HUMANISMO
Período de transição da Idade Média para
o Renascimento;
Expansão Marítima (bússola, pólvora);
Feudalismo – Capitalismo;
S...
HUMANISMO
Aperfeiçoamento da imprensa (substitui a
oralidade pela escrita)
Morte do rei D. Dinis (1325)
Revolução de Avis (XIV)
Conquista da costa ocidental da África, a
passagem pelo Cabo das Torm...
Características Literárias
Divulgação dos clássicos da
antiguidade greco-latina;
Poesia palaciana – Cancioneiro Geral
(poe...
Características Literárias
Crônicas e histórias (reis e povo
português);
Principal nome: Fernão Lopes.
Principais autores e obras
Dante Alighieri – A divina comédia (Inferno,
Purgatório e Paraíso);
Francisco Petrarca (criador...
Auto da barca do Inferno
ESTRUTURA DA O BRA:
VERSOS REDONDILHOS MAIORES
À / bar / ca, à / bar / ca, / hou / -lá! /
• ESTRO...
Auto da barca do Inferno
Roteiro de leitura: preparativos
Anjo e demônio – contraditórios
1. Diabo
2. Fidalgo (D. Anrique)...
Auto da barca do Inferno
Personagens tipo: São aquelas que agem e falam,
não como seres individualizados, mas como
general...
Auto da barca do Inferno
Alegoria – metáfora alongada; falar a para
dizer b, ou seja, afirma uma coisa nas
palavras e suge...
Arte gótica – falta-lhe unidade de ação (clímax) =
falta de perspectiva na pintura
Não segue a Lei das Três Unidades do te...
Humanismo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Humanismo

585 visualizações

Publicada em

Aula de Humanismo

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
585
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
165
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Humanismo

  1. 1. HUMANISMO
  2. 2. Período de transição da Idade Média para o Renascimento; Expansão Marítima (bússola, pólvora); Feudalismo – Capitalismo; Surgimento da burguesia (nova classe social que se dedicava ao comércio); Compreensão do homem com mais naturalidade; Teocentrismo – Antropocentrismo.
  3. 3. HUMANISMO Aperfeiçoamento da imprensa (substitui a oralidade pela escrita)
  4. 4. Morte do rei D. Dinis (1325) Revolução de Avis (XIV) Conquista da costa ocidental da África, a passagem pelo Cabo das Tormentas, a chegada às Índias e o descobrimento do Brasil
  5. 5. Características Literárias Divulgação dos clássicos da antiguidade greco-latina; Poesia palaciana – Cancioneiro Geral (poesias de amor, satírica e religiosa) por Garcia de Resende; Teatro popular – influência medieval (crítico, satírico e polêmico); Principal nome do teatro: Gil Vicente;
  6. 6. Características Literárias Crônicas e histórias (reis e povo português); Principal nome: Fernão Lopes.
  7. 7. Principais autores e obras Dante Alighieri – A divina comédia (Inferno, Purgatório e Paraíso); Francisco Petrarca (criador do Humanismo) – Obra Canzoniere (canções e sonetos) – imitado por toda lírica europeia; Giovanni Bocaccio – Decameron – linguagem expressiva e inventividade; Fernão Lopes – cronista-mor de Portugal (histórico); Garcia Resende – Cancioneiro Geral (poesia palaciana);
  8. 8. Auto da barca do Inferno ESTRUTURA DA O BRA: VERSOS REDONDILHOS MAIORES À / bar / ca, à / bar / ca, / hou / -lá! / • ESTROFES: normalmente, compostas por OITO versos em que predomina o esquema (abbaacca): Ao inferno todavia A Inferno há aí para mi?! B Ó triste! Enquanto vivi B Nunca cri que o aí havia. A Tive que era fantasia; A Folgava ser adorado; C Confiei em meu estado C E não vi que me perdia. A
  9. 9. Auto da barca do Inferno Roteiro de leitura: preparativos Anjo e demônio – contraditórios 1. Diabo 2. Fidalgo (D. Anrique) e Anjo 3. Onzeneiro 4. Bobo 5. Sapateiro - Joanantão 6. Frade Babriel 7. Brísida Vaz 8. Judeu 9. Corregedor, Procurador e Enforcado
  10. 10. Auto da barca do Inferno Personagens tipo: São aquelas que agem e falam, não como seres individualizados, mas como generalizações, esteriótipos, que representam uma classe social ou uma categoria profissional (tipo social );ou, ainda, um conjunto de pessoas identificadas por um traço psíquico comum (tipo psicológico) tipo social – fidalgo, frade, juiz, sapateiro etc.; tipo psicológico – o velho apaixonado, a mulher malcasada, a“moiçola casadoira”.
  11. 11. Auto da barca do Inferno Alegoria – metáfora alongada; falar a para dizer b, ou seja, afirma uma coisa nas palavras e sugere outra no significado. Personagens alegóricas: são personificações de ideias ou instituições, ou seja, de coisas abstratas. Por meio delas, o dramaturgo/poeta/autor reveste de corpo e alma deuses, anjos, diabos, virtudes, a Igreja, um país, as estações do ano etc.
  12. 12. Arte gótica – falta-lhe unidade de ação (clímax) = falta de perspectiva na pintura Não segue a Lei das Três Unidades do teatro clássico (ação, tempo e lugar), preconizada por Aristóteles. Enfatiza o tema da morte – revela a influência das famosas Danças Macabras (Literatura da Idade Média) Peça de ação fragmentária – não havia enredo , quadros mais ou menos independentes, ordem aleatória. Humanismo na arte

×