Principio e Elementos Armazenagem 2

18.923 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Turismo
1 comentário
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Prezado professor:

    Estou a procura de material sobre armazenagem e movimentação de cargar para utilização no meio acadêmico. Gostaria de saber se é possível ter acesso ao seu material e utilizá-lo ( concedendo os referidos créditos pela confecção do material a vossa autoria).

    Desde já, agradeço a atenção prestada.

    Sds,
    Giseli
    gcapelini@hotmail.com
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.923
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
54
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
671
Comentários
1
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • MAIO -2008 - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS PROJETO DE TERMINAIS DE CARGA AÉREA - Requisitos de Engenharia de Manutenção 14/05/2008
  • Principio e Elementos Armazenagem 2

    1. 1. PRINCÍPIOS E ELEMENTOS DA A ATIVIDADE DE ARMAZENAGEM Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    2. 2. OBJETIVO: Conhecer a atividade de armazenagem, seus princípios e quais elementos que fazem parte da sua composição. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    3. 3. ROTEIRO A B C D Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    4. 4. LOGÍSTICA: Processo de planejamento, implementação e controle de fluxo e armazenagem eficientes e de baixo custo de matéria prima, estoques, produto acabado e informações relacionadas, desde o ponto de origem até o ponto de consumo, com o objetivo de atender os requisitos do cliente. ARMAZENAGEM é uma das atividades logísticas de uma empresa.... Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    5. 5. VENDAS PLANEJAMENTO FORNECE-DORES ADM. DE MATERIAIS PRODUÇÃO DISTRIBUIÇÃO CLIENTE CONSU- MIDOR GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES GERENCIAMENTO DE RECURSOS HUMANOS FINANÇAS GERENCIAMENTO DE QUALIDADE PRODUTOS E SERVIÇOS INFORMAÇÕES 1 2 Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    6. 6. ROTEIRO A B C D Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    7. 7. <ul><li>PRINCIPIO BÁSICOS: </li></ul><ul><li>PLANEJAMENTO: </li></ul><ul><li>área X característica do produto a ser armazenado; </li></ul><ul><li>FLEXIBILIDADE OPERACIONAL </li></ul><ul><li>integração das atividades; </li></ul><ul><li>SIMPLIFICAÇÃO </li></ul><ul><li>ocupação da área x equipamentos e fluxos disponíveis; </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    8. 8. <ul><li>PRINCIPIO BÁSICOS: </li></ul><ul><li>INTEGRAÇÃO: </li></ul><ul><li>maior número de operações possível, sempre de forma coordenada; </li></ul><ul><li>OTIMIZAÇÃO ESPAÇO FÍSICO: </li></ul><ul><li>armazenamento seguro x capacidade e características da área; </li></ul><ul><li>OTIMIZAÇÃO EQPTO E MÃO DE OBRA: </li></ul><ul><li>controle mão-de-obra x equipamentos; </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    9. 9. <ul><li>PRINCIPIO BÁSICOS: </li></ul><ul><li>VERTICALIZAÇÃO: </li></ul><ul><li>aproveitar a altura do armazém; </li></ul><ul><li>MECANIZAÇÃO: </li></ul><ul><li>movimentação por equipamentos (custo); </li></ul><ul><li>AUTOMAÇÃO: </li></ul><ul><li>movimentação automatizada (custo); </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    10. 10. <ul><li>PRINCIPIO BÁSICOS: </li></ul><ul><li>CONTROLE: </li></ul><ul><li>registro das cargas, inventário, organização; </li></ul><ul><li>SEGURANÇA: </li></ul><ul><li>armazenamento seguro x integridade carga </li></ul><ul><li>PREÇO: </li></ul><ul><li>cobrar de acordo com o mercado. </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    11. 11. A B C Pto Zero
