SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Linguagens, Códigos e suas
Tecnologias – Português
Ensino Médio, 2ª Série
A conjunção na construção do texto
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
LEIA ESSES VERSOS DE CARLOS DRUMMONND DE
ANDRADE
POESIA
“Gastei uma hora pensando um verso
Que a pena não quer escrever.
No entanto ele está cá dentro
Inquieto, vivo.
Ele está cá dentro
E não quer sair.
Mas a poesia deste momento
Inunda minha vida inteira”.
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
COMENTÁRIOS :
1) No terceiro verso, a expressão NO ENTANTO,
mesmo separada por ponto final , está ligada ao
sentido da frase anterior , expressando ideia
oposta : o verso não é escrito, não se revela,
NO ENTANTO (mas) está pronto na mente do
poeta;
2) A palavra “e”, que exprime acréscimo ou sons,
liga o sexto verso ao quinto;
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
3) A palavra “mas” funciona como elemento de
ligação entre a última oração e o sexto verso,
indicando ideia contrária.
OBSERVAÇÃO :
Esses elementos de ligação entre orações e
palavras chamam–se CONJUNÇÃO.
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
Conceito de conjunção
• CONJUNÇÃO é uma classe de palavras que tem
o poder de habilitar uma oração inteira a
exercer, no interior de um enunciado, a função
sintática que poderia ser desempenhada apenas
por uma palavra. Além disso, ela tem a
propriedade de ligar orações sintaticamente
independentes ou termos semelhantes em um
mesmo enunciado.
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
PARA QUE SERVEM AS CONJUNÇÕES ?
Com o desenvolvimento do ser humano nos mais
diferentes campos – científico, social, cultural,
tecnológico, etc. – as formas de comunicação e de
relacionamento social tornam-se cada vez mais
complexas. Para dar conta da complexidade
crescente do mundo e das ideias, a linguagem
verbal também se desenvolve e cria mecanismos
específicos para estabelecer relações entre as
ideias.
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
CONJUNÇÃO NAS PERSPECTIVAS :
• SINTÁTICA;
• MORFOLÓGICA;
• SEMÂNTICA.
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
A CONJUNÇÃO NA PERSPECTIVA SINTÁTICA
A) Elas conquistaram o campeonato.
B) As jogadoras estão comemorando, pois elas
conquistaram o campeonato .
COMENTÁRIO :
A frase “A” constitui um enunciado independente; já em
“B”, a frase passa a indicar a causa do que se diz na
oração “As jogadoras estão comemorando”. A frase “B”
exerce sobre a primeira oração a mesma função que um
advérbio exerceria. E o elemento que mostra essa
mudança de função, ao mesmo tempo que une as duas
orações, é a palavra “pois”.
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
A CONJUNÇÃO NA PERSPECTIVA MORFOLÓGICA
As conjunções são palavras compostas por
“morfemas gramaticais” e que não sofrem
flexão; portanto, são invariáveis.
Elas podem ser representadas por uma única
palavra – pois, e, que, mas, etc. – ou por uma
locução: à medida que, de forma que, apesar
de que, etc. As locuções terminam com uma
conjunção.
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
A CONJUNÇÃO NA PERSPECTIVA SEMÂNTICA:
Conforme a relação semântica estabelecida entre
os termos ou orações conectados, distinguem-se
os tipos de conjunção descritos a seguir:
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
Conjunção
A conjunção, além de ligar palavras ou orações, dá uma direção
argumentativa ao texto e estabelece uma relação semântica
entre as orações.
As conjunções podem ser:
1- Coordenativas;
2- Subordinativas
Para saber mais:
http://centraldamorfologia.blogspot.com.br/2010/
11/interjeicao.html
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
Conjunções coordenativas
1- Aditivas: ideia de soma, adição. Ex: Saio feliz e volto cansada. (e, nem,
mas também...)
2- Adversativas: ideia de oposição, contraste. Ex: Estarei em casa, mas
