SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Baixar para ler offline
EFEITOS ECOTOXICOLÓGICOS
METAIS
METAL PESADO
Elevada massa específica (densidade), em torno de 3,5 a 7,0g/cm³;
http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc33_4/199-CCD-7510.pdf
“METAL PESADO”
• Elevada massa atômica (a referência é a massa atômica do sódio, que é
23 g/mol);
• Elevado número atômico (a referência é o número atômico do cálcio,
que é 20);
• Capacidade de formar sais que, em solução aquosa, dissolvem-se e
colorem a água;
• Capacidade de formar sulfetos e hidróxidos insolúveis em água;
Introdução:
M.A.
N0.A.
M.A.: massa atômica (u.m.a)
N0.A: Número atômico
METAL PESADO
• Fácil absorção por um organismo vivo;
• Nível de toxicidade alto para o ser vivo, principalmente se estiver na
forma catiônica e associado a cadeias carbônicas.
A forma mais tóxica de um metal não é a
livre, mas quando este se encontra como
cátion ou ligado a cadeias carbônicas.
Toxidade de um metal
Interação com um
sistema biológico
Forma química em
que se encontra na
natureza
Vias de introdução
nos organismos vivos Capacidade de biotransformação em
sub-produtos mais ou menos tóxicos.
Fontes de contaminação por
metais pesados na água:
Fonte 1: processos químicos e
físicos naturais, tais como
intemperismo, sedimentação e
lixiviação, por meio de processos como
chuva e vento, onde os metais já
presentes naturalmente em solos e
plantas decorrem para os corpos
hídricos.
Fonte 2: processos antrópicos
como lixões, aplicação de
fertilizantes e agrotóxicos no
solo e plantas e efluentes
domésticos e industriais.
• Atividade industrial 
.
Efluentes industriais
A Galvanoplastia é um ramo da
indústria metal-mecânica onde se
realiza o tratamento de superfícies
metálicas ou plásticas, mediante
processos químicos ou eletrolíticos.
Indústria
de
GALVANOPLASTIA
Aumento significativo nas concentrações de
íons metálicos em águas, consideramos que
tais íons podem ser disseminados via cadeia
alimentar.
PROCESSOS
DE
ELETRODEPOSIÇÃO
Quadro 1: Lista de metais pesados mais nocivos
aos seres vivos e suas consequências no corpo humano
Metais Origem Efeitos no ser humano
Alumínio
Produção de artefatos de alumínio; serralheria,
soldagem de medicamentos (antiácidos) e
tratamento convencional de água.
Anemia por deficiência de
ferro, intoxicação crônica.
Arsênico Metalúrgica, manufatura de vidros e fundição. Câncer
Cádmio Soldas, tabaco, baterias e pilhas.
Câncer de pulmões e
próstata; lesões nos rins.
Chumbo
Fabricação e reciclagem de baterias de autos,
indústrias de tintas, pintura em cerâmica,
soldagem.
Saturrismo (cólicas
abnominais, tremores,
fraqueza muscular, lesão
renal e cerebral.
Cobalto
Preparo de ferramentas de cortes e furadoras.
Fibrose pulmonar
Cromo
Indústria de corantes, esmaltes, tintas, ligas com aço e
níquel, cromagem de metais. Asma e câncer
Fósforo
amarelo
Veneno para baratas, inseticidas e fogos de artifícios.
Náuseas. Gastrite, fezes e
vômitos fosforescentes, dor
muscular.
Mercúrio
Moldes industriais, industrias de cloro soda, garimpo de
ouro, lâmpadas fluorescentes.
Intoxicação do sistema nervoso
central
Níquel
Baterias, aramados, fundição, niquelagem de metais,
refinarias.
Câncer de pulmões e seios
paranasais
Fumos
Metálicos
Vapores de soldagem industrial, ou da galvarização de
metais
Febre, tosse, cansaço e dores
musculares.
Fonte: Sindipetro, 2018.
Nos organismos, o principal mecanismo de ação tóxica dos metais
decorre de sua afinidade pelo enxofre.
