Ativ final grupob

643 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
643
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ativ final grupob

  1. 1. Curso de Especialização em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Dis-tânciaMódulo I – Fundamentos da EADPólos: Itabira/MG e Iguaba Grande/RJGrupo: Grupo 17Equipe B: Anna Maria Magalhães Horta – Iguaba Grande Caroline dos Santos Florentino – Iguaba Grande Claudine Alvarenga Silva – Iguaba Grande Gleice Moreira Silva – Itabira Hugo Geraldo Perdigão e Vieira – ItabiraTutora: Helena dos Santos Reis CAPANHA VIVA COM SAÚDEI – TEMA: VIDA SEXUAL E ADOLESCÊNCIAII - INTRODUÇÃO O período que vai dos 10 aos 20 anos de idade, podemos chamar de adolescência.Trata-se de uma fase difícil, onde as transformações físicas ocorrem e a emoção destaca-se abundantemente. Nesta fase ocorre um preparo para a idade adulta, através do ama-durecimento, desenvolvimento e crescimento. Já existe o pensamento de gerar filhos, fi-cando então apto a usufruir da vida sexual ativa, com a busca de um(a) parceira por ins-tinto, onde sua identidade sexual poderá ser definida. A iniciação sexual de nossos adolescentes tem ocorrido cada vez mais cedo, comoresultado de uma série de mudanças enfrentadas pela sociedade contemporânea. Gravi-dez precoce DST e ADIS estão presentes em nossas escolas e temos o dever de prevenirnossos estudantes. Esclarecer e levar conhecimentos é sempre necessário nos dias de hoje. O adoles-cente mesmo que tenha ouvido ou falado sobre o assunto não acredita que possa acon-tecer com ele e seus amigos.É um tema que deve ser discutido e dialogado sempre. Nos últimos anos a escola tem assumido uma série de funções e papéis que an-tes eram específicas das famílias. A escola tem assumido a função de educar, preparar 1
  2. 2. os alunos para a vida, e isto incluí preparar para uma vida sexual e afetiva consciente esaudável. Grande parte dos professores não está preparado para assumir mais esta respon-sabilidade. Discutir questões como sexualidade, AIDS , DST e gravidez precoce exigeuma reflexão prévia do professor sobre seus valores, e, principalmente, um grande co-nhecimento científico sobre tema, além de uma boa dose de sensibilidade. Visando capacitar professores do Ensino Médio e Fundamental para trabalharem sala de aula questões referentes a gravidez precoce, AIDS e DST, a equipe B prepa-rou a CAMPANHA VIVA COM SAÚDE. Uma campanha marcada por dois momentos,,primeiro a capacitação a distância de professores, direção e equipe técnico pedagógicado Colégio Municipal XYZ sobre o tema e, depois, uma campanha de conscientizaçãojunto aos alunos do mesmo colégio. Neste projeto iremos descrever a primeira parte daCampanha Viva com Saúde.III - Justificativa : O Colégio Municipal XYZ, situado num bairro periférico da cidade XXXXXXX ,possui cerca de dois mil alunos de Ensino Fundamental e Médio, divididos em três turnose cerca de 120 professores. Em pesquisa realizada no mês de agosto pelo serviço de Orientação Educacio-nal, foi constatado que cerca de 15% dos alunos do colégio são mães ou pais prematu-ramente. Ao mesmo tempo, a escola possui um alto índice de evasão escolar provocadopela gravidez precoce. Considerando os problemas gerados pela gravidez precoce, tais como alto índicede evasão escolar, baixo índice de escolaridade, reprodução do círculo da pobreza e pos-sibilidade de contágio com doenças sexualmente transmissíveis, professores, direção eequipe técnico pedagógica reconhecem a necessidade de serem capacitados para traba-lhar melhor em sala de aula questões referentes à sexualidade adolescente. A CAMPANHA VIVA COM SAÚDE, organizada pela Secretaria de Saúde Coletivae Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura Municipal é a resposta dos órgãos pú-blicos ao Colégio XYZ. Planejada em conjunto, pretende capacitar profissionais do colé-gio para lidarem com a problemática em questão.IV OBJETIVOS Refletir sobre as bases conceituais do processo saúde-doença; 2
