SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Baixar para ler offline
Dilatação linear
1- Uma bobina contendo 2000 m de fio de cobre medido num dia em que a temperatura
era de 35 °C. Se o fio for medido de novo em um dia que a temperatura for 10ºC esta
nova medida indicará (dado o coeficiente de dilatação linear do cobre α= 1,6.10-5
°C-1
):
a) 1,0 m a menos
b) 1,0 m a mais
c) 2000 m
d) 20 m a menos
e) 20 mm a mais
2- (UFLA-95) Uma barra de ferro homogênea, é aquecida de 10ºC até 60ºC. Sabendo-se
que a barra a 10ºC tem um comprimento igual a 5,000m e que o coeficiente da dilatação
linear do ferro é igual 1,2 x 10-6
ºC-1
, podemos afirmar que a variação de dilatação
ocorrida e o comprimento final da barra foram de:
a) 5x10-4
m; 5,0005m
b) 2x10-4
m; 5,0002m
c) 4x10-4
m; 5,0004m
d) 3x10-4
m; 5,0003m
e) 6x10-4
m; 5,0006m
3- (FAFIC) Uma ponte de aço tem 1.000m, à temperatura de 20ºC. Quando a
temperatura atingir 40 ºC, o seu comprimento estará: (dado α = 11 x 10-6
ºC-1
)
a) entre 1000 e 1010m
b) entre 1100 e 1200m
c) igual a 1000m
d) entre 900 e 1000m
4- (UFMG 99) . O comprimento L de uma barra, em função de sua temperatura t , é
descrito pela expressão
L = L0 + L0 α (t-t0 ) ,
sendo L0 o seu comprimento à temperatura t0 e α o coeficiente de dilatação do material
da barra.
Considere duas barras, X e Y, feitas de um mesmo material. A uma certa temperatura, a
barra X tem o dobro do comprimento da barra Y . Essas barras são, então, aquecidas até
outra temperatura, o que provoca uma dilatação ∆X na barra X e ∆Y na barra Y.
A relação CORRETA entre as dilatações das duas barras é
a) ∆X = ∆Y .
b) ∆X = 4 ∆Y
c)
d) ∆X = 2 ∆Y
5- A dilatação térmica dos sólidos depende diretamente de três fatores ou grandezas.
Assinale a opção que contém as três grandezas corretas:
a) tamanho inicial, natureza do material e velocidade
b) tamanho inicial, tempo e velocidade
c) tamanho inicial, natureza do material e variação da temperatura
d) tamanho inicial, variação da temperatura e tempo
6- Uma barra de determinado material possui comprimento de 10m à temperatura
ambiente (20ºC) e comprimento de 10,1m, quando submetida à uma temperatura de
220ºC. Calcule o coeficiente de dilatação deste material.
Física Térmica – Exercícios.
Dilatação.
www.plantaofisica.blogspot.com
7-(Cesgranrio 95) Uma régua de metal mede corretamente os comprimentos de uma
barra de alumínio e de uma de cobre, na temperatura ambiente de 20 °C, sendo os
coeficientes de dilatação linear térmica do metal, do alumínio e do cobre,
respectivamente iguais a 2,0.10-5
°C-1
, 2,4.10-5
°C-1
e 1,6.10-5
°C-1
, então é correto afirmar
que, a 60 °C, as medidas fornecidas pela régua para os comprimentos das barras de
alumínio e de cobre, relativamente aos seus comprimentos reais nessa temperatura,
serão, respectivamente:
a) menor e menor.
b) menor e maior.
c) maior e menor.
d) maior e maior.
e) igual e igual.
8- (Ufpe 96) O gráfico a seguir representa a variação, em milímetros, do comprimento de
uma barra metálica, de tamanho inicial igual a 1 000 m, aquecida em um forno industrial.
Qual é o valor do coeficiente de dilatação térmica linear do material de que é feita a barra,
em unidades de 10-6
°C-1
?
9- (Fei 97) Duas barras, sendo uma de ferro e outra de alumínio, de mesmo comprimento
l = 1m a 20°C, são unidas e aquecidas até 320°C. Sabe-se que o coeficiente de dilatação
linear do ferro é de 12.10-6
°C-1
e do alumínio é 22.10-6
°C-1
. Qual é o comprimento final
após o aquecimento?
a) 2,0108 m
b) 2,0202 m
c) 2,0360 m
d) 2,0120 m
e) 2,0102 m
10-(Puccamp 98) A figura a seguir representa o comprimento de uma barra metálica em
função de sua temperatura.
www.plantaofisica.blogspot.com
A análise dos dados permite concluir que o coeficiente de dilatação linear do metal
constituinte da barra é, em °C-1
,
a) 4.10-5
b) 2.10-5
c) 4.10-6
d) 2.10-6
e) 1.10-6
11- (Ufes 96) Uma barra de metal tem comprimento igual a 10,000 m a uma temperatura
de 10,0 °C e comprimento igual a 10,006 m a uma temperatura de 40 °C. O coeficiente
de dilatação linear do metal é
a) 1,5 × 10-4
°C-1
b) 6,0 × 10-4
°C-1
c) 2,0 × 10-5
°C-1
d) 2,0 × 10-6
°C-1
e) 3,0 × 10-6
°C-1
12- (Ita 95) Se duas barras, uma de alumínio com comprimento L1 e coeficiente de
dilatação térmica α1 = 2,30 × 10-5
°C-1
e outra de aço com comprimento L2 > L1 e
coeficiente de dilatação térmica α2 = 1,10 × 10-5
°C-1
, apresentam uma diferença em seus
comprimentos a 0°C, de 1000 mm e essa diferença se mantém constante com a variação
da temperatura, podemos concluir que os comprimentos L1 e L2 são a 0 °C:
a) L1 = 91,7 mm; L2 = 1091,7 mm
b) L1 = 67,6 mm; L2 = 1067,6 mm
c) L1 = 917 mm; L2 = 1917 mm
d) L1 = 676 mm; L2 = 1676 mm
e) L1 = 323 mm; L2 = 1323 mm
13- (Cesgranrio 92) Uma rampa para saltos de asa-delta é construída de acordo com o
esquema que se segue. A pilastra de sustentação II tem, a 0 °C, comprimento três vezes
