PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 1
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014
Pressupostos teóricos mais os 7
cadernos
 Educaç...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 2
MARQUE (C) OU (E) PARA AS QUESTÕES ABAIXO:
1) Um dos objetivos do currículo é:
(1...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 3
20) (12345) Os espaços não podem ser reduzidos à mera escolarização, pois a educa...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 4
42) (12345) A territorialidade significa romper com os muros das escolas, conside...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 5
OBS: LEIAM AQUI AS PÁGINAS: 38 E 39 PARA MELHOR ENTENDIMENTO.
60) (12345) Os marc...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 6
80) (12345) A SEEDF adota o termo Avaliação das Aprendizagens porque nos situa no...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 7
102) ( 12345) Um dos objetivos propostos no artigo 35 é: a compreensão dos fundam...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 8
117) (12345) Segundo o currículo da SEEDF o PROEJA atende sujeitos que tiveram o ...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 9
131) (12345) A EJA não requer um currículo que dialogue com a s singularidades da...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 10
145) (12345) A educação especial hoje deve ser garantida como dever do Estado e ...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 11
MARQUE (C) OU (E) PARA AS QUESTÕES ABAIXO:
1) (12345) A perspectiva deste projet...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 12
14) (12345) Os princípios deste projeto são: integralidade,intersetorialidade,ge...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 13
31) (12345) A organização das rotinas pedagógicas dentro deste projeto
independe...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 14
45) (12345) As turmas com TGD não é contemplada neste programa.
46) (12345) A EJ...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 15
60) (12345) Esta proposta tem o objetivo de contribuir para que o ppp seja
const...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 16
gestão de um projeto democrático de escola e de qualidade social está
presente n...
PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 17
95) (12345) integração dos coordenadores pedagógicos da escola com a equipe
dire...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apostila

384 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
384
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila

  1. 1. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 1 PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Pressupostos teóricos mais os 7 cadernos  Educação Infantil  Anos Iniciais  Anos Finais  Ensino Médio  Educação Profissional e a Distancia  Educação de Jovens e Adultos  Educação Especial PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA ESCOLA E COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA: ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO NA ESCOLA CADERNO CIDADE ESCOLA CANDANGA: EDUCAÇÃO INTEGRAL 250 QUESTÕES COM GABARITO
  2. 2. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 2 MARQUE (C) OU (E) PARA AS QUESTÕES ABAIXO: 1) Um dos objetivos do currículo é: (12345) Ampliar tempos, espaços e oportunidades educacionais. 2) A formação do ser dentro do currículo é: (12345) Multidimensional (com identidade, histórias, desejos, necessidades e sonhos). 3) (12345) Para implementar este currículo integrado de Educação Integral é imprescindível a superação das concepções de currículo escolar. 4) (12345) O currículo deve permear somente algumas atividades docentes, independente das disciplinas e componentes curriculares. 5) (12345) Os princípios deste currículo são: (integralidade, intersetorização, transversalidade, diálogo escola-comunidade, territorialidade, trabalho em rede e convivência escolar negociada). 6) (12345) O currículo não considera as diferentes formas de organização da Educação Básica, que consta no artigo 23 da LDB. 7) (12345) Os ciclos que usamos para o ensino médio e a semestralidade para o ensino fundamental, segundo a LDB. 8) (12345) Os eixos transversais do Currículo em Movimento são: (educação para a diversidade, cidadania em e para os direitos humanos e educação para a diversidade). 9) A avaliação é a de aprendizagem, institucional e de sistema para todas as escolas independente da forma de organização. 10) (12345) O currículo traz os tempos escolares que na década de 80 era de horas,na década de 90 3 horas e hoje 5 horas. 11) (12345) O ano que iniciou o processo de Construção deste currículo foi em 2013. 12) (12345) Os pressupostos teóricos deste currículo fundamentam-se na teoria crítica e pós-crítica. 13) (12345) Ao se fundamentar nas teorias críticas não se questiona o que pode parecer natural na sociedade como: desigualdades sociais, hegemonia etc. 14) (12345) Ao se fundamentar nos pressupostos das teorias críticas o currículo busca uma racionalidade emancipatória e um compromisso éticos para promover conexões entre currículos e multiculturalismo. 15) (12345) Os pressupostos da teoria pós crítica também fundamentam este currículo. 16) (12345) Para a construção deste currículo não é necessário levar em consideração como ponto de partida a realidade de cada escola,somente obedecer a legislação vigente. 17) (12345) Este currículo abre espaço não só para ensinar a tolerância eo respeito, mas também para provocar análise dos processos pelos quais as diferenças são produzidas através de uma relação de assimetria e desigualdades. 18) (12345) A concepção de educação integral neste currículo inclui: tempos, espaços e oportunidades. 19) (12345) O tempo corresponde a carga horária desarticulada com e integrada.
