SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
COMPLEXO
DE GOLGI
COMPLEXO DE GOLGI
• O complexo de Golgi, também conhecido como aparelho de Golgi, se trata de uma
organela membranosa que surgiu, muito provavelmente e em última instância, à partir
de invaginações da membrana plasmática. Isso se dá pelo fato da origem da organela
ser relacionada à ou diretamente da membrana ou por elementos destacados do
retículo endoplasmático que, por sua vez, se originou por invaginações da membrana.
• A estrutura recebe esse nome devido ao indivíduo que o descreveu pela primeira vez,
o biólogo Camilo Golgi. Sob o aspecto da estrutura do aparelho de Golgi, se diz
complexo pelo fato dele ser uma rede de vesículas e sacos interligados que se
organizam a fim de desempenhar uma função associada ao retículo endoplasmático.
Essa organela possui a localização e o tamanho variados, entretanto, sua posição,
geralmente, está associada às proximidades do núcleo e do retículo endoplasmático.
Já com relação ao tamanho, embora variável, a organela se apresenta bastante
desenvolvida em células secretoras.
ORGANELA
ESTRUTURA
• Assim como o retículo endoplasmático, o complexo de Golgi é formado por membranas
que se dobram sobre si formando sacos membranosos achatados e empilhados. Cada um
desses sacos é denominado cisterna e, associadas a elas, existem vesículas que são,
geralmente, relacionadas ao transporte de moléculas.
• Além de se empilharem umas sobre as outras, as cisternas se mostram, frequentemente,
com determinada curvatura. Dessa forma, essa certa angulação de sua disposição acaba
por formar uma face côncava e uma convexa. Cada uma dessas faces recebe um nome
específico: a convexa é conhecida como face cis e a côncava como face trans. Nesse
sentido, existe uma rede de estruturas tubulares que se associam a essas faces, elas são a
rede cis e a rede trans do aparelho de Golgi.
• Com relação ao conteúdo das cisternas, ele também se trata de algo bastante variável de
acordo com o tipo e função da célula em questão. O que é possível afirmar é que esse
conteúdo possui uma variedade de enzimas e de moléculas relacionadas ao produto final,
um exemplo claro disso é o fato do conteúdo dessas cisternas ser composto, basicamente,
de glicoproteínas e enzimas relacionadas às reações delas.
FUNÇÃO
• É notável que o aparelho golgiense possui uma relação bastante íntima com o retículo
endoplasmático. Com relação as suas funções isso não é diferente. As organelas
funcionam conjuntamente, sendo que o complexo de Golgi é análogo a uma central
de processamento e distribuição da célula.
• As proteínas são produzidas nos ribossomos associados à membrana do retículo e
então são transferidas para o retículo endoplasmático rugoso. Lá ocorrem
modificações e o transporte dessas proteínas e, após isso, elas podem ser
transportadas para o complexo de Golgi. Nessa organela essas moléculas recém
chegadas podem ser processadas e distribuídas pela a célula. Assim, esse
processamento se baseia na possibilidade de ocorrerem modificações nas proteínas
para que, então, possa ocorrer o seu transporte.
• Além da modificação e distribuição de moléculas, o complexo de Golgi também pode
exercer outras funções. Uma delas se refere à armazenar proteínas. Veja bem, muitas
vezes as proteínas são produzidas, mas não há a necessidade de utilizá-las ou secretá-
las de imediato. Sob esse aspecto é que o aparelho golgiense desempenha outra
função na célula, isto é, quando essas proteínas são produzidas para posterior
utilização, elas ficam armazenadas no complexo de Golgi.
• Outra atividade em que o aparelho de Golgi exerce papel importante é na produção
de outras estruturas da célula, como o acrossomo do espermatozoide e a lamela
média das células vegetais, entre outros. Isso acontece pelo fato das vesículas que
contêm material enzimático especifico destacarem-se da organela original e se
transformarem em organelas distintas, um exemplo disso é o que ocorre nas vesículas
com enzimas digestivas que viram os lisossomos.
• Enfim, o complexo de Golgi é uma organela composta por sacos membranosos
empilhados, denominados cisternas, e suas vesículas associadas que possuem em seu
interior enzimas e “matéria prima” para o produto final. Dessa forma, sua função está
relacionada com o processamento, armazenamento e distribuição de moléculas e
também com a formação de outras organelas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Tecido epitelial
Tecido epitelialTecido epitelial
Tecido epitelial
 
