O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Causas para observar_2019_opt

Esse relatório nos traz informações importantes sobre o que acontecerá em 2019.
Fique atento.

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Causas para observar_2019_opt

  1. 1. que vão pautar as organizações com propósito – e como abordá-los sem cair no oportunismo TEMAS CAUSAS EM 2019 PARA OBSERVAR
  2. 2. ÍNDICE 03 O QUE ESPERAR DE 2019 05 MEIO AMBIENTE 16 SAÚDE 04 COMO ESCOLHEMOS AS CAUSAS 11 GRUPOS IDENTITÁRIOS 22 TECNOLOGIA 27 MANIFESTAÇÕES CULTURAIS 33 PANORAMA NACIONAL 40 PANORAMA GLOBAL 47 COMO PODEMOS AJUDAR
  3. 3. 3 Nos últimos cinco anos, a CAUSE vem observando atentamente a evolução na forma como marcas e organizações ativam e comunicam suas causas. Nesse período, o mundo mudou radicalmente. No Brasil, o nível de confiança nas instituições tradicionais se deteriorou. Lá fora, uma nova configuração na geopolítica colocou o mundo em alerta. O cenário instável só aumenta a nossa respon- sabilidade. Entendemos causas como o ponto de encontro entre o propósito das organizações e as demandas da sociedade. Por isso, mergulhamos inúmeras vezes nos assuntos que despertam o espírito crítico – e nos colocamos ao lado de or- ganizações que têm a coragem de encará-los a partir de seus ideais. Ao longo dos últimos anos, reafirmamos nossa crençadequeasorganizaçõesquemelhornavegam no mundo atual são aquelas que percebem que as causas são da sociedade – e não suas. Elas se colocam como apoiadoras de temas sensíveis, e não como donas da verdade. Éparaajudarmaisorganizaçõesalançaresseolhar ao seu redor que, este ano, estabelecemos mais um desafio. O relatório Causas para Observar em 2019, que você lê a partir de agora, é fruto de um esforço para prever o que vem por aí. Esperamos que esses temas inspirem a sua or- ganização a olhar para o seu propósito sob um novo viés: o da sociedade que pulsa e demanda – mas que, ainda assim, acredita em melhorias e luta por elas. Boa leitura, FRANCINE LEMOS CEO francinelemos@cause.net.br O QUE ESPERAR DE 2019
  4. 4. 4 Para elaborar o relatório Causas para Observar em 2019, analisamos os temas que tiveram gran- de repercussão em 2018 e que abrem margem para desdobramentos este ano. Nossas fontes de informação foram órgãos oficiais brasileiros e es- trangeiros e veículos da imprensa profissional. Para conduzir melhor a sua leitura, dividimos as causas em cinco grandes blocos temáticos – Manifestações Culturais, Grupos Identitários, Meio Ambiente, Saúde e Tecnologia – e dois recortes geográficos: Panorama Nacional e Panorama Global. No total, são 37 grandes tendências a se obser- var. Apontamos, também, as personalidades que devem liderar as discussões sobre cada uma das causas. São mais de 140 pessoas que merecem a sua atenção em 2019. Como todo exercício de previsão, este relatório tem um aspecto empírico. O mais importante não é fazer apostas – mas tentar decifrar o espírito da época em que vivemos. Naturalmente, o exercício ficará mais rico à medida que você compartilhar conosco as suas impressões. Para a CAUSE, não existem causas de prate- leira. As causas são fortes à medida que as or- ganizações conseguem conectar as demandas da sociedade aos seus propósitos. No fim des- te documento, você descobrirá como a CAUSE pode ajudar a sua organização a chegar a esse ponto de encontro. Nosso principal objetivo é despertar seu inte- resse em encarar a realidade com um olhar comprometido com a convicção, a coerência e a consistência. CHRISTIAN MIGUEL Diretor de Conteúdo e Relações Públicas christianmiguel@cause.net.br COMO ESCOLHEMOS AS CAUSAS
  5. 5. 5 MEIO AMBIENTEOs desafios de escala global estão se intensificando ao mesmo tempo que antigos problemas – e o descaso crônico – voltam a se manifestar no Brasil. Em 2019, o planeta precisa de mais atenção
  6. 6. MEIO AMBIENTE EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO 6 Créditos:Emsentidohorário,Divulgação,GettyImages,GettyImageseAFP VARIAÇÃO DA TEMPERATURA DA TERRA* (em graus Celsius) Fontes: National Oceanic and Atmospheric Administration (EUA), National Centers for Environmental Information e Newsweek *em relação à média do período 1981-2010 COMBATE ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS POR QUE OBSERVAR No ano passado, pelo menos duas ilhas – East Island e Esanbe Hanakita Kojima – desapareceram do mapa como efeito das alterações no clima. O QUE ESPERAR Com a saída dos EUA, segundo maior emissor global de dióxido de carbono, do Acordo de Paris, as ações para reverter o impacto humano sobre o clima perdem força. AL GORE Ex-vice-presidente dos EUA e Prêmio Nobel da Paz, que falou sobre as mudanças climáticas no Fórum Econômico Mundial de 2019 RICARDO AUGUSTO FELÍCIO Especialista da USP que faz ressalvas às pesquisas sobre mudanças climáticas GRETA THUNBERG Adolescente sueca que, a partir de uma simples manifestação na escola, iniciou um movimento que mobilizou mais de 20 mil jovens pelo mundo em 2018 LEONARDO DI CAPRIO Ator e ativista do clima que, no ano passado, doou 100 milhões de dólares para combater as mudanças no clima 0.37 0.51 0.61 0.85 1987 1997 2007 2017
  7. 7. MEIO AMBIENTE EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO 7 Créditos:Emsentidohorário,Divulgação,ThomPierce/TheGuardian,ClaudioTavares/ISAereprodução ESPÉCIES EM RISCO DE EXTINÇÃO NO BRASIL Fonte: ICMBio CONSERVAÇÃO DAS ESPÉCIES ROBERT CHAN Líder da ONG filipina Palawan, referência internacional em pesquisa e conservação de espécies marinhas ZHANG XINSHENG Presidente da União Internacional para a Conservação da Natureza, que lançou uma aliança global para cidades verdes ADRIANA RAMOS Coordenadora do Instituto Socioambiental e uma das principais críticas ao programa ambiental do atual governo DENER GIOVANINI Coordenador-geral da ONG Renctas, que ganhou status de consultora especial do conselho de desenvolvimento econômico e social da ONU POR QUE OBSERVAR Nos dez últimos anos, o número de animais em risco de extinção no Brasil quase dobrou. O QUE ESPERAR A implementação da Estratégia Nacional para a Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção, lançada em novembro passado e que prevê incentivos para a proteção da fauna. ENTRE AS ESPÉCIES AMEAÇADAS ESTÃO: 2018 2008 627 1.173 233 A V E S 110 M A M Í F E R O S 408 P E I X E S
