<ul><li>Costumam ser da responsabilidade de alguém exterior ao jornal </li></ul><ul><li>a) reportagens, entrevistas. </li>...
<ul><li>Numa entrevista, o antetítulo será </li></ul><ul><li>a) uma frase importante dita pelo entrevistado. </li></ul><ul...
<ul><li>Os verbetes de um dicionário onomástico têm como cabeça  </li></ul><ul><li>a) topónimos. </li></ul><ul><li>b) nome...
<ul><li>Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa  (José Pedro Machado) </li></ul><ul><li>Além de nomes de pe...
<ul><li>Onomástico  =  </li></ul><ul><li>conjunto de  Nomes próprios </li></ul><ul><li>=  Antropónimos  +  Topónimos </li>...
<ul><li>Se pretender ter acesso rápido a palavras de um dado campo lexical, devo usar um  </li></ul><ul><li>a) dicionário ...
<ul><li>Dicionário Analógico da Língua Portuguesa (idéias afins)  (Francisco Ferreira dos Santos Azevedo) ou  Dicionário M...
<ul><li>Hiperónimo </li></ul><ul><li>Hipónimo, Hipónimo, Hipónimo, Hipónimo </li></ul>
 
 
<ul><li>Holónimo </li></ul><ul><li>Merónimo, Merónimo, Merónimo, Merórimo </li></ul>
 
 
<ul><li>Num texto impresso, a referência correcta é: </li></ul><ul><li>c) António Lobo Antunes, «Crónica para quem aprecia...
<ul><li>A referência de um livro deve fazer-se segundo o que esteja </li></ul><ul><li>a) na capa. </li></ul><ul><li>b) no ...
 
<ul><li>Anterrosto </li></ul><ul><li>ou </li></ul><ul><li>Ante-portada </li></ul>
 
<ul><li>Frontispício </li></ul><ul><li>ou  </li></ul><ul><li>Portada </li></ul><ul><li>ou  </li></ul><ul><li>Rosto </li></ul>
 
<ul><li>O «se» não pode ser passivo em </li></ul><ul><li>a) Estas linhas apagam-se bem. </li></ul><ul><li>b) As raparigas ...
<ul><li>* As velhinhas são bem engasgadas </li></ul><ul><li>As linhas são bem apagadas </li></ul><ul><li>As raparigas são ...
<ul><li>Não há sujeito nulo expletivo em </li></ul><ul><li>a) Há sujeito nulo expletivo nesta alínea. </li></ul><ul><li>b)...
<ul><li>Há sujeito nulo subentendido em </li></ul><ul><li>a)  Nós  nada subentendemos.  </li></ul><ul><li>b)  As alheiras ...
<ul><li>Não há sujeito nulo indeterminado em </li></ul><ul><li>a) Compra-se ferro-velho. </li></ul><ul><li>b) Andaram a di...
<ul><li>«E surgiu então a Tia Albertina. Não, não se importava nada que andasse a dar o seu nome a taças de leitura em voz...
<ul><li>O que corresponde ao discurso indirecto «O sr. Brás declarou que não  deveriam  deixar os cartões em casa» é o dis...
<ul><li>O que corresponde ao discurso indirecto «O professor de Português pediu a Ermelinda que fizesse os cinco desafios ...
<ul><li>a) — Ermelinda, faz os cinco desafios do concurso do  Diário de Notícias , porque assim  poderão  concorrer a part...
<ul><li>A alínea que não tem verbos que não possam ser introdutores do relato do discurso é </li></ul><ul><li>a) perguntar...
<ul><li>O que corresponde ao discurso directo «— Deus, faz-me cair aqui um raio em cima deste estúpido exercício de gramát...
<ul><li>a) O aluno que não tinha feito os testes do moodle suplicou a Deus que lhe  faça  cair  aí  um raio em cima  do  e...
<ul><li>O que corresponde ao discurso directo «— Alfredo, ontem, enviaste por mail o texto sobre o filme da tua vida? — pe...
<ul><li>a) A excelente Adriana perguntou ao Alfredo se, na véspera,  tinha enviado  por mail o texto sobre o filme da sua ...
<ul><li>«— Na quinta, não darei aulas às 10 horas—  diz  o professor.» ficaria, em discurso indirecto,  </li></ul><ul><li>...
<ul><li>O «se» que, no discurso indirecto, se segue a verbos introdutores como «perguntar» ou «inquirir» é </li></ul><ul><...
<ul><li>Se no discurso directo houver um vocativo, no discurso indirecto </li></ul><ul><li>a) esse nome será recuperado co...
<ul><li>Se, no discurso directo, o verbo introdutor estiver no Perfeito do Indicativo  («disse») , não acontecerá a seguin...
<ul><li>a) presente / imperfeito </li></ul><ul><li>está / estava </li></ul><ul><li>b) perfeito / mais-que-perfeito </li></...
<ul><li>Nasceu o carro do futuro </li></ul><ul><li>Um projecto do MIT, em parceria com Frank Gehry e a General Motors, cri...
<ul><li>Iniciativas culturais multiplicam-se no interior </li></ul><ul><li>A oferta cultural tem crescido tanto nos último...
<ul><li>Peça de José Luís Peixoto vai à cena no Alto Alentejo </li></ul><ul><li>«A Manhã» tem como protagonistas apenas ve...
 