  3. 3. Contextualizar as ações integrais em saúde e a intersetorialidade; Contextualizar as ações na formação integral do educando e a intersetorialidade; Capacitar o público-alvo a identificar e agir sobre os determinantes da saúde da comunidade escolar; Capacitar o público-alvo a identificar e agir sobre os principais problemas de saúde da comunidade escolar; Capacitar o público-alvo a agir como motivador do empoderamento da comunidade escolar no controle dos determinantes de sua saúde; Oferecer subsídios teórico-práticos sobre o conteúdo referente à saúde sexual, sa- úde reprodutiva de prevenção de DST/HIV/AIDS; Subsidiar a discussão e o desenvolvimento de ações que auxiliem o educador nas abordagens que envolvem a saúde sexual, a saúde reprodutiva e a prevenção da gravidez precoce, DST/HIV/AIDS entre o público juvenil;V - PÚBLICO ALVO:Professores, pessoal de apoio, equipe técnico pedagógica e direção do Colégio XYZVI - DISCIPLINAS ENVOLVIDAS:Educação a Distância; Biologia e PsicologiaVII - METODOLOGIA E ESTRATÉGIAS: O Colégio XYZ possui um site na internet, onde será hospedada a PlataformaMoodle, onde serão colocados os textos básicos e postados links com indicações de leitu-ras, vídeos e atividades. O cursista deverá acessar a plataforma por, pelo menos, 5 horas semanais, po-dendo utilizar o horário de coordenação pedagógica para este fim e o LIED do colégio .VII.1 - ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICASa) Motivação dos alunos através de vídeos:b) Promover debates através de fóruns.c) Escrita de textos colaborativos em wiki.d) Trabalho final em grupo, com troca de ideias através de fóruns. 3
  4. 4. VII.2 - FERRAMENTAS DE INTERAÇÃOa) Diário de bordo: a cada início de módulo o cursista deverá registrar no Diário de Bordoseus conhecimentos prévio, e, ao término do módulo, os conhecimentos adquiridos, for-mando assim seu portfólio.b) Fórum: espaço para debate onde o tutor estabelece uma questão relacionada ao mate-rial didático estabelecido e cursistas e tutor debatem o assunto.c) Wiki: em espaço específico, cada integrante do grupo escreve sobre o tema, podendointerferir no que já foi escrito, assim, com a colaboração de todos, obtem- se um únicotexto.VII. 3 - MÓDULOS:Módulo I - Metodologia de Educação à Distância (EAD) e Uso da Ferramenta MoodleMaterial didático:Guia de Utilização da Plataforma Moodlehttp://www.facitec.br/moodle/arquivos/Moodle_Aluno_guia_de_utilizacao.pdfVídeo :EAD – Educação a Distância http://www.youtube.com/watch?v=bxK9KtF4DvkO Papel do Tutor na EAD http://www.youtube.com/watch?v=v1a0IuRFcosPerfil do Aluno EAD http://www.youtube.com/watch?v=mItFjZBM-rUAtividade 1:Navegar pela Plataforma, atualizar seus dados e inserir foto.Atividade 2Iniciar o Diário de Bordo escrevendo sobre suas expectativas em relação ao curso.Fórum 1:Fale um pouco sobre você, os motivos que te fizeram se inscrever no curso, quais suasexpectativas com o curso e também com a educação a distância.Módulo II - Introdução aos conceitos de Saúde, integralidade em Saúde, Educaçãointegral, intersetorialidade.Material Didático: 4
  5. 5. BRASIL, Ministério da Educação. Educação Integral e Intersetorialidade. Ano XIX, num.13. TV Escola. Min. Da Educaçãohttp://www.tvbrasil.org.br/fotos/salto/series/182240EduIntegralInter.pdf Acessado em29/09/2010Atividade 1:Registro no DIÁRIO DE BORDO. Antes de cada texto lido escrever um pequeno comentá-rio sobre o que o cursista sabe sobre o assunto, e após a leitura dos textos e realizaçãoda atividade, registrar o que aprendeu. Os registros no diário de bordo serão parte da ava-liação final.Fórum 2:A Lei de Diretrizes e Bases da Educação - (BRASIL, 1996) define no Art. 1º que: “A edu-cação abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convi-vência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos soci-ais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais”. No mesmo artigo, §2º é descrito que “A educação escolar deverá vincular-se ao mundo do trabalho e à práti-ca social”.A Organização Mundial da Saúde define saúde como estado de completo bem-estar físi-co, mental e social, e não apenas a ausência de doenças.A partir destes dois conceitos, debata os conceitos articulando os dois temas e reflita apartir de sua realidade.Módulo III - Ações de Promoção à Saúde e PrevençãoMaterial didático:BRASIL, Ministério da Saúde. Orientações sobre o Programa Saúde na Escola para aelaboração dos Projetos Locais.Atividade 1Diário de Bordo – conhecimentos prévio e conhecimentos adquiridosFórum 3: 5
