SlideShare uma empresa Scribd logo
LÍPÍDEOS
Ana Letícia
Leandro Barbosa
Matheus Ribeiro
Meiriany R. de Andrade
Rafael Queiroz
Rosana
Rodrigo Cavalcante
?
FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE UNAÍ
Medicina Veterinária
Introdução
Os lipídios também chamados de gorduras são biomoléculas
orgânicas compostas principalmente por moléculas de hidrogênio,
oxigênio e carbono.
Fornecem energia para as células, participam da composição das
membranas, atuam como isolantes térmicos.
Características
• Os lipídios são substâncias químicas de baixa polaridade, por
isso, insolúveis em água.
• Solúveis: Solventes orgânicos: Álcool, éter, benzina, etc.
Classificação
•Lipídios simples
• Lipídios compostos
• Lipídios derivados
Lipídeos Simples
São os lipídios formados apenas por álcool glicerol e ácidos
graxos.
•Glicerídeos: São os óleos e as gorduras, formados pela união do
álcool glicerol com ácidos graxos. A diferença fundamental entre
óleos e gorduras é que os óleos são líquidos à temperatura
ambiente (20°C), enquanto que as gorduras são sólidas.
Podem ser saturados e insaturados
Exemplo: Triglicerídeos
Lipídeos Simples
Lipídeos Simples
•Cerídeos: São encontrados na superfície de pétalas de flores,
casca de frutos e folhas, onde atuam como impermeabilizantes,
secreção de insetos e em aves.
Exemplo :Cerídeos ( Ceras)
Lipídeos Compostos
São formados pela união entre ácido graxo, glicerol e outra
substância.
Os mais importantes são os fosfolipídios, componentes das
membranas celulares, que além do álcool e do ácido graxo,
apresentam o radical fosfato na sua estrutura.
Exemplo: Fosfolipídios, glicolipídios e lipolipídios
Fosfolipídios
Lipídeos Derivados
São os lipídios derivados da hidrólise dos lipídios simples e
compostos.
Exemplos: Ácido linoléico, andrógenos, colesterol ,etc.
Coagulação
sanguínea
Função energética
Termogênese
Metabolismo do Cálcio
Isolante térmico
Antioxidante
Hormonal
Estrutural
( membrana celular)
LIPÍDEOS
Digestão e absorção dos lipídios
O evento inicial da digestão começa na boca. Os lipídeos
estimulam a secreção da lípase das glândulas serosas na
base da língua.
A digestão começa no estômago, catalisada pela lípase estável em
meio ácido que degradam os triacilglicerídeos da dieta. Essas
lípases ácidas desempenham um papel importante em neonatos ,
para os quais a gordura do leite é a principal fonte de calorias.
Os lipídios da dieta são emulsificado no duodeno pela ação
detergente dos sais biliares. A emulsificação é possível pela
natureza anfipática desses sais. A porção polar das moléculas de
sais biliares, interage com a água, enquanto o grupo não-polar
interage com os lipídeos hidrofóbicos.
A presença de gordura e proteína no intestino delgado estimula a
secreção de CCK. Esta, por sua vez, estimula a secreção biliar e
pancreática. Ácidos graxos livres e monoglicerídeos produzidos
pela digestão formam complexos chamados micelas, que facilitam
a passagem dos lipídeos através do ambiente aquoso do lúmem
intestinal .
Lipideos metabolismo.pptx
Os sais biliares são então liberados
de seus componentes lipídicos e
devolvidos ao lúmem do intestino.
Na célula da mucosa, os
monoglicerídeos são reagrupados
em novos triglicerídeos, que se
juntam com o colesterol e
fosfolipídeos são circundados em
forma de quilomícrons .
Os QM são transportados e
esvaziados na corrente sanguínea, e
então levados para o fígado, onde
os triglicerídeos são reagrupados
em lipoproteínas e transportados
especialmente para o tecido
adiposo, para o metabolismo e para
o armazenamento.
•O Colesterol é absorvido de modo similar, após ser hidrolisado
da forma de éster pela esterase colesterol pancreática. As
vitaminas lipossolúveis A, D, E e K também são absorvidas de
maneira micelar, embora algumas formas hidrossolúveis de
vitaminas A, E e K e caroteno possam ser absorvidas na ausência
de sais biliares.
Importância do consumo de
lipídeos
•Os lipídios são fornecedores de calorias (energia) e de ácidos
graxos, substâncias muito importante em nosso organismo,
quando consumidas na quantidade certa e sem exageros. Eles
auxiliam na absorção das vitaminas A, D, E, e K.
•Porém há os ácidos graxos benéficos, que são os
monoinsaturados (ômega 9) e os poliinsaturados (ômega 3 e 6); e
os ácidos graxos prejudiciais (gordura trans e ácidos graxos
saturados).
•Os ácidos graxos monoinsaturados são as gorduras boas e protetoras,
pois ajudam a reduzir o colesterol total e o LDL do sangue, não
deixando-os depositar nos vasos sanguíneos e consequentemente
diminuindo a aterosclerose e melhorando a circulação.
• O consumo excessivo de Lipídeos agrava a possibilidade de obesidade
e decorrentes doenças cardíacas e até mesmo câncer, através da síntese,
no fígado, ou mesmo a própria ingestão, do colesterol. Esta substância
