SlideShare uma empresa Scribd logo

Simulado de Lingua Poruguesa - Revisão para prova do SAEB

O SAEB é um sistema de avaliação nacional que tem como objetivo fornecer informações sobre a qualidade da educação básica no Brasil.

1 de 6
Baixar para ler offline
Escola Santa Maria
Professora: Mary Alvarenga Série: 5º ano
Simulado de Língua Portuguesa
Revisão prova SAEB
1. Leia o texto a seguir
Talita
Talita tinha a mania de dar nomes de gente
aos objetos da casa, e tinham de ser nomes que
rimassem. Assim, por exemplo, a mesa, para
Talita, era Dona Teresa, a poltrona era Vó
Gordona, o armário era o Doutor Mário. A
escada era Dona Ada, a escrivaninha era Tia
Sinhazinha, a lavadora era Prima Dora, e assim
por diante.
Os pais de Talita achavam graça e topavam
a brincadeira. Então, podiam-se ouvir
conversas tipo como esta:
— Filhinha, quer trazer o jornal que está em
cima da Tia Sinhazinha!
— É pra já, papai. Espere sentado na Vó
Gordona, que eu vou num pé e volto noutro.
Ou então:
— Que amolação, Prima Dora está
entupida, não lava nada! Precisa chamar o
mecânico.
— Ainda bem que tem roupa limpa dentro
do Doutor Mário, né mamãe?
E todos riam.
BELINKY, Tatiana. A operação do Tio nofre:
uma história policial. São Paulo: Ática, 1985.
• A mania de Talita de dar nome de gente aos
objetos da casa demonstra que ela é:
A) curiosa.
B) exagerada.
C) estudiosa.
D) criativa.
2. Leia o texto abaixo.
O disfarce dos bichos
Você já tentou pegar um galhinho seco e ele
virou bicho, abriu asas e voou? Se isso
aconteceu é porque o graveto era um inseto
conhecido como “bicho-pau”. Ele é tão
parecido com o galhinho, que pode ser
confundido com o graveto.
Existem lagartas que se parecem com
raminhos de plantas. E há grilos que imitam
folhas. Muitos animais ficam com a cor e a
forma dos lugares em que estão. Eles fazem
isso para se defender dos inimigos ou capturar
outros bichos que servem de alimento. Esses
truques são chamados de mimetismo, isto é,
imitação. O cientista inglês Henry Walter
Bates foi quem descobriu o mimetismo. Ele
passou 11 anos na selva amazônica estudando
os animais.
MAVIAEL MONTEIRO, José. Bichos que usam
disfarces para defesa. FOLHINHA, 6 NOV. 1993.
• O bicho-pau se parece com:
A) florzinha seca.
B) folhinha verde.
C) galinho seco.
D) raminho de planta.
3. Leia o texto abaixo.
O que diz o trecho
Esquenta a mata
Ilumina as folhas
Tudo tem cor e movimento (v.17-19
• Acontece porque
A) Aparecem estrelas
B) Brotam flores
C) Chega o Sol
D) Vem o vento
4. Leia o texto abaixo
No texto “MEU DIÁRIO”
Pai é um negócio...”
“...o Beto é o maior folgado...”
“... mixou a brincadeira...”
• Indicam um tipo de linguagem utilizada
mais por
A) idosos
B) professores
C) crianças
D) cientistas
5. Leia o texto a seguir
Receita de espantar a tristeza
Faça uma careta
E mande a tristeza
Pra longe, pro outro lado
Do mar ou da lua
Vá para o meio da rua
E plante bananeira
Faça alguma besteira
Depois estique os braços
Apanhe a primeira estrela
E procure o melhor amigo
Para um longo e apertado abraço
Roseana Murray. Receitas de
olhar. São Paulo: FTD, 1997.
• Os versos do poema que expressam o
significado da expressão “espantar a
tristeza”, presente no título do texto, é
A) “Vá para o meio da rua
E plante bananeira”
B) “Depois estique os braços
Apanhe a primeira estrela”
C) “E mande a tristeza
Pra longe, pro outro lado”
D) “E procure o melhor amigo
Para um longo e apertado abraço
6. Leia o texto abaixo.
Um é cinco, três é dez!
Desce o morro todo dia,
é preciso trabalhar
Na rua, no mercado
onde o trabalho pintar
Na esquina, não se aperta,
trabalhando de engraxate.
Já tem freguesia certa
porque engraxa com arte.
No sinal, revende atento
as ofertas do momento
Se faz frio, vende luva
quando chove, guarda-chuva
Um é cinco, três é dez _”
repete um monte de vezes.
E o preço sai parecido
com a cara do freguês.
Corre daqui e dali,
Ganha um trocado suado.
Mas apesar do batente
Está sempre sorridente
Domingo é só brincar.
É igual a toda criança
Ele carrega a esperança
De que tudo vai mudar
A liberdade é a pipa
Solta no seu coração
Realidade é a linha
Bem presa na sua mão.
(ABRAS, Santuza. 1 é 5, 3 é 10, Formato Editorial,
Belo Horizonte, 1988)
• A fala do menino: “_ Um é cinco, três é
dez_” indica que ele:
A) Faz promoções para vender mais
B) Não sabe fazer operações matemáticas
C) Quer ajudar as pessoas a adquirir
produtos
D) Está fazendo um pedido de
produtos
7. Leia o texto a seguir
Disponível em: https://www.letras.mus.br/.
Acesso em: 20 nov. 2018.
• Nesse texto, nos versos “Ninguém podia /
Entrar nela não” (l. 5-6), o termo destacado
refere-se à
A) casa.
B) Parede.
C) Rede.
D) Rua dos Bobos.
8. Leia o texto abaixo.
• No segundo quadrinho desse texto, Cascão
demonstra estar
A) bravo.
B) preocupado.
C) surpreso.
D) tímido.
9. Leia o texto a seguir
• Esse texto serve para
A) contar uma história
B) deixar um recado
C) divulgar um evento
D) fazer uma propagando
10. Leia o texto
Razão maior
Vizinhos e vizinhas
chamaram o galo
e mesmo as galinhas
quiseram acusá-lo:
O senhor galo não vale nada
pois já não canta de madrugada.
Mas logo o galo falou assim:
Que caia chuva, que suba o rio,
que haja calor ou faça frio,
eu sempre canto, pobre de mim,
Mas desta vez meu clarim
entupiu,
piu,
piu.
Sidônio Muralha
• Nesse texto, no trecho “quiseram acusá-lo”
(l. 4), o termo destacado refere-se
A) às galinhas.
B) às vizinhas.
C) ao galo.
D) aos vizinhos.
11.Leia o texto
Televisão
Televisão é uma caixa de imagens que
fazem barulho. Quando os adultos não querem
ser incomodados, mandam as crianças ir
assistir à televisão. O que eu gosto mais na
televisão são os desenhos animados de bichos.
Bicho imitando gente é muito mais engraçado
do que gente imitando gente, como nas
telenovelas. Não gosto muito de programas
infantis com gente fingindo de criança. Em vez
de ficar olhando essa gente brincar de mentira,
prefiro ir brincar de verdade com meus amigos
e amigas. Também os doces que aparecem
anunciados na televisão não têm gosto de coisa
alguma porque ninguém pode comer uma
