Berizal, Minas Gerais

2.672 visualizações

Publicada em

Um pouco de nossa história, geografia, cultura, entre outros.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Berizal, Minas Gerais

  1. 1. APRESENTAÇÃO Caro(a) leitor (a), É um prazer está disponibilizando este trabalho aos alunos das escolas do município e demais interessados em fatos da história, cultura e turismo da cidade de Berizal- Minas Gerais. É importante que se esclareça que a escrita do livro não é um mérito meu, mas de uma equipe fantástica que são os alunos do 8° ano “Caetano Veloso” e 9° ano “Raul Seixas” de 2012. Os mesmos buscaram documentos importantes, relatos de moradores para a escrita do referido e realizaram a leitura de um livro já existente na cidade escrito por Maria Antônia Gomes Santos (in memoriam) foi de suma importância para aquisição e comprovação de fatos. À vocês meus queridos historiadores, os alunos, parabéns pelo empenho e dedicação pois conseguiram um número expressivo de informações além de produzirem textos maravilhosos sobre a nossa cidade. Que eles sirvam de estímulos para futuras criações. Espero que os leitores gostem do livro, pois o fizemos com muito carinho e cuidado em trazer uma informação verídica e confiável. Como disse aos meus alunos “Não posso passar pela vida sem fazer história”, afinal a fazemos todo dia e precisamos marcar, fazer algo importante não apenas para nós mas ao próximo, para que possamos ser eternos, lembrados pelos benefícios que trouxemos a sociedade. Um abraço a todos! Profª *Núbia Almeida Batista *Graduada em geografia pela UNIPAC, pós graduada em Geografia e em Gestão Ambiental pela Faculdade Promove de Janaúba. Atualmente trabalha na E.E. João Álvaro Bahia e na E.E. Conrado Veríssimo de Oliveira como professora de geografia e história.
  2. 2. 1. Geografia de Berizal Berizal é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2010 era de 4.371 habitantes. Está localizada no médio Jequitinhonha, faz parte da microrregião do Alto Rio Pardo e é banhada pelo Rio Pardo. O município limita-se com os municípios de Águas Vermelhas, Taiobeiras, São João do Paraíso e Curral de Dentro. Possui um área territorial de 493 Km² e uma população de 4.370 habitantes (estimativa IBGE 2010), sendo que a concentração da zona urbana (56,9%) supera a da zona rural(43,1%). Microrregião do Alto Rio Pardo Fonte:www.uniblog.com.br/levon/alto-rio-pardo.html Abaixo seguem alguns dados sobre Berizal: · Coordenadas geográficas: Latitude: -15.6139, Longitude: -41.7493 · 15° 36′ 50″ Sul, 41° 44′ 57″ Oeste · Superfície: 49.334 hectares 493,34 km² · Altitude: 694 m · Clima: Clima tropical com estação seca (Classificação climática de Köppen-Geiger: Aw) População Ocupada por Setores Econômicos 2000 SETORES No. DE PESSOAS Agropecuário, extração vegetal e pesca 354 Industrial 166 Comércio de Mercadorias 91 Serviços 295 TOTAL 906 Fonte: Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.
  3. 3. 2. Fatos Históricos Berizal, segundo registros obtidos pela eterna Historiadora Maria Antônia (dona Ninha) deve ter mais ou menos 200 anos de formação, pois tivemos nossas origens no processo de escravidão, algo em torno de 1780 . Os primeiros moradores de Berizal, não resta mais dúvida, foram os descendentes de escravos, a família das Clementinas, embora muitas pessoas renegue essa historia a, Historiadora Maria Antônia provou que isso é um fato e não boato. As famílias que chegaram depois das Clementinas foram "Os Sobrinho Silva", “Ferreiras Soutos” e os “Bahias”. Segundo Dona Ninha, “a cidade de Berizal foi Segundo Maria Antônia Gomes Santos, “a cidade de Berizal foi fundada por negros escravos foragidos e libertos da escravidão. Eles construíram as primeiras casas de enchimento, cobertas de palhas, sem nenhum conforto. No meio da povoação os escravos construíram uma igreja de adobe para o santo padroeiro São Sebastião. As terras no local da povoação foram doadas ao santo padroeiro por Clementina, uma negra que herdara terras do pai, mas a doação não foi documentada e até hoje esta situação não foi regularizada, por isso em Berizal quase ninguém tem escritura de imóveis. A povoação chamava-se "Curral de Varas", mais tarde o nome foi mudado para "Berizal". O nome Berizal foi criado pelo padre Jaime Ferreira, pároco da cidade de pedra Azul que naquela época atendia a comunidade religiosa de Berizal. "Beri" vem de brejos e "zal" de arrozal. A origem está nos brejos que naquele tempo existiam próximos a povoação e que produzia muito arroz. Politicamente Berizal pertencia a Salinas, mas em 1953 Taiobeiras emancipou-se de Salinas e Berizal ficou pertencendo a Taiobeiras em troca do povoado de Matrona. Em 16 de junho de 1968. Em 21 de dezembro de 1995 Berizal emancipou-se de Taiobeiras, tendo como primeiro prefeito o Senhor Emerson Ferreira Souto, o qual governou por mandatos consecutivos. A igreja construída pelos escravos foi demolida por um gesto criminoso de pessoas insensatas, e quase todas as casas antigas também já foram demolidas para darem lugar ao comércio.” Em relação a formação Administrativa o Distrito foi criado com a denominação Berizal, pela lei estadual nº 2764, de 30-12-1962, subordinado ao município de Taiobeiras.
