Revisão Química - Enem 2011

3.923 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.923
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.206
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
444
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revisão Química - Enem 2011

  1. 1. A QUÍMICA DO ENEM CHRISTTIANNE LIMA
  2. 2. RADIOATIVIDADE <ul><li>É a emissão espontânea de partículas e/ou ondas eletromagnéticas de núcleos instáveis de átomos, dando origem a outros núcleos, que podem ser estáveis ou ainda instáveis . </li></ul>
  3. 3. HISTÓRICO <ul><li>1895 – Rontgen descobriu os raios X. </li></ul><ul><li>1896 – Bequerel descobriu a fluorescência e a fosforescência de alguns minerais. </li></ul><ul><li>1898 – Marie e Pierre Curie descobriram o polônio e o rádio. </li></ul><ul><li>1889 – Rutherford identificou as partículas: alfa (+) e beta (-) e Villard , a radiação gama. </li></ul><ul><li>1903- Leonard descreveu o átomo como sendo constituído por 2 cargas, positivas e negativas, separadas pelo vazio. </li></ul><ul><li>1906- Rutherford descobriu os núcleos atômicos e as transmutações; </li></ul>
  4. 4. PODER DE PENETRAÇÃO DAS PARTÍCULAS
  5. 5. APLICAÇÕES <ul><li>Hoje ela é usada em diversos campos da atividade humana(medicina, arqueologia, agricultura, indústria). </li></ul><ul><li>O rádio que é um elemento resultante do decaimento do urânio; é utilizado na radioterapia. </li></ul><ul><li>Através da análise da meia vida de tais elementos radioativos, pode-se prever a idade da Terra. </li></ul><ul><li>Fonte energética. </li></ul>
  6. 6. CONTAMINAÇÃO <ul><li>Difusão desse composto no ar; </li></ul><ul><li>Dissolução na água; </li></ul><ul><li>Reação com outro composto ou substância; </li></ul><ul><li>Entrada no corpo humano ou em outro tecido. </li></ul><ul><li>Estamos expostos sempre à radioatividade; 87% que recebemos tem origem natural, o restante provêm de tratamento médico, por exemplo, raio-X. </li></ul>
  7. 7. RISCOS À SAÚDE <ul><li>Danos cerebrais; </li></ul><ul><li>Catarata; </li></ul><ul><li>Náuseas e vômitos; </li></ul><ul><li>Esterilidade; </li></ul><ul><li>Deformações genéticas; </li></ul><ul><li>Lesões na medula óssea; </li></ul>
  8. 8. MODELOS ATÔMICOS - DALTON
  9. 9. MODELOS ATÔMICOS - THOMSON
  10. 10. MODELOS ATÔMICOS - RUTHERFORD
  11. 11. MODELOS ATÔMICOS - BOHR <ul><li>1. Os elétrons descrevem órbitas circulares ao redor do núcleo, chamadas de camadas ou níveis de energia, onde cada um possui um valor determinado de energia. </li></ul><ul><li>2. Os elétrons podem saltar de um nível para outro mais externo, desde que  absorvam  uma quantidade bem definida de energia ( quantum  de energia). </li></ul><ul><li>3. Ao voltar ao nível mais interno, o elétron  emite  energia, na forma de luz de cor bem definida ou outra radiação eletromagnética (fóton). </li></ul>
  12. 12. PARTÍCULAS ATÔMICAS <ul><li>Isótopos: = N° de prótons </li></ul><ul><li>Isóbaros: = N° de massa </li></ul><ul><li>Isótonos: = N° de nêutrons </li></ul>
  13. 13. TABELA PERIÓDICA <ul><li>Os elementos estão dispostos em ordem crescente de número atômico e de acordo com a semelhança de suas propriedades. </li></ul><ul><li>Sete períodos e 18 famílias </li></ul>
  14. 15. ÁCIDOS <ul><li>Substância com sabor azedo que, em solução aquosa, libera como cátions somente íons H + </li></ul><ul><li>Sofrem ionização e conduzem eletricidade. </li></ul>
  15. 16. BASES <ul><li>Substância com sabor adstringente que, em solução aquosa, libera como ânions somente íons OH - </li></ul><ul><li>Sofrem dissociação e conduzem eletricidade. </li></ul>
  16. 17. PH E POH solu ç ão á cida: pH<7 e pOH>7 solu ç ão b á sica: pH>7 e pOH<7 solu ç ão neutra: pH=7 e pOH=7
  17. 18. TRANSFORMAÇÕES QUÍMICAS <ul><li>Toda reação química absorve ou gera calor, ou seja, há sempre uma troca de energia. A emissão ou absorção de luz, de calor, de eletricidade são manifestações dessa energia que podem até provocar mudanças de estado físico nos componentes das reações. </li></ul><ul><li>Entalpia é a quantidade de energia em uma determinada reação, podemos calcular o calor de um sistema através da variação de entalpia Δ H total  = ΔH  final  – ΔH  inicial  </li></ul>
  18. 19. REAÇÕES EXOTÉRMICAS <ul><li>São reações espontâneas que liberam calor para o ambiente externo.  </li></ul>OBS: O valor do Δ H < 0
  19. 20. REAÇÕES ENDOTÉRMICAS <ul><li>São reações que absorvem calor do ambiente externo.  </li></ul>OBS: O valor do Δ H > 0
  20. 21. VARIAÇÃO DE ENTALPIA NAS REAÇÕES <ul><li>Entalpia de formação : é a variação de entalpia verificada na formação de 1 mol de moléculas de uma determinada substância no estado padrão. </li></ul><ul><li>H 2  (g) + ½ O 2  (g) -> H 2 O (l)         ∆H = -68,3 Kcal/mol </li></ul><ul><li>Entalpia de combustão: é o calor absorvido na combustão total de 1 mol da substância. A combustão libera calor, ela ocorre entre um combustível e um comburente, o combustível pode ser qualquer substância, o principal comburente é o oxigênio. </li></ul><ul><li>CH 4 (g) + 2 O 2 (g) -> CO 2 (g) + 2 H 2 O(l)    ∆H = - 212,8 Kcal/ mol </li></ul>
