Protozoários

22.311 visualizações

Publicada em

Publicada em: Diversão e humor, Tecnologia
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
22.311
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
351
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
405
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Protozoários

  1. 1. PROTOZOÁRIOS
  2. 2. <ul><li>Seres microscópicos, unicelulares, eucariontes, heterótrofos, aeróbios ou anaeróbios pertencentes ao Reino Protista. A reprodução assexuada é a mais comum. Possuem grande diversidade. </li></ul><ul><li>Vida livre: Paramecium </li></ul><ul><li>Sésseis: Vorticella </li></ul><ul><li>Comensais (associados a outros organismos, sem prejudicá-los): Entamoeba coli </li></ul><ul><li>Mutualistas (associados a outros organismos, beneficiando-os): Trichonympha </li></ul><ul><li>Parasitas (associados a organismos, prejudicando-os): Plasmodium sp e T. cruzi </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Classificação </li></ul><ul><li>De acordo com o tipo de locomoção: </li></ul><ul><li>Flagelados : possuem flagelos como meio de locomoção; </li></ul><ul><li>Sarcodinos ou rizópodes: possuem projeções celulares chamadas pseudópodos; </li></ul><ul><li>Ciliados: possuem cílios como meio de locomoção ; </li></ul><ul><li>Esporozoários: ausência de qualquer estrutura locomotora. São parasitas. </li></ul><ul><li>Protozoários parasitas </li></ul><ul><li>Causam protozooses ou protozoonoses. Caracterizam-se pelos seguintes aspectos: </li></ul><ul><li>Agente etiológico: agente causador da doença; </li></ul><ul><li>Vetor: agente transmissor da doença; </li></ul><ul><li>Hospedeiro: indivíduo que aloja o parasita; </li></ul><ul><li>Sintoma: reação do organismo à presença do parasita. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Doença de Chagas </li></ul><ul><li>Agente etiológico: Trypanossoma cruzi </li></ul><ul><li>Vetor: Triatoma infestans </li></ul><ul><li>Hospedeiro: Homem </li></ul><ul><li>Sintomas: chagoma, inflamação local onde o T. cruzi penetrou, infecção do globo ocular e inchaço das pálpebras. Pode seguir um período de 10 a 20 anos sem grandes manifestações, após isso pode surgir insuficiência cardíaca e cardiomegalia. </li></ul><ul><li>Profilaxia: melhoria das habitações; combate ao inseto; uso de tela em janela e mosquiteiro sobre a cama; uso de preservativo. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Amebíase </li></ul><ul><li>Agente etiológico: Entamoeba histolytica </li></ul><ul><li>Vetor: alimentos podem ser contaminados por moscas e baratas </li></ul><ul><li>Hospedeiro: Homem </li></ul><ul><li>Sintomas: desconforto abdominal, sangue nas fezes, diarréia, febre e calafrios </li></ul><ul><li>Profilaxia: saneamento básico, higienização de alimentos, não consumir água de fonte duvidosa, lavar bem as mãos. </li></ul><ul><li>Úlcera de Bauru </li></ul><ul><li>Agente etiológico: Leishmania braziliensis </li></ul><ul><li>Vetor: fêmea do mosquito do gênero Lutzomya ou Phlebotomus </li></ul><ul><li>Hospedeiro: Homem </li></ul><ul><li>Sintomas: inicialmente nódulos e lesões na pele que evoluem para necroses, formando ulcerações profundas. </li></ul><ul><li>Profilaxia: usar telas e cortinas nas janelas; construir casas distantes de matas onde a doença é endêmica; tratar pessoas contaminadas. </li></ul>
  6. 7. <ul><li>Leishmaniose visceral </li></ul><ul><li>Agente etiológico: Leishmania donovani e Leishmania chagasi </li></ul><ul><li>Vetor: mosquitos do gênero Lutzomya </li></ul><ul><li>Hospedeiro: animais </li></ul><ul><li>Sintomas: lesões no baço, fígado, rins e intestinos. </li></ul><ul><li>Profilaxia: combate ao mosquito e tratamento dos doentes </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Malária </li></ul><ul><li>Agente etiológico: Plasmodium falciparum, P. vivax, P. ovale, P malarie (África) </li></ul><ul><li>Vetor: mosquito fêmea do gênero Anopheles </li></ul><ul><li>Hospedeiro: homem (intermediário), mosquito (definitivo) </li></ul><ul><li>Sintomas: calafrios, acessos febris intermitentes, anemia e problemas hepáticos </li></ul><ul><li>Profilaxia: uso de inseticidas, telas em janelas e portas, criar peixes que se alimentam da larva do mosquito. </li></ul>
  8. 9. <ul><li>Giardíase </li></ul><ul><li>Agente etiológico: Giardia lamblia </li></ul><ul><li>Vetor: contaminação direta. Não possui vetor. </li></ul><ul><li>Hospedeiro: homem (intermediário), mosquito (definitivo) </li></ul><ul><li>Sintomas: dores abdominais, irritabilidade, falta de apetite, náuseas e vômitos, diarréia e má absorção de nutrientes pela mucosa intestinal </li></ul><ul><li>Profilaxia: tratamento dos doentes, higiene pessoal, tratamento da água e cuidado com os alimentos </li></ul>
  9. 10. <ul><li>Tricomoníase </li></ul><ul><li>Agente etiológico: Trichomonas vaginalis </li></ul><ul><li>Vetor: contaminação direta. Não possui vetor. </li></ul><ul><li>Hospedeiro: mulher (assintomático no homem) </li></ul><ul><li>Sintomas: sérias inflamações no sistema genital, principalmente na região vaginal </li></ul><ul><li>Profilaxia: higiene pessoal e cuidado na prática sexual </li></ul>
  10. 11. <ul><li>Toxoplasmose </li></ul><ul><li>Agente etiológico: Toxoplasma gondii </li></ul><ul><li>Vetor: contaminação direta. Não possui vetor. </li></ul><ul><li>Hospedeiro: gato (definitivo), homem (intermediário) </li></ul><ul><li>Sintomas: prénatal: pode provocar aborto, parto prematuro e sérias anomalias. Pós-natal: comprometimento ganglionar, lesões oculares ou cutâneas e disturbios nervosos </li></ul><ul><li>Profilaxia: associações de medicamentos, higiene alimentar e cuidados com animais domésticos, evitando contato com fezes. </li></ul>
  11. 12. <ul><li>Balantidíase </li></ul><ul><li>Agente etiológico: Balantidium coli </li></ul><ul><li>Vetor: contaminação direta. Não possui vetor. </li></ul><ul><li>Hospedeiro: porco, cavalo, macaco e rato. Homem é hospedeiro acidental. </li></ul><ul><li>Sintomas: lesões no intestino grosso, provocando diarreia com sangue. </li></ul><ul><li>Profilaxia: cuidado com a água e alimentos, cuidado para não contaminar lençois de água com fezes de animais. </li></ul><ul><li>Doença do sono </li></ul><ul><li>Agente etiológico: Trypanosoma brucei gambiense e T. brucei rhodesiensis (África) </li></ul><ul><li>Vetor: mosca Glossina palpalis (tsé-tsé) </li></ul><ul><li>Hospedeiro: homem </li></ul><ul><li>Sintomas: lesões no sistema nervoso central, provocando um estado de sonolência. Leva a uma contínua debilidade podendo chegar até a morte. </li></ul><ul><li>Profilaxia: combate à mosca, uso de telas e saneamento básico. </li></ul>

×