SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 50
Baixar para ler offline
GESTÃO DE SUPRIMENTOS E
LOGÍSTICA
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
GESTÃO E CONTROLE DA QUALIDADE EM MEDICINA LABORATORIAL
PARTE I: Gestão de Estoque
Janaina Mota de Vasconcelos, PhD
MBA Gestão Empresarial -FGV
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
GESTÃO DE ESTOQUE
PROCESSOS
RH
TECNOLOGIA
DA
INFORMAÇÃO
RECURSOS
FÍSICOS
1. PROCESSOS: CONHECIMENTO
PROCESSOS
• CONHECIMENTO dos processos, desde a compra, como vai entrar no
sistema, como acondicionar, recebimento fiscal e físico etc;
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
1. PROCESSOS: CONHECIMENTO
PROCESSOS
• O que é recebimento fiscal e recebimento físico?
GERENCIAMENTO ANTECIPADO DO ESTOQUE
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
Hoje sabemos que a nota fiscal eletrônica não chegou apenas para
evitar a sonegação, ela auxilia na automatização do processo e faz a
informação passar por todos os setores da cadeia sem intervenções
manuais. Outra vantagem muito importante é que permite o
recebimento FISCAL, ou seja, antes do produto chegar sabemos
exatamente se o pedido vai vir completo, se teve alguma alteração,
por exemplo. Dessa forma é possível o GERENCIAMENTO
ANTECIPADO DO ESTOQUE.
1. PROCESSOS: CONHECIMENTO
PROCESSOS
• O que é recebimento fiscal e recebimento físico?
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
 Chegada do material no
destino final.
 O ideal é se preparar
sempre, praticando o
gerenciamento antecipado
do estoque a fim que evitar
surpresas/problemas.
1. PROCESSOS: ENDEREÇAMENTO
PROCESSOS
• ENDEREÇAMENTO, saber QUANTO TEM e ONDE ESTÁ!
VANTAGENS
 Organização
 Rastreabilidade
 Agilidade nos processos e na movimentação
 MAXIMIZAÇÃO DE ESPAÇO!!!!
 ACURACIDADE
Na área de saúde a acuracidade
deve ser de 98 a 99%.
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
“Acuracidade é a conferência de
estoque, onde o estoque físico
existente e quantidade no estoque
lógico (sistema de controle de
mercadorias) deve ser igual.”
AUDITORIAS INTERNAS PARA CHECAR A ACURACIDADE
CONTINUAMENTE
1. PROCESSOS : CADASTRAMENTO
PROCESSOS
• Controle de CÓDIGOS, LOTES, VALIDADE;
INFORMAÇÕES CRÍTICAS!!!!!!
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
Se um produto for cadastrado
errado ele vai permanecer errado
e compromete todo o ensaio.
Deve-se prezar pelo
cadastramento correto e com o
máximo de informação possível,
principalmente as críticas.
1. PROCESSOS : CADASTRAMENTO
PROCESSOS
• Controle de CÓDIGOS, LOTES, VALIDADE;
IMPORTANTE: ELIMINAR TUBOS NAS GAVETAS DOS BOXES DE COLETA!!!! Ficam fora
do controle de estoque e estão ao alcance do cliente/paciente, pode gerar problemas
grandes nos ensaios e perda de credibilidade e percepção de valor na visão dos
clientes. SUGESTÃO DE SOLUÇÃO: Repor todos os dias no início do expediente e
retirar ao final do expediente.
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
PROCESSOS
Microbiologia Bioquímica
Hematologia
Uroanálise
(2 unid)
(4)
(5 unid)
(2)
(5)
(3)
(2)
• Itens por serviço no LABORATÓRIO
1. PROCESSOS : CADASTRAMENTO/
ENDEREÇAMENTO
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
PROCESSOS
Microbiologia Bioquímica
Hematologia
Uroanálise
(2 unid)
(4)
(5 unid)
(2)
(5)
(3)
(2)
• Itens por serviço no LABORATÓRIO
1. PROCESSOS : CADASTRAMENTO/
ENDEREÇAMENTO
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
Neste slide a intenção é
demonstrar que é necessário
conhecer a demanda de cada
item por setor, principalmente
para os itens compartilhados
por mais de um setor.
2. RH
RH
• FOCO EM PESSOAS;
• Definir cargos e tarefas de controle de estoque;
• Estrutura organizacional: QUEM DEVE SER O RESPONSÁVEL PARA CADA
FUNÇÃO DENTRO DOS PROCESSOS (COMPRAS, RECEBIMENTO, CONTROLE)?
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
GESTOR
CADASTRO RECEBIMENTO
CONTROLE
O CONTROLE deve ser de
responsabilidade de todos,
mas podem haver pessoas
encarregadas para fiscalizar
2. RH
RH
• TODAS as pessoas envolvidas são CO-RESPONSÁVEIS.
O RESPONSÁVEL PELO ESTOQUE DEVE TER
O “OLHAR DO DONO”!
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
3. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)
TEC.
INFORMAÇÃO
• AUTOMATIZAÇÃO do estoque é a melhor opção para AUMENTAR e
MANTER acuracidade dentro do intervalo almejado, para saúde 98-99%;
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
Em tempos de crise é difícil aceitar um custo
alto como esse, porém o BENEFÍCIO compensa
e gerará frutos. Comprovação pode ser feita
através de comparações e curva de
crescimento.
3. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)
TEC.
INFORMAÇÃO
• Módulo de uma ERP - ENTERPRISE RESOURCE PLANNING
VANTAGENS:
-Automatização de tarefas manuais;
- Otimização de processos;
- Controle sobre as operações da empresa;
- Disponibilidade imediata de informações
seguras;
- Redução de custos;
- Redução dos riscos da atividade
empresarial;
- Obtenção de informações e resultados
que auxiliem na tomada de decisões e
permitam total visibilidade do
desempenho das áreas da empresa.
DESVANTAGENS:
- Custo alto;
- Tempo de implantação e adaptação de
médio a longo.
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
3. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)
TEC.
INFORMAÇÃO
• SISTEMAS DISPONÍVEIS PARA AQUISIÇÃO
• Módulos de uma ERP - ENTERPRISE RESOURCE PLANNING
• IMS - Inventory Management System
Precisamos buscar alternativas....
Momento econômico atual, corte de
gastos!!!
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
Geralmente os softwares de
gestão da informação em
empresas (ERP) já possuem
um módulo que gerencia
estoque. Pirém é necessário
alimentar o sistema e manter
a organização.
3. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)
TEC.
INFORMAÇÃO
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
Dentre as alternativas sempre consideramos as “boas e velhas” planilhas do
Excel. E, para nossa surpresa estão disponíveis gratuitamente para download
modelos dos mais simples aos mais sofisticados
TEC.
INFORMAÇÃO
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
3. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)
Ainda dentro das alternativas de baixo custo ou até mesmo CUSTO ZERO,
temos disponíveis também gratuitamente, softwares como por exemplo
QUARTZY.
Neste software podemos colocar algumas informações essenciais tais como: Localização
(ENDEREÇAMENTO). quantidade e DATA DE VALIDADE. Outras informações importantes como lote
também podem ser adicionadas. O software envia e-mail para o responsável cadastrado e avisa quais itens
estão próximos da validade e quais estão com quantidade crítica. Também é possível fazer pedido de
cotação, basta adastrar os dados dos fornecedores. São muitas as ferramentas, experimente!
 Relatórios de Estoque;
 Estudo da DEMANDA por ITEM;
 Média de consumo por ITEM/SETOR;
 Índice de Perdas e avarias;
 Perdas por Validade;
 Cálculo da MARGEM DE
SEGURANÇA (estoque mínimo,
estoque máximo, ponto de pedido,
etc.).
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
3. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)
TEC.
INFORMAÇÃO
Vantagens de ter a gestão do estoque
AUTOMATIZADA:
LEMBRE-SE!!!!!
O sistema não faz milagre, não
caminha sozinho!
É PRECISO ALIMENTAR O
SISTEMA!
EVITAR O RETRABALHO E PERDA
DE CONTROLE!!
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
3. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)
TEC.
INFORMAÇÃO
4. RECURSOS FÍSICOS
RECURSOS
FÍSICOS
• Nem sempre espaço pequeno é desculpa para DESORGANIZAÇÃO!
X
ESTA É A REALIDADE DO SEU LABORATÓRIO? VOCÊ PODE MUDAR ISSO!
MAS, É POSSÍVEL !
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
• Otimização do LAYOUT DO ESPAÇO;
• VERTICALIZAÇÃO DO ESTOQUE;
ESTOQUE MÁXIMO: ESTOQUE MÍNIMO + LOTE DO PEDIDO
Não basta pedir, tem que ter espaço para a
quantidade de estoque que se pretende ter.
Deve-se considerar o estoque mínimo que já
está armazenado e somar ao que esta sendo
pedido para verificar disponibilidade de espeço.
4. RECURSOS FÍSICOS
RECURSOS
FÍSICOS
Gestão de estoque
“OS 4 PILARES”
Se for necessário fazer uma compra grande
para garantir preço ou por outros motivos, a
opção é solicitar ENTREGA PARCELADA, que
esteja de acordo com o espaço disponível e
dentro do tempo de espera calculado para
cada item.
UFA! ESTOQUE ORGANIZADO! Fim do trabalho....
ATIVIDADES CONTÍNUAS:
 AUDITORIAS INTERNAS PERIÓDICAS (MANUTENÇÃO E
CONTROLE)
 PLANEJAMENTO (COMPRAS, ESPAÇO, TEMPO)
 RIGOR (OLHAR DO DONO)
 COMPROMISSO DA EQUIPE
Gestão de estoque
PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES DO GESTOR DE ESTOQUE:
• estabelecer cálculos de demanda de serviços;
(CONSIDERANDO SEMPRE % DE CRESCIMENTO ESPERADO)
• criar o sistema de gestão com as variáveis: estoques de segurança, estoque
mínimo e máximo, tempo de espera e pontos de pedidos;
• Buscar o equilíbrio entre DEMANDA e estoque.
(quantidade de matérias que atenda a demanda de seus clientes e ao mesmo
tempo não causem problemas de ordem financeira como ter altos estoques
faltar produtos em momentos importantes do dia a dia).
Gestão de estoque
GESTÃO DE SUPRIMENTOS E
LOGÍSTICA
SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
GESTÃO E CONTROLE DA QUALIDADE EM MEDICINA LABORATORIAL
PARTE II: Gestão de Estoque
Janaina Mota de Vasconcelos, PhD
MBA Gestão Empresarial -FGV
SUMÁRIO
1. INTRODUÇÃO
1.1. INVENTÁRIO
I.2. ESTUDO DE DEMANDA
II. FATORES IMPORTANTES NA GESTÃO DE ESTOQUE
II.1. TEMPO DE ESPERA
II.2. PONTO DE PEDIDO
II.3. ESTOQUE MÁXIMO
III. FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE: CURVA ABC
IV. ATIVIDADE
Formas inteligentes de gerenciar um estoque
Prezados alunos, assim como uma empresa comum, um
laboratório também precisa de um bom gerenciamento em
seu estoque, pois este é um setor que requer muito
para ser funcional em relação à administração e aquisição
produtos.
Nesse caso, muitas ferramentas podem ajudar, como por
exemplo, um bom software, pois é do estoque que se
a perfeita estrutura de qualquer tipo de negócio – inclusive
laboratórios.
Gestão de estoque
I. INTRODUÇÃO
Gestão de estoque
• É no estoque que está grande parte do capital de qualquer empresa;
