Esteróides

2.572 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.572
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
221
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
58
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Esteróides

  1. 1. Faculdade ASCES Bacharelado em Farmácia Esteróides Adele Fernanda Adriana Paula Anna Karina Caruaru, 2011
  2. 2. Objetivos Conhecer sobre os esteróides, para que serve, sua classificação, sua ação farmacológica e tóxica e o que seu excesso pode causar nas pessoas. Conhecer também sobre a vitamina D, os ácidos biliares, glicosídeos cardiotônicos, plantas e córtex Supra-Renal ligados aos esteróides.
  3. 3. Esteróides
  4. 4. Esteróides <ul><li>Geralmente conhecido apenas pelo seu efeito anabolizante; </li></ul><ul><li>Primeiros esteróides isolados da natureza: alcoóis C 27 e C 2 ; </li></ul><ul><li>O esterol mais comum é o colesterol; </li></ul><ul><li>Isolado inicialmente em cálculos biliares; </li></ul><ul><li>Um dos principais componentes da lanolina; </li></ul>
  5. 5. Esteróides <ul><li>Níveis sanguíneos elevados de colesterol associados a doenças nos seres humanos; </li></ul><ul><li>O principal esterol dos fungos é o ergosterol; </li></ul><ul><li>Ergosterol também é conhecido como pró-vitamina D. </li></ul>
  6. 6. Vitamina D
  7. 7. Vitamina D <ul><li>Vários esteróides similares essenciais à absorção do cálcio; </li></ul><ul><li>Vitamina lipossolúvel obtida a partir do colesterol como precursor metabólico através da luz do sol e fontes dietéticas; </li></ul><ul><li>Óleos de fígado de peixe são uma fonte natural muito rica deste material; </li></ul>
  8. 8. Vitamina D <ul><li>Conhecida como “vitamina do sol”; </li></ul><ul><li>Auxilia na utilização do cálcio e do fosfato e aumenta suas concentrações séricas; </li></ul><ul><li>Estimula a absorção de íons Cálcio e fosfato pelo intestino delgado e na reabsorção de cálcio pelos ossos. </li></ul>
  9. 9. Ácidos biliares
  10. 10. <ul><li>Esteróides reunidos na bile; </li></ul><ul><li>Principais ácidos biliares: Cólico e o quenodeoxicólico; </li></ul><ul><li>Estão sempre conjugadas por uma ponte peptídica com glicina e taurina; </li></ul><ul><li>Atuam como agentes emulsificantes; </li></ul><ul><li>Administração de quenadiol na diminuição da saturação do colesterol; </li></ul>Ácidos biliares
  11. 11. Ácidos biliares <ul><li>Exerce esta função por suprimir a síntese hepática do colesterol e diminui secreção biliar; </li></ul><ul><li>Um de seus efeitos colaterais possivelmente é uma das causas da hepatotoxicidade; </li></ul><ul><li>Ácido ursodeoxicólico usado nas doenças hepáticas crônicas; </li></ul>
  12. 12. Ácidos biliares <ul><li>Encontra-se em pequena quantidade na bile humana normal; </li></ul><ul><li>É um epímero de quenodiol; </li></ul><ul><li>Devido a esta diferença química, diminui a formação de ácido litocólico; </li></ul><ul><li>Apresenta pouco risco de hepatotoxicidade. </li></ul>
  13. 13. Glicosídeos Cardiotônicos
  14. 14. Glicosídeos Cardiotônicos <ul><li>Seu nome deriva-se da sua ação sobre o miocárdio; </li></ul><ul><li>Angliconas esteroidais de dois tipos: cardenolido e bufadienolido; </li></ul><ul><li>Indivíduos refratários à terapia com digoxina; </li></ul><ul><li>Uso terapêutico; </li></ul><ul><li>Aumento da contratilidade do coração; </li></ul>
