios 5:20Efésios 5:20
 Em TUDO dai graças a Deus emEm TUDO dai graças a Deus em
nome de nosso Senhor Jesusnome de nosso Senhor Jesus
Cristo.Cristo.
 Como dar graças até pelas desgraçasComo dar graças até pelas desgraças ??
 O problema, via de regra, é um desafioO problema, via de regra, é um desafio
que você veio a esta vida paraque você veio a esta vida para
enfrentar. E se você for capaz deenfrentar. E se você for capaz de
enfrentá-lo adequadamente, vocêenfrentá-lo adequadamente, você
desenvolverá qualidades que essedesenvolverá qualidades que esse
desafio se propôs a desenvolver em
 O PROBLEMA É UM DESAFIO ;O PROBLEMA É UM DESAFIO ;
 O DESAFIO É UMA OPORTUNIDADE DEO DESAFIO É UMA OPORTUNIDADE DE
DESENVOLVIMENTO;DESENVOLVIMENTO;
 QUE VAI SE CONFIGURAR NUMA BÊNÇÃO.QUE VAI SE CONFIGURAR NUMA BÊNÇÃO.
 EX: ALGUÉM VAI NA ACADEMIA PROCURAREX: ALGUÉM VAI NA ACADEMIA PROCURAR
UMA REDE PARA DESCANSAR ?UMA REDE PARA DESCANSAR ?
 NÃO. VAI PAGAR PARA MALHAR, SUAR, SENÃO. VAI PAGAR PARA MALHAR, SUAR, SE
CANSAR PARA BUSCAR BEM-ESTARCANSAR PARA BUSCAR BEM-ESTAR
FÍSICO, AUMENTAR A AUTO-ESTIMA E, PORFÍSICO, AUMENTAR A AUTO-ESTIMA E, POR
CONSEQUÊNCIA, BEM ESTAR ESPIRITUAL.CONSEQUÊNCIA, BEM ESTAR ESPIRITUAL.
 NA VIDA É DIFERENTE, QUANDO ELANA VIDA É DIFERENTE, QUANDO ELA
EXIGE DE VOCÊ UM POUCO MAIS DEEXIGE DE VOCÊ UM POUCO MAIS DE
MALHAÇÃO, VOCÊ SE QUEIXA COMO UMAMALHAÇÃO, VOCÊ SE QUEIXA COMO UMA
PESSOA MIMADA E NÃO QUER FAZER NAPESSOA MIMADA E NÃO QUER FAZER NA
VIDA O QUE SE PROPÔS ANTES DEVIDA O QUE SE PROPÔS ANTES DE
Romanos 8:28Romanos 8:28
 Tudo concorre para o bem daqueles queTudo concorre para o bem daqueles que
amam ao Senhor;amam ao Senhor;
 Como acreditar que uma doença como oComo acreditar que uma doença como o
câncer concorre para o bem decâncer concorre para o bem de
alguém?alguém?
 Via de regra para limpar o perispíritoVia de regra para limpar o perispírito
temos 2 saídas:temos 2 saídas:
 Tudo que plantares serás obrigado aTudo que plantares serás obrigado a
colher;colher;
 O amor cobre a multidão dos pecados.O amor cobre a multidão dos pecados.
1° Corintios 2, 14 e 151° Corintios 2, 14 e 15
 O homem natural não aceita as coisasO homem natural não aceita as coisas
do Espírito de Deus, mas o homem quedo Espírito de Deus, mas o homem que
é espiritual discerne bem TUDO, poisé espiritual discerne bem TUDO, pois
temos a mente do Cristo.temos a mente do Cristo.
 Paulo dizia também : “Já não sou maisPaulo dizia também : “Já não sou mais
eu que vivo, mas o Cristo que vive emeu que vivo, mas o Cristo que vive em
mim.mim.
 ““Não vos conformeis com o Mundo, masNão vos conformeis com o Mundo, mas
transformai-vos pela renovação dotransformai-vos pela renovação do
vosso entendimento.” ex: parábola dosvosso entendimento.” ex: parábola dos
1°Corintios 3: 21 e 231°Corintios 3: 21 e 23
 Ninguém se glorie nos homensNinguém se glorie nos homens
sábios, porque TUDO é vosso; sejasábios, porque TUDO é vosso; seja
o Mundo, ou a vida, ou a morte;o Mundo, ou a vida, ou a morte;
TUDO é vosso e vós de Cristo, eTUDO é vosso e vós de Cristo, e
Cristo de Deus.Cristo de Deus.
 OBS: nada nos pertence.OBS: nada nos pertence.
1°Corintios 6:121°Corintios 6:12
 Tudo me é lícito, mas nem tudo meTudo me é lícito, mas nem tudo me
convém. Ensinando assim a combaterconvém. Ensinando assim a combater
as imoralidades sexuais, porque quemas imoralidades sexuais, porque quem
se une ao Senhor é uno com Ele.se une ao Senhor é uno com Ele.
 OBS: Corintios era a cidade mundial daOBS: Corintios era a cidade mundial da
prostituição e nesta ele escreveu oprostituição e nesta ele escreveu o
poema mais lindo sobre o amor.poema mais lindo sobre o amor.
1°Corintios 9: 22 e 231°Corintios 9: 22 e 23
 Fiz-me fraco para os fracos, fiz-Fiz-me fraco para os fracos, fiz-
me TUDO para todos e porme TUDO para todos e por
todos os meios chegar a salvartodos os meios chegar a salvar
alguns.alguns.
 Ora, TUDO faço por causa doOra, TUDO faço por causa do
Evangelho, para dele tornar-meEvangelho, para dele tornar-me