  3. 3. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 3 20) (12345) Os espaços não podem ser reduzidos à mera escolarização, pois a educação deve extrapolar os muros da sala de aula. 21) (12345) As oportunidades devem ir ao encontro de uma sociedade democrática de deveres, constituindo-se de inclusão social e de vivência da cidadania. 22) (12345) As atividades de educação integral deste currículo deve ser considerada como extracurricular e extraclasse. 23) (12345) A educação integral tratada neste currículo faz parte de um projeto integrado que oferece oportunidades para aprendizagens significativas e prazerosas. 24) (12345) A educação integral pode ser reduzida a um simples aumento de carga horária do aluno dentro da escola. 25) (12345) Os princípios da educação integral dentro deste currículo são: Integralidade, intersetorialização, transversalidade e cidadania. 26) (12345) Os princípios da educação integral dentro deste currículo são: Integralidade, intersetorialização,transversalidade e diálogo escola e comunidade. 27) (12345) A integralidade deve ser entendida como a formação parcial das crianças, jovens e adolescentes. 28) (12345) A integralidade deve ser entendida como a formação integral das crianças, adolescentes e jovens. 29) (12345) O objetivo da integralidade é buscar dar a devida atenção para todas as dimensões humanas com equilíbrio entre os aspectos: cognitivos, afetivos,psicomotores,e sociais. 30) (12345) A intersetorialização ocorre no âmbito escolar sem participação do governo. 31) (12345) A intersetorialização ocorre no âmbito do governo entre as políticas públicas de diferentes campos. 32) (12345) Os projetos sociais, econômicos, culturais e esportivos devem ter uma articulação para que possam potencializar a oferta de um bom serviço de parceria. 33) (12345) A transversalidade não é um dos princípios da educação integral deste currículo. 34) (12345) A aceitação de muitas formas de ensinar,considerando os diversos conhecimentos que os alunos já trazem de fora da escola,seria um conceito de transversalidade dentro deste currículo. 35) (12345) A transversalidade só faz sentido dentro de uma concepção interdisciplinar voltada aos problemas reais dos alunos e comunidade. 36) (12345) O diálogo escola e comunidade na educação integral não é necessário que ocorra a transferência da escola num lugar de espaço comunitário. 37) (12345) Os projetos da educação integral orienta-se nas idéias de Piaget. 38) (12345) Os projetos da educação integral orienta-se pelas referências da pedagogia histórico-crítica e da psicologia histórico cultural. 39) (12345) O ppp na educação não tem a preocupação no aluno de forma integral,somente a atender os projetos desenvolvidos. 40) (12345) O ppp na educação integral implica pensar na escola como um pólo de redução de intensas trocas culturais, resgatando tradições e culturas populares. 41) (12345) A territorialidade significa realizar o ppp dentro da escola para que não haja conflitos com a comunidade.
  4. 4. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 4 42) (12345) A territorialidade significa romper com os muros das escolas, considerando a cidade como um rico laboratório de aprendizagens uma vez que a educação acontece também em quadras comunitárias,igrejas,associações,clubes,etc., buscando parcerias com a comunidade com vistas a criação de projetos socioculturais significativos. 43) (12345) O trabalho em rede significa que todos devem trabalhar em conjunto, lembrando que o aluno não é só da escola, o professor aqui não está sozinho, faz parte da equipe da escola e da rede de ensino. 44) (12345) Saviani cita no currículo que é necessário retomar a luta contra a seletividade, a discriminação, eo rebaixamento do ensino nas camadas populares, garantir aos trabalhadores um ensino de melhor qualidade possível nas condições históricas atuais. 45) (12345) A vulnerabilidade social significa reconhecer as desigualdades do sistema público de ensino. 46) (12345) O currículo nos traz também o pensamento de que não devemos nos preocupar com a superação das condições sociais. 47) (12345) O currículo nos traz o entendimento de que devemos buscar não só implicações para as contradições, mas sobretudo para superá-las,identificando as causas para o fracasso escolar e garantir a aprendizagem a todos. 48) (12345) A pedagogia histórico-crítica citada neste documento é baseadas nas idéias de Wallon e esclarece os estágios de cada aluno. 49) (12345) A pedagogia histórico-crítica esclarece sobre a importância dos sujeitos na construção da história. 50) (12345) Na visão deste currículo citada nas idéias da pedagogia histótico-crítica a escola assume sua tarefa de garantir a aprendizagem do conhecimento historicamente constituídos pela humanidade em situações favoráveis desses conteúdos articulados ao mundo do trabalho, promovendo assim condições objetivas e emancipação humana. 51) (12345) A psicologia histórico-cultural afirma ainda que a escola não é um contexto marcado de contradições e conflitos e por isso deve ser respeitada. 52) (12345) A psicologia histórico-cultural destaca o desenvolvimento do psiquismo e das camadas humanas. 53) (12345) A psicologia histórico-cultural esclarece sobre a importância do sujeito nos diversos níveis de estágios. 54) (12345) A aprendizagem na psicologia histórico-cultural não precisa necessariamente contemplar o ppp da escola. 55) (12345) A prática social dos estudantes, a problematização, a instrumentalização teórica, a catarse e a síntese é o que chamamos de processo de construção do conhecimento. 56) (12345) Educação para o trabalho é um dos eixos transversais do currículo em movimento. 57) (12345) Educação para diversidade, cidadania e educação em e para os direitos humanos e sustentabilidade são os eixos transversais deste currículo. 58) (12345) Os conteúdos dentro desses eixos devem ser trabalhados de forma independente. 59) (12345) Os conteúdos dentro desses eixos devem ser trabalhados de forma interdisciplinar, integrada e contextualizada.
