SlideShare uma empresa Scribd logo

Tipos de texto caracteristicas

R
R

Slides sobre os tipos de texto: Descritivo, Narrativo, Dissertativo Expositivo e DIssertativo Argumentativoi

Tipos de texto caracteristicas

1 de 9
Baixar para ler offline
Textos narrativos,
    descritivos e
    dissertativos:
Características e
   exemplos.
       LPCE- Língua Portuguesa, Comunicação e Expressão
                                 Professora Rebeca Kaus
O texto descritivo
Características:
         •     Registro de ocorrências concomitantes.

 •       Caracterização de um objeto particular. (Criação
             com palavras, da imagem de um objeto)

 •    Apreensão de um objeto com elementos captados
        pelos órgãos do sentido e transformados em
                         palavras.

 •    Linguagem descritiva:a) predomínio de verbos de
          estado e frases nominais. b) substantivos
     responsáveis pela designação dos traços do objeto.
     c) adjetivos (locuções adjetivas) responsáveis pela
     caracterização dos atributos . d) recursos de estilos
     mais utilizados: metáfora, comparação, metonímia,
                          sinestesia.

          •      É um recuso narrativo empregado na
              caracterização de personagens e de espaço.

     •        A DESCRIÇÃO É ESTÁTICA COMO UMA
                        FOTOGRAFIA
Exemplo de texto
      descritivo                                  Nesse texto, o
    Cidadezinha qualquer                        sujeito procurou
    Casas entre bananeiras
    Mulheres entre laranjeira
                                               descrever o objeto
    pomar amor cantar.
                                                  “cidadezinha”
    Um homem vai devagar.
    Um cachorro vai devagar.
    Um burro vai devagar.
                                                 selecionando e
    Devagar ... as janelas olham.                  enumerando
     Eta vida besta meu Deus.
                                                elementos que, a
ANDRADE, Carlos Drummond de . Reunião –
   10 livros de poesia. Rio de Janeiro, José   seu ver, criam um
                             Olympio, 1969.
                                                     clima de
                                                    monotonia.
O texto narrativo
Características
•   Relato de ocorrência que se sucedem.

•   Relato de transformações ocorridas a partir de um
    conflito.

•   Elementos constitutivos: a) foco narrativo; b) tipos
    de discurso; c) conflito;d) personagens; e) enredo;
    f) tempo; g) espaço.

•   Linguagem narrativa: predomínio dos verbos de
    ação.

•   Eixo progressivo: percurso em que são registradas
    as transformações.

•   A NARRAÇÃO É DINÂMICA COMO UM FILME.
Exemplo de texto narrativo
                                                      Podemos ver que os
Olhe o tempo passando
 Olhe, você vai embora
                                                           registro dos
 Não me quer agora                                         movimentos
 Promete voltar
 Hoje você faz pirraça                                     (ações) e as
 E até acha graça se me vê chorar
 A vida acaba um pouco todo dia
                                                         transformações
 Eu sei que você finge não saber
 E pode ser que quando você volte
                                                        ocorrem em uma
 Já seja um pouco tarde pra viver                        linha de tempo
 Olhe o tempo passando
 Você me perdendo, com medo de amar                     cronológico, em
 Olhe, se fico sozinha
 Acabo cansando de tanto esperar.
                                                             que fatos
    “Olhe o tempo passando”, Edson Borges e Dolores
                                                          anteriores são
      Duran, CD A noite de Meu Bem, Nana Caymmi.
                                               EMI       causas de fatos
                                                           posteriores.
O texto dissertativo
Características

        Expondo idéias...
• Exposição de um ponto de
  vista sem combater outros.
• Não se dirige a um
  interlocutor específico.
• Seleção de argumentos que
  legitimem o ponto de vista
  defendido.
• O enunciador se preocupa com
  a exposição e a defesa de sua
  tese.
• Linguagem formal, adequada
  ao assunto.
Anúncio

Recomendados

Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textualISJ
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAMarcelo Cordeiro Souza
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaismarlospg
 
Texto de divulgação científica
Texto de divulgação científicaTexto de divulgação científica
Texto de divulgação científicaJosiele Dognani
 
AULA 3 - COESÃO E COERÊNCIA
AULA 3 - COESÃO E COERÊNCIAAULA 3 - COESÃO E COERÊNCIA
AULA 3 - COESÃO E COERÊNCIAaulasdejornalismo
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeitoIedaSantana
 
Coesão e coerencia
Coesão e coerenciaCoesão e coerencia
Coesão e coerenciasilnog
 
Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto Cláudia Heloísa
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguisticaMarcia Simone
 
Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos Professor Rômulo Viana
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTOMarcelo Cordeiro Souza
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem   slideFiguras de linguagem   slide
Figuras de linguagem slideJaciara Mota
 
Diferença entre tese e argumento
Diferença entre tese e argumentoDiferença entre tese e argumento
Diferença entre tese e argumentocristina resende
 
Compreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textosCompreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textoswelton santos
 
Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Keu Oliveira
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaJosilene Borges
 
Passos para uma boa redação
Passos para uma boa redaçãoPassos para uma boa redação
Passos para uma boa redaçãoSinara Lustosa
 

Mais procurados (20)

Artigo de opinião
Artigo de opiniãoArtigo de opinião
Artigo de opinião
 
Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeito
 
Coesão e coerencia
Coesão e coerenciaCoesão e coerencia
Coesão e coerencia
 
Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguistica
 
Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos
 
Tipologia Textual
Tipologia TextualTipologia Textual
Tipologia Textual
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem   slideFiguras de linguagem   slide
Figuras de linguagem slide
 
Modalizadores
ModalizadoresModalizadores
Modalizadores
 
Diferença entre tese e argumento
Diferença entre tese e argumentoDiferença entre tese e argumento
Diferença entre tese e argumento
 
Slide implicito e explicito
Slide implicito e explicitoSlide implicito e explicito
Slide implicito e explicito
 
Compreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textosCompreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textos
 
Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
 
Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
 
Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Passos para uma boa redação
Passos para uma boa redaçãoPassos para uma boa redação
Passos para uma boa redação
 
Coesão
CoesãoCoesão
Coesão
 

Destaque

A psicologia e a sua importância no mundo (1)
A psicologia e a sua importância no mundo (1)A psicologia e a sua importância no mundo (1)
A psicologia e a sua importância no mundo (1)Filipe Leal
 
Propósito - Pessoa de Bem
Propósito - Pessoa de BemPropósito - Pessoa de Bem
Propósito - Pessoa de BemRicardo Azevedo
 
Aula 07 fisiologia - mecanismos da respiração
Aula 07  fisiologia - mecanismos da respiraçãoAula 07  fisiologia - mecanismos da respiração
Aula 07 fisiologia - mecanismos da respiraçãoFlávia Salame
 
Slide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologia
Slide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologiaSlide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologia
Slide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologiaUniversidade de Fortaleza
 
Transtorno de personalidade borderline
Transtorno de personalidade borderlineTranstorno de personalidade borderline
Transtorno de personalidade borderlineedugiannotti
 
Psicopatia E Mídia
Psicopatia E  MídiaPsicopatia E  Mídia
Psicopatia E MídiaRenato Moura
 
A Matemática da Vida
A Matemática da VidaA Matemática da Vida
A Matemática da Vida-
 
Psicologia organizacional
Psicologia organizacionalPsicologia organizacional
Psicologia organizacionalAJESM
 
Concepciones filosóficas del ser humano
Concepciones filosóficas del ser humano Concepciones filosóficas del ser humano
Concepciones filosóficas del ser humano Z
 
Modelo dos slides de apresentação da defesa
Modelo dos slides de apresentação da defesaModelo dos slides de apresentação da defesa
Modelo dos slides de apresentação da defesabebel2011
 

Destaque (15)

A psicologia e a sua importância no mundo (1)
A psicologia e a sua importância no mundo (1)A psicologia e a sua importância no mundo (1)
A psicologia e a sua importância no mundo (1)
 
Propósito - Pessoa de Bem
Propósito - Pessoa de BemPropósito - Pessoa de Bem
Propósito - Pessoa de Bem
 
Psicologia da Saude
Psicologia da Saude Psicologia da Saude
Psicologia da Saude
 
Sinais vitais 2015
Sinais vitais 2015Sinais vitais 2015
Sinais vitais 2015
 
Aula 07 fisiologia - mecanismos da respiração
Aula 07  fisiologia - mecanismos da respiraçãoAula 07  fisiologia - mecanismos da respiração
Aula 07 fisiologia - mecanismos da respiração
 
Slide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologia
Slide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologiaSlide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologia
Slide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologia
 
Transtorno de personalidade borderline
Transtorno de personalidade borderlineTranstorno de personalidade borderline
Transtorno de personalidade borderline
 
Psicopatia E Mídia
Psicopatia E  MídiaPsicopatia E  Mídia
Psicopatia E Mídia
 
A Matemática da Vida
A Matemática da VidaA Matemática da Vida
A Matemática da Vida
 
Perfeitos ou submissos?
Perfeitos ou submissos?Perfeitos ou submissos?
Perfeitos ou submissos?
 
