CARACTERÍSTICAS
 Aquáticos e terrestres (tatuzinho de jardim)
 Maioria marinho (água doce e terrestres)
 38 mil espécie...
 Números de patas variáveis (geralmente 5 ou mais)
 2 pares de antenas
 1 par de mandíbulas
 2 pares de maxilas
 Resp...
Hábitos alimentares e adaptações p/ alimentação variam
grandemente
 Utilizam o mesmo conjunto fundamental de peças bucai...
Caranguejo chama-maré Camarão limpador
Lagosta Tamburutaca (Talassinídio)
Craca (Cirripedia)
Barata-da-praia
(Isopoda)
Copépode
Anatomia dos Crustáceos
Aparelho digestivo
Estômago dividido em duas partes: -
1º- anterior - câmara cardíaca (existem
dentes calcificados formando um moinho
gástric...
Esôfago
Estômago
cardíaco
Dentes laterais do
moinho gástrico
Dentes dorsais do
moinho gástrico
Estômago pilórico
Telas de ...
Coração dorsal curto e irregular de
Seis artérias que se distribuem por
todo o corpo.
Hemocele
Óstios/Ostíolos
Sangue: pig...
Aparelho
respiratório
Vários pares de
brânquias situadas nos
dois lados de todos os
segmentos torácicos
Estão associadas a...
Aparelho excretor
Os órgãos excretores dos
crustáceos adultos são um par
de estruturas tubulares
localizadas na porção ven...
Sistema nervoso
Cérebro (Tritocérebro)
Gânglio subesofágico é
resultante de fusão de 5 ou 6
pares de gânglios,
Cordão nerv...
Cérebro
Conectivo
Esôfago
Gânglios
torácicos
Gânglios
abdominais
Sistema
Nervoso central
Nervo óptico
Nervo
antenular
Nerv...
Órgãos sensoriais
Apresentam sensibilidade ao tato, gosto, olfato e visão.
Equilíbrio e orientação à gravidade é dado pelo...
Órgãos sensoriais
Nervo frontal
Faixa suspensora
Célula da retina
Revestimento de tecido
conectivo
Nervo óptico
Taça pigmentada
Célula da
re...
Reprodução
– Sexuada
– São dióicos
– Fecundação externa, na maioria das espécies
– Desenvolvimento indireto.
Os ovos costu...
Um macho de caranguejo chama-maré
exercendo o comportamento de aceno com a
quela p/ atrair uma fêmea e afastar machos
comp...
Apêndices com cerdas para
guardar ovos (fêmea)
Apêndices modificados em
gonópodes (macho)
Um par de caranguejos
em cópula
...
Crescimento
– Muda
– Órgão X, uma pequena glândula, produz hormônios que
inibe a muda, enquanto que os hormônios do órgão ...
– Os crustáceos sésseis,
como as cracas, vivem
fixas a um substrato.
– O paguro (ou bernardo-
eremita), apresenta a
porção...
–Os crustáceos mais
conhecidos são os
camarões, os siris, os
caranguejos e as lagostas.
–Habitam ecossistemas
marinhos e d...
Nos ambientes aquáticos:
–Microcrustáceos:
copépodes, anfípodas e o
krill, tem papel
fundamental nas teias
alimentares. Fo...
Quela do quelípede
Mero
Maxilípede
Basísquio
Carpo
Carapaça
Própodo
Dáctilo
Carpo
Mero
Pereópode
Ísquio
Base
Coxa
Abdômen
...
Quela
Carpo
Olho composto
Antena
Antênula
Palpo do
maxilípede
Carapaça
Maxilípede
Abdômen
Dáctilo
Dedo
fixo
Própodo
Vista ...
Cefalotórax Abdômen
Urópode
Antena
Antênula
Rostro
Olho
Cérebro
Estômago Coração
Pericárdio
Óstio
Testículo
Intestino
Téls...
Coração
Óstio
Câmara branquial
Bordo da carapaça
Hepatopâncreas
Coxopodito
Cordão nervoso
Seio esternal
Artéria esternal
I...
Adulto
Ovo
Náuplio
Protozoéia
Estádio pós-larval
Ciclo de vida
do camarão
Penaeus
Antênula
Antena
Mandíbula
Larva náuplio
...
Abdômen
Carapaça
Pedúnculo
ocular
Antênula
Antena
1o
maxilípede 1o
pereópode
5o
pereópode
Urópode
Télson
Larva zoé
(“misis...