Assim, quando presentes em suas formas catiônicas, os metais reagem
com o radical sulfidrila (-SH) presente na estrutura proteica das
enzimas, alterando suas propriedades, o que pode resultar em
consequências danosas ao metabolismo dos seres vivos (Baird, 2002).
MERCÚRIO
É utilizado para separar o ouro de outros minerais junto a todos os materiais encontrados.
Espécies químicas de mercúrio.
Sua principal espécie catiônica (Hg2+) está associada às partículas em suspensão que se depositarão em
sedimentos nos corpos d’água.
Nos sedimentos, micro-organismos convertem esse cátion em dimetilmercúrio, Hg(CH3)2, o qual, em função do
pH do meio, é convertido em metilmercúrio, HgCH3.
Em função de sua lipossolubilidade em ambientes aquáticos, ao passar
pelas brânquias dos peixes, o metilmercúrio se difunde e acumula no
tecido adiposo, em um fenômeno conhecido por bioacumulação. No
interior do organismo, o metilmercúrio (HgCH3 ) exercerá sua ação
tóxica, interagindo com os grupos sulfidrila das enzimas.
• Metal: Mercúrio
• Organismos: Enguias europeias
• Efeitos: Bioacumulação e baixa
eficiência de reprodução.
• Autores: Nowosad et al., (2018).
Fonte: http://oceanos912.blogspot.com/
Pesquisas sobre ecotoxicologia
de metais pesados
• Metal: Mercúrio
• Organismos: Corbicula fluminea (molusco
bivalve)
• Efeitos: Inibição de atividade enzimática,
hipóxia e diminuição da energia.
• Autores: Oliveira et al., (2018).
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Corbicula_fluminea
Pesquisas sobre ecotoxicologia
de metais pesados
O envenenamento provocado pela
acumulação de mercúrio chama-se
Mal de Minamata.
Afeta o sistema nervoso, podendo causar paralisia,
perda de memória, dores de cabeça e distúrbios
emocionais, além do sistema cardiovascular, inclusive
levando à morte.
Quando exposto ao ambiente, deposita-se no fundo de
rios, lagoas e represas, contaminando a água e também o
solo.
É possível desenvolver-se o Mal de Minamata pela
ingestão de peixes contaminados.
MERCÚRIO
Saturnismo ou
plumbismo refere-se a
intoxicação por chumbo
de um organismo.
• Metal: Cádmio
• Organismos: Danio rerio (peixe);
• Efeitos: Diminuição da fertilidade e
degeneração das células da retina;
• Autores: Acosta et al., (2016); Avallone et
al., (2015). Fonte: https://1fish2fishdartmouth.com/products/zebra-
danio?variant=17048088324
Pesquisas sobre ecotoxicologia
de metais pesados
• Metal: Cromo
• Organismos: Oncorhynchus mykiss
(peixe)
• Efeitos: Inibição da atividade
enzimática
• Autores: Bogé et al., (1987).
Fonte: https://www.uniprot.org/taxonomy/8022
Pesquisas sobre ecotoxicologia
de metais pesados
• Metal: Níquel
• Organismos: Acropora aspera,
Acropora digitifera, Platygyra
daedalea (corais).
• Efeitos: Inibição da fertilização.
• Autores: Gissi et al., (2017).
Fonte:
https://acquaworldsantos.com.br/catalogo/se
m%20categoria/aspera-staghorn-coral/
Fonte:
https://en.wikipedia.org/wiki/Acropora_digitifera
Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Platygyra_daedalea
Pesquisas sobre ecotoxicologia
de metais pesados
• Metal: Cobre
• Organismos: Acropora aspera,
Acropora digitifera, Platygyra
daedalea (corais).
• Efeitos: Inibição da fertilização.
• Autores: Gissi et al., (2017).
Fonte:
https://acquaworldsantos.com.br/catalogo/sem
%20categoria/aspera-staghorn-coral/
Fonte:
https://en.wikipedia.org/wiki/Acropora_digitifera
Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Platygyra_daedalea
Pesquisas sobre ecotoxicologia
de metais pesados
MAL DE MINAMATA
https://www.youtube.com/watch?v=_zMG0MsyIQ0