<ul><li>Listem um conjunto de  temas do vosso dia-a-dia — em casa, na escola, na vossa terra —  que considerem reunir cond...
<ul><li>Resolver  o que eu possa ter indicado  na folha que agora lhes devolvo. </li></ul><ul><li>Acrescentar (à manchete ...
<ul><li>Rever o que, eventualmente, tenha sido feito por algum colega em casa e agora trazido. </li></ul><ul><li>Combinar ...
<ul><li>TPC </li></ul><ul><li>(1) Prepara leitura (compreensão) do texto «O Fim» (pp. 324-326). </li></ul><ul><li>(2)  Tar...
<ul><li>Quem não o fez ainda,  inscrever-se  (cada grupo deve certificar-se de que tem três elementos inscritos). </li></u...
<ul><li>Fazer  fotografia  ilustrativa da manchete e tê-la disponível para o elemento que vier a enviar a página a poder d...
<ul><li>Criar o grupo  (clicar em ‘Inscrição de grupos’, à esquerda da zona para login, e depois, escrever o nome do grupo...
<ul><li>Fazer ainda os  títulos ou pequenos textos  que nesta aula se venha a decidir serem precisos para melhorar a págin...
 
 
 
 
<ul><li>Decidam bem que fotografia vai ilustrar a manchete da Primeira Página. A  fotografia  é fundamental numa primeira ...
<ul><li>Agora só falta paginar! Com os conhecimentos que adquiriram sobre grafismo dos jornais e como se arruma a informaç...
<ul><li>especificar  editorias </li></ul><ul><li>e </li></ul><ul><li>pág.  # </li></ul>
<ul><li>MANCHETE   A notícia mais importante numa publicação é aquela que, quer pela sua actualidade, quer pela proximidad...
<ul><li>Uma manchete emblemática, além de primar pela sua exclusividade num jornal, é aquela que marca a edição daquele jo...
 
<ul><li>Manchete  é o título principal da 1ª página de um jornal, ou o assunto que ocupa essa posição de destaque. Poderá ...
<ul><li>Chamadas : pequenos texto de síntese na primeira página que remetem o leitor para o artigo mais desenvolvido no in...
<ul><li>Um  título  é um texto sintético de apresentação a um outro mais extenso, utilizando sempre o presente como tempo ...
<ul><li>PRÉMIOS </li></ul><ul><li>As actividades e passatempos lançados no site podem dar acesso a passar um dia na redacç...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 119 120

1.956 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.956
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
36
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
58
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ApresentaçãO Para DéCimo Ano, Aula 119 120