Aula Introdução à Citologia
Aula Introdução à CitologiaAula Introdução à Citologia
Aula Introdução à Citologia
 
Clonagem
ClonagemClonagem
Clonagem
 
Vacúolo
VacúoloVacúolo
Vacúolo
 
1º aula introdução a fisiologia
1º aula   introdução a fisiologia1º aula   introdução a fisiologia
1º aula introdução a fisiologia
 
Embriologia - Super Super Med
Embriologia - Super Super MedEmbriologia - Super Super Med
Embriologia - Super Super Med
 
Aula citologia
Aula citologiaAula citologia
Aula citologia
 
Citoplasma e organelas
Citoplasma e organelasCitoplasma e organelas
Citoplasma e organelas
 
Aula sobre células
Aula sobre célulasAula sobre células
Aula sobre células
 
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humanaAula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
 
Histologia humana
Histologia humanaHistologia humana
Histologia humana
 
Evolução celular
Evolução celularEvolução celular
Evolução celular
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Organelas Celulares I
Organelas Celulares IOrganelas Celulares I
Organelas Celulares I
 
Mitose
MitoseMitose
Mitose
 
Complexo de Golgi - Função
Complexo de Golgi - FunçãoComplexo de Golgi - Função
Complexo de Golgi - Função
 
Esqueleto humano (powerpoint).edit
Esqueleto humano (powerpoint).editEsqueleto humano (powerpoint).edit
Esqueleto humano (powerpoint).edit
 
Fases do Desenvolvimento Embrionário
Fases do Desenvolvimento EmbrionárioFases do Desenvolvimento Embrionário
Fases do Desenvolvimento Embrionário
 
Histologia TECIDO EPITELIAL ENSINO MEDIO
Histologia TECIDO EPITELIAL ENSINO MEDIOHistologia TECIDO EPITELIAL ENSINO MEDIO
Histologia TECIDO EPITELIAL ENSINO MEDIO
 
Aula sobre histologia
Aula sobre   histologiaAula sobre   histologia
Aula sobre histologia
 

Semelhante a Complexo de golgi

Secreção e digestão celular
Secreção e digestão celularSecreção e digestão celular
Secreção e digestão celularFábio Santos
 
Aula 11 - Organelas (Complexo de Golgi, Ribossomos, Lisossomos e Mitocondria)...
Aula 11 - Organelas (Complexo de Golgi, Ribossomos, Lisossomos e Mitocondria)...Aula 11 - Organelas (Complexo de Golgi, Ribossomos, Lisossomos e Mitocondria)...
Aula 11 - Organelas (Complexo de Golgi, Ribossomos, Lisossomos e Mitocondria)...RonyVenturini1
 
5 Sistema_Endomembranar_e_digestao_intracelular.pptx
5 Sistema_Endomembranar_e_digestao_intracelular.pptx5 Sistema_Endomembranar_e_digestao_intracelular.pptx
5 Sistema_Endomembranar_e_digestao_intracelular.pptxValterVenncio1
 
Biologia Celular – Aula I.pptx
Biologia Celular – Aula I.pptxBiologia Celular – Aula I.pptx
Biologia Celular – Aula I.pptxPedroCampani
 
Aula 5 secreção e digestão celular
Aula 5   secreção e digestão celularAula 5   secreção e digestão celular
Aula 5 secreção e digestão celularMARCIAMP
 
Célula eucarionte vegetal
Célula eucarionte vegetalCélula eucarionte vegetal
Célula eucarionte vegetalCarlos Eduardo
 
aula de citologia para tecnico em enfermagem
aula de citologia para tecnico em enfermagemaula de citologia para tecnico em enfermagem
aula de citologia para tecnico em enfermagemLanaMonteiro8
 