  21. 22. EQUILÍBRIO QUÍMICO <ul><li>Reações reversíveis </li></ul><ul><li>C (s)  + CO 2   (g)  ↔ 2 CO  (g)   </li></ul><ul><li>Sistema fechado </li></ul><ul><li>Princípio de Le Chatelier: Quando se aplica uma força em um sistema em equilíbrio, ele tende a se reajustar no sentido de diminuir os efeitos dessa força.  </li></ul><ul><li>Fatores: concentração, pressão, temperatura </li></ul>
  22. 23. ESTUDO DO CARBONO <ul><li>Tetravalência </li></ul><ul><li>Ligações múltiplas e equivalentes </li></ul><ul><li>Cadeias </li></ul>
  23. 24. CARACTERÍSTICAS DOS COMPOSTOS ORGÂNICOS <ul><li>Combustibilidade: é a propriedade que um composto tem de se queimar. A maioria das substâncias que sofrem combustão é de origem orgânica. É por isso que dizemos que compostos orgânicos são ótimos combustíveis.  </li></ul><ul><li>Temperatura de fusão e de ebulição: apresentam interações intermoleculares mais fracas e por isso têm temperatura de ebulição e fusão mais baixas.  </li></ul><ul><li>T. F do sal: 801 °C  T.E. do sal: 1413 °C  </li></ul><ul><li>Etanol: temperatura de fusão (-117 °C) e ebulição (78,3 °C). </li></ul><ul><li>Solubilidade em água: apolares: são praticamente todos insolúveis em água. Seguindo a regra: “Semelhante dissolve semelhante”, vemos a razão. Como a água é polar, ela não dissolve compostos apolares como gasolina, querosene, óleo diesel, etc. Já os orgânicos polares podem ser dissolvidos na água. Exemplos: açúcar, álcool comum, acetona etc. </li></ul>
  24. 25. FUNÇÕES ORGÂNICAS
  25. 26. NOMENCLATURA DOS COMPOSTOS ORGÂNICOS <ul><li>Regra geral: Prefixo + Intermediário + Sufixo </li></ul>
  26. 27. POLUIÇÃO <ul><li>É a degradação do ambiente por um ou mais fatores prejudiciais à saúde deste. Ela pode ser causada pela liberação de matéria, e também de energia (luz, calor, som): os chamados poluentes. Pode ser de vários tipos: sonora, térmica, atmosférica, por elementos radioativos, por substâncias não biodegradáveis, por derramamento de petróleo e por eutrofização. </li></ul><ul><li>Consequências: problemas neuropsíquicos e surdez; alterações drásticas nas taxas de natalidade e mortalidade de populações, morte de rios e lagos; efeito estufa; morte por asfixia; destruição da camada de ozônio; chuvas ácidas e destruição de monumentos e acidificação do solo e da água; inversão térmica; mutações genéticas; necrose de tecidos; propagação de doenças infecciosas. </li></ul>
  27. 28. SOLO <ul><li>Ocorre devido a desordenada exploração e ocupação do meio ambiente, realizando o depósito de elementos químicos estranhos, prejudiciais às formas de vida microbiológica e sua colaboração em relação às interações ecológicas regulares. </li></ul><ul><li>Principais causas: o acúmulo de lixo sólido e de produtos químicos. </li></ul><ul><li>Soluções: Redução do acúmulo de lixo (incineração e a deposição em aterros) e investir nos processos de reciclagem. </li></ul>
  28. 29. O DESTINO DO LIXO <ul><li>Aterros sanitários: é um espaço destinado à deposição final de resíduos sólidos gerados pela atividade humana, possuem sistemas de drenagem, que retiram o excesso de líquido e sistemas de tratamento de resíduos líquidos (chorume) e gasosos (biogás). </li></ul><ul><li>Pouco permeável, isto é, deixar passar pouca água e lentamente; </li></ul><ul><li>Distante de qualquer lugar habitado; </li></ul><ul><li>Não deve haver lençol subterrâneo de água nas proximidades. </li></ul><ul><li>Lixão: caracterizado pela simples descarga do lixo  sobre o solo, sem medidas de proteção ao meio ambiente ou à saúde pública. O mesmo que descarga de resíduos a céu aberto. </li></ul>
  29. 31. “ Na vida as coisas, às vezes, andam muito devagar. Mas é importante não parar. Mesmo um pequeno avanço na direção certa já é um progresso, e qualquer um pode fazer um pequeno progresso.  Se você não conseguir fazer uma coisa grandiosa hoje, faça alguma coisa pequena. Pequenos riachos acabam convertendo-se em grandes rios. Continue andando e fazendo. O que parecia fora de alcance esta manhã vai parecer um pouco mais próximo amanhã ao anoitecer se você continuar movendo-se para frente. A cada momento intenso e apaixonado que você dedica a seu objetivo, um pouquinho mais você se aproxima dele. Se você para completamente é muito mais difícil começar tudo de novo. Então continue andando e fazendo. Não desperdice a base que você já construiu. Existe alguma coisa que você pode fazer agora mesmo, hoje, neste exato instante. Pode não ser muito mas vai mantê-lo no jogo. Vá rápido quando puder. Vá devagar quando for obrigado”. Mas, seja, lá o que for, continue. O importante é não parar!!!

×