  8. 8. MEIO AMBIENTE EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO 8 Créditos:Emsentidohorário,OceanConservancy,AlexandreDeBrabant,HuffPosteDivulgaçãoSurfrider COMBATE À POLUIÇÃO DOS OCEANOS POR QUE OBSERVAR Uma expedição de cientistas revelou que o depósito de lixo oceânico entre a Califórnia e o Havaí é 16 vezes maior do que se calculava até então. O QUE ESPERAR Uma intensificação do “efeito canudinho”, já que gigantes da indústria de alimentos, como Nestlé, PepsiCo e Unilever, anunciaram a redução de plástico em suas embalagens. SYLVIA EARLE Oceanógrafa que, no ano passado, lançou o livro A Terra É Azul, chamando a atenção para o impacto da extração e da exploração marítimas GEORGE LEONARD Cientista da ONG Ocean Conservancy, um dos responsáveis pela pesquisa sobre a mancha de lixo no Oceano Pacífico NATALIE UNTERSTELL Ativista do meio ambiente, foi a única brasileira na maior expedição feminina pela Antártida, que ocorreu no início de 2019 CHAD NELSEN Diretor da Surfrider Foundation, que acaba de lançar a campanha Stand Up for Clean Water, pelo combate à poluição da água Fontes: The New York Times e G1 É a quantidade de plástico depositada no Oceano Pacífico 87 MIL TONELADAS
  9. 9. MEIO AMBIENTE EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO 9 Créditos:Emsentidohorário,Reprodução/TVCultura,IpamAmazônia,DiegoPeres/SecomeThomasHaugersveen ÁREA DESMATADA* (em milhares de km quadrados) Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais COMBATE AO DESMATAMENTO ANDRÉ GUIMARÃES Presidente do Conselho Diretor da ONG Imazon, que lança boletins mensais sobre a evolução do desmatamento RICARDO SALLES Ministro do Meio Ambiente, defende a simplificação das leis ambientais para projetos de baixo impacto WILSON LIMA Governador do Amazonas, é favorável ao projeto de recuperação da BR-319, que, segundo ambientalistas, pode acelerar o desmatamento ERNA SOLBERG Primeira-ministra da Noruega, que ameaçou diminuir repasses ao Fundo Amazônia caso o Brasil não freie o ritmo do desmatamento POR QUE OBSERVAR Entre julho de 2017 e agosto de 2018, foi registrado o maior aumento no desmatamento da Amazônia em dez anos: 13,7%. O QUE ESPERAR Como as autoridades ambientais têm levantado dúvidas sobre os dados, ambientalistas temem que os controles da derrubada sejam relativizados. * A medição é feita de julho a agosto 6.2 6.97.8 7.9 2015 2016 2017 2018
  10. 10. MEIO AMBIENTE EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO 10 Créditos:Emsentidohorário,DivulgaçãoKlabin,Folhapress,ThomPierce/TheGuardianeDivulgação/Greepeace PREVENÇÃO DE DESASTRES SOCIOAMBIENTAIS POR QUE OBSERVAR Em intervalo de menos de quatro anos, o Brasil enfrentou dois desastres socioambientais envolvendo as barragens de Minas Gerais. O QUE ESPERAR Mais rigor na fiscalização de empresas de mineração como a Vale, responsável pela barragem de Brumadinho e controladora da Samarco, pivô da tragédia em Mariana. MALU RIBEIRO Especialista em recursos hídricos do SOS Mata Atlântica, que iniciou estudos de impacto de Brumadinho no Rio Paraopeba FABIO SCHVARTSMAN Presidente da mineradora Vale durante a tragédia socioambiental de Brumadinho, em janeiro, que provocou mais de 160 mortes MARIA DO SOCORRO Quilombola que foi destaque no The Guardian por lutar contra a degradação ambiental depois do vazamento de resíduos en uma das maiores refinarias de alumínio do mundo MARCIO ASTRINI Coordenador de políticas públicas do Greenpeace Brasil, que lançou uma campanha chamando a atenção para os riscos das barragens de mineração Fonte: Agência Nacional de Águas é o percentual das mais de 24 mil barragens brasileiras que foram vistoriadas em 2017 3 é o número de barragens consideradas de alto risco no país 723
  11. 11. 11 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário, PANORAMA MUNDIAL GRUPOS IDENTITÁRIOSAlguns carecem de visibilidade; outros, de proteção. A defesa dos direitos de grupos marginalizados é uma batalha que cruza as barreiras do tempo – e em 2019 os desafios não são poucos
  12. 12. GRUPOS IDENTITÁRIOS 12 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,ACNUDH,HuffPost,GettyImageseDivulgação/ViviBacco MORTES DE PESSOAS TRANS SEM RELATO NA IMPRENSA* Fontes: Associação Nacional de Travestis e Transexuais do Brasil, Human Rights Watch e Instituto Brasileiro Trans de Educação VISIBILIDADE TRANS AMARA MOIRA Escritora, doutora em literatura e ativista da visibilidade trans que relançou seu livro de memórias no ano passado VICTOR MADRIGAL-BORLOZ Jurista porto-riquenho, é especialista independente das Nações Unidas para o período 2018-2021 DANIELA VEGA Atriz trans chilena que protagonizou Uma Mulher Fantástica, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro LINN DA QUEBRADA Atriz e cantora trans brasileira que venceu o prêmio Profissionais da Música 2018 POR QUE OBSERVAR No ano passado, o STF determinou que pessoas transexuais e transgêneros podem mudar o nome no registro civil mesmo sem cirurgia de redesignação. O QUE ESPERAR Mais reconhecimento no mercado de trabalho. Recentemente, empresas como C&A e Carrefour ampliaram a contratação e integração de pessoas trans. * em relação ao total de mortes é o percentual de pessoas trans ou travestis que recorrem à prostituição – um sinal de que o mercado de trabalho ainda está pouco aberto a essa população, uma das mais vulneráveis da comunidade LGBT+. 90 27% 19% 2017 2018
  13. 13. GRUPOS IDENTITÁRIOS 13 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,Folhapress,Reprodução/Facebook,MarceloCamarago/AgênciaBrasileFolhapress INVESTIMENTO EM POLÍTICAS DE DEFESA DA CULTURA INDÍGENA (em reais por índio) Fonte: Aos Fatos com dados do Senado Federal SÔNIA GUAJAJARA Coordenadora da Articulação dos Povos Indígenas no Brasil e candidata à vice- presidência em 2018 JOÊNIA WAPICHANA Primeira deputada federal indígena eleita no Brasil e ganhadora do Prêmio de Direitos Humanos da ONU TEREZA CRISTINA Ministra da Agricultura, órgão que, a partir de agora, fica responsável pela demarcação de terras FRANKLIMBERG RIBEIRO DE FREITAS General da reserva e novo presidente da Fundação Nacional do Índio* De janeiro a setembro VALORIZAÇÃO DA CULTURA INDÍGENA POR QUE OBSERVAR A partir de 2019, a demarcação de terras indígenas, antes feita pela Funai, passa para o Ministério da Agricultura, sob supervisão de um conselho interministerial. O QUE ESPERAR Uma revisão da política de investimentos para a conservação e fomento da cultura de povos tradicionais brasileiros. 11.6* 33.1 60.8 2012 2016 2017
