SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Sophia de Mello  Breyner Anderson Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Biografia A escritora Sophia de Mello Breyner Andresen nasceu a 6 de Novembro de 1919, no Porto e faleceu em Lisboa a 2 de Julho de 2004. Foi uma das mais importantes poetisas portuguesas do século XX. Foi a primeira mulher portuguesa a receber o mais importante galardão literário da língua portuguesa, o Prémio Camões, em 1999. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Biografia (continuação) Ela estudou no Colégio do Sagrado Coração de Maria. Aos 17 anos, partiu para Lisboa e inscreveu-se na Faculdade de Letras em Filologia Clássica.  Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Algumas das suas obras: Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo “A Fada Oriana” “A Menina do mar”
Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo “ A Floresta”  “O Rapaz de Bronze”
Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo “A Noite de Natal” “Cavaleiro da Dinamarca”
“ A Floresta” Vamos agora recontar uma das suas obras:  Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Era uma vez uma quinta toda cercada de muros, que tinha muitos arvoredos, pomares e um parque com um pinhal. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Na casa dessa quinta morava Isabel, uma menina de onze anos. Como não tinha irmãos, geralmente ela brincava sozinha, conversando com as árvores, com as pedras e com as flores. Às vezes, passeava com o seu grande amigo, o velho jardineiro chamado Tomé. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Num sábado à tarde, no mês de Outubro, Isabel foi para o pequeno bosque que ficava perto da sua casa. Sentou-se ao pé de um carvalho a ler, e começou a imaginar que aquele lugar era um bom lugar para morarem anões. Depois de meditar alguns momentos, resolveu fazer uma casa pequenina e imaginar que depois os anões viriam para ali morar. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Na Quinta-Feira era feriado. Isabel levantou-se cedo e dirigiu-se para o bosque, ficou contente porque a casa estava intacta, mas ao abrir a porta ficou espantada com o que viu… pensou que estava a sonhar!... Pois em cima da cama estava mesmo um anão!! Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
O anão ao ver Isabel ficou muito assustado e pediu-lhe para sair. Isabel disse-lhe que só o queria conhecer e ouvir as histórias que ele tinha para contar. Mas o anão disse-lhe que para confiar nela teria de o deixar sair e deixá-lo ir embora. Então Isabel saiu e foi pôr-se junto duma tília. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
A partir desse dia eles tornaram-se grandes amigos. Passou um ano e nessa altura o anão já tinha confiança necessária em Isabel para lhe contar que acontecera uma desgraça no bosque… apareceram uns bandidos, e os lenhadores fugiram com as suas famílias. Então eles travaram uma batalha com os caçadores.  Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Naquele tempo todos se tinham ido embora, só os três frades permaneceram no seu convento. Então o chefe dos bandidos resolveu dizer-lhes que podiam ficar na capela mas com a condição de eles serem os seus médicos. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Os bandidos foram enriquecendo ao longo dos anos, mas um dia a sorte mudou ao tentarem assaltar um mercador que passava por ali, pois este vinha preparado para lutar com os bandidos. Além de trazer dez homens a cavalo, trazia mais doze homens escondidos entre as mercadorias.  Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Depois de meia hora de luta, os bandidos foram vencidos e só o capitão, gravemente ferido, é que conseguiu escapar, vindo a falecer ao pé dos frades, mas não sem antes revelar onde estava escondido o tesouro. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Passados alguns dias os frades decidiram chamar os anões e contar-lhes o que tinha acontecido. Estes já sabiam que o tesouro se encontrava enterrado no meio da floresta, por detrás da fonte entre um carvalho e uma bétula, debaixo de uma grande pedra redonda.    Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Os anões construíram um carro para desenterrar as arcas e, como elas eram grandes, não cabiam nas celas nem no refeitório e não podiam ficar na capela… então, tiveram de construir um quarto subterrâneo com uma entrada secreta e ainda hoje lá estão!     Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Entretanto, os anos iam passando, os frades adoeceram e acabaram por morrer, sem terem encontrado o homem inteiramente bom, ficando um anão encarregue de o encontrar. Depois de pensar um pouco, Isabel disse ao anão que poderia dar o tesouro ao seu professor de música, que era um homem muito bom. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
No dia seguinte, quando Cláudio chegou, Isabel contou-lhe  a história e foram ter com o anão. Este levou-os onde estava o tesouro. Cláudio não aceitou ficar com o tesouro, pois era muita riqueza para ele. Então Cláudio disse que tinha um amigo muito sábio que sonhava transformar pedras em oiro e que era um homem muito bom.  Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Então o anão transportou o oiro para o laboratório do Dr. Máximo, enquanto o Cláudio tirava de lá as pedras. Passados 3 dias, o Dr. Máximo nem queria acreditar… tinha transformado as pedras em oiro! Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
A cidade estava em festa e o Dr. Máximo foi homenageado. Ele subiu para um palco e começou a distribuir o oiro pelos pobres. O Dr. Máximo estava contente, mas ao mesmo tempo estava triste pois não podia fazer mais experiências porque estava a causar problemas nos negócios da cidade. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Na noite de homenagem ao Dr. Máximo, o anão dormiu em casa de Cláudio. Nessa noite o laboratório e a biblioteca do cientista tinham ardido. Mas este estava contente, porque assim deixava de ter inimigos, pois o transformar as pedras em oiro trouxera-lhe problemas. O anão, que se encontrava com eles, disse-lhes que tinha chegado a hora da sua partida, já se tinha liberto do tesouro dos bandidos.     Nesse momento, desceu do cimo de um carvalho um pássaro que levou o anão para as florestas do Norte.    Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
Trabalho Realizado Por: Ângela Castro Nº2, 5.ºB Diogo Gomes Nº7, 5.ºB Sara Santos Nº15, 5.ºB Soraia Sousa Nº16, 5.ºB Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fv cavaleiro da dinamarca 2010
Fv cavaleiro da dinamarca 2010Fv cavaleiro da dinamarca 2010
Fv cavaleiro da dinamarca 2010Flor Lima
 