maior do que a I.
Os coeficientes de dilatação de I e II são, respectivamente, α1 e α2. Para que a rampa
mantenha a mesma inclinação a qualquer temperatura, é necessário que a relação entre
α1 e α2 seja:
a) α1 = α2
b) α1 = 2α2
c) α1 = 3α2
d) α2 = 3α1
e) α2 = 2α1
14) (Ufmg 95) Duas lâminas de metais diferentes, M e N, são unidas rigidamente. Ao se
aquecer o conjunto até uma certa temperatura, esse se deforma, conforme mostra a
figura a seguir.
Com base na deformação observada, pode-se concluir que
a) a capacidade térmica do metal M é maior do que a capacidade térmica do metal N.
b) a condutividade térmica do metal M é maior do que a condutividade térmica do metal
N.
c) a quantidade de calor absorvida pelo metal M é maior do que a quantidade de calor
absorvida pelo metal N.
d) o calor específico do metal M é maior do que o calor específico do metal N.
e) o coeficiente de dilatação linear do metal M é maior do que o coeficiente de dilatação
linear do metal N.
Dilatação superficial
15- (Fatec 96) Uma placa de alumínio tem um grande orifício circular no qual foi colocado
um pino, também de alumínio, com grande folga. O pino e a placa são aquecidos de 500
°C, simultaneamente.
Podemos afirmar que
a) a folga irá aumentar, pois o pino ao ser aquecido irá contrair-se.
b) a folga diminuirá, pois ao aquecermos a chapa a área do orifício diminui.
c) a folga diminuirá, pois o pino se dilata muito mais que o orifício.
d) a folga irá aumentar, pois o diâmetro do orifício aumenta mais que o diâmetro do pino.
e) a folga diminuirá, pois o pino se dilata, e a área do orifício não se altera.
16- (Uel 97) Uma chapa de zinco, cujo coeficiente de dilatação linear é 25.10-6
°C-1
, sofre
elevação de 10°C na sua temperatura. Verifica-se que a área da chapa aumenta de 2,0
cm2
. Nessas condições, a área inicial da chapa mede, em cm2
,
a) 2,0.102
b) 8,0.102
c) 4,0.103
d) 2,0.104
e) 8,0.104
17- (Uepg 2001) A figura abaixo mostra dois frascos de vidro (1 e 2), vazios, ambos com
tampas de um mesmo material indeformável, que é diferente do vidro. As duas tampas
estão plenamente ajustadas aos frascos, uma internamente e outra externamente. No
que respeita à dilatabilidade desses materiais, e considerando αv que é o coeficiente de
expansão dos dois vidros e que αt é o coeficiente de expansão das duas tampas,
assinale o que for correto.
www.plantaofisica.blogspot.com
a) Sendo αt menor que αv, se elevarmos a temperatura dos dois conjuntos, o vidro 1
se romperá.
b) Sendo αt maior que αv, se elevarmos a temperatura dos dois conjuntos, o vidro 2
se romperá.
c) Sendo αt menor que αv, se elevarmos a temperatura dos dois conjuntos, ambos se
romperão.
d) Sendo αt maior que αv, se diminuirmos a temperatura dos dois conjuntos, o vidro 1
se romperá.
e) Qualquer que seja a variação a que submetermos os dois conjuntos, nada
ocorrerá com os frascos e com as tampas.
18- (Ufc 2006) Numa experiência de laboratório, sobre dilatação superficial, foram feitas
várias medidas das dimensões de uma superfície S de uma lâmina circular de vidro em
função da temperatura T. Os resultados das medidas estão representados no gráfico a
seguir.
Com base nos dados experimentais fornecidos no gráfico, pode-se afirmar, corretamente,
que o valor numérico do coeficiente de dilatação linear do vidro é:
a) 24 x10-6
°C-1
.
b) 18 x10-6
°C-1
.
c) 12 x10-6
°C-1
.
d) 9 x10-6
°C-1
.
e) 6 x10-6
°C-1
.
19- (Ufmg 97) O coeficiente de dilatação térmica do alumínio (Al) é, aproximadamente,
duas vezes o coeficiente de dilatação térmica do ferro (Fe). A figura mostra duas peças
onde um anel feito de um desses metais envolve um disco feito do outro. Á temperatura
ambiente, os discos estão presos aos anéis.
www.plantaofisica.blogspot.com
Se as duas peças forem aquecidas uniformemente, é correto afirmar que
a) apenas o disco de Al se soltará do anel de Fe.
b) apenas o disco de Fe se soltará do anel de Al.
c) os dois discos se soltarão dos respectivos anéis.
d) os discos não se soltarão dos anéis.
20- (Ufmg 2006) João, chefe de uma oficina mecânica, precisa encaixar um eixo de aço
em um anel de latão, como mostrado nesta figura:
À temperatura ambiente, o diâmetro do eixo é maior que o do orifício do anel.
Sabe-se que o coeficiente de dilatação térmica do latão é maior que o do aço.
Diante disso, são sugeridos a João alguns procedimentos, descritos nas alternativas a
seguir, para encaixar o eixo no anel.
Assinale a alternativa que apresenta um procedimento que NÃO permite esse encaixe.
a) Resfriar apenas o eixo.
b) Aquecer apenas o anel.
c) Resfriar o eixo e o anel.
d) Aquecer o eixo e o anel.
21- Uma placa de ferro tem área de 200cm2
quando está submetida a uma temperatura
de 30ºC. Calcule o aumento que esta chapa irá sofrer quando for submetida a uma
temperatura duas vezes maior. Dado α ferro=2x10-5
ºC-1
Dilatação volumétrica