  5. 5. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 5 OBS: LEIAM AQUI AS PÁGINAS: 38 E 39 PARA MELHOR ENTENDIMENTO. 60) (12345) Os marcos legais que incluem as demandas da diversidade em educação vão desde a Constituição, a LDB e a LODF. 61) (12345) A diversidade pode ser entendida neste currículo como a perceoção evidente da variedade humana,social,física e ambiental presentes na sociedade. 62) (12345) A diversidade está relacionada a diversos tempos, diferenças de padões,saberes e culturas hierarquizadas e as desigualdades econômicas. 63) (12345) Pensar a educação para a diversidade significa na prática aceitar toda e qualquer atitude preconceituosa. 64) (12345) Este currículo não cita a importância da educação no campo. 65) (12345) O conceito de educação no campo surge do processo de luta pela terra empreendida pelos movimentos sociais do campo. 66) (12345) O DF oferece as escolas rurais uma proposta pedagógica específica para essa modalidade de ensino. 67) (12345) Cidadania e direitos humanos são termo utilizados algumas vezes para expressar uma mesma realidade política ou ação. 68) (12345) A educação do campo é vista de forma libertadora e emancipatória que pensa a natureza da educação vinculada ao destino do trabalhador. 69) (12345) A progressão é uma característica fundamental dos direitos humanos apresentada neste currículo. 70) (12345) Os direito humanos também é considerado histórico. 71) (12345) A resolução 08/2012 que trata das Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação vê os direitos humanos o espaço primordial a formação ética, crítica e política. 72) (12345) A educação em e para os direitos humanos na escola é assim uma forma de reposicionar compromissos nacionais com a fomentação de direitos e responsabilidades. 73) (12345) A vivência da educação em e para os direitos humanos na educação básica deve ter o passado do aluno como referência a ser analisado. 74) (12345) Hoje dentro da SEEDF é possível pensar a na educação em e para os direito humanos fundamentados em quatro grandes linhas. (a educação para a promoção,defesa,garantia e direitos fundamentais,educação para a diversidade, educação para a sustentabilidade e formação humana integral. 75) (12345) O currículo da SEEDF propõe a superação de uma organização de conteúdos prescritiva,linear e hierarquizada por Bernstein de Currículo Coleção. 76) (12345) Uma das características deste currículo coleção é a fragmentação descontextualizada dos conteúdos culturais e das atividades didático-pedagógica e acadêmica realizadas na escola pelos estudantes e professores. 77) (12345) O currículo integrado pode ser visto como um instrumento de fragilidade das relações de poder e do controle social e escolar. 78) (12345) Diante dos princípios epistemológicos da SEEDF está a unicidade entre teoria e prática. 79) (12345) A concepção de avaliação usada neste currículo é a somativa.
  6. 6. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 6 80) (12345) A SEEDF adota o termo Avaliação das Aprendizagens porque nos situa no campo da educação com a intenção de avaliar para garantir algo e não apenas para coletar dados sem comprometimento com o processo. 81) (12345) A educação infantil é direito subjetivos das crianças com idade entre 0 a 5 anos. 82) (12345) E educação infantil abrange desde o nascimento até a idade em que a criança ingressa no ensino fundamental. 83) (12345) A educação infantil segundo a LDB no artigo 29 tem como finalidade o desenvolvimento parcial da criança até 4 anos. 84) (12345) A denominação creche e pré escola são controversas. 85) (12345) Conforme o artigo 5º dos DCNEIS a educação infantil por ser a segunda etapa da educação básica é oferecida em creches e pré escolas. 86) (12345) A educação hoje no DF está distribuída em instituições públicas com tipologias diversas como: jardim de infância,centro de educação infantil(CEI),escola classe,Caic, etc. 87) (12345) A educação infantil tem por finalidade o desenvolvimento integral da criança. 88) (12345) Os princípios que orientam o trabalho da educação infantil no currículo da SEEDF são os: éticos,políticos e estéticos. 89) (12345) A resolução n.5 de 17 de dezembro de 2009,fixa as Diretrizes nacionais para e educação infantil. 90) (12345) Os eixos norteadores desta resolução são: as interações e as brincadeiras. 91) (12345) Os eixos integrados específicos da educação infantil são: educar e cuidar,brincar e interagir. 92) (12345) Segundo o currículo da SEEDF o ensino fundamental de 9 anos tornou obrigatório o ingresso de crianças no ensino fundamental a partir de 6 anos de idade. 93) (12345) A avaliação formativa foi adotada como concepção e prática norteadora para toda a educação básica,independente de sua organização. 94) (12345) A SEEDF implantou o ensino fundamental de 9 anos em 2005 com o Bloco Inicial de Alfabetização (BIA). 95) (12345) A proposta de trabalho no ensino fundamental com as diferentes áreas do conhecimento não se faz necessário,segundo o currículo da SEEDF. 96) (12345) Os objetivos do ensino fundamental seguem pautados na Constituição Federal sem considerar as diretrizes pedagógicas desta secretaria de educação. 97) (12345) Fortalecer vínculos da escola com a família,possibilitar as aprendizagens a partir da democratização de saberes,dentre outros são objetivos do ensino fundamental. 98) (12345) O trabalho com as linguagens nos anos iniciais pressupõe articulação entre língua portuguesa,artes e educação física. 99) (12345) Nos anos finais do ensino fundamental compreende reflexão sobre o uso da língua na produção de discursos. 100 (12345) O artigo 21 da LDB não traz o ensino médio como modalidade. 101)(12345) No artigo 35 da LDB prevê o ensino médio como etapa final da educação básica.