Estágios Larvais
Protozoé
Náuplio
Zoé
Ovos
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Filo artrópodes 04 crustáceos - características e anatomia

5.565 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.565
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
64
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Filo artrópodes 04 crustáceos - características e anatomia

  1. 1. CARACTERÍSTICAS  Aquáticos e terrestres (tatuzinho de jardim)  Maioria marinho (água doce e terrestres)  38 mil espécies  Desenvolvimento direto ou indireto  Exoesqueleto com carbonato de cálcio  Reprodução sexuada  Espécies importantes do Zooplâncton  Várias espécies de valor econômico  Apêndices birremes  Adaptados para realizarem diferentes função (dependendo do grupo)
  2. 2.  Números de patas variáveis (geralmente 5 ou mais)  2 pares de antenas  1 par de mandíbulas  2 pares de maxilas  Respiração branquial  Grande variedade morfológica  Corpo dividido em dois segmentos (cefalotórax e abdome) Placa torácica recobrindo todo o corpo ou parte dele – comum Ex: caranguejo e camarão
  3. 3. Hábitos alimentares e adaptações p/ alimentação variam grandemente  Utilizam o mesmo conjunto fundamental de peças bucais. Mandíbulas e maxilas ingerem o alimento; maxilípedes apanham e trituram; pernas ambulatórias (quelípodes) capturam o alimento nos predadores.  Suspensivoria (comedores de partículas em Suspensão).  Predação (consomem larvas, vermes, peixes, moluscos e crustáceos).  Detritivoria (comem animais e vegetais mortos).  Filtração (filtram bactérias, protistas e fitoplâncton) ALIMENTAÇÃO
  4. 4. Caranguejo chama-maré Camarão limpador Lagosta Tamburutaca (Talassinídio)
  5. 5. Craca (Cirripedia) Barata-da-praia (Isopoda) Copépode
  6. 6. Anatomia dos Crustáceos
  7. 7. Aparelho digestivo
  8. 8. Estômago dividido em duas partes: - 1º- anterior - câmara cardíaca (existem dentes calcificados formando um moinho gástrico que ajuda na trituração dos alimentos. 2º- posterior - câmara pilórica. Intestino médio, intestino tubular e ânus.
  9. 9. Esôfago Estômago cardíaco Dentes laterais do moinho gástrico Dentes dorsais do moinho gástrico Estômago pilórico Telas de cerdas Intestino Telas de cerdas Sistema digestivo e alimentação
  10. 10. Coração dorsal curto e irregular de Seis artérias que se distribuem por todo o corpo. Hemocele Óstios/Ostíolos Sangue: pigmento hemocianina Este sistema circulatório é denominado aberto ou lacunar, porque o sangue não está sempre no interior dos vasos. Aparelho circulatório
  11. 11. Aparelho respiratório Vários pares de brânquias situadas nos dois lados de todos os segmentos torácicos Estão associadas aos apêndices Localização, número e forma: muito variados
  12. 12. Aparelho excretor Os órgãos excretores dos crustáceos adultos são um par de estruturas tubulares localizadas na porção ventral da cabeça, anterior ao esôfago. São denominadas glândulas antenais (ou verdes) ou glândulas maxilares, conforme a localização da abertura no basipodito da antena ou da segunda maxila, respectivamente. São os únicos órgãos excretores dos crustáceos..
  13. 13. Sistema nervoso Cérebro (Tritocérebro) Gânglio subesofágico é resultante de fusão de 5 ou 6 pares de gânglios, Cordão nervoso ventral duplo.
  14. 14. Cérebro Conectivo Esôfago Gânglios torácicos Gânglios abdominais Sistema Nervoso central Nervo óptico Nervo antenular Nervo antenal Esôfago Nervo mandibular Placa nervosa torácica Gânglios do pléon Sistema longo de um lagostim Sistema compactado de caranguejo
  15. 15. Órgãos sensoriais Apresentam sensibilidade ao tato, gosto, olfato e visão. Equilíbrio e orientação à gravidade é dado pelo estatocisto que é uma estrutura em forma de saco que se abre dorsalmente sob pêlos finos, no artículo basal de cada antênula. • A visão e dada pelos olhos compostos que são pedunculados e móveis e olho naupliano dorsal (composto por 3 ou 4 pares de ocelos) – pode não persistir no adulto. • O tato é percebido pelos pêlos tácteis que se distribuem pelo corpo. • O sentido químico, paladar e olfato, reside em pêlos localizados nas extremidade das antenas, peças bucais.
