Sophia de Mello Breyner Andresen

7.000 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.000
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.468
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
57
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sophia de Mello Breyner Andresen

  1. 1. Sophia de Mello Breyner Andresen
  2. 2. Trabalho realizado pelos alunos:  Sofia Simenta  Mariana Raposo  Rui Ribeiro  Gonçalo Pardal
  3. 3.  Sophia de Mello Breyner Andresen Vida Sophia de Mello Breyner Andresen nasceu no Porto em1919 e faleceu em 2004 com 84 anos. Mãe de 5 filhos, que a motivaram a escrever contos infantis,foi agraciada com o Prémio Camões em 1999.Sophia de MelloBreyner Andresen foi uma das mais importantes poetisasportuguesas do século XX.
  4. 4.  ObrasAs principais obras da escritora são:- “O Cavaleiro da Dinamarca”, ”Histórias da Terra e do Mar”,“A Floresta” , “A Menina do Mar” , “O Rapaz de Bronze” e“A Fada Oriana”.
  5. 5.  Caraterização das obras literárias Da sua infância e juventude, a autora recorda sobretudo aobra, ao descrever as casas e os objetos dentro delas, dosquais se lembra. Explica isso do seguinte modo: "Tenhomuita memória visual e lembro-me sempre das casas, quartopor quarto, móvel por móvel e lembro-me de muitas casasque desapareceram da minha vida (…). Eu tento«representar», quer dizer, «voltar a tornar presentes» ascoisas de que gostei e é isso o que se passa com as casas:quero que a memória delas não vá à deriva, não seperca.”Está presente em Sofia também uma ideia da poesiacomo valor transformador fundamental. A sua produçãocorresponde a ciclos específicos, com a culminação daatividade da escrita durante a noite:
  6. 6.  "não consigo escrever de manhã, (…) preciso daquelaconcentração especial que se vai criando pela noite fora." Avivência noturna da autora é sublinhada em vários poemas("Noite", "O luar", "O jardim e a noite", "Noite de Abril", "Ónoite"). Aceitava a noção de poeta inspirado, afirmava que asua poesia lhe acontecia, como a Fernando Pessoa:"Fernando Pessoa dizia: «Aconteceu-me um poema». Aminha maneira de escrever fundamental é muito próximadeste «acontecer». A vivência noturna da autora ésublinhada em vários poemas ("Noite", "O luar", "O jardim ea noite", "Noite de Abril", "Ó noite").
  7. 7.  Aceitava a noção de poeta inspirado, afirmava que a suapoesia lhe acontecia, como a Fernando Pessoa: "FernandoPessoa dizia: «Aconteceu-me um poema». A minha maneira deescrever fundamental é muito próxima deste «acontecer».Encontrei a poesia antes de saber que havia literatura. Pensavamesmo que os poemas não eram escritos por ninguém, queexistiam em si mesmos, por si mesmos, que eram como que umelemento do natural, que estavam suspensos imanentes (…).Encontrei a poesia antes de saber que havia literatura. Pensavamesmo que os poemas não eram escritos por ninguém, queexistiam em si mesmos, por si mesmos, que eram como que umelemento do natural, que estavam suspensos imanentes (…).
  8. 8.  É difícil descrever o fazer de um poema. Há sempre uma parteque não consigo distinguir, uma parte que se passa na zonaonde eu não vejo." A sua própria vida e as suas própriaslembranças são uma inspiração para a Autora, pois, como refereDulce Maria Quintela (1981:112), ela "fala de si, através da suapoesia". Sofia de Melo fez-se poeta já na sua infância, quando, tendo apenas três anos, foi ensinada "A Nau Catrineta" pela sua ama Laura. Poemas da escritora: - Assim o amor - Terror de te amar - A forma justa - Os erros - Liberdade - Revolução
  9. 9.  Alguns versos do poema “Liberdade” O poema A liberdade Um poema não se programa Porem a disciplina Sílaba por sílaba O acompanha Sílaba por sílaba O poema emerge Como se os deuses o dessem O fazemos.
  10. 10.  A escritora também escreveu algumas obras literáriassobre Teatro: - O Bojador. - O Colar. - O Azeiteiro. - Filho de Alma e Sangue. - Não chores minha querida.
  11. 11. Prémios:
  12. 12.  1964 - Grande Prémio de Poesia da SociedadePortuguesa de Escritores, atribuído a Livro Sexto. 1977 - Prémio Teixeira de Pascoaes 1979 – Medalha de Verneil da Societé deEncouragement au Progrés, de França 1980 – Ordem Militar de Sant’Iago de Espada 1983 - Prémio da Crítica, do Centro Português daAssociação Internacional de Críticos Literários, peloconjunto da sua obra 1989 - Prémio D. Dinis, da Fundação da Casa de Mateus 1990 - Grande Prémio de Poesia Inasset / Inapa 1992 - Grande Prémio Calouste Gulbenkian deLiteratura para Crianças
  13. 13.  1994 - Prémio cinquenta anos de Vida Literária, daAssociação Portuguesa de Escritores 1995 - Prémio Petrarca 1995 – Homenagem de Faculdade de Teologia daUniversidade Católica de Lisboa, pelo cinquentenário dapublicação do primeiro livro "Poesia" 1995 - Outubro – Placa de Honra do Prémio FransescoPetrarca, Pádua, Itália 1996 - Homenageada do "Carrefour des Littératures", naIV Primavera Portuguesa de Bordéus e da Aquitânia 1998 - Prémio da Fundação Luís Miguel Nava
  14. 14.  1999 - Prémio Camões (primeira mulher portuguesa arecebê-lo) 2000 - Prémio Rosalia de Castro, do Pen Clube Galego 2001 - Prémio Max Jacob Étranger 2003 - Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-americana.

×