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Aula 4 e 5- Metais.pdf

Semelhante a Aula 4 e 5- Metais.pdf (20)

Chumbo 
Chumbo Chumbo 
Chumbo 
 
Sindrome do Chapeleiro Maluco
Sindrome do Chapeleiro MalucoSindrome do Chapeleiro Maluco
Sindrome do Chapeleiro Maluco
 
Metais pesados
Metais pesadosMetais pesados
Metais pesados
 
Estado da arte biorremediação
Estado da arte biorremediaçãoEstado da arte biorremediação
Estado da arte biorremediação
 
Apresentação galvanoplastia rodrigo
Apresentação galvanoplastia rodrigoApresentação galvanoplastia rodrigo
Apresentação galvanoplastia rodrigo
 
Reciclagem de raios x
Reciclagem de raios xReciclagem de raios x
Reciclagem de raios x
 
Óxidos
Óxidos Óxidos
Óxidos
 
Ana nery corrosão de metais
Ana nery   corrosão de metaisAna nery   corrosão de metais
Ana nery corrosão de metais
 
Sampaio cetem - bauxita
Sampaio   cetem - bauxitaSampaio   cetem - bauxita
Sampaio cetem - bauxita
 
Chumbo
ChumboChumbo
Chumbo
 
Aula de domingo
Aula de domingoAula de domingo
Aula de domingo
 
Pilhas e baterias
Pilhas e bateriasPilhas e baterias
Pilhas e baterias
 
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS_p2.ppt
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS_p2.pptAULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS_p2.ppt
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS_p2.ppt
 
Pilhasebaterias 100612183959-phpapp02
Pilhasebaterias 100612183959-phpapp02Pilhasebaterias 100612183959-phpapp02
Pilhasebaterias 100612183959-phpapp02
 
Guia de Acabamentos Superficiais - Indufix Parafusos
Guia de Acabamentos Superficiais - Indufix ParafusosGuia de Acabamentos Superficiais - Indufix Parafusos
Guia de Acabamentos Superficiais - Indufix Parafusos
 
Cobre e Ferro
Cobre e FerroCobre e Ferro
Cobre e Ferro
 
Metais Pesados e Minamata
Metais Pesados e MinamataMetais Pesados e Minamata
Metais Pesados e Minamata
 
Questões do enem
Questões do enemQuestões do enem
Questões do enem
 
Para onde
Para ondePara onde
Para onde
 
Relatório corrosão
Relatório corrosãoRelatório corrosão
Relatório corrosão
 

Mais de DaniDu3

Evolução.ppt
Evolução.pptEvolução.ppt
Evolução.pptDaniDu3
 
Aula 12 - Isomeria optica.pptx
Aula 12 - Isomeria optica.pptxAula 12 - Isomeria optica.pptx
Aula 12 - Isomeria optica.pptxDaniDu3
 
Aula 6 - Cetonas.pptx
Aula 6 - Cetonas.pptxAula 6 - Cetonas.pptx
Aula 6 - Cetonas.pptxDaniDu3
 
Aula 8 - Radioatividade.pdf
Aula 8 - Radioatividade.pdfAula 8 - Radioatividade.pdf
Aula 8 - Radioatividade.pdfDaniDu3
 
Aula 3 - Toxicologia Ambiental.pdf
Aula 3 - Toxicologia Ambiental.pdfAula 3 - Toxicologia Ambiental.pdf
Aula 3 - Toxicologia Ambiental.pdfDaniDu3
 
Aula 2 - O papel da empresa.pptx
Aula 2 - O papel da empresa.pptxAula 2 - O papel da empresa.pptx
Aula 2 - O papel da empresa.pptxDaniDu3
 
Anelideos.ppt
Anelideos.pptAnelideos.ppt
Anelideos.pptDaniDu3
 
Ciclos Biogeoquímicos.pptx
Ciclos Biogeoquímicos.pptxCiclos Biogeoquímicos.pptx
Ciclos Biogeoquímicos.pptxDaniDu3
 
Aula_8_Avaliacao_do_Desempenho_Ambiental.ppt
Aula_8_Avaliacao_do_Desempenho_Ambiental.pptAula_8_Avaliacao_do_Desempenho_Ambiental.ppt
Aula_8_Avaliacao_do_Desempenho_Ambiental.pptDaniDu3
 
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptxAula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptxDaniDu3
 
Aula 2 - Hidrocarbonetos.pptx
Aula 2 - Hidrocarbonetos.pptxAula 2 - Hidrocarbonetos.pptx
Aula 2 - Hidrocarbonetos.pptxDaniDu3
 
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptxAula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptxDaniDu3
 
Aula 11 bioensaios - parte 1
Aula 11   bioensaios - parte 1Aula 11   bioensaios - parte 1
Aula 11 bioensaios - parte 1DaniDu3
 

Mais de DaniDu3 (13)

Evolução.ppt
Evolução.pptEvolução.ppt
Evolução.ppt
 
Aula 12 - Isomeria optica.pptx
Aula 12 - Isomeria optica.pptxAula 12 - Isomeria optica.pptx
Aula 12 - Isomeria optica.pptx
 
Aula 6 - Cetonas.pptx
Aula 6 - Cetonas.pptxAula 6 - Cetonas.pptx
Aula 6 - Cetonas.pptx
 
Aula 8 - Radioatividade.pdf
Aula 8 - Radioatividade.pdfAula 8 - Radioatividade.pdf
Aula 8 - Radioatividade.pdf
 
Aula 3 - Toxicologia Ambiental.pdf
Aula 3 - Toxicologia Ambiental.pdfAula 3 - Toxicologia Ambiental.pdf
Aula 3 - Toxicologia Ambiental.pdf
 