não vou atendê-lo. (mas, porém, todavia, contudo, no entanto...)
3- Alternativas: ideia de alternância. Ex: Caso ou viajo? (ou...ou, ora...ora,
quer...quer)
4- Conclusivas: ideia de conclusão de um pensamento. Ex: (1) Ela é nova,
portanto não irá namorar. (logo, portanto, por isso, pois (após o verbo)
(2) Ela é catanduvense, é, pois, boa gente.
5- Explicativas: ideia de explicação, razão, motivo. Ex: (1) Não brinque
com fogo, porque é perigoso. (porque, que, pois (antes do verbo). (2)
Ela passou no vestibular, pois estudou muito (1).
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
Conjunções subordinativas - classificação
1- Integrantes – fazem parte da regência de um verbo ou nome; integram
uma oração substantiva. EX: Eu disse que ele viria. (que/ se).
2- Causais – exprimem causa, razão. Toda causa pressupõe uma
consequência. Ex: Como ela gritou não disse nada. (porque, que, pois,
visto que, já que, uma vez que).
3- Comparativa – ideia de comparação. Ex: João teimou como um burro.
(como, mais que, pior que, melhor que...).
4- Concessivas – fato contrário ao que se encontra na oração principal, ainda
que não seja suficiente para anulá-lo. Ex: Vou ao baile, mesmo que chova.
(embora, se bem que, mesmo que, ainda que, conquanto...).
5- Condicionais – ideia de condição, hipótese. Ex: Desde que comesse, eu
cozinharia. (se, caso, desde que, contanto que...) (2).
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
Classificação das conjunções subordinativas
- continuação
6- Conformativas – ideia de concordância, conformidade. Ex: Conforme lhe
disse, viajarei amanhã. (segundo, conforme,como).
7- Consecutivas – consequência, efeito do que foi expresso anteriormente. Ex:
Ela comeu tanto que passou mal. (que – acompanhado de tão...que,
tanto...que, tamanho...que, tal...que).
8- Temporais – ideia de tempo. Ex: Mal o filme começara, ela sentiu-se mal.
(quando, mal, logo que, sempre que, assim que...).
9- Finais – ideia de finalidade. Ex: Estudamos bastante a fim de que
passássemos no vestibular.
10- Proporcionais – ideia de proporcionalidade, simultaneidade. Ex: Quanto
mais economizava, mais sentia prazer. (à proporção que, à medida que,
quanto mais, quanto menos...) (3)
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
Polissemia das conjunções
Polissemia – os vários
sentidos, valores
semânticos diferentes,
dependendo o
Contexto (4).
Imagem:
Burger
King
/
http://jahnela.blogspot.com.br/2011/03/burguer-king.html
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
Polissemia das conjunções: E / COMO/SE
(6).
E – Estudou muito e foi reprovado.
(oposição).
Estudou muito e passou. (conclusão,
consequência.)
Era homem e muito homem! (explicação
enfática).
Saiu do escritório e foi para casa. (adição)
E o Palmeiras? Ganha o campeonato?
(assunto/ situação).
COMO – Dormia como um anjo.
(comparação).
Como era pobre não pode estudar.
(causa).
Ensinava os colegas como o mestre o
orientou. (conformidade).
SE – Se não foi uma ofensa a todos,
ainda assim insultou os jovens.
(concessão).
Se não chover irei a sua casa.
(condição).
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
VALE SABER !!!!!!!
A palavra subordinativa vem de “subordinar”, que quer
dizer “estabelecer uma relação entre dois seres em que
um passa a ser superior, e outro, inferior; dominar,
submeter, sujeitar”.
Já a palavra coordenativa vem de “coordenar”, que
significa “justapor, pôr lado a lado”.
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
1) A conjunção como pode ter três valores semânticos: causa,
comparação e conformidade (7).
Ex: “Como estivesse chovendo, não saí de casa” .  indica “causa”,
pois poderia ser substituída por “já que”.
Ex: “Faço o trabalho como o regulamento prescreve”.  indica
“conformidade”, pois poderia ser substituída por “conforme”.
Ex: “Ele age como o pai”.  indica “comparação”, pois poderia ser
substituída por “igual a”.
Atividades