• Ter um estoque em equilíbrio é ter a possibilidade de liberar recurso da
empresa para futuros investimentos;
.
Perda de
credibilidade
Cliente
insatisfeito
Empresa não fatura,
colaboradores não recebem
ESTOQUE VAZIO
ESTOQUE
CHEIO
DESPERDÍCIO $
NÃO AGREGA VALOR NENHUM À
EMPRESA
I. INTRODUÇÃO
TOYOTA - JUST IN TIME
• O ideal para muitas organização seria a inexistência de estoques, na medida
em que fosse possível atender ao usuário no momento em que ocorressem
as demandas.
Ajuste preciso dos processos nas sequências de
montagem, usando apenas as quantidades
necessárias de cada item, apenas QUANDO
são necessárias.
Gestão de estoque
I. INTRODUÇÃO
Exemplo:
Ou seja, se não satisfaz a
vontade do cliente, não
Na indústria automotiva
funciona.
MAS, na realidade do laboratório clínico a política do Just in time não
é adequada.
O estoque também está relacionado a Gestão de custos da empresa. Para
termos ideia da dimensão, podemos tomar como exemplo o caso do Dono
do HSBC. Ele andava a recolher clipes de escritório por onde andava, e
questionado sobre aquele costume ele disse: “Se em todas as minhas
agências os funcionários desperdiçarem um clipe por dia, com o tempo isso
que parece pequeno pode representar um impacto importante no
orçamento”.
Exemplo:
Gestão de estoque
I. INTRODUÇÃO
O ESTOQUE serve como um amortecedor entre o mercado
SUPRIDOR e o CONSUMIDOR.
E assim é no laboratório, desde as ponteiras aos
kits mais caros, devem ser considerados “dinheiro
vivo”.
• Administração de Estoque em um laboratório de análises clínicas ou é
centralizada ou está mais próxima ao laboratório:
Administração
geral
Laboratório Administrativo
Central de compras Problemas:
Falta de feedback, o que ainda tem?
Problema com lote?
Fornecedor?
O laboratório, nesse caso passa a ser
visto como um só e o controle fica mais
difícil. Corre-se o risco de COMPRAR
itens que estão sobrando no estoque e
deixar FALTAR itens essenciais, por
exemplo.
Caso a administração prefira dessa
forma, é preciso ter uma comunicação
EFICIENTE entre os setores.
Gestão de estoque
I. INTRODUÇÃO
• Administração de Estoque em um laboratório de análises clínicas ou é
centralizada ou está mais próxima ao laboratório:
Administração
geral
Administrativo
Central de compras
Equipe compras -
técnica
Vantagens:
Informação precisa;
Visibilidade da individualidade entre os
setores e suas respectivas demandas;
Controle maior.
Laboratório
Gestão de estoque
I. INTRODUÇÃO
INVENTÁRIO:
• O propósito de realizar um Inventário é fazer o LEVANTAMENTO DE
TODOS OS bens armazenados em determinado local para manter a
compatibilidade entre o que está registrado (estoque lógico) e o que
realmente existe (estoque físico).
POR ONDE COMEÇAR?
Gestão de estoque
I. 1 INVENTÁRIO
INVENTÁRIO:
Inventário geral anual é custoso, cansativo e pode não ser tão eficiente.
É preciso fechar as portas da empresa, isso representa impacto no
faturamento.
INVENTÁRIO GERAL
Gestão de estoque
POR ONDE COMEÇAR?
I. 1 INVENTÁRIO
INVENTÁRIO:
• Esforço da contagem é distribuído ao longo do ano, em dosagens diárias,
SEM NECESSIDADE DE INTERRUPÇÃO das atividades;
• MAIS EFICIENTE e é também um diferencial competitivo pois não é
necessário parar o estabelecimento;
• Custo MENOR e ACURACIDADE MAIOR.
INVENTÁRIO CÍCLICO
Gestão de estoque
POR ONDE COMEÇAR?
I. 1 INVENTÁRIO
PREVISÃO DE DEMANDA
• Esta função é de responsabilidade do gestor de estoque junto com os
demais gestores do laboratório.
Em resumo, PRECISO SABER O QUE EU PRODUZO/CONSUMO MAIS, PARA
ABASTECER MAIS!
Gestão de estoque
POR ONDE COMEÇAR?
I. 1 ESTUDO DE DEMANDA (POR ITEM/ SETOR)
II. 1. TEMPO DE ESPERA (POR ITEM)
Pedido Processamento
Envio
Faturamento e
recebimento
Gestão de estoque
II. FATORES IMPORTANTES NA GESTÃO DE ESTOQUE
Como o nome já diz, é preciso contabilizar com maior exatidão possível o ∆T que
CADA ITEM DO SEU ESTOQUE leva para chegar, desde o pedido até o recebimento.
Para evitar a falta de material devemos conhecer um conceito importante: Estoque
MÍNIMO.
II. 1. TEMPO DE ESPERA (POR ITEM)
ESTOQUE MÍNIMO: venda ou consumo médio x tempo de reposição.
Consumo alto Tempo longo
ESTOQUE MÍNIMO MAIOR
Gestão de estoque
II. FATORES IMPORTANTES NA GESTÃO DE ESTOQUE
Ou seja, é a QUANTIDADE DE ITENS que devemos ter no estoque que
seja suficiente para SUPRIR a demanda até que a nova remessa seja
entregue.
Exemplo 1: Um determinado kit tem consumo alto (demanda alta) e o
fornecedor dá prazo longo para entrega, como muitas vezes acontece
com itens importados. Para esses itens precisamos ter um ESTOQUE
MÍNIMO MAIOR que para outros itens.
Consumo alto Tempo CURTO
ESTOQUE MÍNIMO MENOR
II. 1. TEMPO DE ESPERA (POR ITEM)
ESTOQUE MÍNIMO: venda ou consumo médio x tempo de reposição.
II. FATORES IMPORTANTES NA GESTÃO DE ESTOQUE
Exemplo 2: No caso de um outro reagente ou insumo plástico cujo
consumo seja alto, mas o fornecedor sempre tenha disponível para
pronta entrega
Gestão de estoque
Observem que sempre estamos falando “POR
ITEM” uma vez que pode haver importante
variação entre itens e entre setores.
Determinar um PONTO DE PEDIDO é realizar e programar o pedido para quando
determinado item chegar em uma QUANTIDADE crítica determinada.
Novamente, o ponto de pedido pode ser diferente entre cada item. Tudo vai
depender da demanda de cada um, é um estudo minucioso e individual.
SALDO DE ITENS DISPONÍVEL ABAIXO OU IGUAL AO
NÍVEL ESTIPULADO
II. 2. PONTO DE PEDIDO (POR ITEM)
II. FATORES IMPORTANTES NA GESTÃO DE ESTOQUE
Gestão de estoque
Falamos do tempo de espera que nos fez conhecer o conceito de estoque
mínimo.
Nesse contexto o ESTOQUE MÁXIMO também se encaixa como um fator de
extrema importância.
ESTOQUE MÁXIMO é a quantidade de peças especificadas no pedido de
compra, e que estará sujeita à política de estoque de cada empresa.
II.3. ESTOQUE MÁXIMO (POR ITEM)
ESTOQUE MÁXIMO= ESTOQUE MÍNIMO + LOTE DE COMPRA
(econômico ou não)
II. FATORES IMPORTANTES NA GESTÃO DE ESTOQUE
Gestão de estoque
A política da empresa pode ser ter material sempre “abundância”. Por isso,
o estoque máximo varia entre as empresas. A compra pode ser sempre a
mais econômica possível a fim de evitar desperdícios ou pode não ser
econômica. Muitas vezes, quando o cenário econômico muda quem tem
estoque tem uma vantagem competitiva, pois não foi afetado por aumento
de preço de fornecedor, e, portanto, não repassa para o preço do produto
ou serviço final.
O estoque máximo também pode variar dependendo da CAPACIDADE DE
ARMAZENAGEM DISPONÍVEL, ou seja, ESPAÇO.
Não adianta pedir material se não há espeço disponível para armazenamento
adequado.
II.3. ESTOQUE MÁXIMO (POR ITEM)
II. FATORES IMPORTANTES NA GESTÃO DE ESTOQUE
Gestão de estoque
CURVA ABC
Considera a importância relativa DE CADA ITEM NO ESTOQUE.
(Vilfredo Pareto)
Itens A: alta prioridade, um controle acirrado incluindo registros completos e
preciosos, revisões regulares e frequentes por parte da administração, revisão
frequente das previsões de demanda, seguimento minucioso e agilização do
tempo de entrega;
Itens B: prioridade média, controles normais com bons registros, atenção
regular e processamento normal.
Itens C: prioridade menor, os mais simples controles possíveis devem-se
garantir que os itens sejam suficientes. Nenhum registro ou registro simples ou
um sistema de revisão periódica, fazer pedido em grandes quantidades e
manter um estoque de segurança.
III. FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE
Gestão de estoque
FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE: CURVA ABC
III. FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE
Gestão de estoque
Em suma, os itens que forem
agrupados no grupo A são os que
JAMAIS devem faltar no laboratório.
Podemos incluir nesse nível de
importância os do Grupo B também,
mas respeitando a prioridade dos itens
A.
Os que estão no grupo C
provavelmente estão parados no
estoque devido demanda reduzida ou
outro fator externo. É preciso investigar
para também evitar compra e aumentar
ainda mais o acúmulo destes.
Exemplo:
III. FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE: CURVA ABC
Gestão de estoque
No trabalho de Celso Paraguay, foi
aplicada a CURVA ABC em um
laboratório de análises clínicas que
NÃO CONTROLAVA O ESTOQUE de
forma adequada. Vamos
acompanhar o principal resultado.
Exemplo:
• DOZE itens como itens Classe A, 60,37% dos gastos totais com materiais;
• DEZOITO itens com sendo Classe B, 23,14% dos gastos totais com materiais;
• CINQUENTA E SEIS itens com Classe C, 14,76 % dos gastos totais com materiais.
Gestão de estoque
III. FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE: CURVA ABC
Exemplo:
Gestão de estoque
Vale lembrar que essa não é uma análise ESTÁTICA. Os itens podem
migrar entre as classificações, é dinâmico. Portanto, deve ser feito um
monitoramento contínuo do estoque utilizando esta ferramenta.
III. FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE: CURVA ABC
Por que tudo isso é importante?
PRIMEIRO DE TUDO: CONHECER SUA
EMPRESA/LOCAL DE TRABALHO
• Para saber o que jamais pode faltar no
laboratório (perda na percepção de valor,
perda de faturamento);
• Ter mais de um fornecedor para os CLASSE
• Evitar gastar dinheiro com insumos para
exames de menor demanda.
III FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE: CURVA ABC
Gestão de estoque
ARNOLD JR., Tony. Administração de materiais: uma introdução. São Paulo: Atlas,
1999.
BALLOU, Ronaldh. Gerenciamento da cadeia de suprimentos: planejamento,
organização e logística empresarial. 4.ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.
DIAS, Marco Aurélio P. Administração de materiais. 4.ed. São Paulo: Atlas, 1995.
MARTINS, Petrônio G. Administração de materiais e recursos materiais. São Paulo:
Saraiva, 2002.
POZO, Hamilton. Administração de recursos materiais e patrimoniais. São Paulo:
Atlas, 2002.
IV. REFERÊNCIAS
http://www.fatea.br/seer/index.php/janus/article/viewFile/131/113
IV. ATIVIDADE
Responda as seguintes questões:
1) Qual dos 4 pilares da Gestão de estoque você implantaria primeiro em
seu local de trabalho?
2) Cite as principais ações que você poderia implantar em seu local de
trabalho em curto prazo, no que diz respeito a gestão de estoque e
logística?