  6. 6. Pense e registre- Você já realizou uma ação educativa para a comunidade do território onde você traba-lha? Como foi? Se ainda não realizou pense agora e descreve-a!- Como você vê a possibilidade de promover uma ação educativa para a comunidade es-colar? Quais as dificuldades e as potencialidades?- Como essa atividade pode se tornar uma ação intersetorial?Módulo IV – Educação para a Saúde Sexual, Saúde Reprodutiva e Prevenção dasDST/AIDS e Gravidez PrecoceMaterial Didático:BRASIL. Ministério da Saúde. Coordenação Nacional de DST e Aids.Aprendendo so-bre AIDS e Doenças Sexualmente Transmissíveis: Livro da Família. Brasília: 1998.Portal sobre AIDS, DST e Hepatites Virais - http://www.aids.gov.brGONTIJO, Daniela Tavares; MEDEIROS, Marcelo - Gravidez / maternidade e adoles-centes em situação de risco social e pessoal: algumas considerações. Revista Ele-trônica de Enfermagem, v. 06, n. 03, 2004. Disponível emhttp://www.fen.ufg.br/revista/revista6_3/12_Revisao2.htmlBUENO, Gláucia da Motta. Varáveis de risco para a gravidez na adolescência I e II.http://www.virtualpsy.org/infantil/gravidez.htmlPortal Rádio Margarida http://www.radiomargarida.org.br/?page_id=19Vídeos:- Os riscos da Gravidez na Adolescência :http://www.youtube.com/watch?v=UQwRYa1x2bo- Projeto Educação para a Saúde e Adolescênciahttp://www.youtube.com/watch?v=iL81IBfT-1UAtividade 1Diário de Bordo – conhecimentos prévio e conhecimentos adquiridos 6
  7. 7. Atividade Final:Criando uma campanha educativa a) Através de um fórum, criação de grupos de 4 pessoas e escolha de um líder. b) Cada grupo, após formado, terá seu próprio fórum, para, durante o período de uma semana planejar uma atividade educativa para seus alunos. Esta campa- nha terá um folder informativo, que será criado pelo grupo e enviado ao tutor pela plataforma. c) Durante este período, o grupo deverá trabalhar o planejamento numa wiki. d) Envio do planejamento e do folder pela plataforma.VIII – AVALIAÇÃO: O objetivo principal deste mini curso é promover a capacitação de professores, dire-ção e equipe técnico pedagógica para tratar, em sala de aula de um assunto extremamen-te polêmico que é a gravidez precoce, AIDS e DST, a avaliação do cursista acontecerádurante todo o processo, através dos registros no diário de bordo e nos fóruns. A avaliação será distribuída da seguinte forma: a) Diário de bordo: 2 pontos b) Participação nos fóruns: 2 pontos c) Participação na wiki : 1 ponto d) Tarefa final: 5 pontosIX- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS E WEBBGRÁFICASBRASIL, Ministério da Educação. Educação Integral e Intersetorialidade. Ano XIX, num.13. TV Escola. Min. Da Educaçãohttp://www.tvbrasil.org.br/fotos/salto/series/182240EduIntegralInter.pdf Acessado em29/09/2010BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Orientaçõessobre o Programa Saúde na Escola para a elaboração dos Projetos Locais.Disponível em: 7
  8. 8. http://dtr2004.saude.gov.br/dab/docs/geral/orientacoes_pse.pdfBRASIL. Ministério da Educação e da Cultura. Secretaria de EducaçãoFundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Orientação Sexual.Brasília:1997a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro102.pdfBRASIL. Ministério da Saúde. Coordenação Nacional de DST e Aids.Aprendendo so-bre AIDS e Doenças Sexualmente Transmissíveis: Livro da Família. Brasília: 1998. BRASIL. Ministério da Saúde. Coordenação Nacional de DST e Aids. Política Nacionalde DST/aids: princípios e diretrizes. Brasília: 1999 Disponível em:http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cd03_17.pdfBUENO, Gláucia da Motta. Varáveis de risco para a gravidez na adolescência I e II.http://www.virtualpsy.org/infantil/gravidez.htmlBUSS, Paulo Marchiori. Promoção da saúde e Qualidade de vida. Ciência &Saúde Coletiva, 5(1):163-177, 2000.Disponível em:http://www.scielo.br/pdf/csc/v5n1/7087.pdf Acessado em 29/09/2010Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas – IESST . Guia de Utilização da Plata-forma Moodle.http://www.facitec.br/moodle/arquivos/Moodle_Aluno_guia_de_utilizacao.pdf Acessado em29 de setembro de 2010.GONTIJO, Daniela Tavares; MEDEIROS, Marcelo - Gravidez / maternidade e adoles-centes em situação de risco social e pessoal: algumas considerações. Revista Ele-trônica de Enfermagem, v. 06, n. 03, 2004. Disponível emhttp://www.fen.ufg.br/revista/revista6_3/12_Revisao2.htmlKELL, Maria do Carmo (adap. por) . Integralidade da Atenção à Saúde. Ministério da Sa-úde, Governo Federal, Brasil. Disponível em :www.opas.org.br/observatorio/Arquivos/Destaque69.doc . acessado em 29/09/2010Portal Rádio Margarida: http://www.radiomargarida.org.br/?page_id=19 8

×