O ABSOLUTISMO
Luís XIV (14):
• Podemos definir o absolutismo como um
sistema político e administrativo que
prevaleceu nos países da Europa, na época do...
• No final da Idade Média (séculos XIV e XV),
ocorreu uma forte centralização política nas
mãos dos reis. A burguesia come...
Casal de Burgueses:
Burgueses:
• Portanto, a burguesia forneceu apoio político
e financeiro aos reis, que em troca, criaram
um sistema administrativo efi...
• Nesta época, o rei concentrava praticamente
todos os poderes. Criava leis sem autorização
ou aprovação política da socie...
Palácio de Versalhes – França:
• Todos os luxos e gastos da corte eram
mantidos pelos impostos e taxas pagos,
principalmente, pela população mais pobre.
...
• Os reis usavam a força e a violência de seus
exércitos para reprimir, prender ou até
mesmo matar qualquer pessoa que fos...
O Absolutismo na França:
• Se a França serviu de inspiração a outros
regimes absolutistas, o rei Luís XIV foi o rei de
mai...
Luís XIV:
• Nos primeiros anos de seu reinado, Luís XIV
permaneceu sob a regência de sua mãe, a
rainha Ana da Áustria - viúva de Luí...
• Luís XIV foi um dos maiores exemplos de rei
absolutista, não apenas pelo grande poder
que exerceu, mas por toda a organi...
Alguns reis absolutistas:
• Henrique VIII - Dinastia Tudor : governou a
Inglaterra no século XVII;
• Elizabeth I - Dinasti...
Henrique VIII:
Elizabeth I
• Luis XIV - Dinastia dos Bourbons - conhecido
como Rei Sol - governou a França entre 1643 e
1715.
• Fernando de Aragão e ...
Isabel de Castela e Fernando de
Aragão:
• Muitos filósofos desta época desenvolveram
teorias e chegaram até mesmo a escrever
livros defendendo o poder dos monarca...
Jacques Bossuet:
• Nicolau Maquiavel : Escreveu um livro, " O
Príncipe", onde defendia o poder absoluto
dos reis. De acordo com as idéias d...
Nicolau Maquiavel:
Thomas Hobbes:
• Thomas Hobbes : Este pensador inglês, autor
do livro " O Leviatã ", defendia a idéia de que
o rei tinha o poder de salva...
• A base social do Absolutismo era o privilégio:
honras, riquezas e poderes eram reservados a
um pequeno grupo de pessoas....
• privilégios jurídicos (direito de passar
testamento, tribunais e penas especiais);
• privilégios econômicos (isenções de...
• O mercantilismo foi a base da economia,
subordinada à política, com muitos impostos
para as importações, busca de mercad...
A corte francesa:
O Palácio de Versalhes:
Os servos:
Algumas Características do
Absolutismo:
• 1 - O Direito divino dos Reis: a autoridade do
rei vem de Deus e a ninguém ele d...
• 2 - A unidade política se fundamentava na
unidade religiosa: um Rei, uma Fé, uma Lei.
Quem não seguia a religião do rei ...
• 3 - A Religião do Estado: nos países católicos,
a religião católica era a única permitida. Era
dever do rei defendê-la e...
• 4 – Somente a Igreja podia ajudar as pessoas
e ensinar: o Estado não se interessava pela
instrução pública, que ficava n...
• 5 - As imunidades dos nobres são estendidas
à Igreja e ao clero.
• Imunidades reais: os bens eclesiásticos eram
isentos ...
• Imunidades pessoais: isenção do serviço
militar, direito de serem julgados por um
tribunal eclesiástico. Era o foro ecle...
• O Mercantilismo ( sistema econômico da
época do Absolutismo)
• interferência dos reis na economia
• valorização do comér...
• • a Balança Comercial favorável (exportar mais do
que importar)
• Protecionismo alfandegário (criação de impostos e
taxa...
O Absolutismo inglês:
• A afirmação do poder real na Inglaterra tem início no
século XVI, com a Dinastia Tudor. Henrique V...
Henrique VII:
Henrique VIII:
As esposas de Henrique VIII:
• Apesar de ter sido um rei com poderes
absolutos, ter rompido com a Igreja Católica,
criado ...