  14. 14. GRUPOS IDENTITÁRIOS 14 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,Migration.org,LucasLima/UOL,FelipeCotrimeDivulgação Fontes: IBGE e G1 DJAMILA RIBEIRO Filósofa e ativista sobre questões étnico-raciais, é autora de Quem Tem Medo do Feminismo Negro TENDAYI ACHIUME Relatora da ONU sobre racismo que denunciou mortes de minorias étnicas por policiais no Reino Unido FERNANDO HOLIDAY Vereador que protocolou um projeto para derrubar as cotas para negros nos concursos para servidores municipais em São Paulo NÁTALY NERI YouTuber com quase 500 mil seguidores, a estudante de ciências sociais fala da representatividade negra na mídia brasileira AÇÕES AFIRMATIVAS PARA COMBATER O RACISMO POR QUE OBSERVAR Desde 2012, quando começa a base histórica do IBGE, a diferença salarial entre negros e brancos não se alterou no Brasil. O QUE ESPERAR Mais ações como a da USP, principal universidade brasileira, que em 2018 inaugurou sua política de cotas raciais atreladas à inclusão de alunos de baixa renda. SALÁRIO MÉDIO* (em reais) * Em 2017 2.697 1.543 1.526 BRANCOS PARDOS PRETOS
  15. 15. GRUPOS IDENTITÁRIOS 15 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,ReproduçãoInstagram,CarolineLima,DivulgaçãoeAstraeaLesbianFoundationforJustice 3.1 1.6 1.3 0.9 0.7 ÁFRICA AMÉRICAS OCEANIA ÁSIA EUROPA CRIMES DE FEMINICÍDIO* (a cada 100 mil mulheres) Fontes: Escritório das Nações Unidas Contra a Droga e o Crime e G1 REDUÇÃO DO FEMINICÍDIO JACIRA MELO Diretora do Instituto Patrícia Galvão, que lançou a plataforma Violência contra as Mulheres em Dados, que reúne pesquisas e estudos NADIA MURAD Refugiada iraquiana da minoria yazidi, ganhou o prêmio Nobel da Paz de 2018 por seus esforços na luta contra a violência sexual EUGÊNIA VILLA Delegada que criou o app Salve Maria, para denunciar agressões, que ganhou o prêmio E-Gov em 2018 CYNTHIA ROTHSCHILD Ativista e escritora, foi relatora da ONU sobre discriminação e violência por orientação sexual e identidade de gênero POR QUE OBSERVAR A cada hora, 6 mulheres morrem no mundo vítimas de feminicídio. Em quase 60% dos casos, o agressor é um companheiro atual, ex-marido ou familiar. O QUE ESPERAR Com a sanção, em 2018, de uma lei que aumenta a pena de feminicídio caso o autor tenha violado medidas protetivas, a sociedade brasileira aguarda mais rigor na punição. * Em 2017
  16. 16. 16 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário, PANORAMA MUNDIAL SAÚDEPassado e futuro se misturam nas causas que vão movimentar a saúde – uma prova de que velhos problemas podem voltar e de que novos dilemas deverão ganhar força à medida que a ciência avança
  17. 17. SAÚDE 17 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,ResearchGate,Reprodução/Facebook,ReproduçãoTwittereNewsBA COBERTURA VACINAL CONTRA A POLIOMIELITE* IMUNIZAÇÃO INFANTIL JUDY WILYMAN Ativista antivacina australiana, que relaciona a vacinação ao autismo TARA HAELLE Autora do livro Vaccination Investigation: The History and Science of Vaccines SETH BERKLEY Diretor geral da Global Alliance for Vaccines and Immunizations CARLA DOMINGUES Epidemiologista e coordenadora do Programa Nacional de Imunizações POR QUE OBSERVAR Em relatório recente, a Organização Mundial da Saúde apontou que um dos principais desafios para 2019 é frear o movimento antivacina no mundo. O QUE ESPERAR Mais esforços para combater notícias falsas sobre o tema e o aumento da cobertura vacinal no Brasil, que registra os índices mais baixos em mais de 15 anos. * Em crianças menores de 1 ano 98% 84% 77% 2015 2016 2017 Fonte: Organização Mundial da Saúde
  18. 18. SAÚDE 18 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,HuffPostBrasil,ReproduçãoPSDB,FolhaPresseReproduçãoUnifesp Fontes: BBC, Coherent Market Insights e European Pharmaceutical Review WILLIAM DIB Diretor-presidente da Anvisa, que regulamenta a importação e a produção nacional de remédios MARGARETE BRITO Coordenadora da Associação de Apoio à Pesquisa e Pacientes de Cannabis Medicinal HAYNE FELIPE DA SILVA Coordenador do Grupo de Trabalho Cannabis Medicinal da Fiocruz, que faz pesquisas sobre aplicações da planta ELISALDO CARLINI Professor emérito da Unifesp que estuda os efeitos medicinais da maconha há 50 anos MACONHA PARA USO MEDICINAL MERCADO GLOBAL DA MACONHA MEDICINAL (em bilhões de dólares) POR QUE OBSERVAR Em 2018, Nova Zelândia, Tailândia e Reino Unido permitiram o uso da maconha em tratamentos. Aqui, a Anvisa incluiu a cannabis na lista de plantas medicinais. O QUE ESPERAR Mais pressão para que os países revejam seus sistemas regulatórios e definam regras claras sobre os limites entre uso recreativo e medicinal da maconha. é o crescimento médio anual do mercado projetado para os próximos 6 anos 24,4 * Estimativa 2025 2017 3.5 20.1*
  19. 19. SAÚDE 19 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,AnthonyKwanBloomberg,Eva-MariaDiehl,USPimagenseDivulgaçação Fontes: Associated Press e Estadão HE JIANKUI Cientista chinês que diz ter editado genes de bebês e que, segundo o The New York Times, está sob custódia na cidade de Schenzen BIOÉTICA é o custo atual estimado de um exame de mapeamento completo do DNA segundo Michael Snyder, da Escola de Medicina de Stanford. No começo dos anos 2000, um exame assim custava 200 vezes mais 500DÓLARES POR QUE OBSERVAR No fim de 2018, a comunidade científica foi surpreendida com o anúncio de que um pesquisador chinês teria editado os genes de bebês, o que não foi confirmado. O QUE ESPERAR Mais discussões sobre o limite ético para técnicas de edição genética que teriam o poder de prevenir doenças hereditárias e até a infecção por vírus. EMMANUELLE CHARPENTIER Cocriadora da técnica de edição genética Crispr-Cas9 e ganhadora do Prêmio Kavli, por suas pesquisas MAYANA ZATZ Diretora do Centro de Estudos do Genoma Humano da USP PAUL ROOT WOLPE Bioeticista-chefe da Nasa e voz atuante no debate internacional sobre o tema