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Gestão de estoque em laboratórios: os 4 pilares e ferramentas essenciais

Artigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoquesArtigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoquesAntonio Branco
 
Case gestao de estoque e inventario
Case   gestao de estoque e inventarioCase   gestao de estoque e inventario
Case gestao de estoque e inventarioAna Paula da Silva
 
GESTÃO EM SAÚDE: Valor, Processos e Desperdícios
GESTÃO EM SAÚDE:  Valor, Processos e DesperdíciosGESTÃO EM SAÚDE:  Valor, Processos e Desperdícios
GESTÃO EM SAÚDE: Valor, Processos e DesperdíciosRafael Paim
 
Como otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-Commerce
Como otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-CommerceComo otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-Commerce
Como otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-CommerceJET e-Commerce
 
Como otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-Commerce
Como otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-CommerceComo otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-Commerce
Como otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-CommerceMILLENNIUM NETWORK®
 
Implantação Faturamento em Tempo Real Hospital Memorial
Implantação Faturamento em Tempo Real Hospital MemorialImplantação Faturamento em Tempo Real Hospital Memorial
Implantação Faturamento em Tempo Real Hospital MemorialB&R Consultoria Empresarial
 
A importância de Planejar e Gerir o Fluxo do Pedido de Venda no e-Commerce
A importância de Planejar e Gerir o Fluxo do Pedido de Venda no e-CommerceA importância de Planejar e Gerir o Fluxo do Pedido de Venda no e-Commerce
A importância de Planejar e Gerir o Fluxo do Pedido de Venda no e-CommerceMILLENNIUM NETWORK®
 
digitalizeme sp-20151105_v_final
digitalizeme sp-20151105_v_finaldigitalizeme sp-20151105_v_final
digitalizeme sp-20151105_v_finalSamuel Gonsales
 
A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...
A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...
A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...IFMG e COLTEC
 
Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014
Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014
Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014Gunnebo Brasil
 
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean ManufacturingVicenteTino
 
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean ManufacturingVicenteTino
 
Trabalho izabela individual
Trabalho izabela individualTrabalho izabela individual
Trabalho izabela individualizabela dias
 
Logística Aula 8
Logística Aula 8Logística Aula 8
Logística Aula 8robsonnasc
 
Congresso e-Commerce Brasil - Operações e Gestão - Setembro/2015
Congresso e-Commerce Brasil - Operações e Gestão - Setembro/2015Congresso e-Commerce Brasil - Operações e Gestão - Setembro/2015
Congresso e-Commerce Brasil - Operações e Gestão - Setembro/2015Samuel Gonsales
 
Palestra apresentada na Econofarma SP 2014 pelo consultor convidado Anderson ...
Palestra apresentada na Econofarma SP 2014 pelo consultor convidado Anderson ...Palestra apresentada na Econofarma SP 2014 pelo consultor convidado Anderson ...
Palestra apresentada na Econofarma SP 2014 pelo consultor convidado Anderson ...Gunnebo Brasil
 
PREVISÃO, PROVISÃO E CONTROLE DE MATERIAIS.pptx
PREVISÃO, PROVISÃO E CONTROLE DE MATERIAIS.pptxPREVISÃO, PROVISÃO E CONTROLE DE MATERIAIS.pptx
PREVISÃO, PROVISÃO E CONTROLE DE MATERIAIS.pptxraissaorb
 
Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.
Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.
Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.CompanyWeb
 

Semelhante a Gestão de estoque em laboratórios: os 4 pilares e ferramentas essenciais (20)

Artigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoquesArtigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoques
 
Case gestao de estoque e inventario
Case   gestao de estoque e inventarioCase   gestao de estoque e inventario
Case gestao de estoque e inventario
 
GESTÃO EM SAÚDE: Valor, Processos e Desperdícios
GESTÃO EM SAÚDE:  Valor, Processos e DesperdíciosGESTÃO EM SAÚDE:  Valor, Processos e Desperdícios
GESTÃO EM SAÚDE: Valor, Processos e Desperdícios
 
Como otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-Commerce
Como otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-CommerceComo otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-Commerce
Como otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-Commerce
 
Como otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-Commerce
Como otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-CommerceComo otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-Commerce
Como otimizar o fluxo de pedidos e aumentar seus lucros no e-Commerce
 
Implantação Faturamento em Tempo Real Hospital Memorial
Implantação Faturamento em Tempo Real Hospital MemorialImplantação Faturamento em Tempo Real Hospital Memorial
Implantação Faturamento em Tempo Real Hospital Memorial
 
A importância de Planejar e Gerir o Fluxo do Pedido de Venda no e-Commerce
A importância de Planejar e Gerir o Fluxo do Pedido de Venda no e-CommerceA importância de Planejar e Gerir o Fluxo do Pedido de Venda no e-Commerce
A importância de Planejar e Gerir o Fluxo do Pedido de Venda no e-Commerce
 
digitalizeme sp-20151105_v_final
digitalizeme sp-20151105_v_finaldigitalizeme sp-20151105_v_final
digitalizeme sp-20151105_v_final
 
A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...
A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...
A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...
 
Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014
Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014
Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014
 
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean Manufacturing
 
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean Manufacturing
 
Trabalho izabela individual
Trabalho izabela individualTrabalho izabela individual
Trabalho izabela individual
 
Logística Aula 8
Logística Aula 8Logística Aula 8
Logística Aula 8
 
Tcc geovana pdf
Tcc geovana pdfTcc geovana pdf
Tcc geovana pdf
 
Scm na Saude
Scm na SaudeScm na Saude
Scm na Saude
 
Congresso e-Commerce Brasil - Operações e Gestão - Setembro/2015
Congresso e-Commerce Brasil - Operações e Gestão - Setembro/2015Congresso e-Commerce Brasil - Operações e Gestão - Setembro/2015
Congresso e-Commerce Brasil - Operações e Gestão - Setembro/2015
 
Palestra apresentada na Econofarma SP 2014 pelo consultor convidado Anderson ...
Palestra apresentada na Econofarma SP 2014 pelo consultor convidado Anderson ...Palestra apresentada na Econofarma SP 2014 pelo consultor convidado Anderson ...
Palestra apresentada na Econofarma SP 2014 pelo consultor convidado Anderson ...
 