  4. 4. Foi elevado à categoria de município de Berizal, pela lei estadual nº 12030, de 21-12-1995, desmembrado de Taiobeiras. 2.1 A VIDA EM BERIZAL: O PASSADO Aos domingos costumava haver missa e a maioria das pessoas das fazendas e sítios da região vinham a pé para a mesma, eram muitas pessoas que se deslocavam juntas quando as casas eram próximas umas das outras. Muitos contam que algumas pessoas andavam o percurso descalço e quando chegavam na cidade eles calçavam os sapatos que eram guardados para este tipo de cerimônia. Foto da antiga igreja, que foi demolida
  5. 5. "Um povo sem história jamais ousará pensar no futuro” Karl Marx. Vendo a foto de nossa antiga igreja é impossível não passar na cabeça um filme de um tempo vivido, de pessoas que nos foram muito caras e que certamente deram muita contribuição na construção dessa.... Por outro lado o que para muitos não passa de uma igreja feia, antiga, atrasada e outros adjetivos que ainda hoje são falados na inconsciente tentativa de justificar essa insanidade mental; para outros é um patrimônio cultural. Mas infelizmente o fato ocorreu, naquela época com o apoio de políticos influentes de nossa terra, a insanidade de alguns conterrâneos foi deplorável, e a minoria que não concordava foram obrigados a assistir a terrível destruição. A população não reagiu, a geração da época nada fez. Só nos restaram às lágrimas, as murmúrias de alguns e a poesia de Dona Ninha "História em Torrão" para acalmar aqueles corações que não concordavam em tombar/destruir nossa história. Igreja construída substituindo à antiga A RELIGIÃO Ao longo do tempo a região de Berizal pertenceu a várias paróquias; tais como: Pedra Azul, Araçuaí, Salinas. Quase não tinham missas, pois era muito difícil vir padres nesta localidade. Como tempo foi construído uma capelinha, tendo como padroeiro São Sebastião. Depois Berizal passou a pertencer a paróquia de Taiobeiras e a diocese de Montes
  6. 6. Claros. Hoje, a cidade é uma Quase- Paróquia, tendo missa todo mês na sede e nos povoados. No Povoado de Barreiros, a igreja tinha como padroeiros Bom Jesus e Santa Rita de Cássia. Porém, os moradores tiveram de escolher um, pois segundo o padre Fernandes, não pode uma igreja possuir dois padroeiros, sendo assim escolheram Bom Jesus. Em nossa comunidade há também outras religiões, que matém seus templos e suas regras, que são bem distintas da católica. Mas que seguem a mesma Bíblia, apenas com filosofias e interpretações diferenciadas. COMÉRCIO Antes as famílias eram de baixíssima renda. Viviam das plantações na ‘roça’ para o seu próprio consumo, e muitas vezes trocavam as mercadorias com os seus vizinhos e familiares. Quando a safra era maior eles vendiam. Nessa época não havia nenhum tipo de luxo, todos eram acostumados com o que tinham, as moças cuidavam da casa e quase não podiam sair sem a presença dos pais; já os homens trabalhavam nas plantações e cuidavam do gado (bovino). Mas tudo mudou depois que foi eleita a candidatura de Nilton Cardoso como governador de Minas Gerais, no ano de 1986. Por aqui, ele construiu casas, instalou luz e água, facilitando a vida de muitos, pois antes para ter água as pessoas tinham de andar quilômetros até o rio mais próximo com latas na cabeça para conseguir sequer um pouco para atividades básicas, como para fazer a comida. Os primeiros comerciantes de tecidos na antiga Curral de Varas foram Caçula e Zé Viana; depois apareceram Sabino, João Bahia, João Ferreira e Fernando Lopes. Antes das lojas, as pessoas iam fazer compra de tecidos em São João do Paraíso, na Loja de Zé Gomes.
  7. 7. Foto anterior: Fernando Lopes Magalhães que era dono de uma loja de tecidos, onde hoje é a casa de Newton Cardoso, no centro da cidade. Segundo o Sr. Teodolino, antigo morador da localidade, antigamente a feira era realizada debaixo de uma árvore chamada Tatarena; onde vendia-se produtos da região como: farinha, carne de sol, feijão, mandioca, fumo, rapadura, etc. Essa árvore ficava pertinho da Igreja. Não tinha mercado e a moeda utilizada na época era o REIS. Muito tempo depois foi construído o mercado, que como se vê na placa inaugurado em 01/11/1986, antes da emancipação quando Berizal ainda pertencia a Taiobeiras. Hoje nosso município conta com outras atividades comerciais, como:  Agropecuário- criação de gado para leite e consumo de carne (corte);  Agricultura de consumo em larga escala- Fazendas e empresas: Fazenda Santa Rosa e Fazenda Olhos D’Água.  Pequenas fábricas. Anos se passaram... e Berizal foi se tornando uma cidade melhor, com posto de saúde, transporte rural e escolas, foi abrindo aos poucos novas vagas de emprego, calçamento de ruas, entre outros. Atualmente a cidade é administrada por José Augusto Mota Filho, que continuou a buscar melhorias como a construção da ponte que liga Berizal a Ninheira e a São João do Paraíso. A ponte passa sobre o Rio Pardo.
  8. 8. Essa era a ponte antiga, já estava com estrutura abalada, tanto que um caminhão chegou a cair no rio. Nova ponte construída. Onde está o rio? Ano 2012 O prefeito ainda realizou reformas em praças, construiu uma farmácia básica (ainda não funciona), permitiu o funcionamento de bancos postais como o Bradesco, Banco de Brasil e Caixa (Lotérica).
  9. 9. 2.2 SITUAÇÃO ATUAL DE NOSSA CIDADE SEGUNDO O RELATÓRIO DE GESTÃO ANUAL DO MUNICÍPIO- 2010 Atualmente a cidade possui equipamentos de serviços sociais como: Escola Estadual (2) com 738 alunos matriculados, Escola Municipal (5) que atende 369 discentes, Pré Escolar (2) e um total de 105 alunos. Apresenta Associação de Trabalhadores Rurais, Sindicato de Trabalhadores Rurais, CRAS- Centro de Referência de Assistência Social e Conselho Tutelar. O município conta com o escritório da EMATER-MG de assistência e expansão rural, com o apoio do Banco do Nordeste e com os serviços da operadora VIVO. No requisito lazer conta com campo de futebol(2), Ginásio Poliesportivo(2) Centro Comunitário(1), Praça pública(7) e o balneário de Rio Pardo, onde há uma grande visitação na semana do Carnaval. ASPECTO AMBIENTAL  81,2% dos domicílios possuem abastecimento de água pela COPASA. Os demais possuem abastecimento de água através de poços ou nascentes.  92,81% das moradias apresentam banheiro ou sanitário, sendo que, de todos esses domicílios, 21,9% contam com rede de esgoto, e outros 70,91% têm fossa séptica, 7,19% apresenta descarte a céu aberto.  75,21% do lixo domiciliar é coletado pelo serviço municipal e descartado em Aterro Controlado. O restante é queimado/incinerado ou destinado ao aterro sanitário, que é o caso do Lixo Hospitalar. Observação: em visita ao aterro da cidade, foi observado que o lixo hospitalar não está sendo tratado como citado acima, encontramos seringas e outros objetos jogados pelo chão, ou aterrado junto com o lixo doméstico. ÁREAS DE RISCO  Presença de lotes vagos onde a comunidade acumula lixo;  Áreas de esgoto a céu aberto: domicílios, ruas , lagoas;
  10. 10.  Áreas desprovidas de abastecimento de água tratada;  Lagos e reservas contaminadas. ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS Entre as atividades industriais do município, predominam-se a indústria de extração de óleo de eucalipto, pequenas fábricas de queijo e requeijão, fábrica de tijolos, farinha, etc. O comércio baseia-se em mercearias, padarias, bares, posto de combustível, móveis e vendedores ambulantes. O município apresenta uma taxa de desemprego de 64%. ASPECTOS NATURAIS Vivemos em um período onde os interesses financeiros sobrepõem os recursos naturais, um bom exemplo é que no município há uma grande devastação de mata nativa de modo irregular, extraída para a fabricação do carvão. Sabe-se que há muitas maneiras de burlar a fiscalização e há muitos anos isto vem ocorrendo. Pessoas que cometem esses crimes enganam-se a si próprios, pois fazemos parte do planeta e arcaremos com as consequências de um desenvolvimento desordenado. Poço, que era utilizado para abastecimento de água pela COPASA ao município de Berizal É possível ver na área pertencente à Berizal vários cursos d’água, sem água alguma. Isso ocorre pela devastação da mata ciliar ou seja a situada próximo aos rios. Estes, sem a proteção das árvores sofrem um processo de erosão nas proximidades e quando ocorrem as chuvas levam os detritos, inclusive do próprio solo desprotegido para dentro do rio. Na foto acima vemos uma parte do Rio Pardo, se trata do poço que abastece a cidade de Berizal, no momento já está seco e a COPASA abriu poços artesianos para suprir as necessidades da população.