  1. 2. <ul><li>Costumam ser da responsabilidade de alguém exterior ao jornal </li></ul><ul><li>a) reportagens, entrevistas. </li></ul><ul><li>b) crónicas, entrevistas. </li></ul><ul><li>c) notícias, «breves». </li></ul><ul><li>d) crónicas, artigos de opinião. </li></ul>
  2. 3. <ul><li>Numa entrevista, o antetítulo será </li></ul><ul><li>a) uma frase importante dita pelo entrevistado. </li></ul><ul><li>b) o nome e a profissão do entrevistado. </li></ul><ul><li>c) o nome do jornalista. </li></ul><ul><li>d) o nome do jornal. </li></ul>
  3. 4. <ul><li>Os verbetes de um dicionário onomástico têm como cabeça </li></ul><ul><li>a) topónimos. </li></ul><ul><li>b) nomes próprios. </li></ul><ul><li>c) étimos. </li></ul><ul><li>d) antropónimos. </li></ul>
  4. 5. <ul><li>Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa (José Pedro Machado) </li></ul><ul><li>Além de nomes de pessoas, encontram-se num dicionário onomástico nomes de lugares , ou seja, «topónimos». </li></ul>
  5. 6. <ul><li>Onomástico = </li></ul><ul><li>conjunto de Nomes próprios </li></ul><ul><li>= Antropónimos + Topónimos </li></ul><ul><li>Antropónimos </li></ul><ul><li>Joaquim </li></ul><ul><li>Vasconcelos </li></ul><ul><li>Topónimos </li></ul><ul><li>Lisboa </li></ul><ul><li>Cacém </li></ul>
  6. 7. <ul><li>Se pretender ter acesso rápido a palavras de um dado campo lexical, devo usar um </li></ul><ul><li>a) dicionário analógico. </li></ul><ul><li>b) dicionário de sinónimos. </li></ul><ul><li>c) dicionário geral. </li></ul><ul><li>d) dicionário etimológico. </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Dicionário Analógico da Língua Portuguesa (idéias afins) (Francisco Ferreira dos Santos Azevedo) ou Dicionário MAIS da ideia às palavras (Lisboa editora) </li></ul><ul><li>Trata-se de dicionários ditos analógicos (organizados, em grande parte, por campos lexicais ). A estes dicionários dá-se, às vezes, o nome de Thesaurus </li></ul>
  8. 9. <ul><li>Hiperónimo </li></ul><ul><li>Hipónimo, Hipónimo, Hipónimo, Hipónimo </li></ul>
  9. 12. <ul><li>Holónimo </li></ul><ul><li>Merónimo, Merónimo, Merónimo, Merórimo </li></ul>
  10. 15. <ul><li>Num texto impresso, a referência correcta é: </li></ul><ul><li>c) António Lobo Antunes, «Crónica para quem aprecia histórias de caçadas», Terceiro Livro de Crónicas , Lisboa, Dom Quixote, 2006. </li></ul>
  11. 16. <ul><li>A referência de um livro deve fazer-se segundo o que esteja </li></ul><ul><li>a) na capa. </li></ul><ul><li>b) no frontispício. </li></ul><ul><li>c) no anterrosto. </li></ul><ul><li>d) na ficha técnica. </li></ul>
  12. 18. <ul><li>Anterrosto </li></ul><ul><li>ou </li></ul><ul><li>Ante-portada </li></ul>
  13. 20. <ul><li>Frontispício </li></ul><ul><li>ou </li></ul><ul><li>Portada </li></ul><ul><li>ou </li></ul><ul><li>Rosto </li></ul>
  14. 22. <ul><li>O «se» não pode ser passivo em </li></ul><ul><li>a) Estas linhas apagam-se bem. </li></ul><ul><li>b) As raparigas despem-se bem. </li></ul><ul><li>c) As velhinhas engasgam-se bem . </li></ul><ul><li>d) Os velhinhos beijam-se bem. </li></ul>
  15. 23. <ul><li>* As velhinhas são bem engasgadas </li></ul><ul><li>As linhas são bem apagadas </li></ul><ul><li>As raparigas são bem despidas </li></ul><ul><li>Os velhinhos são bem beijados </li></ul>
  16. 24. <ul><li>Não há sujeito nulo expletivo em </li></ul><ul><li>a) Há sujeito nulo expletivo nesta alínea. </li></ul><ul><li>b) Não há sujeito nulo expletivo nesta alínea. </li></ul><ul><li>c) Todas as sextas chove na sala E13. </li></ul><ul><li>d) Todas as sextas faço uma pergunta sobre sujeito expletivo. </li></ul><ul><li>[eu] - subentendido </li></ul>
  17. 25. <ul><li>Há sujeito nulo subentendido em </li></ul><ul><li>a) Nós nada subentendemos. </li></ul><ul><li>b) As alheiras com ovo nada me dizem. </li></ul><ul><li>c) Manel, percebeste tudo? [tu] </li></ul><ul><li>d) No dia 16 de Maio de 2018, chegarão os mercedes, os audis, os BMW . </li></ul>