co-participante.co-participante.
1°Corintios 10:311°Corintios 10:31
 Fazei TUDOFazei TUDO
para apara a
Glória deGlória de
DeusDeus
1°Corintios 13:71°Corintios 13:7
 O amor TUDO sofre;O amor TUDO sofre;
 O amor TUDO crê;O amor TUDO crê;
 O amor TUDO espera;O amor TUDO espera;
 O amor TUDO Suporta.O amor TUDO Suporta.
A poda de uma planta traz dor a ela, mas se bem feita, vai fazê-
la produzir muito mais e fortalecê-la.
2°Corintios 4:152°Corintios 4:15
 Pois TUDO é por amor de vós,Pois TUDO é por amor de vós,
para que a graça multiplicadapara que a graça multiplicada
por meio de muitos, façapor meio de muitos, faça
abundar a ação de graças paraabundar a ação de graças para
a glória de Deus.a glória de Deus.
 OBS de josé carlos de Lucca- “DeusOBS de josé carlos de Lucca- “Deus
não faz nada por nós, mas sim atravésnão faz nada por nós, mas sim através
de nós”de nós”
Gálatas 6:7Gálatas 6:7
 Não vos enganeis; Deus não seNão vos enganeis; Deus não se
deixa escarnecer, pois TUDO odeixa escarnecer, pois TUDO o
que o homem semear, issoque o homem semear, isso
também ceifará.também ceifará.
Filipenses 4: 6 a 8Filipenses 4: 6 a 8
 Não andeis ansiosos por coisaNão andeis ansiosos por coisa
alguma; antes, em TUDO sejamalguma; antes, em TUDO sejam
os vossos pedidos conhecidosos vossos pedidos conhecidos
diante de Deus pela oração comdiante de Deus pela oração com
ações de graças.ações de graças.
Continuação de FilipensesContinuação de Filipenses
 A Paz de Deus excede todo entendimento,A Paz de Deus excede todo entendimento,
guardará os vossos corações e os vossosguardará os vossos corações e os vossos
pensamentos em Jesus. Quanto ao maispensamentos em Jesus. Quanto ao mais
irmãos,irmãos,
 TUDO o que é verdadeiroTUDO o que é verdadeiro
 TUDO o que é honestoTUDO o que é honesto
 TUDO o que é justoTUDO o que é justo
 TUDO o que é puroTUDO o que é puro
 TUDO o que é amávelTUDO o que é amável
 TUDO o que é de boa famaTUDO o que é de boa fama
 Se há alguma virtude e algum louvor, nissoSe há alguma virtude e algum louvor, nisso
Ex: funcionária que não mentiu,
Mesmo sendo obrigada pelo patrão.
Colossenses 3:23Colossenses 3:23
 Tudo quanto fizerdes, fazei-oTudo quanto fizerdes, fazei-o
como se fosse para o Senhor ecomo se fosse para o Senhor e
não aos homens.não aos homens.
 Porque na verdade não estamos aquiPorque na verdade não estamos aqui
para fazer nada por nós e sim para opara fazer nada por nós e sim para o
Criador, pq. fazendo p/ o Criador se fazCriador, pq. fazendo p/ o Criador se faz
p/ o Universo e por você mesmo, porp/ o Universo e por você mesmo, por
isso amar a Deus sobre todas asisso amar a Deus sobre todas as
1°Tessalonicenses 5:211°Tessalonicenses 5:21
 Ponde TUDO à prova, masPonde TUDO à prova, mas
retém o que é bom.retém o que é bom.
 OBS:OBS: Não é ter curiosidade com o mal eNão é ter curiosidade com o mal e
experimentá-lo, mas sim observar se todos osexperimentá-lo, mas sim observar se todos os
espíritos são de Deus.espíritos são de Deus.
2° Timóteo 2: 9 e 102° Timóteo 2: 9 e 10
 Fui preso como malfeitor, mas aFui preso como malfeitor, mas a
palavra de Deus não estápalavra de Deus não está
presa; Por isso, TUDO suportopresa; Por isso, TUDO suporto
por amor dos eleitos…por amor dos eleitos…
Tito 2:7Tito 2:7
 Para que a palavra de Deus nãoPara que a palavra de Deus não
seja blasfemada, em TUDO dêseja blasfemada, em TUDO dê
o exemplo com boas obras.o exemplo com boas obras.
 Se você Espírita temSe você Espírita tem
experimentado, na sua vidaexperimentado, na sua vida
pessoal naufrágios,pessoal naufrágios,
apedrejamentos e golpesapedrejamentos e golpes
diversos; não deixe de conhecer adiversos; não deixe de conhecer a
vida de Paulo de Tarso, pois nelavida de Paulo de Tarso, pois nela
Jesus nos ensinou a sabedoria daJesus nos ensinou a sabedoria da
Paz interior e da comunhão dePaz interior e da comunhão de
seu amor, mostrando-nos que….seu amor, mostrando-nos que….
TUDO É POSSÍVEL.TUDO É POSSÍVEL.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”JUERP
 