Aula 2 - O papel da empresa.pptx
Aula 2 - O papel da empresa.pptxAula 2 - O papel da empresa.pptx
Aula 2 - O papel da empresa.pptx
 
Anelideos.ppt
Anelideos.pptAnelideos.ppt
Anelideos.ppt
 
Ciclos Biogeoquímicos.pptx
Ciclos Biogeoquímicos.pptxCiclos Biogeoquímicos.pptx
Ciclos Biogeoquímicos.pptx
 
Aula_8_Avaliacao_do_Desempenho_Ambiental.ppt
Aula_8_Avaliacao_do_Desempenho_Ambiental.pptAula_8_Avaliacao_do_Desempenho_Ambiental.ppt
Aula_8_Avaliacao_do_Desempenho_Ambiental.ppt
 
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptxAula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
 
Aula 2 - Hidrocarbonetos.pptx
Aula 2 - Hidrocarbonetos.pptxAula 2 - Hidrocarbonetos.pptx
Aula 2 - Hidrocarbonetos.pptx
 
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptxAula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
Aula 1 - Estrutura atômica e eletrônica.pptx
 
Aula 11 bioensaios - parte 1
Aula 11   bioensaios - parte 1Aula 11   bioensaios - parte 1
Aula 11 bioensaios - parte 1
 

Último

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 

Último (20)