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
2) A conjunção SE, além de ser condicional, pode ser causal
ou iniciar uma oração subordinada substantiva; nesse caso,
denomina-se “conjunção integrante” (8).
Ex: “Se você estudar, conseguirá seu objetivo”.  indica condição e
poderia ser substituído por “caso”.
Ex: “Se você sabia que era proibido entrar, por que não me avisou?”
 indica causa e poderia ser substituído por “já que”.
Ex: “Não sei se ficarei lá muito tempo”.  indica uma conjunção
integrante, pois “se ficarei lá” funciona como “objeto direto” do
verbo “SABER”.
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
Atividade 1: Vamos identificar a diferença de sentido das
conjunções subordinativas!!!!!!
1. Compare os seguintes períodos:
 Eles devem apresentar um levantamento das necessidades locais
e uma possível solução, pois o trabalho não pode ficar restrito a
visitas ou ao mero assistencialismo;
 Eles devem apresentar um levantamento das necessidades locais
e uma possível solução; o trabalho não fica, pois, restrito a
visitas ou ao mero assistencialismo.
• Explique a diferença de sentido existente entre eles.
• Sentido Explicativo / Sentido Conclusivo
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
2. Compare estas frases:
Escolha o presente mais depressa, pois a loja vai
fechar;
A loja vai fechar; escolha, pois, o presente mais
depressa.
Explique a diferença de sentido nas duas orações.
Sentido Explicativo/ Sentido Conclusivo
Língua Portuguesa, 2º ano
A Conjunção na construção do texto
•3. Dadas as frases:
Volte para casa. Eu terminarei o trabalho.
• Agrupe-as em um único período de modo a
conseguir um sentido conclusivo.
• Eu terminarei o trabalho, por isso volte para
casa.
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
Observação importante!!!
• Locução conjuntiva subordinativa = quando
duas ou mais palavras são empregadas com o
valor de conjunção.
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
• Locução Conjuntiva de Subordinação
• Uma vez que ele chegou até aqui, merece ir até o fim. (causal)
• Comprarei as passagens, ainda que precisemos viajar à noite.
(concessiva)
• Posso fazer-lhe este favor, contanto que não me peça mais
nada. (condicional)
• Ele sempre passa pela mesma rua, de modo que os
moradores já o conhecem. (consecutiva)
• Ele fez isso a fim de que todos se lembrassem de sua pessoa.
(final)
• À medida que as pessoas vão chegando, ela fica mais nervosa.
(proporcional) (8)
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
FIQUE ANTENADO !!!!!!
Leia um trecho do poema do poeta romântico Álvares de
Azevedo, escrito um mês antes de sua morte.
SE EU MORRESSE AMANHÃ
Se eu morresse amanhã, viria ao menos
Fechar meus minha triste irmã;
Minha mãe de saudades morreria
Se eu morresse amanhã !
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
Quanta glória pressinto em meu futuro !
Que aurora de porvir e que manhã !
Eu perdera chorando essas coroas
Se eu morresse amanhã !
Mas essa dor da vida que devora
A ânsia da glória, o dolorido afã...
A dor no peito emudecera ao menos
Se eu morresse amanhã !
Língua Portuguesa, 2º ano
A conjunção na construção do texto
A conjunção “se” funciona neste poema como um
suporte linguístico para o eu lírico adentrar o plano
hipotético, o plano da fantasia .
O “se” estabelece no texto uma relação de:
Condição e Concessão
Língua Portuguesa, 2º ano
A Conjunção na construção do texto
A quarta estrofe é introduzida pela conjunção “mas”
e apresenta a ideia de um importante ganho – e
talvez o único verdadeiro – no caso de uma morte
súbita e precoce . “Mas” possui valor de oposição e
essa ideia opõe no contexto o fim da dor .
Slide3 Autoria / Licença Link da Fonte Data do
Acesso
15 Burger King /
http://jahnela.blogspot.com.br/2011/03/burgue
r-king.html
http://jahnela.blogspot.com.br/2011/03/burgue
r-king.html
06/04/2012
Tabela de Imagens