mole e cerosa está presente em diversas parte do corpo, como o sistema
nervoso central, pele, músculos, fígado, intestinos e coração.
Ceras
•São ésteres de ácidos graxos superiores. As ceras classificam se
em vegetal ( cera de carnaúba e ceras animais cera de abelhas. Os
vegetais fabricam ceras para revestir suas folhas, evitando assim a
evaporação excessiva de água. Patos ou pássaros aquáticos têm
suas penas revestidas por ceras e gorduras, que assim não se
encharcam em água (glândulas uropigiana), o que facilita a
flutuação desses animais.
Anormalidades do metabolismo
de lipídeos
A disfunção da produção eou do metabolismo de lipídeos pode
ser causada por inúmeras doenças.
Algumas delas são Hiperlipidemia, Hipolipidemia, Cetose e
Lipidose Hepática.
Hiperlipidemia
•Essa doença é caracterizada por ter concentrações plasmáticas
elevadas de triglicerídeos, colesterol, ou ambos. Ela pode aparecer
de processos fisiológicos ou patológicos.
As causas da hiperlipidemia incluem anormalidades patológicas
nos lipídeos, de origem primária sendo ela, genética ou familiar
ou secundária a outro distúrbio.
Como exemplo disso temos hipotiroedismo e diabetes mellitus.
Os sinais clínicos freqüentemente relacionados à hiperlipidemia
são êmese, diarréia e desconforto abdominal.
Hipolipidemia
A hipolipidemia é a diminuição da concentração de lipídeos no
sangue. A forma mais comum dessa doença em animais é a
hipocolesterolemia, esta é mais associada a doenças hepáticas,
como cirrose e parênquima hepático que determinam insuficiência
hepática.
Cetose
Durante o período de inanição, a taxa de mobilização de gordura da
reserva adiposa periférica excede a capacidade metabólica do fígado em
oxidar essa gordura ou reagrupar os triglicerídeos em lipoproteínas para
sua liberação no músculo, assim podem ocorrer distúrbios metabólicos
que prejudicam o controle desse excesso de lipídeos. As deficiências de
nutrientes que atuam como coenzimas no metabolismo oxidativo podem
impedir o metabolismo dos lipídeos.
Em ruminantes, o teor inadequado de vitamina B12, pode induzir a
deficiência de oxaloacetato e à incapacidade de formar citrato a partir da
acetil-coA.
Lipidose Hepática
Varias espécies estão sujeitas à lipidose hepática, decorrente de
anormalidades no metabolismo de gordura.
Essa doença ela é mais grave em vacas lactantes, em gatos obesos
com anorexia e em pequenos eqüídeos anoréticos, como cavalos
miniatura, pôneis e asnos, ela também acomete bovinos que
apresentam riscos de desenvolver Cetose, devido a alta demanda
de energia durante o início da lactação.
Principais fontes de alimentos
• Os Lipídeos são moléculas abundantes na natureza, presente
em quase todas sãs fontes de alimentos conhecidos.
O lipídeo é de grande importância na alimentação, pois as
gorduras, nas suas inúmeras possibilidades químicas estão
presentes no organismo todo.
Uma dieta pobre em lípideos leva a diversos sintomas de
degeneração de tecidos, carência grave de vitaminas lipossolúveis,
sintomas dermatológicos, queda de pêlos, emagrecimento,
raquitismo, entre outros.
Principais fontes de alimentos que contem lipídeos são:
Margarinas, Milho, Aveia, Soja, Gergilim, Cevada, Trigo integral,
Centeio, Óleo de canola, Óleo de soja, Óleo de peixes
Entre os alimentos mais ricos em lipídeos próprios destinados ao
consumo dos animais estão o caroço de algodão, as sementes de
girassol e de soja, o farelo integral de arroz, entre outros. Destes,
os mais prejudiciais são os que contêm gordura insaturadas, como
óleos vegetais; e os menos prejudiciais, como os grãos de
oleaginosas.
Conclusão
•Conclui-se que os lipídios são biomoléculas caracterizadas pela
insolubilidade em água e solúveis em solventes orgânicos e tem como
característica principal o armazenamento de energia na forma de reserva
em muitos organismos, derivada dos ácidos graxos ou não, além de ser
constituinte importante das membranas. Estes possuem diversas funções,
como: reserva de energia, combustível celular, isolamento e proteção de
órgãos, impermeabilizantes (ceras) e isolante térmico. É de suma
importância no organismo dos seres vivos, porém consumido na
quantidade certa, quando consumido em grande escala pode ocasionar
doenças.
Referencias Bibliográficas
•Disponível em
http://www.coladaweb.com/biologia/bioquimica/lipidiosacessado
em 05 fevereiro 2014
•Disponível em
http://sonutricao.com.br/conteudo/maronutrientes/p5.phpacessado
em 05 fevereiro 2014
•KOZIOSK,Gilberrto.Vilmar.Bioquimica dos ruminantes.3 ed.
Santa Maria 2011
•MARZZOCO.A. Bioquímica Básica. Rio de Janeiro; Ed.Guanabara
Koagon,2007.
•Disponível
em:<http://www.ebah.com.br/content/ABAAABClgAA/introduca
o-bioquimica-lipidios>Acesso em:13 fev 2014.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasConceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Antonio Fernandes
 