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 

Aula 4 e 5- Metais.pdf

  • 2.
  • 3. METAL PESADO Elevada massa específica (densidade), em torno de 3,5 a 7,0g/cm³; http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc33_4/199-CCD-7510.pdf
  • 4. “METAL PESADO” • Elevada massa atômica (a referência é a massa atômica do sódio, que é 23 g/mol); • Elevado número atômico (a referência é o número atômico do cálcio, que é 20); • Capacidade de formar sais que, em solução aquosa, dissolvem-se e colorem a água; • Capacidade de formar sulfetos e hidróxidos insolúveis em água;
  • 5. Introdução: M.A. N0.A. M.A.: massa atômica (u.m.a) N0.A: Número atômico
  • 6. METAL PESADO • Fácil absorção por um organismo vivo; • Nível de toxicidade alto para o ser vivo, principalmente se estiver na forma catiônica e associado a cadeias carbônicas. A forma mais tóxica de um metal não é a livre, mas quando este se encontra como cátion ou ligado a cadeias carbônicas.
  • 7. Toxidade de um metal Interação com um sistema biológico Forma química em que se encontra na natureza Vias de introdução nos organismos vivos Capacidade de biotransformação em sub-produtos mais ou menos tóxicos.
  • 8. Fontes de contaminação por metais pesados na água: Fonte 1: processos químicos e físicos naturais, tais como intemperismo, sedimentação e lixiviação, por meio de processos como chuva e vento, onde os metais já presentes naturalmente em solos e plantas decorrem para os corpos hídricos. Fonte 2: processos antrópicos como lixões, aplicação de fertilizantes e agrotóxicos no solo e plantas e efluentes domésticos e industriais.
  • 9. • Atividade industrial  . Efluentes industriais A Galvanoplastia é um ramo da indústria metal-mecânica onde se realiza o tratamento de superfícies metálicas ou plásticas, mediante processos químicos ou eletrolíticos. Indústria de GALVANOPLASTIA Aumento significativo nas concentrações de íons metálicos em águas, consideramos que tais íons podem ser disseminados via cadeia alimentar. PROCESSOS DE ELETRODEPOSIÇÃO
  • 10. Quadro 1: Lista de metais pesados mais nocivos aos seres vivos e suas consequências no corpo humano Metais Origem Efeitos no ser humano Alumínio Produção de artefatos de alumínio; serralheria, soldagem de medicamentos (antiácidos) e tratamento convencional de água. Anemia por deficiência de ferro, intoxicação crônica. Arsênico Metalúrgica, manufatura de vidros e fundição. Câncer Cádmio Soldas, tabaco, baterias e pilhas. Câncer de pulmões e próstata; lesões nos rins. Chumbo Fabricação e reciclagem de baterias de autos, indústrias de tintas, pintura em cerâmica, soldagem. Saturrismo (cólicas abnominais, tremores, fraqueza muscular, lesão renal e cerebral.
  • 11. Cobalto Preparo de ferramentas de cortes e furadoras. Fibrose pulmonar Cromo Indústria de corantes, esmaltes, tintas, ligas com aço e níquel, cromagem de metais. Asma e câncer Fósforo amarelo Veneno para baratas, inseticidas e fogos de artifícios. Náuseas. Gastrite, fezes e vômitos fosforescentes, dor muscular. Mercúrio Moldes industriais, industrias de cloro soda, garimpo de ouro, lâmpadas fluorescentes. Intoxicação do sistema nervoso central Níquel Baterias, aramados, fundição, niquelagem de metais, refinarias. Câncer de pulmões e seios paranasais Fumos Metálicos Vapores de soldagem industrial, ou da galvarização de metais Febre, tosse, cansaço e dores musculares. Fonte: Sindipetro, 2018.
  • 12. Nos organismos, o principal mecanismo de ação tóxica dos metais decorre de sua afinidade pelo enxofre. Assim, quando presentes em suas formas catiônicas, os metais reagem com o radical sulfidrila (-SH) presente na estrutura proteica das enzimas, alterando suas propriedades, o que pode resultar em consequências danosas ao metabolismo dos seres vivos (Baird, 2002).
  • 13. MERCÚRIO É utilizado para separar o ouro de outros minerais junto a todos os materiais encontrados.
  • 14. Espécies químicas de mercúrio. Sua principal espécie catiônica (Hg2+) está associada às partículas em suspensão que se depositarão em sedimentos nos corpos d’água. Nos sedimentos, micro-organismos convertem esse cátion em dimetilmercúrio, Hg(CH3)2, o qual, em função do pH do meio, é convertido em metilmercúrio, HgCH3.
  • 15. Em função de sua lipossolubilidade em ambientes aquáticos, ao passar pelas brânquias dos peixes, o metilmercúrio se difunde e acumula no tecido adiposo, em um fenômeno conhecido por bioacumulação. No interior do organismo, o metilmercúrio (HgCH3 ) exercerá sua ação tóxica, interagindo com os grupos sulfidrila das enzimas.
  • 16.
  • 17. • Metal: Mercúrio • Organismos: Enguias europeias • Efeitos: Bioacumulação e baixa eficiência de reprodução. • Autores: Nowosad et al., (2018). Fonte: http://oceanos912.blogspot.com/ Pesquisas sobre ecotoxicologia de metais pesados
  • 18. • Metal: Mercúrio • Organismos: Corbicula fluminea (molusco bivalve) • Efeitos: Inibição de atividade enzimática, hipóxia e diminuição da energia. • Autores: Oliveira et al., (2018). Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Corbicula_fluminea Pesquisas sobre ecotoxicologia de metais pesados
  • 19. O envenenamento provocado pela acumulação de mercúrio chama-se Mal de Minamata.
  • 20. Afeta o sistema nervoso, podendo causar paralisia, perda de memória, dores de cabeça e distúrbios emocionais, além do sistema cardiovascular, inclusive levando à morte. Quando exposto ao ambiente, deposita-se no fundo de rios, lagoas e represas, contaminando a água e também o solo. É possível desenvolver-se o Mal de Minamata pela ingestão de peixes contaminados. MERCÚRIO
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25. Saturnismo ou plumbismo refere-se a intoxicação por chumbo de um organismo.
  • 26.
  • 27. • Metal: Cádmio • Organismos: Danio rerio (peixe); • Efeitos: Diminuição da fertilidade e degeneração das células da retina; • Autores: Acosta et al., (2016); Avallone et al., (2015). Fonte: https://1fish2fishdartmouth.com/products/zebra- danio?variant=17048088324 Pesquisas sobre ecotoxicologia de metais pesados
  • 28. • Metal: Cromo • Organismos: Oncorhynchus mykiss (peixe) • Efeitos: Inibição da atividade enzimática • Autores: Bogé et al., (1987). Fonte: https://www.uniprot.org/taxonomy/8022 Pesquisas sobre ecotoxicologia de metais pesados
  • 29. • Metal: Níquel • Organismos: Acropora aspera, Acropora digitifera, Platygyra daedalea (corais). • Efeitos: Inibição da fertilização. • Autores: Gissi et al., (2017). Fonte: https://acquaworldsantos.com.br/catalogo/se m%20categoria/aspera-staghorn-coral/ Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Acropora_digitifera Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Platygyra_daedalea Pesquisas sobre ecotoxicologia de metais pesados
  • 30. • Metal: Cobre • Organismos: Acropora aspera, Acropora digitifera, Platygyra daedalea (corais). • Efeitos: Inibição da fertilização. • Autores: Gissi et al., (2017). Fonte: https://acquaworldsantos.com.br/catalogo/sem %20categoria/aspera-staghorn-coral/ Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Acropora_digitifera Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Platygyra_daedalea Pesquisas sobre ecotoxicologia de metais pesados