PREVISÃO, PROVISÃO E CONTROLE DE MATERIAIS.pptx
PREVISÃO, PROVISÃO E CONTROLE DE MATERIAIS.pptxPREVISÃO, PROVISÃO E CONTROLE DE MATERIAIS.pptx
PREVISÃO, PROVISÃO E CONTROLE DE MATERIAIS.pptx
 
Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.
Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.
Gestao Hospitalar | Gestão de Processos e Ativos hospitalares.
 

Mais de andrikazi

apos-ltcat-correia.ppt
apos-ltcat-correia.pptapos-ltcat-correia.ppt
apos-ltcat-correia.pptandrikazi
 
Analise ergonomica.ppt
Analise ergonomica.pptAnalise ergonomica.ppt
Analise ergonomica.pptandrikazi
 
Arvore de Causas.ppt
Arvore de Causas.pptArvore de Causas.ppt
Arvore de Causas.pptandrikazi
 
5S - treinamento.ppt
5S - treinamento.ppt5S - treinamento.ppt
5S - treinamento.pptandrikazi
 
5 S - AUDITORIA.ppt
5 S - AUDITORIA.ppt5 S - AUDITORIA.ppt
5 S - AUDITORIA.pptandrikazi
 
SLIDES NR 10.pptx
SLIDES NR 10.pptxSLIDES NR 10.pptx
SLIDES NR 10.pptxandrikazi
 
Capacitação em Segurança do Trabalho.pptx
Capacitação em Segurança do Trabalho.pptxCapacitação em Segurança do Trabalho.pptx
Capacitação em Segurança do Trabalho.pptxandrikazi
 
7-Sinalização de Segurança.pptx
7-Sinalização de Segurança.pptx7-Sinalização de Segurança.pptx
7-Sinalização de Segurança.pptxandrikazi
 
ESPAÇO CONFINADO 01.ppt
ESPAÇO CONFINADO 01.pptESPAÇO CONFINADO 01.ppt
ESPAÇO CONFINADO 01.pptandrikazi
 
APRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.ppt
APRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.pptAPRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.ppt
APRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.pptandrikazi
 
ANÁLISE DE SEGURANÇA DA TAREFA.ppt
ANÁLISE DE SEGURANÇA DA TAREFA.pptANÁLISE DE SEGURANÇA DA TAREFA.ppt
ANÁLISE DE SEGURANÇA DA TAREFA.pptandrikazi
 
Apresentação EPI.ppt
Apresentação EPI.pptApresentação EPI.ppt
Apresentação EPI.pptandrikazi
 
Apresentação - Cabo de Aço.ppt
Apresentação - Cabo de Aço.pptApresentação - Cabo de Aço.ppt
Apresentação - Cabo de Aço.pptandrikazi
 
Ansiedade Medo e Depressao.ppt
Ansiedade Medo e Depressao.pptAnsiedade Medo e Depressao.ppt
Ansiedade Medo e Depressao.pptandrikazi
 
CAT-Comunicacao-de-Acidente-de-Trabalho.pptx
CAT-Comunicacao-de-Acidente-de-Trabalho.pptxCAT-Comunicacao-de-Acidente-de-Trabalho.pptx
CAT-Comunicacao-de-Acidente-de-Trabalho.pptxandrikazi
 
ACIDENTE COM EMPILHADEIRA.ppt
ACIDENTE COM EMPILHADEIRA.pptACIDENTE COM EMPILHADEIRA.ppt
ACIDENTE COM EMPILHADEIRA.pptandrikazi
 
1aaulacomportamentoorganizacional-mbarh2014-1-140527163655-phpapp02.pptx
1aaulacomportamentoorganizacional-mbarh2014-1-140527163655-phpapp02.pptx1aaulacomportamentoorganizacional-mbarh2014-1-140527163655-phpapp02.pptx
1aaulacomportamentoorganizacional-mbarh2014-1-140527163655-phpapp02.pptxandrikazi
 
Apost. Avaliação Ambiental.ppt
Apost. Avaliação Ambiental.pptApost. Avaliação Ambiental.ppt
Apost. Avaliação Ambiental.pptandrikazi
 

Mais de andrikazi (20)

apos-ltcat-correia.ppt
apos-ltcat-correia.pptapos-ltcat-correia.ppt
apos-ltcat-correia.ppt
 
Analise ergonomica.ppt
Analise ergonomica.pptAnalise ergonomica.ppt
Analise ergonomica.ppt
 
Arvore de Causas.ppt
Arvore de Causas.pptArvore de Causas.ppt
Arvore de Causas.ppt
 
5S - treinamento.ppt
5S - treinamento.ppt5S - treinamento.ppt
5S - treinamento.ppt
 
5 S - AUDITORIA.ppt
5 S - AUDITORIA.ppt5 S - AUDITORIA.ppt
5 S - AUDITORIA.ppt
 
SLIDES NR 10.pptx
SLIDES NR 10.pptxSLIDES NR 10.pptx
SLIDES NR 10.pptx
 
Capacitação em Segurança do Trabalho.pptx
Capacitação em Segurança do Trabalho.pptxCapacitação em Segurança do Trabalho.pptx
Capacitação em Segurança do Trabalho.pptx
 
7-Sinalização de Segurança.pptx
7-Sinalização de Segurança.pptx7-Sinalização de Segurança.pptx
7-Sinalização de Segurança.pptx
 
ESPAÇO CONFINADO 01.ppt
ESPAÇO CONFINADO 01.pptESPAÇO CONFINADO 01.ppt
ESPAÇO CONFINADO 01.ppt
 
APRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.ppt
APRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.pptAPRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.ppt
APRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.ppt
 
ANÁLISE DE SEGURANÇA DA TAREFA.ppt
ANÁLISE DE SEGURANÇA DA TAREFA.pptANÁLISE DE SEGURANÇA DA TAREFA.ppt
ANÁLISE DE SEGURANÇA DA TAREFA.ppt
 
Apresentação EPI.ppt
Apresentação EPI.pptApresentação EPI.ppt
Apresentação EPI.ppt
 
Apresentação - Cabo de Aço.ppt
Apresentação - Cabo de Aço.pptApresentação - Cabo de Aço.ppt
Apresentação - Cabo de Aço.ppt
 
APP.ppt
APP.pptAPP.ppt
APP.ppt
 
Ansiedade Medo e Depressao.ppt
Ansiedade Medo e Depressao.pptAnsiedade Medo e Depressao.ppt
Ansiedade Medo e Depressao.ppt
 
CAT-Comunicacao-de-Acidente-de-Trabalho.pptx
CAT-Comunicacao-de-Acidente-de-Trabalho.pptxCAT-Comunicacao-de-Acidente-de-Trabalho.pptx
CAT-Comunicacao-de-Acidente-de-Trabalho.pptx
 
ACIDENTE COM EMPILHADEIRA.ppt
ACIDENTE COM EMPILHADEIRA.pptACIDENTE COM EMPILHADEIRA.ppt
ACIDENTE COM EMPILHADEIRA.ppt
 
1aaulacomportamentoorganizacional-mbarh2014-1-140527163655-phpapp02.pptx
1aaulacomportamentoorganizacional-mbarh2014-1-140527163655-phpapp02.pptx1aaulacomportamentoorganizacional-mbarh2014-1-140527163655-phpapp02.pptx
1aaulacomportamentoorganizacional-mbarh2014-1-140527163655-phpapp02.pptx
 
CIPA.ppt
CIPA.pptCIPA.ppt
CIPA.ppt
 
Apost. Avaliação Ambiental.ppt
Apost. Avaliação Ambiental.pptApost. Avaliação Ambiental.ppt
Apost. Avaliação Ambiental.ppt
 

