O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Correio

9 visualizações

Publicada em

O jornal Correio Popular publicou matéria, no dia 7 de dezembro, sobre o Prêmio RAC-Sanasa onde a pesquisadora do IAC, Isabella Clerici De Maria, foi convidada para o comitê julgador.

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Correio

  1. 1. Premiação revela melhores ações ‘verdes’ RECONHECIMENTO III GRATIDÃO Da Agência Anhanguera Especialistas na área de con- trole ambiental, docentes, pesquisadores e formadores de opinião avaliam os 34 projetos inscritos este ano, na 10ª edição do Prêmio RAC-Sanasa de Responsabili- dade Ambiental. Os eleitos serão anunciados no próxi- mo dia 14, em cerimônia a ser realizada no anfiteatro Caiçara, na sede da Sanasa. A cerimônia de premiação contará com representantes das empresas apontadas co- mo destaque em cada cate- goria, além do júri, presiden- tes da RAC e da Sanasa, e convidados Concorrem ao Prêmio RAC-Sanasa de Responsabili- dade Ambiental iniciativas e ações relacionadas à preser- vação e educação ambiental em Campinas, em cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC) e também projetos de municípios pró- ximos, a exemplo de Jun- diaí. O prêmio contempla três vencedores por catego- ria, e concorrem três proje- tos no Terceiro Setor/Orga- nizações, e 31 trabalhos de empresas e iniciativas no segmento Público e Privado. Não será tarefa fácil para os jurados, após o crivo, apontar os melhores proje- tos e ações apresentadas des- de o final de março até a pri- meira quinzena de novem- bro em reportagens publica- das às quintas-feiras. O Comitê Julgador vai considerar, entre outros as- pectos, o impacto das inicia- tivas como contribuição pa- ra o desenvolvimento susten- tável. Para isso, a análise do júri considerará os impactos dos projetos e ações divulga- das e, ainda, a associação desses trabalhos com os cin- co pilares da sustentabilida- de: ambiental, social, econô- mico, cultural e político. Ou- tros critérios que nortearão a avaliação é o alinhamento dos trabalhos divulgados com os conceitos e princí- pios incluídos na Agenda 21 Global, Década das Nações Unidas da Educação para Desenvolvimento Sustentá- vel (2005-2014), Década In- ternacional Água para a Vi- da (2005-2014) e Carta da Terra. As iniciativas também se- rão julgadas pelo ponto de vista educacional e motiva- cional, além de suas contri- buições para a produção de mecanismos que não sejam poluentes e poupem recur- sos. Os avaliadores irão pon- tuar, em uma escala de zero a dez, o Impacto Ambiental, Impacto Tecnológico, Im- pacto Social, Impacto Cultu- ral e Grau de Mobilização e Inedistismo. Criatividade também será levada em con- sideração pelo júri. CLARA COELHO - Graduada em Administração com ênfase em marketing pela Faculdade Hoyler, em Hortolândia. É coordenadora de Educação Ambiental e Envase na Sanasa. Com 29 anos e meio de casa, é responsável pelo Programa Minha Escola na Sanasa. O programa desenvolve projetos educativos, enfatizando também o meio ambiente, atingindo todas as faixas etárias de alunos, e proporciona, de forma lúdica para os alunos do infantil, apresentação de peça teatral nas escolas. São atendidos em média 53.8 mil alunos/ano, de escolas públicas, estaduais, particulares e entidades de Campinas e região. Na parte de envase coordena o setor de copos de água que são distribuídos nos eventos na cidade, como forma de divulgação institucional. Há quatro anos participa do Grupo Gestor do Voluntariado Sanasa, o qual desenvolve diversas ações sociais em prol das entidades filantrópicas, organizações não governamentais e pessoas carentes. Desde 1996 participa da coordenação das campanhas internas de doação de sangue, em parecia com o Hemocentro Campinas. Integra também a comissão de combate à dengue da Sanasa, em parceria com a Prefeitura. “Estimular a Educação Ambiental em estudantes de todas as faixas etárias é essencial para criarmos condições de construir coletivamente o desenvolvimento sustentável na região”. RODRIGO HAJJAR - Gerente de Meio Ambiente da Sanasa, graduado na Primeira Turma de Relações Internacionais pela Faap e MBA em Marketing pela Esamc. Foi Secretário Geral e hoje é conselheiro da Associação das Nações Unidas Brasil, filiada a WFUNA, braço civil da ONU. É Diretor do Fórum das Américas, think-tank voltado ao desenvolvimento sustentável. Foi Secretário Municipal de Cooperação Internacional de Campinas. Participa ativamente de diversos conselhos ambientais locais e federais. “O desenvolvimento e a sustentabilidade não têm solução única, mas é certo que o aprimoramento das propostas globais nos levarão ao entendimento do nosso papel no planeta. Já no âmbito local e regional, somente a pluralidade de ideias, projetos e ações, somados à educação e ao engajamento social, poderão gerar os impactos positivos necessários para que possamos atender as gerações presentes e futuras. O Prêmio RAC-Sanasa tem, então, a grande missão regional de divulgar centenas de projetos transformadores, durante mais de uma década, com as exitosas experiências de nossa comunidade. Parabéns e obrigado a todos os inscritos! ” MARÍLIA PALHARES - Graduada em biologia pela PUC-Campinas, tem pós-graduação em Bioecologia e Conservação e Gestão Ambiental e Sustentabilidade, formação de agente socioambiental e