Rede de-articulação-intersetorial-para-promoção-da-saúde-5.2

279 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
279
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Rede de-articulação-intersetorial-para-promoção-da-saúde-5.2

  1. 1. MAPEAMENTO DIGITAL DA REDE DE ARTICULAÇÃO INTERSETORIAL PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE PARTE 1 MAPA FALANTE
  2. 2. O que é o Mapeamento Participativo do Território / Mapa Falante?      Parte de um processo metodológico de Construção Compartilhada de Soluções Locais. Auxilia no Diagnóstico Participativo do Território. Um processo de coleta e registro de informações e percepções sobre o território em que vive e convive. Ele se destina a produzir informações que possam ser disponibilizadas e visualizadas de forma rápida, que permita o planejamento participativo e integrado de programas e ações locais. A visualização em mapas temáticos facilita a gestão intersetorial das ações. O Mapa Falante é uma ferramenta de Mobilização Social e Produção de Conhecimento sobre a realidade local.
  3. 3. E para que fazer um Mapa Falante?      O território e suas múltiplas dimensões materializa as redes de relações, fluxos, serviços, espaços de circulação de uma dada população. Para propor ações é preciso conhecer a fundo a comunidade, a partir da percepção e da opinião de quem a vive, convive, vivencia. O mapeamento serve para dar as informações necessárias para discutir os problemas e recursos disponíveis, orientar a priorização de problemas que se pretende enfrentar, selecionar contextos ou grupos de interesse e dá base para a elaborar planos de ação. Serve também para monitorar a situação da comunidade e observar as mudanças. Portanto, o mapeamento é extremamente necessário para a proposição de ações adequadas aos interesses e as demandas das comunidades, garantindo visualização articulada e interativa a seus fluxos.
  4. 4. O Mapa Falante é uma técnica de mapeamento que visa “(...) captar as informações a partir da própria narrativa dos moradores, que vão construir a cartografia do local.” (HENRIQUES, 2010) Assim: • Valoriza a visão de quem vive, convive e vivencia a realidade a ser retratada; • Traz visibilidade ao microcosmo local, seus fluxos, potencialidades, vulnerabilidades e redes de relações; • É ponto-chave para o planejamento, monitoramento do desenvolvimento da comunidade e da realização de ações.
  5. 5. Mapa Falante Qualificação Consultas Monitoramento Plano de Ação
  6. 6. Produto: Mapas Temáticos  Produção participativa de conhecimentos sobre recursos, fragilidades e potencialidades de um determinado território (equipamentos, fluxos, redes de relações vulneráveis ou protetoras)  A apresentação em Mapas Temáticos favorece a visualização compartilhada de diferentes fluxos, desafios/problemas e recursos de políticas/programas que se desejam integrados e articulados.
  7. 7. Produto: Mapas Temáticos Finalidades da Produção de Mapas Interativos (temáticos)  Identificar recursos locais, compondo mapas temáticos interativos.  Qualificar informações sobre os recursos locais identificados: redes de apoio, ONGs, serviços públicos, igrejas etc.  Mapear fluxos de acesso e acessibilidade aos recursos/serviços identificados  Monitorar o processo de interação e desenvolvimento existentes no território: que projetos existem, para que públicos, onde se localizam?  Gerar ferramenta de produção de conhecimentos interativos sobre o território, suas fragilidades, desafios e potencialidades.  Favorecer a realização de debates coletivos sobre potencialidades do território  Gera conteúdos para disseminação do conhecimento produzido de forma interativa e construtiva, gerando produtos adicionais.
  8. 8. Mapa Falante feito por adolescentes de uma comunidade no Rio de Janeiro Pedrão: Lugar escuro onde os adolescentes namoram Org. comunit. que realiza trab. de prevenção e distribui insumos Praça dos Namorados: onde os adolescentes paqueram [lugar estratégico para ter uma caixinha com preservativos...]
  9. 9. Praça: não está em boas condições mas muitas pessoas ficam lá durante o dia. De noite muitos adolescentes [bom lugar para camelôs educativos]
  10. 10. Posto de saúde : fica dentro da comunidade . Não tem trabalho específico de prevenção nem grupo de adolescentes. Possui grupo de gestantes [dá para trabalhar a prevenção da transmissão vertical do hiv]
  11. 11. Mapeamento através de maquete (CEDAPS, Iniciativa de . Paciência)
  12. 12. TÉCNICAS E PLATAFORMAS ON-LINE
  13. 13. Mapeamento Digital de Riscos Socioambientais Liderado por Jovens rio.unicef-gis.org  Mapa georreferenciado de vulnerabilidades, criado através de oficinas com jovens e adolescentes.    Utilização de celulares Android com GPS e câmera integrados Upload automático das fotos tiradas com a devida descrição e georreferenciamento Possibilidade de visualização por tipo de risco mapeado ou proximidade geográfica.   Pesquisas por usuário, navegação ou palavra-chave Mapeamento embasa a elaboração de planos de ação para a comunidade e recomendações para o governo.
  14. 14. Mapeamento Digital de Riscos Socioambientais Liderado por Jovens  As oficinas de formação visam conjugar teoria e prática da educação ambiental durante o processo em que são trabalhados, de forma conectada, quatro pontos principais. 1. Discussão e elaboração de conceitos de vulnerabilidade, susceptibilidade, riscos à saúde, direito a moradia adequada, acessibilidade e mobilidade, além de fomentarem um debate sobre a cidade, a comunidade onde vivem e condições de segurança para mulheres. 2. Elaboração de roteiros de mapeamento, contemplando visão das moradoras, que passam a se concretizar no processo de construção do conhecimento local. 3. Tour de mapeamento da comunidade, com o celular. 4. Elaboração de recomendações e planos locais de ação, para redução e/ou solução dos problemas identificados, composto por dois eixos complementares: ações de mobilização da comunidade e de atuação efetiva do poder público.
  15. 15. Do Monitoramento à Ação Redução de Riscos Identificação de pontos de vulnerabilidade Identificação das rotas de chegada aos pontos de apoio Prevenção e Promoção do Desenv Local Atuação a partir da ação governamental e da mobilização comunitária Elaboração de Planos de Ação Fortalecimento da comunidade, etc.
  16. 16. Mapeamento Digital de Riscos Socioambientais Guiado Pela Juventude Acredite & Faça Acontecer!
  17. 17. Mapa Falante OnLine AIDS e Comunidades Servidor de Mapas On-line (Mootiro Maps – maps.mootiro .org), possibilitando pesquisa, localização e organização dos dados Visualização por Proximidade, Mapa, Temas, Comunidades, Necessidades, Organizações, Recursos, Investimentos e/ou Projetos Em um mesmo mapa, vulnerabilidades e recursos são visualizados, possibilitando o planejamento de estratégias mais eficazes, baseado no território.
  18. 18. Visualize por tema Pesquise por proximidade Navegue pelo Mapa Pesquise por nome
  19. 19. Comunidades Participantes Núcleos Comunitários
  20. 20. Recursos Comunitários Organizações Comunitárias Pontos de Vulnerabilidade Comunidade Integrante
  21. 21. Resumo da Comunidade Organizações Comunitárias Delimitação do Território Recursos Comunitários

×