Aula 2-introdução-a-química-de-alimentos
Aula 2-introdução-a-química-de-alimentosAula 2-introdução-a-química-de-alimentos
Aula 2-introdução-a-química-de-alimentos
fcanico
 
Aula de ecologia curso completo
Aula de ecologia   curso completoAula de ecologia   curso completo
Aula de ecologia curso completo
Nelson Costa
 
Ecossistema áquatico
Ecossistema áquaticoEcossistema áquatico
Ecossistema áquatico
Lucasro24
 
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaaConceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Med. Veterinária 2011
 
Indicadores De Sustentabilidade
Indicadores De SustentabilidadeIndicadores De Sustentabilidade
Indicadores De Sustentabilidade
Gilberto De Martino Jannuzzi
 
Ecossistemas brasileiros
Ecossistemas brasileirosEcossistemas brasileiros
Ecossistemas brasileiros
Edna Uliana
 
Educação para Saúde e Meio Ambiente
Educação para Saúde e Meio AmbienteEducação para Saúde e Meio Ambiente
Educação para Saúde e Meio Ambiente
Thiago Ávila Medeiros
 
Saneamento Ambiental
Saneamento AmbientalSaneamento Ambiental
Saneamento Ambiental
eadsuporteegpa
 
Aula de ecologia
Aula de ecologiaAula de ecologia
Aula de ecologia
Ilsoflavio
 
Pasteurização (leite)
Pasteurização (leite)Pasteurização (leite)
Pasteurização (leite)
Mickeylodeon Brasil
 
Aula 01 conceitos embalagens 1
Aula 01  conceitos embalagens 1Aula 01  conceitos embalagens 1
Aula 01 conceitos embalagens 1
andreiafaion
 
Química dos alimentos
Química dos alimentosQuímica dos alimentos
Química dos alimentos
nataliasatierf
 
Introdução à bioquímica
Introdução à bioquímicaIntrodução à bioquímica
Introdução à bioquímica
Messias Miranda
 
Quimica de-alimentos-agua
Quimica de-alimentos-aguaQuimica de-alimentos-agua
Quimica de-alimentos-agua
Vanessa Alonso
 
Correlação entre caracteres genotipicas, fenotipicas e ambiente segundo dr Iv...
Correlação entre caracteres genotipicas, fenotipicas e ambiente segundo dr Iv...Correlação entre caracteres genotipicas, fenotipicas e ambiente segundo dr Iv...
Correlação entre caracteres genotipicas, fenotipicas e ambiente segundo dr Iv...
Ivaristo Americo
 
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e SecuritáriaAula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Gestão de recursos hídricos
Gestão de recursos hídricosGestão de recursos hídricos
Gestão de recursos hídricos
André Fontana Weber
 
Saúde Ambiental
Saúde AmbientalSaúde Ambiental
Saúde Ambiental
Walquiria Dutra
 
Sustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor Sucroenergético
Sustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor SucroenergéticoSustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor Sucroenergético
Sustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor Sucroenergético
Luciano Meneguetti
 

Mais procurados (20)

Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasConceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
 
Aula 2-introdução-a-química-de-alimentos
Aula 2-introdução-a-química-de-alimentosAula 2-introdução-a-química-de-alimentos
Aula 2-introdução-a-química-de-alimentos
 
Aula de ecologia curso completo
Aula de ecologia   curso completoAula de ecologia   curso completo
Aula de ecologia curso completo
 
Ecossistema áquatico
Ecossistema áquaticoEcossistema áquatico
Ecossistema áquatico
 
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaaConceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
 
Indicadores De Sustentabilidade
Indicadores De SustentabilidadeIndicadores De Sustentabilidade
Indicadores De Sustentabilidade
 
