MÉTODO CLÍNICO PARA DETERMINAR     O PREPARO APICAL IDEALRoland Weiger, Tibor Bartha, Matthias Kalwitzki, and Claus Löst, ...
O objetivo deste estudo foidesenvolver um método para determinar o tamanho do preparo apical(APS) ideal.
Foram utilizados molares superiores e inferiores deseres humanos, com formação radicular completa, semsinais visíveis de ...
Foram     retiradas    radiografias   periapicais   pré-operatórias para verificar o comprimento dos canaisradiculares e ...
PREPARO DOS DENTES     Preparo dos Terços Cervcial e Médio dos Canais:       Mesiovestibular, Mesiolingual e Distovestibul...
Após a realização do pré-alargamento, instrumentos especiais (SIs)foram confeccionados para medir o diâmetro apical do ca...
Instrumento Especial                               (SI)Instrumento especialmente desenhando para calibrar odiâmetro apical...
Os      canais   radiculares     foram   seccionadostransversalmente a 1 e 2mm do ápice radicular, atravésda utilização d...
Os slides foram projetados e um examinadordeterminava qual o        diâmetro de um determinadoinstrumento     teria    a ...
Diâmetro                                              do SI                                                  Contorno     ...
Para cada nível (1mm e 2mm do ápice) o dSI (diâmeto do SI) foirelacionado ao APS (Tamanho do Preparo Apical). Para fornece...
Um total de 226 canais foram preparados para a mediçãoda região apical, porém 14 canais radiculares foramexcluídos por co...
 Em 191 canais radiculares ,(90%), foi possível utilizar umSI com diâmetro de 0,15 mm ou maior.
Tabela III – Média dos valores para o tamanho dopreparo apical (APS ) mínimo.             Molar Inferior                  ...
TABELA IV- Frequencia dos tamanhos apicais que resultam em completaremoção das paredes dentinárias , em relação ao fator x...
Como a primeira lima que se adapta apicalmente (FirstApical Bend File- FABF) pode não refletir o diâmetro apical devido as...
No presente estudo , quando o tamanho do preparo apical(APS) dos canais mesio vestibulares e disto vestibulares demolares ...
Preparos apicais pouco ampliados , como porexemplo , até uma lima 25 ou 30 nos canais mesiovestibulares , leva na maioria ...
A técnica descrita neste trabalho permitiu uma avaliaçãodo tamanho do preparo apical (APS) em situações clínicaspara a ma...
Diametro  ideal do preparo apical na instrumentação de canais radiculares ;:resumo de artigo apresentado  no curso de endo...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Diametro ideal do preparo apical na instrumentação de canais radiculares ;:resumo de artigo apresentado no curso de endodontia em Maceió

2.004 visualizações

Publicada em

resumo de artigo sobre o diâmetro do preparo apical ideal na instrumentação de canais radicualres, apresentado por alunos do curso de endodontia realizado em maceio

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.004
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Diametro ideal do preparo apical na instrumentação de canais radiculares ;:resumo de artigo apresentado no curso de endodontia em Maceió