22- (Fatec 99) Um bloco maciço de zinco tem forma de cubo, com aresta de 20cm a
50°C. O coeficiente de dilatação linear médio do zinco é 25.10-6
°C-1
.
O valor, em cm3
, que mais se aproxima do volume desse cubo a uma temperatura de
-50°C é:
a) 8060
b) 8000
c) 7980
d) 7940
e) 7700
23- O volume de um bloco metálico sofre um aumento de 0,6% quando sua temperatura
varia de 200 °C. O coeficiente de dilatação linear médio desse metal, em °C-1
, vale
a) 1,0.10-5
b) 3,0.10-5
c) 1,0.10-4
d) 3,0.10-4
e) 3,0.10-3
24-(PUC MG 99) O coeficiente de dilatação linear do cobre é 17 x 10-6
ºC-1
. Então, uma
esfera de cobre de volume 1m3
, ao ter sua temperatura elevada de 1o
C, sofrerá um
acréscimo de volume de:
a) 0,0017 cm3
b) 0,0034 cm3
c) 0,0051 cm3
d) 17 cm3
e) 51 cm3
25- (Pucmg 97) O tanque de gasolina de um automóvel, de capacidade 60 litros, possui
um reservatório auxiliar de retorno com volume de 0,48 litros, que permanece vazio
quando o tanque está completamente cheio. Um motorista enche o tanque quando a
temperatura era de 20°C e deixa o automóvel exposto ao sol. A temperatura máxima que
o combustível pode alcançar, desprezando-se a dilatação do tanque, é igual a:
γgasolina = 2,0 x 10-4
°C-1
a) 60°C
b) 70°C
c) 80°C
d) 90°C
e) 100°C
26- Um cubo tem volume de 1m3
a 10ºC. Calcule o seu volume a 60ºC, sabendo-se que o
seu coeficiente de dilatação volumétrica vale 6x10-6
ºC-1
Dilatação dos líquidos
27- (UFOP-95) Um frasco de vidro, cujo volume é 1000 cm3
a 0ºC, está completamente
cheio de mercúrio a essa temperatura. Quando o conjunto é aquecido até 200ºC
transbordam 34 cm3
de mercúrio. Dado: coeficiente de dilatação volumétrica do mercúrio:
γ = 0,18.10-3
ºC-1
. Calcule:
a) o aumento de volume sofrido pelo mercúrio.
b) o coeficiente de dilatação linear do vidro.
28- (Pucmg 2007) Um recipiente de vidro está completamente cheio de um determinado
líquido. O conjunto é aquecido fazendo com que transborde um pouco desse líquido. A
quantidade de líquido transbordado representa a dilatação:
a) do líquido, apenas.
b) do líquido menos a dilatação do recipiente.
c) do recipiente, apenas.
d) do recipiente mais a dilatação do líquido
29- Um recipiente de vidro (γ = 5 x 10-6
ºC-1
), de volume igual a 100dm3
está
completamente cheio de álcool à temperatura ambiente (20 ºC). Ao ser aquecido a 60ºC,
nota-se que foram derramados 0,2dm3
. Calcule a dilatação real do líquido.
30- (Fgv 2001) O dono de um posto de gasolina recebeu 4000 L de combustível por volta
das 12 horas, quando a temperatura era de 35°C. Ao cair da tarde, uma massa polar
vinda do Sul baixou a temperatura para 15°C e permaneceu até que toda a gasolina
fosse totalmente vendida. Qual foi o prejuízo, em litros de combustível, que o dono do
posto sofreu?
(Dados: coeficiente de dilatação do combustível é de 1,0. 10-3
°C-1
)
www.plantaofisica.blogspot.com
a) 4L
b) 80L
c) 40L
d) 140L
e) 60L
31- (Fuvest 98) Um termômetro especial, de líquido dentro de um recipiente de vidro, é
constituído de um bulbo de 1cm3
e um tubo com secção transversal de 1mm2
. À
temperatura de 20 °C, o líquido preenche completamente o bulbo até a base do tubo. À
temperatura de 50 °C o líquido preenche o tubo até uma altura de 12mm. Considere
desprezíveis os efeitos da dilatação do vidro e da pressão do gás acima da coluna do
líquido. Podemos afirmar que o coeficiente de dilatação volumétrica médio do líquido
vale:
a) 3 × 10-4
°C-1
b) 4 × 10-4
°C-1
c) 12 × 10-4
°C-1
d) 20 × 10-4
°C-1
e) 36 × 10-4
°C-1
32- (Ufpel 2005) Os postos de gasolina, são normalmente abastecidos por um caminhão-
tanque. Nessa ação cotidiana, muitas situações interessantes podem ser observadas.
Um caminhão-tanque, cuja capacidade é de 40.000 litros de gasolina, foi carregado
completamente, num dia em que a temperatura ambiente era de 30°C. No instante em
que chegou para abastecer o posto de gasolina, a temperatura ambiente era de 10°C,
devido a uma frente fria, e o motorista observou que o tanque não estava completamente
cheio.
Sabendo que o coeficiente de dilatação da gasolina é 1,1×10-3
°C-1
e considerando
desprezível a dilatação do tanque, é correto afirmar que o volume do ar, em litros, que o
motorista encontrou no tanque do caminhão foi de
a) 40.880.
b) 8.800.
c) 31.200.
d) 4.088.
e) 880.
Gabarito:
1. a
2. d
3. a
4. d
5. c
6. α = 5x10-5
ºC-1
7. c
8. α = 0,003x10-6
ºC-1
9. d
10. a
11. c
12. c
13. c
14. e
15. d
16. c
17. a
18. d
19. b
20. c
21. 0,24cm2
22. d
23. a
24. e
25. a
26. V = 1,0003m3
27.
a) ∆VHg = 36cm3
b) γvidro = 0,01x10-3
ºC-1
28. b
29. ∆Vreal = 36 dm3
30. b
31. b
32. e
Veja mais sobre Física e Matemática no Site
Plantão de Física - ΠΠΠΠΦΦΦΦ
www.plantaofisica.blogspot.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Prova de Recuperação de Física - 1º ano A e B
Prova de Recuperação de Física - 1º ano A e BProva de Recuperação de Física - 1º ano A e B
Prova de Recuperação de Física - 1º ano A e B
Jamilly Andrade
 