imagem. Já os doces que minha mãe faz e que
eu como todo dia, esses sim, são gostosos.
Conclusão: a vida fora da televisão é melhor do
que dentro dela.
Moral: Quem segue confiante é vencedor.
PAES, J. P. Televisão. In: Vejam como eu sei escrever.
1. ed. São Paulo, Ática, 2001. p. 26- 27
A Casa
Era uma casa
Muito engraçada
Não tinha teto
Não tinha nada
Ninguém podia
Entrar nela, não
Porque na casa
Não tinha chão [...]
Agenda
Em 29 de julho, ocorre o 2º Congresso Brasileiro de
Educação, em Bauru, a 321 quilômetros de São Paulo,
organizado pela Faculdade de Ciências da Universidade
Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp).
Mais informações em www.2fc.unesp.br/cbe
Nova escola, Jun/jul.2009.(PO50148CE_SUP
• O trecho em que se percebe que o
narrador é uma criança é
A) “Bicho imitando gente é muito mais
engraçado do que gente imitando gente,
como nas telenovelas. ”
B) “Em vez de ficar olhando essa gente
brincar de mentira, prefiro ir brincar de
verdade...”
C) “Quando os adultos não querem ser
incomodados, mandam as crianças ir
assistir à televisão.”
D) “Também os doces que aparecem
anunciados na televisão não têm gosto de
coisa alguma...”
12.Leia o texto a seguir
Fonte: LANCAST. Anabel. Revista Recreio.
Ano 6, nº 299. São Paulo: abril, 1º/12/2005.
• O traço de humor na tirinha é percebido
principalmente quando descobrimos
A) o que tem dentro da caixa de presente.
B) o porquê da menina não abraçar o
aniversariante.
C) o lugar da festa organizada pelo
aniversariante.
D) quanto a menina pagou pelo presente.
13. Lei o texto a seguir
A torre Eiffel de um brasileiro
Inaugurada em 1889 como parte da
Exposição Mundial de Paris, a Torre Eiffel,
com 324 metros de altura, se tornou um dos
principais símbolos da capital francesa. A cada
ano, ela recebe quase 7 milhões de visitantes.
Um deles, o empresário Edson Ferrarin, se
apaixonou pela estrutura a ponto de construir
uma réplica. A obra custou R$ 180 mil e
reproduz as formas da torre original, mas com
apenas 10% de seu tamanho, o que equivale a
um prédio de 11 andares. Foram usadas mais
de 2 mil peças de ferro, que somam 30.000
quilos (contra 10.000 toneladas da verdadeira).
A torre de Umuarama já está aberta para
visitação.
Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1oehhyyc8Avuwk_l_ta-
5MdHe3spadWIm/view.
• O tema desse texto é a
A) réplica da torre.
B) inauguração da torre.
C) simbologia da torre.
D) origem da torre.
14. Leia o texto a seguir
O taxista
Uma turista pega um táxi no aeroporto para ir
ao hotel. O motorista parece mudo, pois não
diz uma palavra sequer. Então a mulher toca
nas costas dele para pedir uma informação:
- Por favor ...
Ele leva um grande susto, perde o controle do
carro e quase provoca um acidente. A turista se
desculpa:
Sinceramente, não sabia que o senhor ficaria
tão assustado!
- Desculpe, senhora. É minha primeira
viagem como taxista.
- E o que o senhor fazia antes?
- Por 20 anos fui motorista de carro funerário.
• (Saepe) A finalidade do texto é
A) descrever.
B) informar.
C) divertir.
D) Denunciar
15.Leia o texto a seguir
Terremoto
Depois do terremoto, apenas uma casa ficou
de pé.
— Por que você ficou de pé, sua casa doida,
não sabe que houve um terremoto — advertiu
a bruxa.
— Um terremoto?! — repetiu a casa com as
janelas esbugalhadas.
E foi tratando logo de desabar também com
medo da bruxa.
DIDIMO, Horário. As histórias do mestre jabuti. Fortaleza:
Edições Demócrito Rocha, 2003. p. 23.
• A casa que estava em pé desabou
A) por causa do terremoto.
B) por causa das janelas abertas.
C) porque era uma casa doida.
D) porque teve medo da bruxa.
16.Leia o texto a seguir
O galo cantor
Era uma vez, um galo conhecido por sua
arrogância. Costumava demonstrar força ao
raiar do sol, quando cantava bem alto, de modo
a superar, no timbre e no tempo, o canto dos
companheiros. Erguia a crista, estufava o peito
e permanecia assim por horas. As galinhas
olhavam compreensivas, apesar de um tanto
entediadas com a repetição diária do
presunçoso rito.
Certo dia, chovia muito. O galo estufou o
peito, ergueu a crista e cantou como sempre.
Os outros galos se calaram. Não demorou, e a
garganta do arrogante cantor se inflamou
gravemente. Ele encolheu, ficou muito gripado
e, afinal, teve uma forte pneumonia que
emudeceu suas cordas vocais. Não pode mais
cantar.
Um gambá, que sempre passava por ali,
comentou:
Era só voz o grande galo? Nada aprendeu
nesse tempo de domínio? As galinhas se
calaram.
Moral da História: A arrogância é amiga da
estupidez.
ANDRADE, Rachel Gazolla de. Fabulas nuas e
cruas. São Paulo: Parábola Editorial, 2005. p. 11
• Nesse texto, a frase – “Era só voz o
grande galo?” foi dita
A) pelo cantor.
B) pelos companheiros.
C) pelo gambá.
D) pelas galinhas.
17. Leia o texto a seguir
Princesa Linda Laço-de-fita
Sempre foi linda, vestiu roupas lindas e
morou num quarto lindo, de um castelo
lindíssimo, no reino de Flax. Passou a vida na
janela desse quarto, recebendo visitas de
príncipes que vinham de muito longe e de bem
perto para também pedi-la em casamento. Mas,
sendo linda como era, e muito vaidosa da
própria lindeza, não aceitava nenhum pedido,
pois nenhum príncipe era forte, rico ou... lindo
o suficiente para casar com ela. Com o passar
dos anos, os príncipes cansaram desse papo
furado e desistiram de pedi-la em casamento.
Hoje em dia, ela já está bem velhinha, ainda
linda, uma linda velhinha. Sozinha, na janela,
espera algum príncipe passar e parar para
conversar.
SOUZA, Flavio de. Príncipes e princesas, sapos e lagartos:
historias modernas de tempos antigos. São Paulo: FTD,1996.
• O que deu origem aos fatos narrados
nesse texto foi
A) A princesa ficar sempre na janela
conversando.
B) A princesa recusar os pedidos de
casamento.
C) As lindas roupas usadas pela princesa no
castelo.
D) As visitas feitas pelos príncipes à princesa
no castelo.
A B C D
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
Boa sorte, meus amores!
Resposta
A B C D
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
Mary Alvarenga

