Resumos de português (3º teste)

5.933 visualizações

Publicada em

1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.933
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
175
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumos de português (3º teste)

  1. 1. Resumos Português1. “Auto da Barca do Inferno” 1.1. Personagens a) Fidalgo D. Anrique  Grupo social Nobreza  Símbolos cénicos  Pajem tirania; condição social  Cadeira poder  Manto vaidade  Percurso cénico Barca do Diabo  Barca do Anjo  Barca do Inferno  Pecados  Tirania; vaidade  Desprezo pelos mais pequenos/pobres  Adultério  Viver a seu belo prazer  Argumentos de Defesa  Tem gente na Terra a rezar por ele  A Barca do Inferno é desagradável  Partiu sem aviso  É fidalgo de solar  Destino Inferno  Caracterização nobre; altivo; arrogante; seguro da sua classe social; egoísta; vaidoso; presunçoso; adúltero;  Intenção crítica criticar a falsidade das mulheres e a arrogância e desprezo da nobreza b) Onzeneiro  Grupo social Nobreza; Burguesia  Símbolos cénicos  Bolsão ganância; avareza; ambição desmedida  Percurso cénico Barca do Diabo  Barca do Anjo  Barca do Inferno  Pecados  Viver a vida a amealhar dinheiro à custa dos outros  Cobiça e ganância  Argumentos de Defesa  O bolsao está vazio  Tem dinheiro para pagar a passagem  Destino Inferno  Caracterização ladrão; ganancioso; pecador; usurário;  Intenção crítica criticar os empréstimos e as pessoas que os faziam, aproveitando-se das pessoas que os pediam c) Parvo (Joane)  Grupo social Povo  Percurso cénico Barca do Diabo  Barca do Anjo  Argumentos de Defesa  Não errou por malícia (inocente)  Destino Paraíso  Caracterização cómico; tolo; inocente; grosseiro; humilde  Intenção crítica mostrar que os pobres de espírito são salvos Página | 1 | Ana Neiva |
  2. 2. Resumos Portuguêsd) Sapateiro  Grupo social Povo  Símbolos cénicos  Avental profissão  Formas roubos; profissão  Percurso cénico Barca do Diabo  Barca do Anjo  Barca do Inferno  Pecados  Roubar  Argumentos de Defesa  Confessou-se antes de morrer  Foi à missa na vida terrena  Dava esmolas à igreja  Destino Inferno  Caracterização pseudo-cristão; egoísta; ladrão; materialista; aldrabão; desonesto; malcriado; falso; hipócrita  Intenção crítica mostrar que o cumprimento das práticas religiosas não é suficiente para a salvação da almae) Frade  Grupo social Clero  Símbolos cénicos  Moça infidelidade à sua promessa como clérigo  Escudo, capacete e espada material de esgrima (homem mundano)  Hábito profissão  Percurso cénico Barca do Diabo  Barca do Anjo (não fala com o Anjo)  Barca do Inferno  Pecados  Não teve uma vida de frade  Teve uma mulher  Argumentos de Defesa  É frade  Rezou muito  Foi pessoa importante  Destino Inferno  Caracterização hipócrita; mulherengo; materialista; infiel; alegra; divertido; mundano; vaidoso; exibicionista  Intenção crítica criticar os frades e todo o clero que não viviam de acordo com os preceitos da religiãof) Alcoviteira (Brízida Vaz)  Grupo social Povo  Símbolos cénicos  Moças que vendia actividade  Percurso cénico Barca do Diabo  Barca do Anjo  Barca do Inferno  Pecados  Levou raparigas à prostituição  Mentiu  Roubou  Argumentos de Defesa  Converteu raparigas e forneceu-as ao Clero  Foi martirizada  Destino Inferno  Caracterização imoral; mentirosa; pecadora ladra  Intenção crítica criticar a prostituição e o clero que a usava Página | 2 | Ana Neiva |