1ª - Catarina de Aragão:
Catarina de Aragão
• Princesa espanhola, Catarina de Aragão tinha
casado com o irmão mais velho de Henrique,
que morreu su...
• Ele pediu ao Papa Clemente VII que
concedesse seu divórcio; quando o Papa se
negou, Henrique VII fez Reforma Religiosa.
...
2ª- Ana Bolena:
• Ana Bolena: casou-se em 1534. Deu a
Henrique VIII uma filha, Elizabeth,que depois
seria rainha da Inglaterra. Foi acusad...
3ª- Jane Seymour:
• Jane Seymor: casou-se com Henrique VIII seis
dias após a execução de Ana Bolena. Jane
Seymour foi a mulher favorita de H...
4ª - Ana de Cléves:
Ana de Cléves:
• Princesa alemã, Henrique casou-se com ela
por motivos políticos, em 1540. Ela não era
bonita e tinha o ro...
• Ana recebeu uma generosa soma de dinheiro
e era bem-vinda na corte, onde a chamavam
de “Irmã Amada do Rei”.
5ª - Catherine Howard:
• Catherine Howard: inglesa, casou-se em 1541
e ficou casada com Henrique por 16 meses.
Ele estava com quase 50 anos e ela...
6ª- Catherine Parr:
• Catherine Parr: inglesa, antes de se casar com
Henrique VIII, em 1543, ela já tinha se casado
e enviuvado duas vezes. Ai...
• Enquanto rainha, Catherine Parr procurou
reconciliar o rei com as suas duas filhas, as
princesas Mary e Elizabeth, que e...
Castelo Tower Hill:
Elizabeth I:
• Elizabeth I (1533-1603), rainha da Inglaterra e
da Irlanda (1558-1603), filha de Henrique VIII
e de Ana Bolena. Última r...
• Neste período, a Inglaterra estava dividida
pelo conflito religioso, economicamente
instável e em guerra com a França. S...
• Durante todo o seu governo, católicos e
puritanos foram perseguidos.Resolvida a
questão religiosa e terminada a guerra c...
• Graças ao empenho de marinheiros como sir
Francis Drake a Inglaterra destacou-se como
potência marítima.Em 1560, um novo...
Francis Drake:
• Mary Stuart tinha educação francesa e católica
e era considerada uma ameaça tanto para a
Escócia protestante como para a...
Mary Stuart:
• No final do reinado, grandes gastos e abuso
do poder contribuíram para o declínio da
popularidade de Elizabeth I. Não fa...
Filipe II:
A invencível Armada:
A invencível Armada:
Francis Drake:
Navio Pirata:
Ilhas do Caribe:
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
O absolutismo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O absolutismo

314 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
314
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O absolutismo

  1. 1. O ABSOLUTISMO
  2. 2. Luís XIV (14):
  3. 3. • Podemos definir o absolutismo como um sistema político e administrativo que prevaleceu nos países da Europa, na época do Antigo Regime (séculos XVI ao XVIII ).
  4. 4. • No final da Idade Média (séculos XIV e XV), ocorreu uma forte centralização política nas mãos dos reis. A burguesia comercial ajudou muito neste processo, pois interessava a ela um governo forte e capaz de organizar a sociedade.
  5. 5. Casal de Burgueses:
  6. 6. Burgueses:
  7. 7. • Portanto, a burguesia forneceu apoio político e financeiro aos reis, que em troca, criaram um sistema administrativo eficiente, unificando moedas e impostos e melhorando a segurança dentro de seus reinos.
  8. 8. • Nesta época, o rei concentrava praticamente todos os poderes. Criava leis sem autorização ou aprovação política da sociedade. • Criava impostos, taxas e obrigações de acordo com seus interesses econômicos. Agia em assuntos religiosos, chegando, até mesmo, a controlar o clero (Igreja) em algumas regiões.
  9. 9. Palácio de Versalhes – França:
  10. 10. • Todos os luxos e gastos da corte eram mantidos pelos impostos e taxas pagos, principalmente, pela população mais pobre. Os pobres não tinham nenhum poder político para exigir ou negociar qualquer benefício.