Ecossistemas brasileiros
Ecossistemas brasileirosEcossistemas brasileiros
Ecossistemas brasileiros
 
Educação para Saúde e Meio Ambiente
Educação para Saúde e Meio AmbienteEducação para Saúde e Meio Ambiente
Educação para Saúde e Meio Ambiente
 
Saneamento Ambiental
Saneamento AmbientalSaneamento Ambiental
Saneamento Ambiental
 
Aula de ecologia
Aula de ecologiaAula de ecologia
Aula de ecologia
 
Pasteurização (leite)
Pasteurização (leite)Pasteurização (leite)
Pasteurização (leite)
 
Aula 01 conceitos embalagens 1
Aula 01  conceitos embalagens 1Aula 01  conceitos embalagens 1
Aula 01 conceitos embalagens 1
 
Química dos alimentos
Química dos alimentosQuímica dos alimentos
Química dos alimentos
 
Introdução à bioquímica
Introdução à bioquímicaIntrodução à bioquímica
Introdução à bioquímica
 
Quimica de-alimentos-agua
Quimica de-alimentos-aguaQuimica de-alimentos-agua
Quimica de-alimentos-agua
 
Correlação entre caracteres genotipicas, fenotipicas e ambiente segundo dr Iv...
Correlação entre caracteres genotipicas, fenotipicas e ambiente segundo dr Iv...Correlação entre caracteres genotipicas, fenotipicas e ambiente segundo dr Iv...
Correlação entre caracteres genotipicas, fenotipicas e ambiente segundo dr Iv...
 
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e SecuritáriaAula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
 
Gestão de recursos hídricos
Gestão de recursos hídricosGestão de recursos hídricos
Gestão de recursos hídricos
 
Saúde Ambiental
Saúde AmbientalSaúde Ambiental
Saúde Ambiental
 
Sustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor Sucroenergético
Sustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor SucroenergéticoSustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor Sucroenergético
Sustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor Sucroenergético
 

Semelhante a Lipideos metabolismo.pptx

Carboidratos e lipídios
Carboidratos e lipídiosCarboidratos e lipídios
Carboidratos e lipídios
Marina Stefanny
 
Lipidios
LipidiosLipidios
Lipidios
URCA
 
Apresentação gordura trans
Apresentação gordura transApresentação gordura trans
Apresentação gordura trans
marcelo capistrano
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Lipídios
Estude Mais
 
Aula 2 - Nutrientes .pdf
Aula 2 - Nutrientes                               .pdfAula 2 - Nutrientes                               .pdf
Aula 2 - Nutrientes .pdf
viviannelima016
 
BIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
BIOQUIMIA - Introdução.pptxpppppppppppppppBIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
BIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
VictorGomes173122
 
Tema 3 composição química celular - lipídios
Tema 3   composição química celular - lipídiosTema 3   composição química celular - lipídios
Tema 3 composição química celular - lipídios
Grupo UNIASSELVI
 
Lipid1
Lipid1Lipid1
Bioquímica.
Bioquímica.Bioquímica.
Bioquímica.
Ajudar Pessoas
 
AULA LIPIDIOS E SUS FUNÇOES/ MATERIA DE NUTRIÇÃO
AULA LIPIDIOS E SUS FUNÇOES/ MATERIA DE NUTRIÇÃOAULA LIPIDIOS E SUS FUNÇOES/ MATERIA DE NUTRIÇÃO
AULA LIPIDIOS E SUS FUNÇOES/ MATERIA DE NUTRIÇÃO
jhordana1
 
Componentes orgânicos: Lipídios
Componentes orgânicos: LipídiosComponentes orgânicos: Lipídios
Componentes orgânicos: Lipídios
Werner Mendoza Blanco
 
Lipidios
LipidiosLipidios
Lipidios
luiz fernando
 
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e LipídiosComposição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Laguat
 
Gorduras(lípidios)
Gorduras(lípidios)Gorduras(lípidios)
Gorduras(lípidios)
Danilo Tenorio
 
Carboidratos. lipídios
Carboidratos. lipídiosCarboidratos. lipídios
Carboidratos. lipídios
Jesrayne Nascimento
 
A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES
 A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES  A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES
A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES
Van Der Häägen Brazil
 
A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES (GORDURAS) EM CÉLULAS OU TECIDOS
A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES (GORDURAS) EM CÉLULAS OU TECIDOS A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES (GORDURAS) EM CÉLULAS OU TECIDOS
A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES (GORDURAS) EM CÉLULAS OU TECIDOS
Van Der Häägen Brazil
 
Estudando os Lipídeos
Estudando os LipídeosEstudando os Lipídeos
Estudando os Lipídeos
JoanaDarke
 