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabaritoExercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
André Luís Nogueira
 
Gabarito calor e temperatura
Gabarito   calor e temperaturaGabarito   calor e temperatura
Gabarito calor e temperatura
professoraludmila
 
Lista de exercícios 1º em - áreas
Lista de exercícios   1º em - áreasLista de exercícios   1º em - áreas
Lista de exercícios 1º em - áreas
Colégio Parthenon
 
Exercícios de Aprendizagem - Velocidade média e escalar média.
Exercícios de Aprendizagem - Velocidade média e escalar média.Exercícios de Aprendizagem - Velocidade média e escalar média.
Exercícios de Aprendizagem - Velocidade média e escalar média.
UFPB
 
Exercícios de dilatação
Exercícios de dilataçãoExercícios de dilatação
Exercícios de dilatação
tiowans
 
Mat pa pg exercicios gabarito
Mat pa  pg exercicios gabaritoMat pa  pg exercicios gabarito
Mat pa pg exercicios gabarito
trigono_metrico
 

Mais procurados (20)

Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º AnoGabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
 
Prova de Recuperação de Física - 1º ano A e B
Prova de Recuperação de Física - 1º ano A e BProva de Recuperação de Física - 1º ano A e B
Prova de Recuperação de Física - 1º ano A e B
 
Exercícios função de 2° grau 2p
Exercícios função de 2° grau 2pExercícios função de 2° grau 2p
Exercícios função de 2° grau 2p
 
Plano cartesiano atividades.pdf
Plano cartesiano atividades.pdfPlano cartesiano atividades.pdf
Plano cartesiano atividades.pdf
 
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabaritoExercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
 
Gabarito calor e temperatura
Gabarito   calor e temperaturaGabarito   calor e temperatura
Gabarito calor e temperatura
 
Soma dos ângulos internos de um triângulo
Soma dos ângulos internos de um triânguloSoma dos ângulos internos de um triângulo
Soma dos ângulos internos de um triângulo
 
Problemas de aplicação pa e pg
Problemas de aplicação pa e pgProblemas de aplicação pa e pg
Problemas de aplicação pa e pg
 
Lista de exercícios 1º em - áreas
Lista de exercícios   1º em - áreasLista de exercícios   1º em - áreas
Lista de exercícios 1º em - áreas
 
Lista de Exercícios – Razão e Proporção
Lista de Exercícios – Razão e ProporçãoLista de Exercícios – Razão e Proporção
Lista de Exercícios – Razão e Proporção
 
Exercícios de Aprendizagem - Velocidade média e escalar média.
Exercícios de Aprendizagem - Velocidade média e escalar média.Exercícios de Aprendizagem - Velocidade média e escalar média.
Exercícios de Aprendizagem - Velocidade média e escalar média.
 
Exercícios de dilatação
Exercícios de dilataçãoExercícios de dilatação
Exercícios de dilatação
 
MATEMÁTICA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC | (EM13MAT101)
MATEMÁTICA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC | (EM13MAT101)MATEMÁTICA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC | (EM13MAT101)
MATEMÁTICA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC | (EM13MAT101)
 
Mat pa pg exercicios gabarito
Mat pa  pg exercicios gabaritoMat pa  pg exercicios gabarito
Mat pa pg exercicios gabarito
 
AVALIAÇÃO 6º ANO ANGULOS E RETAS
AVALIAÇÃO 6º ANO ANGULOS E RETASAVALIAÇÃO 6º ANO ANGULOS E RETAS
AVALIAÇÃO 6º ANO ANGULOS E RETAS
 
Lista de Exercícios – Relações Métricas no Triângulo Retângulo e na Circunfe...
Lista de Exercícios  – Relações Métricas no Triângulo Retângulo e na Circunfe...Lista de Exercícios  – Relações Métricas no Triângulo Retângulo e na Circunfe...
Lista de Exercícios – Relações Métricas no Triângulo Retângulo e na Circunfe...
 
Grau x radiano sábado
Grau x radiano sábadoGrau x radiano sábado
Grau x radiano sábado
 
1ª lista de exercícios 9º ano(potências)ilton bruno
1ª lista de exercícios 9º ano(potências)ilton bruno1ª lista de exercícios 9º ano(potências)ilton bruno
1ª lista de exercícios 9º ano(potências)ilton bruno
 
Ondas gabarito versão final
Ondas gabarito versão finalOndas gabarito versão final
Ondas gabarito versão final
 
Simulado Saresp - 9º ano - Matemática
Simulado Saresp - 9º ano - MatemáticaSimulado Saresp - 9º ano - Matemática
Simulado Saresp - 9º ano - Matemática
 

Destaque

Lista 12 termometria e dilata+º+úo
Lista 12 termometria e dilata+º+úoLista 12 termometria e dilata+º+úo
Lista 12 termometria e dilata+º+úo
rodrigoateneu
 
Fisica 002 termometria
Fisica   002 termometriaFisica   002 termometria
Fisica 002 termometria
con_seguir
 
Ap fisica modulo 30 exercicios
Ap fisica modulo 30 exerciciosAp fisica modulo 30 exercicios
Ap fisica modulo 30 exercicios
comentada
 
Física 2º ano prof. pedro ivo - (dilatação térmica superficial )
Física 2º ano   prof. pedro ivo - (dilatação térmica superficial )Física 2º ano   prof. pedro ivo - (dilatação térmica superficial )
Física 2º ano prof. pedro ivo - (dilatação térmica superficial )
Pedro Ivo Andrade Sousa
 
Simulado de física
Simulado de físicaSimulado de física
Simulado de física
Breno Meira
 
Dilatação exercícios
Dilatação   exercíciosDilatação   exercícios
Dilatação exercícios
Isabella Silva
 
Lista de exercícios. cinematica
Lista de exercícios. cinematicaLista de exercícios. cinematica
Lista de exercícios. cinematica
Jocelio Costa
 
Dilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidosDilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidos
O mundo da FÍSICA
 
Exercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidos
Exercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidosExercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidos
Exercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidos
O mundo da FÍSICA
 
Física – velocidade média 01 – 2013
Física – velocidade média 01 – 2013Física – velocidade média 01 – 2013
Física – velocidade média 01 – 2013
Jakson_0311
 
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reaçãoLista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Colegio CMC
 

Destaque (20)

Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação - Conteúdo vinculado ...
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação   - Conteúdo vinculado ...Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação   - Conteúdo vinculado ...
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação - Conteúdo vinculado ...
 