  7. 7. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 7 102) ( 12345) Um dos objetivos propostos no artigo 35 é: a compreensão dos fundamentos científico-tecnológico dos processos produtivos relacionando teoria e prática no ensino de cada disciplina. 103)( 123) As áreas de conhecimento para o ensino médio são: linguagens,matemática,ciências da natureza e ciências humanas. 104) (12345) A formação parcial do estudante é uma das bases para a oferta do ensino médio. 105) ( 12345) Os eixos integradores do ensino médio em uma perspectiva integral aponta também eixos transversais como: educação para a diversidade, cidadania e educação em e para os direitos humanos e educação para a sustentabilidade. 106) (12345) Os objetivos da SEEDF para o ensino médio são :reduzir os índices de reprovação e evasão escolar, tornar mais efetiva a relação professor-estudante,dentre outros. 107) (12345) Qualificar a avaliação excluindo o processo contínuo de recuperação das aprendizagens também é um dos objetivos. 108) (12345) A SEEDF apresenta atualmente cinco formas de organização do ensino médio. 109) (12345) As duas formas apresentadas pela SEEDF de organização do ensino médio são: a semestralidade e a seriação. 110) (12345) O trabalho como um dos princípios da dignidade humana e do direito a educação é um dos princípios da educação profissional. 111) (12345) Trabalhador multirreferencial, articulado com o conhecimento científico e o saber fazer, foi o marco da concepção de formação profissional no Brasil. 112) (12345) A recomendação nº 195/2004 enfatiza que a educação básica deve ser garantida de forma integrada com a qualificação profissional. 113) (12345) No DF desde 2014 são ofertadas para BA comunidade através dos Centros de Educação Profissional cursos á distância tanto na forma concomitante e subsequente, como na forma integrada com a eja-proeja. 114) (12345) As diretrizes curriculares para educação profissional independente do eixo, deve pautar-se na formação integral do estudante. 115)(12345) O currículo para se trabalhar no DF a educação profissional envolve escolhas, conflitos e acordos que se dão no contexto dos órgãos centrais, intermediários e locais de educação e da comunidade escolar. 116) (12345) No currículo em movimento da SEEDF a educação profissional é enfatizada a formação humana do cidadão como busca de emancipação, o sujeito que pensa sua atividade profissional e domina os pressupostos do seu fazer profissional.
  8. 8. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 8 117) (12345) Segundo o currículo da SEEDF o PROEJA atende sujeitos que tiveram o direito garantido a universalização de escolarização básica. 118)(12345) Os eixos tecnológicos são: (formação inicial e continuada, qualificação ou aperfeiçoamento, formação técnica de ensino médio, formação tecnológica de ensino superior. 119) (12345) A instituição que ofertar a educação à distância deverá mencionar em sua proposta pedagógica a discriminação de como será,de tempos,espaços,etc. 120) (12345) A EAD tem características, linguagens e formatos próprios. 121)(12345) No DF a EAD é oferecida para formação continuada de professores e técnicos, estudos e complementação para alunos da EJA e formação profissional. 122) (12345) As TICs, ganham espaços a cada dia no meio escolar,pois os alunos já usam celulares, tablets, etc como recursos que podem ser utilizados como ferramentas pedagógicas. 123) (12345) O professor na EAD hoje deve acompanhar as transformações provocadas pelas tecnologias e pela informação, tarefa fácil, pois o professor tem conhecimento suficiente para desenvolver seu trabalho. 124)(12345) A satisfação do alunos nos cursos online diretamente proporcional a qualidade oferecida nos cursos. 125) (12345) A avaliação na modalidade EAD deve comportar um processo contínuo para verificar o progresso de estudantes de forma continuada e estimulá-los a serem ativos na construção do conhecimento. 126) (12345) Segundo o currículo da SEEDF a EAD se apresenta claramente como uma analogia à autoformação e às situações de aprendizagem comparando com autoaprendizagens. 127) (12345) A avaliação na modalidade EAD deve comportar um processo contínuo, para verificar o progresso e estudantes de forma continuada e estimulá-los a serem ativos na construção do conhecimento. 128) (12345) O EJA é uma modalidade da educação básica destinada a atender somente pessoas com idade entre 9 e 18 anos. 129) (12345) A EJA segundo o currículo da SEEDF destina ao atendimento de pessoas jovens, adultas e idosas da classe trabalhadora que, ao longo de sua história, não iniciaram ou mesmo interromperam sua trajetória escolar em algum ou em diferentes momentos de sua vida. 130) (12345) Ao tratar o currículo da EJA a SEEDF está voltada para a dimensão de uma modalidade firmada no sujeito da classe trabalhadora.