  11. 11. Ponte próxima de Berizal- sobre o Rio Pardo Animais sofrem com a seca de 2012 Como vemos a imagem acima, neste ano é comum ver os moradores relatando que nas fazendas está morrendo muitos animais, que não encontram água ou comida para se alimentar a pastagem está escassa e seca, e infelizmente a cada dia aumentam o número de animais, especialmente bois, que não resistem a seca. Compreendo que nossa região se assemelha ao sertão nordestino e as nossas chuvas são raras. Porém, não podemos ficar justificando nossas falhas, pois as chuvas que eram poucas estão ficando ainda mais raras. Parece que a natureza está nos tratando da mesma maneira que há tratamos: sem dó, nem piedade!
  12. 12. 3. Lendas Lenda é uma narrativa fantasiosa transmitida pela tradição oral através dos tempos. De caráter fantástico e/ou fictício, as lendas combinam fatos reais e históricos com fatos irreais que são meramente produto da imaginação humana. Com exemplos bem definidos em todos os países do mundo, as lendas geralmente fornecem explicações plausíveis, e até certo ponto aceitáveis, para coisas que não têm explicações científicas comprovadas, como acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais. Podemos entender que lenda é uma degeneração do Mito. Como diz o dito popular "Quem conta um conto aumenta um ponto", as lendas, pelo fato de serem repassadas oralmente de geração a geração, sofrem alterações à medida que vão sendo recontadas. Em seguida serão apresentados relatos de algumas lendas contadas por moradores da cidade. LOBISOMEM Contava-se que havia um homem que virava lobisomem no dia de sexta feira santa. Muitos diziam ver lobisomem e a mula sem cabeça. Não se sabe se era verdade, mas havia muitos relatos dessas visões entre as pessoas mais idosas. Uma senhora da cidade afirma que seus pais conheciam um homem que se transformava. E como de costume, nessa época os afilhados saiam na sexta-feira santa para dar bênção aos padrinhos, não importavam a distância. Hoje em dia poucos mantêm ou conhecem essa tradição tão valorosa. A minha mãe falava que, nessa viagem até a casa dos padrinhos havia um homem que virava o lobo, e também havia uma mulher que usava um chau bem colorido e bonito, ambos seguiam viagem juntos. O homem que estava com a mulher parou o animal e entrou no mato, de repente apareceu um cachorro querendo atacá-la. A mulher começou a bater no cão com um chicote e ele não afastava. Passaram alguns minutos, ele sumiu e de repente apareceu o homem para seguir viagem, encontrando sua esposa apavorada. No dia seguinte, dizem que os dentes dele apareciam pedaços de fios coloridos.
  13. 13. O BICHO DA FORTALEZA Naquela época,quando era criança, ficava em casa não saia muito. Naquele tempo não havia luz, era tudo escuro, a claridade que tinha era a da lua. Então as pessoas comentavam sobre o bicho da fortaleza, principalmente na época de quaresma. Começava quarta-feira de cinzas e a gente já ficava com medo. Tarde da noite a gente nem saia na rua, porque falavam que o bicho da fortaleza passava por aqui. Falavam que o bicho tinha vários encantos, transformava em cachorro, bezerro, e aí nós ficávamos com medo. Algumas pessoas diziam que já tinha visto, mas pelo menos eu nunca vi, falam assim: realmente existe e ele é de Pedra Azul. Diziam que era um menino muito desobediente com o pai, e um dia até queria bater na mãe, e foi aí que ela jogou uma “praga” no filho, ele iria morrer, e depois de morto iria se transformar em um bicho. Muitos diziam que um dia, chegando no cemitério,a caveira dele estava lá toda partida, parecendo fios de cabelo. Eles tentaram por lenha em cima do corpo para queimar, mas não teve jeito, ele conseguiu sair. Relatam ainda, que quando o bicho chegava no restaurante, transformado em gente pedia quatro ou cinco pratos de comida, e comia sozinho, e na saída ele deixava uma nota debaixo do prato mandando cobrar de sua família, pois eles pagariam a conta. Na quaresma as vezes os cachorros não ficavam em casa, pois, naquela época os cachorros eram todos soltos. Sei que podia contar uns 50 cachorros atrás do bicho nas ruas, e o barulho seguia em direção ao cemitério, falavam que isso já havia acontecido várias vezes. Na época eu era pequena, mas me lembro de todas as histórias que contavam sobre o bicho da fortaleza. NO ANO DE 1940... Dois adolescentes saíram de Morro Agudo (zona rural do município) e veio fazer feira em Curral de Varas (BERIZAL) eles não tinham transporte e nem cavalos. Por isso, eles vieram a pé, e como eram em média 18 quilômetros não deram conta de chegar em casa cedo. Na estrada, encontraram uma assombração e quando eles passaram em frente a um morro a assombração apareceu, eles pegaram os facões e ficaram lutando com a assombração e muito fogo saia da assombração. Em seguida a mesma sumiu e não apareceu a mais ninguém até hoje.
  14. 14. 4. Entrevista Nome do morador: Sr. Ezupério Data: Maio/2012 “... Pelo que me lembro a prefeitura foi inaugurada em 1987, desse ano para cá só veio a desenvolver, mas percebo que há funcionários que querem mandar mais que o prefeito.” · O que o senhor acha da política partidária deste ano? - Estou achando boa porque está sendo secreto sem muitos comentários, pois na cidade foi proibida a realização de comícios, e em minha opinião não é preciso subir em um ‘palanque’ para vencer as eleições. · Se fosse prefeito o que mudaria? - Ao invés de colocar parentes para trabalhar na prefeitura, eu daria oportunidade a outras pessoas. · Porque a política gera inimizades? - Por causa da campanha, pois umas são mais fortes, estrategicamente ou financeiramente. Apesar de ser ilegal, gasta-se ainda muito dinheiro na compra de votos. “A prefeitura mudou muito, antes todos tinham direito de entrar nela e nos últimos tempos só entra quem é selecionado, temos alimentado a ideia de quem não votar no candidato que é eleito deve sofrer. Acredito que temos de dar oportunidades para quem ainda não mostrou o seu trabalho, e que o sabe fazer.”
  15. 15. 5. Um pouco sobre algumas escolas 5.1 A PRIMEIRA ESCOLA DE BERIZAL: E. E. JOÃO ÁLVARO BAHIA Segundo informações de moradores, não havia escola na antiga Curral de Varas. Mais tarde passaram a vir de vez em quando, a pedido das famílias, um professor por algum tempo, de dois em dois meses, ou mais. Este ensinava na própria casa e era pago pelas famílias. Deste modo, o acesso à escola era muito difícil, os professores eram contratados para dar aulas nas casas dos alunos, e somente estudava quem tinha dinheiro para pagar o professor, ou seja, a minoria. O surgimento da primeira escola foi uma grande conquista a todos, apesar das distâncias e da falta de recursos, especialmente nos transportes. Bem mais tarde, surgiram as escolas municipais mantidas pelo município de Salinas, que também não durou muito tempo por falta de organização. Depois da emancipação de Taiobeiras, a escola de Berizal foi regularizada pela lei n° 04/22/55. Apresentações escolares- 1985. A casa que foi demolida ficava na esquina da rua São Sebastião, de frente para o bar de seu Isalino. Em 05 de março de 1960 foi inaugurado o 1° prédio para funcionamento da escola da cidade, quando o distrito ainda pertencia a Taiobeiras, na escola possuía apenas duas salas de aula e uma cantina. Certa época, os vereadores resolveram dar nomes às escolas do município e escolheram nomes das pessoas mais antigas do local, então deram nome Escola Municipal João Álvaro Bahia, à chamada escola rural de Berizal.