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017Pr. Andre Luiz
 
Efriamento espiritual a queda e o retorno
Efriamento espiritual a queda e o retornoEfriamento espiritual a queda e o retorno
Efriamento espiritual a queda e o retornoMINISTERIO IPCA.
 
Lição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempo
Lição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempoLição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempo
Lição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempoErberson Pinheiro
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPastor Natalino Das Neves
 
07 - OS MANDAMENTOS DO SENHOR
07 - OS MANDAMENTOS DO SENHOR07 - OS MANDAMENTOS DO SENHOR
07 - OS MANDAMENTOS DO SENHORAilton da Silva
 
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizadesLBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizadesNatalino das Neves Neves
 
Retiro anual ens setorcaragua
Retiro anual ens setorcaraguaRetiro anual ens setorcaragua
Retiro anual ens setorcaraguaKleber Silva
 
VIDEIRA - CURSO DE ENRIQUECIMENTO ESPIRITUAL
VIDEIRA - CURSO DE ENRIQUECIMENTO ESPIRITUAL VIDEIRA - CURSO DE ENRIQUECIMENTO ESPIRITUAL
VIDEIRA - CURSO DE ENRIQUECIMENTO ESPIRITUAL Lc Passold
 
Batalha espiritual no evangelismo
Batalha espiritual no evangelismoBatalha espiritual no evangelismo
Batalha espiritual no evangelismoEdleusa Silva
 
A patrola de deus (reinando em vida) bob mumford
A patrola de deus (reinando em vida)   bob mumfordA patrola de deus (reinando em vida)   bob mumford
A patrola de deus (reinando em vida) bob mumfordArauto Profetico
 

Mais procurados (20)

Do esfriamento espiritual à queda
Do esfriamento espiritual à quedaDo esfriamento espiritual à queda
Do esfriamento espiritual à queda
 
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
 
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
 
Na mente ou no coração
Na mente ou no coraçãoNa mente ou no coração
Na mente ou no coração
 
2 corintios cap 4 e 5
2 corintios cap 4 e 52 corintios cap 4 e 5
2 corintios cap 4 e 5
 
Efriamento espiritual a queda e o retorno
Efriamento espiritual a queda e o retornoEfriamento espiritual a queda e o retorno
Efriamento espiritual a queda e o retorno
 
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno LageO que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
 
Lição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempo
Lição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempoLição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempo
Lição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempo
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
O cuidado com a língua
O cuidado com a línguaO cuidado com a língua
O cuidado com a língua
 
07 - OS MANDAMENTOS DO SENHOR
07 - OS MANDAMENTOS DO SENHOR07 - OS MANDAMENTOS DO SENHOR
07 - OS MANDAMENTOS DO SENHOR
 
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizadesLBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
 
Retiro anual ens setorcaragua
Retiro anual ens setorcaraguaRetiro anual ens setorcaragua
Retiro anual ens setorcaragua
 
VIDEIRA - CURSO DE ENRIQUECIMENTO ESPIRITUAL
VIDEIRA - CURSO DE ENRIQUECIMENTO ESPIRITUAL VIDEIRA - CURSO DE ENRIQUECIMENTO ESPIRITUAL
VIDEIRA - CURSO DE ENRIQUECIMENTO ESPIRITUAL
 
Watchman nee as três atitudes do crente
Watchman nee   as três atitudes do crenteWatchman nee   as três atitudes do crente
Watchman nee as três atitudes do crente
 
Slides cynthia, 01 05
Slides cynthia, 01 05Slides cynthia, 01 05
Slides cynthia, 01 05
 
Batalha espiritual no evangelismo
Batalha espiritual no evangelismoBatalha espiritual no evangelismo
Batalha espiritual no evangelismo
 
Os Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De TarsoOs Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De Tarso
 
A patrola de deus (reinando em vida) bob mumford
A patrola de deus (reinando em vida)   bob mumfordA patrola de deus (reinando em vida)   bob mumford
A patrola de deus (reinando em vida) bob mumford
 
02
0202
02
 

Destaque

Destaque (20)

comentario biblico-1 tessalonicenses (moody)
comentario biblico-1 tessalonicenses (moody)comentario biblico-1 tessalonicenses (moody)
comentario biblico-1 tessalonicenses (moody)
 
