EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
Coordenação: Profº Marcos Silva
Tutora a Distância: Profª Eunice de Castro Silva
UNIVERSIDADE DO ESTA...
EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
ANTES E DEPOIS DA CIBERCULTURA
(Lucila Pesce)
Adaptação:Dalton Machado
Maria Azinete de França Machad...
EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
A HISTÓRIA
Seu início deu-se nas proximidades da
década de 40
PRECURSORES
- Fundação do Instituto R...
FUNÇÃO
Proporcionar o conhecimento aos
diferentes seguimentos sociais
(principalmente aos menos favorecidos)
quer seja pe...
METODOLOGIA
Pautada em material impresso.
COMPLEMENTO
Rádio como difusor dos
cursos na EAD
NOVIDADES
Fitas e vídeos cassete em complemento ao
material impresso e rádio.
ANOS DEPOIS...
A evolução seguinte se deu através dos
CDs e DVDs substituindo a fita e o vídeo
cassete.
•OBSERVAÇÕES
Ainda assim predominava a lógica da mídia de
massa nos cursos em EAD, eram pensados a partir de
uma abordagem...
OBSERVAÇÕES
A primeira geração da Internet não
permitia a plena da dialogia digital entre
professores e alunos.
Aos estud...
WEB 2.0
CONSOLIDAÇÃO DA CIBERCULTURA
Com a segunda geração da Internet, a chamada
Web 2.0, é que a cibercultura se consol...
CIBERCULTURA NA WEB 2.0 - USUÁRIO
PRODUTOR
Na cibercultura veiculada na Web 2.0, o usuário
insere-se como produtor e dese...
CIBERCULTURA NA WEB 2.0
CONFIANÇA
Costa (2008) sinaliza o sentimento de
confiança mútua como um dos aspectos
basilares da...
EDUCAÇÃO E CIBERCULTURA
Ao pensar a Educação a partir do advento da
cibercultura, trazemos Valente (1999), que distingue ...
VIRTUALIZAÇÃO DA SALA DE AULA
PRESENCIAL
O professor transfere para o espaço virtual a
mesma dinâmica da aula presencial.
ESTAR JUNTO VIRTUAL
Contempla a dinâmica comunicacional,
que privilegia a mediação do professor junto ao
aluno, por meio ...
REFLEXÕES
Para ampliar a possibilidades de cursos mais dialógicos é preciso vontade
política, onde se privilegie.
 CONTR...
Conclusão:
A cibercultura traz vastas possibilidades para se
repensar as hegemônicas práticas de EAD.
Contudo, além da co...
REFERÊNCIAS
ADORNO, Theodor & HORKHEIMER, Max (1947). Dialética do esclarecimento:
fragmentos filosóficos. Trad. G. A. de...
EQUIPE
Dalton Machado Fernandes
Matrícula: 20081208107
Maria Azinete de França Machado
Matrícula: 20081208207
Samantha Ve...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Educação a distância antes e depois da cyber cultura.

2.738 visualizações

Publicada em

Apresentação motivada pela disciplina Educação a Distância. UERJ / CEDERJ.
Por: Dalton machado, Azinete Machado e Samantha Velberto.
Baseados no texto Educação a Distância entes e depois da cyber cultura de Lucila Pesce.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.738
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
87
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educação a distância antes e depois da cyber cultura.