  20. 20. SAÚDE 20 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,ThomasRamstorfer,RenatoMirandaTVGlobo,ReproduçãoRevistaGenieDivulgaçãoIAS Fonte: Ministério da Saúde PREVENÇÃO DA AIDS ENTRE JOVENS POR QUE OBSERVAR A taxa de detecção de aids em homens jovens aumentou em todas as faixas etárias até 29 anos entre 2007 e 2017. O QUE ESPERAR Mais esforços de prevenção para os grupos mais atingidos: homens que fazem sexo com homens, pessoas trans, profissionais da prostituição, usuários de drogas e população carcerária. DETECÇÃO DE AIDS ENTRE HOMENS (a cada 100 mil) CONCHITA WURST Cantora e ativista da causa LGBT+ que revelou o diagnóstico positivo de HIV LINDA-GAIL BEKKER Presidente da Sociedade Internacional de Aids GLÓRIA MARIA Embaixadora da Boa Vontade do Unaids, o programa da ONU para combate à aids RICARDO VASCONCELOS Coordenador médico do Projeto PrEP Brasil 3 15,6 36,2 38,2 50,9 7 2007 15 A 19 ANOS 20 A 24 ANOS 25 A 29 ANOS 2017 2007 20072017 2017
  21. 21. SAÚDE 21 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,ReproduçãoFacebook,ReproduçãoFacebook,ReproduçãoFacebookeGettyImages Fontes: ANS, Banco Mundial, INSS, Folha de S. Paulo e Mental Health Atlas/OMS SAÚDE MENTAL AUXÍLIOS-DOENÇA POR SAÚDE MENTAL NO BRASIL (em % do total) POR QUE OBSERVAR Segundo a Organização Mundial da Saúde, até 2020, a depressão – que atinge mais de 320 milhões de pessoas – será a doença mais incapacitante do mundo. O QUE ESPERAR Mais investimento em países de renda baixa ou média baixa, onde o gasto do governo com saúde mental não passa de 1 dólar. * até setembro 5.2* 3.62008 2018 CONSULTAS PSIQUIÁTRICAS COBERTAS POR CONVÊNIO MÉDICO (em milhões) 2,9 4,5 2002 2017 ANDREW SOLOMON Escritor do best-seller O Demônio do Meio-Dia, sobre sua experiência como paciente de depressão DEMI LOVATO Cantora e embaixadora para o tema de saúde mental da organização americana Global Citizen CHRISTIAN DUNKER Psicanalista que lançou a coletânea Patologias do Social, com ensaios sobre depressão e bipolaridade LUIZ HENRIQUE MANDETTA Ministro da Saúde, lançou a nova Política Nacional de Saúde Mental, criticada por especialistas da área
  22. 22. 22 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário, PANORAMA MUNDIAL TECNOLOGIA O avanço tecnológico será um dos grandes responsáveis pelo debate ético dos próximos anos. Em 2019, questões regulatórias e aplicações de impacto social estarão no centro das discussões no Brasil e no mundo
  23. 23. TECNOLOGIA 23 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,TheCeoMagazine,Divulgação,ReproduçãoStanfordCyberLaweBrendanMcDermid Fonte: Allied Market Research/Forbes DARA KHOSROWSHAHI CEO da Uber, que virou notícia ao causar a morte de um pedestre durante testes de carros autônomos ELON MUSK CEO da americana Tesla, a empresa com planos mais claros de lançamento de utilitários autônomos BRYANT WALKER SMITH Especialista em regulamentação que chama a atenção para os riscos dos carros autônomos JOHN KRAFCIK CEO da Waymo, a empresa do conglomerado Alphabet para desenvolvimento de carros autônomos MOBILIDADE AUTÔNOMA POR QUE OBSERVAR Até o fim de 2019, os carros da americana Tesla não vão mais precisar de assistência humana, segundo o CEO Elon Musk – e empresas como Uber e Google já testam seus modelos nos EUA. O QUE ESPERAR Mais debate sobre as regras de segurança e regulamentação para o uso de carros autônomos para transporte de pessoas. é quanto o mercado de veículos autônomos deve crescer anualmente de 2019 a 2026 39,4
  24. 24. TECNOLOGIA 24 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,Markers.com,JohnnyGuatto,ReproduçãoTwittereKatePeters MERCADO GLOBAL DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL (em bilhões de dólares) Fontes: Gartner e Dinheiro Vivo REGULAMENTAÇÃO DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL GEOFFREY HINTON Diretor do Brain Team da Google em Toronto, que conduz pesquisas para dar escala à tecnologia FEI-FEI LI Diretora do laboratório de Inteligência Artificial da Universidade de Stanford e fundadora da ONG AI4All MADY DELVAUX Deputada da Comissão Europeia que propôs ao Parlamento Europeu a regulamentação da inteligência artificial KARL FRISTON Neurocientista da University College London que faz estudos de mapeamento do cérebro e é referência em consciência artificial * Previsão POR QUE OBSERVAR Desde 2017, deputados da União Europeia vêm discutindo o modelo ideal de regulamentação para robótica e inteligência artificial. O QUE ESPERAR Um crescimento exponencial do mercado de IA, tanto para empresas como para uso pessoal, e mais discussões sobre aspectos éticos como o viés inconsciente da tecnologia. 20252023202120192017 89,8* 53,2* 25,9* 11,2* 4,8
  25. 25. TECNOLOGIA 25 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO rCréditos:Emsentidohorário,GrupoBCC,ReproduçãoTwitter,SANSInstituteeReproduçãoLeadingAuthorities Fonte: Gartner KATIE MOUSSOURIS Especialista em vulnerabilidade digital, foi eleita pela Forbes uma das 50 mulheres de destaque na tecnologia em 2018 KEVIN MITNICK Consultor de empresas como IBM e Dell que esteve recentemente no Brazil Cyber Defence, maior evento sobre o tema no país ALAN PALLER Fundador do Instituto SANS, uma escola de segurança cibernética que treina mais de 42 mil pessoas por ano nos Estados Unidos MIKKO HYPPONEN Especialista em segurança digital, é considerado uma das 50 pessoas mais influentes na web pela revista PC World PROTEÇÃO DE DADOS GASTO GLOBAL COM SEGURANÇA DE DADOS (em bilhões de dólares) POR QUE OBSERVAR A revelação de que o uso indevido de dados pessoais capturados em redes sociais influenciou eleições pelo mundo deu o que falar em 2018. O QUE ESPERAR Com a sanção da Lei Geral de Proteção de Dados, empresas que atuam no Brasil têm até o início de 2020 para criar processos mais transparentes sobre a coleta e uso de dados. * Estimativa 124*114 101,5 2017 2018 2019
