Design de interação

456 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
456
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Design de interação

  1. 1. Por Fabricio Araújo & Ítala Celly
  2. 2. Mas o que é,exatamente, interação?
  3. 3. “Por interaçãonos referimos aqualquer comunicação entre o usuário e ocomputador, seja direta ou indireta”.DIX, FINLAY, ABOWD e BEALE (1998)
  4. 4. MauDesignBomDesign
  5. 5. O que projetar
  6. 6. • Considerar no que as pessoas são boas ou não• Considerar o que pode auxiliar as pessoas na sua atualmaneira de fazer as coisas• Pensar no que pode proporcionar experiências dequalidade ao usuário• Ouvir o que as pessoas querem e envolvê-las no design• Utilizar técnicas baseadas no usuário “testadas eaprovadas” durante o processo de design
  7. 7. Construir um projeto interativo capazde atender as necessidades de seus usuários éuma missão desafiadora [ROCHA e BARNAUSKAS, 2003]
  8. 8. “Por design de interação, entendemoso seguinte: design de produtos interativos quefornecem suporte às atividades cotidianas daspessoas, seja no lar ou no trabalho.”(PREECE, ROGERS e SHARP, 2005)
  9. 9. Arquitetos x Engenheiros- TerryWinograd
  10. 10. Multidisciplinaridade(PREECE, ROGERS e SHARP, 2005)
  11. 11. Multidisciplinaridade(PREECE, ROGERS e SHARP, 2005)
  12. 12. Design da Interação eNegócios
  13. 13. O PROCESSO DO DESIGN DEINTERAÇÃO1. Identificação das necessidades do produtoavaliado e apresentação de propostas derequisitos para correção do problema.
  14. 14. O PROCESSO DO DESIGN DEINTERAÇÃO2. Desenvolvimento de designs alternativos aopré-existente, capazes de preencher osrequisitos propostos no item anterior.
  15. 15. O PROCESSO DO DESIGN DEINTERAÇÃO3. Construção de versões interativas dosdesigns propostos inicialmente, de maneira aserem analisados posteriormente.
  16. 16. O PROCESSO DO DESIGN DEINTERAÇÃO4. Avaliação do que está sendo construído, nodecorrer do processo de desenvolvimento.
  17. 17. MetasDO DESIGN DE INTERAÇÃO
  18. 18. • Eficácia: Regra geral que busca saber oquanto um sistema é bom ao fazer o que seespera dele, permitindo que o usuárioaprenda, realize seus trabalhos, acesse asinformações que necessita, e realize os demaisserviços que desejar de forma satisfatória.
  19. 19. • Eficiência: Refere-se à maneira de o sistemaauxiliar os usuários no desenvolvimento desuas tarefas, fornecendo suporte a serviçoscomuns, salvando dados a fim de evitar arepetição do fornecimento de dados, emantendo alto nível de produtividade após oaprendizado inicial.
  20. 20. • Segurança: Segundo PREECE, ROGERS ESHARP (2005) “implica proteger o usuário decondições perigosas e situações indesejáveis,referindo-se às condições externas” (como emmaquinas de raios-X ou em indústriasquímicas) e às demais situações em que osistema deve evitar que os usuários realizemações indesejáveis acidentalmente.
  21. 21. • Utilidade: O sistema deve oferecer ao usuárioconjuntos de funções que permitam arealização de tarefas da maneira desejada.
  22. 22. • Learnability (ou capacidade de aprendizagem): Dizrespeito ao quão fácil é aprender a utilizar determinadosistema e quanto tempo o usuário leva para iniciar ouso das tarefas fundamentais e para aprender oconjunto de operações necessárias para realizarconjuntos amplos de tarefas.
  23. 23. • Memorability (ou capacidade dememorização): É a facilidade de lembrar comose utiliza o sistema, após já ter aprendido comofazê-lo, mesmo em casos que o sistema não éutilizado com muita freqüência. Diz respeito aque tipos de suporte de interface são fornecidospara auxiliar os usuários a lembrar como realizartarefas.
  24. 24. Metas DECORRENTES DAExperiência do Usuário
  25. 25. (PREECE, ROGERS e SHARP, 2005)
  26. 26. PRINCÍPIOS DE DESIGN EUSABILIDADE
  27. 27. 1. Visibilidade – quanto mais visíveis forem as funções do sistema, mais osusuários saberão o que fazer.2. Feedback – refere-se ao retorno que o usuário recebe após suas ações,permitindo que ele continue suas atividades.3. Restrições – diz respeito à especificar quais áreas e quais funções o usuáriopode utilizar, desativando opções impossíveis ou, em casos de sites ousoftwares, sombreando botões que não podem ser clicados.4. Mapeamento – diz respeito à relação entre os controles e seus efeitos,geralmente seguindo uma convenção, como no caso dos botões de controle desom.5. Consistência – diz respeito à projeção de interfaces que possuam operaçõescomuns entre si, utilizando elementos semelhantes para a realização de tarefasparecidas.6. Affordance – refere-se ao atributo de um objeto que permite às pessoassaber como utilizá-los, ou seja, significa “dar uma pista” (NORMAN, 1988)
  28. 28. Design Centrado noUsuário
  29. 29. Design with the user,rather than designfor the user... - TerryWinograd
  30. 30. BibliografiaPREECE, Jennifer; ROGERS, Yvone; SHARP, Helen. Design de Interação: Além daInteração homemcomputador. Editora Bookman, São Paulo: 2005.ROCHA, Heloísa Vieira; BARNAUSKAS, Maria Cecília Calani. Design e avaliação deinterfaces humanocomputador. 2000. Disponível em:< http://pan.nied.unicamp.br/download_livro/livro-design-aval.zip>

×