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuaçãoAula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuaçãoPéricles Penuel
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbalPaolaLins
 
Estudo dos verbos - Prof. Ana Glades
Estudo dos verbos - Prof. Ana GladesEstudo dos verbos - Prof. Ana Glades
Estudo dos verbos - Prof. Ana GladesAna Glades Nogueira
 
Termos relacionados ao verbo
Termos relacionados ao verboTermos relacionados ao verbo
Termos relacionados ao verboElaine Teixeira
 
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento Nominal
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento NominalAdjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento Nominal
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento NominalCynthia Funchal
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisEdson Alves
 
Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasElaine Teixeira
 
Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Keu Oliveira
 
Análise sintática dos pronomes relativos
Análise sintática dos pronomes relativosAnálise sintática dos pronomes relativos
Análise sintática dos pronomes relativosnixsonmachado
 
Concordância Nominal
Concordância NominalConcordância Nominal
Concordância NominalAngela Santos
 
Conjunções coordenativas
Conjunções coordenativasConjunções coordenativas
Conjunções coordenativasBlog Estudo
 

Mais procurados (20)

Aula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuaçãoAula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuação
 
Orações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivasOrações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivas
 
Orações adjetivas
Orações adjetivasOrações adjetivas
Orações adjetivas
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
 
Regência Nominal
Regência NominalRegência Nominal
Regência Nominal
 
Estudo dos verbos - Prof. Ana Glades
Estudo dos verbos - Prof. Ana GladesEstudo dos verbos - Prof. Ana Glades
Estudo dos verbos - Prof. Ana Glades
 
Período composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoPeríodo composto por coordenação
Período composto por coordenação
 
Termos relacionados ao verbo
Termos relacionados ao verboTermos relacionados ao verbo
Termos relacionados ao verbo
 
Predicação verbal
Predicação verbalPredicação verbal
Predicação verbal
 
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento Nominal
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento NominalAdjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento Nominal
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento Nominal
 
Termos da oração
Termos da oraçãoTermos da oração
Termos da oração
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas Substantivas
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
 
Regência verbal
Regência verbalRegência verbal
Regência verbal
 
Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.
 
Análise sintática dos pronomes relativos
Análise sintática dos pronomes relativosAnálise sintática dos pronomes relativos
Análise sintática dos pronomes relativos
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Concordância Nominal
Concordância NominalConcordância Nominal
Concordância Nominal
 
Conjunções coordenativas
Conjunções coordenativasConjunções coordenativas
Conjunções coordenativas
 

Semelhante a Conjunção texto

As conjunções subordinativas na construção do texto (1).pptx
As conjunções subordinativas na construção do texto (1).pptxAs conjunções subordinativas na construção do texto (1).pptx
As conjunções subordinativas na construção do texto (1).pptxrelampianoeditora
 
Conjunções coordenadas
Conjunções coordenadasConjunções coordenadas
Conjunções coordenadasAldo Socram
 
Advérbios e preposições
Advérbios e preposiçõesAdvérbios e preposições
Advérbios e preposiçõesBlog Estudo
 
05 - Orações subordinadas substantivas
05 - Orações subordinadas substantivas05 - Orações subordinadas substantivas
05 - Orações subordinadas substantivasNAPNE
 
Conjunção semântica - 1º ano reg - 13, 14out2011
Conjunção   semântica - 1º ano reg - 13, 14out2011Conjunção   semântica - 1º ano reg - 13, 14out2011
Conjunção semântica - 1º ano reg - 13, 14out2011Caroline Lucena da Silva
 
SLIDES - CONECTORES.ppt
SLIDES - CONECTORES.pptSLIDES - CONECTORES.ppt
SLIDES - CONECTORES.pptLauraYouTuber
 
W19 Coord Sub Caus Cond Temp Fin
W19 Coord Sub Caus Cond Temp FinW19 Coord Sub Caus Cond Temp Fin
W19 Coord Sub Caus Cond Temp FinFernanda Soares
 
Texto descritivo e conjunção
Texto descritivo e conjunçãoTexto descritivo e conjunção
Texto descritivo e conjunçãoValeria Nunes
 