Paulo de tarso
Paulo de tarsoPaulo de tarso
Paulo de tarso
 
Paulo De Tarso
Paulo De TarsoPaulo De Tarso
Paulo De Tarso
 
Lo que nos aleja y lo que nos lleva a cumplir el proposito divino
Lo que nos aleja y lo que nos lleva a cumplir el proposito divinoLo que nos aleja y lo que nos lleva a cumplir el proposito divino
Lo que nos aleja y lo que nos lleva a cumplir el proposito divino
 
Investigación etnográfica
Investigación etnográficaInvestigación etnográfica
Investigación etnográfica
 
Corporate president performance appraisal
Corporate president performance appraisalCorporate president performance appraisal
Corporate president performance appraisal
 
Análisis de mi práctica docente
Análisis de mi práctica docenteAnálisis de mi práctica docente
Análisis de mi práctica docente
 
Dac
DacDac
Dac
 
HBL
HBLHBL
HBL
 
Futbol
FutbolFutbol
Futbol
 
InterMedia-FII-Indonesia-wave-report-2-24-2015
InterMedia-FII-Indonesia-wave-report-2-24-2015InterMedia-FII-Indonesia-wave-report-2-24-2015
InterMedia-FII-Indonesia-wave-report-2-24-2015
 
05251b
05251b05251b
05251b
 
Trish's CV
Trish's CVTrish's CV
Trish's CV
 
Disposiciones y artículo 15
Disposiciones y artículo 15 Disposiciones y artículo 15
Disposiciones y artículo 15
 
Nitesh Cape Cod
Nitesh Cape CodNitesh Cape Cod
Nitesh Cape Cod
 
La ola
La olaLa ola
La ola
 
Actividad 0.
Actividad 0.Actividad 0.
Actividad 0.
 
Vice president of academic affairs performance appraisal
Vice president of academic affairs performance appraisalVice president of academic affairs performance appraisal
Vice president of academic affairs performance appraisal
 
InterMedia-FII-Indonesia-Presentation-to-OJK-8-8-2015
InterMedia-FII-Indonesia-Presentation-to-OJK-8-8-2015InterMedia-FII-Indonesia-Presentation-to-OJK-8-8-2015
InterMedia-FII-Indonesia-Presentation-to-OJK-8-8-2015
 
Luke 13 commentary
Luke 13 commentaryLuke 13 commentary
Luke 13 commentary
 

Semelhante a -ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRONICA/AGROPECUÁRIA E ESTUDANTE DE DIREITO NA UNIP ASSIS SP.-PAULO DE TARSO -FILOSOFIA

Conversão e justiça pela fé2.
Conversão e justiça pela fé2.Conversão e justiça pela fé2.
Conversão e justiça pela fé2.Hezir Henrique
 
Semana Cavanis 2009
Semana Cavanis 2009Semana Cavanis 2009
Semana Cavanis 2009Edvaldo001
 
Reconhece cristao l.ppt
Reconhece cristao l.pptReconhece cristao l.ppt
Reconhece cristao l.pptVanda Machado
 
10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoral10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoralGustavo Scheffer
 
louvores para data show
 louvores  para data show louvores  para data show
louvores para data showAdilson Bueno
 
Revista juventude pioneira ano iii ed 5 site
Revista juventude pioneira   ano iii ed 5 siteRevista juventude pioneira   ano iii ed 5 site
Revista juventude pioneira ano iii ed 5 sitejumap_pioneira
 
10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoral10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoralGustavo Scheffer
 
Cantos meio popular
Cantos meio popularCantos meio popular
Cantos meio populartorrasko
 
Missa 23.05.10 Pentecoste
Missa 23.05.10   PentecosteMissa 23.05.10   Pentecoste
Missa 23.05.10 PentecosteRosiane Paes
 
Missa 23.05.10 Pentecoste
Missa 23.05.10   PentecosteMissa 23.05.10   Pentecoste
Missa 23.05.10 PentecosteRosiane Paes
 
Culto de lançamento do cd tributo ao pai
Culto de lançamento do cd tributo ao paiCulto de lançamento do cd tributo ao pai
Culto de lançamento do cd tributo ao paiibvys
 
Sunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassSunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassMariadaSilva95
 

Semelhante a -ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRONICA/AGROPECUÁRIA E ESTUDANTE DE DIREITO NA UNIP ASSIS SP.-PAULO DE TARSO -FILOSOFIA (20)

6 noite do trigo casa lar
6 noite do trigo casa lar6 noite do trigo casa lar
6 noite do trigo casa lar
 
6 noite do trigo casa lar
6 noite do trigo casa lar6 noite do trigo casa lar
6 noite do trigo casa lar
 
Conversão e justiça pela fé2.
Conversão e justiça pela fé2.Conversão e justiça pela fé2.
Conversão e justiça pela fé2.
 