Exercícios complementares - dilatação térmica + resolução
Exercícios complementares - dilatação térmica + resoluçãoExercícios complementares - dilatação térmica + resolução
Exercícios complementares - dilatação térmica + resolução
 
Dilatação linear - Blog www.ComoCalcular.com.br
Dilatação linear - Blog www.ComoCalcular.com.brDilatação linear - Blog www.ComoCalcular.com.br
Dilatação linear - Blog www.ComoCalcular.com.br
 
Lista 12 termometria e dilata+º+úo
Lista 12 termometria e dilata+º+úoLista 12 termometria e dilata+º+úo
Lista 12 termometria e dilata+º+úo
 
Fisica 002 termometria
Fisica   002 termometriaFisica   002 termometria
Fisica 002 termometria
 
Ap fisica modulo 30 exercicios
Ap fisica modulo 30 exerciciosAp fisica modulo 30 exercicios
Ap fisica modulo 30 exercicios
 
Física 2º ano prof. pedro ivo - (dilatação térmica superficial )
Física 2º ano   prof. pedro ivo - (dilatação térmica superficial )Física 2º ano   prof. pedro ivo - (dilatação térmica superficial )
Física 2º ano prof. pedro ivo - (dilatação térmica superficial )
 
Simulado de física
Simulado de físicaSimulado de física
Simulado de física
 
Lista de-dilatação-termica
Lista de-dilatação-termicaLista de-dilatação-termica
Lista de-dilatação-termica
 
Dilatação exercícios
Dilatação   exercíciosDilatação   exercícios
Dilatação exercícios
 
Lista de exercícios. cinematica
Lista de exercícios. cinematicaLista de exercícios. cinematica
Lista de exercícios. cinematica
 
Exescalas
ExescalasExescalas
Exescalas
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
Física - Módulo 02
Física - Módulo 02Física - Módulo 02
Física - Módulo 02
 
Dilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidosDilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidos
 
Exercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidos
Exercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidosExercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidos
Exercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidos
 
Física – velocidade média 01 – 2013
Física – velocidade média 01 – 2013Física – velocidade média 01 – 2013
Física – velocidade média 01 – 2013
 
Cinemática
CinemáticaCinemática
Cinemática
 
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reaçãoLista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
 
Aula 7 dilatação
Aula 7   dilataçãoAula 7   dilatação
Aula 7 dilatação
 

Semelhante a Exercícios dilatação térmica

Avaliação 2° ano Física.pdf
Avaliação 2° ano Física.pdfAvaliação 2° ano Física.pdf
Avaliação 2° ano Física.pdf
silfisica
 
Aula-atividade segundos anos noturno
Aula-atividade segundos anos noturnoAula-atividade segundos anos noturno
Aula-atividade segundos anos noturno
Bruno Gorzoni
 
Questõesdetermologia1
Questõesdetermologia1Questõesdetermologia1
Questõesdetermologia1
afpinto
 
Dicas rec sem 1 2o.ano
Dicas rec sem 1 2o.anoDicas rec sem 1 2o.ano
Dicas rec sem 1 2o.ano
jucimarpeixoto
 
Fisica 2 exercicios gabarito 05
Fisica 2 exercicios gabarito 05Fisica 2 exercicios gabarito 05
Fisica 2 exercicios gabarito 05
comentada
 
Listasabado2 fis2
Listasabado2 fis2Listasabado2 fis2
Listasabado2 fis2
resolvidos
 
Corg 2ano-temperaturaedilatao-120229183437-phpapp01
Corg 2ano-temperaturaedilatao-120229183437-phpapp01Corg 2ano-temperaturaedilatao-120229183437-phpapp01
Corg 2ano-temperaturaedilatao-120229183437-phpapp01
Paulo Souto
 
Basica termo e dilatação
Basica termo e dilataçãoBasica termo e dilatação
Basica termo e dilatação
rodrigoateneu
 
Exerciciosresolvidosdilatacaotermica 100805150101-phpapp02
Exerciciosresolvidosdilatacaotermica 100805150101-phpapp02Exerciciosresolvidosdilatacaotermica 100805150101-phpapp02
Exerciciosresolvidosdilatacaotermica 100805150101-phpapp02
Fernanda Damos
 

Semelhante a Exercícios dilatação térmica (20)

Instituto fisica 2º ano
Instituto  fisica 2º anoInstituto  fisica 2º ano
Instituto fisica 2º ano
 
Roz04
Roz04Roz04
Roz04
 
Amanda
AmandaAmanda
Amanda
 
Lista1 fis2
Lista1 fis2Lista1 fis2
Lista1 fis2
 
2ª Lista de Exercícios de Física - 9ºs Anos
2ª Lista de Exercícios de Física - 9ºs Anos2ª Lista de Exercícios de Física - 9ºs Anos
2ª Lista de Exercícios de Física - 9ºs Anos
 
Dilatação térmica
Dilatação térmicaDilatação térmica
Dilatação térmica
 
Dilatacao
DilatacaoDilatacao
Dilatacao
 
Dilatacao
DilatacaoDilatacao
Dilatacao
 
Atividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º anoAtividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º ano
 
Avaliação 2° ano Física.pdf
Avaliação 2° ano Física.pdfAvaliação 2° ano Física.pdf
Avaliação 2° ano Física.pdf
 
Aula-atividade segundos anos noturno
Aula-atividade segundos anos noturnoAula-atividade segundos anos noturno
Aula-atividade segundos anos noturno
 
Questõesdetermologia1
Questõesdetermologia1Questõesdetermologia1
Questõesdetermologia1
 
Dicas rec sem 1 2o.ano
Dicas rec sem 1 2o.anoDicas rec sem 1 2o.ano
Dicas rec sem 1 2o.ano
 
Fisica 2 exercicios gabarito 05
Fisica 2 exercicios gabarito 05Fisica 2 exercicios gabarito 05
Fisica 2 exercicios gabarito 05
 
Listasabado2 fis2
Listasabado2 fis2Listasabado2 fis2
Listasabado2 fis2
 
Corg 2ano-temperaturaedilatao-120229183437-phpapp01
Corg 2ano-temperaturaedilatao-120229183437-phpapp01Corg 2ano-temperaturaedilatao-120229183437-phpapp01
Corg 2ano-temperaturaedilatao-120229183437-phpapp01
 