  26. 26. TECNOLOGIA 26 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,Divulgação,ITUPictures,Divulgação,ReproduçãoTwitter DOMICÍLIOS COM ACESSO À INTERNET NO BRASIL* (em %) Fonte: TIC Domicílios/Comitê Gestor da Internet HOULIN ZHAO Secretário-Geral da União Internacional de Telecomunicações e uma das principais vozes pela popularização do acesso RENATA ABREU Deputada federal que em 2015 propôs o projeto de lei (recentemente arquivado) para tornar o acesso à internet um direito universal SONIA JORGE Diretora executiva da Alliance for Affordable Internet, que publicou um relatório analisando a acessibilidade da internet no mundo MARINA PITA Membro do conselho diretor do coletivo Intervozes, que escreveu recentemente um estudo sobre as violações ao direito de acesso à internet ACESSO À INTERNET POR QUE OBSERVAR No início de 2019, a Câmara dos Deputados arquivou um projeto de lei que tornava o acesso universal à internet direito fundamental garantido pela Constituição. O QUE ESPERAR Menos celeridade do poder público para garantir acesso à rede, algo que a ONU já considera um direito universal desde 2011. * em 2017 é a parcela de domicílios brasileiros sem nenhum tipo de acesso à internet* 39 99 93 30CLASSES D & E CLASSE B CLASSE A
  27. 27. 27 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário, PANORAMA MUNDIAL MANIFESTAÇÕES CULTURAISMais acesso, mais liberdade, mais preservação. As artes são a grande via de expressão de causas sociais – e em 2019 será preciso evitar retrocessos para que suas provocações cheguem a mais gente
  28. 28. MANIFESTAÇÕES CULTURAIS 28 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,MauroVieira/Minist.daCidadania,LeonardoPrado/Câm.dosDeputados,ReproduçãoInstagrameAdrianaLorete SETORES QUE MAIS MOVIMENTAM RECURSOS* (em bilhões de reais) Fontes: FGV e Ministério da Cultura DEFESA DOS MECANISMOS DE INCENTIVO * Via Lei Rouanet desde 1991 POR QUE OBSERVAR Um relatório da FGV mostrou que, a cada 1 real investido em cultura via lei de incentivo, 1,59 real retorna para a economia. O QUE ESPERAR Em campanha, o presidente Jair Bolsonaro prometeu rever o mecanismo da Lei Rouanet – mas ainda não disse exatamente o que deve propor. HENILTON MENEZES Autor do livro A Lei Rouanet Muito Além dos (F)atos, que defende que o fim da Lei Rouanet traria um prejuízo irreparável para o país HENRIQUE MEDEIROS PIRES Titular da Secretaria Especial da Cultura, antigo Ministério da Cultura, hoje atrelado à pasta da Cidadania FERNANDA MONTENEGRO Atriz que defendeu publicamente a classe artística e os incentivos da Lei Rouanet ao longo do ano LUIZ GUSTAVO BARBOSA Professor da FGV que coordenou um estudo sobre o impacto da Lei Rouanet em seus 27 anos de história 5 5 10,4 11,8 12,1 MUSEU ARTES CÊNICAS MÚSICA ARTES VISUAIS AUDIOVISUAL
  29. 29. MANIFESTAÇÕES CULTURAIS 29 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,MoreiraMariz/AgênciaSenado,PressPhotoAgency,Art21eCeftus.org DANÇA Fonte: The State of Artistic Freedom/FreeMuse AI WEIWEI Artista que denuncia a repressão artística na China cuja primeira exposição no Brasil estreou em 2018, em São Paulo MAGNO MALTA Ex-senador do Espírito Santo, foi autor de um projeto de lei que proibia a presença de crianças e adolescentes em eventos com nudez TANIA BRUGUERA Artista cubana presa após protestar contra um decreto que proibia a apresentação de obras sem a autorização do governo SARA WHYATT Especialista em advocacy e liberdade de expressão que se tornou relatora independente da Unesco em 2018 LIBERDADE DE EXPRESSÃO ARTÍSTICA OBRAS CENSURADAS NO MUNDO* * em 2017 POR QUE OBSERVAR A censura prévia aos espetáculos O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu e do coletivo És Uma Maluca gerou reações da sociedade e dos artistas. O QUE ESPERAR Mais rigidez nas autorizações para apresentações em espaços públicos. Já tramita no Congresso um projeto de lei que limita a nudez em espetáculos. LITERATURA MÚSICA ARTES VISUAIS FILMES TEATRO 46 202 110 131 52 12
  30. 30. MANIFESTAÇÕES CULTURAIS 30 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,AgênciaBrasil,MarceloCorrêa,AgênciaBrasil,JanineMoraes/MinC Fontes: G1, Estadão e Portal da Transparência SÉRGIO MAMBERTI Ex-presidente da Fundação Nacional de Artes que denunciou a falta de recursos para preservação OSMAR TERRA Ministro da Cidadania, que anunciou a criação de um grupo técnico para mapear riscos ao patrimônio cultural CRISTINA MENEGAZZI Especialista italiana, PhD em Gestão de Risco do Patrimônio Cultural e chefe da Missão de Emergência da Unesco para o Museu Nacional KÁTIA BOGÉA Presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, que afirmou que o desastre no Museu Nacional era uma “morte anunciada” PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO ORÇAMENTO DO MUSEU NACIONAL (em reais) * em 2017 POR QUE OBSERVAR O incêndio que destruiu o Museu Nacional no Rio de Janeiro levantou um debate sobre o descaso com a conservação da memória brasileira. O QUE ESPERAR Como o Ministério da Cultura foi rebaixado ao status de Secretaria Especial, há mais dúvidas do que certezas no ar. Verbas e programas ainda têm destino incerto. É o quanto o orçamento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional representou nos gastos públicos em 2017 0,01 500 MIL 54 MIL 2013 2018
  31. 31. MANIFESTAÇÕES CULTURAIS 31 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,DanielaDacorso/OGlobo,Divulgação,CartaCapitaleThiagoBarros 52,6 60,3 662013 2015 2017 Fontes: Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, Instituto Pró-Livro e Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas PAULO CÉSAR MARCIANO Produtor cultural que fundou, em 2018, a Editora & Gráfica Heliópolis, para publicar autores da região MARCOS PEREIRA Presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros, participou da elaboração do projeto que propõe um preço fixo do livro no Brasil SÉRGIO VAZ Criador do Sarau da Cooperifa que recebeu no ano passado o prêmio Santo Dias em reconhecimento à sua trajetória de incentivo à leitura JULIO SILVEIRA Fundador da editora Casa da Palavra, é opositor da ideia do preço fixo do livro por entender que o problema é a falta de incentivo à leitura APOIO À LEITURA LIVRARIAS E PAPELARIAS NO BRASIL (em milhares) POR QUE OBSERVAR No ano passado, duas das principais redes de livrarias do Brasil, a Saraiva e a Cultura, pediram recuperação judicial e anunciaram o fechamento de lojas. O QUE ESPERAR Como o Brasil tem apenas uma biblioteca pública para cada 34,5 mil habitantes, a crise no mercado editorial pode restringir o acesso a livros. * em 2017 é o percentual de brasileiros que não têm o hábito de ler livros 44