Lipideos3
Lipideos3Lipideos3
Lipideos3
curtindoaquimica
 
Lípidios
LípidiosLípidios

Semelhante a Lipideos metabolismo.pptx (20)

Carboidratos e lipídios
Carboidratos e lipídiosCarboidratos e lipídios
Carboidratos e lipídios
 
Lipidios
LipidiosLipidios
Lipidios
 
Apresentação gordura trans
Apresentação gordura transApresentação gordura trans
Apresentação gordura trans
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Lipídios
 
Aula 2 - Nutrientes .pdf
Aula 2 - Nutrientes                               .pdfAula 2 - Nutrientes                               .pdf
Aula 2 - Nutrientes .pdf
 
BIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
BIOQUIMIA - Introdução.pptxpppppppppppppppBIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
BIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
 
Tema 3 composição química celular - lipídios
Tema 3   composição química celular - lipídiosTema 3   composição química celular - lipídios
Tema 3 composição química celular - lipídios
 
Lipid1
Lipid1Lipid1
Lipid1
 
Bioquímica.
Bioquímica.Bioquímica.
Bioquímica.
 
AULA LIPIDIOS E SUS FUNÇOES/ MATERIA DE NUTRIÇÃO
AULA LIPIDIOS E SUS FUNÇOES/ MATERIA DE NUTRIÇÃOAULA LIPIDIOS E SUS FUNÇOES/ MATERIA DE NUTRIÇÃO
AULA LIPIDIOS E SUS FUNÇOES/ MATERIA DE NUTRIÇÃO
 
Componentes orgânicos: Lipídios
Componentes orgânicos: LipídiosComponentes orgânicos: Lipídios
Componentes orgânicos: Lipídios
 
Lipidios
LipidiosLipidios
Lipidios
 
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e LipídiosComposição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e Lipídios
 
Gorduras(lípidios)
Gorduras(lípidios)Gorduras(lípidios)
Gorduras(lípidios)
 
Carboidratos. lipídios
Carboidratos. lipídiosCarboidratos. lipídios
Carboidratos. lipídios
 
A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES
 A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES  A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES
A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES
 
A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES (GORDURAS) EM CÉLULAS OU TECIDOS
A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES (GORDURAS) EM CÉLULAS OU TECIDOS A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES (GORDURAS) EM CÉLULAS OU TECIDOS
A ESTEATOSE HEPÁTICA, ACÚMULO DE LÍPIDES (GORDURAS) EM CÉLULAS OU TECIDOS
 
Estudando os Lipídeos
Estudando os LipídeosEstudando os Lipídeos
Estudando os Lipídeos
 
Lipideos3
Lipideos3Lipideos3
Lipideos3
 
Lípidios
LípidiosLípidios
Lípidios
 

Mais de AnaOrtiz731600

CURSO DE CIRURGIA DE GRANDES ANIMAIS aula 2.pptx
CURSO DE CIRURGIA DE GRANDES ANIMAIS aula 2.pptxCURSO DE CIRURGIA DE GRANDES ANIMAIS aula 2.pptx
CURSO DE CIRURGIA DE GRANDES ANIMAIS aula 2.pptx
AnaOrtiz731600
 
equinos.pdf aula equinos curso veterinária
equinos.pdf aula equinos curso veterináriaequinos.pdf aula equinos curso veterinária
equinos.pdf aula equinos curso veterinária
AnaOrtiz731600
 
Resumo para prova auxiliar veterináriooo
Resumo para prova auxiliar veterinárioooResumo para prova auxiliar veterináriooo
Resumo para prova auxiliar veterináriooo
AnaOrtiz731600
 
aula bem estar animal.pptx veterinariaaa
aula bem estar animal.pptx veterinariaaaaula bem estar animal.pptx veterinariaaa
aula bem estar animal.pptx veterinariaaa
AnaOrtiz731600
 
Apresentação sem título.pdf
Apresentação sem título.pdfApresentação sem título.pdf
Apresentação sem título.pdf
AnaOrtiz731600
 
01.-Interpretação-do-Hemograma.pdf
01.-Interpretação-do-Hemograma.pdf01.-Interpretação-do-Hemograma.pdf
01.-Interpretação-do-Hemograma.pdf
AnaOrtiz731600
 
fisio_car_resp.pdf
fisio_car_resp.pdffisio_car_resp.pdf
fisio_car_resp.pdf
AnaOrtiz731600
 
Auxiliar Veterinário Grande Porte - IBAVET.pdf
Auxiliar Veterinário Grande Porte - IBAVET.pdfAuxiliar Veterinário Grande Porte - IBAVET.pdf
Auxiliar Veterinário Grande Porte - IBAVET.pdf
AnaOrtiz731600
 