Recomendados

Atividade de Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º ano
Atividade de  Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º anoAtividade de  Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º ano
Atividade de Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º anoMary Alvarenga
 
Atividade de-portugues-pontuacao-5º-ano
Atividade de-portugues-pontuacao-5º-anoAtividade de-portugues-pontuacao-5º-ano
Atividade de-portugues-pontuacao-5º-anoRaquel Pessoa
 
Prova Brasil - Revisão de Língua Portuguesa 5º ano
Prova Brasil  - Revisão de Língua Portuguesa 5º anoProva Brasil  - Revisão de Língua Portuguesa 5º ano
Prova Brasil - Revisão de Língua Portuguesa 5º anoMary Alvarenga
 
D7 (por descritores port 5º ano)
D7  (por descritores port  5º ano)D7  (por descritores port  5º ano)
D7 (por descritores port 5º ano)Cidinha Paulo
 
Simulado 10 (port. 5º ano)
Simulado 10 (port. 5º ano)Simulado 10 (port. 5º ano)
Simulado 10 (port. 5º ano)Cidinha Paulo
 
Folclore das regiões brasileiras
Folclore das regiões brasileirasFolclore das regiões brasileiras
Folclore das regiões brasileirasBaestevam
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

SIMULADO 4º ANO FUNDAMENTAL
SIMULADO 4º ANO FUNDAMENTALSIMULADO 4º ANO FUNDAMENTAL
SIMULADO 4º ANO FUNDAMENTALCristina Brandão
 
Exercicios extra 6 ano artigos e numerais
Exercicios extra 6 ano artigos e numeraisExercicios extra 6 ano artigos e numerais
Exercicios extra 6 ano artigos e numeraisElaine Rabelo
 
Sistema de numeração decimal
Sistema de numeração decimal Sistema de numeração decimal
Sistema de numeração decimal Mary Alvarenga
 
Simulado de Matemática 5º ano
Simulado de Matemática 5º ano Simulado de Matemática 5º ano
Simulado de Matemática 5º ano Mary Alvarenga
 