  15. 15. Glicosídeos Cardiotônicos <ul><li>Efeito vagal reflexo; </li></ul><ul><li>Medicamentos de escolha; </li></ul><ul><li>Modo de administração; </li></ul><ul><li>Dose experimental; </li></ul><ul><li>Concentrações tóxicas; </li></ul><ul><li>Extrasístole ventricular; </li></ul><ul><li>Mecanismo de ação; </li></ul><ul><li>Ação inotrópica; </li></ul><ul><li>Formação da actomiosina. </li></ul>
  16. 16. Interações farmacológicas
  17. 17. Interações farmacológicas <ul><li>Alteração nos níveis intracelulares de cátions; </li></ul><ul><li>Desequilíbrios de eletrólitos no plasma; </li></ul><ul><li>Depleção do potássio; </li></ul><ul><li>Necessidade de suplementação de potássio ou doses baixas de glicosídeos cardiotônicos. </li></ul>
  18. 18. Plantas com efeitos farmacológicos
  19. 19. Plantas com efeitos farmacológicos Digitalis Digitoxina Digitalis Lanata
  20. 20. Digitalis <ul><li>Presença de glicosídeos cardiotônicos; </li></ul><ul><li>Obtidos principalmente na Inglaterra e na Alemanha; </li></ul><ul><li>Fármaco com grande número de glicosídeos; </li></ul><ul><li>Derivados da hidrólise de alguns açúcares; </li></ul><ul><li>Existem glicosídeos marcados radioativamente e anti-soros. </li></ul>
  21. 21. Digitoxina <ul><li>Glicosídeo cardiotônico; </li></ul><ul><li>Produz uma molécula de digitoxigenina e três digitoxose; </li></ul><ul><li>Droga potente, devendo ser manipulada com excepcional cuidado; </li></ul><ul><li>Substância amarga insolúvel em água; </li></ul><ul><li>Absorção oral completa; </li></ul><ul><li>Níveis acima de 35ng/mL podem ocorrer sintomas de intoxicação. </li></ul>
  22. 22. Digitalis Lanata <ul><li>Possui quase 70 glicosídeos diferentes; </li></ul><ul><li>Glicosídeos primários designados lanatosídeos A e E; </li></ul><ul><li>Com a retirada do grupo acetila e dos resíduos de açúcar por hidrólise seletiva obtêm-se glicosídeos secundários. </li></ul>
  23. 23. Mecanismo de ação
  24. 24. Mecanismo de ação <ul><li>Hormônios esteroidais possuem várias ações com proteínas receptoras específicas; </li></ul><ul><li>Sequência de ADNc clonados; </li></ul><ul><li>Dificuldade na separação de atividades hormonais de um hormônio de origem pelas modificações das estruturas químicas. </li></ul>
  25. 25. Córtex Supra-Renal
  26. 26. Córtex Supra-Renal <ul><li>Deficiência dos hormônios produzidos por esta glândula; </li></ul><ul><li>Degeneração das glândulas sexuais; </li></ul><ul><li>Causa de óbito se não for tratada; </li></ul><ul><li>Excessiva atividade desse córtex causa anormalidades; </li></ul><ul><li>Isolamento de esteróides de extratos do córtex supra-renal; </li></ul>
  27. 27. Córtex Supra-Renal <ul><li>Esteróides adrenocorticais; </li></ul><ul><li>Glicocorticóide usado por sua atividade antiinflamatória; </li></ul><ul><li>Paliativo eficaz no controle da artrite reumatóide e de algumas doenças de cunho inflamatório; </li></ul><ul><li>Desvantagens da administração prolongada de corticosteróides. </li></ul>
  28. 28. Curiosidades
  29. 29. Efeito anabolizante <ul><li>Aumento da síntese protéica a partir de aminoácidos; </li></ul><ul><li>Aumento da massa e força muscular; </li></ul><ul><li>Aumento do apetite; </li></ul><ul><li>Estimulação da medula óssea; </li></ul><ul><li>Aumento da remodelagem e crescimentos ósseos. </li></ul>
  30. 30. Efeito anabolizante – Efeitos colaterais <ul><li>Pressão sanguínea elevada; </li></ul><ul><li>Alteração nos níveis de colesterol; </li></ul><ul><li>Acne; </li></ul><ul><li>Alteração da morfologia do ventrículo esquerdo; </li></ul><ul><li>Hepatotoxicidade; </li></ul><ul><li>Crescimento excessivo das gengivas. </li></ul>
  31. 31. Obrigada pela atenção!!

×