  32. 32. MANIFESTAÇÕES CULTURAIS 32 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,ReproduçãoFacebook,ReproduçãoInstagram,DivulgaçãoeAFPGettyImages Fonte: Quartz BEYONCÉ Cantora americana e primeira mulher negra a figurar entre as apresentações principais do Festival Coachella SPIKE LEE Cineasta e ativista conhecido por retratar temas raciais, foi indicado ao Oscar de Melhor Direção pelo filme Infiltrado na Klan CARDI B Cantora nova-iorquina e primeira mulher a ganhar o prêmio de Melhor Álbum de Rap no Grammy CHILDISH GAMBINO Cantor americano, fez história ao ser o primeiro rapper a ganhar o prêmio de Música do Ano no Grammy REPRESENTATIVIDADE RACIAL NAS ARTES POR QUE OBSERVAR Pantera Negra, obra com protagonistas negros que virou símbolo de representatividade, é a primeira história de super- heróis a disputar o Oscar de Melhor Filme. O QUE ESPERAR Mais visibilidade a obras que tocam na temática racial — a exemplo de outros indicados ao Oscar, como Infiltrado na Klan e Green Book: O Guia — e álbuns de cantores negros. Foi o tempo necessário para Pantera Negra superar a marca de 1 bilhão de dólares em bilheteria. Na oitava semana de exibição, o filme já era a décima maior bilheteria da história e havia ultrapassado a arrecadação de Titanic nos EUA QUATRO S E M A N A S
  33. 33. 33 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário, PANORAMA MUNDIAL PANORAMA NACIONALA estreia de um novo governo traz a expectativa por reformas estruturais. Mas a volta de ameaças do passado e o agravamento da crise em um de nossos vizinhos trazem novos desafios ao país
  34. 34. PANORAMA NACIONAL 34 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,DidaSampaio/EstadãoConteúdo,Divulgação,DivulgaçãoeAgênciaLUSA Fontes: Conare e ONU CRISE MIGRATÓRIA SOLICITAÇÕES DE REFÚGIO NO BRASIL (em milhares) POR QUE OBSERVAR Com a crise sociopolítica na Venezuela, só nos primeiros 7 meses de 2018, o Brasil bateu o recorde de pedidos de refúgio de estrangeiros: quase 42 mil. O QUE ESPERAR Mais apoio a Roraima, a principal porta de entrada de migrantes. Só na capital, Boa Vista, mais de 10% da população é de venezuelanos. * de janeiro a julho ANTONIO DENARIUM Governador de Roraima que prorrogou a Operação Acolhida, para imigrantes venezuelanos ERNESTO ARAÚJO Ministro das Relações Exteriores, é a principal figura da diplomacia brasileira FERNANDO AZEVEDO E SILVA Ministro da Defesa, é quem coordena as ações de ajuda humanitária à Venezuela JUAN GUAIDÓ Opositor de Nicolás Maduro que já é reconhecido por mais de 40 países como presidente da Venezuela é o total de migrantes e refugiados venezuelanos estimado até o fim de 2019 pela ONU. Em novembro de 2018, uma média de 500 venezuelanos entravam por dia no Brasil. 5,3M I L H Õ E S 2016 2017 2018 10.3 41.9* 33.8
  35. 35. PANORAMA NACIONAL 35 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,AgeênciaBrasil,FolhaPress,DivulgaçãoeFolhaPress Fontes: Atlas da violência 2018 SEGURANÇA PÚBLICA ASSASSINATOS A CADA 100 MIL HABITANTES NO BRASIL IVAN MARQUES Diretor do Instituto Sou da Paz, que elabora o Ranking de Exposição a Crimes Violentos JAIR BOLSONARO Presidente do Brasil, que fez da flexibilização da posse de armas um dos primeiros atos de seu governo ILONA SZABÓ Mestre em Estudos de Conflito e Paz e diretora executiva do Instituto Igarapé RENATO SÉRGIO DE LIMA Professor da FGV, preside o Fórum Brasileiro de Segurança Pública POR QUE OBSERVAR O Atlas da Violência 2018 mostrou que mais de 62 mil pessoas foram assassinadas no Brasil em 2016 – e 71,5% delas eram pretas e pardas. O QUE ESPERAR Com a flexibilização das regras para a posse de armas, o país deve iniciar um novo debate sobre medidas que inibam – em vez de fomentar – mais violência. 30,3 29,8 29,4 27,8 2010 2012 2014 2016
  36. 36. PANORAMA NACIONAL 36 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,Divulgação,CamilaFontana/Época,ReproduçãoFacebookeDivulgação Fontes: Oxfam Brasil REDUÇÃO DA DESIGUALDADE POPULAÇÃO NA POBREZA* (em % do total) NECA SETUBAL Presidente do conselho da Fundação Tide Setubal, que tem iniciativas para promover a justiça social nas periferias brasileiras CARLOS GÓES Presidente do Instituto Mercado Popular, que elabora sugestões de políticas públicas para a redução da desigualdade RICARDO VÉLEZ RODRÍGUEZ Ministro da Educação e responsável pelas diretrizes do ensino no país KATIA MAIA Socióloga, ex-consultora das Nações Unidas e diretora da ONG Oxfam no Brasil desde 2015 POR QUE OBSERVAR Um relatório da ONG Oxfam mostrou que, pela primeira vez nos últimos 15 anos, a desigualdade de renda voltou a crescer no Brasil. O QUE ESPERAR Um aceno para reformas estruturais, como a tributária, que façam o país voltar a criar empregos formais – além de investimentos em educação, para fomentar a produtividade. * que sobrevive com renda diária de até US$1,90, na definição do Banco Mundial é o quanto as mulheres ganham em relação à média salarial dos homens no Brasil em 2017. Um ano antes, a proporção era de 72%. 70 6,5 7,2 2016 2017
  37. 37. PANORAMA NACIONAL 37 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,Divulgação,Divulgação,ArquivopessoaleIgorEstrela/Metrópoles Fontes: Atlas da Violência 2018 e Fórum Brasileiro de Segurança Pública COMBATE AO ASSÉDIO CASOS DE ESTUPRO (em milhares) JULIANA DE FARIA Fundadora do projeto Think Olga e da campanha Chega de Fiu-Fiu, que virou documentário em 2018 MARIA DA PENHA Ativista e uma das principais representantes do combate à violência doméstica e familiar no Brasil RAQUEL MARQUES Presidente da ONG Artemis, que lançou a campanha #tambéméviolência para falar das agressões que passam despercebidas KARLA FERNANDES Delegada responsável pela força-tarefa que culminou na prisão do líder espiritual João de Deus, acusado de violência sexual POR QUE OBSERVAR Uma onda de denúncias contra o líder espiritual João de Deus e o aumento das denúncias de estupro fizeram o debate sobre o tema se intensificar no último ano. O QUE ESPERAR Mais preparo das autoridades para lidar com as vítimas, que muitas vezes deixam de denunciar por medo ou por preconceito. é o percentual de vítimas de até 13 anos em relação ao total de notificações ao SUS em 2016 50,9 49.4 47.4 2015 2016