  16. 16. Órgãos sensoriais
  17. 17. Nervo frontal Faixa suspensora Célula da retina Revestimento de tecido conectivo Nervo óptico Taça pigmentada Célula da retina Órgãos do sentido Fileira externa de pêlos livres Fileira de cerdas Abertura do estatocisto Cutícula recortada Cerdas ântero-laterais maiores e livres Estatólito Fileira interna de cerdas em contato c/ estatólito Estatocisto aberto em antênula de lagosta Olho mediano simples de copépode
  18. 18. Reprodução – Sexuada – São dióicos – Fecundação externa, na maioria das espécies – Desenvolvimento indireto. Os ovos costumam ser incubados junto da face ventral do abdome das fêmeas e, ao eclodirem, liberam uma larva chamada náuplio
  19. 19. Um macho de caranguejo chama-maré exercendo o comportamento de aceno com a quela p/ atrair uma fêmea e afastar machos competidores. Também produzem sons por meio de estridulação e de batidas no substrato, com os quais, acredita-se, atrairiam potenciais parceiros. O acasalamento acontece quando o macho consegue convencer a fêmea a entrar em sua toca.
  20. 20. Apêndices com cerdas para guardar ovos (fêmea) Apêndices modificados em gonópodes (macho) Um par de caranguejos em cópula Reprodução
  21. 21. Crescimento – Muda – Órgão X, uma pequena glândula, produz hormônios que inibe a muda, enquanto que os hormônios do órgão Y induz a muda. – No camarão ocorre várias mudas que determina estágios larvais, onde os jovens são muito diferente dos animais adultos. – Estágios larvais do camarão: Nauplius, Protozoea, Zoea, Mysis e Adulto. A velha carapaça separa-se Nova carapaça Abdômen emergindo
  22. 22. – Os crustáceos sésseis, como as cracas, vivem fixas a um substrato. – O paguro (ou bernardo- eremita), apresenta a porção posterior do corpo desprovida de exoesqueleto, e ocupa a concha deixada por moluscos mortos. VARIEDADE MORFOLÓGICA
  23. 23. –Os crustáceos mais conhecidos são os camarões, os siris, os caranguejos e as lagostas. –Habitam ecossistemas marinhos e de água doce, havendo mesmo representantes de ambiente terrestre úmido (o tatuzinho-de-jardim).
  24. 24. Nos ambientes aquáticos: –Microcrustáceos: copépodes, anfípodas e o krill, tem papel fundamental nas teias alimentares. Formam o chamado zooplâncton, e são consumidores primários. –Alimentam-se do fitoplâncton constituído por algas unicelulares, e servem de alimento para outros animais. Correspondem, nos ambientes aquáticos, aos herbívoros terrestres.
  25. 25. Quela do quelípede Mero Maxilípede Basísquio Carpo Carapaça Própodo Dáctilo Carpo Mero Pereópode Ísquio Base Coxa Abdômen Esterno torácico Siri (Eumalacostraca, Decapoda) MORFOLOGIA EXTERNA
  26. 26. Quela Carpo Olho composto Antena Antênula Palpo do maxilípede Carapaça Maxilípede Abdômen Dáctilo Dedo fixo Própodo Vista Ventral Vista Central
  27. 27. Cefalotórax Abdômen Urópode Antena Antênula Rostro Olho Cérebro Estômago Coração Pericárdio Óstio Testículo Intestino Télson Ânus Pleópodes Apêndice c/ função copulatória Vaso deferente Gânglio Hepatopâncreas Boca Glândula verde MORFOLOGIA INTERNA (lagostin)
  28. 28. Coração Óstio Câmara branquial Bordo da carapaça Hepatopâncreas Coxopodito Cordão nervoso Seio esternal Artéria esternal Intestino Gônada Seio pericárdico Pericárdio Lagostim (corte transversal)
  29. 29. Adulto Ovo Náuplio Protozoéia Estádio pós-larval Ciclo de vida do camarão Penaeus Antênula Antena Mandíbula Larva náuplio (copépode) Olho náuplio Ciclos de vida
  30. 30. Abdômen Carapaça Pedúnculo ocular Antênula Antena 1o maxilípede 1o pereópode 5o pereópode Urópode Télson Larva zoé (“misis”) Larva zoé (“misis”) Ciclos de vida
  31. 31. Estágios Larvais Protozoé Náuplio Zoé Ovos

×