Gestão de estoque em laboratórios: os 4 pilares e ferramentas essenciais

  • 1. GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE GESTÃO E CONTROLE DA QUALIDADE EM MEDICINA LABORATORIAL PARTE I: Gestão de Estoque Janaina Mota de Vasconcelos, PhD MBA Gestão Empresarial -FGV
  • 2. Gestão de estoque “OS 4 PILARES” GESTÃO DE ESTOQUE PROCESSOS RH TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO RECURSOS FÍSICOS
  • 3. 1. PROCESSOS: CONHECIMENTO PROCESSOS • CONHECIMENTO dos processos, desde a compra, como vai entrar no sistema, como acondicionar, recebimento fiscal e físico etc; Gestão de estoque “OS 4 PILARES”
  • 4. 1. PROCESSOS: CONHECIMENTO PROCESSOS • O que é recebimento fiscal e recebimento físico? GERENCIAMENTO ANTECIPADO DO ESTOQUE Gestão de estoque “OS 4 PILARES” Hoje sabemos que a nota fiscal eletrônica não chegou apenas para evitar a sonegação, ela auxilia na automatização do processo e faz a informação passar por todos os setores da cadeia sem intervenções manuais. Outra vantagem muito importante é que permite o recebimento FISCAL, ou seja, antes do produto chegar sabemos exatamente se o pedido vai vir completo, se teve alguma alteração, por exemplo. Dessa forma é possível o GERENCIAMENTO ANTECIPADO DO ESTOQUE.
  • 5. 1. PROCESSOS: CONHECIMENTO PROCESSOS • O que é recebimento fiscal e recebimento físico? Gestão de estoque “OS 4 PILARES”  Chegada do material no destino final.  O ideal é se preparar sempre, praticando o gerenciamento antecipado do estoque a fim que evitar surpresas/problemas.
  • 6. 1. PROCESSOS: ENDEREÇAMENTO PROCESSOS • ENDEREÇAMENTO, saber QUANTO TEM e ONDE ESTÁ! VANTAGENS  Organização  Rastreabilidade  Agilidade nos processos e na movimentação  MAXIMIZAÇÃO DE ESPAÇO!!!!  ACURACIDADE Na área de saúde a acuracidade deve ser de 98 a 99%. Gestão de estoque “OS 4 PILARES” “Acuracidade é a conferência de estoque, onde o estoque físico existente e quantidade no estoque lógico (sistema de controle de mercadorias) deve ser igual.” AUDITORIAS INTERNAS PARA CHECAR A ACURACIDADE CONTINUAMENTE
  • 7. 1. PROCESSOS : CADASTRAMENTO PROCESSOS • Controle de CÓDIGOS, LOTES, VALIDADE; INFORMAÇÕES CRÍTICAS!!!!!! Gestão de estoque “OS 4 PILARES” Se um produto for cadastrado errado ele vai permanecer errado e compromete todo o ensaio. Deve-se prezar pelo cadastramento correto e com o máximo de informação possível, principalmente as críticas.
  • 8. 1. PROCESSOS : CADASTRAMENTO PROCESSOS • Controle de CÓDIGOS, LOTES, VALIDADE; IMPORTANTE: ELIMINAR TUBOS NAS GAVETAS DOS BOXES DE COLETA!!!! Ficam fora do controle de estoque e estão ao alcance do cliente/paciente, pode gerar problemas grandes nos ensaios e perda de credibilidade e percepção de valor na visão dos clientes. SUGESTÃO DE SOLUÇÃO: Repor todos os dias no início do expediente e retirar ao final do expediente. Gestão de estoque “OS 4 PILARES”
  • 9. PROCESSOS Microbiologia Bioquímica Hematologia Uroanálise (2 unid) (4) (5 unid) (2) (5) (3) (2) • Itens por serviço no LABORATÓRIO 1. PROCESSOS : CADASTRAMENTO/ ENDEREÇAMENTO Gestão de estoque “OS 4 PILARES”
  • 10. PROCESSOS Microbiologia Bioquímica Hematologia Uroanálise (2 unid) (4) (5 unid) (2) (5) (3) (2) • Itens por serviço no LABORATÓRIO 1. PROCESSOS : CADASTRAMENTO/ ENDEREÇAMENTO Gestão de estoque “OS 4 PILARES” Neste slide a intenção é demonstrar que é necessário conhecer a demanda de cada item por setor, principalmente para os itens compartilhados por mais de um setor.
  • 11. 2. RH RH • FOCO EM PESSOAS; • Definir cargos e tarefas de controle de estoque; • Estrutura organizacional: QUEM DEVE SER O RESPONSÁVEL PARA CADA FUNÇÃO DENTRO DOS PROCESSOS (COMPRAS, RECEBIMENTO, CONTROLE)? Gestão de estoque “OS 4 PILARES” GESTOR CADASTRO RECEBIMENTO CONTROLE O CONTROLE deve ser de responsabilidade de todos, mas podem haver pessoas encarregadas para fiscalizar
  • 12. 2. RH RH • TODAS as pessoas envolvidas são CO-RESPONSÁVEIS. O RESPONSÁVEL PELO ESTOQUE DEVE TER O “OLHAR DO DONO”! Gestão de estoque “OS 4 PILARES”
  • 13. 3. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) TEC. INFORMAÇÃO • AUTOMATIZAÇÃO do estoque é a melhor opção para AUMENTAR e MANTER acuracidade dentro do intervalo almejado, para saúde 98-99%; Gestão de estoque “OS 4 PILARES” Em tempos de crise é difícil aceitar um custo alto como esse, porém o BENEFÍCIO compensa e gerará frutos. Comprovação pode ser feita através de comparações e curva de crescimento.
  • 14. 3. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) TEC. INFORMAÇÃO • Módulo de uma ERP - ENTERPRISE RESOURCE PLANNING VANTAGENS: -Automatização de tarefas manuais; - Otimização de processos; - Controle sobre as operações da empresa; - Disponibilidade imediata de informações seguras; - Redução de custos; - Redução dos riscos da atividade empresarial; - Obtenção de informações e resultados que auxiliem na tomada de decisões e permitam total visibilidade do desempenho das áreas da empresa. DESVANTAGENS: - Custo alto; - Tempo de implantação e adaptação de médio a longo. Gestão de estoque “OS 4 PILARES”
  • 15. 3. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) TEC. INFORMAÇÃO • SISTEMAS DISPONÍVEIS PARA AQUISIÇÃO • Módulos de uma ERP - ENTERPRISE RESOURCE PLANNING • IMS - Inventory Management System Precisamos buscar alternativas.... Momento econômico atual, corte de gastos!!! Gestão de estoque “OS 4 PILARES” Geralmente os softwares de gestão da informação em empresas (ERP) já possuem um módulo que gerencia estoque. Pirém é necessário alimentar o sistema e manter a organização.
  • 16. 3. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) TEC. INFORMAÇÃO Gestão de estoque “OS 4 PILARES” Dentre as alternativas sempre consideramos as “boas e velhas” planilhas do Excel. E, para nossa surpresa estão disponíveis gratuitamente para download modelos dos mais simples aos mais sofisticados
  • 17. TEC. INFORMAÇÃO Gestão de estoque “OS 4 PILARES” 3. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Ainda dentro das alternativas de baixo custo ou até mesmo CUSTO ZERO, temos disponíveis também gratuitamente, softwares como por exemplo QUARTZY.
  • 18. Neste software podemos colocar algumas informações essenciais tais como: Localização (ENDEREÇAMENTO). quantidade e DATA DE VALIDADE. Outras informações importantes como lote também podem ser adicionadas. O software envia e-mail para o responsável cadastrado e avisa quais itens estão próximos da validade e quais estão com quantidade crítica. Também é possível fazer pedido de cotação, basta adastrar os dados dos fornecedores. São muitas as ferramentas, experimente!
  • 19.  Relatórios de Estoque;  Estudo da DEMANDA por ITEM;  Média de consumo por ITEM/SETOR;  Índice de Perdas e avarias;  Perdas por Validade;  Cálculo da MARGEM DE SEGURANÇA (estoque mínimo, estoque máximo, ponto de pedido, etc.). Gestão de estoque “OS 4 PILARES” 3. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) TEC. INFORMAÇÃO Vantagens de ter a gestão do estoque AUTOMATIZADA:
  • 20. LEMBRE-SE!!!!! O sistema não faz milagre, não caminha sozinho! É PRECISO ALIMENTAR O SISTEMA! EVITAR O RETRABALHO E PERDA DE CONTROLE!! Gestão de estoque “OS 4 PILARES” 3. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) TEC. INFORMAÇÃO
  • 21. 4. RECURSOS FÍSICOS RECURSOS FÍSICOS • Nem sempre espaço pequeno é desculpa para DESORGANIZAÇÃO! X ESTA É A REALIDADE DO SEU LABORATÓRIO? VOCÊ PODE MUDAR ISSO! MAS, É POSSÍVEL ! Gestão de estoque “OS 4 PILARES”
  • 22. • Otimização do LAYOUT DO ESPAÇO; • VERTICALIZAÇÃO DO ESTOQUE; ESTOQUE MÁXIMO: ESTOQUE MÍNIMO + LOTE DO PEDIDO Não basta pedir, tem que ter espaço para a quantidade de estoque que se pretende ter. Deve-se considerar o estoque mínimo que já está armazenado e somar ao que esta sendo pedido para verificar disponibilidade de espeço. 4. RECURSOS FÍSICOS RECURSOS FÍSICOS Gestão de estoque “OS 4 PILARES” Se for necessário fazer uma compra grande para garantir preço ou por outros motivos, a opção é solicitar ENTREGA PARCELADA, que esteja de acordo com o espaço disponível e dentro do tempo de espera calculado para cada item.
  • 23. UFA! ESTOQUE ORGANIZADO! Fim do trabalho.... ATIVIDADES CONTÍNUAS:  AUDITORIAS INTERNAS PERIÓDICAS (MANUTENÇÃO E CONTROLE)  PLANEJAMENTO (COMPRAS, ESPAÇO, TEMPO)  RIGOR (OLHAR DO DONO)  COMPROMISSO DA EQUIPE Gestão de estoque
  • 24. PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES DO GESTOR DE ESTOQUE: • estabelecer cálculos de demanda de serviços; (CONSIDERANDO SEMPRE % DE CRESCIMENTO ESPERADO) • criar o sistema de gestão com as variáveis: estoques de segurança, estoque mínimo e máximo, tempo de espera e pontos de pedidos; • Buscar o equilíbrio entre DEMANDA e estoque. (quantidade de matérias que atenda a demanda de seus clientes e ao mesmo tempo não causem problemas de ordem financeira como ter altos estoques faltar produtos em momentos importantes do dia a dia). Gestão de estoque
  • 25. GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE GESTÃO E CONTROLE DA QUALIDADE EM MEDICINA LABORATORIAL PARTE II: Gestão de Estoque Janaina Mota de Vasconcelos, PhD MBA Gestão Empresarial -FGV
  • 26. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 1.1. INVENTÁRIO I.2. ESTUDO DE DEMANDA II. FATORES IMPORTANTES NA GESTÃO DE ESTOQUE II.1. TEMPO DE ESPERA II.2. PONTO DE PEDIDO II.3. ESTOQUE MÁXIMO III. FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE: CURVA ABC IV. ATIVIDADE
  • 27. Formas inteligentes de gerenciar um estoque Prezados alunos, assim como uma empresa comum, um laboratório também precisa de um bom gerenciamento em seu estoque, pois este é um setor que requer muito para ser funcional em relação à administração e aquisição produtos. Nesse caso, muitas ferramentas podem ajudar, como por exemplo, um bom software, pois é do estoque que se a perfeita estrutura de qualquer tipo de negócio – inclusive laboratórios. Gestão de estoque I. INTRODUÇÃO
  • 28. Gestão de estoque • É no estoque que está grande parte do capital de qualquer empresa; • Ter um estoque em equilíbrio é ter a possibilidade de liberar recurso da empresa para futuros investimentos; . Perda de credibilidade Cliente insatisfeito Empresa não fatura, colaboradores não recebem ESTOQUE VAZIO ESTOQUE CHEIO DESPERDÍCIO $ NÃO AGREGA VALOR NENHUM À EMPRESA I. INTRODUÇÃO