  9. 9. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 9 131) (12345) A EJA não requer um currículo que dialogue com a s singularidades da pessoa jovem,adulta ou idosa. 132) (12345) A EJA para atender aos anseios do seu público-alvo exige o avanço equilibrado em três eixos: ( o currículo,o formato de oferta e a formação continuada dos profissionais atuantes na modalidade. 133) (12345) O principal objetivo do currículo em movimento na EJA, é o de promover a escolarização de pessoas jovens,adultas e idosas que interromperam ou não tiveram acesso ao processo formativo escolar,por meio da compreensão de uma prática educativa que atenda as especificidades e à diversidade dos sujeitos da classe trabalhadora envolvidos no processo, a fim de dialogar saberes,culturas,projetos e com o mundo do trabalho. 134) (12345) 0 A SEEDF oferece a EJA correspondente com a educação infantil,ensino fundamental e médio. 135) (12345) A EJA também é ofertada através do “Programa DF Alfabetizado: juntos por uma nova história” 136) (12345) O currículo da SEEDF vê a importância de se trabalhar a EJA considerando os seguintes sujeitos educação especial,EJA nas prisões,EJA na educação de campo,EJA e diversidade,EJA a distância e educação profissional na EJA). 137) (12345 ) A LDB contempla a EJA em seus artigos 36 e 37. 138) (12345) O Conselho Nacional (CNE) também se posiciona em relação á EJA com a resolução nº 1/2000,que dispõe sobre as Diretrizes Nacionais para a EJA eo Resolução nº 3/2010 que institui as Diretrizes Operacionais para a EJA quanto a duração dos cursos,idade mínima para ingresso nos cursos para certificação e a EAD na modalidade. 139) (12345) O currículo da EJA não deve atender à necessidade do estudante percorrer trajetórias de aprendizagens de forma diversa,alternada ou em combinações. 140) (12345) A avaliação na EJA contemplado no currículo as SEEDF se fundamenta para a reflexão acerca do alcance dos objetivos propostos,reconhecendo as possibilidades e necessidades da aprendizagem ao longo da vida escolar. 141) (12345) Na perspectiva da avaliação formativa deverão ser consideradas a avaliação formal(testes,provas,trabalhos,projetos,,dentre outros). 142) (12345) A avaliação informal como valores e juízos não deve ser considerada nessa modalidade da EJA 143- (12345 ) A educação especial não é contemplada neste currículo. 144) (12345) Segundo o currículo da SEEDF a educação especial é oferecida às pessoas com necessidades educacionais especiais em todos os níveis e demais modalidades que estruturam a oferta educacional no Estado brasileiro.
  10. 10. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 10 145) (12345) A educação especial hoje deve ser garantida como dever do Estado e sua realização deve ser assegurada preferencialmente na rede regular de ensino e por meio do atendimento educacional especializado. 146) (12345) A SEEDF não tem procurado nos últimos anos esforços ,ações e políticas educacionais para melhoria no atendimento a esta modalidade. 147) (12345) Segundo o currículo da SEEDF o objetivo da educação especial é ensinar a todos seus estudantes,sem distinção e com qualidade,favorecendo condições de acessibilidade,permanência e promovendo seu processo de ensino-aprendizagem,bem como seu desenvolvimento global. 148) (12345) A educação especial na perspectiva da educação inclusiva, fundamenta-se em princípios de equidade, de direito à dignidade humana, na educabilidade de todos os seres humano. 149) (12345) Tratar do currículo da educação especial necessariamente implica tratar do currículo de cada uma das modalidades. 150) (12345) Segundo a SEEDF a educação especial tem sido definida em nosso país segundo uma perspectiva mais ampla, que ultrapassa a simples concepção de atendimento especializado, tal como vinha sendo sua marca nos últimos tempos. Obs.: como a educação inclusiva vem também à parte no edital, faz-se necessário um estudo mais sistemático do assunto. GABARITO : Pressupostos teóricos mais os 7 cadernos 1- C 2- C 3- C 4- E 5- C 6- E 7- C 8- C 9- C 10- C 11- E 12- C 13- C 14- E 15- C 16- E 17- C 18- C 19- E 20- C 21- C 22- E 23- C 24- E 25- E 26- C 27- E 28- C 29- C 30- E 31- C 32- C 33- E 34- C 35- C 36- E 37- E 38- C 39- E 40- C 41- E 42- C 43- C 44- C 45- C 46- E 47- C 48- E 49- C 50- C 51- E 52- C 53- E 54- E 55- C 56- E 57- C 58- E 59- C 60- C 61- C 62- C 63- C 64- C 65- C 66- C 67- C 68- C 69- E 70- C 71- C 72- C 73- E 74- C 75- C 76- C 77- E 78- C 79- E 80- C 81- C 82- C 83- E 84- C 85- E 86- C 87- C 88- C 89- C 90- C 91- C 92- C 93- C 94- C 95- E 96- E 97- C 98- C 99- C 100-E 101-C 102- C 103- C 104-E 105-C 106-C 107-E 108-E 109-C 110-C 111- C 112-C 113-E 114-C 115-C 116-C 117-E 118-C 119-C 120-C 121-C 122-C 123-E 124-C 125-C 126-E 127-C 128-E 129-C 130-C 131-E 132-C 133-C 134-E 135-C 136-C 137-C 138-E 139-E 140-C 141-C 142-E 143-E 144-C 145-C 146-E 147- C 148-C 149-C 150-C
  11. 11. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 11 MARQUE (C) OU (E) PARA AS QUESTÕES ABAIXO: 1) (12345) A perspectiva deste projeto é para que haja a consolidação e difusão de princípios e ações de Educação Integral centradas em uma educação pública de qualidade referenciada nas questões sociais. 2) (12345) A R.A citada neste documento para a criação deste projeto é a de Brazlândia. 3) (12345) A educação integral entendida no PPP Professor Carlos Mota é aquela que não se limita ao aspecto quantitativo ao aumento de tempo de permanência do estudante na escola, mas sobretudo proporcionar qualitativamente tempos e espaços maiores e melhores. 4) (12345) A função social desta secretaria é garantir educação pública de qualidade social somente para os alunos de educação em tempo integral. 5) (12345) O que a proposta deste documento reúne é o sonho comum, as esperanças de cada trabalhador da educação, da comunidade que investe na escola, a espera de novas gerações e das crianças e jovens que cotidianamente comparecem as salas de aula na esperança de aprender e construir significados coletivamente. 6) (12345) A escola em construção denominada neste documento é: Cidade Escola Candanga: Educação Integral. 7) (12345) Essa escola visa formar o ser humano em sua parcialidade e para a sua emancipação,ampliando espaços, tempos e oportunidades educacionais. 8) (12345) A primeira etapa deste projeto será realizado em 21 escolas da R.A de Brazlândia, em toda a educação básica, sendo 17 escolas em área urbana e 04 em área rural. 9) (12345) Essa implementação será a longo prazo em 2014. 10) (12345) Pensa-se neste projeto a Universalização da educação integral em todo o sistema público de ensino do DF em até 08 anos. 11) (12345) A ampliação do tempo de 5 para no mínimo 7 horas diárias de permanência do estudante na escola com a vivência de atividades formativas ,diversificadas é alicerçada não somente no tempo maior, mas também na inserção do estudante em outros espaços e com novas oportunidades educacionais. 12) (12345) São sete os objetivos específicos, entre eles investir no protagonismo de crianças,adolescentes,jovens e adultos para que se tornem autônomos e emancipados. (FAVOR LES AS PÁGINAS 12 E 13 DO DOCUMENTO) 13) (12345) Este projeto baseia-se no artigo 34 e 37 da LDB e no artigo 1º do decreto presidencial nº 7.083/2010, no Plano Nacional de Educação e no artigo 221 da LODF que orienta e reforça as necessidades de que a educação integral se concretize de maneira gradativa na cidade.