O cavaleiro da dinamarca categorias da narrativa
O cavaleiro da dinamarca  categorias da narrativaO cavaleiro da dinamarca  categorias da narrativa
O cavaleiro da dinamarca categorias da narrativafercariagomes
 
O principezinho - resumo
O principezinho - resumoO principezinho - resumo
O principezinho - resumosofiasimao
 
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voarHistória de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voarLara Morgado
 
Classes e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º ano
Classes e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º anoClasses e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º ano
Classes e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º anocarol slides
 
História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...
História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...
História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...A. Simoes
 
Cavaleiro da dinamarca resumo
Cavaleiro da dinamarca   resumoCavaleiro da dinamarca   resumo
Cavaleiro da dinamarca resumoCristina Marques
 
lab7_teste_avaliacao_6a.docx
lab7_teste_avaliacao_6a.docxlab7_teste_avaliacao_6a.docx
lab7_teste_avaliacao_6a.docxMarisa Miranda
 
Nomes coletivos.doc
Nomes coletivos.docNomes coletivos.doc
Nomes coletivos.docElza Melo
 
Resumo da obra
Resumo da obraResumo da obra
Resumo da obramanuela016
 
O Menino Estrela de Oscar Wilde - Apresentação
O Menino Estrela de Oscar Wilde - ApresentaçãoO Menino Estrela de Oscar Wilde - Apresentação
O Menino Estrela de Oscar Wilde - ApresentaçãoClarisse Barreto
 
Teste sumativo 2 bruno
Teste sumativo 2 brunoTeste sumativo 2 bruno
Teste sumativo 2 brunoDelfina Sousa
 
Pedro alecrim verificação de leitura.docx
Pedro alecrim verificação de leitura.docxPedro alecrim verificação de leitura.docx
Pedro alecrim verificação de leitura.docxClaudiaRaquelAraujoL
 
O Relevo - As Principais Elevações de Portugal
O Relevo - As Principais Elevações de PortugalO Relevo - As Principais Elevações de Portugal
O Relevo - As Principais Elevações de Portugalabarros
 

Mais procurados (20)

O Cavaleiro Dinamarca síntese
O Cavaleiro Dinamarca sínteseO Cavaleiro Dinamarca síntese
O Cavaleiro Dinamarca síntese
 
Fv cavaleiro da dinamarca 2010
Fv cavaleiro da dinamarca 2010Fv cavaleiro da dinamarca 2010
Fv cavaleiro da dinamarca 2010
 
As serras de portugal
As serras de portugalAs serras de portugal
As serras de portugal
 
O cavaleiro da dinamarca categorias da narrativa
O cavaleiro da dinamarca  categorias da narrativaO cavaleiro da dinamarca  categorias da narrativa
O cavaleiro da dinamarca categorias da narrativa
 
Ladino
LadinoLadino
Ladino
 
O principezinho - resumo
O principezinho - resumoO principezinho - resumo
O principezinho - resumo
 
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voarHistória de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar
 
Classes e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º ano
Classes e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º anoClasses e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º ano
Classes e subclasses das palavras - 5º , 6º e 7º ano
 
História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...
História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...
História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar: interpretação e pr...
 