  11. 11. • Os reis usavam a força e a violência de seus exércitos para reprimir, prender ou até mesmo matar qualquer pessoa que fosse contrária aos seus interesses ou suas leis.
  12. 12. O Absolutismo na França: • Se a França serviu de inspiração a outros regimes absolutistas, o rei Luís XIV foi o rei de maior poder. Também conhecido como Rei Sol, Luís XIV governou a França entre 1643 a 1715, período em que promoveu mudanças na economia, na política, no exército e nos costumes franceses.
  13. 13. Luís XIV:
  14. 14. • Nos primeiros anos de seu reinado, Luís XIV permaneceu sob a regência de sua mãe, a rainha Ana da Áustria - viúva de Luís XIII, que morreu em maio de 1643. • Luís XIV assumiu o trono em 1651, aos 13 anos. De 1651 até o final de seu reinado, governou sozinho a França, sem nomear um primeiro- ministro, como era o costume.
  15. 15. • Luís XIV foi um dos maiores exemplos de rei absolutista, não apenas pelo grande poder que exerceu, mas por toda a organização político-social que construiu em torno de si mesmo. Talvez por isso se explique a famosa frase atribuída a ele, e que tão bem representa o espírito do absolutismo: L'État c'est moi - o Estado sou eu.
  16. 16. Alguns reis absolutistas: • Henrique VIII - Dinastia Tudor : governou a Inglaterra no século XVII; • Elizabeth I - Dinastia Tudor - rainha da Inglaterra no século XVII ;
  17. 17. Henrique VIII:
  18. 18. Elizabeth I
  19. 19. • Luis XIV - Dinastia dos Bourbons - conhecido como Rei Sol - governou a França entre 1643 e 1715. • Fernando de Aragão e Isabel de Castela - governaram a Espanha no século XVI.
  20. 20. Isabel de Castela e Fernando de Aragão:
  21. 21. • Muitos filósofos desta época desenvolveram teorias e chegaram até mesmo a escrever livros defendendo o poder dos monarcas europeus. • Jacques Bossuet : para este filósofo francês o rei era o representante de Deus na Terra. Portanto, todos deveriam obedecê-lo sem contestar suas atitudes.
  22. 22. Jacques Bossuet:
  23. 23. • Nicolau Maquiavel : Escreveu um livro, " O Príncipe", onde defendia o poder absoluto dos reis. De acordo com as idéias deste livro, o governante poderia fazer qualquer coisa em seu território para conseguir manter o poder. • É deste escritor a famosa frase : " Os fins justificam os meios."
  24. 24. Nicolau Maquiavel:
  25. 25. Thomas Hobbes:
  26. 26. • Thomas Hobbes : Este pensador inglês, autor do livro " O Leviatã ", defendia a idéia de que o rei tinha o poder de salvar a sociedade de ser selvagem; porque para ela “todo homem é mau por natureza”portanto, a população deveria ceder ao Estado (governo) todos os poderes.
  27. 27. • A base social do Absolutismo era o privilégio: honras, riquezas e poderes eram reservados a um pequeno grupo de pessoas. • privilégios sociais (acesso exclusivo a cargos públicos, cargo de oficial no exército, colégios, roupas melhores...);
  28. 28. • privilégios jurídicos (direito de passar testamento, tribunais e penas especiais); • privilégios econômicos (isenções de impostos que recaíam sobre os pobres).
  29. 29. • O mercantilismo foi a base da economia, subordinada à política, com muitos impostos para as importações, busca de mercados consumidores e aumento do território através de guerras que empobreciam o país e os pobres, em contraste com o luxo nas cortes e palácios.
  30. 30. A corte francesa:
  31. 31. O Palácio de Versalhes:
  32. 32. Os servos:
  33. 33. Algumas Características do Absolutismo: • 1 - O Direito divino dos Reis: a autoridade do rei vem de Deus e a ninguém ele devia explicação de suas atitudes. Sua pessoa é sagrada.