  12. 12. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 12 14) (12345) Os princípios deste projeto são: integralidade,intersetorialidade,gestão administrativa,territorialidade,trabalho em rede. (FAVOR LER AS PÁGINAS: 15 A 17) 15) (12345) Compete a equipe central do governo as condições objetivas necessárias a a sua implementação. 16) (12345) Dentre essas condições estão: alimentação adequada, parcerias com outras secretarias,profissionais especializados,etc. 17) (12345) A equipe MESO da SEEDF (coordenação regional de ensino) compete: orientar,acompanhar e avaliar este projeto junto as unidade escolares. 18) (12345) A equipe gestora é responsável pela implantação do Projeto que envolve: coordenar,operacionalizar e avaliar o ppp da escola. 19) (12345) Os profissionais de educação são responsáveis pelo desenvolvimento do currículo da educação básica articulando-o as atividades complementares. 20) (12345) As coordenações pedagógicas cabe organizar o espaço/tempo em suas coordenações com planejamentos,estudos e formas de avaliar o projeto da educação integral. 21) (12345) A comunidade escolar deve ter uma relação de diálogo, socialização,transparência,construção de saberes,entre outros. 22) (12345) Os outros profissionais, dentro deste projeto assumem o papel de ajudar, somente quando forem acionados. 23) (12345) (E ao estudante,sujeito plural,único,individualizado e contextualizado pelas redes sociais são protagonistas deste projeto. 24) (12345) A organização do trabalho pedagógico na educação integral utiliza diferentes espaços e tempos para as aprendizagens, não se limitando apenas a sala de aula. 25) (12345) O termo “aula” neste projeto fica denominado como espaço pedagógico. 26) (12345) Este projeto considera que tempo, espaço e oportunidades são elos para a valorização da educação integral. 27) (12345) São cinco as propostas deste projeto entre elas: jornada de tempo integral de no mínimo 7 horas por meio de um currículo integrado, educação escolar pautada na pedagogia histótico-crítica integrando a realidade do estudante, etc. (LER AS PÁGINAS: 22,23,24) 28) (12345) Haverá neste projeto duas turmas denominadas:alvorada e a sobrenoite. 29) (12345) A turma alvorada diz respeito aos estudantes que ingressaram desde o início da manhã e que se estende a parte vespertina, e a turma sobretarde são as turmas que se estendem até o final da tarde. 30) (12345) A educação infantil conforme a páginas 23 e 24 deste projeto não se inclui nesta etapa de educação integral.
  13. 13. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 13 31) (12345) A organização das rotinas pedagógicas dentro deste projeto independente de série não deve estar subordinada a uma seqüência hierarquizada que se espelhe apenas na lógica e organização do aluno. 32) (12345) A organização dos espaços para atividades não precisam promover a identidade pessoal da criança, contato social, a privacidade, a confiança e autoconfiança,somente cumprir os horários.(LER PÁGINA 27) 33) (12345) O professor neste projeto além de acompanhar e fazer o planejamento das atividades diárias deve buscar a utilização de espaços diversos dentro da escola para que a mesma aconteça de forma prazerosa,onde todos os espaços sejam transformados em ambientes pedagógicos. 34) (12345) A organização do espaço de educação integral contemplado neste projeto, importa oferecer aos estudantes uma amplitude maior de oportunidades educacionais. (LER ROTINAS DAS PÁGINAS 24 A 34) 35) (12345) Os ambientes de oferta das refeições devem ser somente em refeitórios e caso a escola não possua, pode acontecer na sala de aula. 36) (12345) O CENEBRAZ é uma proposta destinada ao horário de atividades que atenda as duas turmas: Alvorada e Sobretarde para atender aos estudantes com necessidades especiais. 37) (12345) Serão atendidos pelo CENEBRAZ os estudantes com deficiência intelectual,deficiências múltiplas e tgd na faixa etária de 4 a 50 anos. 38) (12345) Os educadores sociais voluntários atendem aos estudantes com tgd e deficiência na escola de educação integral. 39) (12345) Este projeto terá a educação profissional e colocação no mercado de trabalho, com a implementação de oficinas de cozinha,lavanderia,lavajato e horta/jardim. 40) Os estudantes com deficiência intelectual ou múltipla sem grandes comprometimentos a partir de 10 anos de idade poderão fazer parte das oficinas pedagógicas pré-profissionalizantes com vistas à inserção no mundo do trabalho. 41) (12345) As aprendizagens priorizadas neste programa “CENEBRAZ” são: básicas,especificas e de gestão.(LER PÁGINAS: 36 A 41) 42) (12345) Os estudantes com DMU e DI terão conteúdos do currículo em movimento da educação básica (adaptado ou funcional),ministrado pelo professor regente durante as cinco horas. 43) (12345) Os estudantes com TGD terão conteúdos diferentes dos que constam no currículo em movimento da educação básica da SEEDF. 44) (12345) As turmas de integração inversa com estudante: DMU,DI,DF, terão atividades acadêmicas do currículo em movimento da educação básica,ministrado pelo professor regente durante as cinco horas.