Cavaleiro da dinamarca resumo
Cavaleiro da dinamarca   resumoCavaleiro da dinamarca   resumo
Cavaleiro da dinamarca resumo
 
lab7_teste_avaliacao_6a.docx
lab7_teste_avaliacao_6a.docxlab7_teste_avaliacao_6a.docx
lab7_teste_avaliacao_6a.docx
 
Nomes coletivos.doc
Nomes coletivos.docNomes coletivos.doc
Nomes coletivos.doc
 
Resumo da obra
Resumo da obraResumo da obra
Resumo da obra
 
Fada
FadaFada
Fada
 
O Menino Estrela de Oscar Wilde - Apresentação
O Menino Estrela de Oscar Wilde - ApresentaçãoO Menino Estrela de Oscar Wilde - Apresentação
O Menino Estrela de Oscar Wilde - Apresentação
 
Teste sumativo 2 bruno
Teste sumativo 2 brunoTeste sumativo 2 bruno
Teste sumativo 2 bruno
 
Pedro alecrim verificação de leitura.docx
Pedro alecrim verificação de leitura.docxPedro alecrim verificação de leitura.docx
Pedro alecrim verificação de leitura.docx
 
Teste Leandro 7º ano
Teste Leandro 7º anoTeste Leandro 7º ano
Teste Leandro 7º ano
 
O Relevo - As Principais Elevações de Portugal
O Relevo - As Principais Elevações de PortugalO Relevo - As Principais Elevações de Portugal
O Relevo - As Principais Elevações de Portugal
 
Rapaz de bronze
Rapaz de bronze Rapaz de bronze
Rapaz de bronze
 

Semelhante a A floresta

Isabel morava numa quinta
Isabel morava numa quintaIsabel morava numa quinta
Isabel morava numa quintaRafael Duarte
 
Projeto "Uma lenda, duas lendas, tantas lendas..." 5º ano C
Projeto "Uma lenda, duas lendas, tantas lendas..." 5º ano C Projeto "Uma lenda, duas lendas, tantas lendas..." 5º ano C
Projeto "Uma lenda, duas lendas, tantas lendas..." 5º ano C Juliana Cosenza Camara
 
Lendas de Mondim de Basto Licínio Borges
Lendas de Mondim de Basto   Licínio BorgesLendas de Mondim de Basto   Licínio Borges
Lendas de Mondim de Basto Licínio BorgesLicinio Borges
 
PowerPoint Uma aventura nas férias da Páscoa.pptx
PowerPoint Uma aventura nas férias da Páscoa.pptxPowerPoint Uma aventura nas férias da Páscoa.pptx
PowerPoint Uma aventura nas férias da Páscoa.pptxCsarBaltazar1
 
Teatro maria castanha_duendes(2)
Teatro maria castanha_duendes(2)Teatro maria castanha_duendes(2)
Teatro maria castanha_duendes(2)Mara Pinto
 
Monteiro lobato -_O_Saci
Monteiro lobato -_O_SaciMonteiro lobato -_O_Saci
Monteiro lobato -_O_SaciTânia Sampaio
 
Roteiro de Leitura
Roteiro de LeituraRoteiro de Leitura
Roteiro de Leituravialongadt
 
Once upon a time portugalt
Once upon a time portugaltOnce upon a time portugalt
Once upon a time portugaltMar Jurado
 
Pps sítio ppd prof Rosane 2012
Pps sítio ppd prof Rosane 2012Pps sítio ppd prof Rosane 2012
Pps sítio ppd prof Rosane 2012Rosane Ribeiro
 
PNL pré-escolar e 1º ciclo
PNL pré-escolar e 1º cicloPNL pré-escolar e 1º ciclo
PNL pré-escolar e 1º cicloPaula Morgado
 
Projeto Recontando Histórias
Projeto Recontando HistóriasProjeto Recontando Histórias
Projeto Recontando HistóriasNecy
 
Uma Viagem Ao Tempo Dos Castelos
Uma Viagem Ao Tempo Dos Castelos Uma Viagem Ao Tempo Dos Castelos
Uma Viagem Ao Tempo Dos Castelos João Moreira
 
Roteiro de atividades
Roteiro de atividadesRoteiro de atividades
Roteiro de atividadesLeleMendes
 
Livreto coletânia de texto dos estudantes do 4º ano
Livreto coletânia de texto dos estudantes do 4º ano Livreto coletânia de texto dos estudantes do 4º ano
Livreto coletânia de texto dos estudantes do 4º ano Paulo Alves de Araujo
 

Semelhante a A floresta (20)

Isabel morava numa quinta
Isabel morava numa quintaIsabel morava numa quinta
Isabel morava numa quinta
 