  38. 38. PANORAMA NACIONAL 38 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,LulaMarques/PT,NathanD’Ornelas_Divulgação,CGU,PedrodeOliveira/ALEP Fontes: GloboNews e Transparência Internacional COMBATE À CORRUPÇÃO POSIÇÃO DO BRASIL NO RANKING DA CORRUPÇÃO* LUIZ ANTONIO BONAT JuIz que assumirá as investigações da Operação Lava Jato em Curitiba depois da saída de Sérgio Moro e de um período de substituição SÉRGIO MORO Ministro da Justiça e Segurança Pública, que incluiu medidas de combate à corrupção no recém- proposto pacote anticrime WAGNER DE CAMPOS ROSÁRIO Ministro da Controladoria- Geral da União, responsável por garantir a transparência na gestão pública DELTAN MARTINAZZO DALLAGNOL Procurador federal que ganhou notoriedade ao coordenar a Operação Lava Jato em Curitiba POR QUE OBSERVAR Em sua campanha à presidência, Jair Bolsonaro fez dessa uma das suas principais bandeiras, gerando altas expectativas na população. O QUE ESPERAR Ações concretas do novo ministro da Justiça, Sérgio Moro, que se tornou figura pública depois de responder, na primeira instância, pelos processos da Lava Jato. * o levantamento é feito anualmente e leva em consideração a percepção da corrupção. Quanto melhor a posição, melhor é a percepção. é o volume de dinheiro envolvido nas investigações de corrupção feitas pela Polícia Federal entre 2014 e 2017 48B I L H Õ E S 79º 2016 2017 2018 96º 105º
  39. 39. PANORAMA NACIONAL 39 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário,AndréValentim/VEJA,SérgioLima/Poder360°,ForçaSindicaleGustavoLima/CâmaradosDeputadods Fonte: Governo Federal REFORMA DA PREVIDÊNCIA DÉFICIT DA PREVIDÊNCIA SOCIAL (em bilhões de reais) ONYX LORENZONI Ministro da Casa Civil, responsável por negociar a reforma no Congresso PAULO GUEDES Ministro da Economia e grande arquiteto da reforma da previdência MIGUEL TORRES Presidente da Força Sindical, crítica à reforma de Guedes RODRIGO MAIA Presidente da Câmara dos Deputados POR QUE OBSERVAR Embora seja urgente para a saúde das contas públicas, a medida é impopular e deve mexer com temas espinhosos como idade mínima e aposentadoria dos militares. O QUE ESPERAR Ainda no primeiro trimestre, a proposta do governo deve ser apresentada – só então começam as negociações para a tramitação no Congresso. * Estimativa 308* 291,6 2018 2019
  40. 40. 40 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário, PANORAMA MUNDIAL PANORAMA GLOBALUma nova onda de nacionalismo vem ganhando força – e a guerra de informações falsas enfraquece a liberdade de expressão. O ano de 2019 será de teste para as democracias pelo mundo
  41. 41. 41 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO 41PANORAMA MUNDIAL Créditos:Emsentidohorário,Reuters,GettyImages,ReproduçãoForbeseValeryHache/AFP PRINCIPAIS PAÍSES DE ORIGEM* PAÍSES QUE MAIS RECEBERAM MIGRANTES* Fonte: Acnur * em 2017 3,7 MILHÕES 1,4 MILHÃO 1,4 MILHÃO UGANDAPAQUISTÃOTURQUIA 6,3 MILHÕES Síria 2,6 MILHÕES Afeganistão 2,4 MILHÕES Sudão do Sul CRISE DE REFUGIADOS POR QUE OBSERVAR O ano de 2017 bateu o recorde histórico de pessoas forçadas a deixar suas casas no mundo todo: 68,5 milhões. O QUE ESPERAR Uma dificuldade para estabelecer cooperações globais para o tema, já que países como EUA, Itália, Austrália e Brasil não assinaram o Pacto Mundial para Migrações da ONU. FILIPPO GRANDI Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados, órgão que mantém campos em países em crise MATTEO SALVINI Ministro do Interior da Itália, que recentemente reduziu a ajuda humanitária do país aos migrantes JOSÉPHINE GOUBE Fundadora da ONG Techfugees, que usa a tecnologia para facilitar a vida de refugiados BEN STILLER Ator americano e embaixador da Boa Vontade do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados
  42. 42. 42 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO 42PANORAMA MUNDIAL Créditos:Emsentidohorário,Reuters,Reuters,AFPeNarendraModi Fontes: Departamento de Comércio dos EUA, Folha de S. Paulo e G1 DONALD TRUMP Presidente dos EUA, que tem tomado medidas protecionistas ao longo de seu mandato MULTILATERALISMO É o tamanho do déficit comercial dos EUA com a China em 2017 – um recorde histórico que explica as medidas nacionalistas dos americanos 375BILHÕES POR QUE OBSERVAR A guerra comercial dos EUA com a China e o processo de saída do Reino Unido da União Europeia foram duros golpes ao sistema de cooperação global. O QUE ESPERAR O aumento da pressão por reformas de órgãos que regulam as relações internacionais, como a Organização Mundial do Comércio e o Conselho de Segurança da ONU. THERESA MAY Primeira-ministra do Reino Unido e principal articuladora dos termos de saída da União Europeia KLAUS SCHWAB Engenheiro e Economista alemão que fundou o Fórum Econômico Mundial, que promove o encontro anual de Davos, na Suíça XI JINPING Presidente da China, segunda maior economia global e protagonista do impasse comercial causado pelo protecionismo dos EUA
  43. 43. 43 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO 43PANORAMA MUNDIAL Créditos:Emsentidohorário,Eventpress/Stauffenberg,d4dcoalition.org,ReproduçãoTwitter Fontes: TIME e Repórteres Sem Fronteiras MARIA RESSA Editora do site filipino Rappler, crítico ao governo de Rodrigo Duterte DENIZ YÜCEL Correspondente do jornal alemão Die Welt que ficou um ano preso na Turquia MICHAEL REDISKE Diretor da ONG Repórteres Sem Fronteiras, que relatou o aumento no número de mortes de jornalistas pelo mundo WA LONE E KYAW SOE OO Repórteres da Reuters presos em Myanmar por cobrir o massacre da minoria étnica rohingya* até 1º de dezembro de 2018 20182017 MORTES DE JORNALISTAS PRISÕES DE JORNALISTAS 65 80* 20182017 107 170* LIBERDADE DE IMPRENSA POR QUE OBSERVAR A revista TIME elegeu os jornalistas como personalidades do ano em 2018 em razão das perseguições sofridas pelos profissionais mundo afora. O QUE ESPERAR Uma maior vigilância da sociedade civil a países, governos e regimes que minam a confiança da imprensa, como EUA, Filipinas, Afeganistão, México e Brasil.