Atividade ortográfica - Caçada aos erros
Atividade ortográfica - Caçada aos errosAtividade ortográfica - Caçada aos erros
Atividade ortográfica - Caçada aos errosMary Alvarenga
 
Sitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amareloSitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amareloSonia Amaral
 
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em ComunidadeProjeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em ComunidadeVania Brasileiro
 
Estudo dirigido sujeito_predicado
Estudo dirigido sujeito_predicadoEstudo dirigido sujeito_predicado
Estudo dirigido sujeito_predicadoSol Stabile
 
Atividades de reforço multiplicação e divisão
Atividades de reforço multiplicação e divisãoAtividades de reforço multiplicação e divisão
Atividades de reforço multiplicação e divisãoVera Lucia A. Trindade Dias
 
Produção textual: Poemas
Produção textual: Poemas Produção textual: Poemas
Produção textual: Poemas Mary Alvarenga
 
III Atividade Avaliatíva de Geo 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliatíva de Geo 4º e 5º ano pdfIII Atividade Avaliatíva de Geo 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliatíva de Geo 4º e 5º ano pdfAndré Moraes
 
Simulado com descritores PROEB português 5º ano
Simulado com descritores PROEB português 5º anoSimulado com descritores PROEB português 5º ano
Simulado com descritores PROEB português 5º anoSilvânia Silveira
 
COLETÂNEA DE ATIVIDADES DO 5º ANO
COLETÂNEA DE ATIVIDADES DO 5º ANOCOLETÂNEA DE ATIVIDADES DO 5º ANO
COLETÂNEA DE ATIVIDADES DO 5º ANOMara Sueli
 
Atividade de Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º ano
Atividade de  Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º anoAtividade de  Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º ano
Atividade de Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º anoMary Alvarenga
 
Gênero textual: Cordel
Gênero textual: CordelGênero textual: Cordel
Gênero textual: CordelMary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

SIMULADO 4º ANO FUNDAMENTAL
SIMULADO 4º ANO FUNDAMENTALSIMULADO 4º ANO FUNDAMENTAL
SIMULADO 4º ANO FUNDAMENTAL
 
Historia do dia nacional da consciencia negra
Historia do dia nacional da consciencia negraHistoria do dia nacional da consciencia negra
Historia do dia nacional da consciencia negra
 
Exercicios extra 6 ano artigos e numerais
Exercicios extra 6 ano artigos e numeraisExercicios extra 6 ano artigos e numerais
Exercicios extra 6 ano artigos e numerais
 
Sistema de numeração decimal
Sistema de numeração decimal Sistema de numeração decimal
Sistema de numeração decimal
 
Simulado de Matemática 5º ano
Simulado de Matemática 5º ano Simulado de Matemática 5º ano
Simulado de Matemática 5º ano
 
Atividade ortográfica - Caçada aos erros
Atividade ortográfica - Caçada aos errosAtividade ortográfica - Caçada aos erros
Atividade ortográfica - Caçada aos erros
 
Sitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amareloSitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amarelo
 
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em ComunidadeProjeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
 
O touro de tarsila do amaral
O touro de tarsila do amaralO touro de tarsila do amaral
O touro de tarsila do amaral
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESA
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESAAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESA
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE LÍNGUA PORUGUESA
 
Estudo dirigido sujeito_predicado
Estudo dirigido sujeito_predicadoEstudo dirigido sujeito_predicado
Estudo dirigido sujeito_predicado
 
Atividades de reforço multiplicação e divisão
Atividades de reforço multiplicação e divisãoAtividades de reforço multiplicação e divisão
Atividades de reforço multiplicação e divisão
 
AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO
AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLOAVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO
AVALIAÇÃO DE ENSINO RELIGIOSO: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO
 
Gabarito: Interpretação do texto: Sua mãe sabe que você propaga ódio na inter...
Gabarito: Interpretação do texto: Sua mãe sabe que você propaga ódio na inter...Gabarito: Interpretação do texto: Sua mãe sabe que você propaga ódio na inter...
Gabarito: Interpretação do texto: Sua mãe sabe que você propaga ódio na inter...
 
Produção textual: Poemas
Produção textual: Poemas Produção textual: Poemas
Produção textual: Poemas
 
III Atividade Avaliatíva de Geo 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliatíva de Geo 4º e 5º ano pdfIII Atividade Avaliatíva de Geo 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliatíva de Geo 4º e 5º ano pdf
 
Simulado com descritores PROEB português 5º ano
Simulado com descritores PROEB português 5º anoSimulado com descritores PROEB português 5º ano
Simulado com descritores PROEB português 5º ano
 
COLETÂNEA DE ATIVIDADES DO 5º ANO
COLETÂNEA DE ATIVIDADES DO 5º ANOCOLETÂNEA DE ATIVIDADES DO 5º ANO
COLETÂNEA DE ATIVIDADES DO 5º ANO
 
Atividade de Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º ano
Atividade de  Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º anoAtividade de  Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º ano
Atividade de Língua Portuguesa - Revisão Prova Brasil - 5º ano
 
Gênero textual: Cordel
Gênero textual: CordelGênero textual: Cordel
Gênero textual: Cordel
 

Semelhante a Simulado de Lingua Poruguesa - Revisão para prova do SAEB

Simulado 01 (port. 5º ano
Simulado 01 (port. 5º anoSimulado 01 (port. 5º ano
Simulado 01 (port. 5º anoCidinha Paulo
 
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. warles)
Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. warles)Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. warles)
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. warles)DANIELDESOUZA67
 
simulado port. saresp.doc
simulado port. saresp.docsimulado port. saresp.doc
simulado port. saresp.docPROFaLUMENDES
 