Apresentação sem título.pdf
Apresentação sem título.pdfApresentação sem título.pdf
Apresentação sem título.pdf
AnaOrtiz731600
 
Aula 3 auxiliar vet.pdf
Aula 3 auxiliar vet.pdfAula 3 auxiliar vet.pdf
Aula 3 auxiliar vet.pdf
AnaOrtiz731600
 

Mais de AnaOrtiz731600 (10)

CURSO DE CIRURGIA DE GRANDES ANIMAIS aula 2.pptx
CURSO DE CIRURGIA DE GRANDES ANIMAIS aula 2.pptxCURSO DE CIRURGIA DE GRANDES ANIMAIS aula 2.pptx
CURSO DE CIRURGIA DE GRANDES ANIMAIS aula 2.pptx
 
equinos.pdf aula equinos curso veterinária
equinos.pdf aula equinos curso veterináriaequinos.pdf aula equinos curso veterinária
equinos.pdf aula equinos curso veterinária
 
Resumo para prova auxiliar veterináriooo
Resumo para prova auxiliar veterinárioooResumo para prova auxiliar veterináriooo
Resumo para prova auxiliar veterináriooo
 
aula bem estar animal.pptx veterinariaaa
aula bem estar animal.pptx veterinariaaaaula bem estar animal.pptx veterinariaaa
aula bem estar animal.pptx veterinariaaa
 
Apresentação sem título.pdf
Apresentação sem título.pdfApresentação sem título.pdf
Apresentação sem título.pdf
 
01.-Interpretação-do-Hemograma.pdf
01.-Interpretação-do-Hemograma.pdf01.-Interpretação-do-Hemograma.pdf
01.-Interpretação-do-Hemograma.pdf
 
fisio_car_resp.pdf
fisio_car_resp.pdffisio_car_resp.pdf
fisio_car_resp.pdf
 
Auxiliar Veterinário Grande Porte - IBAVET.pdf
Auxiliar Veterinário Grande Porte - IBAVET.pdfAuxiliar Veterinário Grande Porte - IBAVET.pdf
Auxiliar Veterinário Grande Porte - IBAVET.pdf
 
Apresentação sem título.pdf
Apresentação sem título.pdfApresentação sem título.pdf
Apresentação sem título.pdf
 
Aula 3 auxiliar vet.pdf
Aula 3 auxiliar vet.pdfAula 3 auxiliar vet.pdf
Aula 3 auxiliar vet.pdf
 

Último

Seminário para saúde: Sistema Tegumentar
Seminário para saúde: Sistema TegumentarSeminário para saúde: Sistema Tegumentar
Seminário para saúde: Sistema Tegumentar
PatrciaOliveiraPat
 
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabiConferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
FabianeOlegario2
 
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagemAula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Jssica597589
 
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamenteSeminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
LasAraujo12
 
tccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptx
tccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptxtccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptx
tccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptx
DvilaSoares1
 
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
NanandorMacosso
 
Tuberculose manual modulo 1 micobacterias
Tuberculose manual modulo 1 micobacteriasTuberculose manual modulo 1 micobacterias
Tuberculose manual modulo 1 micobacterias
CarolLopes74
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
danielecarvalho75
 
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
balmeida871
 

Último (9)

Seminário para saúde: Sistema Tegumentar
Seminário para saúde: Sistema TegumentarSeminário para saúde: Sistema Tegumentar
Seminário para saúde: Sistema Tegumentar
 
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabiConferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
 
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagemAula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagem
 
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamenteSeminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
 
tccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptx
tccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptxtccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptx
tccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptx
 
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
 
Tuberculose manual modulo 1 micobacterias
Tuberculose manual modulo 1 micobacteriasTuberculose manual modulo 1 micobacterias
Tuberculose manual modulo 1 micobacterias
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
 