Língua portuguesa artigo 2 infinitivo ou nao
Língua portuguesa artigo 2   infinitivo ou naoLíngua portuguesa artigo 2   infinitivo ou nao
Língua portuguesa artigo 2 infinitivo ou naoIsabelly Sarmento
 
Oracoescoordenadasesubordinadas
OracoescoordenadasesubordinadasOracoescoordenadasesubordinadas
OracoescoordenadasesubordinadasAndrea Seica
 
Oracoescoordenadasesubordinadas (1)
Oracoescoordenadasesubordinadas (1)Oracoescoordenadasesubordinadas (1)
Oracoescoordenadasesubordinadas (1)Óscar Mendes Silva
 
Aula 12
Aula 12Aula 12
Aula 12gsbq
 
Coerência textual
Coerência textualCoerência textual
Coerência textualCarla Souto
 
W12 Coord Sub Caus Cond Temp
W12 Coord Sub Caus Cond TempW12 Coord Sub Caus Cond Temp
W12 Coord Sub Caus Cond TempFernanda Soares
 

Semelhante a Conjunção texto (20)

As conjunções subordinativas na construção do texto (1).pptx
As conjunções subordinativas na construção do texto (1).pptxAs conjunções subordinativas na construção do texto (1).pptx
As conjunções subordinativas na construção do texto (1).pptx
 
Conjunções coordenadas.pptx
Conjunções coordenadas.pptxConjunções coordenadas.pptx
Conjunções coordenadas.pptx
 
Conjunções coordenadas
Conjunções coordenadasConjunções coordenadas
Conjunções coordenadas
 
Advérbios e preposições
Advérbios e preposiçõesAdvérbios e preposições
Advérbios e preposições
 
05 - Orações subordinadas substantivas
05 - Orações subordinadas substantivas05 - Orações subordinadas substantivas
05 - Orações subordinadas substantivas
 
Conjunção semântica - 1º ano reg - 13, 14out2011
Conjunção   semântica - 1º ano reg - 13, 14out2011Conjunção   semântica - 1º ano reg - 13, 14out2011
Conjunção semântica - 1º ano reg - 13, 14out2011
 
SLIDES - CONECTORES.ppt
SLIDES - CONECTORES.pptSLIDES - CONECTORES.ppt
SLIDES - CONECTORES.ppt
 
W19 Coord Sub Caus Cond Temp Fin
W19 Coord Sub Caus Cond Temp FinW19 Coord Sub Caus Cond Temp Fin
W19 Coord Sub Caus Cond Temp Fin
 
Texto descritivo e conjunção
Texto descritivo e conjunçãoTexto descritivo e conjunção
Texto descritivo e conjunção
 
Manual Estilistica portugues PLE
Manual Estilistica portugues PLEManual Estilistica portugues PLE
Manual Estilistica portugues PLE
 
Estilística.PDF
Estilística.PDFEstilística.PDF
Estilística.PDF
 
Ambiguidade
AmbiguidadeAmbiguidade
Ambiguidade
 
Língua portuguesa artigo 2 infinitivo ou nao
Língua portuguesa artigo 2   infinitivo ou naoLíngua portuguesa artigo 2   infinitivo ou nao
Língua portuguesa artigo 2 infinitivo ou nao
 
AULÃO 07.pptx
AULÃO  07.pptxAULÃO  07.pptx
AULÃO 07.pptx
 
Oracoescoordenadasesubordinadas
OracoescoordenadasesubordinadasOracoescoordenadasesubordinadas
Oracoescoordenadasesubordinadas
 
Oracoescoordenadasesubordinadas (1)
Oracoescoordenadasesubordinadas (1)Oracoescoordenadasesubordinadas (1)
Oracoescoordenadasesubordinadas (1)
 
Aula 12
Aula 12Aula 12
Aula 12
 
Coord sub
Coord sub Coord sub
Coord sub
 
Coerência textual
Coerência textualCoerência textual
Coerência textual
 
W12 Coord Sub Caus Cond Temp
W12 Coord Sub Caus Cond TempW12 Coord Sub Caus Cond Temp
W12 Coord Sub Caus Cond Temp
 