  16. 16. João Álvaro Bahia havia mudado da Fazenda Bom Jardim, hoje município de Águas Vermelhas, e aqui tinha uma loja. Passou a cuidar da igreja e hospedava o Monsenhor Jaime a pedido das autoridades do município. A escola de Berizal foi estadualizada pelo decreto n° 22.667 de 18 de Janeiro de 1985, conservando o nome Escola Estadual João Álvaro Bahia. No início ensinava só de 1ª a 4ª série, depois introduziu de 5ª a 8ª série e posteriormente o Ensino Médio. Desfiles em Berizal Tiveram como primeiras professoras Maria Antônia Gomes Santos (Dona Ninha), Dona Josabeth e Dona Xíria, a última reside em Taiobeiras e já se aposentou, a senhora Josabeth atua como vereadora do município de Berizal e Dona Ninha faleceu, deixando muitas saudades e um livro contando a história de Berizal, um verdadeiro tesouro histórico. Naquela época os professores eram muito rígidos com os educandos, pois caso não fizessem as atividades ficariam de castigo, e a punição era ficar ajoelhados em cima de caroços de milho ou levar palmadas com a palmatória, que era uma régua de madeira usada para este fim. Setembro de 1981
  17. 17. Foto da E. E. João Álvaro Bahia em 2012 5.2 ESCOLA MUNICIPAL BRASILIANO FERREIRA SOUTO A Escola Municipal Brasiliano Ferreira Souto foi fundada no ano de 1998, e este nome foi dado em homenagem a um antigo morador. Ela foi construída no primeiro mandato de Emerson Ferreira Souto, o prefeito daquela época. Frente da E. M. Brasiliano Ferreira Souto, foto realizada em Outubro de 2012
  18. 18. A escola está localizada na Rua Santa Cruz, 812, próximo ao Posto de Saúde. Ela foi bem planejada, mas atualmente necessita de uma reforma conforme se observa nas fotos. A mesma é formada por 5 salas de aula, 02 banheiros, 01 sala de informática, 01 quadra não-coberta, 01 cantina e uma grande área livre onde as crianças podem se sentir a vontade e brincarem. Poder-se-ia construir no futuro uma área de lazer que atenda a esses alunos da Educação Infantil, adequadamente. Antigamente havia uma sala que atendia a crianças especiais, hoje já não tem essa finalidade, pois não há um número expressivo de crianças deficientes, e as que possuem não apresentam problemas que as impossibilitem de conviver com as outras crianças. Pelo contrário, contribuem para a inclusão das mesmas no convívio social. A escola busca preservar a cultura de nossa cidade e repassar essa importância para as crianças. Mas não tem ninguém melhor para falar da escola do que seus alunos: Escola sendo preparada para as apresentações do mês de Junho, o São João. Ano de 2012
  19. 19. Depoimento de Marina aluna da referida escola “Eu acho que essa escola é ótima. Das professoras que eu mais gostei de estudar foi Tia Tânia e sempre tive ótimos colegas carinhosos, o que eu mais gostei foi das aulas desta escola. Eu sempre aprendi várias coisas diferentes, se eu pusesse estudaria nela de novo, mas como não posso eu só guardo lembranças dela.” Ex. alunos da escola, atualmente estudam no 8° ano na João Álvaro Bahia. 5.3 ESCOLA MUNICIPAL LUIS OTÁVIO FRANCO A escola levou o nome do Sr. Luis Otávio Franco A escola atende a alunos do ensino fundamental nível I, recebendo alunos da área urbana e da rural. Mas afinal quem foi Luis Otávio Franco? Luis Otávio Franco nasceu no dia 26/01/1924 na cidade de Conselheiro Lafaiete, filho de Eduardo João Franco e Alice Garcia Franco, onde veio a conhecer a estudante Ivone Rêgo Franco, namoraram e se casaram, e tiveram dois filhos(Mirian Franco e Flávio Franco). Depois de casados, moraram em Belo Horizonte por pouco tempo e no ano de 1957, o Sr. Luis Otávio Franco
  20. 20. juntamente com sua família chegaram em Berizal, residindo na casa do senhor João Álvaro Bahia(in Memorian). Luís Otávio comprou uma farmácia de Brasiliano Ferreira Souto, e a partir do momento era como se fosse um médico para a população. Aproximadamente três ou quatro anos depois de sua chegada ele construiu uma das melhores casas da época, era um homem esclarecido e não tinha inimizade com ninguém, trabalhador, brincalhão. As pessoas da foto são Sr Justino, Edmundo, Joel Cruz, Som, Isael Pinheiro Filho e dois assessores e Sr Luis. Naquela época não tinha hotel, e era ele quem recebia as autoridades políticas em sua casa. Na vida política se candidatou em 1961 a casa legislativa de Taiobeiras, sendo seu candidato a prefeito Lúcio Miranda. Em 1965, novamente se candidatou, ficando como 1° suplente, sendo eleito na época o prefeito Wilton Mendes. O senhor Luís era uma pessoa bem comunicativa, gostava de conversar com todos , mas em especial com o senhor Raimundo Henrique dos Santos, Brasiliano Ferreira Souto, João Álvaro Bahia, Domingos Francisco de Oliveira, Justino, Valdivino, Manuel Bosmode, Exupério Alves Neto e nos momentos de lazer ele gostava de pescar no fundo de sua casa onde existia uma lagoa. Hoje, bastante poluída e a pesca quase impossível. Luis Otávio Franco foi como um médico para a população berizalense, trabalhava em sua farmácia, aplicava injeções e receitava aos doentes o medicamento correto para cada doença. Era experiente e tinha o prazer em atender as pessoas, inclusive de toda a região que ouviam falar dele e o procuravam. O senhor Luís foi uma pessoa importante para a população e enquanto morou aqui foi uma pessoa amigável, comprometida. Em 1982 veio a falecer.
  21. 21. ENTREVISTA Entrevistada: Ivone Rêgo Franco Apresentação: brasileira, viúva, 88 anos de idade, mãe de dois filhos Mirian Franco e Flávio Franco, reside atualmente em Taiobeiras MG, a em média 70 KM da cidade de Berizal. A escola no ano de 2012 “Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata...” Carlos Drummond de Andrade 1. Onde conheceu Luis Otávio Franco? Em Belo Horizonte, eu era estudante e meu pai inicialmente rejeitou a relação porque me achava nova, mas depois acabou aceitando e acabamos nos casando. 2. Fale um pouco de sua vida de casada. Depois de nos casarmos, moramos um tempo em Belo Horizonte, tivemos dois filhos, e em seguida mudamos para Berizal. O meu esposo, Luis Otávio era um ótimo esposo, companheiro, amoroso, tenho a melhor imagem do tempo que estivemos juntos. Além de cuidar da casa e dos nossos filhos eu o ajudava na farmácia como vendedora, e também era costureira. Ele ficou muito conhecido pela população berizalense, pois era um excelente farmacêutico, nós acompanhávamos as parteiras orientando quando as mulheres iam “dar a luz”.