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
 

Lipideos metabolismo.pptx

  • 1. LÍPÍDEOS Ana Letícia Leandro Barbosa Matheus Ribeiro Meiriany R. de Andrade Rafael Queiroz Rosana Rodrigo Cavalcante ? FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE UNAÍ Medicina Veterinária
  • 2. Introdução Os lipídios também chamados de gorduras são biomoléculas orgânicas compostas principalmente por moléculas de hidrogênio, oxigênio e carbono. Fornecem energia para as células, participam da composição das membranas, atuam como isolantes térmicos.
  • 3. Características • Os lipídios são substâncias químicas de baixa polaridade, por isso, insolúveis em água. • Solúveis: Solventes orgânicos: Álcool, éter, benzina, etc.
  • 4. Classificação •Lipídios simples • Lipídios compostos • Lipídios derivados
  • 5. Lipídeos Simples São os lipídios formados apenas por álcool glicerol e ácidos graxos. •Glicerídeos: São os óleos e as gorduras, formados pela união do álcool glicerol com ácidos graxos. A diferença fundamental entre óleos e gorduras é que os óleos são líquidos à temperatura ambiente (20°C), enquanto que as gorduras são sólidas. Podem ser saturados e insaturados Exemplo: Triglicerídeos
  • 7. Lipídeos Simples •Cerídeos: São encontrados na superfície de pétalas de flores, casca de frutos e folhas, onde atuam como impermeabilizantes, secreção de insetos e em aves. Exemplo :Cerídeos ( Ceras)
  • 8. Lipídeos Compostos São formados pela união entre ácido graxo, glicerol e outra substância. Os mais importantes são os fosfolipídios, componentes das membranas celulares, que além do álcool e do ácido graxo, apresentam o radical fosfato na sua estrutura. Exemplo: Fosfolipídios, glicolipídios e lipolipídios
  • 10. Lipídeos Derivados São os lipídios derivados da hidrólise dos lipídios simples e compostos. Exemplos: Ácido linoléico, andrógenos, colesterol ,etc.
  • 11. Coagulação sanguínea Função energética Termogênese Metabolismo do Cálcio Isolante térmico Antioxidante Hormonal Estrutural ( membrana celular) LIPÍDEOS
  • 12. Digestão e absorção dos lipídios O evento inicial da digestão começa na boca. Os lipídeos estimulam a secreção da lípase das glândulas serosas na base da língua.
  • 13. A digestão começa no estômago, catalisada pela lípase estável em meio ácido que degradam os triacilglicerídeos da dieta. Essas lípases ácidas desempenham um papel importante em neonatos , para os quais a gordura do leite é a principal fonte de calorias.
  • 14. Os lipídios da dieta são emulsificado no duodeno pela ação detergente dos sais biliares. A emulsificação é possível pela natureza anfipática desses sais. A porção polar das moléculas de sais biliares, interage com a água, enquanto o grupo não-polar interage com os lipídeos hidrofóbicos.
  • 15. A presença de gordura e proteína no intestino delgado estimula a secreção de CCK. Esta, por sua vez, estimula a secreção biliar e pancreática. Ácidos graxos livres e monoglicerídeos produzidos pela digestão formam complexos chamados micelas, que facilitam a passagem dos lipídeos através do ambiente aquoso do lúmem intestinal .
  • 17. Os sais biliares são então liberados de seus componentes lipídicos e devolvidos ao lúmem do intestino. Na célula da mucosa, os monoglicerídeos são reagrupados em novos triglicerídeos, que se juntam com o colesterol e fosfolipídeos são circundados em forma de quilomícrons . Os QM são transportados e esvaziados na corrente sanguínea, e então levados para o fígado, onde os triglicerídeos são reagrupados em lipoproteínas e transportados especialmente para o tecido adiposo, para o metabolismo e para o armazenamento.
  • 18. •O Colesterol é absorvido de modo similar, após ser hidrolisado da forma de éster pela esterase colesterol pancreática. As vitaminas lipossolúveis A, D, E e K também são absorvidas de maneira micelar, embora algumas formas hidrossolúveis de vitaminas A, E e K e caroteno possam ser absorvidas na ausência de sais biliares.
  • 19. Importância do consumo de lipídeos •Os lipídios são fornecedores de calorias (energia) e de ácidos graxos, substâncias muito importante em nosso organismo, quando consumidas na quantidade certa e sem exageros. Eles auxiliam na absorção das vitaminas A, D, E, e K. •Porém há os ácidos graxos benéficos, que são os monoinsaturados (ômega 9) e os poliinsaturados (ômega 3 e 6); e os ácidos graxos prejudiciais (gordura trans e ácidos graxos saturados).
  • 20. •Os ácidos graxos monoinsaturados são as gorduras boas e protetoras, pois ajudam a reduzir o colesterol total e o LDL do sangue, não deixando-os depositar nos vasos sanguíneos e consequentemente diminuindo a aterosclerose e melhorando a circulação. • O consumo excessivo de Lipídeos agrava a possibilidade de obesidade e decorrentes doenças cardíacas e até mesmo câncer, através da síntese, no fígado, ou mesmo a própria ingestão, do colesterol. Esta substância mole e cerosa está presente em diversas parte do corpo, como o sistema nervoso central, pele, músculos, fígado, intestinos e coração.