Psicologia organizacional
Psicologia organizacionalPsicologia organizacional
Psicologia organizacional
 
Psicologia social
Psicologia socialPsicologia social
Psicologia social
 
Concepciones filosóficas del ser humano
Concepciones filosóficas del ser humano Concepciones filosóficas del ser humano
Concepciones filosóficas del ser humano
 
Modelo dos slides de apresentação da defesa
Modelo dos slides de apresentação da defesaModelo dos slides de apresentação da defesa
Modelo dos slides de apresentação da defesa
 
Apresentando TCC
Apresentando TCCApresentando TCC
Apresentando TCC
 

Semelhante a Tipos de texto caracteristicas

Banco de questões e soluções de língua portuguesa
Banco de questões e soluções de língua portuguesaBanco de questões e soluções de língua portuguesa
Banco de questões e soluções de língua portuguesaotsciepalexandrecarvalho
 
Avaliação de Recuperação 8º ano.pdf
Avaliação de Recuperação 8º ano.pdfAvaliação de Recuperação 8º ano.pdf
Avaliação de Recuperação 8º ano.pdfAnisiaXAndr
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãocepmaio
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãocepmaio
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãocepmaio
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãoAlvaro Morais
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãocepmaio
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãocepmaio
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãocepmaio
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãocepmaio
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1gsbq
 
intertextualidade_.ppt
intertextualidade_.pptintertextualidade_.ppt
intertextualidade_.pptVeraGarcia17
 
Atividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinha
Atividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinhaAtividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinha
Atividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinhasandraalvesnunes
 
tipologia-textual-profc2aa-barbara-2017.ppt
tipologia-textual-profc2aa-barbara-2017.ppttipologia-textual-profc2aa-barbara-2017.ppt
tipologia-textual-profc2aa-barbara-2017.pptkeilaoliveira69
 

Semelhante a Tipos de texto caracteristicas (20)

Generos textuais
Generos textuaisGeneros textuais
Generos textuais
 
Banco de questões e soluções de língua portuguesa
Banco de questões e soluções de língua portuguesaBanco de questões e soluções de língua portuguesa
Banco de questões e soluções de língua portuguesa
 
Lingua Portuguesa
Lingua PortuguesaLingua Portuguesa
Lingua Portuguesa
 
funcoes-da-linguagem.ppt
funcoes-da-linguagem.pptfuncoes-da-linguagem.ppt
funcoes-da-linguagem.ppt
 
Avaliação de Recuperação 8º ano.pdf
Avaliação de Recuperação 8º ano.pdfAvaliação de Recuperação 8º ano.pdf
Avaliação de Recuperação 8º ano.pdf
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
intertextualidade_.ppt
intertextualidade_.pptintertextualidade_.ppt
intertextualidade_.ppt
 
Atividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinha
Atividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinhaAtividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinha
Atividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinha
 
tipologia-textual-profc2aa-barbara-2017.ppt
tipologia-textual-profc2aa-barbara-2017.ppttipologia-textual-profc2aa-barbara-2017.ppt
tipologia-textual-profc2aa-barbara-2017.ppt
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 

Mais de Rebeca Kaus

Repaso trimestral
Repaso trimestralRepaso trimestral
Repaso trimestralRebeca Kaus
 
2 anos viva em cristo
2 anos viva em cristo2 anos viva em cristo
2 anos viva em cristoRebeca Kaus
 
7serietrimestral
7serietrimestral7serietrimestral
7serietrimestralRebeca Kaus
 
6seriesemanalfechada
6seriesemanalfechada6seriesemanalfechada
6seriesemanalfechadaRebeca Kaus
 
Semanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 anoSemanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 anoRebeca Kaus
 
Repaso semanal 2 aberta 6 serie
Repaso semanal 2 aberta 6 serieRepaso semanal 2 aberta 6 serie
Repaso semanal 2 aberta 6 serieRebeca Kaus
 
Repaso semanal aberta 2 6 ano
Repaso semanal aberta 2 6 anoRepaso semanal aberta 2 6 ano
Repaso semanal aberta 2 6 anoRebeca Kaus
 
Semanal fechada 7 serie
Semanal fechada 7 serieSemanal fechada 7 serie
Semanal fechada 7 serieRebeca Kaus
 