9ª noite do trigo ivete
9ª noite do trigo  ivete9ª noite do trigo  ivete
9ª noite do trigo ivete
 
9ª noite do trigo ivete
9ª noite do trigo  ivete9ª noite do trigo  ivete
9ª noite do trigo ivete
 
Missa 26 02 de manhã
Missa 26 02 de manhãMissa 26 02 de manhã
Missa 26 02 de manhã
 
Semana Cavanis 2009
Semana Cavanis 2009Semana Cavanis 2009
Semana Cavanis 2009
 
Reconhece cristao l.ppt
Reconhece cristao l.pptReconhece cristao l.ppt
Reconhece cristao l.ppt
 
Boletim242
Boletim242Boletim242
Boletim242
 
Livro34
Livro34Livro34
Livro34
 
10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoral10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoral
 
Cultivando a Comunidade
Cultivando a ComunidadeCultivando a Comunidade
Cultivando a Comunidade
 
louvores para data show
 louvores  para data show louvores  para data show
louvores para data show
 
Revista juventude pioneira ano iii ed 5 site
Revista juventude pioneira   ano iii ed 5 siteRevista juventude pioneira   ano iii ed 5 site
Revista juventude pioneira ano iii ed 5 site
 
10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoral10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoral
 
Cantos meio popular
Cantos meio popularCantos meio popular
Cantos meio popular
 
Missa 23.05.10 Pentecoste
Missa 23.05.10   PentecosteMissa 23.05.10   Pentecoste
Missa 23.05.10 Pentecoste
 
Missa 23.05.10 Pentecoste
Missa 23.05.10   PentecosteMissa 23.05.10   Pentecoste
Missa 23.05.10 Pentecoste
 
Culto de lançamento do cd tributo ao pai
Culto de lançamento do cd tributo ao paiCulto de lançamento do cd tributo ao pai
Culto de lançamento do cd tributo ao pai
 
Sunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassSunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese Mass
 

Mais de ANTONIO INACIO FERRAZ

ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZANTONIO INACIO FERRAZ
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 

Mais de ANTONIO INACIO FERRAZ (20)

ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 

Último

Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docCarolineWaitman
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 

Último (20)

Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 

-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRONICA/AGROPECUÁRIA E ESTUDANTE DE DIREITO NA UNIP ASSIS SP.-PAULO DE TARSO -FILOSOFIA