Basica termo e dilatação
Basica termo e dilataçãoBasica termo e dilatação
Basica termo e dilatação
 
Exerciciosresolvidosdilatacaotermica 100805150101-phpapp02
Exerciciosresolvidosdilatacaotermica 100805150101-phpapp02Exerciciosresolvidosdilatacaotermica 100805150101-phpapp02
Exerciciosresolvidosdilatacaotermica 100805150101-phpapp02
 
Fisica.1.recuperação paralela .doc aluno
Fisica.1.recuperação paralela .doc alunoFisica.1.recuperação paralela .doc aluno
Fisica.1.recuperação paralela .doc aluno
 
Apostila exercicio - mecânica dos sólidos
Apostila  exercicio - mecânica dos sólidosApostila  exercicio - mecânica dos sólidos
Apostila exercicio - mecânica dos sólidos
 

Último

Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 

Último (20)

Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 

Exercícios dilatação térmica

  • 1. Dilatação linear 1- Uma bobina contendo 2000 m de fio de cobre medido num dia em que a temperatura era de 35 °C. Se o fio for medido de novo em um dia que a temperatura for 10ºC esta nova medida indicará (dado o coeficiente de dilatação linear do cobre α= 1,6.10-5 °C-1 ): a) 1,0 m a menos b) 1,0 m a mais c) 2000 m d) 20 m a menos e) 20 mm a mais 2- (UFLA-95) Uma barra de ferro homogênea, é aquecida de 10ºC até 60ºC. Sabendo-se que a barra a 10ºC tem um comprimento igual a 5,000m e que o coeficiente da dilatação linear do ferro é igual 1,2 x 10-6 ºC-1 , podemos afirmar que a variação de dilatação ocorrida e o comprimento final da barra foram de: a) 5x10-4 m; 5,0005m b) 2x10-4 m; 5,0002m c) 4x10-4 m; 5,0004m d) 3x10-4 m; 5,0003m e) 6x10-4 m; 5,0006m 3- (FAFIC) Uma ponte de aço tem 1.000m, à temperatura de 20ºC. Quando a temperatura atingir 40 ºC, o seu comprimento estará: (dado α = 11 x 10-6 ºC-1 ) a) entre 1000 e 1010m b) entre 1100 e 1200m c) igual a 1000m d) entre 900 e 1000m 4- (UFMG 99) . O comprimento L de uma barra, em função de sua temperatura t , é descrito pela expressão L = L0 + L0 α (t-t0 ) , sendo L0 o seu comprimento à temperatura t0 e α o coeficiente de dilatação do material da barra. Considere duas barras, X e Y, feitas de um mesmo material. A uma certa temperatura, a barra X tem o dobro do comprimento da barra Y . Essas barras são, então, aquecidas até outra temperatura, o que provoca uma dilatação ∆X na barra X e ∆Y na barra Y. A relação CORRETA entre as dilatações das duas barras é a) ∆X = ∆Y . b) ∆X = 4 ∆Y c) d) ∆X = 2 ∆Y 5- A dilatação térmica dos sólidos depende diretamente de três fatores ou grandezas. Assinale a opção que contém as três grandezas corretas: a) tamanho inicial, natureza do material e velocidade b) tamanho inicial, tempo e velocidade c) tamanho inicial, natureza do material e variação da temperatura d) tamanho inicial, variação da temperatura e tempo 6- Uma barra de determinado material possui comprimento de 10m à temperatura ambiente (20ºC) e comprimento de 10,1m, quando submetida à uma temperatura de 220ºC. Calcule o coeficiente de dilatação deste material. Física Térmica – Exercícios. Dilatação.
  • 2. www.plantaofisica.blogspot.com 7-(Cesgranrio 95) Uma régua de metal mede corretamente os comprimentos de uma barra de alumínio e de uma de cobre, na temperatura ambiente de 20 °C, sendo os coeficientes de dilatação linear térmica do metal, do alumínio e do cobre, respectivamente iguais a 2,0.10-5 °C-1 , 2,4.10-5 °C-1 e 1,6.10-5 °C-1 , então é correto afirmar que, a 60 °C, as medidas fornecidas pela régua para os comprimentos das barras de alumínio e de cobre, relativamente aos seus comprimentos reais nessa temperatura, serão, respectivamente: a) menor e menor. b) menor e maior. c) maior e menor. d) maior e maior. e) igual e igual. 8- (Ufpe 96) O gráfico a seguir representa a variação, em milímetros, do comprimento de uma barra metálica, de tamanho inicial igual a 1 000 m, aquecida em um forno industrial. Qual é o valor do coeficiente de dilatação térmica linear do material de que é feita a barra, em unidades de 10-6 °C-1 ? 9- (Fei 97) Duas barras, sendo uma de ferro e outra de alumínio, de mesmo comprimento l = 1m a 20°C, são unidas e aquecidas até 320°C. Sabe-se que o coeficiente de dilatação linear do ferro é de 12.10-6 °C-1 e do alumínio é 22.10-6 °C-1 . Qual é o comprimento final após o aquecimento? a) 2,0108 m b) 2,0202 m c) 2,0360 m d) 2,0120 m e) 2,0102 m 10-(Puccamp 98) A figura a seguir representa o comprimento de uma barra metálica em função de sua temperatura.