  22. 22. A senhora Ivone ficou emocionada e disse: “Em meu casamento a melhor imagem que tenho é que ele foi um ótimo marido, um ótimo pai” Em 1982 ele veio a falecer deixando muitas saudades, até hoje sinto muito sua falta. A entrevistada disse ter ótimas recordações das pessoas de Berizal, pois o tempo que morou na cidade ela foi bem acolhida pelos moradores, e em breve nos fará uma visita para reencontrar os velhos amigos. Data da entrevista: 05 de abril de 2012. ENTREVISTA Entrevistado: Ezupério Alves Neto Apresentação: Ezupério nasceu e criou na cidade de Berizal, foi sapateiro, seleiro, trabalhou sempre com o couro, fazendo chibata de couro; o mesmo aprendeu com o seu pai. Desde 10 anos de idade e até hoje com 79 anos de idade ainda realiza pequenos trabalhos. Trabalhou em Berizal, em outras funções, como: · De 1970 a 2000: fiscal do distrito · Foi professor · Hoje é aposentado. Ex alunos da escola, atualmente freqüentam a Escola Estadual João Álvaro Bahia 9° ano
  23. 23. “O senhor... mire e veja o mais importante e bonito do mundo é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, não foram terminadas, mas que elas vão sempre mudando. É o que a vida me ensinou. Isso me alegra...” Guimarães Rosa 1. Como conheceu o Sr. Luis Otávio Franco? Ele era uma pessoa muito popular e tinha ligação com os políticos de Taiobeiras, inclusive com o prefeito a qual o cargo que ocupei como Fiscal de Rendas foi indicação do Sr. Luis. 2. O que ele fazia aqui na cidade? · Líder político · Farmacêutico 3. O senhor conhece os amigos de Luis Otávio Franco? Brasiliano Ferreira Souto João Álvaro Bahia Domingos Francisco de Oliveira Justino Rocha Bahia Manuel Bosmode Valdivino Lucas Pereira 4. Como era a relação dele com a população berizalense? Não tinha inimizade com ninguém, homem trabalhador e esclarecido. 6. Barragem de Berizal Barragem de Berizal: em nota técnica do Ministério da Integração Nacional Há anos tenta-se finalizar a barragem de Berizal e neste ano de 2012 houve novamente a busca por soluções para essa obra inacabada e tão necessária. Barragem- Berizal/ obra paralisada
  24. 24. Durante a visita da Presidenta Dilma Rousseff em Rio Pardo de Minas, no início do mês de agosto de 2012, a ACE (Associação Comercial e Empresarial de Taiobeiras, ex- ACIT), entregou um pedido de esclarecimentos e de soluções para a questão da Barragem de Berizal. Datado de 3 de outubro de 2012, chegou às mãos do presidente-interino da ACE de Taiobeiras, Ruy Rodrigues Pereira, um ofício, seguido de anexos, do Chefe de Gabinete do Ministro de Estado da Integração Nacional, Wagner Augusto de Godoy Maciel, esclarecendo o histórico, os objetivos, os valores atuais e as ações a serem desenvolvidas acerca da referida obra (Barragem de Berizal). As páginas do documento do Ministério da Integração Nacional seguem transcritos neste documento, para tomada de conhecimento de toda a população. Barragem- Berizal SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL DEPARTAMENTO NACIONAL DE OBRAS CONTRA AS SECAS CONSTRUÇÃO DA BARRAGEM DE BERIZAL
  25. 25. NOTA TÉCNICA HISTÓRICO Os serviços de implantação da barragem de Berizal foram iniciados em 1998. Após várias interrupções devido a questões financeiras e ambientais, foram paralisadas em julho de 2002, por determinação do Ministério Público, em atendimento à solicitação de embargo por parte da FEAM (Fundação Estadual de Meio Ambiente do Estado de Minas Gerais), que considerou insuficiente os estudos ambientais elaborados pelo DNOCS. O empreendimento foi incluído no rol de obras irregulares do Tribunal de Contas da União e, por consequência, passou a fazer parte do quadro de bloqueio dos orçamentos anuais. Novos estudos foram realizados, o que permitiu a obtenção de Licença Prévia e de instalação do empreendimento. A Outorga do Direito de Uso de Recursos Hídricos foi concedida pela Agência de Águas - ANA, no final de 2006. Em dezembro de 2009, após justificativas apresentadas pelo DNOCS à Comissão de Orçamento da Câmara Federal, o empreendimento foi excluído do quadro de bloqueio do Orçamento Geral da União. Foram executados aproximadamente 35% dos serviços, compreendendo a galeria da tomada d'água e escavação e concretagem parcial do vertedouro. O investimento realizado até agosto foi de 26,5 milhões. OBJETIVOS A barragem de Berizal está sendo construída no município de Berizal, em Minas Gerais, interceptando o Rio Pardo. A obra destina-se principalmente ao abastecimento humano bem como pequenas irrigações para os municípios de Berizal, Rio Pardo de Minas, São João do Paraíso, Taiobeiras e Indaiabira, beneficiando uma população de aproximadamente 120.000 pessoas. Dentre as finalidades destacam-se além do abastecimento humano, a perenização do Rio Pardo, possibilitando ampliar oportunidades de ocupação e renda e oferta de alimentos. Possui potencial para, com pequenos investimentos, ampliar os usos múltiplos das águas acumuladas em atividades econômicas de piscicultura, irrigação (área estimada em torno de 10000 ha) e produção de energia elétrica a partir de uma PCH.
  26. 26. A entrada em operação da barragem, deverá proporcionar uma melhor distribuição da água no trecho médio da bacia do Rio Pardo em relação à situação atual, em que as disponibilidades hídricas do trecho estão concentradas em Machado Mineiro, que é uma barragem operada pela CEMIG, de múltiplos usos, com potência instalada de 1,72 MW. Em 2007 a obra foi incluída no PAC 1 e devido à demora dos estudos ambientais e por não termos obtido a Licença de instalação, a obra foi retirada das prioridades do PAC. VALORES ATUAIS A Barragem de Berizal está orçada em R$ 128.846.557,19 de conformidade com a Viabilidade Financeira apresentada para obtenção da Licença de Instação. Ocorre que como não tínhamos ciência de todas as condicionantes que seriam solicitadas pela Superintendência de Meio Ambiente do Estado de Minas Gerais quando da liberação da Licença de Instalação com aquisições de terras para reservas Legais, compensações por desmatamento em mata atlântica, cerrado, mata seca, e estudos da área a montante da barragem solicitados pelo Ministério Público, usamos os parâmetros de outras barragens em construção em Minas (como a barragem do Pião, cujo valor do reassentamento e das compensações ambientais dobraram), fatos estes que irão onerar o empreendimento. Assim, considerando tais fatos, para atribuir um valor mais realista do que inicialmente estabelecido, sugerimos que seja revisto para um patamar de cerca de R$ 178 milhões. a) Execução da Obra e supervisão = R$ 127.350.000,00 b) Reassentamento, Desapropriação e Condicionantes Ambientais = R$ 51.452.000,00 O Contrato original PGE-25/98, que está paralisado, possui um saldo contratual de cerca de 4 (quatro) milhões que cobre somente a conclusão do rápido do vertedouro e caixa de dissipação. Deverá ser feita nova licitação para a conclusão da barragem. Os serviços de reassentamento, que está no âmbito do Convênio PGE-109/04 com o Governo de Minas, com superveniência da Secretaria de Agricultura e sua coligada RURALMINAS, tem vencimento em 06/04/2012 e possui um saldo (do valor repassado R$ 1.500.000,00) e dois empenhos (2007NE000894 e 2007NE000893) bloqueados no valor de R$ 7.343.557,59.