  14. 14. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 14 45) (12345) As turmas com TGD não é contemplada neste programa. 46) (12345) A EJA também será contemplada e serão acampanhados por professor regente durante as cinco horas de aula e após esse período com p professor do SOT (serviço de orientação para o trabalho). 47) (12345) O centro interescolar de línguas deste projeto será um importante operador e participe deste projeto. 48) (12345) No dia de aula no CILB o aluno será dispensado das atividades desenvolvidas na escola de origem,no período de 11h às 12 hs. 49) (12345) O transporte que leva os alunos para o CILB da turma alvorada,não poderá levar os alunos da turma sobretarde, para não chocar os horários. 50) (12345) Os alunos dos anos iniciais além do CILB, poderão contar com o projeto sobre vivência para aprendizagem de línguas, ação pedagógica, cujo objetivo é sensibilizar estudantes desta etapa para o aprendizado de línguas estrangeiras. 51) (12345) A educação física introduz e integra neste projeto o trabalho com a diversidade da cultura corporal, contribuindo para a formação integral do ser. 52) (12345) As atividades pedagógicas desenvolvidas no ambiente escolar da educação integral deverão igualar à lógica reducionista que valoriza a performance e o rendimento esportivo e não privilegiar o desenvolvimento da totalidade humana. 53) (12345) A atividade de educação física neste projeto deve estar articuladas e integradas entre si e no ppp da escola. (LER QUADRO PÁG.48). 54) (12345) A avaliação das aprendizagens neste projeto vê a avaliação formativa, que se traduz em juízo de valores e que seja praticada de maneira encorajadora. 55) (12345) Todas as unidades escolares deverão reelaborar seus ppp adequando- os ao Projeto Cidade Escola Candanga:Educação Integral . 56) (12345) A SEEDF elaborou as orientações pedagógicas do ppp e da coordenação pedagógica como subsídios às equipes gestoras e pedagógicas das escolas. 57) (12345) A tendência desta rede em aumentar qualitativamente os tempos e espaços para as aprendizagens, ganhou nos anos de 1991 a 2000,por meio da escola candanga especial adendo que se traduziu em ampliação do tempo e espaço da coordenação pedagógica no interior das escolas. 58) (12345) As ORIENTAÇÔES PEDAGÓGICAS PPP e COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NAS ESCOLA é um documento que refere-se a importância do processo de construção coletiva do ppp da escola, que tem na coordenação pedagógica o espaço-tempo para essa construção. 59) (12345) Estas orientações busca também atender as cobranças institucionais numa perspectiva burocrática.
  15. 15. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 15 60) (12345) Esta proposta tem o objetivo de contribuir para que o ppp seja construído coletivamente, fomentando as propostas que são diversas pela especificidade de cada escola. 61) (12345) O documento que permeia esta orientação é a gestão democrática. Lei 4751/2012. 62) (12345) A lei 4.751/2012 considera a existência de diferentes sujeitos sociais ativos na escola, que influenciam e são influenciados nos diferentes espaços de debate, entre outros. 63) (12345) A perspectiva defendida nessas orientações é a de defesa da elaboração de um projeto que favoreça a reflexão sobre o papel de cada um de nós trabalhadores da educação pública. 64) (12345) Essas orientações abordarão 10 tópicos para melhor entendimento. 65) (12345) Os tópicos abordados nessas orientações serão: a dimensão política do ppp, os movimentos na construção do ppp da escola e a coordenação pedagógica. (LER PÁGINAS 10 E 11) 66) (12345) A dimensão política do ppp prevê a elaboração de propostas educacionais emancipatórias, que corraboram para a superação das contradições existentes na sociedade. 67) (12345) A escola reflete contradições e características da sociedade em que está inserida. 68) (12345) As ações praticadas no interior das escolas são marcadas por conflitos e desafios. 69) (12345) Por ser uma construção humana, a escola imersa numa dada realidade cultural influenciada e por esta realidade também influencia. 70) (12345) Por ser político e pedagógico a elaboração de um projeto deve proporcionar o exercício democrático necessário para garantir a participação da comunidade escolar como um todo e a vivência da cidadania. 71) (12345) Essas orientações tem a intenção de subsidiar gestores, professores, estudante, exceto a comunidade. 72) (12345) Essas orientações buscam junto com todos uma definição que favoreça a reflexão, a avaliação, a pesquisa, o estudo, o debate, os consensos, os dissenso e os conflitos que emergem de toda construção coletiva. 73) (12345) A construção de um ppp coletivamente, fortalecerá a escola em busca do cumprimento de sua função social de garantir o acesso de conhecimentos sistematizados. 74) (12345) Iniciar a discussão do ppp na escola conhecendo e analisando a função social da escola e conhecendo sua existência secular como instituição formal de educação de jovens, crianças e adultos, faz toda a diferença. 75) (12345) A gestão democrática no DF em que as equipes diretivas e conselhos escolares legitimado pelo voto direto da comunidade escolar, assumem a