  • 29. TOYOTA - JUST IN TIME • O ideal para muitas organização seria a inexistência de estoques, na medida em que fosse possível atender ao usuário no momento em que ocorressem as demandas. Ajuste preciso dos processos nas sequências de montagem, usando apenas as quantidades necessárias de cada item, apenas QUANDO são necessárias. Gestão de estoque I. INTRODUÇÃO Exemplo: Ou seja, se não satisfaz a vontade do cliente, não Na indústria automotiva funciona.
  • 30. MAS, na realidade do laboratório clínico a política do Just in time não é adequada. O estoque também está relacionado a Gestão de custos da empresa. Para termos ideia da dimensão, podemos tomar como exemplo o caso do Dono do HSBC. Ele andava a recolher clipes de escritório por onde andava, e questionado sobre aquele costume ele disse: “Se em todas as minhas agências os funcionários desperdiçarem um clipe por dia, com o tempo isso que parece pequeno pode representar um impacto importante no orçamento”. Exemplo: Gestão de estoque I. INTRODUÇÃO O ESTOQUE serve como um amortecedor entre o mercado SUPRIDOR e o CONSUMIDOR. E assim é no laboratório, desde as ponteiras aos kits mais caros, devem ser considerados “dinheiro vivo”.
  • 31. • Administração de Estoque em um laboratório de análises clínicas ou é centralizada ou está mais próxima ao laboratório: Administração geral Laboratório Administrativo Central de compras Problemas: Falta de feedback, o que ainda tem? Problema com lote? Fornecedor? O laboratório, nesse caso passa a ser visto como um só e o controle fica mais difícil. Corre-se o risco de COMPRAR itens que estão sobrando no estoque e deixar FALTAR itens essenciais, por exemplo. Caso a administração prefira dessa forma, é preciso ter uma comunicação EFICIENTE entre os setores. Gestão de estoque I. INTRODUÇÃO
  • 32. • Administração de Estoque em um laboratório de análises clínicas ou é centralizada ou está mais próxima ao laboratório: Administração geral Administrativo Central de compras Equipe compras - técnica Vantagens: Informação precisa; Visibilidade da individualidade entre os setores e suas respectivas demandas; Controle maior. Laboratório Gestão de estoque I. INTRODUÇÃO
  • 33. INVENTÁRIO: • O propósito de realizar um Inventário é fazer o LEVANTAMENTO DE TODOS OS bens armazenados em determinado local para manter a compatibilidade entre o que está registrado (estoque lógico) e o que realmente existe (estoque físico). POR ONDE COMEÇAR? Gestão de estoque I. 1 INVENTÁRIO
  • 34. INVENTÁRIO: Inventário geral anual é custoso, cansativo e pode não ser tão eficiente. É preciso fechar as portas da empresa, isso representa impacto no faturamento. INVENTÁRIO GERAL Gestão de estoque POR ONDE COMEÇAR? I. 1 INVENTÁRIO
  • 35. INVENTÁRIO: • Esforço da contagem é distribuído ao longo do ano, em dosagens diárias, SEM NECESSIDADE DE INTERRUPÇÃO das atividades; • MAIS EFICIENTE e é também um diferencial competitivo pois não é necessário parar o estabelecimento; • Custo MENOR e ACURACIDADE MAIOR. INVENTÁRIO CÍCLICO Gestão de estoque POR ONDE COMEÇAR? I. 1 INVENTÁRIO
  • 36. PREVISÃO DE DEMANDA • Esta função é de responsabilidade do gestor de estoque junto com os demais gestores do laboratório. Em resumo, PRECISO SABER O QUE EU PRODUZO/CONSUMO MAIS, PARA ABASTECER MAIS! Gestão de estoque POR ONDE COMEÇAR? I. 1 ESTUDO DE DEMANDA (POR ITEM/ SETOR)
  • 37. II. 1. TEMPO DE ESPERA (POR ITEM) Pedido Processamento Envio Faturamento e recebimento Gestão de estoque II. FATORES IMPORTANTES NA GESTÃO DE ESTOQUE Como o nome já diz, é preciso contabilizar com maior exatidão possível o ∆T que CADA ITEM DO SEU ESTOQUE leva para chegar, desde o pedido até o recebimento. Para evitar a falta de material devemos conhecer um conceito importante: Estoque MÍNIMO.
  • 38. II. 1. TEMPO DE ESPERA (POR ITEM) ESTOQUE MÍNIMO: venda ou consumo médio x tempo de reposição. Consumo alto Tempo longo ESTOQUE MÍNIMO MAIOR Gestão de estoque II. FATORES IMPORTANTES NA GESTÃO DE ESTOQUE Ou seja, é a QUANTIDADE DE ITENS que devemos ter no estoque que seja suficiente para SUPRIR a demanda até que a nova remessa seja entregue. Exemplo 1: Um determinado kit tem consumo alto (demanda alta) e o fornecedor dá prazo longo para entrega, como muitas vezes acontece com itens importados. Para esses itens precisamos ter um ESTOQUE MÍNIMO MAIOR que para outros itens.
  • 39. Consumo alto Tempo CURTO ESTOQUE MÍNIMO MENOR II. 1. TEMPO DE ESPERA (POR ITEM) ESTOQUE MÍNIMO: venda ou consumo médio x tempo de reposição. II. FATORES IMPORTANTES NA GESTÃO DE ESTOQUE Exemplo 2: No caso de um outro reagente ou insumo plástico cujo consumo seja alto, mas o fornecedor sempre tenha disponível para pronta entrega Gestão de estoque Observem que sempre estamos falando “POR ITEM” uma vez que pode haver importante variação entre itens e entre setores.
  • 40. Determinar um PONTO DE PEDIDO é realizar e programar o pedido para quando determinado item chegar em uma QUANTIDADE crítica determinada. Novamente, o ponto de pedido pode ser diferente entre cada item. Tudo vai depender da demanda de cada um, é um estudo minucioso e individual. SALDO DE ITENS DISPONÍVEL ABAIXO OU IGUAL AO NÍVEL ESTIPULADO II. 2. PONTO DE PEDIDO (POR ITEM) II. FATORES IMPORTANTES NA GESTÃO DE ESTOQUE Gestão de estoque
  • 41. Falamos do tempo de espera que nos fez conhecer o conceito de estoque mínimo. Nesse contexto o ESTOQUE MÁXIMO também se encaixa como um fator de extrema importância. ESTOQUE MÁXIMO é a quantidade de peças especificadas no pedido de compra, e que estará sujeita à política de estoque de cada empresa. II.3. ESTOQUE MÁXIMO (POR ITEM) ESTOQUE MÁXIMO= ESTOQUE MÍNIMO + LOTE DE COMPRA (econômico ou não) II. FATORES IMPORTANTES NA GESTÃO DE ESTOQUE Gestão de estoque A política da empresa pode ser ter material sempre “abundância”. Por isso, o estoque máximo varia entre as empresas. A compra pode ser sempre a mais econômica possível a fim de evitar desperdícios ou pode não ser econômica. Muitas vezes, quando o cenário econômico muda quem tem estoque tem uma vantagem competitiva, pois não foi afetado por aumento de preço de fornecedor, e, portanto, não repassa para o preço do produto ou serviço final.
  • 42. O estoque máximo também pode variar dependendo da CAPACIDADE DE ARMAZENAGEM DISPONÍVEL, ou seja, ESPAÇO. Não adianta pedir material se não há espeço disponível para armazenamento adequado. II.3. ESTOQUE MÁXIMO (POR ITEM) II. FATORES IMPORTANTES NA GESTÃO DE ESTOQUE Gestão de estoque
  • 43. CURVA ABC Considera a importância relativa DE CADA ITEM NO ESTOQUE. (Vilfredo Pareto) Itens A: alta prioridade, um controle acirrado incluindo registros completos e preciosos, revisões regulares e frequentes por parte da administração, revisão frequente das previsões de demanda, seguimento minucioso e agilização do tempo de entrega; Itens B: prioridade média, controles normais com bons registros, atenção regular e processamento normal. Itens C: prioridade menor, os mais simples controles possíveis devem-se garantir que os itens sejam suficientes. Nenhum registro ou registro simples ou um sistema de revisão periódica, fazer pedido em grandes quantidades e manter um estoque de segurança. III. FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE Gestão de estoque
  • 44. FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE: CURVA ABC III. FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE Gestão de estoque Em suma, os itens que forem agrupados no grupo A são os que JAMAIS devem faltar no laboratório. Podemos incluir nesse nível de importância os do Grupo B também, mas respeitando a prioridade dos itens A. Os que estão no grupo C provavelmente estão parados no estoque devido demanda reduzida ou outro fator externo. É preciso investigar para também evitar compra e aumentar ainda mais o acúmulo destes.
  • 45. Exemplo: III. FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE: CURVA ABC Gestão de estoque No trabalho de Celso Paraguay, foi aplicada a CURVA ABC em um laboratório de análises clínicas que NÃO CONTROLAVA O ESTOQUE de forma adequada. Vamos acompanhar o principal resultado.
  • 46. Exemplo: • DOZE itens como itens Classe A, 60,37% dos gastos totais com materiais; • DEZOITO itens com sendo Classe B, 23,14% dos gastos totais com materiais; • CINQUENTA E SEIS itens com Classe C, 14,76 % dos gastos totais com materiais. Gestão de estoque III. FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE: CURVA ABC
  • 47. Exemplo: Gestão de estoque Vale lembrar que essa não é uma análise ESTÁTICA. Os itens podem migrar entre as classificações, é dinâmico. Portanto, deve ser feito um monitoramento contínuo do estoque utilizando esta ferramenta. III. FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE: CURVA ABC
  • 48. Por que tudo isso é importante? PRIMEIRO DE TUDO: CONHECER SUA EMPRESA/LOCAL DE TRABALHO • Para saber o que jamais pode faltar no laboratório (perda na percepção de valor, perda de faturamento); • Ter mais de um fornecedor para os CLASSE • Evitar gastar dinheiro com insumos para exames de menor demanda. III FERRAMENTA DE CONTROLE DE ESTOQUE: CURVA ABC Gestão de estoque
  • 49. ARNOLD JR., Tony. Administração de materiais: uma introdução. São Paulo: Atlas, 1999. BALLOU, Ronaldh. Gerenciamento da cadeia de suprimentos: planejamento, organização e logística empresarial. 4.ed. Porto Alegre: Bookman, 2001. DIAS, Marco Aurélio P. Administração de materiais. 4.ed. São Paulo: Atlas, 1995. MARTINS, Petrônio G. Administração de materiais e recursos materiais. São Paulo: Saraiva, 2002. POZO, Hamilton. Administração de recursos materiais e patrimoniais. São Paulo: Atlas, 2002. IV. REFERÊNCIAS http://www.fatea.br/seer/index.php/janus/article/viewFile/131/113
  • 50. IV. ATIVIDADE Responda as seguintes questões: 1) Qual dos 4 pilares da Gestão de estoque você implantaria primeiro em seu local de trabalho? 2) Cite as principais ações que você poderia implantar em seu local de trabalho em curto prazo, no que diz respeito a gestão de estoque e logística?