  18. 26. <ul><li>Não há sujeito nulo indeterminado em </li></ul><ul><li>a) Compra-se ferro-velho. </li></ul><ul><li>b) Andaram a difamar o Papa. </li></ul><ul><li>c) Há bolas de Berlim tão deliciosas! [expletivo] </li></ul><ul><li>d) Diz-se que a ministra vem cá amanhã. </li></ul>
  19. 27. <ul><li>«E surgiu então a Tia Albertina. Não, não se importava nada que andasse a dar o seu nome a taças de leitura em voz alta. Que engraçado! E ficava até sensibilizada que se tivessem lembrado dela. Belo badalo aquele!». </li></ul><ul><li>Nesta citação há </li></ul><ul><li>a) discurso directo. </li></ul><ul><li>b) discurso indirecto. </li></ul><ul><li>c) discurso indirecto livre. </li></ul><ul><li>d) discurso directo e indirecto. </li></ul>
  20. 28. <ul><li>O que corresponde ao discurso indirecto «O sr. Brás declarou que não deveriam deixar os cartões em casa» é o discurso directo </li></ul><ul><li>a) — Não deixem os cartões em casa — declarou o sr. Brás. </li></ul><ul><li>b) — Não deverão deixar os cartões em casa — declarou o sr. Brás. </li></ul><ul><li>c) — Não devem deixar os cartões em casa — declarou o sr. Brás. </li></ul><ul><li>d) — É melhor não deixarem os cartões em casa — declarou o sr. Brás. </li></ul>
  21. 29. <ul><li>O que corresponde ao discurso indirecto «O professor de Português pediu a Ermelinda que fizesse os cinco desafios do concurso do Diário de Notícias , porque assim podiam concorrer a partir daquele dia.» é o discurso directo </li></ul><ul><li>b) — Ermelinda, faz os cinco desafios do concurso do Diário de Notícias , porque assim podem concorrer a partir de hoje — pediu o professor de Português. </li></ul>
  22. 30. <ul><li>a) — Ermelinda, faz os cinco desafios do concurso do Diário de Notícias , porque assim poderão concorrer a partir de hoje — pediu o professor de Português. </li></ul><ul><li>c) — Ermelinda, faz os cinco desafios do concurso do Diário de Notícias , porque assim poderás concorrer a partir de hoje — pediu o professor de Português. </li></ul><ul><li>d) — Ermelinda, faz os cinco desafios do concurso do Diário de Notícias , porque assim poderão concorrer a partir de hoje — disse o professor de Português. </li></ul>
  23. 31. <ul><li>A alínea que não tem verbos que não possam ser introdutores do relato do discurso é </li></ul><ul><li>a) perguntar, dizer, afirmar, palitar , retorquir. </li></ul><ul><li>b) lamentar, acrescentar, arriscar, repetir, responder. </li></ul><ul><li>c) protestar, adiantar, jogar , ordenar, achar. </li></ul><ul><li>d) exclamar, nevar , inquirir, reafirmar, opinar. </li></ul>
  24. 32. <ul><li>O que corresponde ao discurso directo «— Deus, faz-me cair aqui um raio em cima deste estúpido exercício de gramática — suplicou o aluno que não tinha feito os testes do moodle.» é o discurso indirecto </li></ul><ul><li>d) O aluno que não tinha feito os testes do moodle suplicou a Deus que lhe fizesse cair ali um raio em cima daquele estúpido exercício de gramática. </li></ul>
  25. 33. <ul><li>a) O aluno que não tinha feito os testes do moodle suplicou a Deus que lhe faça cair aí um raio em cima do estúpido exercício de gramática. </li></ul><ul><li>b) O aluno que não tinha feito os testes do moodle suplicou a Deus para lhe fazer cair ali um raio em cima daquele estúpido exercício de gramática. </li></ul><ul><li>c) O aluno que não tinha feito os testes do moodle suplicou a Deus que lhe faça cair ali um raio em cima daquele estúpido exercício de gramática. </li></ul>
  26. 34. <ul><li>O que corresponde ao discurso directo «— Alfredo, ontem, enviaste por mail o texto sobre o filme da tua vida? — perguntou a excelente Adriana.» é o discurso indirecto </li></ul><ul><li>c) A excelente Adriana perguntou a Alfredo se, na véspera, enviara por mail o texto sobre o filme da sua vida. </li></ul>
