Um grito de cólera

1.601 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.601
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Um grito de cólera

  1. 1. Vejam meu Blog: http://espiritual-espiritual.blogspot.com.br
  2. 2. “O golpe do machado derruba a árvore de vez; A ventania destrói um ninho de momento para outro; a ação impensada de um homem, todavia, é muito pior. O grito de cólera é um raio mortífero, que penetra o círculo de pessoas em que foi pronunciado e aí se demora, indefinidamente, provocando moléstias, dificuldades e desgostos. Por que não aprendemos a falar e a calar, a benefício de todos? Ajude em vez de reclamar. A cólera é força infernal que nos distancia da paz divina. A própria guerra, que extermina milhões de criaturas, não é senão a ira venenosa de alguns homens que se alastra, por muito tempo, ameaçando o mundo inteiro”.
  3. 3. No Sermão da Montanha, Jesus dá uma receita de vida para todos aqueles que buscam a evolução espiritual. Nele, o Cristo nos fala que Bemaventurados são os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus. A harmonia com o Universo é a missão de todo homem, e ela está inserida na lei do amor e da caridade. Harmonia com o Universo requer humildade, que eleva e auxilia o aprendizado, e aquisição da sabedoria divina. Mas só há harmonia quando existe paz, não só no mundo exterior que nos envolve mas, sobretudo, no mundo interior de cada um de nós. A ira, a cólera, a exaltação, são agentes perturbadores da harmonia universal e os causadores das dores do homem, e são filhas diletas do egoísmo, que ainda habita o coração do ser.
  4. 4. A cólera atua como estilete lançado, que prende agressor e agredido através de um fio muito tênue, mas extremamente resistente, feito de ressentimento, de desamor e, até, de ódio. Agressor e agredido passam a vibrar no mesmo diapasão de desarmonia, tornando-se sujeitos a toda sorte de desequilíbrios físicos e psíquicos. Este fio é um laço que contém energias vibratórias desarmonizadas e que acarreta dor e sofrimento para aqueles que gravitam em torno delas. A ira desestabiliza o organismo perispiritual envenenando o ser com fluidos nocivos à sua saúde física e mental; a ira contraria frontalmente a humildade e a caridade, ferindo, portanto, a lei de Deus.
  5. 5. Só o amor é capaz de quebrar os elos vibratórios desarmonizados gerados pela intempestividade dos estados coléricos. A desarmonia não pode ser causada apenas pela palavra mal pronunciada ou pela energia oral exacerbada, mas também, mas também pela palavra escrita, que igualmente fere, magoa, perturba e desequilibra. Quando irados, falamos ou escrevemos o que não desejamos; o que pensamos e o que não pensamos, nos tornando julgadores, rotuladores e agressores, apenas para atender aos imperativos do orgulho ferido ou da ilusão da maior valia. A hierarquia espiritual não se baseia em convencionalismos, como na Terra. Ela é baseada em valores morais adquiridos e incorporados em cada ser.
  6. 6. A ascendência moral é irresistível, sendo identificada com facilidade pela luz que cada um consegue irradiar, em função da capacidade de amor e de desprendimento que possui. O poder terrestre, portanto, não tem significado no mundo espiritual, onde não existe títulos ou honrarias, apenas graus de evolução diferenciados. No plano espiritual, humildade é luz, é amor, é autoridade, é energia criadora e, por isto, Jesus, nosso mestre maior, nos lembrou: Que se quisermos ser o maior entre todos, que sejamos aquele que mais serve. O orgulho exacerbado e a ilusão do poder cegam os homens para a sua verdadeira posição, levandoos a sofrimentos imensos no plano espiritual, onde defrontam-se por sua realidade e percebem-se diante da hierarquia do amor.
  7. 7. Na espiritualidade, os espíritos desencarnados agrupam-se segundo a lei da afinidade, conforme o grau de elevação que tenham atingido. Quando encarnado, entretanto, presos ao pesado fardo da matéria, todos os espíritos aparentam ser iguais, sendo obrigados a conviver uns com os outros, independente do grau de evolução que já tenham atingido. Pela lei de amor, cabe àqueles que já possuem luz em seus espíritos, dividi-la com os seus semelhantes, ajudando-os a aprender suas lições e a galgar estágios renovados de compreensão e percepção, que os permita evoluir em espiritualidade, isto é, em humildade e em amor.
  8. 8. Vigilância e oração são os caminhos para superação dessa fraqueza que ainda habita em nós. Vigilância para perceber a presença da visitadora inconveniente, a cólera, que prepara seu bote para nos dominar; oração para nos ligar com as forças sublimes, que nos ajudam a harmonizar o universo à nossa volta. Virtude não é uma voz que se levanta ou que se exalta, cobrando atendimento e obediência; mas uma luz que se estabelece e se irradia pelo poder do exemplo da resignação e da obediência, confiante nos designíos de Deus. Aquele que se exalta será rebaixado, e aquele que se humilha será elevado, disse o Cristo. Essa é a consequência da aplicação da lei do amor e da caridade. Muita Paz!

×