  34. 34. • 2 - A unidade política se fundamentava na unidade religiosa: um Rei, uma Fé, uma Lei. Quem não seguia a religião do rei era privado dos direitos políticos (cargos públicos) e civis (liberdade de domicílio, de trânsito, de profissão, de propriedade).
  35. 35. • 3 - A Religião do Estado: nos países católicos, a religião católica era a única permitida. Era dever do rei defendê-la e promovê-la, impedindo o proselitismo, a difusão de livros contrários à religião e considerando os delitos contra a religião como delitos contra o Estado.Cumprir os deveres religiosos era obrigatório para ter direitos civis.
  36. 36. • 4 – Somente a Igreja podia ajudar as pessoas e ensinar: o Estado não se interessava pela instrução pública, que ficava nas mãos dos religiosos. As obras assistenciais também estavam nas mãos da Igreja, que possuía e recebia os meios para mantê-las, sendo este seu grande título de glória.
  37. 37. • 5 - As imunidades dos nobres são estendidas à Igreja e ao clero. • Imunidades reais: os bens eclesiásticos eram isentos de taxas e inalienáveis; • Imunidades locais: direito de asilo conferido às Igrejas e edifícios anexos;
  38. 38. • Imunidades pessoais: isenção do serviço militar, direito de serem julgados por um tribunal eclesiástico. Era o foro eclesiástico.
  39. 39. • O Mercantilismo ( sistema econômico da época do Absolutismo) • interferência dos reis na economia • valorização do comércio • o Metalismo ( quanto mais ouro tivesse um país, mais rico ele seria e o rei mais poderoso)
  40. 40. • • a Balança Comercial favorável (exportar mais do que importar) • Protecionismo alfandegário (criação de impostos e taxas para barrar a entrada de produtos estrangeiros) • Exploração das colônias ( exemplo: Brasil foi explorado por Portugal neste contexto).
  41. 41. O Absolutismo inglês: • A afirmação do poder real na Inglaterra tem início no século XVI, com a Dinastia Tudor. Henrique VIII, segundo rei da série, impôs-se à nobreza, unificou o país e chocou-se com o papado, o que lhe permitiu afastar a ingerência do poder universal e, ao mesmo tempo, assumir o controle da Igreja Anglicana e confiscar os bens da Igreja Católica.
  42. 42. Henrique VII:
  43. 43. Henrique VIII:
  44. 44. As esposas de Henrique VIII: • Apesar de ter sido um rei com poderes absolutos, ter rompido com a Igreja Católica, criado a sua própria religião e submetido os nobres ingleses à sua autoridade, Henrique VIII ficou conhecido na história por ter se casado seis vezes.
  45. 45. 1ª - Catarina de Aragão:
  46. 46. Catarina de Aragão • Princesa espanhola, Catarina de Aragão tinha casado com o irmão mais velho de Henrique, que morreu subitamente.Em 1509, casou-se com Henrique VIII, num casamento arranjado pelo pai dele.Ficaram casados até 1533, quando Henrique VIII decidiu acabar com a influência da Igreja Católica na Inglaterra e ficar com as terras e tesouros que pertenciam à Igreja na Inglaterra.
  47. 47. • Ele pediu ao Papa Clemente VII que concedesse seu divórcio; quando o Papa se negou, Henrique VII fez Reforma Religiosa. Catarina de Aragão foi rainha da Inglaterra por quase 24 anos e depois de sua substituição, Catarina continuou agindo de forma digna apesar de ter sido absurdamente maltratada.
  48. 48. 2ª- Ana Bolena:
  49. 49. • Ana Bolena: casou-se em 1534. Deu a Henrique VIII uma filha, Elizabeth,que depois seria rainha da Inglaterra. Foi acusada de infidelidade ao rei. O julgamento de Ana Bolena foi uma fraude absoluta. Ela era, na verdade, inocente, mas foi condenada, e ainda assim morreu com grande dignidade, decapitada em 1536.
  50. 50. 3ª- Jane Seymour:
  51. 51. • Jane Seymor: casou-se com Henrique VIII seis dias após a execução de Ana Bolena. Jane Seymour foi a mulher favorita de Henrique, tanto que ele foi enterrado a seu lado. Jane produziu o tão esperado primogênito do rei (Eduardo VI, que reinou mas morreu aos 15 anos, sem se casar). Ela morreu de uma complicação após o parto.