    12. 12. <ul><li>OS PRINCÍPIOS DEVEM CONSIDERAR: </li></ul><ul><li>O TIPO DE MERCADORIA/CARGA; </li></ul><ul><li>QUAL O VOLUME A SER MOVIMENTADO/ARMAZENADO? </li></ul><ul><li>QUANTO PODERÁ SER INVESTIDO? </li></ul><ul><li>USO DE TÉCNICAS PARA A SIMPLIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES. </li></ul><ul><li>QUAL O FLUXO DE ENTRADA E SAÍDA DE MERCADORIAS/CARGAS? </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    13. 13. <ul><li>OS PRINCÍPIOS DEVEM AINDA CONSIDERAR: </li></ul><ul><li>COMO O MERCADO ESTA ATUANDO; </li></ul><ul><li>O USO DE SISTEMA E SOLUÇÕES PRÁTICAS; </li></ul><ul><li>A CAPACIDADE DE ADPTAR-SE ÀS MUDANÇAS; </li></ul><ul><li>A CAPACIDADE DE TER FLEXIBILIDADE PARA OBTER VANTAGENS COMPETITIVAS. </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    14. 14. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ARMAZENAGEM RECEBIMENTO DE CARGAS/MERCADORIAS: ANÁLISE DO MELHOR FLUXO DE ENTRADA. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena Infra-estrutura (sanitário, bebedouro,telefonia); Tecnologia de Informação – sistema; Dimensionadas para evitar “batidas” nos portões; Definição do local prévio de entrada.
    15. 15. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ARMAZENAGEM: Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena A- POSIÇÕES DE DESCARREGAMENTO organização por chegada/produto, etc; onde vai ocorrer a descarga; B - RECEBIMENTO Retirada das cargas; Verificação física dos volumes; Contagem dos lotes/volumes; Pesagem; Preparação para a armazenagem (ex: unitização); Registro no sistema de controle; Envio para a armazenagem apropriada. A B
    16. 16. IMPORTANTE: SE O PROCESSO DE RECEBIMENTO OCORRER DE FORMA SIMULTÂNEA, SEM ORGANIZAÇÃO E SEM A DEFINIÇÃO DE UM FLUXO PARA O ARMAZENAMENTO IMEDIATO, TODO O PLANEJAMENTO PODE SER PREJUDICADO.... Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    17. 17. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    18. 18. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena
    19. 19. ROTEIRO A B C D Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena Helio Souto Dapena
    20. 20. VANTAGENS = Sistema Compacto - corredores estreitos - aproveitamento pleno do pé-direito Helio Souto Dapena Armazenamento e Embalagens de Materiais 1996 1993   1990     1987                 corredor --> 5,60 3,00 1,20 1,75 raio de giro --> EMPILH CONTRAPESO GLP EMP. ARMA TRI LA TERAL Trans-elevador pé-direito --> 3,80 - 6,80 12,60
    21. 21. TIPOS DE EMPILHADEIRAS: Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena CONTRAPESO DE ARMAZENAGEM TRILATERAL
    22. 22. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena ARMAZENAGEM EM ARMAZÉNS AUTO PORTANTES
    23. 23. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena TRANSELEVADOR CAPACIDADE 1.000 Kg
    24. 24. Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena ARMAZENAGEM DE MERCADORIASPERECÍVEIS EM ARMAZÉNS REFRIGERADOS
    25. 25. <ul><li>Raio de giro para 02(duas) empilhadeiras, uma no fluxo e outra perpendicular; </li></ul><ul><li>Prever mão dupla para empilhadeiras no fluxo evitando colisão; </li></ul><ul><li>Prever cobertura com pé-direito </li></ul><ul><li>levando-se em conta a altura </li></ul><ul><li>máxima em elevação da torre </li></ul><ul><li>da empilhadeira; </li></ul><ul><li>prever anteparo ( guard-rail ) </li></ul><ul><li>entre carga e parede do </li></ul><ul><li>armazém </li></ul><ul><li>(pode ser utilizado como </li></ul><ul><li>Circulação para pedestre). </li></ul>Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena DOCAS RECEBIMENTO E EXPEDIÇÃO:
    26. 26. <ul><li>Rampa de ligação entre a Doca e Pátio de Manobra com fluxo de mão dupla, dimensionada para empilhadeira de 10T; </li></ul><ul><li>Proteção evitando-se o contato da carroceria do </li></ul><ul><li>caminhão com a doca; </li></ul>Helio Souto Dapena Armazenamento e Embalagens de Materiais PÁTIO DE CAMINHÕES/VEÍCULOS: <ul><li>Piso com coeficiente de </li></ul><ul><li>atrito adequado, evitando-se o </li></ul><ul><li>deslizamento da empilhadeira </li></ul><ul><li>quando molhado. </li></ul>
    27. 27. <ul><li>prever raio de giro adequado a carretas de grande porte . </li></ul><ul><li>Utilizar drenagem (canaletas) </li></ul><ul><li>preferencialmente na extremidade </li></ul><ul><li>próximo ao arruamento; </li></ul><ul><li>Prever depósito de resíduos </li></ul><ul><li>sólidos/recicláveis com acesso </li></ul><ul><li>livre para caminhão coletor. </li></ul>PÁTIO DE CAMINHÕES/VEÍCULOS: Helio Souto Dapena Armazenamento e Embalagens de Materiais
    28. 28. <ul><li>GASES </li></ul><ul><li>Prever a renovação de ar (exaustão) para a sala de Baterias; </li></ul><ul><li>Oficina de Manutenção. </li></ul><ul><li>Área de solda. </li></ul><ul><li>PIT STOP fora do armazém. </li></ul>ABASTECIMENTO DE EQUIPAMENTOS: Helio Souto Dapena Armazenamento e Embalagens de Materiais
    29. 29. <ul><li>Prever oficina de Manutenção (pode ser anexa à edificação). </li></ul><ul><li>área para lavar veículos/equipamentos; </li></ul><ul><li>sistema de separação de água/óleo; </li></ul><ul><li>estufa para pintura/secagem de equipamentos; </li></ul><ul><li>tanque de lavagem; </li></ul>MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS: Helio Souto Dapena Armazenamento e Embalagens de Materiais
    30. 30. <ul><li>procurar padronizar equipamentos/estruturas (facilitar a aquisição para reposição); </li></ul><ul><li>prever escritórios no mezanino (facilita a observação geral do armazém e livra o piso para outros fins); </li></ul><ul><li>prever quadro elétrico e &quot;boca de lobo&quot; do sistema pluvial/esgoto, próximo aos pilares e a margem dos fechamentos verticais, a fim de evitar que fiquem sob as estanterias, sem acesso; </li></ul><ul><li>prever área para recuperação/armazenamento de estrados/embalagens; </li></ul><ul><li>prever área de atendimento ao cliente/usuário; </li></ul><ul><li>prever sala de espera para motoristas (com infra-estrutura sanitária); </li></ul><ul><li>prever rede de água para bebedouros/lava-olhos; </li></ul><ul><li>alambrados industriais, guard-rail de proteção aos equipamentos e fechamentos verticais; </li></ul>Helio Souto Dapena Armazenamento e Embalagens de Materiais COMPLEMENTOS:
    31. 31. <ul><li>acesso ao pórtico detector de metais entrada do armazém, dimensionado para o fluxo de mão-de-obra existente (com sala para revista). </li></ul><ul><li>área de TV vigilância. </li></ul><ul><li>vestiários proporcional ao nº de efetivo estimado. </li></ul><ul><li>prever “DOMUS” com a fim de melhorar o índice de iluminação no interior do armazém, diminuindo de forma significativa a conta de energia. </li></ul><ul><li>prever a utilização de membrana acrílica na impermeabilização das junções da cobertura. </li></ul><ul><li>atentar para o dimensionamento da captação de águas pluviais, baseado no índice pluviométrico anual em detrimento da área de cobertura e inclinação. </li></ul><ul><li>prever área de bandejamento para cabos de dados e energia elétrica, sobre área livre, facilitando o acesso. </li></ul><ul><li>separar circuitos elétricos, facilitando o desligamento em horários onde não há operação. </li></ul>Helio Souto Dapena Armazenamento e Embalagens de Materiais COMPLEMENTOS:
    32. 32. ROTEIRO A B C D Armazenamento e Embalagens de Materiais Helio Souto Dapena Helio Souto Dapena

    ×