AULA RELACIONADA AO PLANO DE AULA 1.pptx
AULA RELACIONADA AO PLANO DE AULA 1.pptxAULA RELACIONADA AO PLANO DE AULA 1.pptx
AULA RELACIONADA AO PLANO DE AULA 1.pptxLUCASAUGUSTONASCENTE
 
Secreção celular
Secreção celularSecreção celular
Secreção celularletyap
 

Semelhante a Complexo de golgi (20)

Secreção e digestão celular
Secreção e digestão celularSecreção e digestão celular
Secreção e digestão celular
 
Aula 11 - Organelas (Complexo de Golgi, Ribossomos, Lisossomos e Mitocondria)...
Aula 11 - Organelas (Complexo de Golgi, Ribossomos, Lisossomos e Mitocondria)...Aula 11 - Organelas (Complexo de Golgi, Ribossomos, Lisossomos e Mitocondria)...
Aula 11 - Organelas (Complexo de Golgi, Ribossomos, Lisossomos e Mitocondria)...
 
Camila (salvo automaticamente)
Camila (salvo automaticamente)Camila (salvo automaticamente)
Camila (salvo automaticamente)
 
Celula pdf
Celula pdfCelula pdf
Celula pdf
 
5 Sistema_Endomembranar_e_digestao_intracelular.pptx
5 Sistema_Endomembranar_e_digestao_intracelular.pptx5 Sistema_Endomembranar_e_digestao_intracelular.pptx
5 Sistema_Endomembranar_e_digestao_intracelular.pptx
 
Organelas CITOPLASMATICAS
Organelas CITOPLASMATICASOrganelas CITOPLASMATICAS
Organelas CITOPLASMATICAS
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Biologia Celular – Aula I.pptx
Biologia Celular – Aula I.pptxBiologia Celular – Aula I.pptx
Biologia Celular – Aula I.pptx
 
Complexo golgiense
Complexo golgienseComplexo golgiense
Complexo golgiense
 
Aula 5 secreção e digestão celular
Aula 5   secreção e digestão celularAula 5   secreção e digestão celular
Aula 5 secreção e digestão celular
 
Biologia suple
Biologia supleBiologia suple
Biologia suple
 
Célula eucarionte vegetal
Célula eucarionte vegetalCélula eucarionte vegetal
Célula eucarionte vegetal
 
aula de citologia para tecnico em enfermagem
aula de citologia para tecnico em enfermagemaula de citologia para tecnico em enfermagem
aula de citologia para tecnico em enfermagem
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
 
Segundo slide de Biologia
Segundo slide de BiologiaSegundo slide de Biologia
Segundo slide de Biologia
 
AULA RELACIONADA AO PLANO DE AULA 1.pptx
AULA RELACIONADA AO PLANO DE AULA 1.pptxAULA RELACIONADA AO PLANO DE AULA 1.pptx
AULA RELACIONADA AO PLANO DE AULA 1.pptx
 
Citoplasma.ppt
Citoplasma.pptCitoplasma.ppt
Citoplasma.ppt
 
Secreção celular
Secreção celularSecreção celular
Secreção celular
 
Organelas avaliação ii
Organelas   avaliação iiOrganelas   avaliação ii
Organelas avaliação ii
 
Organelas avaliação II
Organelas   avaliação IIOrganelas   avaliação II
Organelas avaliação II
 

Último

ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfAntonio Barros
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacionalBENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacionalDouglasVasconcelosMa
 
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolarMODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolarDouglasVasconcelosMa
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.FLAVIA LEZAN
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 

Último (20)

ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacionalBENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
 
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolarMODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 