  27. 35. <ul><li>a) A excelente Adriana perguntou ao Alfredo se, na véspera, tinha enviado por mail o texto sobre o filme da sua vida. </li></ul><ul><li>b) A excelente Adriana perguntou se, na véspera, Alfredo enviara por mail o texto sobre o filme da sua vida. </li></ul><ul><li>d) A excelente Adriana perguntou a Alfredo se, na véspera, enviou por mail o texto sobre o filme da sua vida. </li></ul>
  28. 36. <ul><li>«— Na quinta, não darei aulas às 10 horas— diz o professor.» ficaria, em discurso indirecto, </li></ul><ul><li>a) O professor diz que, naquela quinta, não daria aulas às 10 horas. </li></ul><ul><li>b) O professor disse que, na quinta, não daria aulas às 10 horas. </li></ul><ul><li>c) O professor diz que, na quinta, não dará aulas às 10 horas. </li></ul><ul><li>d) O professor diz que, na quinta, não vai dar aulas às 10 horas. </li></ul>
  29. 37. <ul><li>O «se» que, no discurso indirecto, se segue a verbos introdutores como «perguntar» ou «inquirir» é </li></ul><ul><li>a) um pronome pessoal reflexo. </li></ul><ul><li>b) um pronome pessoal recíproco. </li></ul><ul><li>c) uma conjunção integrante. </li></ul><ul><li>d) uma conjunção condicional. </li></ul>
  30. 38. <ul><li>Se no discurso directo houver um vocativo, no discurso indirecto </li></ul><ul><li>a) esse nome será recuperado como complemento directo. </li></ul><ul><li>b) incluiremos esse nome enquanto complemento indirecto. </li></ul><ul><li>c) o vocativo manter-se-á. </li></ul><ul><li>d) o vocativo passará a verbo introdutor. </li></ul>
  31. 39. <ul><li>Se, no discurso directo, o verbo introdutor estiver no Perfeito do Indicativo («disse») , não acontecerá a seguinte mudança de tempos do discurso directo para o indirecto: </li></ul><ul><li>a) presente / imperfeito </li></ul><ul><li>b) perfeito / mais-que-perfeito </li></ul><ul><li>c) futuro / condicional </li></ul><ul><li>d) presente / perfeito </li></ul>
  32. 40. <ul><li>a) presente / imperfeito </li></ul><ul><li>está / estava </li></ul><ul><li>b) perfeito / mais-que-perfeito </li></ul><ul><li>esteve / estivera </li></ul><ul><li>c) futuro / condicional </li></ul><ul><li>estará / estaria </li></ul><ul><li>d) presente / perfeito </li></ul><ul><li> [imperfeito] </li></ul>
  33. 41. <ul><li>Nasceu o carro do futuro </li></ul><ul><li>Um projecto do MIT, em parceria com Frank Gehry e a General Motors, cria automóvel inovador. </li></ul><ul><li>Tecnologia </li></ul>
  34. 42. <ul><li>Iniciativas culturais multiplicam-se no interior </li></ul><ul><li>A oferta cultural tem crescido tanto nos últimos dez anos que a imprensa não a consegue acompanhar </li></ul><ul><li>Sociedade </li></ul>
  35. 43. <ul><li>Peça de José Luís Peixoto vai à cena no Alto Alentejo </li></ul><ul><li>«A Manhã» tem como protagonistas apenas velhos. ... </li></ul><ul><li>Cultura </li></ul>
  36. 45. <ul><li>Listem um conjunto de temas do vosso dia-a-dia — em casa, na escola, na vossa terra — que considerem reunir condições para ser notícia na vossa edição N@Escolas. Lembrem-se do conceito de notícia e o que aprenderam sobre a sua construção. </li></ul>
  37. 46. <ul><li>Resolver o que eu possa ter indicado na folha que agora lhes devolvo. </li></ul><ul><li>Acrescentar (à manchete e a cada destaque/chamada) editoria e «pág. #». </li></ul><ul><li>[Procurar distinguir os três destaques e as três chamadas .] </li></ul>
  38. 47. <ul><li>Rever o que, eventualmente, tenha sido feito por algum colega em casa e agora trazido. </li></ul><ul><li>Combinar o que haja a fazer quanto a fotografia . </li></ul><ul><li>Ter em conta, em termos de grupo, o que digo no tepecê . </li></ul>