  • 3. www.plantaofisica.blogspot.com A análise dos dados permite concluir que o coeficiente de dilatação linear do metal constituinte da barra é, em °C-1 , a) 4.10-5 b) 2.10-5 c) 4.10-6 d) 2.10-6 e) 1.10-6 11- (Ufes 96) Uma barra de metal tem comprimento igual a 10,000 m a uma temperatura de 10,0 °C e comprimento igual a 10,006 m a uma temperatura de 40 °C. O coeficiente de dilatação linear do metal é a) 1,5 × 10-4 °C-1 b) 6,0 × 10-4 °C-1 c) 2,0 × 10-5 °C-1 d) 2,0 × 10-6 °C-1 e) 3,0 × 10-6 °C-1 12- (Ita 95) Se duas barras, uma de alumínio com comprimento L1 e coeficiente de dilatação térmica α1 = 2,30 × 10-5 °C-1 e outra de aço com comprimento L2 > L1 e coeficiente de dilatação térmica α2 = 1,10 × 10-5 °C-1 , apresentam uma diferença em seus comprimentos a 0°C, de 1000 mm e essa diferença se mantém constante com a variação da temperatura, podemos concluir que os comprimentos L1 e L2 são a 0 °C: a) L1 = 91,7 mm; L2 = 1091,7 mm b) L1 = 67,6 mm; L2 = 1067,6 mm c) L1 = 917 mm; L2 = 1917 mm d) L1 = 676 mm; L2 = 1676 mm e) L1 = 323 mm; L2 = 1323 mm 13- (Cesgranrio 92) Uma rampa para saltos de asa-delta é construída de acordo com o esquema que se segue. A pilastra de sustentação II tem, a 0 °C, comprimento três vezes maior do que a I. Os coeficientes de dilatação de I e II são, respectivamente, α1 e α2. Para que a rampa mantenha a mesma inclinação a qualquer temperatura, é necessário que a relação entre α1 e α2 seja: a) α1 = α2 b) α1 = 2α2 c) α1 = 3α2 d) α2 = 3α1 e) α2 = 2α1
  • 4. 14) (Ufmg 95) Duas lâminas de metais diferentes, M e N, são unidas rigidamente. Ao se aquecer o conjunto até uma certa temperatura, esse se deforma, conforme mostra a figura a seguir. Com base na deformação observada, pode-se concluir que a) a capacidade térmica do metal M é maior do que a capacidade térmica do metal N. b) a condutividade térmica do metal M é maior do que a condutividade térmica do metal N. c) a quantidade de calor absorvida pelo metal M é maior do que a quantidade de calor absorvida pelo metal N. d) o calor específico do metal M é maior do que o calor específico do metal N. e) o coeficiente de dilatação linear do metal M é maior do que o coeficiente de dilatação linear do metal N. Dilatação superficial 15- (Fatec 96) Uma placa de alumínio tem um grande orifício circular no qual foi colocado um pino, também de alumínio, com grande folga. O pino e a placa são aquecidos de 500 °C, simultaneamente. Podemos afirmar que a) a folga irá aumentar, pois o pino ao ser aquecido irá contrair-se. b) a folga diminuirá, pois ao aquecermos a chapa a área do orifício diminui. c) a folga diminuirá, pois o pino se dilata muito mais que o orifício. d) a folga irá aumentar, pois o diâmetro do orifício aumenta mais que o diâmetro do pino. e) a folga diminuirá, pois o pino se dilata, e a área do orifício não se altera. 16- (Uel 97) Uma chapa de zinco, cujo coeficiente de dilatação linear é 25.10-6 °C-1 , sofre elevação de 10°C na sua temperatura. Verifica-se que a área da chapa aumenta de 2,0 cm2 . Nessas condições, a área inicial da chapa mede, em cm2 , a) 2,0.102 b) 8,0.102 c) 4,0.103 d) 2,0.104 e) 8,0.104 17- (Uepg 2001) A figura abaixo mostra dois frascos de vidro (1 e 2), vazios, ambos com tampas de um mesmo material indeformável, que é diferente do vidro. As duas tampas estão plenamente ajustadas aos frascos, uma internamente e outra externamente. No que respeita à dilatabilidade desses materiais, e considerando αv que é o coeficiente de expansão dos dois vidros e que αt é o coeficiente de expansão das duas tampas, assinale o que for correto.
  • 5. www.plantaofisica.blogspot.com a) Sendo αt menor que αv, se elevarmos a temperatura dos dois conjuntos, o vidro 1 se romperá. b) Sendo αt maior que αv, se elevarmos a temperatura dos dois conjuntos, o vidro 2 se romperá. c) Sendo αt menor que αv, se elevarmos a temperatura dos dois conjuntos, ambos se romperão. d) Sendo αt maior que αv, se diminuirmos a temperatura dos dois conjuntos, o vidro 1 se romperá. e) Qualquer que seja a variação a que submetermos os dois conjuntos, nada ocorrerá com os frascos e com as tampas. 18- (Ufc 2006) Numa experiência de laboratório, sobre dilatação superficial, foram feitas várias medidas das dimensões de uma superfície S de uma lâmina circular de vidro em função da temperatura T. Os resultados das medidas estão representados no gráfico a seguir. Com base nos dados experimentais fornecidos no gráfico, pode-se afirmar, corretamente, que o valor numérico do coeficiente de dilatação linear do vidro é: a) 24 x10-6 °C-1 . b) 18 x10-6 °C-1 . c) 12 x10-6 °C-1 . d) 9 x10-6 °C-1 . e) 6 x10-6 °C-1 . 19- (Ufmg 97) O coeficiente de dilatação térmica do alumínio (Al) é, aproximadamente, duas vezes o coeficiente de dilatação térmica do ferro (Fe). A figura mostra duas peças onde um anel feito de um desses metais envolve um disco feito do outro. Á temperatura ambiente, os discos estão presos aos anéis.
  • 6. www.plantaofisica.blogspot.com Se as duas peças forem aquecidas uniformemente, é correto afirmar que a) apenas o disco de Al se soltará do anel de Fe. b) apenas o disco de Fe se soltará do anel de Al. c) os dois discos se soltarão dos respectivos anéis. d) os discos não se soltarão dos anéis. 20- (Ufmg 2006) João, chefe de uma oficina mecânica, precisa encaixar um eixo de aço em um anel de latão, como mostrado nesta figura: À temperatura ambiente, o diâmetro do eixo é maior que o do orifício do anel. Sabe-se que o coeficiente de dilatação térmica do latão é maior que o do aço. Diante disso, são sugeridos a João alguns procedimentos, descritos nas alternativas a seguir, para encaixar o eixo no anel. Assinale a alternativa que apresenta um procedimento que NÃO permite esse encaixe. a) Resfriar apenas o eixo. b) Aquecer apenas o anel. c) Resfriar o eixo e o anel. d) Aquecer o eixo e o anel. 21- Uma placa de ferro tem área de 200cm2 quando está submetida a uma temperatura de 30ºC. Calcule o aumento que esta chapa irá sofrer quando for submetida a uma temperatura duas vezes maior. Dado α ferro=2x10-5 ºC-1 Dilatação volumétrica 22- (Fatec 99) Um bloco maciço de zinco tem forma de cubo, com aresta de 20cm a 50°C. O coeficiente de dilatação linear médio do zinco é 25.10-6 °C-1 . O valor, em cm3 , que mais se aproxima do volume desse cubo a uma temperatura de -50°C é: a) 8060 b) 8000 c) 7980 d) 7940 e) 7700