Último

A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamentalgeone480617
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 

Último (20)

A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 

Conjunção texto

  • 1. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias – Português Ensino Médio, 2ª Série A conjunção na construção do texto
  • 2. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto LEIA ESSES VERSOS DE CARLOS DRUMMONND DE ANDRADE POESIA “Gastei uma hora pensando um verso Que a pena não quer escrever. No entanto ele está cá dentro Inquieto, vivo. Ele está cá dentro E não quer sair. Mas a poesia deste momento Inunda minha vida inteira”.
  • 3. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto COMENTÁRIOS : 1) No terceiro verso, a expressão NO ENTANTO, mesmo separada por ponto final , está ligada ao sentido da frase anterior , expressando ideia oposta : o verso não é escrito, não se revela, NO ENTANTO (mas) está pronto na mente do poeta; 2) A palavra “e”, que exprime acréscimo ou sons, liga o sexto verso ao quinto;
  • 4. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto 3) A palavra “mas” funciona como elemento de ligação entre a última oração e o sexto verso, indicando ideia contrária. OBSERVAÇÃO : Esses elementos de ligação entre orações e palavras chamam–se CONJUNÇÃO.
  • 5. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto Conceito de conjunção • CONJUNÇÃO é uma classe de palavras que tem o poder de habilitar uma oração inteira a exercer, no interior de um enunciado, a função sintática que poderia ser desempenhada apenas por uma palavra. Além disso, ela tem a propriedade de ligar orações sintaticamente independentes ou termos semelhantes em um mesmo enunciado.
  • 6. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto PARA QUE SERVEM AS CONJUNÇÕES ? Com o desenvolvimento do ser humano nos mais diferentes campos – científico, social, cultural, tecnológico, etc. – as formas de comunicação e de relacionamento social tornam-se cada vez mais complexas. Para dar conta da complexidade crescente do mundo e das ideias, a linguagem verbal também se desenvolve e cria mecanismos específicos para estabelecer relações entre as ideias.
  • 7. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto CONJUNÇÃO NAS PERSPECTIVAS : • SINTÁTICA; • MORFOLÓGICA; • SEMÂNTICA.
  • 8. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto A CONJUNÇÃO NA PERSPECTIVA SINTÁTICA A) Elas conquistaram o campeonato. B) As jogadoras estão comemorando, pois elas conquistaram o campeonato . COMENTÁRIO : A frase “A” constitui um enunciado independente; já em “B”, a frase passa a indicar a causa do que se diz na oração “As jogadoras estão comemorando”. A frase “B” exerce sobre a primeira oração a mesma função que um advérbio exerceria. E o elemento que mostra essa mudança de função, ao mesmo tempo que une as duas orações, é a palavra “pois”.
  • 9. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto A CONJUNÇÃO NA PERSPECTIVA MORFOLÓGICA As conjunções são palavras compostas por “morfemas gramaticais” e que não sofrem flexão; portanto, são invariáveis. Elas podem ser representadas por uma única palavra – pois, e, que, mas, etc. – ou por uma locução: à medida que, de forma que, apesar de que, etc. As locuções terminam com uma conjunção.
  • 10. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto A CONJUNÇÃO NA PERSPECTIVA SEMÂNTICA: Conforme a relação semântica estabelecida entre os termos ou orações conectados, distinguem-se os tipos de conjunção descritos a seguir:
  • 11. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto Conjunção A conjunção, além de ligar palavras ou orações, dá uma direção argumentativa ao texto e estabelece uma relação semântica entre as orações. As conjunções podem ser: 1- Coordenativas; 2- Subordinativas Para saber mais: http://centraldamorfologia.blogspot.com.br/2010/ 11/interjeicao.html