  27. 27. Pode-se efetuar um termo Aditivo ao convênio, utilizando o saldo do valor repassado, para revisão dos projetos que foram executados até 2005. AÇÕES A SEREM DESENVOLVIDAS * Convênio com o Governo de Minas visando a desapropriação de terras, tendo como convenente o Instituto de Terras de Minas - ITER; pois um dos problemas da desapropriação é a titulação das terras que o instituto pode fazer; * Novo decreto de Desapropriação (venceu em 2011 e sem recursos para solicitar novo decreto); * Licitação da supervisão da obra e do acompanhamento das condicionantes ambientais e revisão do projeto hidomecânico; * Licitação do resto das obras, tendo em vista a revisão do projeto executivo; * Atualização dos projetos para o reassentamento utilizando-se o atual convênio com o Governo do Estado, tendo a Ruralminas como convenente; * Aquisição da Reserva Legal, processo aprovado pela diretoria colegiada do DNOCS e sem recursos para ser efetivada; * Cumprimento das condicionantes da LI, quanto ao reassentamento e a desapropriação da reserva Legal, Planos de Controle Ambientais (PCA) e Plano de Ação Social (PAS).
  28. 28. 7. Culinária Chá de amendoim Ingredientes: 4 colheres de maisena 5 colheres de achocolatado ½ copo de açúcar 2 litros de leite 1 pacote de amendoim moído Modo de Preparo: Misture a maisena e o achocolatado no leite ainda frio e coloque para ferver, depois acrescente o amendoim moído e o açúcar. Canjica Ingredientes: 500 Gramas de Canjica (milho pisado) 2 litros de água 2 xícaras de açúcar 6 copos de leite de vaca 2 xícaras de leite em pó Canela e Cravo à gosto Modo de Preparo: Lave bem a canjica, coloque na panela de pressão com a água e o açúcar de deixe cozinhar por 40 minutos. Depois de cozido acrescente o leite de vaca, o leite em pó, a canela, o cravo e o côco, se preferir coloque em pedaços bem pequenos em vez de ralado.
  29. 29. Feijão Tropeiro Ingredientes: ½ K de feijão roxinho cozido em ponto firme sem caldo (400 g de feijão cru aproximadamente) ½ K de Toucinho defumado 8 ovos 1 concha de óleo de gordura de porco 4 dentes de alho amassado 1 cebola média picada em cubos Sal a gosto/ Cheiro verde a gosto 50g aproximadamente de farinha Modo de Preparo: Pique o toucinho defumado (bacon) em pedaços pequenos. Frite até morenar (10 minutos em média). Retire o bacon e reserve um pouco da gordura para refogar o feijão como alho cebola e cheio verde. Acrescente os demais ingredientes misture e sirva. Doce de leite em cubo Ingredientes: 1 litro de leite de gado (bovino) 1 K de açúcar Modo de Preparo: Coloque o leite em um recipiente, adicione o açúcar (com o leite ainda frio), leve ao fogo e mexa por 1 (uma) hora. Despeje o doce em uma forma e quando estiver morno corte-o em quadrados ou retângulos. Pamonha Mineira
  30. 30. Ingredientes: 100 espigas de milho fresco 1 e ½ litro de óleo de soja 2 e ½ k de açúcar 100g de sal 2k de queijo fresco em tiras Modo de Preparo: 1° retire a palha do milho, reservando-as. Retire os cabelos das espigas, depois rale o milho, passe em uma peneira fina, tempere com óleo, açúcar e sal. 2° Usando uma palha faça um copinho, encha-o com a massa. Coloque uma fatia de queijo e amarre com linha de saco. Coloque para cozinhar por 45 minutos. Beiju Caseiro Ingredientes: 1 prato de goma fresca/molhada 1 queijo 1 coco 1 leite condensado Modo de Preparo: Em uma frigideira coloque a goma, espere assar um pouco e vire. Coloque em um prato e recheie com o queijo enquanto estiver quente para derreter e sirva. Carne de panela
  31. 31. Ingredientes: 4 k de carne 2K de toucinho Tempero (alho, sal, coentro, cebola e pimenta). Modo de Preparo: Pique o toucinho, fure a carne e coloque dentro da mesma. Tempere e deixe de um dia para o outro. Coloque para cozinhar em fogo brando. Deixe secar bastante para conservar. Dica: Sirva com arroz. Bolachinha Ingredientes: 1 prato de goma 1 K de açúcar 1 dúzia de ovos 1 pacote de coco ralado 1 colher de sopa de fermento em pó 750g de margarina derretida Modo de Preparo: Derreta a manteiga, bata os ovos com o açúcar. Dissolva a goma na manteiga ainda morna. Acrescente os ovos como açúcar na goma, adicione na massa o coco e o fermento em pó. Depois de amassado abra a massa, corte do modo que preferir e leve ao forno médio. Pé de Moleque
  32. 32. Ingredientes: 2 xícaras de chá de açúcar ½ K de amendoim cru 4 colheres de sopa de água 1 xícara de chá de leite condensado 1 pitada de sal ½ colher de café de bicarbonato Manteiga para untar. Modo de Preparo: Em uma panela, colocar o açúcar, água e amendoim. Levar ao fogo, mexer de vez em quando, por em média 15 minutos, ou até ficar com a cor caramelo claro. Acrescentar o leite condensado e a pitada de sal. Quando estiver no ponto, colocar o bicarbonato e tirar do fogo. Despejar a mistura em uma superfície lisa e untada. Quando estiver morno cortar em quadrados e esperar esfriar. Mingau de Milho Ingredientes: ½ K de milho verde ½ litro de leite natural 1 lata de leite condensado 1 coco ralado Sal a gosto 2 colheres de açúcar Canela a gosto( se preferir) 2 colheres de sopa de massa de milho refinada Modo de Preparo: Coloca-se o milho para cozinhar até que fique bem cozido. Acrescente todos os ingredientes e por último a massa de milho refinada e a canela depois de pronto(se preferir). 7. Literatura de cordel
  33. 33. Rio Pardo Dentre tudo que passasses Ainda continua vivo Meu Rio Pardo Dentre tudo que me deste Nada o tenho dado. Você escorre sobre mãos sujas Sujas, e com a sua riquezas... Tudo está se acabando E você nos deixando O que será de nós, se um dia o perder? Seremos meros tolos E sem água para beber Deveríamos ter preservado Deveríamos ter notado Que a água estava acabando Há quem diga, que a culpa foi da vida, Que não nos fez perceber Que o melhor das nossas vidas haveríamos de perder. Ó meu Rio Pardo, que saudade De quando me lavaste e de quando Nem mesmo seus perigos me afastastes. A água se foi, ficamos sozinhos Deixamos de lado o nosso Rio Pardo Autoria: Alícia Brandina Ferreira Neta, aluna do 9° ano “Raul Seixas”.