  39. 48. <ul><li>TPC </li></ul><ul><li>(1) Prepara leitura (compreensão) do texto «O Fim» (pp. 324-326). </li></ul><ul><li>(2) Tarefas — individuais ou de grupo — relativas ao Concurso do Diário de Notícias (http://www.nescolas.dn.pt/): </li></ul>
  40. 49. <ul><li>Quem não o fez ainda, inscrever-se (cada grupo deve certificar-se de que tem três elementos inscritos). </li></ul><ul><li>Procurar fazer os cinco desafios (cada grupo deve certificar-se de que tem um elemento que fez todos os desafios). </li></ul>
  41. 50. <ul><li>Fazer fotografia ilustrativa da manchete e tê-la disponível para o elemento que vier a enviar a página a poder descarregar (em grupo, deve ficar claro quem trata de tirar a foto e como se fará o «transporte» para o computador a partir do qual se fará o envio da página). </li></ul>
  42. 51. <ul><li>Criar o grupo (clicar em ‘Inscrição de grupos’, à esquerda da zona para login, e depois, escrever o nome do grupo — apenas o primeiro elemento do grupo o fará) / Juntar-se ao grupo (os restantes elementos escolhem seleccionam o nome do grupo que aparecerá). </li></ul><ul><li>[Depois, antes que possam enviar a página, tenho eu de me juntar a cada grupo.] </li></ul>
  43. 52. <ul><li>Fazer ainda os títulos ou pequenos textos que nesta aula se venha a decidir serem precisos para melhorar a página. </li></ul>
  44. 57. <ul><li>Decidam bem que fotografia vai ilustrar a manchete da Primeira Página. A fotografia é fundamental numa primeira página — escolham bem! </li></ul>
  45. 58. <ul><li>Agora só falta paginar! Com os conhecimentos que adquiriram sobre grafismo dos jornais e como se arruma a informação numa Primeira Página vão agora elaborar a vossa proposta e inserir as vossas notícias directamente neste template que vos propomos. </li></ul>
  46. 59. <ul><li>especificar editorias </li></ul><ul><li>e </li></ul><ul><li>pág. # </li></ul>
  47. 60. <ul><li>MANCHETE A notícia mais importante numa publicação é aquela que, quer pela sua actualidade, quer pela proximidade do público em geral, merece destaque de 1ª página. Pode intervir no sucesso dessa edição, ou seja, a manchete poderá reflectir no número de jornais vendidos. O público deverá identificar-se com essa notícia e procurar saber mais sobre esse acontecimento. </li></ul>
  48. 61. <ul><li>Uma manchete emblemática, além de primar pela sua exclusividade num jornal, é aquela que marca a edição daquele jornal, pela sua relevância e atracção exercida sobre o leitor e até outros órgãos de comunicação que poderão fazer referência a essa manchete. </li></ul>
  49. 63. <ul><li>Manchete é o título principal da 1ª página de um jornal, ou o assunto que ocupa essa posição de destaque. Poderá haver mais do que uma manchete numa primeira página. </li></ul>
  50. 64. <ul><li>Chamadas : pequenos texto de síntese na primeira página que remetem o leitor para o artigo mais desenvolvido no interior do jornal. São temas importantes dessa edição do jornal, uma vez que estão presentes na primeira página do jornal. As chamadas podem ser repetidas no jornal, no início da secção/editoria em que se integram </li></ul>
  51. 65. <ul><li>Um título é um texto sintético de apresentação a um outro mais extenso, utilizando sempre o presente como tempo verbal. Há títulos que supreendem pela sua forma, outros pela sua originalidade. Deverão ser objectivos, apelativos, de compreensão imediata. Resumir e atrair, são estas as principais funções de um título. </li></ul>
  52. 66. <ul><li>PRÉMIOS </li></ul><ul><li>As actividades e passatempos lançados no site podem dar acesso a passar um dia na redacção do DN, entrevistar figuras públicas, realizar reportagens em concertos ou eventos desportivos. Os vencedores N@Escolas terão os seus trabalhos publicados no DN e habilitam-se a ganhar um kit de jornalista, livros, enciclopédias e DVD’s. </li></ul>

×