Simulado 1 língua portuguesa
Simulado 1   língua portuguesaSimulado 1   língua portuguesa
Simulado 1 língua portuguesaEtevaldo Lima
 
Simulado de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
Simulado  de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB Simulado  de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
Simulado de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB Mary Alvarenga
 
Atividades 3 e 4 aulas programadas 09042020
Atividades 3 e 4 aulas programadas 09042020Atividades 3 e 4 aulas programadas 09042020
Atividades 3 e 4 aulas programadas 09042020Pomba Cláudia
 
Simulado português 6º a,b e c
Simulado português 6º a,b e cSimulado português 6º a,b e c
Simulado português 6º a,b e crenata ubeda
 
Simulado 5c2ba-ano-lp-2
Simulado 5c2ba-ano-lp-2Simulado 5c2ba-ano-lp-2
Simulado 5c2ba-ano-lp-2Cidinha Paulo
 
4º ano aval. diag. port.
4º ano   aval. diag. port.4º ano   aval. diag. port.
4º ano aval. diag. port.Cida Carvalho
 
Simulado de português 5º ano spaece 2014
Simulado de português 5º ano  spaece 2014Simulado de português 5º ano  spaece 2014
Simulado de português 5º ano spaece 2014CASA-FACEBOOK-INSTAGRAM
 
SPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEB
SPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEBSPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEB
SPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEBRosaMisticaCoelho2
 

Semelhante a Simulado de Lingua Poruguesa - Revisão para prova do SAEB (20)

Simulado 01 (port. 5º ano
Simulado 01 (port. 5º anoSimulado 01 (port. 5º ano
Simulado 01 (port. 5º ano
 
Procedimentos De Leitura 4
Procedimentos De Leitura 4Procedimentos De Leitura 4
Procedimentos De Leitura 4
 
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. Warles)
Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. Warles)Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. Warles)
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. Warles)
 
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. warles)
Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. warles)Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. warles)
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. warles)
 
simulado port. saresp.doc
simulado port. saresp.docsimulado port. saresp.doc
simulado port. saresp.doc
 
Simulado 1 língua portuguesa
Simulado 1   língua portuguesaSimulado 1   língua portuguesa
Simulado 1 língua portuguesa
 
Simulado de português 5ºano 2016
Simulado de português 5ºano 2016Simulado de português 5ºano 2016
Simulado de português 5ºano 2016
 
INTERPRETAÇÃO TEXTUAL: 5º ano
INTERPRETAÇÃO TEXTUAL:    5º anoINTERPRETAÇÃO TEXTUAL:    5º ano
INTERPRETAÇÃO TEXTUAL: 5º ano
 
portugues.doc
portugues.docportugues.doc
portugues.doc
 
Simulado de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
Simulado  de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB Simulado  de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
Simulado de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
 
Atividades 3 e 4 aulas programadas 09042020
Atividades 3 e 4 aulas programadas 09042020Atividades 3 e 4 aulas programadas 09042020
Atividades 3 e 4 aulas programadas 09042020
 
Simulado português 6º a,b e c
Simulado português 6º a,b e cSimulado português 6º a,b e c
Simulado português 6º a,b e c
 
D4 (5º ano l.p.)
D4 (5º ano   l.p.)D4 (5º ano   l.p.)
D4 (5º ano l.p.)
 
Simulado 5c2ba-ano-lp-2
Simulado 5c2ba-ano-lp-2Simulado 5c2ba-ano-lp-2
Simulado 5c2ba-ano-lp-2
 
Interpretaçao retrato portugues
Interpretaçao retrato portuguesInterpretaçao retrato portugues
Interpretaçao retrato portugues
 
Saresp 2010
Saresp 2010Saresp 2010
Saresp 2010
 
4º ano aval. diag. port.
4º ano   aval. diag. port.4º ano   aval. diag. port.
4º ano aval. diag. port.
 
Simulado de português 5º ano spaece 2014
Simulado de português 5º ano  spaece 2014Simulado de português 5º ano  spaece 2014
Simulado de português 5º ano spaece 2014
 
SPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEB
SPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEBSPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEB
SPAECEFLIX.pptx-COMPREENSAO SPAECE E SAEB
 
Simulado spaece 2012 portugues
Simulado spaece   2012  portuguesSimulado spaece   2012  portugues
Simulado spaece 2012 portugues
 

Mais de Mary Alvarenga

Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Mary Alvarenga
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da MulherMary Alvarenga
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
Regimento escolar - Deveres do aluno.
Regimento escolar -  Deveres do aluno.Regimento escolar -  Deveres do aluno.
Regimento escolar - Deveres do aluno.Mary Alvarenga
 
Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.
Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.
Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.Mary Alvarenga
 
O impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiais
O impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiaisO impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiais
O impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiaisMary Alvarenga
 
Coletânea de poesias
Coletânea de poesias Coletânea de poesias
Coletânea de poesias Mary Alvarenga
 
Caça palavras bullying
Caça palavras  bullying Caça palavras  bullying
Caça palavras bullying Mary Alvarenga
 
Bullying não é brincadeira
 Bullying não é brincadeira Bullying não é brincadeira
Bullying não é brincadeiraMary Alvarenga
 
Mini livro sanfona - BULLYING
Mini livro sanfona - BULLYING Mini livro sanfona - BULLYING
Mini livro sanfona - BULLYING Mary Alvarenga
 