Complexo de golgi

  • 2. COMPLEXO DE GOLGI • O complexo de Golgi, também conhecido como aparelho de Golgi, se trata de uma organela membranosa que surgiu, muito provavelmente e em última instância, à partir de invaginações da membrana plasmática. Isso se dá pelo fato da origem da organela ser relacionada à ou diretamente da membrana ou por elementos destacados do retículo endoplasmático que, por sua vez, se originou por invaginações da membrana. • A estrutura recebe esse nome devido ao indivíduo que o descreveu pela primeira vez, o biólogo Camilo Golgi. Sob o aspecto da estrutura do aparelho de Golgi, se diz complexo pelo fato dele ser uma rede de vesículas e sacos interligados que se organizam a fim de desempenhar uma função associada ao retículo endoplasmático. Essa organela possui a localização e o tamanho variados, entretanto, sua posição, geralmente, está associada às proximidades do núcleo e do retículo endoplasmático. Já com relação ao tamanho, embora variável, a organela se apresenta bastante desenvolvida em células secretoras.
  • 4. ESTRUTURA • Assim como o retículo endoplasmático, o complexo de Golgi é formado por membranas que se dobram sobre si formando sacos membranosos achatados e empilhados. Cada um desses sacos é denominado cisterna e, associadas a elas, existem vesículas que são, geralmente, relacionadas ao transporte de moléculas. • Além de se empilharem umas sobre as outras, as cisternas se mostram, frequentemente, com determinada curvatura. Dessa forma, essa certa angulação de sua disposição acaba por formar uma face côncava e uma convexa. Cada uma dessas faces recebe um nome específico: a convexa é conhecida como face cis e a côncava como face trans. Nesse sentido, existe uma rede de estruturas tubulares que se associam a essas faces, elas são a rede cis e a rede trans do aparelho de Golgi. • Com relação ao conteúdo das cisternas, ele também se trata de algo bastante variável de acordo com o tipo e função da célula em questão. O que é possível afirmar é que esse conteúdo possui uma variedade de enzimas e de moléculas relacionadas ao produto final, um exemplo claro disso é o fato do conteúdo dessas cisternas ser composto, basicamente, de glicoproteínas e enzimas relacionadas às reações delas.
  • 5.
  • 6. FUNÇÃO • É notável que o aparelho golgiense possui uma relação bastante íntima com o retículo endoplasmático. Com relação as suas funções isso não é diferente. As organelas funcionam conjuntamente, sendo que o complexo de Golgi é análogo a uma central de processamento e distribuição da célula. • As proteínas são produzidas nos ribossomos associados à membrana do retículo e então são transferidas para o retículo endoplasmático rugoso. Lá ocorrem modificações e o transporte dessas proteínas e, após isso, elas podem ser transportadas para o complexo de Golgi. Nessa organela essas moléculas recém chegadas podem ser processadas e distribuídas pela a célula. Assim, esse processamento se baseia na possibilidade de ocorrerem modificações nas proteínas para que, então, possa ocorrer o seu transporte.
  • 7. • Além da modificação e distribuição de moléculas, o complexo de Golgi também pode exercer outras funções. Uma delas se refere à armazenar proteínas. Veja bem, muitas vezes as proteínas são produzidas, mas não há a necessidade de utilizá-las ou secretá- las de imediato. Sob esse aspecto é que o aparelho golgiense desempenha outra função na célula, isto é, quando essas proteínas são produzidas para posterior utilização, elas ficam armazenadas no complexo de Golgi. • Outra atividade em que o aparelho de Golgi exerce papel importante é na produção de outras estruturas da célula, como o acrossomo do espermatozoide e a lamela média das células vegetais, entre outros. Isso acontece pelo fato das vesículas que contêm material enzimático especifico destacarem-se da organela original e se transformarem em organelas distintas, um exemplo disso é o que ocorre nas vesículas com enzimas digestivas que viram os lisossomos. • Enfim, o complexo de Golgi é uma organela composta por sacos membranosos empilhados, denominados cisternas, e suas vesículas associadas que possuem em seu interior enzimas e “matéria prima” para o produto final. Dessa forma, sua função está relacionada com o processamento, armazenamento e distribuição de moléculas e também com a formação de outras organelas.