  • 12. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto Conjunções coordenativas 1- Aditivas: ideia de soma, adição. Ex: Saio feliz e volto cansada. (e, nem, mas também...) 2- Adversativas: ideia de oposição, contraste. Ex: Estarei em casa, mas não vou atendê-lo. (mas, porém, todavia, contudo, no entanto...) 3- Alternativas: ideia de alternância. Ex: Caso ou viajo? (ou...ou, ora...ora, quer...quer) 4- Conclusivas: ideia de conclusão de um pensamento. Ex: (1) Ela é nova, portanto não irá namorar. (logo, portanto, por isso, pois (após o verbo) (2) Ela é catanduvense, é, pois, boa gente. 5- Explicativas: ideia de explicação, razão, motivo. Ex: (1) Não brinque com fogo, porque é perigoso. (porque, que, pois (antes do verbo). (2) Ela passou no vestibular, pois estudou muito (1).
  • 13. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto Conjunções subordinativas - classificação 1- Integrantes – fazem parte da regência de um verbo ou nome; integram uma oração substantiva. EX: Eu disse que ele viria. (que/ se). 2- Causais – exprimem causa, razão. Toda causa pressupõe uma consequência. Ex: Como ela gritou não disse nada. (porque, que, pois, visto que, já que, uma vez que). 3- Comparativa – ideia de comparação. Ex: João teimou como um burro. (como, mais que, pior que, melhor que...). 4- Concessivas – fato contrário ao que se encontra na oração principal, ainda que não seja suficiente para anulá-lo. Ex: Vou ao baile, mesmo que chova. (embora, se bem que, mesmo que, ainda que, conquanto...). 5- Condicionais – ideia de condição, hipótese. Ex: Desde que comesse, eu cozinharia. (se, caso, desde que, contanto que...) (2).
  • 14. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto Classificação das conjunções subordinativas - continuação 6- Conformativas – ideia de concordância, conformidade. Ex: Conforme lhe disse, viajarei amanhã. (segundo, conforme,como). 7- Consecutivas – consequência, efeito do que foi expresso anteriormente. Ex: Ela comeu tanto que passou mal. (que – acompanhado de tão...que, tanto...que, tamanho...que, tal...que). 8- Temporais – ideia de tempo. Ex: Mal o filme começara, ela sentiu-se mal. (quando, mal, logo que, sempre que, assim que...). 9- Finais – ideia de finalidade. Ex: Estudamos bastante a fim de que passássemos no vestibular. 10- Proporcionais – ideia de proporcionalidade, simultaneidade. Ex: Quanto mais economizava, mais sentia prazer. (à proporção que, à medida que, quanto mais, quanto menos...) (3)
  • 15. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto Polissemia das conjunções Polissemia – os vários sentidos, valores semânticos diferentes, dependendo o Contexto (4). Imagem: Burger King / http://jahnela.blogspot.com.br/2011/03/burguer-king.html
  • 16. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto Polissemia das conjunções: E / COMO/SE (6). E – Estudou muito e foi reprovado. (oposição). Estudou muito e passou. (conclusão, consequência.) Era homem e muito homem! (explicação enfática). Saiu do escritório e foi para casa. (adição) E o Palmeiras? Ganha o campeonato? (assunto/ situação). COMO – Dormia como um anjo. (comparação). Como era pobre não pode estudar. (causa). Ensinava os colegas como o mestre o orientou. (conformidade). SE – Se não foi uma ofensa a todos, ainda assim insultou os jovens. (concessão). Se não chover irei a sua casa. (condição).
  • 17. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto VALE SABER !!!!!!! A palavra subordinativa vem de “subordinar”, que quer dizer “estabelecer uma relação entre dois seres em que um passa a ser superior, e outro, inferior; dominar, submeter, sujeitar”. Já a palavra coordenativa vem de “coordenar”, que significa “justapor, pôr lado a lado”.
  • 18. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto 1) A conjunção como pode ter três valores semânticos: causa, comparação e conformidade (7). Ex: “Como estivesse chovendo, não saí de casa” .  indica “causa”, pois poderia ser substituída por “já que”. Ex: “Faço o trabalho como o regulamento prescreve”.  indica “conformidade”, pois poderia ser substituída por “conforme”. Ex: “Ele age como o pai”.  indica “comparação”, pois poderia ser substituída por “igual a”. Atividades