Simulado de matemática - Revisão prova do SAEB
Simulado de matemática - Revisão prova do SAEBSimulado de matemática - Revisão prova do SAEB
Simulado de matemática - Revisão prova do SAEBMary Alvarenga
 
Bullying não é brincadeira
Bullying não é brincadeira Bullying não é brincadeira
Bullying não é brincadeira Mary Alvarenga
 
Propriedades físicas dos materiais
Propriedades físicas dos materiais Propriedades físicas dos materiais
Propriedades físicas dos materiais Mary Alvarenga
 
Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB.
Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB.Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB.
Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB.Mary Alvarenga
 
Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB
Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB
Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB Mary Alvarenga
 
Mini livro sanfona - Direitos e deveres das crianças - ECA.
Mini livro sanfona  - Direitos e deveres das crianças - ECA.Mini livro sanfona  - Direitos e deveres das crianças - ECA.
Mini livro sanfona - Direitos e deveres das crianças - ECA.Mary Alvarenga
 

Mais de Mary Alvarenga (20)

Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
Regimento escolar - Deveres do aluno.
Regimento escolar -  Deveres do aluno.Regimento escolar -  Deveres do aluno.
Regimento escolar - Deveres do aluno.
 
Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.
Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.
Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.
 
O impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiais
O impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiaisO impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiais
O impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiais
 
Coletânea de poesias
Coletânea de poesias Coletânea de poesias
Coletânea de poesias
 
Poemas de Natal
Poemas de Natal Poemas de Natal
Poemas de Natal
 
Caça palavras bullying
Caça palavras  bullying Caça palavras  bullying
Caça palavras bullying
 
Acróstico bullying
Acróstico bullying Acróstico bullying
Acróstico bullying
 
Bullying não é brincadeira
 Bullying não é brincadeira Bullying não é brincadeira
Bullying não é brincadeira
 
Arte africana
 Arte africana   Arte africana
Arte africana
 
Mini livro sanfona - BULLYING
Mini livro sanfona - BULLYING Mini livro sanfona - BULLYING
Mini livro sanfona - BULLYING
 
Simulado de matemática - Revisão prova do SAEB
Simulado de matemática - Revisão prova do SAEBSimulado de matemática - Revisão prova do SAEB
Simulado de matemática - Revisão prova do SAEB
 
Bullying não é brincadeira
Bullying não é brincadeira Bullying não é brincadeira
Bullying não é brincadeira
 
Propriedades físicas dos materiais
Propriedades físicas dos materiais Propriedades físicas dos materiais
Propriedades físicas dos materiais
 
Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB.
Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB.Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB.
Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB.
 
Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB
Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB
Simulado de Matemática - Revisão prova SAEB
 
A Magia da Poesia
A Magia da Poesia A Magia da Poesia
A Magia da Poesia
 
Mini livro sanfona - Direitos e deveres das crianças - ECA.
Mini livro sanfona  - Direitos e deveres das crianças - ECA.Mini livro sanfona  - Direitos e deveres das crianças - ECA.
Mini livro sanfona - Direitos e deveres das crianças - ECA.
 

Último

Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdfJanielleCristina1
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoPaula Meyer Piagentini
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!Psyc company
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...excellenceeducaciona
 

Último (20)

Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
 

Simulado de Lingua Poruguesa - Revisão para prova do SAEB

  • 1. Escola Santa Maria Professora: Mary Alvarenga Série: 5º ano Simulado de Língua Portuguesa Revisão prova SAEB 1. Leia o texto a seguir Talita Talita tinha a mania de dar nomes de gente aos objetos da casa, e tinham de ser nomes que rimassem. Assim, por exemplo, a mesa, para Talita, era Dona Teresa, a poltrona era Vó Gordona, o armário era o Doutor Mário. A escada era Dona Ada, a escrivaninha era Tia Sinhazinha, a lavadora era Prima Dora, e assim por diante. Os pais de Talita achavam graça e topavam a brincadeira. Então, podiam-se ouvir conversas tipo como esta: — Filhinha, quer trazer o jornal que está em cima da Tia Sinhazinha! — É pra já, papai. Espere sentado na Vó Gordona, que eu vou num pé e volto noutro. Ou então: — Que amolação, Prima Dora está entupida, não lava nada! Precisa chamar o mecânico. — Ainda bem que tem roupa limpa dentro do Doutor Mário, né mamãe? E todos riam. BELINKY, Tatiana. A operação do Tio nofre: uma história policial. São Paulo: Ática, 1985. • A mania de Talita de dar nome de gente aos objetos da casa demonstra que ela é: A) curiosa. B) exagerada. C) estudiosa. D) criativa. 2. Leia o texto abaixo. O disfarce dos bichos Você já tentou pegar um galhinho seco e ele virou bicho, abriu asas e voou? Se isso aconteceu é porque o graveto era um inseto conhecido como “bicho-pau”. Ele é tão parecido com o galhinho, que pode ser confundido com o graveto. Existem lagartas que se parecem com raminhos de plantas. E há grilos que imitam folhas. Muitos animais ficam com a cor e a forma dos lugares em que estão. Eles fazem isso para se defender dos inimigos ou capturar outros bichos que servem de alimento. Esses truques são chamados de mimetismo, isto é, imitação. O cientista inglês Henry Walter Bates foi quem descobriu o mimetismo. Ele passou 11 anos na selva amazônica estudando os animais. MAVIAEL MONTEIRO, José. Bichos que usam disfarces para defesa. FOLHINHA, 6 NOV. 1993. • O bicho-pau se parece com: A) florzinha seca. B) folhinha verde. C) galinho seco. D) raminho de planta. 3. Leia o texto abaixo. O que diz o trecho Esquenta a mata Ilumina as folhas Tudo tem cor e movimento (v.17-19 • Acontece porque A) Aparecem estrelas B) Brotam flores C) Chega o Sol D) Vem o vento
  • 2. 4. Leia o texto abaixo No texto “MEU DIÁRIO” Pai é um negócio...” “...o Beto é o maior folgado...” “... mixou a brincadeira...” • Indicam um tipo de linguagem utilizada mais por A) idosos B) professores C) crianças D) cientistas 5. Leia o texto a seguir Receita de espantar a tristeza Faça uma careta E mande a tristeza Pra longe, pro outro lado Do mar ou da lua Vá para o meio da rua E plante bananeira Faça alguma besteira Depois estique os braços Apanhe a primeira estrela E procure o melhor amigo Para um longo e apertado abraço Roseana Murray. Receitas de olhar. São Paulo: FTD, 1997. • Os versos do poema que expressam o significado da expressão “espantar a tristeza”, presente no título do texto, é A) “Vá para o meio da rua E plante bananeira” B) “Depois estique os braços Apanhe a primeira estrela” C) “E mande a tristeza Pra longe, pro outro lado” D) “E procure o melhor amigo Para um longo e apertado abraço 6. Leia o texto abaixo. Um é cinco, três é dez! Desce o morro todo dia, é preciso trabalhar Na rua, no mercado onde o trabalho pintar Na esquina, não se aperta, trabalhando de engraxate. Já tem freguesia certa porque engraxa com arte. No sinal, revende atento as ofertas do momento Se faz frio, vende luva quando chove, guarda-chuva Um é cinco, três é dez _” repete um monte de vezes. E o preço sai parecido com a cara do freguês. Corre daqui e dali, Ganha um trocado suado. Mas apesar do batente Está sempre sorridente Domingo é só brincar. É igual a toda criança Ele carrega a esperança De que tudo vai mudar A liberdade é a pipa Solta no seu coração Realidade é a linha Bem presa na sua mão. (ABRAS, Santuza. 1 é 5, 3 é 10, Formato Editorial, Belo Horizonte, 1988) • A fala do menino: “_ Um é cinco, três é dez_” indica que ele: A) Faz promoções para vender mais B) Não sabe fazer operações matemáticas C) Quer ajudar as pessoas a adquirir produtos D) Está fazendo um pedido de produtos
  • 3. 7. Leia o texto a seguir Disponível em: https://www.letras.mus.br/. Acesso em: 20 nov. 2018. • Nesse texto, nos versos “Ninguém podia / Entrar nela não” (l. 5-6), o termo destacado refere-se à A) casa. B) Parede. C) Rede. D) Rua dos Bobos. 8. Leia o texto abaixo. • No segundo quadrinho desse texto, Cascão demonstra estar A) bravo. B) preocupado. C) surpreso. D) tímido. 9. Leia o texto a seguir • Esse texto serve para A) contar uma história B) deixar um recado C) divulgar um evento D) fazer uma propagando 10. Leia o texto Razão maior Vizinhos e vizinhas chamaram o galo e mesmo as galinhas quiseram acusá-lo: O senhor galo não vale nada pois já não canta de madrugada. Mas logo o galo falou assim: Que caia chuva, que suba o rio, que haja calor ou faça frio, eu sempre canto, pobre de mim, Mas desta vez meu clarim entupiu, piu, piu. Sidônio Muralha • Nesse texto, no trecho “quiseram acusá-lo” (l. 4), o termo destacado refere-se A) às galinhas. B) às vizinhas. C) ao galo. D) aos vizinhos. 11.Leia o texto Televisão Televisão é uma caixa de imagens que fazem barulho. Quando os adultos não querem ser incomodados, mandam as crianças ir assistir à televisão. O que eu gosto mais na televisão são os desenhos animados de bichos. Bicho imitando gente é muito mais engraçado do que gente imitando gente, como nas telenovelas. Não gosto muito de programas infantis com gente fingindo de criança. Em vez de ficar olhando essa gente brincar de mentira, prefiro ir brincar de verdade com meus amigos e amigas. Também os doces que aparecem anunciados na televisão não têm gosto de coisa alguma porque ninguém pode comer uma imagem. Já os doces que minha mãe faz e que eu como todo dia, esses sim, são gostosos. Conclusão: a vida fora da televisão é melhor do que dentro dela. Moral: Quem segue confiante é vencedor. PAES, J. P. Televisão. In: Vejam como eu sei escrever. 1. ed. São Paulo, Ática, 2001. p. 26- 27 A Casa Era uma casa Muito engraçada Não tinha teto Não tinha nada Ninguém podia Entrar nela, não Porque na casa Não tinha chão [...] Agenda Em 29 de julho, ocorre o 2º Congresso Brasileiro de Educação, em Bauru, a 321 quilômetros de São Paulo, organizado pela Faculdade de Ciências da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp). Mais informações em www.2fc.unesp.br/cbe Nova escola, Jun/jul.2009.(PO50148CE_SUP