  44. 44. 44 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO 44PANORAMA MUNDIAL Créditos:Emsentidohorário,Divulgação,KingsReview,CRF.orgeAS/COA Fontes: Centro de Pesquisas Pew e Folha de S. Paulo DAVID RUNCIMAN Professor de Cambridge e autor de Como a Democracia Chega ao Fim STEVEN LEVITSKY E DANIEL ZIBLATT Professores de Harvard e autores de Como as Democracias Morrem GIDEON ROSE Membro do Council of Foreign Relations e editor da revista Foreign Affairs BRIAN WINTER Editor-chefe da revista Americas Quarterly, que cobre o poder no continente * em 2017 **média dos países % DA POPULAÇÃO QUE CONSIDERA A DEMOCRACIA RUIM* 33% BRASIL 33% AMÉRICA LATINA** 17% MUNDO** 13% EUA FORTALECIMENTO DA DEMOCRACIA POR QUE OBSERVAR O avanço do discurso autoritário em países democráticos, como Áustria, Polônia, EUA e Brasil, aponta para novos desafios ao sistema predominante no mundo ocidental. O QUE ESPERAR Um jogo de forças entre os poderes que equilibram o regime democrático – Executivo, Legislativo e Judiciário.
  45. 45. 45 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO 45PANORAMA MUNDIAL Créditos:Emsentidohorário,FAO,JenniferOlsonBassa,FAOeDivulgação Fontes: FAO, Ifad, OMS, PMA e Unicef é a proporção de adultos obesos no mundo. A taxa cresceu 2 pontos percentuais em 4 anos – e mostra que o desafio da nutrição vai muito além do combate à fome CARLO PETRINI Líder do movimento Slow Food, que incentiva o fortalecimento da agricultura familiar JOSÉ GRAZIANO DA SILVA Diretor-geral da FAO, agência das Nações Unidas para alimentação e agricultura GRAÇA MACHEL Ativista moçambicana que dá nome a um fundo que provê recursos para o combate à fome no continente africano LAURA PAUSINI Cantora italiana e embaixadora das Nações Unidas para o Programa Mundial de Alimentos NUTRIÇÃO POR QUE OBSERVAR Desaceleração econômica, conflitos internos e mudanças climáticas fizeram o número de famintos chegar a 821 milhões em 2018 – terceiro ano de alta. O QUE ESPERAR Um esforço mais concentrado em países da América Latina e da África, regiões onde o problema mais se agravou nos últimos anos. 1 8
  46. 46. 46 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO 46PANORAMA MUNDIAL Créditos:Emsentidohorário,FrancePresse,PrêmioGGM,DivulgaçãoeChrisMcAndrew Fontes: Fórum Econômico Mundial, G1 e Universidade de Warwick LAURA ZOMMER Jornalista e diretora executiva do site de fact-checking Chequeado, da Argentina OLGA YURKOVA Ativista ucraniana e criadora da ONG Stop Fake, que participou recentemente da conferência TED COMBATE ÀS FAKE NEWS POR QUE OBSERVAR A disseminação de notícias falsas foi um dos principais temas do Fórum Econômico Mundial de 2018 – e seus efeitos foram sentidos em eleições de países como México e Brasil. O QUE ESPERAR Maior pressão global para que gigantes da tecnologia - como Facebook, que detém o WhatsApp, Google e Twitter - intensifiquem o combate as notícias falsas. é o total de pessoas que não foram capazes de distinguir imagens falsas em um teste feito por cientistas da Universidade de Warwick, no Reino Unido 40 CRISTINA TARDÁGUILA Diretora da Agência Lupa e autora do livro Você Foi Enganado DAMIAN COLLINS Líder do Comitê do Parlamento Britânico que lançou o relatório Disinformation and Fake News
  47. 47. 47 Na CAUSE, acreditamos que as causas têm o poder de conectar marcas e organizações com o mundo a sua volta. Para nós, as causas fortes são sempre reveladas no ponto de encontro entre propósito da organização e as demandas da sociedade. As 37 causas que você acaba de conhecer são grandesdemandasdomundodehoje.Paraajudara sua organização a atuar com temas tão complexos, a CAUSE conta com uma equipe multidisciplinar formada por profissionais de comunicação, ciência política, gestão pública e antropologia. Conheça os nossos serviços. CONSULTORIA DE CAUSAS ∙∙ Propósito e identidade ∙∙ Arquitetura de causas ∙∙ Marketing relacionado à causa ADVOCACY E COALIZÕES ∙∙ Estratégias de advocacy ∙∙ Formação e gestão de coalizões ENGAJAMENTO E COMUNICAÇÃO ∙∙ Campanhas de causas em múltiplos canais ∙∙ Campanhas de disease awareness ∙∙ Engajamento multistakeholders • Criação de movimentos COMO PODEMOS AJUDAR PROPÓSITO DA ORGANIZAÇÃO DEMANDAS DA SOCIEDADECAUSA
  48. 48. 48 EM QUEM PRESTAR ATENÇÃO Créditos:Emsentidohorário, 48PANORAMA MUNDIAL ENTRE EM CONTATO causeaqui@cause.net.br www.cause.net.br (11) 3479-7150 EXPEDIENTE INICIATIVA Diretoria de Conteúdo e Relações Públicas COORDENAÇÃO GERAL Christian Miguel INDICADORES E CONTEÚDO Nathalia Rocha e Renata Oliveira DIREÇÃO DE ARTE Luciana Fernandes DESIGNER Ana Lobo REVISÃO Maite Casacchi

×