Projeto "Uma lenda, duas lendas, tantas lendas..." 5º ano C
Projeto "Uma lenda, duas lendas, tantas lendas..." 5º ano C Projeto "Uma lenda, duas lendas, tantas lendas..." 5º ano C
Projeto "Uma lenda, duas lendas, tantas lendas..." 5º ano C
 
Os contos do 5.º E
Os contos  do 5.º EOs contos  do 5.º E
Os contos do 5.º E
 
Lendas de Mondim de Basto Licínio Borges
Lendas de Mondim de Basto   Licínio BorgesLendas de Mondim de Basto   Licínio Borges
Lendas de Mondim de Basto Licínio Borges
 
Os contos
Os  contosOs  contos
Os contos
 
Mundo de lendas
Mundo de lendasMundo de lendas
Mundo de lendas
 
PowerPoint Uma aventura nas férias da Páscoa.pptx
PowerPoint Uma aventura nas férias da Páscoa.pptxPowerPoint Uma aventura nas férias da Páscoa.pptx
PowerPoint Uma aventura nas férias da Páscoa.pptx
 
Letras com rugas
Letras com rugasLetras com rugas
Letras com rugas
 
Teatro maria castanha_duendes(2)
Teatro maria castanha_duendes(2)Teatro maria castanha_duendes(2)
Teatro maria castanha_duendes(2)
 
Monteiro lobato -_O_Saci
Monteiro lobato -_O_SaciMonteiro lobato -_O_Saci
Monteiro lobato -_O_Saci
 
Roteiro de Leitura
Roteiro de LeituraRoteiro de Leitura
Roteiro de Leitura
 
Seleção de contos
Seleção de contosSeleção de contos
Seleção de contos
 
Once upon a time portugalt
Once upon a time portugaltOnce upon a time portugalt
Once upon a time portugalt
 
Coletânea 72
Coletânea 72Coletânea 72
Coletânea 72
 
Pps sítio ppd prof Rosane 2012
Pps sítio ppd prof Rosane 2012Pps sítio ppd prof Rosane 2012
Pps sítio ppd prof Rosane 2012
 
PNL pré-escolar e 1º ciclo
PNL pré-escolar e 1º cicloPNL pré-escolar e 1º ciclo
PNL pré-escolar e 1º ciclo
 
Projeto Recontando Histórias
Projeto Recontando HistóriasProjeto Recontando Histórias
Projeto Recontando Histórias
 
Uma Viagem Ao Tempo Dos Castelos
Uma Viagem Ao Tempo Dos Castelos Uma Viagem Ao Tempo Dos Castelos
Uma Viagem Ao Tempo Dos Castelos
 
Roteiro de atividades
Roteiro de atividadesRoteiro de atividades
Roteiro de atividades
 
Livreto coletânia de texto dos estudantes do 4º ano
Livreto coletânia de texto dos estudantes do 4º ano Livreto coletânia de texto dos estudantes do 4º ano
Livreto coletânia de texto dos estudantes do 4º ano
 

Último

Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptParticular
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasSlide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasnarayaskara215
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaanapsuls
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfLUCASAUGUSTONASCENTE
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 

Último (20)

Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasSlide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 