  • 19. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto 2) A conjunção SE, além de ser condicional, pode ser causal ou iniciar uma oração subordinada substantiva; nesse caso, denomina-se “conjunção integrante” (8). Ex: “Se você estudar, conseguirá seu objetivo”.  indica condição e poderia ser substituído por “caso”. Ex: “Se você sabia que era proibido entrar, por que não me avisou?”  indica causa e poderia ser substituído por “já que”. Ex: “Não sei se ficarei lá muito tempo”.  indica uma conjunção integrante, pois “se ficarei lá” funciona como “objeto direto” do verbo “SABER”.
  • 20. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto Atividade 1: Vamos identificar a diferença de sentido das conjunções subordinativas!!!!!! 1. Compare os seguintes períodos:  Eles devem apresentar um levantamento das necessidades locais e uma possível solução, pois o trabalho não pode ficar restrito a visitas ou ao mero assistencialismo;  Eles devem apresentar um levantamento das necessidades locais e uma possível solução; o trabalho não fica, pois, restrito a visitas ou ao mero assistencialismo. • Explique a diferença de sentido existente entre eles. • Sentido Explicativo / Sentido Conclusivo
  • 21. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto 2. Compare estas frases: Escolha o presente mais depressa, pois a loja vai fechar; A loja vai fechar; escolha, pois, o presente mais depressa. Explique a diferença de sentido nas duas orações. Sentido Explicativo/ Sentido Conclusivo
  • 22. Língua Portuguesa, 2º ano A Conjunção na construção do texto •3. Dadas as frases: Volte para casa. Eu terminarei o trabalho. • Agrupe-as em um único período de modo a conseguir um sentido conclusivo. • Eu terminarei o trabalho, por isso volte para casa.
  • 23. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto Observação importante!!! • Locução conjuntiva subordinativa = quando duas ou mais palavras são empregadas com o valor de conjunção.
  • 24. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto • Locução Conjuntiva de Subordinação • Uma vez que ele chegou até aqui, merece ir até o fim. (causal) • Comprarei as passagens, ainda que precisemos viajar à noite. (concessiva) • Posso fazer-lhe este favor, contanto que não me peça mais nada. (condicional) • Ele sempre passa pela mesma rua, de modo que os moradores já o conhecem. (consecutiva) • Ele fez isso a fim de que todos se lembrassem de sua pessoa. (final) • À medida que as pessoas vão chegando, ela fica mais nervosa. (proporcional) (8)
  • 25. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto FIQUE ANTENADO !!!!!! Leia um trecho do poema do poeta romântico Álvares de Azevedo, escrito um mês antes de sua morte. SE EU MORRESSE AMANHÃ Se eu morresse amanhã, viria ao menos Fechar meus minha triste irmã; Minha mãe de saudades morreria Se eu morresse amanhã !
  • 26. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto Quanta glória pressinto em meu futuro ! Que aurora de porvir e que manhã ! Eu perdera chorando essas coroas Se eu morresse amanhã ! Mas essa dor da vida que devora A ânsia da glória, o dolorido afã... A dor no peito emudecera ao menos Se eu morresse amanhã !
  • 27. Língua Portuguesa, 2º ano A conjunção na construção do texto A conjunção “se” funciona neste poema como um suporte linguístico para o eu lírico adentrar o plano hipotético, o plano da fantasia . O “se” estabelece no texto uma relação de: Condição e Concessão
  • 28. Língua Portuguesa, 2º ano A Conjunção na construção do texto A quarta estrofe é introduzida pela conjunção “mas” e apresenta a ideia de um importante ganho – e talvez o único verdadeiro – no caso de uma morte súbita e precoce . “Mas” possui valor de oposição e essa ideia opõe no contexto o fim da dor .
  • 29. Slide3 Autoria / Licença Link da Fonte Data do Acesso 15 Burger King / http://jahnela.blogspot.com.br/2011/03/burgue r-king.html http://jahnela.blogspot.com.br/2011/03/burgue r-king.html 06/04/2012 Tabela de Imagens