Notas do Editor

  1. Não é so receber o material, tem que identificar a melhor forma de acondicionar o material. Ficar atento aos rótulos de inlamavel etc NÃO ACONDICIONAR REAGENTES INFLAMÁVEIS PRÓXIMO A FONTES DE CALOR NADA NO CHÃO
  2. Antigamente nós só tínhamos a confirmação do que compramos no momento do recebimento,não basta so pedir, tem que saber se vai chegar tudo, se vai faltar algum item, ou quantidade foi alterada; Hoje NFE não veio apenas pra resolver a questão da sonegação de impostos, mas também pra possibilitar que toda a cadeia receba de forma automática as informações e não de forma manual. Ou seja, antes do recebimento físico podemos ter o recebimento fiscal e assim saber exatamente o que vamos receber e nos preparar pra isso Recebimento fiscal torna possível saber Se nosso pedido vira na totalidade ou não, se ele não vier tenho que ter tempo pra providenciar. Ou equipamento reserva ou empréstimo de reagentes. Não podemos ficar parados
  3. Antigamente nós só tínhamos a confirmação do que compramos no momento do recebimento,não basta so pedir, tem que saber se vai chegar tudo, se vai faltar algum item, ou quantidade foi alterada; Hoje NFE não veio apenas pra resolver a questão da sonegação de impostos, mas também pra possibilitar que toda a cadeia receba de forma automática as informações e não de forma manual. Ou seja, antes do recebimento físico podemos ter o recebimento fiscal e assim saber exatamente o que vamos receber e nos preparar pra isso Recebimento fiscal torna possível saber Se nosso pedido vira na totalidade ou não, se ele não vier tenho que ter tempo pra providenciar. Ou equipamento reserva ou empréstimo de reagentes. Não podemos ficar parados
  4. Rastreabilidade – facilita a identificação de possíveis erros Agilidade: maior dinâmica Maximização do espaço: verticalização do estoque e redução dos custos de estocagem Na medida do possível, sabemos que na maioria das vezes não temos esse espaço disponível nos laboratorios
  5. Entrou errado, vai ficar errado e sairá errado... Compromete resultado final e o estoque por completo SÃO ALGUNS DOS QUESITOS MAIS IMPORTANTES NO LABORATORIO
  6. Entrou errado, vai ficar errado e sairá errado... Compromete resultado final e o estoque por completo SÃO ALGUNS DOS QUESITOS MAIS IMPORTANTES NO LABORATORIO
  7. Rastreabilidade – facilita a identificação de possíveis erros Agilidade: maior dinâmica Maximização do espaço: verticalização do estoque e redução dos custos de estocagem Na medida do possível, sabemos que na maioria das vezes não temos esse espaço disponível nos laboratorios
  8. Rastreabilidade – facilita a identificação de possíveis erros Agilidade: maior dinâmica Maximização do espaço: verticalização do estoque e redução dos custos de estocagem Na medida do possível, sabemos que na maioria das vezes não temos esse espaço disponível nos laboratorios
  9. ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.  O Objetivo de um Sistema ERP é centralizar as informações e gerir o seu fluxo durante todo processo de desenvolvimento da atividade empresarial, integrando os setores da organização e possibilitando aos gestores acesso ágil, eficiente e confiável às informações gerenciais, dando suporte à tomada de decisões em todos os níveis do negócio.  Construídos sobre um banco de dados centralizado, os sistemas ERP consolidam todas as operações de uma empresa em um único sistema, que pode residir em um servidor centralizado, ser distribuído em unidades de hardware autônomas em rede local ou ser hospedado remotamente via web.  Os sistemas ERP abrangem cada passo da operação, desde as compras, provisões, planejamento, manufatura, formação de preços, contas a pagar e receber, processos contábeis, controle de estoque, administração de contratos, venda de serviços e todos os níveis de comércio varejista ou atacado, passando pela gestão eficaz dos relacionamentos com clientes e fornecedores, pós-venda, análise de resultados e muitos outros fatores personalizados, altamente adaptáveis a qualquer empresa, em qualquer ramo de negócios.  O uso de um Sistema ERP em uma empresa dá a seus gestores o controle total sobre a empresa, auxiliando na tomada de decisões e fornecendo todas as informações vitais de maneira acessível e clara. 
  10. ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.  O Objetivo de um Sistema ERP é centralizar as informações e gerir o seu fluxo durante todo processo de desenvolvimento da atividade empresarial, integrando os setores da organização e possibilitando aos gestores acesso ágil, eficiente e confiável às informações gerenciais, dando suporte à tomada de decisões em todos os níveis do negócio.  Construídos sobre um banco de dados centralizado, os sistemas ERP consolidam todas as operações de uma empresa em um único sistema, que pode residir em um servidor centralizado, ser distribuído em unidades de hardware autônomas em rede local ou ser hospedado remotamente via web.  An Inventory Management System is primarily a system for managing quantities and locations (bins) and their relationships to each other. Additional functionality could include the management of the transportation systems. An Inventory Management System can also be viewed as a stock management system. Os sistemas ERP abrangem cada passo da operação, desde as compras, provisões, planejamento, manufatura, formação de preços, contas a pagar e receber, processos contábeis, controle de estoque, administração de contratos, venda de serviços e todos os níveis de comércio varejista ou atacado, passando pela gestão eficaz dos relacionamentos com clientes e fornecedores, pós-venda, análise de resultados e muitos outros fatores personalizados, altamente adaptáveis a qualquer empresa, em qualquer ramo de negócios.  O uso de um Sistema ERP em uma empresa dá a seus gestores o controle total sobre a empresa, auxiliando na tomada de decisões e fornecendo todas as informações vitais de maneira acessível e clara. 
  11. ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.  O Objetivo de um Sistema ERP é centralizar as informações e gerir o seu fluxo durante todo processo de desenvolvimento da atividade empresarial, integrando os setores da organização e possibilitando aos gestores acesso ágil, eficiente e confiável às informações gerenciais, dando suporte à tomada de decisões em todos os níveis do negócio.  Construídos sobre um banco de dados centralizado, os sistemas ERP consolidam todas as operações de uma empresa em um único sistema, que pode residir em um servidor centralizado, ser distribuído em unidades de hardware autônomas em rede local ou ser hospedado remotamente via web.  An Inventory Management System is primarily a system for managing quantities and locations (bins) and their relationships to each other. Additional functionality could include the management of the transportation systems. An Inventory Management System can also be viewed as a stock management system. Os sistemas ERP abrangem cada passo da operação, desde as compras, provisões, planejamento, manufatura, formação de preços, contas a pagar e receber, processos contábeis, controle de estoque, administração de contratos, venda de serviços e todos os níveis de comércio varejista ou atacado, passando pela gestão eficaz dos relacionamentos com clientes e fornecedores, pós-venda, análise de resultados e muitos outros fatores personalizados, altamente adaptáveis a qualquer empresa, em qualquer ramo de negócios.  O uso de um Sistema ERP em uma empresa dá a seus gestores o controle total sobre a empresa, auxiliando na tomada de decisões e fornecendo todas as informações vitais de maneira acessível e clara. 
  12. ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.  O Objetivo de um Sistema ERP é centralizar as informações e gerir o seu fluxo durante todo processo de desenvolvimento da atividade empresarial, integrando os setores da organização e possibilitando aos gestores acesso ágil, eficiente e confiável às informações gerenciais, dando suporte à tomada de decisões em todos os níveis do negócio.  Construídos sobre um banco de dados centralizado, os sistemas ERP consolidam todas as operações de uma empresa em um único sistema, que pode residir em um servidor centralizado, ser distribuído em unidades de hardware autônomas em rede local ou ser hospedado remotamente via web.  An Inventory Management System is primarily a system for managing quantities and locations (bins) and their relationships to each other. Additional functionality could include the management of the transportation systems. An Inventory Management System can also be viewed as a stock management system. Os sistemas ERP abrangem cada passo da operação, desde as compras, provisões, planejamento, manufatura, formação de preços, contas a pagar e receber, processos contábeis, controle de estoque, administração de contratos, venda de serviços e todos os níveis de comércio varejista ou atacado, passando pela gestão eficaz dos relacionamentos com clientes e fornecedores, pós-venda, análise de resultados e muitos outros fatores personalizados, altamente adaptáveis a qualquer empresa, em qualquer ramo de negócios.  O uso de um Sistema ERP em uma empresa dá a seus gestores o controle total sobre a empresa, auxiliando na tomada de decisões e fornecendo todas as informações vitais de maneira acessível e clara. 