  • 1. OS “TUDO” DE PAULO DEOS “TUDO” DE PAULO DE TARSOTARSO
  • 2.  A contribuição de outros personagens desta históriaA contribuição de outros personagens desta história real, vem confirmar a necessidade e a universalidadereal, vem confirmar a necessidade e a universalidade da lei de cooperação.da lei de cooperação.  E, para verificar a amplitude desse conceito,E, para verificar a amplitude desse conceito, recordemos que Jesus, cuja misericórdia e poderrecordemos que Jesus, cuja misericórdia e poder abrangiam tudo, procurou a companhia de dozeabrangiam tudo, procurou a companhia de doze auxiliares a fim de empreender a renovação doauxiliares a fim de empreender a renovação do mundo.mundo.  Aliás, sem, cooperação, não poderia existir amor; e oAliás, sem, cooperação, não poderia existir amor; e o amor é a força de Deus, que equilibra o Universo.amor é a força de Deus, que equilibra o Universo. Oferecendo pois, este humilde trabalho aos nossosOferecendo pois, este humilde trabalho aos nossos irmãos da Terra, formulamos votos para que oirmãos da Terra, formulamos votos para que o exemplo do Grande Convertido, se faça mais claro emexemplo do Grande Convertido, se faça mais claro em nossos corações, afim de que cada discípulo, possanossos corações, afim de que cada discípulo, possa entender quanto lhe compete trabalhar e sofrer, porentender quanto lhe compete trabalhar e sofrer, por amor a Jesus Cristo.amor a Jesus Cristo. EMMANUEL 8-7- 1941EMMANUEL 8-7- 1941
  • 3.                      Saulo adquiriu todo o estilo do perfeitoSaulo adquiriu todo o estilo do perfeito fariseu apegado a lei e a tradição. Rígido efariseu apegado a lei e a tradição. Rígido e cheio de zelo.cheio de zelo.                      Tomado de feroz ódio contra Jesus eTomado de feroz ódio contra Jesus e seus seguidores, pois considerava-osseus seguidores, pois considerava-os blasfemadores.blasfemadores.                      Em sua fisionomia cheia de virilidade eEm sua fisionomia cheia de virilidade e máscula beleza, os traços israelitas, fixavam-máscula beleza, os traços israelitas, fixavam- se particularmente nos olhos profundosse particularmente nos olhos profundos próprios dos temperamentos apaixonados epróprios dos temperamentos apaixonados e indomáveis, ricos de agudeza e resolução.indomáveis, ricos de agudeza e resolução.
  • 4.
  • 5.  Saulo consolando Abigail dizia-lhe:Saulo consolando Abigail dizia-lhe:  Dar-te-ei meu coração dedicado e sincero. Abigail,Dar-te-ei meu coração dedicado e sincero. Abigail, meu espírito estava possuído somente do amor àmeu espírito estava possuído somente do amor à Lei e a meus Pais. Minha mocidade tem sidoLei e a meus Pais. Minha mocidade tem sido inquieta, mas pura.inquieta, mas pura.                      Não te oferecerei um coração sem perfume.Não te oferecerei um coração sem perfume. Desde os primeiros dias de minha juventude,Desde os primeiros dias de minha juventude, conheci companheiros que me convidaram a lhesconheci companheiros que me convidaram a lhes seguir os passos incertos na embriaguez dosseguir os passos incertos na embriaguez dos sentidos, precursora da morte de nossassentidos, precursora da morte de nossas preocupações mais nobres neste mundo. Nuncapreocupações mais nobres neste mundo. Nunca traí o ideal Divino que me vibra na alma.traí o ideal Divino que me vibra na alma.
  • 6.
  • 7.
  • 8.      _Saulo!... Saulo!.... porque me_Saulo!... Saulo!.... porque me persegues?persegues?                      _Quem sois vós Senhor?_Quem sois vós Senhor?                      _Eu sou Jesus!... Não_Eu sou Jesus!... Não recalcitres contra os aguilhões.recalcitres contra os aguilhões.                      Saulo compreendeu eSaulo compreendeu e chorou.chorou.                      Sim, ele era a ovelhaSim, ele era a ovelha perdida, Jesus era o Pastorperdida, Jesus era o Pastor amigo que carinhosamenteamigo que carinhosamente procurava salvá-lo.procurava salvá-lo.                      _Senhor!... Que quereis_Senhor!... Que quereis que eu faça?que eu faça?
  • 9.          A conselho de Ananias,A conselho de Ananias, procurou o deserto paraprocurou o deserto para meditar, porquemeditar, porque tudo o que étudo o que é de Deus, reclama grande pazde Deus, reclama grande paz e profunda compreensão.e profunda compreensão.  Além do mais há ainda aAlém do mais há ainda a necessidade do sofrimento.necessidade do sofrimento. Só a dor, nos ensina aSó a dor, nos ensina a sermos humanos.sermos humanos.  É preciso morrer para oÉ preciso morrer para o mundo, para que o Cristo vivamundo, para que o Cristo viva em nós.....em nós.....