  1. 1. EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Coordenação: Profº Marcos Silva Tutora a Distância: Profª Eunice de Castro Silva UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE EDUCAÇÃO CONSÓRCIO CEDERJ CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA
  2. 2. EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA ANTES E DEPOIS DA CIBERCULTURA (Lucila Pesce) Adaptação:Dalton Machado Maria Azinete de França Machado Samantha Velberto
  3. 3. EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA A HISTÓRIA Seu início deu-se nas proximidades da década de 40 PRECURSORES - Fundação do Instituto Rádio-Monitor - Instituto Universal Brasileiro - Projeto Minerva
  4. 4. FUNÇÃO Proporcionar o conhecimento aos diferentes seguimentos sociais (principalmente aos menos favorecidos) quer seja pela educação formal ou não formal.
  5. 5. METODOLOGIA Pautada em material impresso. COMPLEMENTO Rádio como difusor dos cursos na EAD
  6. 6. NOVIDADES Fitas e vídeos cassete em complemento ao material impresso e rádio.
  7. 7. ANOS DEPOIS... A evolução seguinte se deu através dos CDs e DVDs substituindo a fita e o vídeo cassete.
  8. 8. •OBSERVAÇÕES Ainda assim predominava a lógica da mídia de massa nos cursos em EAD, eram pensados a partir de uma abordagem instrucionista, em que o aluno seguia seu percurso de formação, com o apoio dos materiais auto-instrucionais e, eventualmente, contava com algum tipo de interação com a equipe de formação, por carta ou telefone.
  9. 9. OBSERVAÇÕES A primeira geração da Internet não permitia a plena da dialogia digital entre professores e alunos. Aos estudantes cabia acessar as informações do curso e com interação limitada com o professor e com seus colegas via fóruns e listas de discussão. A vivência do conceito de co-autoria ainda não se pronunciava. INTERNET Com a Internet foi possível se pensar em processos interativos entre formandos e formadores, via fóruns e listas de discussão.
  10. 10. WEB 2.0 CONSOLIDAÇÃO DA CIBERCULTURA Com a segunda geração da Internet, a chamada Web 2.0, é que a cibercultura se consolida. Com a chegada da Web 2.0, a arquitetura intertextual, hipermidiática, dialógica e co-autoral da cibercultura pôde ser pensada com mais propriedade no âmbito educacional, conforme veremos a seguir, a partir de apontamentos em publicação anterior (PESCE, 2010).
  11. 11. CIBERCULTURA NA WEB 2.0 - USUÁRIO PRODUTOR Na cibercultura veiculada na Web 2.0, o usuário insere-se como produtor e desenvolvedor de conteúdo e não somente como receptor de mensagem e/ou conteúdo de aprendizagem postado por outrem. A cibercultura, ao conjugar texto, áudio, imagem, animação e vídeo, assume uma natureza hipermidiática, que potencializa as formas de publicação, compartilhamento e organização de informações e amplia os espaços de interação (PRIMO, 2008).
  12. 12. CIBERCULTURA NA WEB 2.0 CONFIANÇA Costa (2008) sinaliza o sentimento de confiança mútua como um dos aspectos basilares da consolidação das redes sociais na cibercultura. MUDANÇAS E REFLEXÕES Segundo Rogério da Costa o fenômeno social da Web 2.0 nos força a pensar em outras formas de nos organizarmos em comunidades.
  13. 13. EDUCAÇÃO E CIBERCULTURA Ao pensar a Educação a partir do advento da cibercultura, trazemos Valente (1999), que distingue três abordagens na EAD. BROADCAST Proximidade com a concepção instrucionista, cuja proposta é promover cursos financeiramente convidativos. http://www.4shared.com/file/140483420/cb bfd6ce/Do_Broadcast_ao_Socialcast.html
  14. 14. VIRTUALIZAÇÃO DA SALA DE AULA PRESENCIAL O professor transfere para o espaço virtual a mesma dinâmica da aula presencial.
  15. 15. ESTAR JUNTO VIRTUAL Contempla a dinâmica comunicacional, que privilegia a mediação do professor junto ao aluno, por meio da tecnologia, para que se realize o ciclo construcionista “descrição- execução-reflexão-depuração-descrição”.
  16. 16. REFLEXÕES Para ampliar a possibilidades de cursos mais dialógicos é preciso vontade política, onde se privilegie.  CONTRIBUIÇÃO DA CIBERCULTURA PARA EAD: •Promover vínculos entre sujeitos sociais, condição profícua ao enfrentamento dos desafios cotidianos. •As redes sociais são um meio capaz de subverter o status quo. •A cibercultura trabalha com diferentes dimensões da linguagem. •O registro das interações no ciberespaço aumenta a reflexão dos sujeitos envolvidos no processo de construção do conhecimento. •As co-autoriais na cibercultura oportunizam a vivência digital para além dos espaços da sala de aula.
  17. 17. Conclusão: A cibercultura traz vastas possibilidades para se repensar as hegemônicas práticas de EAD. Contudo, além da condição técnica, é preciso vontade política para se imprimir uma racionalidade mais dialógica, capaz de auferir um avanço de fato qualitativo a essa modalidade de educação.
  18. 18. REFERÊNCIAS ADORNO, Theodor & HORKHEIMER, Max (1947). Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Trad. G. A. de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985. ANTOUN, Henrique. Perspectiva histórica – de uma teia à outra: a explosão do comum e o surgimento da vigilância participativa. In: ANTOUN, Henrique. (org.). Web 2.0: participação e vigilância na era da comunicação distribuída. Rio de Janeiro: Mauad X, 2008. p. 11-28. BARROS, Ivônio. Noções de educação a distância. Revista Educação a Distância, n. 4/5, p. 7-25, Brasília, Instituto Nacional de Educação a Distância, dez.1993/abr.1994. COSTA, Rogério da. Por um novo conceito de comunidade: redes sociais, comunidades pessoais, inteligência coletiva. In: ANTOUN, Henrique (org.). Web 2.0: participação e vigilância na era da comunicação distribuída. Rio de Janeiro: Mauad X, 2008. p. 29-48. GIUSTA, Agnela. Educação a distância: contexto histórico e situação atual. In: Giusta, Agnela e FRANCO, Iara (orgs.). Educação à distância: uma articulação entre a teoria e a prática. Belo Horizonte: PUC Minas/PUC Minas Virtual, 2002. p. 17- 42.
  19. 19. EQUIPE Dalton Machado Fernandes Matrícula: 20081208107 Maria Azinete de França Machado Matrícula: 20081208207 Samantha Velberto Silva Matrícula: 20081208182

×