A floresta

  • 1. Sophia de Mello Breyner Anderson Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 2. Biografia A escritora Sophia de Mello Breyner Andresen nasceu a 6 de Novembro de 1919, no Porto e faleceu em Lisboa a 2 de Julho de 2004. Foi uma das mais importantes poetisas portuguesas do século XX. Foi a primeira mulher portuguesa a receber o mais importante galardão literário da língua portuguesa, o Prémio Camões, em 1999. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 3. Biografia (continuação) Ela estudou no Colégio do Sagrado Coração de Maria. Aos 17 anos, partiu para Lisboa e inscreveu-se na Faculdade de Letras em Filologia Clássica. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 4. Algumas das suas obras: Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo “A Fada Oriana” “A Menina do mar”
  • 5. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo “ A Floresta” “O Rapaz de Bronze”
  • 6. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo “A Noite de Natal” “Cavaleiro da Dinamarca”
  • 7. “ A Floresta” Vamos agora recontar uma das suas obras: Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 8. Era uma vez uma quinta toda cercada de muros, que tinha muitos arvoredos, pomares e um parque com um pinhal. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 9. Na casa dessa quinta morava Isabel, uma menina de onze anos. Como não tinha irmãos, geralmente ela brincava sozinha, conversando com as árvores, com as pedras e com as flores. Às vezes, passeava com o seu grande amigo, o velho jardineiro chamado Tomé. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 10. Num sábado à tarde, no mês de Outubro, Isabel foi para o pequeno bosque que ficava perto da sua casa. Sentou-se ao pé de um carvalho a ler, e começou a imaginar que aquele lugar era um bom lugar para morarem anões. Depois de meditar alguns momentos, resolveu fazer uma casa pequenina e imaginar que depois os anões viriam para ali morar. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 11. Na Quinta-Feira era feriado. Isabel levantou-se cedo e dirigiu-se para o bosque, ficou contente porque a casa estava intacta, mas ao abrir a porta ficou espantada com o que viu… pensou que estava a sonhar!... Pois em cima da cama estava mesmo um anão!! Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 12. O anão ao ver Isabel ficou muito assustado e pediu-lhe para sair. Isabel disse-lhe que só o queria conhecer e ouvir as histórias que ele tinha para contar. Mas o anão disse-lhe que para confiar nela teria de o deixar sair e deixá-lo ir embora. Então Isabel saiu e foi pôr-se junto duma tília. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 13. A partir desse dia eles tornaram-se grandes amigos. Passou um ano e nessa altura o anão já tinha confiança necessária em Isabel para lhe contar que acontecera uma desgraça no bosque… apareceram uns bandidos, e os lenhadores fugiram com as suas famílias. Então eles travaram uma batalha com os caçadores. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 14. Naquele tempo todos se tinham ido embora, só os três frades permaneceram no seu convento. Então o chefe dos bandidos resolveu dizer-lhes que podiam ficar na capela mas com a condição de eles serem os seus médicos. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 15. Os bandidos foram enriquecendo ao longo dos anos, mas um dia a sorte mudou ao tentarem assaltar um mercador que passava por ali, pois este vinha preparado para lutar com os bandidos. Além de trazer dez homens a cavalo, trazia mais doze homens escondidos entre as mercadorias. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 16. Depois de meia hora de luta, os bandidos foram vencidos e só o capitão, gravemente ferido, é que conseguiu escapar, vindo a falecer ao pé dos frades, mas não sem antes revelar onde estava escondido o tesouro. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 17. Passados alguns dias os frades decidiram chamar os anões e contar-lhes o que tinha acontecido. Estes já sabiam que o tesouro se encontrava enterrado no meio da floresta, por detrás da fonte entre um carvalho e uma bétula, debaixo de uma grande pedra redonda. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 18. Os anões construíram um carro para desenterrar as arcas e, como elas eram grandes, não cabiam nas celas nem no refeitório e não podiam ficar na capela… então, tiveram de construir um quarto subterrâneo com uma entrada secreta e ainda hoje lá estão! Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 19. Entretanto, os anos iam passando, os frades adoeceram e acabaram por morrer, sem terem encontrado o homem inteiramente bom, ficando um anão encarregue de o encontrar. Depois de pensar um pouco, Isabel disse ao anão que poderia dar o tesouro ao seu professor de música, que era um homem muito bom. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 20. No dia seguinte, quando Cláudio chegou, Isabel contou-lhe a história e foram ter com o anão. Este levou-os onde estava o tesouro. Cláudio não aceitou ficar com o tesouro, pois era muita riqueza para ele. Então Cláudio disse que tinha um amigo muito sábio que sonhava transformar pedras em oiro e que era um homem muito bom. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 21. Então o anão transportou o oiro para o laboratório do Dr. Máximo, enquanto o Cláudio tirava de lá as pedras. Passados 3 dias, o Dr. Máximo nem queria acreditar… tinha transformado as pedras em oiro! Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 22. A cidade estava em festa e o Dr. Máximo foi homenageado. Ele subiu para um palco e começou a distribuir o oiro pelos pobres. O Dr. Máximo estava contente, mas ao mesmo tempo estava triste pois não podia fazer mais experiências porque estava a causar problemas nos negócios da cidade. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 23. Na noite de homenagem ao Dr. Máximo, o anão dormiu em casa de Cláudio. Nessa noite o laboratório e a biblioteca do cientista tinham ardido. Mas este estava contente, porque assim deixava de ter inimigos, pois o transformar as pedras em oiro trouxera-lhe problemas. O anão, que se encontrava com eles, disse-lhes que tinha chegado a hora da sua partida, já se tinha liberto do tesouro dos bandidos. Nesse momento, desceu do cimo de um carvalho um pássaro que levou o anão para as florestas do Norte. Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo
  • 24. Trabalho Realizado Por: Ângela Castro Nº2, 5.ºB Diogo Gomes Nº7, 5.ºB Sara Santos Nº15, 5.ºB Soraia Sousa Nº16, 5.ºB Agrupamento de Escolas de Penalva do Castelo