  1. 1. MÉTODO CLÍNICO PARA DETERMINAR O PREPARO APICAL IDEALRoland Weiger, Tibor Bartha, Matthias Kalwitzki, and Claus Löst, OralSurg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod 2006;102:686-91 Alunos: Tereza Pedrosa Paulo Fraga Curso de Endodontia 2009 Leandro Lisboa ABO/AL Amanda Nóbrega Inês Jacyntho Inojosa Katiane Tavares Daniel Oliveira Pinto Natália Soares Maria Lúcia Feitosa Amanda Leite Ana Karla Wanderley
  2. 2. O objetivo deste estudo foidesenvolver um método para determinar o tamanho do preparo apical(APS) ideal.
  3. 3. Foram utilizados molares superiores e inferiores deseres humanos, com formação radicular completa, semsinais visíveis de reabsorção externa e ausência detratamento endodôntico prévio;Um total de 80 molares com 242 canais radicularesforam selecionados;16 canais radiculares tiveram que ser excluídos devidoa presença de obliteração, fratura radicular, fratura deinstrumento antes de medir o diâmetro apical.
  4. 4. Foram retiradas radiografias periapicais pré-operatórias para verificar o comprimento dos canaisradiculares e registrar curvatura dos mesmos;Após abertura de acesso , os canais radiculares foramexplorados e medidos até o forame utilizando-se lima06O CT (1WL) foi definido utilizando-se lima 06conectada a um localizador apical ( Root ZX);O alargamento dos terços cervical e médio foirealizado através de instrumentos rotatórios de NiTitaper 06 (HERO), utilizando-se a técnica coroa-ápice
  5. 5. PREPARO DOS DENTES Preparo dos Terços Cervcial e Médio dos Canais: Mesiovestibular, Mesiolingual e Distovestibular:Brocas GG 2 e 3, para os terços cervicais seguida deutilização de limas HERO 20 .06 para os terços médios. Distal e Palatino:Brocas GG 2 a 4 para os terços cervicais seguidas delimas HERO 20 e 30 .06 para instrumentação dos terçosmédios;•Nos canais ovais , os instrumentos HERO trabalharam commovimentos circunferenciais•Os canais foram irrigados com NaOCl a 1% e o terço apical(cerca de 4mm) não foi instrumentado.
  6. 6. Após a realização do pré-alargamento, instrumentos especiais (SIs)foram confeccionados para medir o diâmetro apical do canal radicular;Estes instrumentos não possuíam taper nem haste helicoidal, a fimde permitir um acesso livre à região apical, sem prender-se em áreasdistantes do terço apical do canal radicular;Os SIs possuíam vários diâmetros e foram confeccionados em açoinox (tamanhos 08, 10, 12.5, 15 e 17.5) e NiTi (tamanhos 20, 25, 30,35, 40 e 45).Os SIs foram inseridos passivamente no canal radicular, começando peloinstrumento especial 08, até alcançar o comprimento de trabalho .O SI mais calibroso que encontrava alguma resistência para alcançar ocomprimento de trabalho, foi registrado dentro do limite de 1mm e oseu diâmetro (dSI ) foi relacionado às medidas anatômicasdeterminadas microscopicamente.
  7. 7. Instrumento Especial (SI)Instrumento especialmente desenhando para calibrar odiâmetro apical do canal , comparado a uma lima rotatóriacom taper 0,.4mm
  8. 8. Os canais radiculares foram seccionadostransversalmente a 1 e 2mm do ápice radicular, atravésda utilização de discos diamantados, posicionadosperpendicularmente ao canal radicular;Cada corte transversal foi enxaguado com soluçãosalina e depois corado com solução de fucsina parademarcar o contorno do canal radicular;Os mesmos foram examinados sob luz microscópicacom aumento de 14.4 vezes e em seguida fotografados;
  9. 9. Os slides foram projetados e um examinadordeterminava qual o diâmetro de um determinadoinstrumento teria a capacidade de removercompletamente a camada mais interna da parededentinária do canal radicular; Para os canais ovais , o maior diâmetro da secçãotransversal era medido e definido como tamanho ideal dopreparo apical (APS) ;FIGURA 2Para os canais radiculares circulares, o tamanho idealdo preparo apical (APS) era considerado quando pelomenos 0,1 mm da parede de dentina do canal radicularpudesse ser removida.
  10. 10. Diâmetro do SI Contorno original do canal Diâmetro do preparo apical (APS) idealFIGURA 2- Corte do canal radicular com o contorno da anatomiaoriginal (canal radicular em cinza) , seccção transversal circular dodiâmetro do SI (laranja) e do instrumento com o diâmetro dopreparo apical ideal em azu l(APS)
  11. 11. Para cada nível (1mm e 2mm do ápice) o dSI (diâmeto do SI) foirelacionado ao APS (Tamanho do Preparo Apical). Para forneceruma base para a equação y =dSI + x foi definido um “x” como fatorde correção para cada tipo de canal . A variável y foi calculada para x = 0.3mm( + 6 limas com aumentos consecutivos em D0 de0,05mm) x = 0.4mm ( + 8 limas com aumentos consecutivos em D0 de0,05mm) , x = 0.5mm ( + 10 limas com aumentos consecutivos em D0 de0,05mm ) e x = 0.6mm ( + 12 limas com aumentos consecutivos em D0 de0,05mm) . A frequencia de casos que resultou em um preparo apicalcompleto (y ≥ APS) foi computada com um intervalo deconfiança (CI)de 95% para cada tipo de canal radicular.Valores acima dos intervalos de confiança indicavam queexistia diferença estatisticamente significativa