  • 21. Ceras •São ésteres de ácidos graxos superiores. As ceras classificam se em vegetal ( cera de carnaúba e ceras animais cera de abelhas. Os vegetais fabricam ceras para revestir suas folhas, evitando assim a evaporação excessiva de água. Patos ou pássaros aquáticos têm suas penas revestidas por ceras e gorduras, que assim não se encharcam em água (glândulas uropigiana), o que facilita a flutuação desses animais.
  • 22. Anormalidades do metabolismo de lipídeos A disfunção da produção eou do metabolismo de lipídeos pode ser causada por inúmeras doenças. Algumas delas são Hiperlipidemia, Hipolipidemia, Cetose e Lipidose Hepática.
  • 23. Hiperlipidemia •Essa doença é caracterizada por ter concentrações plasmáticas elevadas de triglicerídeos, colesterol, ou ambos. Ela pode aparecer de processos fisiológicos ou patológicos. As causas da hiperlipidemia incluem anormalidades patológicas nos lipídeos, de origem primária sendo ela, genética ou familiar ou secundária a outro distúrbio. Como exemplo disso temos hipotiroedismo e diabetes mellitus. Os sinais clínicos freqüentemente relacionados à hiperlipidemia são êmese, diarréia e desconforto abdominal.
  • 24. Hipolipidemia A hipolipidemia é a diminuição da concentração de lipídeos no sangue. A forma mais comum dessa doença em animais é a hipocolesterolemia, esta é mais associada a doenças hepáticas, como cirrose e parênquima hepático que determinam insuficiência hepática.
  • 25. Cetose Durante o período de inanição, a taxa de mobilização de gordura da reserva adiposa periférica excede a capacidade metabólica do fígado em oxidar essa gordura ou reagrupar os triglicerídeos em lipoproteínas para sua liberação no músculo, assim podem ocorrer distúrbios metabólicos que prejudicam o controle desse excesso de lipídeos. As deficiências de nutrientes que atuam como coenzimas no metabolismo oxidativo podem impedir o metabolismo dos lipídeos. Em ruminantes, o teor inadequado de vitamina B12, pode induzir a deficiência de oxaloacetato e à incapacidade de formar citrato a partir da acetil-coA.
  • 26. Lipidose Hepática Varias espécies estão sujeitas à lipidose hepática, decorrente de anormalidades no metabolismo de gordura. Essa doença ela é mais grave em vacas lactantes, em gatos obesos com anorexia e em pequenos eqüídeos anoréticos, como cavalos miniatura, pôneis e asnos, ela também acomete bovinos que apresentam riscos de desenvolver Cetose, devido a alta demanda de energia durante o início da lactação.
  • 27. Principais fontes de alimentos • Os Lipídeos são moléculas abundantes na natureza, presente em quase todas sãs fontes de alimentos conhecidos.
  • 28. O lipídeo é de grande importância na alimentação, pois as gorduras, nas suas inúmeras possibilidades químicas estão presentes no organismo todo. Uma dieta pobre em lípideos leva a diversos sintomas de degeneração de tecidos, carência grave de vitaminas lipossolúveis, sintomas dermatológicos, queda de pêlos, emagrecimento, raquitismo, entre outros.
  • 29. Principais fontes de alimentos que contem lipídeos são: Margarinas, Milho, Aveia, Soja, Gergilim, Cevada, Trigo integral, Centeio, Óleo de canola, Óleo de soja, Óleo de peixes
  • 30. Entre os alimentos mais ricos em lipídeos próprios destinados ao consumo dos animais estão o caroço de algodão, as sementes de girassol e de soja, o farelo integral de arroz, entre outros. Destes, os mais prejudiciais são os que contêm gordura insaturadas, como óleos vegetais; e os menos prejudiciais, como os grãos de oleaginosas.
  • 31. Conclusão •Conclui-se que os lipídios são biomoléculas caracterizadas pela insolubilidade em água e solúveis em solventes orgânicos e tem como característica principal o armazenamento de energia na forma de reserva em muitos organismos, derivada dos ácidos graxos ou não, além de ser constituinte importante das membranas. Estes possuem diversas funções, como: reserva de energia, combustível celular, isolamento e proteção de órgãos, impermeabilizantes (ceras) e isolante térmico. É de suma importância no organismo dos seres vivos, porém consumido na quantidade certa, quando consumido em grande escala pode ocasionar doenças.
  • 32. Referencias Bibliográficas •Disponível em http://www.coladaweb.com/biologia/bioquimica/lipidiosacessado em 05 fevereiro 2014 •Disponível em http://sonutricao.com.br/conteudo/maronutrientes/p5.phpacessado em 05 fevereiro 2014 •KOZIOSK,Gilberrto.Vilmar.Bioquimica dos ruminantes.3 ed. Santa Maria 2011 •MARZZOCO.A. Bioquímica Básica. Rio de Janeiro; Ed.Guanabara Koagon,2007. •Disponível em:<http://www.ebah.com.br/content/ABAAABClgAA/introduca o-bioquimica-lipidios>Acesso em:13 fev 2014.