  • 7. 23- O volume de um bloco metálico sofre um aumento de 0,6% quando sua temperatura varia de 200 °C. O coeficiente de dilatação linear médio desse metal, em °C-1 , vale a) 1,0.10-5 b) 3,0.10-5 c) 1,0.10-4 d) 3,0.10-4 e) 3,0.10-3 24-(PUC MG 99) O coeficiente de dilatação linear do cobre é 17 x 10-6 ºC-1 . Então, uma esfera de cobre de volume 1m3 , ao ter sua temperatura elevada de 1o C, sofrerá um acréscimo de volume de: a) 0,0017 cm3 b) 0,0034 cm3 c) 0,0051 cm3 d) 17 cm3 e) 51 cm3 25- (Pucmg 97) O tanque de gasolina de um automóvel, de capacidade 60 litros, possui um reservatório auxiliar de retorno com volume de 0,48 litros, que permanece vazio quando o tanque está completamente cheio. Um motorista enche o tanque quando a temperatura era de 20°C e deixa o automóvel exposto ao sol. A temperatura máxima que o combustível pode alcançar, desprezando-se a dilatação do tanque, é igual a: γgasolina = 2,0 x 10-4 °C-1 a) 60°C b) 70°C c) 80°C d) 90°C e) 100°C 26- Um cubo tem volume de 1m3 a 10ºC. Calcule o seu volume a 60ºC, sabendo-se que o seu coeficiente de dilatação volumétrica vale 6x10-6 ºC-1 Dilatação dos líquidos 27- (UFOP-95) Um frasco de vidro, cujo volume é 1000 cm3 a 0ºC, está completamente cheio de mercúrio a essa temperatura. Quando o conjunto é aquecido até 200ºC transbordam 34 cm3 de mercúrio. Dado: coeficiente de dilatação volumétrica do mercúrio: γ = 0,18.10-3 ºC-1 . Calcule: a) o aumento de volume sofrido pelo mercúrio. b) o coeficiente de dilatação linear do vidro. 28- (Pucmg 2007) Um recipiente de vidro está completamente cheio de um determinado líquido. O conjunto é aquecido fazendo com que transborde um pouco desse líquido. A quantidade de líquido transbordado representa a dilatação: a) do líquido, apenas. b) do líquido menos a dilatação do recipiente. c) do recipiente, apenas. d) do recipiente mais a dilatação do líquido 29- Um recipiente de vidro (γ = 5 x 10-6 ºC-1 ), de volume igual a 100dm3 está completamente cheio de álcool à temperatura ambiente (20 ºC). Ao ser aquecido a 60ºC, nota-se que foram derramados 0,2dm3 . Calcule a dilatação real do líquido. 30- (Fgv 2001) O dono de um posto de gasolina recebeu 4000 L de combustível por volta das 12 horas, quando a temperatura era de 35°C. Ao cair da tarde, uma massa polar vinda do Sul baixou a temperatura para 15°C e permaneceu até que toda a gasolina fosse totalmente vendida. Qual foi o prejuízo, em litros de combustível, que o dono do posto sofreu? (Dados: coeficiente de dilatação do combustível é de 1,0. 10-3 °C-1 )
  • 8. www.plantaofisica.blogspot.com a) 4L b) 80L c) 40L d) 140L e) 60L 31- (Fuvest 98) Um termômetro especial, de líquido dentro de um recipiente de vidro, é constituído de um bulbo de 1cm3 e um tubo com secção transversal de 1mm2 . À temperatura de 20 °C, o líquido preenche completamente o bulbo até a base do tubo. À temperatura de 50 °C o líquido preenche o tubo até uma altura de 12mm. Considere desprezíveis os efeitos da dilatação do vidro e da pressão do gás acima da coluna do líquido. Podemos afirmar que o coeficiente de dilatação volumétrica médio do líquido vale: a) 3 × 10-4 °C-1 b) 4 × 10-4 °C-1 c) 12 × 10-4 °C-1 d) 20 × 10-4 °C-1 e) 36 × 10-4 °C-1 32- (Ufpel 2005) Os postos de gasolina, são normalmente abastecidos por um caminhão- tanque. Nessa ação cotidiana, muitas situações interessantes podem ser observadas. Um caminhão-tanque, cuja capacidade é de 40.000 litros de gasolina, foi carregado completamente, num dia em que a temperatura ambiente era de 30°C. No instante em que chegou para abastecer o posto de gasolina, a temperatura ambiente era de 10°C, devido a uma frente fria, e o motorista observou que o tanque não estava completamente cheio. Sabendo que o coeficiente de dilatação da gasolina é 1,1×10-3 °C-1 e considerando desprezível a dilatação do tanque, é correto afirmar que o volume do ar, em litros, que o motorista encontrou no tanque do caminhão foi de a) 40.880. b) 8.800. c) 31.200. d) 4.088. e) 880. Gabarito: 1. a 2. d 3. a 4. d 5. c 6. α = 5x10-5 ºC-1 7. c 8. α = 0,003x10-6 ºC-1 9. d 10. a 11. c 12. c 13. c 14. e 15. d 16. c 17. a 18. d 19. b 20. c 21. 0,24cm2 22. d 23. a 24. e 25. a 26. V = 1,0003m3 27. a) ∆VHg = 36cm3 b) γvidro = 0,01x10-3 ºC-1 28. b 29. ∆Vreal = 36 dm3 30. b 31. b 32. e Veja mais sobre Física e Matemática no Site Plantão de Física - ΠΠΠΠΦΦΦΦ www.plantaofisica.blogspot.com