JOSÉ DE ALENCAR IRACEMA Lenda do Ceará
ROMANTISMO Indianismo – origem mítica do brasileiro Valorização da natureza – metáforas em relação a Iracema Sentimentalis...
Narrador  –  3a. pessoa  – ele conta que esta história lhe foi contada Prosa poética – linguagem de tom poético Cena inici...
Narrador passa a narrar a história dos envolvidos na cena “ Que deixara ele na terra do exílio? Uma história que me contar...
Apresentação de  Iracema : “ Iracema, a virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna, e ...
Iracema descansava com sua jandaia Martim aparece Iracema atira uma flecha em sua direção  Quebram a flecha da paz
Iracema descansa – encontro com Martim Ela o leva para a sua tribo -  Tabajara   Caçava e se perdera  de seu amigo, Poti F...
Martim = saudades de sua pátria: “ O cristão contempla o ocaso do sol. A sombra, que desce dos montes e cobre os vale, pen...
Caubi  retorna à sua tribo e leva Martim para o litoral No caminho, são atacados por Irapuã Retorna para sua tribo ao ouvi...
Martim permanece na cabana de Araquém > Irapuã ameaça Martim parte à noite com Iracema em direção ao litoral > transam sob...
Iracema, Martim e Poti vão para o litoral Japi (cão de Poti que será dado a Martim) buscara guerreiros  pitiguaras > ocorr...
Martim sente saudade de sua pátria: “ Quando Iracema brincava pela praia, os olhos do guerreiro retiravam-se dela para se ...
Caubi visita a irmã > Araquém sofria pela  traição Iracema dá à luz Moacir > filho da dor Martim retorna e encontra a espo...
O narrador retoma a cena inicial > Martim abandonando a costa com seu filho e o cão Japi Martim retorna com um padre e por...
<ul><li>Lenda do Ceará – canto da jandaia > a jandaia de  </li></ul><ul><li>Iracema fica a cantar no local de sua cova </l...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

05 iracema 1183555388

2.334 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Turismo
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.334
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
36
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

05 iracema 1183555388

  1. 1. JOSÉ DE ALENCAR IRACEMA Lenda do Ceará
  2. 2. ROMANTISMO Indianismo – origem mítica do brasileiro Valorização da natureza – metáforas em relação a Iracema Sentimentalismo Pátria
  3. 3. Narrador – 3a. pessoa – ele conta que esta história lhe foi contada Prosa poética – linguagem de tom poético Cena inicial > uma jangada abandona a costa cearense – leva um homem ( Martim ) com uma criança ( Moacir ) e um rafeiro (cão) “ Verdes mares bravios de minha terra natal, onde canta a jandaia nas frondes da carnaúba; Verdes mares, que brilhais como líquida esmeralda aos raios do sol nascente, perlongando as alvas praias ensombradas de coqueiros; Serenai, verdes mares, e alisai docemente a vaga impetuosa, para que o barco aventureiro manso resvale à flor das águas. Onde vai a afouta jangada, que deixa rápida a costa cearense, aberta ao fresco terral a grande vela? (...) Um jovem guerreiro cuja tez branca não cora o sangue americano; uma criança e um rafeiro que viram a luz no berço das florestas, e brincam irmãos, filhos ambos da mesma terra selvagem.”
  4. 4. Narrador passa a narrar a história dos envolvidos na cena “ Que deixara ele na terra do exílio? Uma história que me contaram nas lindas várzeas onde nasci, à calada da noite, quando a lua passeava no céu argentando os campos, e a brisa rugitava nos palmares.”
  5. 5. Apresentação de Iracema : “ Iracema, a virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna, e mais longos que seu talhe de palmeira. O favo da jati não era doce como seu sorriso; nem a baunilha recendia no bosque como seu hálito perfumado.”
  6. 6. Iracema descansava com sua jandaia Martim aparece Iracema atira uma flecha em sua direção Quebram a flecha da paz
  7. 7. Iracema descansa – encontro com Martim Ela o leva para a sua tribo - Tabajara Caçava e se perdera de seu amigo, Poti Filha do pajé Araquém Português – vivia com os índios pitiguaras – inimigos do tabajaras Detinha o segredo da jurema Apesar de inimigo , é bem tratado por Araquém > direito a mulheres – menos Iracema: “Estrangeiro, Iracema não pode ser tua serva. É ela que guarda o segredo da jurema ( bebida alucinógena ingerida pelos índios ). ”
  8. 8. Martim = saudades de sua pátria: “ O cristão contempla o ocaso do sol. A sombra, que desce dos montes e cobre os vale, penetra sua alma. Lembra-se do lugar onde nasceu, dos entes queridos que ali deixou.” Martim fala daquela que deixara longe: “ Ela não é mais doce do que Iracema, a virgem dos lábios de mel, nem mais formosa!” Irapuã (chefe guerreiro tabajara) contra a relação porque ele gostava de Iracema > ela o despreza
  9. 9. Caubi retorna à sua tribo e leva Martim para o litoral No caminho, são atacados por Irapuã Retorna para sua tribo ao ouvir a Inúbia ser tocada > sinal de ataque Poti tocara para distrair Irapuã
  10. 10. Martim permanece na cabana de Araquém > Irapuã ameaça Martim parte à noite com Iracema em direção ao litoral > transam sob o efeito de jurema: “Tupã já não tinha sua virgem na terra dos Tabajaras Iracema diz que acompanharia Martim para o litoral
  11. 11. Iracema, Martim e Poti vão para o litoral Japi (cão de Poti que será dado a Martim) buscara guerreiros pitiguaras > ocorre um combate > pitiguaras vencem Iracema engravida de Martim > felicidade (inicialmente) Coatiabo – homem pintado
  12. 12. Martim sente saudade de sua pátria: “ Quando Iracema brincava pela praia, os olhos do guerreiro retiravam-se dela para se estenderem pela imensidade dos mares. Viram umas asas brancas, que adejavam pelos campos azuis. Conheceu o cristão que era uma grande iagara de muitas velas, como construíam seus irmãos; e a saudade da pátria apertou-lhe no seio.” Iracema sofre e permanece só > conflito contra os tabajaras
  13. 13. Caubi visita a irmã > Araquém sofria pela traição Iracema dá à luz Moacir > filho da dor Martim retorna e encontra a esposa prestes a morrer Iracema diz a Martim: Enterra o corpo de tua esposa ao pé do coqueiro que tu amavas. Quando o vento do mar soprar nas folhas, Iracema pensará que é tua voz que fala entre seus cabelos.” Iracema morre
  14. 14. O narrador retoma a cena inicial > Martim abandonando a costa com seu filho e o cão Japi Martim retorna com um padre e portugueses 4 anos mais tarde e funda um povoado > Ceará > canto da jandaia > a passarinha de Iracema permanecera ali cantando
  15. 15. <ul><li>Lenda do Ceará – canto da jandaia > a jandaia de </li></ul><ul><li>Iracema fica a cantar no local de sua cova </li></ul><ul><li>Mistura de raças </li></ul><ul><li>Martim = Coatiabo </li></ul><ul><li>Submissão do índio ao branco </li></ul><ul><li>Colonização do Ceará > Martim retorna com homens e um padre </li></ul><ul><li>Batismo de Poti > Antônio Filipe Camarão </li></ul>

×