Multialfabetizações para a cidadania no mundo multimodal

427 visualizações

Publicada em

A informação e os modelos de competência em informação para o planejamento de ação de comunicação em redes sociais em ambientes digitais

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
427
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Multialfabetizações para a cidadania no mundo multimodal

  1. 1. Multialfabetizações para a cidadania em um mundo multimodal Modelo aplicado à Rede DF Márcia Marques doutoranda PPGCInf- UnB 23/10/2013
  2. 2. Informação 1950: Fim da II Guerra, problemas para armazenar, acessar e distribuir, com segurança, grande quantidade de informação. Resulta no surgimento da CI: desenvolve produtos e serviços com enfoques interdisciplinares e soluções multidisciplinares para resolver problemas complexos da informação (seu foco é a informação científica)
  3. 3. Informação Como processo – em que meios e contextos é processada; Como conhecimento – intangível, pessoal, subjetiva Como coisa – que se pode armazenar, acessar, recuperar: dados, documentos, objetos, acontecimentos
  4. 4. Organização do conhecimento as pessoas organizam intuitivamente, como ação individual representar socialmente o conhecimento é como se apropriar de elementos comuns de informação dos conhecimentos individuais para que este conhecimento possa ser compartilhado
  5. 5. Informação aberta etc. Informação aberta: acessível a todos para construção cooperativa do conhecimento Creative Commons – liberação de uso, sempre citando o autor, de material. nome vem da ONG que lançou o modelo http://pt.wikipedia.org/wiki/Licenças_Creative_Commons
  6. 6. Liberdade de expressão Artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos Humanos: Toda pessoa tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferência, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras.
  7. 7. Acesso à informação A informação sob a guarda do Estado (em todos os níveis) é sempre pública. Exceções previstas em lei. LAI – Brasil cumpre tratados internacionais http://www.acessoainformacao.gov.br/acessoainformacaogov/
  8. 8. Aprender a aprender Meados 1970 – discussões sobre alfabetização em informação – para o consumo de TI / para a cidadania. Muitos nomes: literacy, literacia, competências, alfin, transliteracy, MIL muitas alfabetizações: digital, em informação, de mídia, audiovisual, multimídia
  9. 9. Alfin competências em informação competências em informação Tornar o indivíduo capaz de enfrentar a informação – ter ideia do que busca, saber como buscar, encontrar/selecionar as respostas encontradas, usar, produzir e reproduzir, divulgar/distribuir é possível medir o grau das competências dos indivíduos e grupos
  10. 10. MIL Alfabetização em mídia e informação Alfabetização em mídia e informação proposta discutida em encontros internacionais da UNESCO e IFLA é composição de duas alfabetizações foco em formar professores capazes de formar alunos alfabetizados nas duas coisas
  11. 11. MIL – diagnóstico Qualidade da iformação afeta a capacidade d indivíduo de desfrutar as liberdades fundamentais e as habilidades para autodeterminação e desenvolvimento; Há convergência de meios de comunicação e de provedores de informação; O mundo tem grande quantidade de informação e conhecimento armazenada em computadores/servidores/provedores
  12. 12. MIL porque é necessária porque é necessária Para dotar cidadãos de pensamento crítico, capaz de exigir serviços de qualidade a provedores de informação e aos meios de comunicação Para expandir a educação e a cidadania profesores son un instrumento de cambio
  13. 13. Alfin – elementos 1. definir e articular necessidades de informação; 2. localizar e avaliar a informação; 3. avaliar a informação; 4. organizar a informação; 5. uso ético da informação; 6. comunicar a informação; 7. uso do conhecimento das TICs para processar a informação.
  14. 14. Alfabetização de mídia – elementos 1. Compreender o papel e funções dos meios de comunicação nas sociedades democráticas; 2. compreender as condições sob as quais a mídia pode cumprir suas funções; 3. avaliar criticamente o conteúdo da mídia à luz das funções desses meios; 4. colaborar com os meios para a auto-expressão e a participação democrática; 5. habilidades de revisão (inclui as TICs) para produzir conteúdos gerados por usuários
  15. 15. Aprender para a cidadania Obstáculos à inclusão: pobreza informativa, exclusão digital, censura, uso político das tecnologias, desinformação, manipulação de meios e provedores, destruição da informação pública (Lópes e Samek) Objetivo é inclusão crítica
  16. 16. Aprender para a cidadania alfabetização não diz respeito apenas à capacitação dos cidadãos no uso das tecnologias, mas, também, à formação permanente em direção à ideia de uma cidadania digital (Cuevas-Cerveró)
  17. 17. Quatro dimensões para aprender a aprender instrumental: uso de software e hardware; cognitiva: busca, coleta, avaliação, compreensão, recriação e comunicação da informação; sócio-comunicacional: produção (individual ou colaborativa) de textos de natureza diversa, com a comunicação fluida dessa produção com base em normas de comportamento positivo na relação com o outro; axiológica: tomada de consciência de que do ponto de vista social não há neutralidade nas tecnologias, na informação e na comunicação. (AREA)
  18. 18. Autonomia para aprender a aprender para o século XXI Freire e Morin 1. Ética do gênero Humano (M); ética/ estética (F); a ética no exemplo (F). 2. A pesquisa para construir o conhecimento (F); o conhecimento no século XXI (M). 3. Ensinar/aprender para a compreensão; a partir da condição humana; com a compreensão da identidade terrena; com respeito ao saber do outro; com reconhecimento das identidades e diferenças culturais. 4. Riscos do conhecimento, pela aceitação/rejeição do novo/velho; as cegueiras do conhecimento; 5. Criticidade; rigorosidade metódica; reflexão sobre a prática; afrontar as incertezas
  19. 19. Multialfabetizações e Modelo estratégia de ações para promover o entendimento entre as pessoas na rede Informação – com produtos/objetos de aprendizagem, focados no aprender a aprender e estrutura de organização da informação (AV.3) Comunicação – narrativa jornalística para orientar/noticiar e estrutura de organização da comunicação (AV.3)
  20. 20. Planejar para a Rede DF Fazer estudo de usuários para conhecer o nível das competências (instrumental, cognitiva, sócio-comunicacional, axiológica) Conhecer os temas comuns à rede, os temas relacionados às preocupações (coletivas) dos indivíduos nesta rede
  21. 21. Bibliografia Wilson, C.; Grizzle, A; Tuazon, R; Akyempong, K; Cheung, C. K. Media and information literacy curriculum for teachers. Paris, UNESCO, 2011 em: http://unesdoc.unesco.org/images/0021/002160/216099S.pdf BRUCE, Christine S. Las siete caras de la Alfabetización en información en la enseñanza superior. Anales de Documentación, n. 6, 2003, p. 289-294 em: http://revistas.um.es/index.php/analesdoc/article/viewFile/3761/3661
  22. 22. Bibliografia Declaracion Universal de los Derechos Humanos. en: http://www.mp.go.gov.br/portalweb/hp/7/docs/declaracao_universal_dos_direitos_declaración de Grünwald. en: http://portalmultirio.rio.rj.gov.br/portal/riomidia/rm_materia_conteudo.asp?idioma=Declaración de Alexandria. en: http://sebenta.janjos.com/index.php/Declaração_de_Alexandria Declaración de Moscú. en: http://www.unesco.org/new/fileadmin/MULTIMEDIA/HQ/CI/CI/ pdf/In_Focus/moscow_declaration_mil_es.pdf

×