  • 10.    Todo esforço na tarefaTodo esforço na tarefa Cristã não poderá serCristã não poderá ser esquecido. Mas a iluminaçãoesquecido. Mas a iluminação do Espírito, deve estar emdo Espírito, deve estar em primeiro lugar.primeiro lugar.  Porque se o homem trouxerPorque se o homem trouxer o Cristo no coração, o quadroo Cristo no coração, o quadro das necessidades, serádas necessidades, será modificado.modificado.  Então restringir o EvangelhoEntão restringir o Evangelho a Jerusalém, é condená-lo àa Jerusalém, é condená-lo à extinção.extinção.
  • 11.
  • 12.  Conhecendo que o Discípulo terá deConhecendo que o Discípulo terá de experimentar as sensações da "Portaexperimentar as sensações da "Porta Estreita" nunca se deixou empolgarEstreita" nunca se deixou empolgar pelo desânimo.pelo desânimo.  Paulo escreveu então aos Corintios.Paulo escreveu então aos Corintios. “ Somos todos do Cristo e o Cristo é“ Somos todos do Cristo e o Cristo é de Deus. Por isso, permaneceis todosde Deus. Por isso, permaneceis todos unidos na CARIDADE.”unidos na CARIDADE.”
  • 13.
  • 14.
  • 15. TUDO POSSO NAQUELE QUETUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECEME FORTALECE  PAULO SABIA QUE SEM O CRISTO NÃOPAULO SABIA QUE SEM O CRISTO NÃO PODIA FAZER NADA;PODIA FAZER NADA;  ELE TE FORTALECE PARA VOCÊELE TE FORTALECE PARA VOCÊ CARREGAR AS PROVAS E FAZER OCARREGAR AS PROVAS E FAZER O CERTO;CERTO;  E VOCÊ FAZER O CERTO É DEIXARE VOCÊ FAZER O CERTO É DEIXAR MANIFESTAR O POTENCIAL DIVINO QUEMANIFESTAR O POTENCIAL DIVINO QUE
  • 16. Efésios 5:20Efésios 5:20  Em TUDO dai graças a Deus emEm TUDO dai graças a Deus em nome de nosso Senhor Jesusnome de nosso Senhor Jesus Cristo.Cristo.  Como dar graças até pelas desgraçasComo dar graças até pelas desgraças ??  O problema, via de regra, é um desafioO problema, via de regra, é um desafio que você veio a esta vida paraque você veio a esta vida para enfrentar. E se você for capaz deenfrentar. E se você for capaz de enfrentá-lo adequadamente, vocêenfrentá-lo adequadamente, você desenvolverá qualidades que essedesenvolverá qualidades que esse desafio se propôs a desenvolver em
  • 17.  O PROBLEMA É UM DESAFIO ;O PROBLEMA É UM DESAFIO ;  O DESAFIO É UMA OPORTUNIDADE DEO DESAFIO É UMA OPORTUNIDADE DE DESENVOLVIMENTO;DESENVOLVIMENTO;  QUE VAI SE CONFIGURAR NUMA BÊNÇÃO.QUE VAI SE CONFIGURAR NUMA BÊNÇÃO.  EX: ALGUÉM VAI NA ACADEMIA PROCURAREX: ALGUÉM VAI NA ACADEMIA PROCURAR UMA REDE PARA DESCANSAR ?UMA REDE PARA DESCANSAR ?  NÃO. VAI PAGAR PARA MALHAR, SUAR, SENÃO. VAI PAGAR PARA MALHAR, SUAR, SE CANSAR PARA BUSCAR BEM-ESTARCANSAR PARA BUSCAR BEM-ESTAR FÍSICO, AUMENTAR A AUTO-ESTIMA E, PORFÍSICO, AUMENTAR A AUTO-ESTIMA E, POR CONSEQUÊNCIA, BEM ESTAR ESPIRITUAL.CONSEQUÊNCIA, BEM ESTAR ESPIRITUAL.  NA VIDA É DIFERENTE, QUANDO ELANA VIDA É DIFERENTE, QUANDO ELA EXIGE DE VOCÊ UM POUCO MAIS DEEXIGE DE VOCÊ UM POUCO MAIS DE MALHAÇÃO, VOCÊ SE QUEIXA COMO UMAMALHAÇÃO, VOCÊ SE QUEIXA COMO UMA PESSOA MIMADA E NÃO QUER FAZER NAPESSOA MIMADA E NÃO QUER FAZER NA VIDA O QUE SE PROPÔS ANTES DEVIDA O QUE SE PROPÔS ANTES DE
  • 18. Romanos 8:28Romanos 8:28  Tudo concorre para o bem daqueles queTudo concorre para o bem daqueles que amam ao Senhor;amam ao Senhor;  Como acreditar que uma doença como oComo acreditar que uma doença como o câncer concorre para o bem decâncer concorre para o bem de alguém?alguém?  Via de regra para limpar o perispíritoVia de regra para limpar o perispírito temos 2 saídas:temos 2 saídas:  Tudo que plantares serás obrigado aTudo que plantares serás obrigado a colher;colher;  O amor cobre a multidão dos pecados.O amor cobre a multidão dos pecados.
  • 19. 1° Corintios 2, 14 e 151° Corintios 2, 14 e 15  O homem natural não aceita as coisasO homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, mas o homem quedo Espírito de Deus, mas o homem que é espiritual discerne bem TUDO, poisé espiritual discerne bem TUDO, pois temos a mente do Cristo.temos a mente do Cristo.  Paulo dizia também : “Já não sou maisPaulo dizia também : “Já não sou mais eu que vivo, mas o Cristo que vive emeu que vivo, mas o Cristo que vive em mim.mim.  ““Não vos conformeis com o Mundo, masNão vos conformeis com o Mundo, mas transformai-vos pela renovação dotransformai-vos pela renovação do vosso entendimento.” ex: parábola dosvosso entendimento.” ex: parábola dos
  • 20. 1°Corintios 3: 21 e 231°Corintios 3: 21 e 23  Ninguém se glorie nos homensNinguém se glorie nos homens sábios, porque TUDO é vosso; sejasábios, porque TUDO é vosso; seja o Mundo, ou a vida, ou a morte;o Mundo, ou a vida, ou a morte; TUDO é vosso e vós de Cristo, eTUDO é vosso e vós de Cristo, e Cristo de Deus.Cristo de Deus.  OBS: nada nos pertence.OBS: nada nos pertence.