  16. 16. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 16 gestão de um projeto democrático de escola e de qualidade social está presente nessas orientações. 76) (12345) A organização inicial para elaboração coletiva do ppp não envolve o supervisor e orientador educacional. 77) (12345) O grupo formado para elaboração coletiva do ppp pode indicar outros profissionais da educação para compor a comissão organizadora. 78) (12345) A comissão deve garantir fidedignidade somente para a comunidade e aos membros da equipe não é necessário. 79) (12345) As discussões e decisões tomadas pela comissão organizadora do ppp não se faz necessária seu registro em ata. 80) (12345) O ppp deverá ser apresentado à comunidade escolar, em todos os segmentos que fará supressões ou os acréscimos. 81) (12345) O primeiro movimento para a construção é o diagnóstico inicial da escola, e de seu território. 82) (12345) Nessa fase de elaboração, não é necessário preocupar-se com as questões: qual a escola que temos e qual a escola que queremos? 83) (12345) Para o levantamento d informações que ajudem num diagnóstico inicial para a construção do ppp pode-se usar dados do Plano de Desenvolvimento da educação(PDE INTERATIVO). 84) (12345) O segundo movimento para a construção do ppp da escola são as concepções que fundamentam a prática pedagógica e administrativa da escola. 85) (12345) Nesta fase o grupo ainda não discute as bases teórico-filosóficas do ppp.(LER PÁGINA 19 A 20) 86) (12345) O terceiro movimento para construção do ppp citada nessas orientações é a discussão e elaboração do plano de ação. 87) (12345) Um plano de ação compõe-se de: objetivos, metas, ações e acompanhamento e avaliação do ppp.(LER PÁGINAS 22 À 24) 88) (12345) A estrutura do ppp apresenta 15 partes, das quais devem ser seguidas e desenvolvidas passo a passo. 89) (12345) As coordenações pedagógicas nas escolas públicas do DF é resultado de conquista política dos professores por meio de lutas históricas. 90) (12345) Para destacar o trabalho coletivo da coordenação pedagógica, destaca- se o prefixo “co” da palavra que quer dizer: “junto com os pares”. 91) (12345) A coordenação pedagógica aqui não é o lugar de tradução das exigências institucionais como instrumento de adaptações. 92) (12345) Na perspectiva de co+ordenação trabalho pauta-se na reflexão da prática com desprezo aos procedimentos, na ação coletiva emancipatória. 93) (12345) O papel do coordenador pedagógico é ouvir os professores, discutir o entendimento de teoria e prática, entre outros. 94) (12345) Através das ações sinalizadas no ppp é possível elabora um plano de ação para a coordenação pedagógica.
  17. 17. PROFESSOR TEMPORÁRIO-SEEDF 2014 Página 17 95) (12345) integração dos coordenadores pedagógicos da escola com a equipe diretiva é fundamental para dinamizar o espaço-tempo da coordenação pedagógica. 96) (12345) A garantia da coordenação pedagógica contribui para a superação da fragmentação do trabalho pedagógico, de sua rotina e alienação dos trabalhadores em educação. 97) (12345) As orientações aqui apresentadas são para a elaboração do ppp e organização da coordenação pedagógica na e na escola. 98) (12345) O objetivo da SEEDF é contribuir para que o ppp seja construído coletivamente. 99) (12345) Desenvolver uma formação crítica e reflexiva dos estudantes do ensino fundamental faz parte dos objetivos do plano de ação para elaboração do ppp. 100) (12345) As discussões da organização dos conselhos de classe fazem parte das ações de dimensão pedagógica dentro da elaboração do ppp. Gabarito PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA ESCOLA E COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA: ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO NA ESCOLA CADERNO CIDADE ESCOLA CANDANGA: EDUCAÇÃO INTEGRAL 1- C 2- C 3- C 4- E 5- C 6- C 7- E 8- C 9- E 10- C 11- C 12- C 13- C 14- C 15- E 16- C 17- C 18- C 19- C 20- C 21- C 22- E 23- C 24- C 25- E 26- C 27- C 28- E 29- C 30- E 31- C 32- E 33- C 34- C 35- E 36- C 37- C 38- C 39- C 40- E 41- C 42- C 43- E 44- C 45- E 46- C 47- C 48- C 49- E 50- C 51- C 52- E 53- C 54- E 55- C 56- C 57- E 58- C 59- E 60- C 61- C 62- C 63- C 64- E 65- C 66- C 67- C 68- C 69- C 70- C 71- E 72- C 73- C 74- C 75- C 76- C 77- E 78- C 79- E 80- C 81- C 82- C 83- C 84- C 85- E 86- C 87- C 88- C 89- C 90- C 91- E 92- C 93- E 94- C 95- C 96- C 97- C 98- C 99- C 100-C

×