  52. 52. 4ª - Ana de Cléves:
  53. 53. Ana de Cléves: • Princesa alemã, Henrique casou-se com ela por motivos políticos, em 1540. Ela não era bonita e tinha o rosto marcado por cicatrizes de varíola. O casamento foi anulado pelo Parlamento 6 meses depois. Ela ficou na Inglaterra e se comportou com grande decoro.
  54. 54. • Ana recebeu uma generosa soma de dinheiro e era bem-vinda na corte, onde a chamavam de “Irmã Amada do Rei”.
  55. 55. 5ª - Catherine Howard:
  56. 56. • Catherine Howard: inglesa, casou-se em 1541 e ficou casada com Henrique por 16 meses. Ele estava com quase 50 anos e ela tinha, provavelmente, 19. Catherine Howard era muito indiscreta e admitiu ter tido alguns casos antes de se casar, um fato que invalidaria o matrimônio. Há indícios de que ela manteve amantes,durante o casamento e acabou pagando por isso com a cabeça.
  57. 57. 6ª- Catherine Parr:
  58. 58. • Catherine Parr: inglesa, antes de se casar com Henrique VIII, em 1543, ela já tinha se casado e enviuvado duas vezes. Ainda era rainha quando o rei faleceu, em 1547. Catherine Parr foi, talvez, a mulher com quem Henrique deveria ter ficado junto desde o começo. Ela era virtuosa, astuta e leal
  59. 59. • Enquanto rainha, Catherine Parr procurou reconciliar o rei com as suas duas filhas, as princesas Mary e Elizabeth, que ele considerava bastardas.
  60. 60. Castelo Tower Hill:
  61. 61. Elizabeth I:
  62. 62. • Elizabeth I (1533-1603), rainha da Inglaterra e da Irlanda (1558-1603), filha de Henrique VIII e de Ana Bolena. Última representante da dinastia Tudor a ocupar o trono da Inglaterra.Em 1558, com a morte de sua meia- irmã Mary I, a Católica, também conhecida como Mary Tudor, Elizabeth tornou-se rainha.
  63. 63. • Neste período, a Inglaterra estava dividida pelo conflito religioso, economicamente instável e em guerra com a França. Seu Parlamento aprovou a lei religiosa que mais tarde se converteria na base da doutrina da igreja anglicana da Inglaterra.
  64. 64. • Durante todo o seu governo, católicos e puritanos foram perseguidos.Resolvida a questão religiosa e terminada a guerra com a França (Tratado de Cateau-Cambrésis) (1559), a Inglaterra iniciou seu desenvolvimento econômico e industrial. Sob o reinado de Elizabeth I, teve início a regulamentação do comércio e da industria nacional.
  65. 65. • Graças ao empenho de marinheiros como sir Francis Drake a Inglaterra destacou-se como potência marítima.Em 1560, um novo sistema monetário começou a ser utilizado e o comércio passou a desenvolver-se segundo critérios capitalistas. O principal problema político de Elizabeth I foi sua prima Mary Stuart da Escócia.
  66. 66. Francis Drake:
  67. 67. • Mary Stuart tinha educação francesa e católica e era considerada uma ameaça tanto para a Escócia protestante como para a Inglaterra, cujo trono ambicionava. Mary Stuart foi decapitada por ordem de sua prima Elizabeth I. Sua morte proporcionou a Felipe II da Espanha mais um motivo para continuar a guerra com Inglaterra, iniciada em 1585, e a enviar a Invencível Armada.
  68. 68. Mary Stuart:
  69. 69. • No final do reinado, grandes gastos e abuso do poder contribuíram para o declínio da popularidade de Elizabeth I. Não faltam tentativas de rebelião e atentados à vida da rainha, mas a ordem social é mantida pelo terror.
  70. 70. Filipe II:
  71. 71. A invencível Armada:
  72. 72. A invencível Armada:
  73. 73. Francis Drake:
  74. 74. Navio Pirata:
  75. 75. Ilhas do Caribe:

×