educação ambiental. Atua na Gerência de Meio Ambiente como assessora técnica no Licenciamento e Controle Ambiental sobre temas específicos da gestão ambiental, socioambiental e administrativo e na identificação de oportunidades de melhorias relacionadas a esses temas. Participa de forma efetiva nos Conselhos Municipais Ambientais de Campinas e Comitê da Bacia PCJ. Participou de grupos de trabalho para construção e implementação de políticas públicas ambientais de Campinas. “Ao longo desses 11 anos do Prêmio RAC-SANASA, temos observado um crescimento do envolvimento e das parcerias público-privadas que tratam da questão ambiental. Observa-se um aperfeiçoamento dos projetos que buscam incentivar e implementar ações de conservação ambiental, reeducando a sociedade num pacto de valoração do meio ambiente. Essas iniciativas, através da educação formal e informal, objetivando a sustentabilidade, incentivam o despertar da consciência coletiva crítica acerca da finitude dos recursos naturais e da importância da natureza e um meio equilibrado para o sucesso destas e das futuras gerações. Parabenizo todos os atores envolvidos nesse valoroso projeto .” ISABELLA CLERICI DE MARIA - Graduada em engenharia-agronômica pela Universidade de São Paulo (1981), com mestrado (1986) e doutorado (1995) em Solos e Nutrição de Plantas pela Esalq/Universidade de São Paulo. É pesquisadora científica do Instituto Agronômico (IAC) e docente do Programa de Pós-Graduação em Agricultura Tropical e Subtropical, responsável pelas disciplinas de erosão do solo, física do solo e gestão de recursos ambientais na agricultura. Atua como editora e revisora de periódicos científicos na área de ciência do solo e como consultora científica de agências de fomento. Tem experiência na área de agronomia, com enfoque dos trabalhos científicos em manejo e conservação do solo, desenvolvendo projetos principalmente nos seguintes temas: conservação do solo, sistemas de manejo conservacionistas na agricultura e qualidade do solo. “O grande mérito do projeto é a divulgação das iniciativas ao longo do ano, mostrando ações com poucos recursos (e muita vontade) e também projetos de empresas com maiores investimentos (e a percepção de que se pode fazer diferente). Todas essas iniciativas têm impactos positivos na proteção ambiental, além de impactos sociais, tecnológicos e culturais. O objetivo de estimular outras pessoas a se engajarem em ações ambientais é cumprido. Parabéns pelo trabalho a todos os envolvidos. EDSON TOMAS - Professor, diretor do Departamento de Engenharia de Processos da Faculdade de Engenharia Química da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Tem como a sua área de concentração o “desenvolvimento de processos químicos”. É formado em engenharia química pela Faculdade de Engenharia Química da Unicamp, em 1986, mestre em engenharia química (1990) e também doutor em engenharia química (1998), pela mesma faculdade. Suas áreas de pesquisa, conforme currículo divulgado pela plataforma da Unicamp, são os estudos de compostos orgânicos voláteis na atmosfera, tratamento de efluentes líquidos por processo eletrofotoquímico e dispersão de poluentes na atmosfera. Participa de uma série de publicações com estudos relevantes na área, muitas focadas em questões ambientais na região de Campinas. “O projeto RAC-Sanasa de Responsabilidade Ambiental é importante por dar a oportunidade e visibilidade às iniciativas que contribuam para o desenvolvimento da consciência e também das práticas ambientais na nossa sociedade.” MARINA KHATTAR DE GODOY - Formada em arquitetura, tornou-se autora de joias. Especializou-se em “Joalheria de Bancada” com Flavio Franco na Faap, em São Paulo, “Design de Joias” com o mestre Carlos Salem, em São Paulo, “Psicologia do Design”, ministrado por Susan Lee Painter (PhD) e Constance Forest, UCLA, “Paisagismo Comestível”, na UCLA, e “Reformas Estruturais”, também na UCLA, em Los Angeles. Por oito meses estagiou em uma grande indústria brasileira de joias, a Denoir, e participou do concurso Tahitian Pearl Trophy, ganhando o primeiro lugar no Brasil e terceiro no mundo com a peça “Asas da Humanidade”. Ganhou prêmio de melhor projeto de Paisagismo da Casa Cor em 2011. É diretora no Grupo RAC. “Os desafios do lado ambiental dizem respeito à sobrevivência da espécie, mas se nós não entendermos a nossa capacidade de gerar soluções, não sairemos do buraco que nos metemos. O problema do século 21 tem que ser pensado baseado em grandes grupos, não podemos mais nos dar ao luxo de sermos individualistas. O projeto RAC-Sanasa visa expor ótimas ideias e criativas soluções para que juntos possamos resolver os problemas ambientais, não só da nossa cidade, como do nosso País. Parabéns a todas as pessoas que se engajaram de alguma maneira neste movimento.” A Carta da Terra é uma declaração de princípios éticos fundamentais para a construção de uma sociedade global justa, sustentável e pacífica. Inspira as pessoas e diferentes setores da sociedade para um novo sentido de interdependência global e responsabilidade compartilhada. 10º Prêmio RAC/Sanasa de Responsabilidade Ambiental conta com 34 projetos da RMC Disputa vai destacar três iniciativas em cada categoria SAIBA MAIS JURADOS A12 CORREIO POPULARA12 Campinas, quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

×