  13. ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.  O Objetivo de um Sistema ERP é centralizar as informações e gerir o seu fluxo durante todo processo de desenvolvimento da atividade empresarial, integrando os setores da organização e possibilitando aos gestores acesso ágil, eficiente e confiável às informações gerenciais, dando suporte à tomada de decisões em todos os níveis do negócio.  Construídos sobre um banco de dados centralizado, os sistemas ERP consolidam todas as operações de uma empresa em um único sistema, que pode residir em um servidor centralizado, ser distribuído em unidades de hardware autônomas em rede local ou ser hospedado remotamente via web.  An Inventory Management System is primarily a system for managing quantities and locations (bins) and their relationships to each other. Additional functionality could include the management of the transportation systems. An Inventory Management System can also be viewed as a stock management system. Os sistemas ERP abrangem cada passo da operação, desde as compras, provisões, planejamento, manufatura, formação de preços, contas a pagar e receber, processos contábeis, controle de estoque, administração de contratos, venda de serviços e todos os níveis de comércio varejista ou atacado, passando pela gestão eficaz dos relacionamentos com clientes e fornecedores, pós-venda, análise de resultados e muitos outros fatores personalizados, altamente adaptáveis a qualquer empresa, em qualquer ramo de negócios.  O uso de um Sistema ERP em uma empresa dá a seus gestores o controle total sobre a empresa, auxiliando na tomada de decisões e fornecendo todas as informações vitais de maneira acessível e clara. 
  14. ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.  O Objetivo de um Sistema ERP é centralizar as informações e gerir o seu fluxo durante todo processo de desenvolvimento da atividade empresarial, integrando os setores da organização e possibilitando aos gestores acesso ágil, eficiente e confiável às informações gerenciais, dando suporte à tomada de decisões em todos os níveis do negócio.  Construídos sobre um banco de dados centralizado, os sistemas ERP consolidam todas as operações de uma empresa em um único sistema, que pode residir em um servidor centralizado, ser distribuído em unidades de hardware autônomas em rede local ou ser hospedado remotamente via web.  An Inventory Management System is primarily a system for managing quantities and locations (bins) and their relationships to each other. Additional functionality could include the management of the transportation systems. An Inventory Management System can also be viewed as a stock management system. Os sistemas ERP abrangem cada passo da operação, desde as compras, provisões, planejamento, manufatura, formação de preços, contas a pagar e receber, processos contábeis, controle de estoque, administração de contratos, venda de serviços e todos os níveis de comércio varejista ou atacado, passando pela gestão eficaz dos relacionamentos com clientes e fornecedores, pós-venda, análise de resultados e muitos outros fatores personalizados, altamente adaptáveis a qualquer empresa, em qualquer ramo de negócios.  O uso de um Sistema ERP em uma empresa dá a seus gestores o controle total sobre a empresa, auxiliando na tomada de decisões e fornecendo todas as informações vitais de maneira acessível e clara. 
  15. AQUI EIS UM DOS PRINCIPAIS PROBLEMAS É UMD ESAFIO MAS É POSSIVEL, BASTA TER DISPOSIÇÃO E SABER USAR AS FERRAMENTAS A SEU FAVOR
  16. AQUI EIS UM DOS PRINCIPAIS PROBLEMAS É UMD ESAFIO MAS É POSSIVEL, BASTA TER DISPOSIÇÃO E SABER USAR AS FERRAMENTAS A SEU FAVOR
  17. Da mesma forma, a falta de material em seus estoques também acarreta grandes prejuízos, porque não atender o cliente em tempo certo ou tempo hábil também é perda de credibilidade . Neste trabalho é demonstrado como foi realizada a implantação de um sistema de gestão de materiais em um laboratório de análises clínicas através da Classificação ABC para obtenção de tempo de reposição ,estoque máximo e estoque de segurança .Conclui-se que a implantação foi positiva para o laboratório evidenciando pois a empresa passou a ter um gerenciamento melhor do seu estoque ENCONTRAR UM MEIO TERMO, SOMOS CO-RESPONSÁVEIS PELA EMPRESA PARA UM VAREJO QUALQUER AS VEZES É IMPORTANTE TER ESTOQUE, QUANDO O PRODUTO É DE ALTO GIRO. NO LABORATORIO TALVEZ SE APLICARIA A INSUMOS USADOS EM EXAMES DE MAIOR DEMANDA, MAS O RISCO DE VENCIMENTO É MAIOR
  18. Produzir e entregar produtos no mesmo período de tempod e serem vendidos oou seja produzir uma pequena quantidade que corresponda a procura A manutenção dos estoques implica em grande mobilização de capital de giro, além de acarretar outros custos administrativos que afetam o final da produção e da comercialização de bens e serviços. O ideal para qualquer organização seria a inexistência de estoques, na medida em que fosse possível atender ao usuário no momento em que ocorressem as demandas. Just in time japão inicio dos anos 50 É muito mais do que uma técnica ou um conjunto de técnicas de administração da produção, sendo considerado uma completa filosofia, a qual inclui aspectos de administração de materiais, gestão da qualidade, arranjo físico, projeto do produto, organização do trabalho e gestão de recursos humanos.
  19. Entretanto, na prática, isto não acontece, tornando-se imperativa a existência de um nível de estoque que sirva como amortecedor entre os mercados supridores e os consumidores, a fim de que estes últimos possa ser plena e sistematicamente atendido. O que muitos gestores não pensam é que a maior parte do capital investido na empresa está nos insumos e equipamentos. Formas inteligentes d egerenciar estoque Assim como uma empresa comum, um laboratório também precisa de um bom gerenciamento em seu estoque, pois este é um setor que requer muito controle para ser funcional em relação à administração e aquisição de produtos. Nesse caso, um bom software também ajuda muito na organização, pois é do estoque que se resulta a perfeita estrutura de qualquer tipo de negócio – inclusive laboratórios.
  20. Ao final de cada exercício fiscal, a legislação obriga as empresas a inventariar todos os itens armazenados em todos os endereços localizados no centro de distribuição ou armazém, e essas quantidades devem ser confrontadas com o saldo lógico para que se verifique a acuracidade do inventário. Esse procedimento é chamado de inventário geral ou físico. Para a realização de um inventário completo, literalmente fecham-se as portas da empresa durante um final de semana. Além do ônus de perder dias de atendimento a clientes, destacam-se o desgaste físico da equipe de contagem, o custo de horas extras e adicional noturno, bem como a falta de qualidade nas contagens do último dia, decorrente da pressa para finalização e/ou do cansaço.
  21. Ao final de cada exercício fiscal, a legislação obriga as empresas a inventariar todos os itens armazenados em todos os endereços localizados no centro de distribuição ou armazém, e essas quantidades devem ser confrontadas com o saldo lógico para que se verifique a acuracidade do inventário. Esse procedimento é chamado de inventário geral ou físico. Para a realização de um inventário completo, literalmente fecham-se as portas da empresa durante um final de semana. Além do ônus de perder dias de atendimento a clientes, destacam-se o desgaste físico da equipe de contagem, o custo de horas extras e adicional noturno, bem como a falta de qualidade nas contagens do último dia, decorrente da pressa para finalização e/ou do cansaço.
  22. Ao final de cada exercício fiscal, a legislação obriga as empresas a inventariar todos os itens armazenados em todos os endereços localizados no centro de distribuição ou armazém, e essas quantidades devem ser confrontadas com o saldo lógico para que se verifique a acuracidade do inventário. Esse procedimento é chamado de inventário geral ou físico. Para a realização de um inventário completo, literalmente fecham-se as portas da empresa durante um final de semana. Além do ônus de perder dias de atendimento a clientes, destacam-se o desgaste físico da equipe de contagem, o custo de horas extras e adicional noturno, bem como a falta de qualidade nas contagens do último dia, decorrente da pressa para finalização e/ou do cansaço.
  23. ESTOQUE NÃO E SO FAZER CONTAGENS TEM UMA SERIE DE PONTOS IMPRTANTES COMO: ESTOQUE MINIMO QUANTIDADE MINIMA QUE DEVE ESXISTIR NO ESTOQUE
  24. ESTOQUE NÃO E SO FAZER CONTAGENS TEM UMA SERIE DE PONTOS IMPRTANTES COMO: ESTOQUE MINIMO QUANTIDADE MINIMA QUE DEVE ESXISTIR NO ESTOQUE
  25. ESTOQUE NÃO E SO FAZER CONTAGENS TEM UMA SERIE DE PONTOS IMPRTANTES COMO:
  26. ESTOQUE NÃO E SO FAZER CONTAGENS TEM UMA SERIE DE PONTOS IMPRTANTES COMO:
  27. APLICAÇÃO NA GESTÃO DE STOQUE Pode variar de laboratório para laboratório A classe A são os produtos mais importantes do seu estoque. Esses produtos precisam de uma gestão mais ativa, pois eles representam uma boa parte do seu faturamento ou tem um alto giro. Ter mais de um fornecedor ou estreitar mais a relação com o fornecedor desse produto pode deixar seu estoque mais eficiente. Fazer uma compra maior com entrega pequenas e frequentes pode manter seu estoque reduzido. A classe B são os produtos conhecidos como intermediários e possuem uma boa margem de contribuição e precisam de uma gestão moderada. Nesta classe você pode encontrar produtos com grande potencial para a Classe A como também produtos migrando para a Classe C. A classe C pertence aos produtos com baixo retorno de faturamento e giro. Eles podem estar sujeitos a um gerenciamento mais simples. Nessa classe você podem identificar produtos que podem ter sua estratégia de vendas melhorada ou retirá-lo do seu catálogo.