Ficha de revisões sobre conceitos corrigenda

102 visualizações

Publicada em

Conceitos HST

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
102
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ficha de revisões sobre conceitos corrigenda

  1. 1. Conceitos - CorrigendaCurso: Técnico de VendasMódulo / Disciplina: Higiene e Prevenção no TrabalhoFormando: Segurança A segurança do trabalho propõe-se combater, também dum ponto de vista não médico, os acidentes de trabalho, quer eliminando as condições inseguras do ambiente, quer educando os trabalhadores a utilizarem medidas preventivas. Higiene A higiene do trabalho propõe-se combater, dum ponto de vista não médico, as doenças profissionais, identificando os fatores que podem afetar o ambiente do trabalho e o trabalhador, visando eliminar ou reduzir os riscos profissionais (condições inseguras de trabalho que podem afetar a saúde, segurança e bem estar do trabalhador). Saúde Segundo a O.M.S.-Organização Mundial de Saúde, a verificação de condições de Higiene e Segurança consiste "num estado de bem-estar físico, mental e social e não somente a ausência de doença e enfermidade ". Segundo o Artigo 4º da Lei nº102/2009 de 10 de Setembro, define-se como: Trabalhador Pessoa singular que, mediante retribuição, se obriga a prestar um serviço a um empregador e, bem assim, o tirocinante, o estagiário e o aprendiz que estejam na dependência económica do empregador em razão dos meios de trabalho e do resultado da sua actividade; Local de Trabalho Lugar em que o trabalhador se encontra ou de onde ou para onde deva dirigir -se em virtude do seu trabalho, no qual esteja directa ou indirectamente sujeito ao controlo do empregador; Componentes materiais de trabalho Local de trabalho, o ambiente de trabalho, as ferramentas, as máquinas,equipamentos e materiais, as substâncias e agentes químicos, físicos e biológicos e os processos de trabalho; Perigo Propriedade intrínseca de uma instalação, actividade, equipamento, um agente ou outro componente material do trabalho com potencial para provocar dano; Risco Probabilidade de concretização do dano em função das condições de utilização, exposição ou interacção do componente material do trabalho que apresente perigo; Prevenção Conjunto de políticas e programas públicos, bem como disposições ou medidas tomadas ou previstas no licenciamento e em todas as fases de actividade da empresa, do estabelecimento ou do serviço, que visem eliminar ou diminuir os riscos profissionais a que estão potencialmente expostos os trabalhadores. Segundo a Lei n.º98/2009 de 4 de Setembro, este define: Delimitação de acidente de trabalho É acidente de trabalho aquele que se verifique no local e no tempo de trabalho e produza directa ou indirectamente lesão corporal, perturbação funcional ou doença de que resulte redução na capacidade de trabalho ou de ganho ou a morte. 2 — Para efeitos do presente capítulo, entende -se por: a) «Local de trabalho» todo o lugar em que o trabalhador se encontra ou deva dirigir -se em virtude do seu trabalho e em que esteja, directa ou indirectamente, sujeito ao controlo do empregador;
  2. 2. b) «Tempo de trabalho além do período normal de trabalho» o que precede o seu início, em actos depreparação ou com ele relacionado, e o que se lhe segue, em actos também com ele relacionados, e ainda asinterrupções normais ou forçosas de trabalho.Extensão do conceito de acidente de trabalhoConsidera -se também acidente de trabalho o ocorrido:a) No trajecto de ida para o local de trabalho ou de regresso deste, nos termos referidos no número seguinte;b) Na execução de serviços espontaneamente prestados e de que possa resultar proveito económico para oempregador;c) No local de trabalho e fora deste, quando no exercício do direito de reunião ou de actividade derepresentante dos trabalhadores, nos termos previstos no Código do Trabalho;d) No local de trabalho, quando em frequência de curso de formação profissional ou, fora do local detrabalho, quando exista autorização expressa do empregador para tal frequência;e) No local de pagamento da retribuição, enquanto o trabalhador aí permanecer para tal efeito;f) No local onde o trabalhador deva receber qualquer forma de assistência ou tratamento em virtude deanterior acidente e enquanto aí permanecer para esse efeito;g) Em actividade de procura de emprego durante o crédito de horas para tal concedido por lei aostrabalhadores com processo de cessação do contrato de trabalho em curso;h) Fora do local ou tempo de trabalho, quando verificado na execução de serviços determinados peloempregador ou por ele consentidos.2 — A alínea a) do número anterior compreende o acidente de trabalho que se verifique nos trajectosnormalmente utilizados e durante o período de tempo habitualmente gasto pelo trabalhador:a) Entre qualquer dos seus locais de trabalho, no caso de ter mais de um emprego;b) Entre a sua residência habitual ou ocasional e as instalações que constituem o seu local de trabalho;c) Entre qualquer dos locais referidos na alínea precedente e o local do pagamento da retribuição;d) Entre qualquer dos locais referidos na alínea b) e o local onde ao trabalhador deva ser prestada qualquerforma de assistência ou tratamento por virtude de anterior acidente;e) Entre o local de trabalho e o local da refeição;f) Entre o local onde por determinação do empregador presta qualquer serviço relacionado com o seutrabalho e as instalações que constituem o seu local de trabalho habitual ou a sua residência habitual ouocasional.3 — Não deixa de se considerar acidente de trabalho o que ocorrer quando o trajecto normal tenha sofridointerrupções ou desvios determinados pela satisfação de necessidades atendíveis do trabalhador, bem comopor motivo de força maior ou por caso fortuito.4 — No caso previsto na alínea a) do n.º 2, é responsável pelo acidente o empregador para cujo local detrabalho o trabalhador se dirige.Descaracterização do acidente1 — O empregador não tem de reparar os danos decorrentes do acidente que:a) For dolosamente provocado pelo sinistrado ou provier de seu acto ou omissão, que importe violação, semcausa justificativa, das condições de segurança estabelecidas pelo empregador ou previstas na lei;b) Provier exclusivamente de negligência grosseira do sinistrado;c) Resultar da privação permanente ou acidental do uso da razão do sinistrado, nos termos do Código Civil,salvo se tal privação derivar da própria prestação do trabalho, for independente da vontade do sinistrado ouse o empregador ou o seu representante, conhecendo o estado do sinistrado, consentir na prestação.2 — Para efeitos do disposto na alínea a) do número anterior, considera -se que existe causa justificativa daviolação das condições de segurança se o acidente de trabalho resultar de incumprimento de norma legal ouestabelecida pelo empregador da qual o trabalhador, face ao seu grau de instrução ou de acesso àinformação, dificilmente teria conhecimento ou, tendo -o, lhe fosse manifestamente difícil entendê -la.3 — Entende -se por negligência grosseira o comportamento temerário em alto e relevante grau, que não seconsubstancie em acto ou omissão resultante da habitualidade ao perigo do trabalho executado, daconfiança na experiência profissional ou dos usos da profissão.

×