  34. 34. Berizal Um lugar explorado Por muitos exaltado Feito de uma riqueza esplêndida Mas para muitos ainda falta merenda. As diversas belezas naturais Mas também muitos problemas ambientais Por coisas banais Acabam sendo fatais. Um lugar de sonhos Para quem tem esperança E de vitórias para quem tem perseverança. Poucos falam de nós, pois poucos Usam sua voz para dizer “Eu sou berizalense” Devemos ser prudentes Para sermos reconhecidos como competentes. É difícil encarar a realidade, para Àqueles que agem como covardes. Temos que seguir em frente Mostrar que somos diferentes Muito mais que gente Mas sim, verdadeiros berizalenses Comece a buscar a responsabilidade Reconquistar o respeito Reviver recordações Reconstruir rumos Pois só assim reacenderemos O resplendor de sermos um povo vencedor Autoria: Jaíne Neres de Oliveira 8. Cultura
  35. 35. O plantio do arroz já foi uma das bases econômicas da cidade de Berizal, tanto que seu nome foi dado em homenagem a esse produto. Alguns fazendeiros tentavam o plantio da abóbora, porém esta só era possível apenas uma vez ao ano por conta da seca local e dos poucos recursos financeiros. Em relação às festas tradicionais e costumes dos moradores, pode-se citar no mês de junho, onde as pessoas faziam em frente as suas casas um amontoado de madeira para a queima, a fogueira. Ela é um símbolo do São João, história originada da Bíblia Sagrada. Nessa época de São João as pessoas assavam biscoito, enfeitavam a fogueira com casca de ovo e palha e preparavam para receber os familiares distantes. Era comum haver também os batizados, era feito por meio do sinal da cruz com as cinzas, outros passavam um ramo com água, sal e um ramo de laranja, encerrando o ritual com um Pai Nosso e uma Ave- Maria. O forró era uma comemoração festiva que acontecia em qualquer quintal de casa, ou no interior da mesma. No Natal, costumava-se montar um presépio, que era as miniaturas da vinda/ nascimento do menino Jesus. Nessa época, muitos visitavam os amigos, iam a terços e tomavam um cafezinho na recepção. ASPECTOS CULTURAIS São atrações principais o futebol, as Festas religiosas: Festa de São Sebastião, padroeiro da cidade realizada no mês de janeiro pela igreja católica; e a festa junina realizada anualmente pela prefeitura municipal e a Cavalgada de Barreiros realizada no início do mês de Julho pela comunidade local. Vale lembrar, as entregas de bandeira que ocorrem na tradicional festa Junina do município e em algumas fazendas locais. Esse procedimento ocorre da seguinte forma: o “ladrão” rouba a bandeira de São João hasteada e só devolve no ano seguinte em uma cerimônia preparada para tal ato. Na maioria das vezes os ladrões utilizam vestimentas que cubram as suas faces a fim de não serem reconhecidos inicialmente. Quando a cerimônia ocorre nas fazendas geralmente há os reiseiros e muito biscoito e quentão.
  36. 36. Entrada Festa Junina- 2012 Feira de cultura que ocorre durante as festividades juninas pelo Cidadão Nota Dez CALENDÁRIO DA FESTAS  Janeiro Ocorre a festa de São Sebastião, padroeiro da cidade, organizada pela Igreja Católica. Nela ocorre as cerimônias de entrega de bandeira, há barraquinhas, leilões e etc.  Fevereiro O carnaval é comemorado seguindo ao calendário do ano. A folia ocorre em uma área do Rio Pardo denominada “Planta Sete”, local onde muitos acampam e passam todo o período carnavalesco, se divertindo nas águas do rio, alguns se embebedando e muitas vezes destruindo o meio ambiente.  Março, abril, maio e junho O futebol envolve muitos habitantes. É o Campeonato Municipal que ocorre todos os anos e tem o fechamento durante a festa Junina, onde os atletas finalistas são premiados.
  37. 37.  Junho, mês festivo Ocorre a festa tradicional da cidade, organizada pela prefeitura municipal, geralmente duram 4 dias com muitas bandas, barraquinhas. E no último dia a tarde tem o axé pipoca onde muitas pessoas gastam suas energias no agito. Obs.: em alguns anos antes do início do axé pipoca do dia se apresentava uma banda infantil para agradar as crianças. Corpus Christi Acontece uma procissão que começa na quadra poliesportiva da área alta da cidade, e acaba na igreja católica. Alguns postos por onde passam são feitos uns tapetes com pó de serra pintado e montado os símbolos sagrados como: a pomba, o cálice, a hóstia, o vinho, a uva, o terço, entre outros. Festa da Escola João Estadual Álvaro Bahia O evento festivo é realizado em geral um dia antes das Festas Juninas e muitas vezes a data é introduzida no cartaz das festividades municipais. Nela há competição de quadrilha e apresentação para a comunidade; tem show com bandas, barraquinhas, bingo, desfiles e muita diversão.  Julho No Povoado de Barreiros ocorre a famosa Cavalgada que atrai pessoas de toda a região, em geral são dois dias de festas onde há bingos, neste ano foi de uma moto. Cavalgada- Barreiros
  38. 38. E em geral no domingo há o café da manha na fazenda do Senhor Jorge, por todos os cavaleiros(as) e participantes do evento. Acontece a cavalgada e posteriormente o Show. Cavalgada- Barreiros Há muita organização da comunidade e da Caravana Serrana que se une para o sucesso da festa.  Agosto As festas folclóricas são realizadas pelas escolas municipais, onde os discentes realizaram apresentações encantadoras, como a apresentação de personagens do folclore nacional, danças, entre outros. A data desta festa é decidida pelos professores anualmente, e o data do folclore é o dia 22 de agosto.  Dezembro Comemora-se o aniversário da cidade no dia 21 de dezembro, onde a população se diverte com as bandas. Natal É um feriado e festival religioso cristão, comemorado anualmente em 25 de Dezembro, originalmente é destinado a celebrar o nascimento de Jesus. Nesse período há troca de presentes e muita expectativa das crianças em relação a Papai Noel e o presente dos seus sonhos.