  3. 3. Resumos Portuguêsg) Judeu  Grupo social Povo  Símbolos cénicos  Bode fanatismo religioso  Percurso cénico Barca do Diabo  Pecados  Ser judeu  Profanar lugares sagrados  Comer carne no dia de Nosso Senhor  Argumentos de Defesa  Se a Brízida Vaz vai para o Inferno, ele também tem de ir  Destino Inferno  Caracterização bruto; antipático; grosseiro; mal-educado  Intenção crítica mostrar que a sociedade quinhentista não aprovava Judeush) Corregedor e Procurador  Grupo social Juiz; Advogado  Símbolos cénicos  Feitos e vara (corregedor)  Livros (procurador)  Percurso cénico Barca do Diabo  Barca do Anjo  Barca do Inferno  Pecados  Desprezar os pequenos  Roubar  Mentir  Deixar-se subornar  Argumentos de Defesa  Quem aceita os subornos é a sua mulher (corregedor)  Está confessado (corregedor)  Tem esperança em Deus (corregedor)  Destino Inferno  Caracterização falso; mentiroso; ladrão; parcial  Intenção crítica criticar a justiça terrenai) Enforcado  Grupo social Povo  Símbolos cénicos  Baraço forma como morreu  Percurso cénico Barca do Diabo  Argumentos de Defesa  Garcia Moniz disse que quem morre enforcado vai para o Paraíso  Destino Inferno  Caracterização ingénuo; influenciável; simples  Intenção crítica criticar a justiça terrena que tenta influenciar os réusj) Quatro Cavaleiros  Grupo social Nobreza  Símbolos cénicos  Cruz de Cristo, espada fé e luta em nome de Cristo  Percurso cénico Barca do Anjo  Argumentos de Defesa lutaram por Deus  Destino Paraíso  Caracterização confiantes; autoritários; altivos; cristãos; decididos; corajosos; valentes  Intenção crítica vangloriar os homens que lutam para defenderem a pátria Página | 3 | Ana Neiva |
  4. 4. Resumos Português 1.2. Intenção crítica da peça Crítica à sociedade e serve para que as pessoas reflictam sobre o que fazem e também sobre as acções praticadas pelosoutros. Esta obra continua a ter imenso sucesso pois as críticas feitas podem ser aplicadas hoje em dia. Na peça são julgadaspersonagens-tipo (que representam uma classe social ou um grupo profissional) dizendo se elas vão para o Inferno ou para oparaíso. 2. Gramática 2.1. Orações coordenadas e subordinadas Conjunções e locuções conjuncionais coordenativas Copulativas Adversativas Disjuntivas Conclusivas logo mas ou pois e porém ora…ora portanto nem todavia quer…quer por conseguinte não só…mas também contudo seja…seja por consequência no entanto por isso Conjunções e Locuções conjuncionais subordinativas Temporais Causais Condicionais Comparativas Finais Concessivas Consecutivas Integrantes quando como se que enquanto como para que embora porque desde que de tal à medida conforme a fim de ainda que que pois a não ser modo…que que assim como que se bem que se visto que tão…que depois que tão…como por que mesmo que que uma vez que tanto…que até que 2.2. Recursos Estilísticos a) Antítese contraste entre dois elementos ou ideias b) Comparação confrontar duas realidades distintas para realçar analogias ou diferenças c) Eufemismo uso de uma expressão por outra, para evitar ou atenuar o efeito desagradável que esta ultima produziria d) Enumeração apresentação sucessiva de vários elementos (da mesma classe gramatical) e) Ironia atribuir às palavras um significado diferente daquele que na realidade têm, sugerindo o contrario do que se quer dizer f) Metáfora espécie de comparação à qual falta o primeiro termo e a partícula comparativa. Muda-se o significado por semelhança g) Personificação atribuir características humanas a tudo o que não seja humano h) Jogo de palavras brincadeira cujo suporte é o significado das palavras 2.3. Tipos de cómico a) Linguagem o discurso e o vocabulário que o compõe provocam o riso b) Situação as circunstancias que envolvem a personagem fazem rir c) Carácter a maneira de ser e de se apresentar da personagem causam o riso Página | 4 | Ana Neiva |

×