  12. 12. Um total de 226 canais foram preparados para a mediçãoda região apical, porém 14 canais radiculares foramexcluídos por conter um forame apical comum ou porimpedir a inserção passiva do SI até a região apical;Nos 212 canais radiculares remanescentes, o SI chegouaté a parte mais apical dos canais radiculares;O parâmetro para determinar o APS (Tamanho doPreparo Apical) foi relacionado ao dSI em 210 canaisradiculares, pois as secções transversais de 2 casos não seencontraram adequadas para análise microscópica;
  13. 13.  Em 191 canais radiculares ,(90%), foi possível utilizar umSI com diâmetro de 0,15 mm ou maior.
  14. 14. Tabela III – Média dos valores para o tamanho dopreparo apical (APS ) mínimo. Molar Inferior Molar Superior APS Canal Canal Canal Canal Canal Canal Distal Mésio Mésio Palatino Mésio Disto Vestibular Lingual Vestibular Vestibular Média O,53 0,48 0,46 0,52 0,48 0,37 95%CI 0,45-0,60 0,42-0,54 0,40-0,52 0,46-0,58 0,40-0,47 0,32-0,43 CI= Intervalo de Confiança
  15. 15. TABELA IV- Frequencia dos tamanhos apicais que resultam em completaremoção das paredes dentinárias , em relação ao fator x somado ao diâmetrodo Instrumento Especial (dSI) a 1mmMolar Inf. Distal Mésio-Vestibular Mésio-Lingual Fator X 0,.30 0,40 0,50 0,60 0,30 0,40 0,50 0,60 0,30 0,40 0,50 0,60 (em mm) Incom 23 13 7 1 15 10 6 3 11 9 3 2 pleto 55% 31% 17% 2% 42% 28% 17% 8% 34% 28% 9% 6% Comple 19 29 35 41 21 26 30 33 21 23 29 30 to 45% 69% 83% 98% 58% 72% 83% 92% 66% 72% 91% 94%Molar Sup. Palatina Mésio-Vestibular Mésio-Lingual X 0,.30 0,40 0,50 0,60 0,30 0,40 0,50 0,60 0,30 0,40 0,50 0,60 (em mm) Incom 14 4 3 2 11 10 7 5 3 3 1 0 pleto 40% 11% 9% 6% 30% 28% 19% 14% 10% 10% 3% 0% Comple 21 31 32 33 25 26 29 31 26 26 26 29 to 60% 89% 91% 94% 70% 72% 81% 86% 90% 90% 90% 100%
  16. 16. Como a primeira lima que se adapta apicalmente (FirstApical Bend File- FABF) pode não refletir o diâmetro apical devido as interferências dentinárias presentes no canal ou pela presençade canais ovais , é provável que a dentina não seja totalmenteremovida circunferencialmente do canal , pelo uso convencional daregra de ampliar com 3 instrumentos acima do FABF. No presente estudo , os canais foram pré alargados , masao invés de limas convencionais para obter o diâmetro apicalanatômico, foram usadas limas cilíndricas, sem conicidade ,chamadas instrumentos especiais (SI). Isto permitiu a fácilintrodução do instrumento no canal sem que o mesmo ficasseprematuramente preso nas interferências dentinárias coronáriasao terço apical.
  17. 17. No presente estudo , quando o tamanho do preparo apical(APS) dos canais mesio vestibulares e disto vestibulares demolares superiores) e mesio linguais, fosse equivalente aodiâmetro do SI (dSI) + 0,3mm (mais 6 limas com aumentosconsecutivos em D0 de 0,05mm) , um preparo apical completoem 70%-90% dos casos seria realizado. Quando o tamanho do preparo apical (APS) dos canaispalatino , distal e mesio vestibulares(molares inferiores) , fosseequivalente ao diâmetro do SI (dSI) + 0,4mm (mais 8 limas comaumentos consecutivos em D0 de 0,05mm) , um preparo apicalcompleto em 69%-89% seria realizado. Quando não houver um instrumento especial (SI)disponível e na impossibilidade de obter o diâmetro apicalanatômico aproximado , os clínicos deveriam tentar ampliarapicalmente os canais mesio lingual, mesio vestibular e distovestibular até uma limas 45-50 e nos canais distais e palatinosaté uma lima 60-65.
  18. 18. Preparos apicais pouco ampliados , como porexemplo , até uma lima 25 ou 30 nos canais mesiovestibulares , leva na maioria dos casos a umainstrumentação deficiente da região apical. Asobservações microscópicas realizadas neste estudoestão em acordo com os estudos de Kerekes eTronstad , que demostraram claramente quediâmetros de preparos apicais maiores geralmenteenglobam o diâmetro das limas apicais inicais.
  19. 19. A técnica descrita neste trabalho permitiu uma avaliaçãodo tamanho do preparo apical (APS) em situações clínicaspara a maioria dos canais radiculares em molares;Canais radiculares devem ser instrumentados atéatingirem tamanhos maiores do que os normalmenterecomendados, principalmente aqueles que estivereminfectados;De uma forma prática, no canais mesiovestibular,mesiolingual e distovestibular, o APS deveria corresponderno mínimo a 6 limas acima da lima inicial e nos canaispalatino e distal a 8 limas acima da lima apical inicial.

×