  • 4. • O trecho em que se percebe que o narrador é uma criança é A) “Bicho imitando gente é muito mais engraçado do que gente imitando gente, como nas telenovelas. ” B) “Em vez de ficar olhando essa gente brincar de mentira, prefiro ir brincar de verdade...” C) “Quando os adultos não querem ser incomodados, mandam as crianças ir assistir à televisão.” D) “Também os doces que aparecem anunciados na televisão não têm gosto de coisa alguma...” 12.Leia o texto a seguir Fonte: LANCAST. Anabel. Revista Recreio. Ano 6, nº 299. São Paulo: abril, 1º/12/2005. • O traço de humor na tirinha é percebido principalmente quando descobrimos A) o que tem dentro da caixa de presente. B) o porquê da menina não abraçar o aniversariante. C) o lugar da festa organizada pelo aniversariante. D) quanto a menina pagou pelo presente. 13. Lei o texto a seguir A torre Eiffel de um brasileiro Inaugurada em 1889 como parte da Exposição Mundial de Paris, a Torre Eiffel, com 324 metros de altura, se tornou um dos principais símbolos da capital francesa. A cada ano, ela recebe quase 7 milhões de visitantes. Um deles, o empresário Edson Ferrarin, se apaixonou pela estrutura a ponto de construir uma réplica. A obra custou R$ 180 mil e reproduz as formas da torre original, mas com apenas 10% de seu tamanho, o que equivale a um prédio de 11 andares. Foram usadas mais de 2 mil peças de ferro, que somam 30.000 quilos (contra 10.000 toneladas da verdadeira). A torre de Umuarama já está aberta para visitação. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1oehhyyc8Avuwk_l_ta- 5MdHe3spadWIm/view. • O tema desse texto é a A) réplica da torre. B) inauguração da torre. C) simbologia da torre. D) origem da torre. 14. Leia o texto a seguir O taxista Uma turista pega um táxi no aeroporto para ir ao hotel. O motorista parece mudo, pois não diz uma palavra sequer. Então a mulher toca nas costas dele para pedir uma informação: - Por favor ... Ele leva um grande susto, perde o controle do carro e quase provoca um acidente. A turista se desculpa: Sinceramente, não sabia que o senhor ficaria tão assustado! - Desculpe, senhora. É minha primeira viagem como taxista. - E o que o senhor fazia antes? - Por 20 anos fui motorista de carro funerário. • (Saepe) A finalidade do texto é A) descrever. B) informar. C) divertir. D) Denunciar 15.Leia o texto a seguir Terremoto Depois do terremoto, apenas uma casa ficou de pé. — Por que você ficou de pé, sua casa doida, não sabe que houve um terremoto — advertiu a bruxa. — Um terremoto?! — repetiu a casa com as janelas esbugalhadas. E foi tratando logo de desabar também com medo da bruxa. DIDIMO, Horário. As histórias do mestre jabuti. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2003. p. 23. • A casa que estava em pé desabou A) por causa do terremoto. B) por causa das janelas abertas. C) porque era uma casa doida. D) porque teve medo da bruxa.
  • 5. 16.Leia o texto a seguir O galo cantor Era uma vez, um galo conhecido por sua arrogância. Costumava demonstrar força ao raiar do sol, quando cantava bem alto, de modo a superar, no timbre e no tempo, o canto dos companheiros. Erguia a crista, estufava o peito e permanecia assim por horas. As galinhas olhavam compreensivas, apesar de um tanto entediadas com a repetição diária do presunçoso rito. Certo dia, chovia muito. O galo estufou o peito, ergueu a crista e cantou como sempre. Os outros galos se calaram. Não demorou, e a garganta do arrogante cantor se inflamou gravemente. Ele encolheu, ficou muito gripado e, afinal, teve uma forte pneumonia que emudeceu suas cordas vocais. Não pode mais cantar. Um gambá, que sempre passava por ali, comentou: Era só voz o grande galo? Nada aprendeu nesse tempo de domínio? As galinhas se calaram. Moral da História: A arrogância é amiga da estupidez. ANDRADE, Rachel Gazolla de. Fabulas nuas e cruas. São Paulo: Parábola Editorial, 2005. p. 11 • Nesse texto, a frase – “Era só voz o grande galo?” foi dita A) pelo cantor. B) pelos companheiros. C) pelo gambá. D) pelas galinhas. 17. Leia o texto a seguir Princesa Linda Laço-de-fita Sempre foi linda, vestiu roupas lindas e morou num quarto lindo, de um castelo lindíssimo, no reino de Flax. Passou a vida na janela desse quarto, recebendo visitas de príncipes que vinham de muito longe e de bem perto para também pedi-la em casamento. Mas, sendo linda como era, e muito vaidosa da própria lindeza, não aceitava nenhum pedido, pois nenhum príncipe era forte, rico ou... lindo o suficiente para casar com ela. Com o passar dos anos, os príncipes cansaram desse papo furado e desistiram de pedi-la em casamento. Hoje em dia, ela já está bem velhinha, ainda linda, uma linda velhinha. Sozinha, na janela, espera algum príncipe passar e parar para conversar. SOUZA, Flavio de. Príncipes e princesas, sapos e lagartos: historias modernas de tempos antigos. São Paulo: FTD,1996. • O que deu origem aos fatos narrados nesse texto foi A) A princesa ficar sempre na janela conversando. B) A princesa recusar os pedidos de casamento. C) As lindas roupas usadas pela princesa no castelo. D) As visitas feitas pelos príncipes à princesa no castelo. A B C D 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 Boa sorte, meus amores!
  • 6. Resposta A B C D 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 Mary Alvarenga