Presente de indicativo y diptongación
Presente de indicativo y diptongaciónPresente de indicativo y diptongación
Presente de indicativo y diptongaciónRebeca Kaus
 
Semanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 anoSemanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 anoRebeca Kaus
 
Analise sintatica
Analise sintaticaAnalise sintatica
Analise sintaticaRebeca Kaus
 
Apostila regencia verbal
Apostila regencia verbalApostila regencia verbal
Apostila regencia verbalRebeca Kaus
 
Apostila regencia verbal
Apostila regencia verbalApostila regencia verbal
Apostila regencia verbalRebeca Kaus
 
Apostila regencia nominal
Apostila regencia nominalApostila regencia nominal
Apostila regencia nominalRebeca Kaus
 
Viva jovem, venha conhecer!
Viva jovem, venha conhecer!Viva jovem, venha conhecer!
Viva jovem, venha conhecer!Rebeca Kaus
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalRebeca Kaus
 

Mais de Rebeca Kaus (20)

Aula 1 6 serie
Aula 1 6 serieAula 1 6 serie
Aula 1 6 serie
 
Repaso trimestral
Repaso trimestralRepaso trimestral
Repaso trimestral
 
2 anos viva em cristo
2 anos viva em cristo2 anos viva em cristo
2 anos viva em cristo
 
7serietrimestral
7serietrimestral7serietrimestral
7serietrimestral
 
6serietematica
6serietematica6serietematica
6serietematica
 
6seriesemanalfechada
6seriesemanalfechada6seriesemanalfechada
6seriesemanalfechada
 
Semanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 anoSemanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 ano
 
Repaso semanal 2 aberta 6 serie
Repaso semanal 2 aberta 6 serieRepaso semanal 2 aberta 6 serie
Repaso semanal 2 aberta 6 serie
 
Repaso semanal aberta 2 6 ano
Repaso semanal aberta 2 6 anoRepaso semanal aberta 2 6 ano
Repaso semanal aberta 2 6 ano
 
Roteiro 6 serie
Roteiro 6 serieRoteiro 6 serie
Roteiro 6 serie
 
Roteiro 6 ano
Roteiro 6 anoRoteiro 6 ano
Roteiro 6 ano
 
Semanal fechada 7 serie
Semanal fechada 7 serieSemanal fechada 7 serie
Semanal fechada 7 serie
 
Presente de indicativo y diptongación
Presente de indicativo y diptongaciónPresente de indicativo y diptongación
Presente de indicativo y diptongación
 
Semanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 anoSemanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 ano
 
Analise sintatica
Analise sintaticaAnalise sintatica
Analise sintatica
 
Apostila regencia verbal
Apostila regencia verbalApostila regencia verbal
Apostila regencia verbal
 
Apostila regencia verbal
Apostila regencia verbalApostila regencia verbal
Apostila regencia verbal
 
Apostila regencia nominal
Apostila regencia nominalApostila regencia nominal
Apostila regencia nominal
 
Viva jovem, venha conhecer!
Viva jovem, venha conhecer!Viva jovem, venha conhecer!
Viva jovem, venha conhecer!
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
 

Último

PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfkeiciany
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfkeiciany
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxssuser86fd77
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!Psyc company
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfkeiciany
 
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...manoelaarmani
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024assedlsam
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
 