  39. 39. 9. Administradores de Berizal  Prefeito: Emerson Ferreira Souto, vice: Demerval Veríssimo de Oliveira- dois mandatos.  Prefeito: José Augusto Mota Filho, vice: Derlane Almeida  Prefeito: José Augusto Mota Filho, vice: Leopoldino Bandeira de Oliveira  Candidato Eleito em 2012: Totone Meireles, Vice: Leopoldino Bandeira de Oliveira 10. Povoado de Barreiros Segundo um depoimento colhido a Serra antes era uma grande fazenda, então um homem chamado Joaquim Machado resolveu doar terras para lotear esse território, com o intuito de crescer o povoado, o mesmo construiu um poço artesiano para suportar a seca de 1976 e construiu o primeiro posto telefônico para uso da população. Foi o Sr. Conrado Veríssimo De Oliveira, que fundou a primeira escola e foi vereador por 4 mandatos. A Escola Estadual Conrado Veríssimo de Oliveira tipologia R040A2, código-082899, integrante da rede
  40. 40. Estadual de Ensino, está localizada no Povoado de Barreiros – Município de Berizal – Minas Gerais. Fundada em 1o de julho de 1961, a Escola Estadual Conrado Veríssimo de Oliveira, teve as seguintes denominações: ● Escola Singular “Serra do Anastácio” até 1968. ● Escola Combinada à partir de 1968. A Escola Estadual Conrado Veríssimo de Oliveira, situada a Rua Isabel Batista da Silva, nº 28 - Povoado de Barreiros, município de Berizal – Minas Gerais, telefone (038)3846-1029, tem como jurisdição a 2ª SRE de Araçuaí -MG. A escola é mantida pelo Estado de Minas Gerais, com funcionamento do Ensino Fundamental, nível I e II. O sr. Conrado era um homem muito honrado pelos habitantes da região.E quando entrava em uma luta era para vencer. Foto abaixo: Sr.Conrado Veríssimo de oliveira. DEPOIMENTOS DE ANTIGOS MORADORES Dona Jasmira Maria de Jesus : ‘’Moro na serra a 30 anos, nasci no município. Minha vida atual é bem melhor, pois antigamente era mais difícil. O que modificou aqui que eu pude presenciar foi o calçamento das ruas, pois antes era de terra. Antes eu trabalhava na ‘roça’, vendia os produtos que plantavam alguns ficavam em casa para o próprio consumo. Em algumas épocas não dava nem para vender, pois faltava em casa. Sou feliz com a vida que tenho hoje, mas sinto saudade da vida sofrida que levava. Não existiam brincadeiras para mim naquela época, poucas e raras vezes com os irmãos. Trabalhei sempre desde criança, e nunca estudei. Não frequentava igreja, mas tinha meus costumes religiosos como: jejuar na quaresma, nas quartas e nas sextas-feiras. ‘’ ‘’ Aprendi sem estudar, aprendi com a vida’’
  41. 41. Dona Nair Batista De Oliveira (Filha do Sr. Conrado Veríssimo): ‘’ Sou filha de um fazendeiro, Conrado Veríssimo, um homem muito político. Que já foi vereador por quatro vezes, quando fazíamos parte do município de Taiobeiras. Ele construiu a primeira escola, que hoje em homenagem se dá ao nome dele. Nasci e cresci aqui na ‘’Serra’’, ao longo do tempo ocorreu muitas melhorias comparando o que era antes, mas para mim não desfruto muito de tudo isso pois não tenho família para compartilhar. Eu sempre trabalhei como costureira, e com isso conseguia tirar o meu sustento mesmo tendo um pai fazendeiro’’. (A pedido da filha abaixo a foto do pai). ‘’ A amizade vem sempre acima das demais dificuldades’’ Dona Maria de Jesus Araujo: ‘’Há 29 anos que moro aqui na vila São João, nasci em capim de cheiro. Com o tempo que moro aqui notei mudanças surgindo, como a criação da unidade de saúde, a creche, a escola, a água que antes não tinha abastecimento e precisávamos buscar nos poços e o calçamento das ruas. Sempre me sustentei trabalhando como lavadeira de roupa para os outros e trabalhadora rural. Comparando com antes, a vida atual que eu levo é muito melhor pois antes não tínhamos comida suficiente, era uma dificuldade só. Não tinha muito tempo para diversão, mas às vezes brincava um pouco com minhas bonecas feitas de pano a mão, ou fazendo colcha de remendos de roupa velha. Tínhamos o velho costume de jejuar na quaresma, não comíamos carne nas quartas e sextas-feiras, só peixe.” “ Felizes são aqueles que mesmo passando por situações difíceis, permanecem com um sorriso no rosto’’
  42. 42. OS DIAS ATUAIS DE BARREIROS Mercado do Povoado Igreja católica de Barreiros.
  43. 43. Praça central, onde as ocorrem festas juninas entre outros... Vila são João
  44. 44. 11. Demais áreas que compõem Berizal A esses lugares incríveis fizemos uma seleção de fotos. Fazenda Pé do Morro
  45. 45. Fazenda Morro Agudo Tabatinga- Programa Cidadão Nota Dez/ Brasil Alfabetizado
  46. 46. Vista de Tabatinga Para Terra Ilha
  47. 47. Para Terra 1 Caldeirão
  48. 48. Time do Cadeirão Taperinha
  49. 49. Pessoas a quem agradecemos e dedicamos esse trabalho: Diretora: Sandra Bahia Vice: Maria Irene e Edlaine de Oliveira Supervisoras: Edlaine de Oliveira e Claudia Bahia E também aos nossos pais, colaboradores e amigos por terem nos apoiado... Vocês são muito especiais para nós... Quem somos? Somos uma equipe: -Professora: Núbia Almeida Batista e alunos. “ Sabemos que ainda resta muito a pesquisar e escrever sobre esta cidade a qual amamos muito, esperamos ter contribuído de alguma maneira para a compreensão e conhecimento da mesma. Sabemos que fizemos muito pouco, mas este pouco se deve a um trabalho realizado em um curto período, apenas 01 ano e a escassez de recursos financeiros. Nos esforçamos ao máximo e acreditamos que a cada dia poderemos ser ainda melhores...” Allan Rodrigues Miranda Ana Lhígea Alves Silva Áthison Caio Bahia Machado Cássio Gonçalves de Almeida Célia Souza Franco Clarice Alves Vieira Claúdio Júnior Ribeiro Pereira Daiane das Flores Franco Diovana Laire Alves de Amorim Fernanda Stefhany Alves Santos Gabriela Paula de Sousa Guilherme de Souza
  50. 50. Janaína Xavier Teixeira João Marcos Dias de Souza Juliana Dias Sobrinho Lázaro Alves Prates Lucas Araújo Brito Maria Isabel Alves de Souza Mirian de Jesus Ferreira Mona Dalila Vieira Rocha Patrick de Aquino Pérola Eduarda Alves Bandeira Rafael Moreira de Jesus Ricardo dos Santos Amorim Rodrigo Aquino do Nascimento Rodrigo Moreira da Silva Tamires Lima Pereira Tamires Temóteo de Souza Walter Neto Dias Sobrinho Alícia Brandina Ferreira Neta Ana Clara Mendes Souto Brenda stefani Gonçalves Lopes Cleia Gonçalves de Almeida Cleiton Ribeiro Queiroz Débora Silva Motta Diana da Silva Santos Diekson Prates da Rocha Elder Ribeiro de Aquino Emilly Bandeira Rocha Géssica Silva Braga Hércules Soares de Jesus Isadora Freitas Viana Jaíne Neres de Oliveira
  51. 51. Jéssica Alice Xavier Bahia dos Santos Jéssica Dias de Amorim Jhon Wesley Pereira Silva Jhonatan Rafael Mendes da Silva João Vítor Pinheiro Gomes Juliane Rosa dos Santos Karine Almeira de Souza Katrine Nery Carvalho Laênia Eurides Pereira Lucas Teixeira de Freitas Mara Rúbia Neres Pereira Marta Rodrigues Pereira Maurício Mendes Souto Ruan Felipe Demides Niza Sebastiana Júnia dos Santos Tancredo Jhonny Dias de Oliveira Tiago Gonçalves de Oliveira Heloísa Oliveira Santos

×