  • 21. 1°Corintios 6:121°Corintios 6:12  Tudo me é lícito, mas nem tudo meTudo me é lícito, mas nem tudo me convém. Ensinando assim a combaterconvém. Ensinando assim a combater as imoralidades sexuais, porque quemas imoralidades sexuais, porque quem se une ao Senhor é uno com Ele.se une ao Senhor é uno com Ele.  OBS: Corintios era a cidade mundial daOBS: Corintios era a cidade mundial da prostituição e nesta ele escreveu oprostituição e nesta ele escreveu o poema mais lindo sobre o amor.poema mais lindo sobre o amor.
  • 22. 1°Corintios 9: 22 e 231°Corintios 9: 22 e 23  Fiz-me fraco para os fracos, fiz-Fiz-me fraco para os fracos, fiz- me TUDO para todos e porme TUDO para todos e por todos os meios chegar a salvartodos os meios chegar a salvar alguns.alguns.  Ora, TUDO faço por causa doOra, TUDO faço por causa do Evangelho, para dele tornar-meEvangelho, para dele tornar-me co-participante.co-participante.
  • 23. 1°Corintios 10:311°Corintios 10:31  Fazei TUDOFazei TUDO para apara a Glória deGlória de DeusDeus
  • 24. 1°Corintios 13:71°Corintios 13:7  O amor TUDO sofre;O amor TUDO sofre;  O amor TUDO crê;O amor TUDO crê;  O amor TUDO espera;O amor TUDO espera;  O amor TUDO Suporta.O amor TUDO Suporta. A poda de uma planta traz dor a ela, mas se bem feita, vai fazê- la produzir muito mais e fortalecê-la.
  • 25. 2°Corintios 4:152°Corintios 4:15  Pois TUDO é por amor de vós,Pois TUDO é por amor de vós, para que a graça multiplicadapara que a graça multiplicada por meio de muitos, façapor meio de muitos, faça abundar a ação de graças paraabundar a ação de graças para a glória de Deus.a glória de Deus.  OBS de josé carlos de Lucca- “DeusOBS de josé carlos de Lucca- “Deus não faz nada por nós, mas sim atravésnão faz nada por nós, mas sim através de nós”de nós”
  • 26. Gálatas 6:7Gálatas 6:7  Não vos enganeis; Deus não seNão vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer, pois TUDO odeixa escarnecer, pois TUDO o que o homem semear, issoque o homem semear, isso também ceifará.também ceifará.
  • 27. Filipenses 4: 6 a 8Filipenses 4: 6 a 8  Não andeis ansiosos por coisaNão andeis ansiosos por coisa alguma; antes, em TUDO sejamalguma; antes, em TUDO sejam os vossos pedidos conhecidosos vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração comdiante de Deus pela oração com ações de graças.ações de graças.
  • 28. Continuação de FilipensesContinuação de Filipenses  A Paz de Deus excede todo entendimento,A Paz de Deus excede todo entendimento, guardará os vossos corações e os vossosguardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Jesus. Quanto ao maispensamentos em Jesus. Quanto ao mais irmãos,irmãos,  TUDO o que é verdadeiroTUDO o que é verdadeiro  TUDO o que é honestoTUDO o que é honesto  TUDO o que é justoTUDO o que é justo  TUDO o que é puroTUDO o que é puro  TUDO o que é amávelTUDO o que é amável  TUDO o que é de boa famaTUDO o que é de boa fama  Se há alguma virtude e algum louvor, nissoSe há alguma virtude e algum louvor, nisso Ex: funcionária que não mentiu, Mesmo sendo obrigada pelo patrão.
  • 29. Colossenses 3:23Colossenses 3:23  Tudo quanto fizerdes, fazei-oTudo quanto fizerdes, fazei-o como se fosse para o Senhor ecomo se fosse para o Senhor e não aos homens.não aos homens.  Porque na verdade não estamos aquiPorque na verdade não estamos aqui para fazer nada por nós e sim para opara fazer nada por nós e sim para o Criador, pq. fazendo p/ o Criador se fazCriador, pq. fazendo p/ o Criador se faz p/ o Universo e por você mesmo, porp/ o Universo e por você mesmo, por isso amar a Deus sobre todas asisso amar a Deus sobre todas as
  • 30. 1°Tessalonicenses 5:211°Tessalonicenses 5:21  Ponde TUDO à prova, masPonde TUDO à prova, mas retém o que é bom.retém o que é bom.  OBS:OBS: Não é ter curiosidade com o mal eNão é ter curiosidade com o mal e experimentá-lo, mas sim observar se todos osexperimentá-lo, mas sim observar se todos os espíritos são de Deus.espíritos são de Deus.
  • 31. 2° Timóteo 2: 9 e 102° Timóteo 2: 9 e 10  Fui preso como malfeitor, mas aFui preso como malfeitor, mas a palavra de Deus não estápalavra de Deus não está presa; Por isso, TUDO suportopresa; Por isso, TUDO suporto por amor dos eleitos…por amor dos eleitos…
  • 32. Tito 2:7Tito 2:7  Para que a palavra de Deus nãoPara que a palavra de Deus não seja blasfemada, em TUDO dêseja blasfemada, em TUDO dê o exemplo com boas obras.o exemplo com boas obras.
  • 33.  Se você Espírita temSe você Espírita tem experimentado, na sua vidaexperimentado, na sua vida pessoal naufrágios,pessoal naufrágios, apedrejamentos e golpesapedrejamentos e golpes diversos; não deixe de conhecer adiversos; não deixe de conhecer a vida de Paulo de Tarso, pois nelavida de Paulo de Tarso, pois nela Jesus nos ensinou a sabedoria daJesus nos ensinou a sabedoria da Paz interior e da comunhão dePaz interior e da comunhão de seu amor, mostrando-nos que….seu amor, mostrando-nos que…. TUDO É POSSÍVEL.TUDO É POSSÍVEL.