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
 

Tipos de texto caracteristicas

  • 1. Textos narrativos, descritivos e dissertativos: Características e exemplos. LPCE- Língua Portuguesa, Comunicação e Expressão Professora Rebeca Kaus
  • 2. O texto descritivo Características: • Registro de ocorrências concomitantes. • Caracterização de um objeto particular. (Criação com palavras, da imagem de um objeto) • Apreensão de um objeto com elementos captados pelos órgãos do sentido e transformados em palavras. • Linguagem descritiva:a) predomínio de verbos de estado e frases nominais. b) substantivos responsáveis pela designação dos traços do objeto. c) adjetivos (locuções adjetivas) responsáveis pela caracterização dos atributos . d) recursos de estilos mais utilizados: metáfora, comparação, metonímia, sinestesia. • É um recuso narrativo empregado na caracterização de personagens e de espaço. • A DESCRIÇÃO É ESTÁTICA COMO UMA FOTOGRAFIA
  • 3. Exemplo de texto descritivo Nesse texto, o Cidadezinha qualquer sujeito procurou Casas entre bananeiras Mulheres entre laranjeira descrever o objeto pomar amor cantar. “cidadezinha” Um homem vai devagar. Um cachorro vai devagar. Um burro vai devagar. selecionando e Devagar ... as janelas olham. enumerando Eta vida besta meu Deus. elementos que, a ANDRADE, Carlos Drummond de . Reunião – 10 livros de poesia. Rio de Janeiro, José seu ver, criam um Olympio, 1969. clima de monotonia.
  • 4. O texto narrativo Características • Relato de ocorrência que se sucedem. • Relato de transformações ocorridas a partir de um conflito. • Elementos constitutivos: a) foco narrativo; b) tipos de discurso; c) conflito;d) personagens; e) enredo; f) tempo; g) espaço. • Linguagem narrativa: predomínio dos verbos de ação. • Eixo progressivo: percurso em que são registradas as transformações. • A NARRAÇÃO É DINÂMICA COMO UM FILME.
  • 5. Exemplo de texto narrativo Podemos ver que os Olhe o tempo passando Olhe, você vai embora registro dos Não me quer agora movimentos Promete voltar Hoje você faz pirraça (ações) e as E até acha graça se me vê chorar A vida acaba um pouco todo dia transformações Eu sei que você finge não saber E pode ser que quando você volte ocorrem em uma Já seja um pouco tarde pra viver linha de tempo Olhe o tempo passando Você me perdendo, com medo de amar cronológico, em Olhe, se fico sozinha Acabo cansando de tanto esperar. que fatos “Olhe o tempo passando”, Edson Borges e Dolores anteriores são Duran, CD A noite de Meu Bem, Nana Caymmi. EMI causas de fatos posteriores.
  • 6. O texto dissertativo Características Expondo idéias... • Exposição de um ponto de vista sem combater outros. • Não se dirige a um interlocutor específico. • Seleção de argumentos que legitimem o ponto de vista defendido. • O enunciador se preocupa com a exposição e a defesa de sua tese. • Linguagem formal, adequada ao assunto.
  • 7. Exemplo de texto dissertativo Nenhuma ciência é definitivamente A dissertação pode ser . correta Sempre há teorias novas, e definida como uma compreensões novas. Mas há descobertas que são irreversíveis . A interpretação astronomia moderna, por exemplo, é bastante diferente a da de Copérnico, genérica da realidade mas ninguém, hoje, pode acreditar que a Terra é plana e que o Sol gira em torno em que se veiculam dela. O mesmo se aplica à teoria psicanalítica. Desde a descoberta da opiniões explícitas sexualidade infantil, da agressividade e da descoberta de , processos do por meio de conceitos inconsciente vitais para a nossa vida consciente, ninguém pode mais pode abstratos. Numa achar que os primeiros anos de vida e a infância não formam o nosso caráter. dissertação não Concluindo , vou repetir a frase que escrevi com W.R. Bion para o obituário predomina a de Melanie Klein: “Toda ciência busca a verdade. A psicanálise é única por progressão temporal, acreditar que a busca da verdade é, em si, um processo terapêutico.” mas a progressão ( Hanna Segal. Veja, 22/4/98) lógica.
  • 8. O texto dissertativo argumentativo Características Ataque e defesa.... • Exposição de um ponto de vista combatendo outros. • Dirige-se a um interlocutor específico (explícito ou subentendido) . • Seleção de argumentos que legitimem o ponto de vista defendido, com o objetivo de enfraquecer argumentação contrária. • O enunciador se preocupa com a exposição e a defesa de sua tese, tentando com isso persuadir o interlocutor. (aquele que almeja a adesão deste.) • Linguagem adequada ao assunto e ao interlocutor.
  • 9. Exemplo de texto dissertativo Ao elaborar um texto argumentativo argumentativo visando a O Rio que paga carreirinha de coca é o conseguir a adesão de mesmo Rio que foge do seqüestro, eis a verdade. Diz-se que a violência vem determinado (s) do morro. Bobagem, tolice. Como a interlocutore (s) o passeata do Reage Rio, a violência também é obra do carioca bem-posto. enunciador precisa (...) Dois dos objetivos palpáveis do escolher os argumentos, reage Rio são o reaparelhamento da polícia e a urbanização das favelas. conhecer a dimensão Erraram de alvo. Estão mirando na deles e estabelecer uma direção errada(...) Pouco adianta dar novos 38 à polícia se não for ordem de apresentação interrompido o fluxo de dinheiro que dos mesmos. Em outras garante os AR-15 do tráfico palavras, deve ter SOUZA, Josias. O Rio chora e berra. Folha de São Paulo, 05/12/95. consciência da pertinência e da força dos seu argumentos.